História Matérias NA SUVs Toyota

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

O Toyota Land Cruiser Prado é um SUV global da marca japonesa e que já foi vendido no Brasil. O modelo nasceu em 1984 e tem sua origem no clássico Land Cruiser, que aqui conhecemos como Toyota Bandeirante.


O chamado Toyota Prado é uma proposta de maior luxo e conforto em relação ao Toyota Land Cruiser, que é um modelo mais “raiz”, focado mais no 4×4, enquanto seu irmão mais novo pode fluir bem entre asfalto e terra.

Essa proposta surgiu quando a Toyota percebeu que os clientes queriam mais conforto e um carro menos aventureiro, um verdadeiro SUV no lugar de um jipão.

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Contudo, a Toyota precisou de uma geração inteira do Prado para que o mesmo trilhasse de fato o seu caminho. Assim, criou-se duas linhas distintas de produtos feitos sobre chassi de longarinas.

Com o tempo, o Prado se aproximou muito da Lexus em luxo, recebendo até o logotipo da mesma em certos mercados, como nos EUA, onde é vendido como Lexus GX.

Robusto, o Toyota Land Cruiser Prado está em sua quinta geração e completou em 2019, dez anos sobre o mesmo chassi. A próxima já está em andamento e poderá focar muito mais em hibridização.

Toyota Land Cruiser Prado

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

O Toyota Land Cruiser Prado não surgiu exatamente em 1984, como já citado, mas foi a partir do modelo J70 dessa época, que ele evoluiu seis anos depois, nascendo de fato o primeiro Prado, porém, com a mesma geração J70.

Somando-se as duas, durou 10 anos, mas metade disso em uma carroceria diferente, que tinha como característica o uso focado no asfalto, mesmo compartilhando muito do Land Cruiser padrão.

Mesmo com sete ou oito lugares, o Prado podia enfrentar qualquer dureza no barro. Foi somente a partir de J90 que ele passou a ser mais luxuoso e distante do fora de estrada.

Ainda assim, o Toyota Land Cruiser Prado durou poucos anos até a geração J120, que foi a vendida no mercado brasileiro a partir de 2003. Maior rival do Mitsubishi Pajero Full, o SUV japonês ainda possui muitos admiradores no Brasil.

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Embora algumas pessoas digam que o modelo J150 foi vendido oficialmente no Brasil, o que sabemos (e já vimos) é que a própria Toyota dispõe de algumas unidades desse modelo em sua fábrica.

Por aqui, o modelo durou de 2003 até 2009, sempre vendido com motor diesel 3.0 e transmissão manual ou automática. Rumores posteriores falavam sempre do retorno do Prado, sendo que até as unidades J150 pareciam indicar isso.

Contudo, o Brasil é hoje um dos poucos lugares onde o Toyota Land Cruiser Prado não está presente, tendo ainda Coreia do Sul e México, pois nos EUA e Canadá, ele é o mesmo carro, só que vendido como Lexus GX.

O que pode confundir alguns também é a presença do Land Cruiser 200 importado independente, que anda sendo oferecido como Prado, mas nunca foi, apesar do estilo se aproximar do J150.

Toyota Land Cruiser Prado no Brasil

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Em 5 de junho de 2003, a Toyota lançava no Brasil o Land Cruiser Prado. O SUV de tração 4×4 chegava um ano depois de seu lançamento no Japão, sendo o modelo da geração J120.

Assim como a anterior J90 – que nunca foi vendida aqui – o Prado já havia se distanciado do Land Cruiser Series e era considerado um modelo diferente, focado no conforto e com grande capacidade off road.

O alvo era o Mitsubishi Pajero Full, sendo que ambos eram de fato muito parecidos em proposta, inclusive com o famoso estepe na tampa traseira.

Com oito lugares, o Toyota Land Cruiser Prado era o único do mercado nacional com tamanha capacidade de levar pessoas, sendo aqui equipado com motor diesel 3.0.

Além disso, ele era oferecido com câmbio manual de 5 marchas ou automático com 4 velocidades, ambos com tração nas quatro rodas com caixa de redução e diferencial central. Foi vendido assim até sair do mercado, anos depois.

Toyota Land Cruiser Prado – Estilo

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Diferente da SW4, que sempre foi derivada da Hilux, o Toyota Land Cruiser Prado veio do modelo clássico, que evoluiu no Japão, apesar de existir ainda a série 70 como um produto retrô, além da 200, que é parecido com o Prado em proposta.

O Toyota Land Cruiser Prado chamava atenção pelos faróis simples e grandes com lentes de policarbonato claras que subiam sobre as laterais do carro. A grade era imponente e cromada, tendo logotipo da marca bem destacado.

O SUV tinha para-choque dianteiro com linhas fluidas e faróis de neblina ao lado de entradas de ar, tendo ainda pequenos bumpers verticais que os separavam da grade inferior.

Para aumentar a robustez e a imponência, um acessório vendido era quase mandatório para os proprietários do Prado, um overbumper pronunciado que envolvia boa parte do para-choque e ainda tinha o nome do carro estampado no centro.

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Com carroceria volumosa, o Toyota Prado vinha com saias de rodas e laterais pronunciadas, assim como com boa área envidraçada. As maçanetas eram na cor do carro, mas os retrovisores eram cromados.

Tendo barras longitudinais no teto, o Land Cruiser Prado vinha também com estribos laterais integrados ao desenho do carro. De acordo com a Toyota, na época o SUV foi oferecido nas cores preto, prata, bege e a rara vermelha.

Nestes casos, apenas a cor bege tinha acabamento na mesma cor, enquanto as demais vinham com habitáculo em cor cinza. O Toyota Prado tinha ainda bem e imponentes rodas de liga leve aro 17 polegadas com seis raios.

Estas incluíam o estepe externo de mesmo tamanho, preso junto à tampa traseira. O Toyota Land Cruiser Prado tinha pneus 265/65 R17, que eram bem adequados à missão mista do SUV.

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Com vigias laterais que sobem em direção às colunas D, a identidade do Prado, o utilitário esportivo vinha com vigia traseira bem ampla. A tampa tinha luz auxiliar de freio na parte superior e limpador/lavador com desembaçador.

A tampa tinha abertura para o lado direito e vinha com maçaneta no lado esquerdo. O estepe ficava um pouco mais deslocado para o lado oposto, preso em um suporte com trava.

O logotipo da Toyota ficava bem no extremo da tampa, no lado direito do veículo, tendo abaixo a versão do Prado, que aqui era a VX. Na outra ponta, mais abaixo, ficava uma cobertura da placa com o nome completo do modelo.

Já o para-choque era rebaixado e vinha com plataforma para apoio de pé, além de refletores nas extremidades. As lanternas eram verticais e chamavam atenção pelas lentes boleadas na parte branca.

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Por dentro, o Toyota Land Cruiser Prado seguia o estilo vigente na época, com console central bem vistoso e ambiente com vários porta-copos e trecos, exatamente para manter uma família grande com conforto em viagens longas.

O painel vinha com airbag duplo e trazia um volante de quatro raios com acabamento em couro. Este podia ser ajustado em profundidade e altura, tendo ainda a famosa haste do piloto automático, que só agora está saindo de cena na marca.

Já o cluster era analógico e tinha mostradores grandes, de fácil leitura. Conta-giros, velocímetro, nível de combustível e temperatura da água eram bem distribuídos. A instrumentação tinha hodômetros digitais.

No alto do painel, ficava o display Optitron, que apresentava 10 funções: relógio, temperatura externa, barômetro, bússola, altímetro, consumo médio e instantâneo de combustível, autonomia, velocidade média e tempo de viagem.

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

O console central tinha acabamento em cinza brilhante nas laterais, onde ficavam os difusores de ar. No meio, ficava o sistema de áudio com disqueteira para seis CDs. O som tinha quatro alto-falantes e dois tweeters a bordo.

Abaixo do rádio 2din, ficava o ar condicionado dual zone. Para quem ia atrás, difusores de ar e reguladores de ventilação. Com aplique imitando madeira, o Toyota Prado tinha um frontal vistoso.

O túnel era largo e vinha com freio de estacionamento por alavanca, assim como alavanca do câmbio (mesmo automático) inclinada na direção do condutor. Para o sistema 4×4, havia uma segunda haste, porém, muito menor.

O Toyota Land Cruiser Prado vinha com vidros elétricos nas quatro portas, sendo que a do motorista era one touch. Trazia ainda espelhos externos elétricos e com rebatimento automático. A trava central e demais comandos incluíam a chave.

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

As portas também reproduziam o estilo wood do painel, tendo também detalhes em couro. Nos assentos, todos revestidos em couro, muito conforto.

O banco do motorista tinha ajustes manuais em oito posições, porém, o ajuste lombar era elétrico. Nos anos seguintes, passou a ter ajuste geral totalmente elétrico.

Com bom espaço interno, o Toyota Land Cruiser Prado tinha apoios de braço, apoios de cabeça e cintos completos para todos, tendo três fileiras de assentos na configuração 2/3/3.

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Os bancos das segunda e terceira fileiras eram ajustáveis, rebatíveis e removíveis, ampliando a versatilidade do Prado, que era realmente um carro para famílias grandes, inclusive com a segurança do sistema Isofix para cadeiras infantis.

Se a terceira fileira fosse rebatida, o porta-malas ficava com 468 litros até a altura dos vidros. Assim, o Toyota Prado podia levar muita coisa a bordo e até fora, já que as barras no teto não eram meramente estéticas.

Medindo exatos 4,850 m de comprimento (sem o acessório frontal e com o estepe), 1,875 m de largura, 1,905 m de altura e 2,790 m de entre eixos, o Toyota Land Cruiser Prado era um SUV realmente atraente em porte e proposta.

Toyota Land Cruiser Prado – Motor

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

O Toyota Land Cruiser Prado vinha com motor turbo diesel de quatro cilindros 3.0 litros com intercooler, chamado 1KZ-TE, que tinha cabeçote com duas válvulas por cilindro, entregando assim 131 cavalos a 3.600 rpm e 35 kgfm a 2.000 rpm.

Com 2.982 cm3, o propulsor era forte o suficiente para a proposta da época, sendo caracterizado pela suavidade em funcionamento e alto torque em baixas rotações.

O câmbio podia ser manual de cinco marchas ou automático com quatro velocidades, que tinham gerenciamento eletrônico com monitoramento das características de condução do motorista.

Mesmo com a tração 4×4, a Toyota quis ampliar a capacidade do Prado com um gerenciamento diferente da transmissão automática, que tinha o botão 2nd STRT.

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Nesse caso, para sair de pisos bem ruins sem afundar as rodas na lama, devido ao torque elevado do 1KZ-TE, a funcionalidade (quando em Drive ou terceira marcha) mudava automaticamente para a segunda.

Esse modo de saída em pisos escorregadios podia ser desviada para uma operação mais manual, colocando a alavanca em segunda, porém, com essa mantendo a relação, pois, 2nd STRT, as marchas subiam com a progressão do veículo.

Com esse conjunto motriz, o Toyota Prado ia de 0 a 100 km/h em longos 19 segundos e com máxima de apenas 155 km/h. O consumo médio na cidade ficava em torno de 9 km/l, enquanto na estrada podia fazer 12 km/l.

4×4

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

O sistema 4×4 do Toyota Land Cruiser Prado vinha com três diferenciais, sendo que o central e o traseiro possuíam sistema de deslizamento limitado (LSD).

Essa tecnologia permitia ao motor 1KZ-TE transferir sua força de forma suave e gradual de um eixo para o outro mediante múltiplas embreagens, sempre que os sensores apontavam falta de aderência nas rodas.

Geralmente 60% da força ia para as rodas traseiras e 40% ficava na frente quando o 4×4 estava acionado, mas isso podia mudar de acordo com as condições de rodagem e terreno.

O seletor do 4×4 tinha a função H (4×4 permanente), HL (4×4 com bloqueio do diferencial central com 50% de força em cada eixo) e LL (4×4 com reduzida).

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Com esse sistema, o Toyota Prado acrescentava suspensão dianteira independente com braços duplos triangulares e barra estabilizadora, assim como eixo traseiro rígido com molas helicoidais (como na frente) e amortecedores.

A suspensão traseira tinha tirantes e quatro apoios no chassi, que era de longarinas em U. Os freios vinham com sistemas ABS e EBD, além de frenagem de emergência.

Com vão livre de 220 mm, o Toyota Land Cruiser Prado tinha bons ângulos de entrada e saída com 32° e 27°, respectivamente. Para vencer ladeiras e inclinação lateral, o limite era de 42° nos dois casos.

Com curso da suspensão bem longo, o Toyota Prado podia enfrentar grandes valas e buracos no meio do caminho, passando ainda cursos d´água com até 700 mm de profundidade.

Pesando 2.027 kg, o Prado era parrudo para enfrentar o off road mais duro, tendo ainda tanque de 87 litros para garantir aquela boa autonomia em regiões rurais ou de poucos postos confiáveis. Na estrada, podia rodar mais de 1.000 km.

J70: Antes e depois

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

A primeira geração do Toyota Land Cruiser Prado era uma variante de duas portas e chassi curto do Land Cruiser clássico. Esta primeira fase é considerada predecessora do Prado.

Nascido em 1984, esse modelo só assumiu o nome e mudou de direção em 1990, mas ainda na J70 e parecendo uma variante de sete ou oito assentos do Land Cruiser Série 70 da época.

J90: SUV de fato

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Em 1996, o Toyota Land Cruiser Prado assumiu uma postura independente com um produto mais luxuoso e confortável, mas ainda aparentado com o Land Cruiser 90, que estava sendo lançado na mesma época.

Teve motores a gasolina 2.7 e V6 3.4, além de uma gama intensa de opções diesel 2.8 e 3.0 litros. Não chegou a ser vendido oficialmente no Brasil.

J150: Foco na agressividade

Toyota Land Cruiser Prado: estilo, motor, equipamentos das gerações

Depois do J120, que chegou aqui, o J150 ainda é usado pela marca por aqui, mas este Toyota Land Cruiser Prado se mantém por 10 anos sob a mesma carroceria.

Ele ganhou algumas atualizações ao longo do tempo, sendo basicamente duas que mais marcaram. Ainda com opção de chassi curto e duas portas, além da versão padrão, o Prado atual usa basicamente o motor TR 2.7 a gasolina de 163 cavalos e o GD 2.8 diesel de 177 cavalos da SW4.

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Marcelo Amorim

    O curioso era a Toyota que alegava o nao uso do D4D por conta do alto teor de enxofre no diesel,sendo que esse motor era usado na Hilux desde 2005.Esse carro ja foi meu sonho,apesar do desempenho pífio.

  • João Senff

    Sempre foi um carro que chamou minha atenção na rua . Quando criança virava o pescoço para ver uma passando. Hj olho pra ela e a Full era muito mais carro que ela.

    • Cássio

      O contra da Pajero Full é o custo de manutenção.
      A Toyota raramente faz os melhores carros em desempenho, mas é confiável, não tão caro (em termos de SUV), e tem peças em qualquer país.

      • João Senff

        Isso sim . Mas comparado a época a Full era mais chamativa atraia mais olhares.

      • Léo Dalzochio

        Contra a Pajero Full pesa exatamente o custo das peças. Vai trocar os discos e pastilhas de freio, ou o hidrobuster, ou os amortecedores, pra ver o valor. Claro que duram uma eternidade, mas quem comprar uma com seus 200.000km rodados fatalmente irá arcar com esse custo. Fora o acabamento, cujo Pajero Full bem rodado é uma escola de samba de tanto barulho, enquanto a Prado é um silêncio quase absoluto.

  • Prosecutor

    De vez em quando aparece umas usadas em bom estado.

  • Cássio

    Essa ainda é o meu sonho de consumo em termos de SUV. O problema é que a mais nova já tem mais de 10 anos. Imagina comprar um SUV de 11, 12 ou até 16 anos de idade.

    • Marcelo Amorim

      Rapaz,ja dirigi Prado no auge e em 2017 dirigi uma 2005 que não era um exemplo de carro muito bem cuidado,me impressionei com o rodar do carro,praticamente sem ruído interno,enquanto você dirige uma Full muito mais nova e é uma escola de samba.

      • Cássio

        Marcelo, vc tem familiaridade com a Prado? Será que é muito cara a manutenção, comparada com outros SUVs grandes?

        • Marcelo Amorim

          Conheço um pouco do carro,manutenção é o trivial,óleo,filtros,pastilha.Nao tem grandes sustos.

          O único defeito crônico do carro não é nem mecânico,o painel que racha,alguns conseguiram garantia da Toyota.

  • DODHOP

    De vez em quando vejo uma rodando. Eu particularmente gostava mais do Pajero Full.Nunca vi outra cor além de preto ou prata. Uma ex-prefeita daqui da minha cidade era conhecida por ter uma frota de 3 dessas, uma era usada pelo marido, outra por ela e outra para levar os filhos pequenos com motorista pra escola. Diziam que quem tinha Land Cruiser Prado não levava multa de jeito nenhum por aqui porque os agentes de trânsito logo achavam que se tratava de um dos carros da prefeita.

  • Guilherme Gimenes

    outro dia vi uma do modelo novo rodando aqui no RJ, enoooorme, um tanque de guerra… estava no mercado e qdo olhei a placa, vi que era da Bolívia.

    • Aristênio Catanduva

      não era só Land Cruiser

    • Marcelo Amorim

      Devia ser uma Land Cruiser 200,nao uma Prado.

  • Zé Mundico

    Aí a Toyota tira a Land Cruiser do mercado para encaixar a SW4 , uma gambiarra enfeitadinha a preço de ouro.
    Para a Toyota, menos sempre vale muito mais.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email