Mercado Montadoras/Fábricas Toyota

Toyota terá planta na Costa do Marfim e reforça montadoras na África

Toyota terá planta na Costa do Marfim e reforça montadoras na África

A expectativa de queda no mercado mundial de automóveis, especialmente por conta da desaceleração da China e sua guerra comercial com os EUA, tem motivado os fabricantes de veículos a buscar um novo horizonte e ele está na África.


O movimento das montadoras em direção ao velho continente africano se elevou muito em anos recentes e não estamos falando do Magreb, região norte da África, onde os mercados de Marrocos e Argélia comportam fábricas de automóveis, especial da Renault, tendo ainda Tunísia no grupo.

Nessa região, além do mercado doméstico, o alvo é a exportação para a Europa, especialmente do leste. O movimento que o setor automotivo está observando é em direção aos países não-desenvolvidos ou em desenvolvimento na região mais central do continente.

A Toyota é a mais nova montadora que decidiu ter uma linha de montagem na região, mais propriamente na Costa do Marfim. A empresa anunciou o negócio com representantes do país no Japão, dizendo que a operação começará antes do final do ano, mas não especificou os modelos.


Toyota terá planta na Costa do Marfim e reforça montadoras na África

A japonesa não está sozinha nessa região da África. A Volkswagen reforçou o compromisso de produção na Nigéria, assim como no Quênia e em Gana. Ruanda é outro país onde a marca alemã estabeleceu uma linha de produção com 5.000 carros ao ano para atender apenas o mercado local.

O baixo volume é uma característica dessas operações, que geralmente possuem um sócio local, embora não no caso da Toyota. A Peugeot também tem planos de iniciar a montagem de carros também no Quênia. Na Nigéria, além de VW, Honda e Nissan também vão entrar, assim como em Gana.

Para ampliar sua ação na região, a Toyota Tsusho – divisão de comercialização de automóveis – comprou uma distribuidora francesa que atua em 35 países da África. No continente, o Egito possui uma indústria local voltada para o mercado interno, enquanto a África do Sul tem um nível muito mais elevado no setor automotivo, sendo um produtor de nível global.

[Fonte: Auto News]

Este texto lhe foi útil??

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Flávio Ba

    Talvez por falta de uma logística integrada entre os diversos países africanos (estradas asfaltadas, ferrovias, e rotas marítimas), ocorram essas produções locais pequenas. Em muitos casos devem ser CKD, apenas a montagem final.

    • Ducar Carros

      Provavelmente essas pequenas fábricas se devem a tarifas elevadas de importação, bem como o apelo que a produção local tem. Fora que a África tem um bom potencial de demanda de carros, já que é o continente com maior crescimento populacional.

      Sim, tudo ckd, como a foto em Ruanda: “Assembled (montado) in Rwanda”.

  • sigma7777777

    Toyota ou Daihatsu? Acho que o Terios, que é um Daihatsu na origem, mas usa logo da Toyota, seria uma boa ideia.

    • Diego Lip

      Esse modelo foi comercializado no México com logo Toyota.

      • sigma7777777

        Valeu, nem sabia

  • Leopss

    A África é o último mercado a ser explorado. Depois de China e Índia.

  • Nuno Becker

    Toyota deverá dar ênfase na produção do seu basicão, Etios, cuja rusticidade foi desenvolvida para a Índia e Paquistão, também atende às exigências de América Latina e África.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email