Tucson 2012: consumo, versões, equipamentos, motor, revisão

Tucson 2012: consumo, versões, equipamentos, motor, revisão

O Hyundai Tucson 2012 era um SUV de porte médio que a importadora e montadora CAOA, vendeu entre 2005 e 2018 no mercado nacional, onde foi um player importante durante anos e chegou a ser nacionalizado.


Robusto e confiável, o Tucson era um produto oferecido com bom pacote de equipamentos, distribuídos nas versões GL e GLS, sendo que apenas a primeira tinha opção de transmissão manual de cinco marchas.

Ele era concorrente do Chevrolet Tracker e do Mitsubishi ASX, tendo sua posição abaixo do Hyundai Santa Fé e do topo de linha, o Hyundai Vera Cruz, o maior SUV monobloco da marca até então.

Já a outra opção era uma transmissão automática de quatro marchas com conversor de torque e mudanças de marcha de forma manual na própria alavanca. Ele não tinha modo Sport ou de economia, mas indicador de posição no painel.

Com bons ângulos de entrada e escape, o Tucson tinha um vão muito bom e permitia vencer vários obstáculos no fora de estrada, assim como de alguns defeitos existentes nas cidades.

Tucson 2012 – detalhes

Tucson 2012: consumo, versões, equipamentos, motor, revisão

O modelo era oferecido no mercado com motor Beta 2.0 16V com 142 cavalos e 18,8 kgfm, abastecido com gasolina. Ele viria a ser flex no ano seguinte, mas atendia razoavelmente a proposta do SUV da Hyundai.

O motivo era que o Tucson 2012 tinha peso excessivo, com 1.535 kg na versão manual e 1.549 kg na automática, o que era muito para um carro de 4,32 m de comprimento, 1,79 m de largura, 1,68 m de altura e 2,63 m de entre-eixos.

Com isso, o Tucson fazia de 0 a 100 km/h em mais em 11 segundos e chegava até 180 km/h no manual e 174 km/h no automático. Porém, o consumo era bem ruim, fazendo em média 8,5 km/l na cidade e 10 km/l na estrada.

O lado bom do Tucson era seu porta-malas com 528 litros, que permitia levar muita coisa para a viagem. Além disso, o SUV vendido pela CAOA tinha ainda banco traseiro bipartido com encostos reclináveis, ótimos para viagem.

Com bancos em couro e piloto automático, o Tucson tinha uma boa preparação para viagens longas, tendo ainda a bordo – além do conforto – itens como direção hidráulica, volante em couro e ar-condicionado automático.

Tucson 2012: consumo, versões, equipamentos, motor, revisão

Vidros e retrovisores elétricos faziam parte do pacote, bem como havia opção de sistema de som com DVD player, promovendo o entretenimento a bordo. Mesmo devendo computador de bordo e outros itens, tinha outras coisas.

Uma delas era o teto solar elétrico, assim como vidro traseiro basculante, o que facilitava a vida em vagas apertadas, como em estacionamentos de shoppings, por exemplo.

Com faróis de neblina, lanternas duplas e luz de neblina, o Tucson tinha um bom conjunto ótico, apesar dos faróis simples. Suas rodas de liga leve aro 16 polegadas tinham pneus largos com medida 235/60 R16.

O SUV tinha ainda barras longitudinais no teto e boa área envidraçada, com linha de cintura alta e formas reforçadas. O espaço interno era mediano, assim como o acesso para quem vai atrás.

No mercado de carros usados, o Tucson 2012 é uma opção para quem deseja começar no segmento de SUVs e tem pouco dinheiro para aplicar em um carro dessa categoria. Hoje, pode-se encontrar ofertas com preços a partir de R$ 30 mil.

Tucson 2012: consumo, versões, equipamentos, motor, revisão

Mas, é sempre bom investigar o histórico do carro para ver se não houve problemas graves, assim como avaliar o estado geral da mecânica. Mesmo alguns muito rodados, se encontram em boas condições.

Deve-se levar em conta que é um carro extremamente pesado – em média 200 kg a mais que o já pesado Jeep Renegade – e que o motor 2.0 a gasolina é fraco para suas pretensões. Por isso, não acelera bem e consome muito.

Ainda assim, para quem precisa de um veículo para rodar em ruas ou estradas ruins, ele se converte em uma opção interessante, especialmente na versão mais equipada, garantindo também bons passeios em viagens.

Tem certa desvalorização e algumas peças podem ser caras, porém, já existe uma boa oferta no mercado de autopeças e sua produção local só ajudou a nacionalizar mais itens, facilitando a manutenção.

O Tucson 2012 é um SUV com frente elevada, dotada de faróis curvados com lente simples, piscas integrados e lanternas comuns. A grade ao centro tem friso cromado com o logotipo do “H” inclinado da Hyundai.

Tucson 2012: consumo, versões, equipamentos, motor, revisão

O para-choque alto tinha curvatura acentuada na parte inferior para facilitar o uso no off road, incorporando os faróis de neblina em posição elevada, bem como aberturas inferiores grandes para refrigeração e estética do veículo.

As laterais tinham saias de rodas abauladas e molduras laterais pronunciadas na base das portas, além de rodas de liga leve aro raios bifurcados, montadas em pneus largos 235/60 R16.

Maçanetas e retrovisores eram na cor do carro, com repetidores de direção nos para-lamas, tendo ainda rebatimento elétrico dos espelhos na versão GLS. No teto, barras longitudinais de cor cinza e teto solar elétrico padrão.

Havia ainda uma antena na traseira, bem como lavador e limpador do vidro traseiro com desembaçador. O Tucson 2012 tinha vidros verdes e para-brisa degradê. Na traseira, as lanternas verticais eram duplas e ainda havia luz de neblina.

O para-choque recebia ainda sensor de estacionamento, enquanto a tampa tinha suporte de placa com vigia basculante. Por dentro, o Tucson tinha acabamento cinza escuro com painel dotado de cluster analógico com velocímetro ao centro.

Tucson 2012: consumo, versões, equipamentos, motor, revisão

Além dele havia ainda conta-giros, nível de combustível e temperatura da água, além de display para hodômetros. Ao centro, o painel tinha um sistema de som com CD player na versão GL e DVD player na GLS, ambos com USB e auxiliar.

O ar-condicionado era manual no Tucson GL e automático digital na GLS. A alavanca de câmbio com seletor tipo escada com opção manual, enquanto o manual tem alavanca coberta por napa.

Com difusores de ar quadrados, o SUV da Hyundai tem ainda aplique metalizado ao centro, realçando suas linhas. O porta-luvas tinha iluminação. Os bancos eram em tecido na GL e couro na GLS, além das portas.

Havia ainda o banco traseiro bipartido e reclinável, assim como bagageiro com 528 litros e cobertura retrátil.

Tucson 2012 – versões

Tucson 2012: consumo, versões, equipamentos, motor, revisão

  • Hyundai Tucson 2.0 GL manual
  • Hyundai Tucson 2.0 GL automático
  • Hyundai Tucson 2.0 GLS automático

Equipamentos

Tucson 2012: consumo, versões, equipamentos, motor, revisão

Hyundai Tucson 2.0 GL manual – Motor 2.0 e transmissão manual de cinco marchas, mais ar-condicionado, direção hidráulica com coluna ajustável em altura, volante em couro, bancos em tecido, banco do motorista com ajuste em altura, vidros elétricos nas quatro portas, vidro do motorista one touch, travamento central elétrico, retrovisores externos com controle elétrico, retrovisor interno dia e noite, para-choques na cor do carro, retrovisores e maçanetas na cor do carro, repetidores de direção nas laterais, rodas de liga leve aro 16 polegadas, pneus 235/60 R16, luz de neblina, faróis de neblina, vidro traseiro basculante, lavador e limpador do vidro traseiro, desembaçador traseiro, para-brisa degradê, barras longitudinais no teto, freios a disco nas quatro rodas, freios com ABS e EDB, airbag duplo, cintos de segurança de 3 pontos nas laterais, cinto central subabdominal, Top Tether, luzes de leitura, para-sois com espelhos iluminados, alças no teto, alarme, abertura interna do porta-malas e bocal do tanque, cobertura traseira retrátil, banco traseiro bipartido com apoio de braço central, encostos traseiros reclináveis, apoio de braço com porta-copos, porta-luvas iluminado, porta-malas iluminado, sistema de som com quatro alto-falantes, rádio com CD player e USB, entrada auxiliar, fonte 12V, regulagem elétrica dos faróis, alavanca de câmbio em couro, chave-canivete com telecomando, travas de segurança nas portas traseiras, bloqueio dos vidros lateral e traseiros, sensor de estacionamento, lanternas traseiras duplas, revestimento em couro nas portas, alerta de farol aceso, alerta de cinto do motorista não afivelado, cintos dianteiros com regulagem de altura e pré-tensionadores, piloto automático, entre outros.

Hyundai Tucson 2.0 GL automático – Itens acima, mais transmissão automática de quatro marchas com mudanças manuais no volante e indicador de marcha no painel.

Hyundai Tucson 2.0 GLS automático – Itens da GL, mais piloto automático, ar-condicionado automático e digital, teto solar elétrico, rádio com DVD player, câmera de ré e retrovisores com basculamento elétrico.

Preços

Tucson 2012: consumo, versões, equipamentos, motor, revisão

O Tucson 2012 tinha preços bem competitivos na época e hoje, no mercado de carros usados, é um produto bem acessível. Na tabela Fipe, os valores variam de pouco menos de R$ 35 mil até R$ 37 mil.

Essa diferença de R$ 2.000 não é vista na prática, dado que a quantidade de equipamentos entre as duas versões pode até ser pequena, mas os itens são caros individualmente e isso faz enorme diferença no custo-benefício.

  • Hyundai Tucson 2.0 GL manual – R$ 34.865
  • Hyundai Tucson 2.0 GL automático – R$ 37.040
  • Hyundai Tucson 2.0 GLS automático – R$ 37.040

Tabela Fipe de junho de 2021.

Tucson 2012 – motor

Tucson 2012: consumo, versões, equipamentos, motor, revisão

O Hyundai Tucson 2022 era equipado com motor Beta da linha da Hyundai, tendo sido desenvolvido em 1998 com a série Delta, que gerou um V6 2.7 de 175 cavalos e 24,6 kgfm, sendo retirado do produto no Brasil quando este virou nacional.

Com 1.975 cm3, o Beta tinha bloco de alumínio com cabeçote feito do mesmo material, tendo ainda duplo comando de válvulas, acionado por corrente, que mais tarde recebeu variação de abertura e fechamento de admissão.

Equipado com quatro válvulas por cilindro e injeção eletrônica multiponto, que permitia um bom funcionamento do propulsor. Ele receberia um sistema flex no ano seguinte, ampliando assim sua participação no mercado.

Com gasolina, o Beta 2.0 entregava ao Tucson 2012 exatos 142 cavalos a 6.000 rpm e 18,8 kgfm a 4.500 rpm, o que era pouco para um carro de 1,5 tonelada, algo que a transmissão manual de cinco marchas não conseguia lidar.

No câmbio automático, muito menos, visto ter quatro velocidades com conversor de torque e mudanças manuais na alavanca, não tendo nem modo Sport. Assim, o consumo acaba sendo alto demais para suas pretensões.

Desempenho

Tucson 2012: consumo, versões, equipamentos, motor, revisão

O Tucson 2012 tinha um desempenho mediano, visto que o motor Beta 2.0 era fraco para o peso do carro, excessivo. Embora o tamanho parece pequeno, a construção do SUV é muito sólida, como a do Jeep Renegade.

Por isso, com mais de 1,5 tonelada, o modelo fazia mais de 11 segundos da imobilidade até 100 km/h, seja qual câmbio for. Já a velocidade final era maior no manual, que alcançava 180 km/h. No automático nem chegava a 175 km/h.

  • Hyundai Tucson 2.0 manual – 11,3 segundos e 180 km/h
  • Hyundai Tucson 2.0 automático – 11,5 segundos e 174 km/h

Consumo

Como já dito acima, o peso excessivo do Tucson 2012 era um problema que a Hyundai não conseguiu resolver desde o lançamento do carro em 2004. Assim, pesando como se fosse um carro muito maior, seu consumo acompanha o peso.

Na cidade, a média ficava em 8,3 km/l, usando somente gasolina, visto que o flex ainda não estava disponível nesse ano/modelo. Na estrada, a média entre as duas transmissões era de 9,9 km/l, algo bem ruim para sua proposta.

  • Hyundai Tucson 2.0 manual – 8,6/10,1 km/l
  • Hyundai Tucson 2.0 automático – 8,1/9,7 km/l

Tucson 2012 – manutenção e revisão

A Hyundai tem plano de manutenção para o Tucson 2012 com revisões a cada 10.000 km ou 12 meses, com preços fixados pela rede CAOA, sendo assim necessário consultar os concessionários para saber os valores.

Com inspeção de alguns itens, a revisão conta com troca de óleo do motor, complemento do óleo da transmissão automática, fluido de freio, filtro de óleo, filtro de ar do motor, filtro de ar da cabine, velas, filtro de combustível, etc.

Também são substituíveis líquido de refrigeração, fluido da direção hidráulica, gás do ar condicionado, além de pastilhas de freio, discos de freio, pneus, rolamentos, batentes das torres, molas e amortecedores, e buchas de balança.

Igualmente são trocados coxins de motor e câmbio, buchas das barras estabilizadoras, batentes, palhetas dos limpadores, completado líquido para lavagem dos vidros, antiembaçante, entre outros.

A rede Hyundai CAOA tem ainda serviços de funilaria, pintura, recall, instalação de acessórios, higienização de interior, limpeza oxi-sanitária, cristalização, lavagem geral, entre outros.

Tucson 2012 – ficha técnica

Motor 2.0
Tipo
Número de cilindros 4 em linha
Cilindrada em cm3 1975
Válvulas 16
Taxa de compressão 10:1
Injeção eletrônica Indireta
Potência máxima 142 cv a 6.000 rpm (gasolina)
Torque máximo 18,8 kgfm a 4.500 rpm (gasolina)
Transmissão
Tipo Manual de 5 marchas ou automático de 4 marchas
Tração
Tipo Dianteira
Direção
Tipo Hidráulica
Freios
Tipo Discos dianteiros e traseiros
Suspensão
Dianteira McPherson
Traseira Multilink
Rodas e Pneus
Rodas Liga leve aro 16 polegadas
Pneus 235/60 R16
Dimensões
Comprimento (mm) 4.325
Largura (mm) 1.795
Altura (mm) 1.680
Entre eixos (mm) 2.630
Capacidades
Porta-malas (L) 528
Tanque de combustível (L) 58
Carga (Kg) 528
Peso em ordem de marcha (Kg) 1.535 (MT) 1.549 (AT)
Coeficiente aerodinâmico (cx) ND

Tucson 2012 – fotos

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.