Ford Hatches

Uma semana com um New Fiesta SE Powershift de locadora

Olá pessoal, sou leitor assíduo do blog e resolvi participar com alguns relatos. Recentemente, realizei uma viagem para Campos do Jordão e optei por alugar o Fiesta SE 1.6 Powershift que se encontrava em promoção em uma locadora numa ação conjunta com a Ford.

Optamos pelo Fiesta pela novidade, pela possibilidade de alugar o carro com câmbio “automático”, e conhecer o câmbio de dupla embreagem. Havia também a intenção de avaliar o carro para uma possível troca. Pegamos o carro no aeroporto de Guarulhos e seguimos para a Rodovia Carvalho Pinto, paramos em um posto a 2 Km do local das locadoras e conferi a calibragem, ajustando para o carro que estava lotado de malas.


Reabasteci para encher totalmente o tanque, zeramos os contadores e pegamos a estrada. Apesar do carro cheio, viajamos eu, minha esposa e minha filha. Não tivemos a oportunidade de usar o Isofix porque a cadeirinha nova não chegou a tempo.

Vou omitir alguns detalhes do carro, uma vez que o modelo já está nas lojas e quem quiser pode conferir nas concessionárias. Mas vamos relatar o que fez diferença no uso diário.

O acabamento ficou mais pobre, apesar de não ter conhecido o interior do Fiesta mexicano. Na verdade, chagamos a entrar em um logo no lançamento do modelo em 2010, mas não consigo comparar a diferença de acabamento pelo tempo. Comparando com o Onix, carro do meu dia-a-dia, o acabamento chega a ser inferior. O tipo de plástico do painel não é agradável ao toque.


Os bancos são confortáveis, com regulagem manual, o painel é funcional e o ar funciona muito bem. Nessa versão é digital, mas sem diferença de temperatura para motorista e passageiro. E, como todo carro da categoria, não tem saída de ar traseira. O banco traseiro ficou com a cadeira de minha filha e a malinha dela. O volante não tem regulagem de profundidade, só altura. Não foi difícil achar uma boa posição de dirigir.

Na estrada

As rodovias estaduais de São Paulo são as melhores do país. A grande maioria por serem privatizadas (assunto para outro post). E o Fiesta seguiu muito bem pela Carvalho Pinto/Ayrton Senna. Manter a velocidade permitida de 120 km/h não foi difícil. O conjunto motor/cambio funcionou muito bem. O desempenho é muito bom para a categoria. O consumo me surpreendeu. O computador de bordo chegou a marcar 12,8 km/l com etanol, com o carro cheio, na estrada plana e com trânsito leve. O que incomoda são as constantes paradas de pedágio, que acaba prejudicando levemente o consumo, com as reduzidas e acelerações.

O câmbio Powershift

O câmbio funciona muito bem, com boas acelerações e retomadas. Uma falha importante é que não há marcação da marcha utilizada no momento. Pelo “pé” dá pra você perceber as trocas de marcha com a queda dos giros, à medida que a velocidade cresce. E as trocas são bem suaves. Dependendo da velocidade, ao fincar o pé no acelerador, o cambio joga a terceira ou a quarta marcha, fazendo os giros subirem rápido.

Já não se pode dizer o mesmo das trocas manuais… ao se colocar o câmbio na posição Sport, ainda assim não aparece qual marcha se está utilizando. As acelerações continuam da mesma forma, mas as marchas são trocadas em 6000 RPM. Quando se aciona o botão +/- no câmbio, aí aparece no centro do painel a marcha utilizada. Um detalhe interessante é que abaixo de 60 km/h, o câmbio não aceita a 6ª marcha.

E é frustrante tentar utilizar esse botão de trocas para uma tocada mais “agressiva”. Você perde a concentração na condução, acaba tendo que olhar para o câmbio e torna-se até perigoso, desviando o olhar para o botão. Até o tão difamado câmbio da PSA tinha uma forma de troca por deslocamento anterior e posterior da alavanca, muito mais intuitivo e seguro para avançar e reduzir as marchas.

A subida da serra foi tranqüila, com pouco trânsito e o carro com bom comportamento. O conjunto pneu (aro 16) e suspensão se mostrou bem adaptado para o carro, o rendimento do motor e do câmbio foi bem satisfatório, e o consumo foi melhor que o esperado.

Dados da viagem

Na tabela abaixo, estão os dados de consumo e quilometragem percorridos. No último abastecimento, infelizmente perdemos a entrada do aeroporto de Guarulhos devido à confusão que se encontra pelas obras, e acabamos abastecendo num posto que não se mostrou tão confiável. A penúltima linha da tabela mostra os dados ajustados de acordo com a diferença do computador de bordo. Outra coisa que podemos constatar foi a eficácia do sistema de partida a frio, que funcionou perfeitamente, em temperaturas de 10 e 12°C.

Conclusão

O Fiesta SE 1.6 Powershift se mostrou um carro muito bom tanto na estrada quanto na cidade, rodando com etanol apenas, o câmbio de dupla embreagem se mostrou econômico e eficaz, garantindo bom equilíbrio entre desempenho e consumo. Estamos considerando a troca do carro de minha esposa por um Fiesta, mas ela já manifestou que vai querer a versão sedã pelo porta-malas maior.

Uma semana com um New Fiesta SE Powershift de locadora

Por Elisson Oliveira

Uma semana com um New Fiesta SE Powershift de locadora
Nota média 4 de 1 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email