Chevrolet História Matérias NA Sedãs

Vectra Elite: a versão topo de linha da segunda e terceira geração

Podia ser o Vectra CD, versão clássica da Opel. Mas, o Vectra Elite continua sendo a versão que mais atrai os que procuram pelo antigo sedã médio da General Motors no Brasil..

O Vectra Elite era uma versão topo de linha, que fez jus a reputação da marca, que no passado cultivou nomes como Comodoro, Diplomata e Classic.


Vectra Elite: a versão topo de linha da segunda e terceira geração

A nomenclatura Vectra Elite surgiu ainda na segunda geração do Vectra no Brasil, que foi a primeira a ser feita aqui.

Depois, passou para a terceira, que foi uma variação brasileira e exclusiva de nosso mercado.


A designação também foi usada em outros carros, como a Zafira. Bem completo, o Vectra Elite serviu bem ao sedã durante pelo menos sete anos, até que a versão Collection encerrou a carreira do modelo.

O Vectra Elite da segunda geração

Em 2005, a General Motors ainda mantinha a segunda geração do Vectra inalterada, enquanto o modelo já havia mudado na Europa.

Estava claro que o modelo lançado em 1997 já estava no fim de seu ciclo, porém, a Chevrolet fez uma mudança inesperada na nomenclatura de sua gama e isso pegou em cheio o sedã médio, que recebeu a versão Vectra Elite.

Anteriormente, o Vectra ganhou novamente o motor 2.0 8V com 110 cavalos como opção de entrada na versão básica (sem designação) e no CD, mas em ambos com transmissão manual.

Nas demais, o motor era o 2.2 16V de 138 cavalos e 20,7 kgfm. Até aí, parecia que a segunda geração morria sem mais novidades, porém, a GM renomeia as versões no último ano/modelo!

Sim, surgiram imediatamente as versões Vectra Comfort, Vectra Elegance e o Vectra Elite, a versão topo de linha.

No mesmo ano, apareceu o Collection, que tinha motor 2.0 e de bate pronto anunciou o fim da linha para essa geração do Vectra.

Bem completo, o Vectra Elite vinha com direção hidráulica, ar-condicionado digital, computador de bordo destacado, piloto automático, trio elétrico completo, teto solar elétrico, acabamento bom e a importante transmissão automática, de quatro marchas.

Vectra Elite: a versão topo de linha da segunda e terceira geração

Com isso, o Vectra Elite ia de 0 a 100 km/h em 12 segundos e tinha máxima de 200 km/h. Seu consumo com gasolina era de 8 km/l na cidade e 11,6 km/l na estrada.

Tendo 4,49 m de comprimento e 2,64 m de entre-eixos, tinha ótimos 500 litros de porta-malas, mais 57 no tanque.

Visualmente, o Vectra Elite 2005 não mudara em relação ao Vectra CD que você vê na foto acima, e nem muito em relação ao modelo de 1997.

Ainda era aquele sedã de respeito da Opel, mas com modificações nos para-choques e rodas, que eram de liga leve aro 16 polegadas com pneus 205/55 R16.

Os retrovisores integrados aos desenho eram sensação nos anos 90. Na traseira, lanternas escurecidas e escape duplo.

Na frente do Vectra Elite, faróis duplos e de neblina, além do logotipo da Chevrolet num círculo.

O ambiente interno tinha dois airbags, fora o volante em couro multifuncional, revestimentos em couro claro nos bancos e portas, sistema de som com CD Player, entre outros.

Vectra Elite da terceira geração

Vectra Elite: a versão topo de linha da segunda e terceira geração

Em 2006, a GM encerra a segunda geração do Vectra e começa a terceira.

Esta, por sinal, é bem elogiada pelos clientes da marca e tanto é que, muitos criticaram quando foi substituída pelo Cruze. O novo modelo manteve as mesmas versões, exceto a Collection, que só aparecia no final para uma despedida do produto.

A terceira geração do Vectra era bem diferente do que a GMB desejava, pois naquela época o modelo tinha frente que parecia a Meriva…

Então, para criar um carro com visual mais “respeitável”, a montadora teve que encontrar uma solução caseira, baseada igualmente numa minivan.

Parecia que o destino do Vectra (e também do Vectra Elite) estava atrelado às familiares da Opel nos dois lados do Atlântico.

Vectra Elite: a versão topo de linha da segunda e terceira geração

A GMB pegou emprestada a plataforma da Zafira, que chegou em 2001, mantendo o mesmo entre-eixos de 2,703 m.

Com isso, o Vectra C brasileiro tinha 4,618 m de comprimento ante 4,49 m do anterior. O sedã médio ainda tinha 1,728 m de largura e 1,458 m de altura. O projeto deu tão certo, que a empresa criou uma variante hatchback, nomeada Vectra GT e Vectra GT-X.

O novo sedã mantinha as mesmas versões do anterior, sendo o Vectra Elite o mais completo, como antes.

Inspirado no Astra europeu (obviamente o Vectra da Opel não era adequado nem para ser copiado), o brasileiro ganhou um aspecto mais fluído e jovial. Em realidade, precisaria mesmo, pois o New Civic da Honda estava chegando com proposta radical nesse aspecto.

O layout não tinha surpresas e era menos radical que o anterior, no caso dos retrovisores, mas agradava.

Os faróis duplos em lentes com fundos prateados saltavam aos olhos, assim como barra cromada na grade e detalhes em preto na parte inferior do para-choque.

No Vectra Elite, as rodas de liga leve agora eram novas e tinha aro 17 polegadas com pneus 215/45 R17.

Vectra Elite: a versão topo de linha da segunda e terceira geração

Com silhueta equilibrada e portas traseiras grandes, o Vectra Elite 2006 não tinha mais as vigias nas colunas C, agora grandes e robustas.

O porta-malas do Vectra Elite era curto e as lanternas traseiras compactas, com múltiplas parábolas. Ele tinha tampa ampla e o volume era de 526 litros, com mais 58 no tanque.

Por dentro, o ambiente no Vectra Elite era totalmente novo e inspirado na minivan Meriva. De novo as minivans mexendo com o Vectra…

O conjunto era mais retilíneo em suas formas e vinha com um cluster analógico bem distribuído, assim como um console bem vertical com o computador de bordo ainda destacado.

O ar-condicionado automático no Vectra Elite tinha um novo desenho, assim como o sistema de áudio, que agora era embutido. Este ainda tinha toca-fitas junto com CD Player.

Os difusores de ar eram pequenos, mas havia um novo volante. Detalhes do painel e portas imitavam madeira, mas a sensação de baixo custo era nítida no painel e túnel central.

Vectra Elite: a versão topo de linha da segunda e terceira geração

O Vectra Elite 2006 não tinha um apoio de braço para o motorista, um erro. Mas, o encosto o banco tinha ajuste lombar.

O volante tinha comandos de mídia, pois não havia Bluetooth.

Atrás, o espaço no Vectra Elite era bem amplo e com apoios de cabeça e cintos completos. No conteúdo, além dos bancos em couro, havia também airbags laterais, sensor de chuva, sensor crepuscular, retrovisor eletrocrômico, entre outros.

O sedã vinha ainda com trio elétrico completo, direção hidráulica com múltiplos ajustes, banco traseiro bipartido, retrovisores com basculamento elétrico, controle de cruzeiro, freios com ABS e também dois opcionais que distinguiam bem o Vectra Elite: teto solar elétrico e banco do motorista com ajustes elétricos.

Vectra Elite e seu motor 2.4

Mas, a sensação do Vectra Elite era o motor. Saía o 2.2 16V e entrava o 2.4 16V Flexpower.

Esse novo propulsor flex entregava 146 cavalos na gasolina e 150 cavalos no etanol, assim como ótimos 23,1/23,7 kgfm a 4.000 rpm. Ainda parte da Família II, aquela do Monza, o motor fazia o sedã ir de 0 a 100 km/h em 10,5 segundos com máxima de 206 km/h.

Isso porque tinha ainda câmbio automático de quatro marchas com modo Sport e sistema de desengate com o carro parado, que ajudava a reduzir o consumo.

Mas infelizmente o consumo do Vectra Elite era sempre bem alto: 5,3/6,9 km/l com etanol e 7,5/9,5 km/l na gasolina, respectivamente cidade e estrada. Isso cobraria um alto preço do Vectra Elite mais adiante.

Vectra Elite atualizado em 2009

O Vectra Elite mudou em 2009:

Vectra Elite: a versão topo de linha da segunda e terceira geração

O sedã médio topo de linha da Chevrolet perdeu o motor 2.4 16V por causa de novas normas de emissão de poluentes naquele ano.

A GM até se esforçou, mas viu que seria inútil e dispendioso adequar o motor maior, por isso, o bom e velho 2.0 entrou em cena novamente.

Para atender as normas de emissão, o 2.0 Flexpower recebeu mais um sensor de oxigênio e outro catalisador, ambos próximos do coletor de escape. O comando de válvulas passou a ser do tipo roletado e outras melhorias.

Acabou por entregar 140 cavalos e 19,7 kgfm no etanol, enquanto na gasolina oferecia 133 cavalos e 18,9 kgfm. O câmbio de quatro marchas do Vectra Elite foi mantido, mas o visual do carro foi melhorado.

Vectra Elite: a versão topo de linha da segunda e terceira geração

Nesse aspecto, o Vectra Elite ficou mais atraente com parábolas dos faróis ligeiramente modificados, assim como a grade com barra na mesma cor do carro, para-choque atualizado e rodas de liga leve redesenhadas.

Ganhou mais porta-objetos no interior e também recebeu alterações na suspensão. Os bancos ganharam nova padronagem, enquanto o apoio de braço retrátil do motorista, tinha compartimento interno.

As mudanças deixaram o Vectra Elite mais esperto e econômico, além de elegante, incluindo uma enorme barra cromada na traseira. Com tudo isso, o modelo ia de 0 a 100 km/h em 11,8 segundos e tinha máxima de 189 km/h.

Perdia performance e ainda era gastão no etanol: 5,4/7,0 km/l, respectivamente cidade/estrada. Mas na gasolina, agora fazia 7,6/10,0 km/l, na mesma ordem.

O fim

Em 2011, o Vectra Elite chegava ao fim da linha.

A versão topo de linha morria junto com as Comfort e Elegance, permanecendo por pouco tempo apenas a Collection, que retornou com o mesmo motor 2.0 8V de 140 cavalos.

Com isso, o sedã se aposentou de vez e em seu lugar, surgiu o Cruze, que tinha motor 1.8 com até 144 cavalos e 18,9 kgfm, além de trazer consigo uma nova nomenclatura: LT e LTZ.

Origem do Vectra

Vectra Elite: a versão topo de linha da segunda e terceira geração

Lançado na Europa ainda nos anos 80, o Vectra surgiu como sucessor natural do Opel Ascona, que era o nosso Chevrolet Monza.

Em fins de 1993, o modelo chegou ao Brasil como importado.

Equipado com motor 2.0, o modelo chamou muita atenção e permitiu que a GMB produzisse por aqui, em simultâneo com a Europa, sua segunda geração, em 1996.

Veja nossa reportagem com a história completa do Vectra desde 1993 aqui no Brasil.

Vectra Elite: a versão topo de linha da segunda e terceira geração
Nota média 4.6 de 5 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email