Governamental/Legal Segurança

Viajar de carro para a Argentina requer acessórios a mais!

viajar-de-carro-para-a-argentina-requer-acessorios-a-mais Viajar de carro para a Argentina requer acessórios a mais!







Eles vem para cá gastar seu dinheiro em nossas praias e se divertir, tendo apenas os custos da viagem em seus orçamentos, se seus carros atenderem à legislação brasileira.

Mas, para ir até a Argentina de carro, é necessário ter uma série de cuidados e atentar-se aos itens obrigatórios para poder circular sem problemas pelo país vizinho.

Entre os itens que são obrigatórios e que não estão em nossa lista de obrigações nacionais, estão o kit de primeiros-socorros, triângulo(deve ser diferenciado dos nossos por exigir isso), um cambão para reboque e o seguro internacional, chamado de carta Verde.

Essa Carta Verde pode ser adquirida em seguradoras e já contêm o valor do “IPVA” argentino. Três dias, equivalem à R$46,72. Se você for passar 15 dias na Argentina, o custo de tudo isso chega à R$270,58!

Mas, mesmo que você esteja em dia com tudo isso, ainda vale ir ao consulado argentino mais próximo e pedir uma carta contendo os itens obrigatórios. Esse documento é feito em papel timbrado e assinado pelo Cônsul.

Isso é devido ao grande número de brasileiros multados por não estarem com tudo e “mais algumas coisas”, exigidas pelos argentinos. Essas “mais algumas coisas”, seriam itens como uma mortalha plástica e um pano branco.

Não sabemos para que serve o pano branco, que não é exigido por lei, mas poderia ser para fazer uma bandeira de paz para os argentinos em dia de Brasil x Argentina?

Já a mortalha plástica, seria para envolver o corpo em caso de acidente com morte. O item é um tanto mórbido para se carregar dentro de um carro. Bom, em caso de acidente, a frase “Foi pro saco”, soa mais do que literalmente neste caso!

Fonte: Zero Hora.



  • peterson666

    Seja educado nos seus comentarios.[Comentario #140805 sera citado aqui]

    se ñ pagar a mucha propina vc fica na cadeia de lá

  • heldermm

    Todo lugar tem suas regras e leis e devem ser cumpridas. Se foi decretado deve ter seus motivos.
    Só acho estranho o cambão, mas fazer o que né?

    Em relação ao triangulo, lá são cobrados dois triangulos. E o pano branco é lenda.

    O seguro, apesar de ser um seguro que só cobre danos a terceiros em caso de algum acidente, eu acho corretíssimo, pois tem gente por aí que se pudesse, não era fazia seguro nenhum.

  • Cetral

    Os argentinos, quando vêm ao Brasil, muitas vezes infligem regras e ao receberem multas simplesmente não as pagam. Afinal, quem irá cobrá-las? O problema é bastante grave, e já foi motivo de reportagens em diversos canais de TV, e também de campanhas de educação no transito no estado de Santa Catarina.

    No caso de brasileiros visitando a Argentina, caso não tenham esses itens receberão multas. Aqui também vale a pergunta: quem irá cobrá-las? Não existe nenhum dever ou coação que obrigue alguém a pagar uma multa como essa.

    Infelizmente o Mercosul é apenas um acordo comercial, o resto é entregue à diplomacia que não tem poder nenhum de coagir um habitante de outro país. Só crimes de transito que resultam em cadeia podem ser punidos na situação atual.

    De qualquer forma, alguns itens são interessantes, como o kit de primeiros-socorros. Mas essa Carta Verde custa um preço um tanto abusivo. E a mortalha é um tanto bizarra. Na realidade, caso quisesse visitar a Argentina, eu não levaria nada, e caso me multassem simplesmente não pagaria.

    • Lilia

      Eu já fui multada em Entre Rios, Argentina simplemente porquê meu carro vem de fábrica com uma grande na frente. Repito, equipamento de fábrica. O pagamento da multa é exigido no ato, não tem essa de notificar por lá não. Ou paga ou apreendem o seu carro. Tenho até hoje quardada comigo o documento/recibo da notificação/pagamento. Em Buenos Aires que era meu destino argumentei na delegacia de turismo e foi me informado que por ser outro estado não poderiam fazer nada e mais me alertaram que ao recorrer eu poderia ter que pagar o dobro caso o juiz decidisse manter a multa com alegação de um dispositivo em código de transito local de 1940. A Embaixada Brasileira foi pior, disseram não poder intervir na “legislação local” que a interpretação da lei é por bom senso. Antes de iniciar viagem troquei diversos e-mail com a embaixada e consulados da Argentina no Brasil, neles detalhei os dispositivos do meu carro item a item, segui viagem tranquilo por terem me informado que por serem de fábrica o mesmo estava de acordo com a legislação deles, para me resguardar levei inclusive o manual e cópia da correspondencia trocada via e-mail. Isto de nada serviu. Fomos parados em todos os postos de Entre Rios, bastava enxergar a placa brasileira que longo pediam para encostar. A reciproca no caso das multas deveria ser igual, cobrada no local. Não vejo outro modo de precionar as autoridades argentinas a cumprir de fato a lesgilação, vi vários carros com placa argentina com a mesma situaçao que a minha e sequer foram parados. Tenho amigos uruguaios que reclamam da mesma situação. Ou seja, se quiserem não passar raiva na Argentina de carro alugue um carro local !

  • peterson666

    se ñ pagar a mucha propina vc fica na cadeia de lá . certo
    to

  • Ferrari

    Seja educado nos seus comentarios.

    Sou de SC e posso confirmar. Me sinto um retardado ao ver nosso povo medíocre tentando falar portunhol para agradar esses gringos ridículos, e quando vamos para lá, e para o Paraguai também, somos extremamente mal tratados, extorquidos e praticamente chamados de palhaço (cadê o nariz aí EBER???). Já viram algum paraguaio ou argentino se esforçando para tentar falar português? E quanto a não pagar a multa, é simples, lá as coisas funcionam, como o colega disse, não paga não sai do país e o carro fica detido. E aqui? Deixamos os gringos pintarem e bordarem, dirigindo mal como só ele sabem (sofremos aqui em Balneário Camboriú no verão) e sm nenhum tipo de puniçã justa. Aprontam, usam nossa terra como se fosse a casa da Mãe Joana e vão embora na maior…Bota o nariz aí para nós EBER, vai…

  • kaique

    Seja educado nos seus comentarios.[Comentario #140823 sera citado aqui]

    falou tudo, temos mais dinheiros que eles e isso ja basta, brincadeirinha..hahahahahhaha

  • argentino

    cambão para reboque, mortalha plástica e um pano branco nao e obrigatorio…

  • Cetral

    Também morei em Santa Catarina, em Florianópolis.

    Pelo que presenciei os argentinos nem se importam com as leis brasileiras.

    Eles tratam todos de péssima maneira, e sempre muito inclusive dirigindo claramente alcolizados.

    E nossa polícia ainda fecha os olhos, afinal são turistas. ¬¬

  • Illia

    Por isso que é melhor e mais prático ir de avião, ainda que mais caro… E todo brasileiro conhece um argentino, entonces é fácil ficar motorizado por lá…heheheh…

  • nandobarreto

    Há fatos e fatos:
    mortalha não é obrigatório.
    cambão é sim obrigatório.
    estive na argentina em dezembro de carro, não concordo com algumas coisas q foi dito aki, eles dirigem muito mais educadamente q nós brasileiros, a única lei de transito não respeitada por eles e isso na grande maioria é o excesso de velocidade.
    é obrigatório 2 triangulos de sinalização na argentina, cambão, 1 caixa de fósforos, e RODAR COM FAROL LIGADO O DIA TODO NAS ESTRADAS.
    A polícia de lá para todos os brasileiros, fui parado 4 vezes, são sempre educados, mas revistam tudo.
    O povo argentino em geral é mal educado, mas a polícia te atende muito bem, informações ajuda por parte deles é sempre bem vinda

    se for para lá leve pesos para pagar pedágio
    nao abasteça na rede YBF, esses fdp cobram mais caro de brasileiros.

    Se não pagar multa, não sai do posto policial, eles cobram na hora, te dão uma guia pra preencher e se nao pagar na hora, não sai.

    se for multa de radar ai nao tem problema.

    Os paraguaios são gente fina, discordo completamente do q disseram

    os uruguaios são + simpáticos, os poucos q conheci foram atenciosos.

    A agua em buenos aires é pior q xixi, horrivel
    se for entrar com eletronicos lá, leve a nota fiscal brasileira, eles conferem tudo.
    fora isso é bem tranquilo ir pra lá…

    concordo com o q disseram, o Brasil é burro de abrir as pernas pros gringos do jeito q fazem.

  • Diego

    Eu moro em foz do iguaçu no paraná, divisa do brasil, paraguai e argentina.
    Em todos esses anos NUNCA vi isso ser aplicado na Argentina, mas sim no Paraguai, no paraguai os soldados te param e pedem exatamente esses itens, tanto é que nunca mais entro de carro nesse país, pois mesmo eu estando com a carta verde tentaram me subornar em 1000 dolares!!!
    sem falar por toda falta de educaçao e medo que passei la
    fica o aviso.

  • Eduardo

    De fato, o mais impressionante é saber que esses argentinos vêm ao Brasil e cometem todo tipo de barbaridade no trânsito e ficam impunes, inclusive provocando graves acidentes com morte nas estradas brasileiras.

  • mario

    O cambão deve ser obrigatorio para rebocar as latas velhas que circulam por lá.E os demais equipamentos, coisa de país atrasado.

  • nandobarreto

    faltou diazer q a carta verde é obrigatória tb
    mas como meu seguro cobria danos a 3ºs inclusive na argentina não tive problemas

    para entrar lá é necessário CI recente (com foto recente e menos de 10 anos de expedição)
    não serve carteira profissional nem CNH

  • diego_german

    Seja educado nos seus comentarios.

    Como é da política do site evitar chingamentos, entre usuários, achei de pessimo mal gosto a postagem desta reportagem.

    Primeiro pelo fato de que sou filho de Argentino, e acho totalmente desnecessário, futil, inutil e revoltante matérias com escrita tão podre e xênofóbica como esta.
    Segundo, pelo fato de a matéria informar coisas irreais, afinal já cruzei a fronteira com a Argentina mais de 7 vezes, e até hoje nunca ouvi falar de “pano branco e mortalha…”.
    Seria até interessante um aprofundamento por parte dos que atualizam o blog, para ver se procede tais informações, afinal, este é um canal de informação importante do qual não se pode emitir dados erroneos sob pena de perder credibilidade.

    São nesses momentos que diferenciamos um BOM jornalismo, culto, limpo, e educado, de meios de comunicação que tentam, tentam e nunca chegam a um patamar interessante e de renome no meio jornalistico.

    Afinal, quem comeca este tipo de “richa” ridicula e infantil, são os que atuam, e falam grosseiramente dos nossos vizinhos (que alias, pela lei, é motivo de processo penal sob nome de PRECONCEITO RACIAL) como no caso para os brasileiros tudo é motivo de chacota:

    -Portugues é motivo de piada de insuficiencia mental.
    -Norte-americano é esquizof.
    -Negro é ladrão.
    -Asiatico possui membros sexuais diminutos.
    -Árabe é terrorista.
    -Italiano é mafioso.
    -Indiano é pobre e rabugento… e por aí vai.

    Nesse momento tenho pena de pessoas com pensamento pequeno, e que generalizam tribos, raças. e países, por lendas, futebol, e o que vê na televisão.
    Realmente lamentavel.

    Ah, e os que falam sobre Camboriu, saibam que o turismo intenso, é reciproco dos 2 lados. e do mesmo jeito que alimenta o comércio, jovens imprudentes existem em todos os locais do mundo. É um problema totalmente biológico, e nada têm a ver com nacionalidade.
    Vi jovens brasileiros em Buenos Aires e Mar Del Plata, e pude comprovar isso.

    • kiwl felix

      Ola Tiago!

      Bom realmente esses comentarios são pesados ref aos Argentinos, estou indo para Cordoba pela 5 vez e o tratamento a educação das pessoas são fora de serie, excelente. Retorno no inicio de maio conduzindo um veiculo, estou com todos os acessorios, mas referente a carta verde obtive informações que posso tirar na Argentina e que o custo é mais reduzido, isso é verdade?

      Grata,
      Kiwl

  • rafa COLONAO

    Pá deruba o colono da ceifa desse geito.

    Agora vcś me digam pq o brasileiro vai a argentina alem do sexo, que é o mesmo da roma antiga, CERVEJA
    QUILMES,
    BUD WEISER,
    LANÇA PERFUME UNIVERSITARIO.
    zzzzzzzzzzZZZZZzzzzzz nhahahahahahhaha?
    Agora me digam pq o argentino vem ao Brasil? la praia, ta tudo liberado!!!

    Ja fui a argentina deixei o carro do lado brasileiro, mas quem precisa mesmo ir com o carro. te que pagar… nao da.

    Agora o governo PT soh mete na bunda do trabalhador brasileiro, do industrial, do produtor rural com varios impostos. meta uma taxinha basica pro argentino trafegar com segurança para as principais rotas do parana e santa catarina. caramba cobra deles tambem. esse é o ponto de partida para partir p/ um acordo entre os 2 paises do MERCOSUL, e quem sabe futuramente se chegar que nem a UNIAO EUROPEIA.

    LULA piada, rsrsrs tudo bem que sao hermanos

    MAS NAO PASSE A MAO NA BUNDA DELES QUE NEM tu FAZ COM O BRASILEIRO.

  • Vegan

    “Afinal, quem comeca este tipo de “richa” ridicula e infantil, são os que atuam, e falam grosseiramente dos nossos vizinhos (que alias, pela lei, é motivo de processo penal sob nome de PRECONCEITO RACIAL) como no caso para os brasileiros tudo é motivo de chacota”

    Preconceito racial e étnico não são diferentes não?

    E o minimo que o governo brasileiro deveria fazer se essas exigencias são realmente feitas aos veiculos brasileiros que circulam na Argentina, era fazer o mesmo com os argentinos que circulam aqui, vira e mexe eu vejo carro com placa argentina, paraguaia e etc… rodando aqui na baixada santista…

  • Perneta

    E melhor parar com esse patriotismo sonhador. A polícia rodoviária argentina é bandida e faz parte de uma grande companhia organizada conhecida como a máfia.

    Todas as vezes que eu fui para a Argentina eu sempre fui parado com a mesma alegação de que eu estava a mais de 120km/h, além de eu andar na velocidade da pista (porque eu já conheço essa bandidagem), essa velocidade é por coincidência o valor mais alto da multa deles que é de US$ 500,00.

    Eu não recomendo a ninguém que viaje de carro para lá para fazer turismo.
    Certamente vão se incomodar com a polícia corrupta daquele país.

    Ah, o tal do pano branco me falaram que é para cobrir o morto em caso de acidente.

  • washington

    [Comentario #140948 sera citado aqui]
    Eu tbm não gosto de generalizar nada!
    Mas como vc mesmo disse que jovens imprudentes existem em todos os lugares do mundo, vc não acha que os argentinos tbm não fazem piadinhas de brasileiros???

  • diego_german

    Seja educado nos seus comentarios.[Comentario #141007 sera citado aqui]

    Posso te dar um veredicto de pessoa que já morou lá mais de um ano.
    Não se compara em nenhum momento “brincadeira”, de agressividade e falta de respeito como ocorre aqui corriqueiramente…

    Alias, você conhece Argentina?

  • diego_german

    Seja educado nos seus comentarios.

    Então colega, sinceramente, se na lei existe diferença, em tese é a mesma coisa, é o mesmo sentimento, e a mesma atitude ridicula.

  • diego_german

    Seja educado nos seus comentarios.

    Não vejo isso como patriotismo sonhador, mesmo porque minha identidade está bem clara: CIDADÃO BRASILEIRO.

    Mas existem coisas que me afetam, que se eu puder falar, realmente falo (ao contrario de nós brasileiros, que pra mim devia botar mais a boca no trombone em VÁRIAS coisas que não estão corretas.)

    Acho procedente afirmações como a policia daqui cobrar uma taxa aos motoristas argentinos, alias não só argentinos como Paraguaios, Uruguaios, Chilenos e provenientes de países vizinhos.

    Sobre a policia argentina, me veio a recordação de um ocorrido com a podre policia rodoviária brasileira, na qual meu pai (argentino) em uma viagem a trabalho foi abordado, revistado, e ao ser idenficado no seu DNI como Argentino foi tratado como motivo de piada entre outros 2 policiais, um absurdo do abuso de poder, da falta de ética, e do preconceito.

    Acho que se formos citar policias rodoviárias, do mesmo jeito que jovens imprudentes, estamos no mesmo patamar.
    Posso estar até cometendo um engano e generalizar a policia rodoviaria dos estados do nordeste, e do sul, lugar este que sempre fui bem tratado.

    Ah já fizemos mais de 15 viajens saindo de Pernambuco, até Buenos Aires, e até hoje, o unico ocorrido realmente marcante foi na época da ditadura argentina (muito pior e mais sanguinária que a nossa).

  • Roberto

    Seja educado nos seus comentarios.

  • diego_german

    Seja educado nos seus comentarios.

    Parabenizo o usuário marcos machado, pelo comentário construtivo, limpo educado e correto.

    Se todos (não digo somente nós brasileiros) não generalizassem policia de fronteira, com civis normais, (coisa esta que foi o principal motivo na qual achei incoerência na materia) quem sabe o Mercosul seria mais unido, e aquele sentimento de revolta em relação a preconceito abolido…

    Pena a imprensa bombardear os brasileiros com piadinhas ridiculas como esta, e o blog infelismente postar sem nenhuma edição.

  • Marcos Machado

    Faço parte de um grupo de caravanistas, ou seja, usuários de trailers e motorhomes. Um dos integrantes esteve recentemente em viagem por Brasil, Argentina e Chile. Ele contratou a carta verde e pegou a lista de itens no consulado.

    Discordo do usuário que criticou a matéria. Se faz críticas a exigência de itens esdrúxulos, como a caixa de primeiro socorros, no Brasil abolida depois de muitas discussões que comprovaram sua inutilidade, a matéria não põe em dúvida a legalidade das exigências argentinas muito menos crítica o povo argentino. Há críticas em comentários de leitores, é verdade, mas são eles que devem responder por elas.

    Segundo o amigo que fez a viagem, o problema se concentra nos polícias de fronteira e não se repete no restante do país. Portanto, o problema não é a Argentina, mas a polícia corrupta que, infelizmente, existe no mundo todo. Os argentinos também são penalizados por estes maus-policiais pois não é a toa que o consulado se preocupa tanto com a questão a ponto de ter uma lista pronta de itens obrigatórios.

    Por outro lado, já está na hora do Mercosul discutir a integração regional dos seguros obrigatórios, para que seja possível abolir esta carta verde. Se o seguro particular que você paga já vale no Mercosul, porque o mesmo não ocorre com o DPVAT?

    Veja o que integrante do nosso grupo disse:
    1 x 0 na polícia corrupta
    Confesso que estava um pouco tenso em relação à Argentina. Durante a preparação para essa viagem, conversei com várias pessoas e li muitos relatos sobre os problemas com a polícia desse país.
    Seremos mais um a ter estórias para contar.

    Não rodamos 30 km em solo argentino e já fomos parados. Levaram meus documentos para dentro de uma sala e depois de alguns minutos me chamaram. Falaram que era proibido rodar com o reboque excedendo o pára-choque e que faltavam faixas refletivas, que era uma infração gravíssima, etc, etc, etc…. Saquei o papel timbrado e carimbado do Consulado Argentino e falei que qualquer coisa que me pedissem extra aquele papel, era para eu ligar para o consulado. O policial leu, devolveu os documentos e desejou boa sorte e boa viagem.

    2 x 0 na polícia corrupta
    Passado um punhado de quilômetros, no meio do nada, um cruzamento e uma casinha de polícia. Adivinhem?????Parados novamente. Dessa vez foi mais demorado. Mostraram-me uns papeis velho onde se lê que é proibido o reboque. Para resumir: quase uma hora de conversa e após pedirem propina e eu dizer que não havia feito câmbio ainda, que eles poderiam lavrar a multa, mas que eu fotografaria tudo e enviaria para o Consulado, eles aceitaram eu tirar o engate e seguir adiante

    3 x 0 na polícia corrupta
    Próximo às três da tarde, na entrada de São Francisco, olhamos do lado oposto, um carro no acostamento com placas do Brasil e dois policiais. Atravessamos uns dez a doze semáforos com a maior atenção e parando na maioria deles. Saindo da cidade, uma motocicleta com um policial, encosta ao lado e pede que paremos. Saio do MH e ele de capacete e óculos escuro coloca o celular no viva-voz e diz que o chefe me viu passar com sinal vermelho a uns cinco semáforos atrás. Rapaz….pense na raiva. Afirmei que isso não aconteceu e que era para voltarmos até o local para falar com esse “tal chefe”. Conversa vai, conversa vem, mais uma vez o papel timbrado me ajudou. Falei que faziam isso com brasileiros, que vi o carro do nosso país parado mais atrás e que relataria tudo para o consulado. Daí veio o pedido. Se eu não tinha “plata” para dar ao chefe e seria liberado. Disse que não tinha. E ele perguntou: “nem 10 pesos?????” ( algo em torno de seis reais). Falei que o que tinha era para o pedágio.
    Mais uma vez liberado sem pagar nada.

  • diego_german

    Seja educado nos seus comentarios.[Comentario #141375 sera citado aqui]

    “…Não sabemos para que serve o pano branco, que não é exigido por lei, mas poderia ser para fazer uma bandeira de paz para os argentinos em dia de Brasil x Argentina?”

    Além de um comentário desprezivel, em uma noticia informativa, (afinal, esta reportagem não foi proveniente de nenhum blog) que ao meu modo de ver, deve ser necessariamente cética e séria, cita itens que volto a afirmar não ter conhecimento como a “mortalha branca”.

    Volto a afirmar, já fizemos desde 1976, 15 viagens, passando tanto pela fronteira uruguai/argentina (na qual já chegamos a ser escoltados por uma viatura militar, no tempo da ditadura) como pela triplice fronteira, curiosamente uma vez, em um Citroen AMI-8.
    Atravessamos praticamente todos os estados argentinos, desde Misiones até Neuquen, e em 33 anos repito NUNCA OUVI FALAR EM MORTALHA BRANCA.

    Questiono os 2 fatores, uma brincadeira realmente desprezivel e de mau gosto por parte de um reporter muito provavelmente anônimo perante a imprensa nacional
    (Zero Hora), e uma informação que eu, nem ninguem que conheco tenha ouvido falar, e que sinceramente não sei se foi averiguado por contato com o consulado Argentino, antes da postagem.

  • Alexandre

    ola gostaria de saber se é permitido insufilme na Argentina

  • angelpena

    Faz muitos anos, fui de carro para o Chile, passando pela Argentina. O único ponto negativo para a viagem, foram os policiais perto da fronteira (Dourados me parece que se chama a cidade). Alegaram que estava a excesso de velocidade e me cobraram um dinheiro na hora. No momento da multa, um carro argentino passou a no minimo a 140 km/h. Reclamei, nada, explicação: Já tinha sido multado e não podiam multa-lo de novo. Na volta, um mês depois, passei pelo mesmo local, numa velocidade bem abaixo do limite para fugir da multa. Não teve jeito, me pegaram de novo e mais uma multa. Do resto, nenhum problema com a policia nem com a gente de lá, apenas esses policiais corruptos da fronteira.

  • kiwl felix

    Diego,
    Descupe pelo erro em seu nome (Tiago)

    Kiwl

  • Viajante

    Nossa!!!! Eu estou me planejando para fazer uma viagem para Paraguay e Argentina de carro, entrei aqui para me instruir e confesso que fiquei confuso………….. Abraços a todos….

  • Pedro Ernesto

    Também fiquei confuso…
    Alguém poderia fazer uma simples lista do que é obrigatório por lá???
    Obrigado!!


Send this to a friend