Virtus GTS: equipamentos, preços, motor, consumo, desempenho

Virtus GTS: equipamentos, preços, motor, consumo, desempenho

Apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo no fim de 2018 e lançado no mercado em fevereiro de 2020, o Virtus GTS é hoje a versão mais completa, rápida e cara da linha do sedã compacto da Volkswagen no mercado brasileiro. Ele segue a mesma linha do Polo GTS.


De acordo com a própria Volkswagen, este é o primeiro sedã da marca a receber a sigla GTS, que designa os carros com comportamento mais esportivo. Vale ressaltar que em 1984 a fabricante alemã ofereceu por aqui o Passat com o sobrenome GTS, mas complementado pela palavra Pointer.

Para justificar o preço final bem acima dos R$ 100 mil, o Virtus GTS tenta ganhar o coração dos consumidores pelo visual mais invocado, interior com acabamento diferenciado e, principalmente, o conjunto mecânico capaz de entregar uma experiência ao volante bem mais emocionante.

Ele é o único Virtus que usa o motor 1.4 TSI turbo flex de quatro cilindros, combinado a uma transmissão automática de seis marchas. Este é o mesmo propulsor de modelos como Jetta, T-Cross Highline e Audi A3 Sedan.

Se destaca também por oferecer uma boa lista de equipamentos de série, com direito a somente um opcional.

Abaixo, você pode conferir todos os principais detalhes do Virtus GTS 2022 comercializado no mercado brasileiro:

Volkswagen Virtus GTS – detalhes

Virtus GTS: equipamentos, preços, motor, consumo, desempenho

Apesar da cifra bastante elevada, o Virtus GTS não é um legítimo esportivo. Não entrega a mesma experiência e emoção ao volante de um Jetta GLI, por exemplo. Todavia, é mais divertido que o Virtus Highline, sobretudo pelo motor mais potente.

Ele é equipado com um 1.4 TSI turbo flex de até 150 cv, cujo os detalhes você pode conferir mais a seguir. Tem transmissão automática de seis marchas com paddle shifts no volante, além de uma direção mais direta e suspensão com acerto mais firme.

Tem ainda um seletor de modos de condução com quatro opções: Eco, Normal, Sport e Individual. Este sistema consegue alterar o comportamento do câmbio e da direção, deixando o primeiro mais rápido e a segunda mais direta e firme nos modos mais esportivos.

Além disso, há até um sistema que simula um som de escapamento esportivo para quem viaja dentro do carro. Ele fica mais intenso no modo Sport de condução. Todavia, por fora, o escapamento transmite o mesmo ronco de um carro convencional.

Pulando para o visual, um dos principais diferenciais é o novo conjunto de faróis totalmente em LED. Há também uma nova grade do tipo colmeia com friso vermelho (que percorre também a parte interna dos faróis) e logotipo GTS no canto, além de para-choques mais imponentes.

Ainda nas mudanças estéticas, o Virtus esportivo oferece rodas diamantadas de 17 polegadas ou opcionais de 18 polegadas. Há ainda para-choque traseiro exclusivo, lanternas traseiras escurecidas, defletor traseiro em preto brilhante sobre a tampa do porta-malas e capa dos retrovisores pintadas na cor preto brilhante.

Já o interior conta com teto, bancos e laterais de porta com acabamento na cor preta. O passageiro dianteiro e o motorista usufruem de bancos exclusivos, com formato mais esportivo, espumas mais densas e maior apoio ao corpo em curvas, além de apoio de cabeça integrado, que segundo a Volkswagen “remete aos bancos de carros de competição”.

O volante do Virtus GTS é praticamente o mesmo do restante da linha, com direito apenas a sigla GTS na base, costuras vermelhas e acabamento em coura. Fecha o pacote os detalhes em vermelho nas molduras das saídas de ar, base da alavanca de câmbio e tapetes.

Virtus GTS: equipamentos, preços, motor, consumo, desempenho

Ah, existe também o painel de instrumentos Active Info Display 100% digital com iluminação vermelha.

O pacote de equipamentos do Virtus na versão GTS é bem recheado. Também pudera, visto que estamos falando de um sedã compacto de 100 mil reais. Há recursos como chave presencial e partida do motor sem chave, central multimídia com tela de oito polegadas e navegador, sistema start/stop, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, câmera de ré, detector de fadiga, sensores de luz e chuva e retrovisor interno eletrocrômico.

Porém, apesar da cifra elevada, o Virtus GTS tem um opcional. Trata-se do pacote Rodas, que traz as rodas de 18 polegadas com pneus 205/45 R18 por R$ 1.700.

Fora isso, o GTS é um Virtus comum. Uma das principais virtudes (perdão pelo trocadilho) do sedã compacto da Volkswagen é o amplo espaço interno. Ele acomoda com conforto quatro adultos e uma criança, com bom espaço para as pernas no banco traseiro. O porta-malas tem capacidade para 521 litros de bagagens, um dos maiores da categoria.

A respeito do preço, o GTS é R$ 16 mil mais caro que o Highline e quase R$ 30 mil mais caro que o Comfortline, ambos com motor 1.0 TSI. Em relação ao modelo de entrada Virtus MSI AT, há uma diferença de R$ 35,8 mil.

Além de todo o fato de ser uma versão esportiva, a diferença de preço deve-se ainda ao fato de o Virtus GTS pagar mais imposto. O modelo recolhe 11% de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), enquanto o Virtus 1.0 TSI recolhe 7%, justamente pela diferença de litragem do motor.

Volkswagen Virtus GTS – equipamentos

Virtus GTS: equipamentos, preços, motor, consumo, desempenho

Confira a seguir os principais equipamentos de segurança, conforto, visual, acabamento e tecnologia do Virtus esportivo:

Segurança: dois airbags frontais com desativação do passageiro e dois airbags laterais para os ocupantes dos bancos dianteiros, freios ABS com EBD, alerta de frenagem de emergência, assistente de partida em rampas, controle eletrônico de estabilidade, controle de tração, bloqueio eletrônico do diferencial, detector de fadiga, retrovisor interno eletrocrômico, faróis de neblina com luz de conversão estática, sistema Isofix com Top Tether para fixação de cadeirinhas infantis no banco traseiro, sistema de frenagem automática pós colisão “Post Collision Brake”, faróis com função coming & leaving home, luzes de condução diurna em LED, indicador de controle da pressão dos pneus, encosto de cabeça e cinto de três pontos para os cinco ocupantes, entre outros.

Conforto: direção elétrica Easy Drive, ar-condicionado automático digital Climatronic com filtro de poeira e pólen, vidros elétricos nas quatro portas com função one touch nos dianteiros, travas elétricas nas portas, porta-malas e tampa de combustível, retrovisores externos elétricos com rebatimento, função Tilt Down no lado direito e repetidores de seta, sensores de chuva e luminosidade, piloto automático, banco do motorista com ajuste de altura, volante ajustável em altura e profundidade, banco traseiro bipartido e rebatível, chave presencial, partida do motor por botão, porta-luvas refrigerado, porta-óculos no console central de teto, porta-revistas nos encostos dos bancos dianteiros, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, entre outros.

Visual: rodas de liga-leve de 17 polegadas com pneus 205/50 R17, grade do radiador em preto brilhante com friso vermelho, maçanetas das portas e retrovisores em preto, colunas centrais e traseiras externas com aplique preto brilhante, para-choque esportivo GTS, faróis full LED, lanternas traseiras em LED, antena tipo barbatana de tubarão, entre outros.

Acabamento: bancos dianteiros esportivos com inscrição GTS, sobretapetes e iluminação no porta-luvas e porta-malas.

Tecnologia: sistema start/stop, volante multifuncional em couro com paddle shifts, suporte para celular com entrada USB para carga no painel, central multimídia VW Play com navegador GPS, App-Connect e comandos de voz, seletor de modos de condução (Normal, Esporte, Eco e Individual), painel de instrumentos digital Active Info Display, indicador de troca de marcha, câmera de ré, sistema de som com quatro alto-falantes e dois tweeters e computador de bordo I-System com Eco Comfort.

Volkswagen Virtus GTS – opcionais

Virtus GTS: equipamentos, preços, motor, consumo, desempenho

Além das cores metálicas, o Virtus variante GTS 2022 possui somente um opcional. Veja:

Pacote Rodas (R$ 1.700): rodas de 18 polegadas, com pneus 205/45 R18.

Volkswagen Virtus GTS – preços

Abaixo, você pode conferir os preços do Virtus 0 km na versão GTS nas principais combinações disponíveis:

  • Virtus GTS 2022 0 km: R$ 125.950
  • Virtus GTS 2022 0 km + pacote Rodas: R$ 127.650
  • Virtus GTS 2022 0 km + pintura metálica: R$ 127.535
  • Virtus GTS 2022 0 km + pintura metálica + pacote Rodas: R$ 129.235

Volkswagen Virtus GTS – cores

Virtus GTS: equipamentos, preços, motor, consumo, desempenho

A Volkswagen comercializa o Virtus na variante GTS com cinco opções de cores para a carroceria. São duas sólidas e outras três metálicas. Destas, somente uma não tem custo adicional. Além disso, apenas a Azul Biscay metálica foge das cores mais tradicionais.

Confira abaixo as cores disponíveis na gama do sedã compacto esportivo:

  • Preto Ninja (sólida, sem custo adicional)
  • Branco Cristal (sólida, por R$ 495 adicionais)
  • Prata Sirius (metálica, por R$ 1.585 adicionais)
  • Cinza Platinum (metálica, por R$ 1.585 adicionais)
  • Azul Biscay (metálica, por R$ 1.585 adicionais)

Volkswagen Virtus GTS – motor e mecânica

Debaixo do capô, o Virtus GTS 2022 esconde o mesmo motor do irmão Polo GTS 2022, além de outros carros da linha Volkswagen, como a versão topo de linha do T-Cross e Jetta, além de já ter equipado o Tiguan Allspace.

Trata-se do 1.4 TSI flex de quatro cilindros. Esse motor é dotado de turbocompressor com interresfriador e outras tecnologias como injeção direta de combustível, quatro válvulas por cilindro, variador de fase na admissão e escapamento, duplo comando de válvulas e bloco e cabeçote de alumínio.

Ele gera os mesmos números de potência e força independente do combustível utilizado. São 150 cavalos de potência, entregues entre 4.500 e 6.000 rpm, e 25,5 kgfm de torque, que vai de 1.400 a 4.000 giros.

Junto a este propulsor turbo flex está o câmbio automático AQ 250-F, da japonesa Aisin, com seis marchas e conversor de torque. Esta transmissão também é a mesma usada no T-Cross e Jetta. Há a opção de troca manual de marcha por meio de paddle shifts atrás do volante.

De acordo com a Volkswagen, o câmbio automático de seis marchas recebeu uma calibração de software específica para a linha GTS, bem como o motor. Tudo para atender o desejo de quem busca por um carro mais esportivo.

No lançamento do carro, muitos questionaram a ausência do câmbio automatizado DSG de seis marchas e dupla embreagem, usado no Tiguan Allspace, por exemplo. Todavia, na ocasião, a marca alemã informou que tal caixa encareceria ainda mais o preço final do sedã compacto esportivo.

Além disso, houve também o questionamento a respeito da falta da opção de câmbio manual. Porém, tudo isso tem uma explicação bem clara: se até os consumidores de carros de entrada estão priorizando modelos automáticos na maioria das vezes, que dirá num modelo acima de R$ 100 mil, mesmo com proposta esportiva.

Ainda no conjunto mecânico, a suspensão do Virtus GTS foi recalibrada. Há mudanças nas molas, amortecedores, barra estabilizadora e eixo de torção. Como resultado, a suspensão passa a entregar um acerto mais firme. Por outro lado, a altura de rodagem é a mesma do Virtus Highline, para que o vão livre, ângulos de entrada, saída e central não sejam prejudicados.

As rodas são de liga-leve de 17 polegadas, mas com os mesmos pneus usados no Virtus Highline, com medidas 205/50 R17.

Outro recurso é o bloqueio eletrônico do diferencial (XDS+), que atua no controle eletrônico de estabilidade. Este recurso melhora o comportamento dinâmico do carro, com intervenções seletivas nos freios das rodas internas às curvas nos dois eixos, permitindo uma transferência do torque disponível do motor para as rodas externas.

A Volkswagen diz que o XDS+ permite um aumento da agilidade e diminuição da necessidade de movimentação do volante.

O conjunto de freios é também o mesmo do Virtus 1.0 TSI, com disco nas quatro rodas, nas mesmas dimensões e também com as mesmas pinças.

Volkswagen Virtus GTS – consumo

Embora seja um carro com proposta esportiva, o Virtus modelo GTS não tem médias de consumo de combustível tão elevadas quanto a gente está acostumado a ver nesse tipo de carro. Pode beirar os 14 km/l na estrada.

Confira abaixo os números de consumo de combustível do Virtus GTS:

  • Consumo de 7,5 km/l na cidade e 9,6 km/l na estrada com etanol;
  • Consumo de 11 km/l na cidade e 13,7 km/l na estrada com gasolina.

Volkswagen Virtus GTS – desempenho

A Volkswagen divulga os seguintes números de desempenho do Virtus na versão GTS:

  • Aceleração de 0 a 100 km/h em 8,7 segundos com gasolina ou etanol;
  • Velocidade máxima de 210 km/h com gasolina ou etanol;
  • Aceleração de 0 a 1.000 metros em 29,8 segundos com gasolina ou etanol;
  • Retomada de 80 a 120 km/h (kick-down) em 6,1 segundos com gasolina ou etanol.

Ou seja, como dá para notar, o Virtus GTS entrega sim bons números de desempenho. Não é nada que impressiona, que realmente vá te tirar o fôlego. Porém, ele pode atender tranquilamente quem busca por um sedã familiar com apelo esportivo, mas sem muitos exageros.

Para efeito de comparação, o Virtus Highline 1.0 TSI automático acelera de 0 a 100 km/h em 9,6 segundos e consegue atingir velocidade máxima de 194 km/h.

Porém, a situação do Virtus versão GTS piora quando usamos o Jetta 1.4 TSI para comparação. O irmão maior do modelo aqui citado cumpre a prova de 0 a 100 quilômetros por hora em 8,9 segundos e atinge velocidade máxima de 210 km/h.

Ou seja, pouquíssima diferença no 0 a 100 e exatamente a mesma velocidade máxima. E para se ter uma ideia, o novo Jetta 1.4 TSI tem preços a partir de R$ 99.990, mas neste caso com uma lista de equipamentos sem alguns “frufrus” do Virtus esportivo.

Volkswagen Virtus GTS – garantia e revisões

Assim como os outros carros de passeio comercializados pela Volkswagen no Brasil, o Virtus versão GTS tem garantia de fábrica de três anos, sem limite de quilometragem.

Já no pacote de revisões, o carro tem as três primeiras revisões gratuitas. Ou seja, até os 30 mil quilômetros rodados ou três anos de uso, o proprietário do carro não terá qualquer custo com revisões do sedã.

Trata-se do programa Revisão DE Série, disponível ainda para o Polo GTS, Virtus Highline, Tiguan Allspace, Golf, Golf GTE, Golf Variant, Jetta e T-Cross.

Abaixo, você pode conferir todos os valores das revisões do Virtus versão GTS:

  • Revisão de 10.000 km ou 1 ano: gratuita
  • Revisão de 20.000 km ou 2 anos: gratuita
  • Revisão de 30.000 km ou 3 anos: gratuita
  • Revisão de 40.000 km ou 4 anos: R$ 1.279,28
  • Revisão de 50.000 km ou 5 anos: R$ 589,85
  • Revisão de 60.000 km ou 6 anos: R$ 732,87

Sendo assim, as revisões do Virtus GTS até os 60 mil quilômetros rodados ou seis anos de uso totalizam um valor de R$ 2.600. Para se ter uma ideia, este valor total é mais em conta que o pacote de revisões do Virtus Comfortline 1.0 TSI e do Virtus 1.6 MSI.

Volkswagen Virtus GTS – ficha técnica

Motor

1.4 TSI

Tipo

Dianteiro, Transversal e Flex

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm3

1.395

Válvulas

16

Taxa de compressão

10:1

Injeção eletrônica de combustível

Direta

Potência Máxima

150 cv a 5.000 rpm

Torque Máximo

25,5 mkgf a 1.500 rpm

Transmissão

Tipo

Automática Tiptronic de 6 marchas com conversor de torque

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Discos ventilados (dianteira) e discos sólidos (traseira)

Direção

Tipo

Elétrica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Liga-leve de 17 polegadas

Pneus

205/50 R17

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.492

Largura (mm)

1.751

Altura (mm)

1.476

Distância entre os eixos (mm)

2.649

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

425

Tanque (litros)

52

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.255

Porta-malas (litros)

521

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

ND

Volkswagen Virtus GTS – fotos

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.