*Destaque Lançamentos Pickups Test Drive Volkswagen

Volkswagen Amarok 2017: Impressões ao dirigir

volkswagen-amarok-2017-impressões-NA-16 Volkswagen Amarok 2017: Impressões ao dirigir

A Volkswagen atualizou a picape Amarok 2017, que chega com modificações visuais e também em termos de conectividade. Com preços entre R$ 113.990 e R$ 177.990, a média feita em General Pacheco, Argentina, teve reposicionamento de preços e versões, com a estreia da Extreme.



volkswagen-amarok-2017-impressões-NA-14 Volkswagen Amarok 2017: Impressões ao dirigir

Com faróis de xênon dotados de LEDs e grade redesenhada, a Volkswagen Amarok 2017 tem ainda para-choque mais aerodinâmico, rodas de liga leve atualizadas com até 20 polegadas (versão Extreme), caçamba com revestimento mais resistente e antideslizante, mudanças no desenho do painel e instrumentação, bancos ergoComfort com ajustes elétricos e multimídias mais modernas, dotadas de Android Auto, Car Play e Mirror Link. Confira aqui todas as novidades da picape da Volkswagen.

volkswagen-amarok-2017-impressões-NA-25 Volkswagen Amarok 2017: Impressões ao dirigir

Na parte mecânica, a Volkswagen Amarok 2017 continua com o propulsor EA189 2.0 TDI de 140 cv e 34,7 kgfm com câmbio manual de seis marchas ou 180 cv com 40,8 kgfm na versão manual e 42,8 kgfm com câmbio automático de oito marchas. A cabine pode ser simples ou dupla, mas a tração é sempre 4×4.

volkswagen-amarok-2017-impressões-NA-13 Volkswagen Amarok 2017: Impressões ao dirigir

Volkswagen Amarok 2017 – Impressões ao dirigir

A Amarok 2017 ganhou alterações importantes no visual, embora possa até passar despercebida diante de quem não sabe dos detalhes. O conjunto ótico mais sofisticado é o destaque, assim como as rodas mais bonitas e maiores. Sutilmente as lanternas escurecidas realçam o conjunto traseiro.

A caçamba com material mais abrasivo e resistente, acompanha mudanças no segmento, onde já pudemos ver algo semelhante na Nova Nissan Frontier. Outros modelos continuam com superfícies bem lisas e até mesmo pintadas como as demais partes da carroceria.

volkswagen-amarok-2017-impressões-NA-2 Volkswagen Amarok 2017: Impressões ao dirigir

No interior, o painel com novos difusores, acabamento e desenho agrada, mas não evoluiu em termos de qualidade percebida. O quadro de instrumentos apenas ganhou um display colorido, mas cumpre bem seu papel. O volante semelhante ao do Golf é uma boa novidade.

Quanto às multimídias, a Volkswagen Amarok 2017 segue o novo padrão que a marca está introduzindo no mercado nacional e vem bem completa na Discover Media, que tem sistemas do Google, Apple e LG/Samsung/HTC. Na versão Highline, câmera de ré e navegador GPS, mas uma tela maior seria interessante. Outro ponto é fonte USB, tendo apenas uma.

volkswagen-amarok-2017-impressões-NA-3 Volkswagen Amarok 2017: Impressões ao dirigir

Durante o teste, quatro revezaram para carregamento de smartphones no único USB. Em compensação, quem tem fonte de 12V, vai se sentir privilegiado, pois existem quatro pontos (incluindo um acendedor de cigarros). Os bancos elétricos ergoComfort com acabamento em couro garante um conforto extra à Volkswagen Amarok 2017, envolvendo o corpo de forma excelente. No geral, o espaço é bom e condizente com a categoria.

Na condução, o propulsor 2.0 TDI de 180 cv e 42,8 kgfm garante boa performance à picape, entregando disposição mesmo nas retomadas mais agressivas, assim como nas saídas fortes. Rodando a 110 km/h, o “polêmico” propulsor roda a 1.800 rpm, o que gera conforto e economia.

volkswagen-amarok-2017-impressões-NA-10 Volkswagen Amarok 2017: Impressões ao dirigir

O câmbio automático de oito marchas – da Aisin – continua com mudanças suaves e em dia com as prestações apresentadas pelo 2.0 TDI. A Volkswagen Amarok 2017 tem direção leve e precisa, além de suspensão com ajuste bem mesclado entre conforto e estabilidade. Os freios são suficientes e o conforto ao rodar é o mais próximo de um automóvel entre as picapes.

Diferentemente de outras, a Volkswagen Amarok 2017 tem tração 4×4 permanente, a chamada 4Motion. As opções adicionais são o bloqueio do diferencial traseiro e controle de descida. Toda a gestão de tração é eletrônica e permite ao modelo transpor vários obstáculos no fora de estrada com força de sobra e controle de tração devidamente ajustado para cada situação.

Sem ser bruta, a Volkswagen Amarok 2017 tem boa dirigibilidade e aptidão para o fora de estrada. Faltou o motor V6 3.0 TDI com 224 cv, que só deverá chegar no ano que vem e que, sem dúvidas, trará ao modelo uma performance ainda melhor. A versão Extreme é um “up” a mais para quem deseja uma picape personalizada, mais focada no lazer.

Volkswagen Amarok 2017 – Galeria de fotos

5.0

  • Verdades sobre o mercado

    O grande erro da VW no Brasil com a Amarok foi não ter esperado 2 anos e lançar ela já com Câmbio Automático. Como não tiveram paciência lançaram um produto realmente superior à concorrência, porém em uma configuração que a maior parte dos compradores deste segmento já não queria mais (câmbio manual), e aí foi vendendo pouco nos primeiros 2 anos, aí tem pouca gente para dar feedback positivo e quando dá ainda cita que deveria ter câmbio automático, e picapeiro também gosta de ter carro que vende bem … mais um erro estratégico da VW. Não adianta ter apenas um bom produto, tem que ter a estratégia correta, prova disso foi a Fiat que foi líder de mercado por 14 anos sem ter os melhores produtos, mas sempre adotou boas estratégias.

  • oloko

    Esse cambio de 8 marchas não era da ZF?

    • SAVEIRO CD

      Também achei estranho, esse câmbio sempre foi da ZF.

    • Snoop Dogg

      ZF

    • Jeremias Flores

      é ZF sim

  • Mateus

    Não entendo como uma versão pode custar 64 mil reais a mais que outra versão do mesmo carro!

    • Verdades sobre o mercado

      Começa pela carroceria (cabine simples x dupla), passa por transmissão (mecânica x automática), motor (turbo simples x bi-turbo) e acabamentos externos, internos, itens de tecnologia, etc

    • Leonel

      Mecânica, tecnologia embarcada e etc. O Renegade pode custar quase R$33 mil a mais na mesma versão por trocar o Flex por um motor Diesel, só para exemplificar.

  • Esteticamente falando, poderiam ter melhorado o acabamento do interior, que é muito pobre (só plástico) e trocado as lanternas traseiras por LED, nas versões mais caras.

    • GABRIELCSFLORIPA

      Concordo!

    • thi

      melhorar sim mas pra mim hoje ela e a da ranger são as melhores

    • Lucas

      Todas as caminhonetes do mercado têm acabamento majoritariamente de plástico.

      • Sim, mesmo porque, são caminhonetes. Mas existem plásticos e plásticos: uns dão um aspecto mais pobre que outros. Você entra dentro de uma Amarok Highline, e dá impressão de estar dentro da versão básica.

        • Lucas

          Rapaz, vou te ser sincero. Atualmente tenho uma Amarok e uma Dakar. Já tive S10 e Hilux e posso te falar com propriedade que a Amarok é a melhor acabada entre as 4 em relação à qualidade de montagem. É a única de todas as 4 que, depois de 2 anos de uso, não bate NADA – roda igual o A4 do meu irmão, exceto pelo ruído característico do motor a diesel. A pior delas é a Dakar/Triton. Essa sim merece menção (des)honrosa: Faz tanto barulho de acabamento que dá dor de cabeça.
          E bom, acho o plástico da Amarok até agradável aos olhos, mesmo simples. Realmente não entendo o motivo das reclamações.

          Abraço.

          • Fala, Lucas! Acho que não fui claro no meu comentário. Talvez em qualidade de montagem, a Amarok seja muito boa (não sei, pois nunca tive uma). O que não me agrada são apenas os plásticos utilizados mesmo. Aqui em casa temos atualmente uma L200 Triton HPE, e apesar de também ter muito plástico, acho um pouco melhor visualmente (a Dakar é igual, então você sabe tanto quanto eu). Pode até ser que a Amarok tenha uma qualidade de montagem superior ao da L200, mas visualmente considero mais pobre. Acho que poderiam ter dado um pouco mais de atenção nesse aspecto, com esse “mini-facelift”.
            Mas ainda assim gosto muito da Amarok, e consideramos futuramente a troca da L200 pela pick-up da VW, já que a nova Triton ficou horrível, por dentro e por fora, hahahah!

  • Snoop Dogg

    Esperando aparecer a galera falando que o preço da Amarok esta um absurdo mas acham normal Hilux custar 190k e Ranger 180k

  • Snoop Dogg

    Por incrível que pareça, ela não seguiu a tendecia das concorrentes de apresentar os modelos novos mais caros, ela teve uma queda de preço nas versões mais simples, um leve aumento na trend e high, porem o que antes era opicional agora eh TUDO de SERIE!!!

    • Ernesto

      Talvez por não ser uma nova geração e ter somente pequenas alterações na versão 2017.

  • Leonel

    Eu digo que é, pelo menos, a mais segura do mercado. Além disso, não dá para reclamar da tecnologia e powertrain. Agora, se a topo de linha com o 2.0 TDI está na casa dos R$180 mil, o V6 vai “quebrar” a casa dos R$200 mil tranquilamente…

  • Marcelo Ceno Dutra

    O câmbio não é aisin e sim ZF.

  • Jeremias Flores

    não me canso de elogiar a Amarok, é uma ótima camionete para quem tem um uso misto entre cidade e campo (que acredito ser a maioria dos consumidores de pickup)

    é confortável, boa de guias, com muitos itens de tecnologia.

    mas o problema da VW é as estratégias de lançamento, como não trazer o cambio AT8 no lançamento, errar no motor de 163cv e agora, não trazer o V6

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend