Elétricos Europa Hatches

Volkswagen considera próximo up! como um carro elétrico

vw-e-up-13 Volkswagen considera próximo up! como um carro elétrico

PQ12 ou MQB? A pergunta, nesse caso, não tem relação com os clássicos modelos da VW no Brasil, mas com um dos mais recentes, o up!. Já faz algum tempo que rumores envolvem o subcompacto da marca alemã aqui e na Europa, mas pelo menos lá, parece que a coisa está se encaminhando para um futuro mais realista.



Como se sabe, comentava-se há certo tempo que o Volkswagen up! estaria com a corda no pescoço e a alavanca do cadafalso só precisaria ser puxada sem cerimônia para os europeus assistirem – mais uma vez – o fim de um produto interessante. O motivo é que o pequenino não tem alcançado a rentabilidade esperada por Wolfsburg, o que abreviaria sua vida comercial.

A saída para o up! seria converter-se em um carro mais atrativo, ainda sobre a PQ12, onde aparece a imagem do T-Track, que seria uma evolução do igualmente interessante conceito Taigun (foto abaixo). Mas, de outro lado, surgiram fontes alegando que a montadora acabaria introduzindo uma modificação da plataforma modular MQB.

Agora, segundo Herbert Diess, a solução para o up! não será nenhuma e nem outra. De acordo com o site Automobile Mag, o chefão da Volkswagen não estaria satisfeito com essas duas opções. Para o executivo, desenvolver um ou dois modelos ainda sobre a PQ12, seria manter o status atual, o que não resolveria em termos financeiros.

vw-taigun-europa-103 Volkswagen considera próximo up! como um carro elétrico

No caso de um modelo completamente novo, feito sobre a MQB, Diess alerta que o custo seria proibitivo, ainda mais que os pequenos de entrada apresentam pouco lucro em relação aos modelos maiores, que possuem melhor valor agregado. Basta lembrar que a Volkswagen até tentou se unir à Tata Motors para baixar os custos na Índia, a fim de reduzir gastos e ter um preço condizente com aquele mercado. O próprio up! com a PQ12 (NSF) também foi rejeitado pelo mesmo motivo.

E agora? Qual a saída para o futuro do up!? A eletrificação. Segundo Diess, um e-up! definitivo seria a sugestão atual. Devemos lembrar que já existe uma variante elétrica do modelo, mas pela direção sugerida pelo chefe da VW, provavelmente o próximo up! poderá ter a base MEB, uma plataforma modular dedicada aos elétricos da marca.

Nesse caso, a Volkswagen daria uma tacada para derrubar três bolas, visto que o mesmo destino será também dos modelos Seat Mii e Skoda Citigo. Comenta-se que ainda assim, haveria duas carrocerias, sendo um hatch e um crossover, ambos com pegada urbana, bem com um sistema de monitoramento exterior em 360 graus. Atualmente, o e-up! tem 160 km de alcance, mas provavelmente dobrará se ressurgir como um “I.D.”.

Com essa sugestão de Herbert Diess, podemos vislumbrar um futuro totalmente elétrica para a Volkswagen. que já fala em retornar com o Fusca, mas como um carro elétrico, além de confirmar um “sucessor” para o Golf, bem como a volta da Kombi e mais os equivalentes de Tiguan e Atlas. Isso sem contar o mencionado sobre o próximo Scirocco e o um elétrico de perfil esportivo, que até agora não se sabe qual modelo atual ou passado, sucederá. Nessa linha de pensamento, podemos imaginar também o Passat movido por energia, bem como o Phaeton para a gama alta e até um futuro T-Roc plugado na tomada, entre outros.

[Fonte: Automobile Mag]

  • V12 for life

    Se a Skoda está encarregada de desenvolver uma versão de baixo custo da MQB, e essa tem ou terá uma versão para elétricos chamada MEB, independente do futuro que o up! terá ele passa pela MQB, seja elétrico ou não.

  • Nicolas_RS

    Quero ver o castelo de areia se desmancharem dessas pessoas que acham mil maravilhas esses carros elétricos quando começarem a chegar no mercado.

    • Tochio

      Fala sobre seu ponto de vista !?

      • Nicolas_RS

        Não é meu ponto de vista e sim o que vai acontecer, os carros 100% elétricos são extremamente limitados, talvez agrade um ou outro, mas a maioria acho difícil, estão querendo dar um passo maior que a perna, hoje o Tesla S que custa mais de 700 mil reais é incapaz de fazer uma viagem de Curitiba para Porto Alegre. Quero ver as limitações dos carros elétricos “populares”.

        • Hoffmann

          Concordo totalmente. Fora que a recarga é muito demorada, os elétricos só vão pegar para valer no dia que conseguirem fazer com que as baterias sejam recarregadas totalmente no mesmo tempo que se enche um tanque no posto.

          • José Barbosa

            Você está completamente equivocado. O elétrico pode ser carregado praticamente em qualquer lugar que eu vou. Um belo dia, as pessoas vão estrear ter que ir a um posto e pedir para alguém “recarregar” seu carro. Salvo situações muito pontuais, o elétrico atenderá muito bem à boa parte da população na maioria absoluta de suas aplicações.

            • Hoffmann

              Fale por você.

              • José Barbosa

                Se você roda distâncias absurdas, ou está num veículo diesel ou gosta de rasgar dinheiro.
                Falo por mim e pela maioria das pessoas. E já morei “longe” do trabalho, em que a autonomia dos elétricos duraria a semana inteira.

        • Cosi fan Tutti

          700 mil aqui mas la fora é menos de $100 mil , e tem o Tesla 3 que vai ser menos de $30 mil (preço de popular nos Eua). E as baterias estão já com autonomia passando dos 500 km, que é muito. Qual carro tem autonomia de viagem sem abastecer igual vc exige? (no caso dos elétricos será recarregar, mas isso também já está sendo resolvido com as novas tecnologias de recarga ultra-rápida).

          • Cesar

            Serve o Compass? Este faz 900km sem reabastecer.

            • DevXav

              Não necessariamente por ser econômico, mas possui um reservatório de combustível grande.
              Se for assim, a Amarok também faz 900km sem reabastecer…

              Os poucos carros que conheço que são realmente econômicos são: Audi A1 (faz 20km/l medido na bomba) e Ford Fusion Hybrid que se não me engano faz mais que isso..

              • Cesar

                Não foi este o questionamento do colega acima. Ele perguntou se tinha algum carro que tinha autonomia:
                “Qual carro tem autonomia de viagem sem abastecer igual vc exige?”
                Fui ao estremo, mas se você pegar vários carros mesmo com tanque pequeno verá que estes possuem boa autonomia e elétrico nenhum hoje possui, além do fato do tempo de recarga das baterias.
                Veja: Não sou contra o carro elétrico, mas possuem vários problemas para que sejam atrativos perante os carros de hoje. O que critico, é o oba oba que muitos tem com relação a estes automóveis sem analisarem antes estes problemas.

          • Nicolas_RS

            Tem que se informar melhor, um camaro/mustang nos EUA custa a partir de 26 dólares, o Tesla faz 500 km com a velocidade limitada, com 37km/h a autonomia do Tesla S é de 1.000km. A recarga dos carros elétricos é demorada, é de 8 a 12h, da para carregar 80% em 30min, mas isso encurta a vida útil da bateria que não é nada barato.

            • D136O

              Já comprei umas brigas aqui por falar dos pontos fracos dos elétricos sou meio cético quanto este assunto, mas vá com calma eles tem algumas vantagens. O problema é que no modelo que alguns propõem aconteceria como uma piramide algumas pessoas teriam vantagem e a maioria só iria descobrir a furada que se meteu a hora que desmoronasse.
              Se hoje considerar o tesla 3 sem incentivos a 35k e comparar com seu mustang a 26K da pra comprar mais uns 4500 galoes de gasolina com a sobra e rodar um bocado mais de 100mil milhas, logo EU ainda não vejo vantagem em ter um elétrico.

          • VaeVictis

            Tesla 3, menos de $30 mil e bateria opcional!

        • Daniel

          Dai eu pergunto: quem compra um e-up! pra ir de Curitiba a porto alegre?
          Pega um avião, chega rapidinho e descançado, e lá aluga outro e-up!

          Quando esses carros eletricos se popularizarem, vão ter postos de recarga rapida pelo caminho (hj não tem pq não atenderia ninguem!). E, numa viagem mais longa, uma pausa para o almoço (deixando o carro recarregando), já garantiria mais uma ou outra centena de km pra rodar.

          • Nicolas_RS

            Cara é difícil de compreender que a recarga RÁPIDA ENCURTA A VIDA ÚTIL DA BATERIA E QUE A MESMA É CARÍSSIMA ?

            • Daniel

              Se tem garantia de 10 anos… qual o problema?

              Além do que, com a autonomia de 300km, eu (e muita gente que mora em campinas e trabalha em SP) conseguiria ir e voltar para o trabalho, e deixar na carga lenta durante a noite.

              Para viagens mais longas, usaria essas recargas rápidas, sem dor na consciência.

            • Jose Silva

              Os elétricos estão iniciando, é questão de tempo para popularizar. Vá na California no Estados Unidos e saiba mais sobre os elétricos, tem ponto de recarga a cada 5km. Viagens longas ? Existe avião ! Carros elétricos demoram 6h para carregar em uma tomada normal, isso basta você deixar a noite carregando e pronto. Nos pontos rápidos 30 min em uma carga rápida pega 80%, 1h em carga rápida pega 100%, não estraga bateria, é como a tecnologia de celular que carrega bateria super rápido hoje em dia. A tecnologia avança e cargos a combustão vão acabar. Até avião será elétrico você querendo ou não.

              • Nicolas_RS

                Deixa eu te contar um segredo, a passagem por avião é cobrada por ASSENTO ! O que deve ser mais em conta para 4 pessoas ?

    • thi

      O carroceiro tb falou isso seculo passado

      • Nicolas_RS

        Pra tu ver como os carros elétricos são ruins.

        • Rbs

          kkkkkkkk!

    • Bruno Leite

      Quer vc queira ou não, essa realidade já está acontecendo. E como é de se esperar, primeiro será a vez dos países mais desenvolvidos, depois de uns anos, a tecnologia chegará aqui. Para a maioria das pessoas carro elétrico já é uma maravilha; a maioria das pessoas precisam do carro para curtas distâncias (casa – trabalho). Vc citou um exemplo de viagem longa, onde no Brasil talvez seja inviável ainda com carro 100% elétrico, mas em muitos lugares da europa e dos estados unidos já é realidade. Existem estações de recarga espalhadas. Fora que com o passar do tempo, vão aperfeiçoar a tecnologia, e quem sabe, em breve nem recarga na tomada será preciso? Eu não vejo isso como uma situação distante. E sim, é seu ponto de vista! Hoje a Tesla está mudando a industria de carros centenária, e as montadoras estão sim preocupadas. Como eu disse, isso vai mudar, quer vc queira ou não.

      • Nicolas_RS

        Meu caro não é minha opinião e sim um fato. Hoje os carros elétricos são incapaz de concorrer com os de combustão. Os carro elétricos existe ha mais de 100 anos, essa tecnologia não é nova. Sobre as pessoas usarem o carro para casa-trabalho, sim isso no dia a dia, mas no fim do ano, maioria das pessoas viajam, sem contar que vai diminuir o preço da revenda, Curitiba-Porto Alegre não é longa, é uma viajem media, perto de outros trajetos pelo Brasil/Mundo. É impossível viajar em qualquer parte do mundo mais que 600km com um carro elétrico pois mesmo que exista pontos de recarga, demora de 8 a 12h para carregar 100% uma bateria, coisa que um carro normal demora 5min.
        “Fora que com o passar do tempo, vão aperfeiçoar a tecnologia” Serio ? E daqui quantos anos ? Essa tecnologia existe desde de 1899, hoje os carros elétricos custam caríssimos até mesmo nos EUA, imagine quantas décadas vai demorar para entregar um carro popular por um preço
        “acessível” ?
        Meu caro nenhuma montadora está preocupada com a Tesla, a BMW, Toyota, Chevrolet, Audi, Mercedes, entre outras já tem carros híbridos que são bem mais interessantes. Esse ano a Tesla não fabricou nem 300 unidades em 3 meses do Tesla 3.

        • Bruno Leite

          Sério que vc quer comparar o carro elétrico há 100 anos com os de hoje? O motor a combustão se estabeleceu nesses 100 anos mas puramente por interesse e lucro das empresas (monopólio) que mandavam na área. não sei onde vc viu que demora 12h para carregar 100% pois no site da Tesla (https://www.tesla.com/charging) mostra que são BEM menos; 273 km (170milhas) em 30 minutos no supercharging (estações espalhadas pela rodovia nos EUA) ou 52 milhas por hora na sua casa durante a noite (em qualquer tomada). Fora que para distâncias maiores, existem outros meios de transporte mais eficazes como o avião. Muita gente prefere ficar 1h no avião do que 6-8h no carro. Antigamente demorava anos para acontecer mudanças, e vc quer comparar 100 anos atrás com o agora? que a cada dia aparece uma novidade? o Uber ta ai para provar que a industria do Taxi não vai durar muito. A diferença da Tesla para as ‘grandes montadoras’ é exatamente essa. ela só produz depois de vendido o carro. É uma (R)evolução sem precedentes. e estão preocupadas sim, tanto é que estão fazendo seus próprios carros elétricos (vide a matéria). Se não evoluir e se adaptar, vai ficar para trás. E fica mesmo!

          • FrankTesl

            Não adianta. Luditas não precisam de argumentos. Só precisam de desculpas para fechar os olhos, tapar os ouvidos e ignorar a evolução.

            Da mesma forma que quem inventou a lâmpada elétrica não foi a indústria de velas, lampiões de óleo de baleia ou mesmo de iluminação à gás, não foi a indústria automotiva que melhorou as baterias, a despeito do carro elétrico existir desde o final do século XIX.

            A tecnologia de baterias usada nos primeiros elétricos ficou estagnada no chumbo ácido por mais de 90 anos, e só experimentou progressos não porque a indústria automotiva se mexeu e investiu, mas outra indústria que surgiu nesse período demandou novas tecnologias de acumulação de energia, no caso a indústria de telecomunicações e informática, que precisou de baterias melhores, menores e mais eficientes para os celulares e computadores portáteis a partir dos anos 80 e 90.

            Sem falar que novos materiais e tecnologias de baterias, associação com supercapacitores podem aumentar ainda mais a autonomia e reduzir os tempos de carga.

            Muitos se reconfortam em suas concepções estáticas e acabam superados sem nem mesmo se dar conta do que aconteceu.

            • Bruno Leite

              Luditas 😂😂😂 melhor voltarmos a charrete isso sim era cavalo real nao os 140 poneis do velloster

            • Nicolas_RS

              Queria entender o que tem de super-mega-ultra-master nos carros elétricos para ser o futuro ? Queria entender por curiosidade.

          • Nicolas_RS

            Hehehe, eu disse que essa tecnologia não é nova, então achar que pq agora está na moda e vai avançar igual um míssil é ficção, não foi utilizada por ser CARA, e até hoje é, nos EUA tinha subsidio de 7.500 dólares para esse carros e mesmo assim era CARÍSSIMOS. Sim você pode carregar 30 min se você quiser estragar a bateria, pois isso não é aconselhável, eles falam isso para vender , pq falar para o cliente que demora de 8 a 12h para carregar não é fácil.
            Eu não o sei o que vocês tem na cabeça para dizer que esse tecnologia é o futuro, pois é tão antiga quanto meu bisavô.

        • José Barbosa

          Nada impede que se desenvolva algum tipo de tecnologia no qual você fique conectado à rede nas vias principais, recarregando E andando à eletricidade (como um metrô), caso esta tecnologia se estabeleça. E, acredite, para uma ou duas viagens por ano (que é o que a maioria das pessoas fazem), você vai ter alternativas, como alugar carros à combustão ou outros meios de transporte. Na verdade, quando as pessoas perceberem o silêncio de um elétrico, o torque imediato, a “ausência” de câmbio, dentre outras vantagens, vai ser extremamente popular.

          • Nicolas_RS

            Cara, e se, e se, e se… está colocando a carroça na frente dos bois.
            Serio isso cara ? Usar um sistema tipo metro ? Não tenho palavras para descrever o que eu acho desse sistema, principalmente usado no meio da rua, metro até vai, mas para veículos sobre rodas de borracha não.
            1 – Silencio, os carros a combustão também são silenciosos, por exemplo o HB20 é difícil de escutar o motor quando parado ou em baixas rotações, também os carros elétricos por não emitir sons, tendem a aumentar os acidentes, órgãos dos EUA e Europa querem que seja obrigatório sons.
            2 – Existe carros automáticos a combustão…
            3 – Um Camaro/Mustang faz de 0 a 100 em menos de 5s e custam a partir de 25mil dólares, um Tesla S faz 2,4s e custa 70 mil dólares, sem contar que quanto mais rápido um carro elétrico menor é sua autonomia.

            • José Barbosa

              O silêncio é uma vantagem e, mesmo que tenha que emitir algum tipo de som, será muito inferior ao de um carro convencional, especialmente os antigos.
              Existem inúmeras formas: baterias extras, motor híbrido, postos de recarga, novas tecnologias de recarga rápida, trilhos ou carga por indução etc.
              Carros automáticos não resolvem o problema da transmissão, por completo,e têm o problema do torque.
              Sobre os custos, são incomparáveis. Um é um modelo que já chegou ao seu auge, outro é uma tecnologia que ainda está em desenvolvimento. Veja quem evoluiu mais nos últimos dez anos.

              Enfim, se você observar TODOS os seus deslocamentos, TODOS, verá que numa quantidade absurda deles vai caber dentro da autonomia de um carro elétrico.
              Se você anotar todos os custos de manutenção, idem.

              Hoje, boa parte dos meus deslocamentos são feitos via bicicleta elétrica. Tanto que aqui a gasolina já bateu em R$ 4,50 e nem me preocupou. Existe a possibilidade de usar a bicicleta à gasolina, cujo custo inicial do kit é significativamente mais baixo. Aliás, ele só existe por isto, já que: é muito mais caro de manter, é mais chato de “carregar”, pois preciso me deslocar a um posto de gasolina, tem muito mais manutenção, é barulhento, tem design limitado etc.

              • Nicolas_RS

                Cara… para com isso que está feio, tu está fazendo uma salada de fruta. O contexto para quem é a favor dos carros elétricos é “E SE”.
                1 – Bateria do carro elétrico é EXTREMAMENTE CARO.
                2 – Motor Hibrido não é 100% elétrico… (estou falando 100% elétrico).
                3 – Mesmo usando o modo “turbo” para recarregar remora 30 min e isso encurta a vida útil da bateria.
                4 – Trilho aéreo faz barulho e imagina o transtorno, pois cada veiculo tem uma altura, um Tesla S por exemplo teria que ter pelo menos 4 metros de um “pedestal” para alcançar os cabos elétricos que já existe em SP e imagina se tu sai da rota dos trilhos e vai passar por um viaduto ? Ai tem que baixar, e para entrar em estabelecimentos, problemas com arvores.
                5 – Problema de Transmissão ? Torque ? Que carro que tu dirige ? 1 – Nem sei o que falar 2 – Cidade não é um autódromo, um Tesla S e um fusca anda de lado a lado no transito de SP.
                6 – No dia a dia sim, mas como já disse, não é todo dia que se viaja, alem disso isso ira baixar em muito o preço da revenda. Quando era criança, eu e minha mãe tinha o costume de viajar de Curitiba a Canoas, 2 vezes ao ano, que demorava 9h em media o trajeto, com um carro elétrico demoraria pelo menos 2 dias para ir e mais 2 dias para a volta.
                Estamos falando de carros elétricos e não de bicicletas, e tu deve ser preguiçoso eim, usar bicicleta elétrica ?

        • Daniel

          Anote quantas dias vc precisou de mais de 400km de autonomia e daqui um ano avisa aqui.
          Sabia que existe um aparelho que vc pode colocar varias pessoas dentro e ele vai voando de um ponto a outro com velocidade média de 800km/h?
          Além disso existe um tipo de empresa alienigena que fornece pra vc carro por um periodo curto em troca de dinheiro? Assim, vc pode ter um e-up!, ou uma bicicleta, ou, talvez apenas um kichute velho pra usar durante o ano todo, e, no final do ano, quando vc vai feliz da vida visitar a sogra, vc pode ir nessa empresa alienigena e pagar para usar uma S10 ou Hilux por 10-15 dias ou mesmo um final de semana.

          Cara, de 1899 até hoje, mudou muita coisa nesse planeta azul! Vc pode consultar uma biblioteca pra ver!

          • Nicolas_RS

            Ou seja, precisa recorrer a outras tecnologias para suprir a incapacidade dos carros elétricos, já voei varias vezes de avião, mas você pelo jeito nunca, dependendo da época e urgência uma passagem aérea custa mais de R$1.000,00, por exemplo se tu pesquisar ai na Gol, Latam e Avianca para viajar do dia 16 e volta 20, custa no MINIMO R$450,00 e vai até R$7.500,00 ia multiplica por pessoa, chegou no destino terá que alugar um carro que é caro, por dia um HB20 na localiza sai em media R$70,00 e tem que pagar o combustível usado também, enquanto uma viagem de carro custa pouco menos de 150 reais, independente se for cheio ou com apenas 1 pessoa.

            Vamos ao cálculos para deixar bem claro para uma viagem de 2 pessoas.

            – Tecnologia Alienígena: As passagens mais baratas são a partir de 400 reais, + carro alugado, 70 reais. Resultado = R$ 1670,00 + comida no aeroporto que não é barato + combustível para a locadora.
            – Tecnologia dos homens da Caverna: 300 reais de combustível de ida e volta . Resultado = 300 reais mais comida.

            Nesse exato momento milhares de brasileiros e de pessoas no mundo estão viajando, o que seria impossível fazer com carro elétrico.

            • Daniel

              Desculpa ai… perdi alguma coisa no caminho… Uma viagem Curitiba-Porto Alegre custa 150 de carro? Custa 300 pra ir e 300 pra voltar demora 8h37 (só do trajeto, sem contar os pipi-stop, reabastecimento, etc) e vc vai percisar parar pra comer na estrada varias vezes, sem contar o risco de acidentes, pneu estourado, etc. De avião leva 1h de voo e ainda tem os “snacs organicos” e o “suco de laranja ou pessego”, que, num tempo tão curto, é totalmente desnecessário

              Agora, exceto se vc for um viajante frequente (que em aviao teria milhas e desconto, sem contar a praticidade), vc deve rodar uns 15mil km/ano só aí em volta do teu mundinho no dia a dia. Com o preço da gasolina a mais de 4 reais, e considerando uma média de 10km/l, vc vai ter um custo de PELO MENOS R$0,40/km apenas com gasolina. Ou, R$6000 reais no ano. O custo/km de um i3 ou Leaf é cerca de R$0,08/km ou, R$1200/ano para os mesmos 15mil km. Com os R$4800 reais de economia só de combustivel, vc compra as passagens sua, da mulher, da sogra, do papagaio e ainda não precisa ficar ouvindo da sogra que vc esta correndo muito toda vez que passar de 60km/h!

              • Nicolas_RS

                Cara na moral pare de falar coisas que não sabe, já fiz esse trajeto de carro e avião mais de 30 vezes. SEMPRE eu como alguma coisa no aeroporto para passar o tempo, e é CARÍSSIMO ! “”snacs organicos” ? Serio isso ? Tem um estabelecimento no RS que ao chegar sempre da uma pedaço de abacaxi de graça, só isso já da de 10 a 0 em todas as comidas no aviã (sem falar que agora estão querendo que pague). Não acontece acidente com avião ? Né ? Sim é muito mais seguro, mas existe imprevistos, como atrasar, esses dias atras eu li que no aeroporto de SP foram cancelados vários vôos por causa de um Drone, já teve casos que os passageiros ficaram mais de 4h dentro de um avião, tem desvantagem pros dois lados, ahm teve uma vez que eu viajei pela Avianca que tinha cheiro de ônibus,s em falar em criança chorando e gente porca que fica peidando.

                • Daniel

                  Eu acho que quem não sabe das coisas é vc.
                  Eu viajo frequentemente (tanto de carro, como de avião). E, são raras as vezes que como alguma coisa no aeroporto. E, quando faço isso é mais por gula mesmo, já que se eu não quiser, posso comer alguma coisa em casa antes de sair e dá pra chegar no destino sem morrer de fome. Já de carro, é mais complicado fazer isso (até pq minhas viagens longas são de pelo menos 750km) quase sempre tenho que parar pra almoçar ou jantar, e, como tenho algumas restrições a restaurantes oleosos, acabo tendo que parar nos mais caros, e dai, meu amigo… fica tão caro quanto uma boa refeição num restaurante de aeroporto.
                  Não adianta cara, avião é bem mais confortável, seguro e eficiente para viagens acima de 500km. Se não fosse, não existiria a ponte-aerea Rio-São Paulo e outras do tipo… (a viagem de carro ida e volta dá R$440 com 5hs de viagem cada trecho… de avião, acha-se passagem por 300 reais ida e volta com voos de 45min!).

                  Claro que tem situação que fica mais barato de carro, mas nem por isso tem que abolir os outros meios de transporte.

                  Hoje, pra mim (que viajo bastante!), um eletrico com autonomia de 300km atenderia muito bem para o dia a dia, mesmo que em algumas ocasiões eu precisasse alugar um outro carro e em viagens longas usar avião.

      • Diego

        Mesmo em curtas distâncias o carro elétrico ainda é limitado, nem mesmo onde existe um mínimo de estrutura a tecnologia ganhou força.

        • FrankTesl

          com carros elétricos oferecendo autonomias de 500 km, a única estrutura necessária para muitos motoristas seria unicamente a tomada de casa. Quem precisa ir de SP para Curitiba todo dia de carro sem nem parar para o banheiro, almoço ou mesmo um cafezinho continue com motor à combustão.
          Para quem dirige dentro da margem de autonomia de um carro elétrico, ir e voltar para casa não oferecerá problemas, e a recarga é feita de noite, com o carro sem uso. E mais cedo do que imaginam (ou querem? serão donos de postos com o mesmo pensamento dos ferreiros do século XIX?) haverá como recarregar em estacionamentos de prédios, escritórios, lojas etc.

          • Diego

            Se fosse dessa maneira esta tecnologia já estaria difundida a muito tempo, nem de longe aspira esse perfeccionismo.
            Primeiro de tudo, uma bateria não perdura por 5 anos com a mesma autonomia conforme os testes exaustivos feitos pela Renault com o ZOe, esse é o primeiro entrave, 2°, o que fazer com as baterias viciadas, não diga que tem empresas que querem essas baterias pois o mesmo argumento foi feito com o lixo radioativo da usinas nucleares, tudo utopia, o destino final foram as fossas abissais dos oceanos, 3° a energia para alimentar essas baterias vão vir de termoelétricas , usinas nucleares ? Fonte limpa de energia… Coloque o custo da energia, ( cara no Brasil ) não será de graça.
            Hoje o Zoe consegue em torno de 200km/h numa condição ideal sem trânsito caótico com ar condicionado no modo eco quase um ventilador soprando, isso no ciclo europeu que não tem o trânsito de SP, essa é a realidade e não a fantasia.

    • Diego

      Parabéns por não ser mais um no meio da multidão. Concordo plenamente com seu ponto de vista, carros elétricos é a maior ilusão da história aliado a interesses econômicos, o pior de tudo é que está sendo imposto e isso na Europa onde muitos cortejam como prova da essência humana.

      • th!nk.t4nk

        Bom, na cidade onde vivo tem carregadores públicos por toda parte. Faz o cadastro, passa o cartao e liga na tomada. Em cada totem dá pra carregar 2 carros simultaneamente. Nas empresas, universidades, shoppings e áreas de descanso também tem. Nos postos de gasolina da estrada, quase sempre tem um ou alguns destes totens. Sei lá, já vivo essa realidade de eletrificaçao e fico espantado com os brasileiros achando que nada está acontecendo, que é furada, etc.

    • Dherik

      Carro elétrico é o futuro. Pode ter alguns problemas ainda, pode demorar para se popularizar, mas não adianta torcer contra que, inevitavelmente, eles tomarão conta do mercado.

      • Nicolas_RS

        Carro elétrico é o futuro, que existe desde da época do meu bisavô…

        • Dherik

          Isto não é argumento, pois a forma como se aproveita, gerencia e armazena energia elétrica desde seu bisavô mudou muito e continua mudando. Anos atrás era impensável carros movidos a energia elétrica comercializáveis, e hoje é uma realidade. Cedo ou tarde tomarão conta.

          • Nicolas_RS

            Mudou, evolui e continua ruim, afinal você encontra alguém no mundo elogiando a autonomia das baterias de lítio ? Tu acha que com os carros vai ser diferente ?

            • Dherik

              Baterias evoluíram e continuam evoluindo também. Há autonomia, oito anos atrás, dos carros elétricos não passava de 200 km. Hoje, já fazem 500 km (https://www.noticiasautomotivas.com.br/volkswagen-considera-proximo-up-como-um-carro-eletrico/#comment-3612978885) e provavelmente farão 1000 km daqui 3 ou 4 anos (http://meiobit.com/327827/tesla-motors-carros-eletricos-terao-1000-km-de-autonomia-em-2017-segundo-elon-musk/)

              • Nicolas_RS

                Os a combustão também, os novos carros lançados em 2017 estão fazendo quase 16km/l. O Tesla S já faz 1.000 mil km a míseros 37km/h. Agora faz uma estimativa, Tesla S custando 700 mil reais, até que a metade do desempenho chegue aos carros populares…isso da uns 10 anos, sendo otimista.

                • Dherik

                  A indústria automotiva começou a investir em motores elétricos na última década e temos uma evolução impressionante e sem comparação (200, 500 e logo 1000 km de autonomia) e nem fazemos ideia do que pode vir. Os motores a combustão existem a décadas e evolui muito menos (creio que há um limite teórico), por isto todas as montadoras investem em motores elétricos.

                  Se acostume também com a ideia de não precisar mais dirigir seu carro. Os carros autônomos virão logo em seguida.

                  • D136O

                    Desculpa, mas motores elétricos são desenvolvidos desde que surgiram, a tecnologia dos carros elétricos vem de motores industriais.

                    • Dherik

                      Sim, está correto. Mas citei apenas a indústria automotiva

    • Djalma

      Marchionne disse a mesma coisa e agora teve que engolir; vai correr para recuperar o tempo perdido.

  • Novaess GTO

    Os europeus e americanos sempre comentaram sobre porquê o SP2 nunca foi lançado pra eles…seria uma boa opção uma releitura como elétrico com perfil esportivo!

    • thi

      Seria epico . Mas acho q Sera so uma lenda eterna

    • Lorenzo Frigerio

      Não passaria pelas normas de segurança deles; ademais, a mecânica era tosca e o desempenho era fraco.

      • Uranium

        Que norma de segurança o que… Estamos falando de 1970 meu filho. Fusca e Kombi eram vendidos aos montes tanto nos EUA quanto Europa, idênticos aos VW brasileiros até então, inclusive usando a mesma mecânica e tendo mesmo desempenho do Brasil. Muitos anos depois é que foram aparecer motores a ar 1.9 e 2.0…

        • Lorenzo Frigerio

          Ora, Fusca e Kombi eram mais velhos que as próprias normas… e a mecânica era melhorada.

  • Hoffmann

    O up! é mico no Brasil e mico na Europa. Nem lá, que tem um apetite voraz por microcarros, ele vende bem, podem colocar os pregos no caixão logo e preparar o funeral.

    • leandro

      E leva o Mobi junto

  • Diego

    Aqui no Brasil é questão de tempo para sair de linha, mas não pelo produto e sim pela montadora acreditar que este produto é o melhor vendido na sua categoria quando não é, existem encalhados versões 16/17 nas concessionárias, hoje o compacto está em 29° lugar e caindo com os constantes aumentos. Eu tenho um UP! a manutenção é cara, o que vc poupa com combustível gasta com manutenção, peças não são vendidas por boas marcas independentes, nesse quesito o Ônix ganha de lavada, é inseguro, mas olhando a realidade do brasileiro é o que da para pagar, simples assim para definirmos a liderança.
    Agora acreditam que com aquele capado Polo tem alguma chance de se tornarem líderes do mercado, piada, caro pelo que custa e com a mesma pretensão de ser o melhor do seu segmento, GM manda lembranças.

    • Dherik

      Tenho um up! e discordo. A cesta de peças do up! é uma das mais baratas. A cesta de peças do Onix custa mais que do Peugeot 208: https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/up-e-o-carro-mais-facil-e-barato-de-consertar-veja-ranking/

      Onix vende mais porque é mais bonito, tem telinha com preço bom e os preços de venda são melhores. O resto é detalhe.

      • José Barbosa

        Cara, você leu a metodologia? Não é uma cesta de peças, e sim reparabilidade. Que é uma coisa completamente diferente, pois considera uma batida hipotética e quanto custaria para arrumar. É o tipo de coisa extremamente subjetiva e casual, que finge ter um caráter científico, mas não o tem, pelo menos não sem outros parâmetros importantes, como dados obtidos a partir das seguradoras. Manter o Up tem o mesmo custo, senão maior, que um Ônix, cujas peças são ridiculamente fáceis de se encontrar e abundantes no mercado. Qualquer mecânico bota a mão e sabe o que está fazendo, já errou lá atrás com celta, corsa etc. Nem na reparabilidade vale a pena, posto que o seguro do Up é mais caro que o do Ônix.

        • Dherik

          Vou repetir o que disse para o colega do outro comentário:

          “Não é só esta revista. Procure no Google sobre este assunto, deixo aberto para você procurar em qualquer lugar, qualquer revista, qualquer site. O Onix não aparece em um nenhum “top 10″ dos mais baratos de se manter.” E complementando: o up! normalmente aparece como o primeiro ou segundo colocado.

      • Diego

        Essa revista está totalmente enganada, minha namorada tem um Onix, eu levo o veículo no mecânico ( independente – não é concessionária ) A começar que não trocam a minha correia dentada, tem que ser em alguém com conhecimento, existe ferramentas para deixar o carro no ponto, outra coisa é o valor das peças, Mil Reais que eu já cotei, fora a mão de obra, no Onix fica pouco mais de 139 Reais, não tem que ter ferramentas especiais, isso é um exemplo, poderia citar vários outros como a carcaça da válvula termostática, filtro de óleo ( R$ 40 up e R$ 13,90 ônix )…
        Pug 208 mais barato que o Ônix ?muda suas fontes de informação, pois esta é totalmente fora da realidade.

        • Dherik

          Não é só esta revista. Procure no Google sobre este assunto, deixo aberto para você procurar em qualquer lugar, qualquer revista, qualquer site. O Onix não aparece em um nenhum “top 10” dos mais baratos de se manter.

    • José Barbosa

      O Up não deu certo em nenhum lugar no mundo. Mostrou-se um grande tiro nágua da VW, que planejava com ele e outros projetos tornar-se a maior montadora do mundo. Assim é o mercado: você tenta inovar, às vezes acerta, noutras não.

  • FrankTesl

    Luditas trolls são trolls luditas

    • Bruno Leite

      Pois é. Não adianta. Hoje já é realidade não ter nem motorista dentro do carro, e o pessoal conservador ainda ta defendendo a os motores a combustão. Evolução natural gente. Tenho medo de não ser troll e ser burrice mesmo. :-P Caso perdido.

  • FrankTesl

    https://youtu.be/Gb_i4ihsJ1w

    New data suggests Tesla batteries last up to 25 years. In this episode,
    we’ll be diving into this data and seeing how it translates to owners.

    Back in April, I shared data on Tesla battery degradation. Since then,
    Tesla owners have been measuring and sharing their battery degradation
    data – and the results have been surprising. Tesla owners who
    contributed to this data first drained their EV batteries down to 0%,
    then charged fully them to 100%. This is to get a consistent measurement
    on how much energy a battery can hold.

    Despite the data, many people wonder why lithium-ion batteries in phones
    and laptops can barely hold a charge after a few years, while
    lithium-ion EV batteries don’t suffer the same fate. Well, according to
    lithium-ion battery cells studies, after 500-800 charging cycles and
    100,000 to 150.000 miles a battery’s charging capacity drops to around
    70%. However, most EV owners don’t typical drain their batteries to 0%
    or 100%. This increases the battery life significantly. Based on study
    estimates, owners who practice partial charging generally see
    degradation after 1,200-1,500 charging cycles and 350,000 miles of life.

    Because study data on EV battery life is limited, the data provided by
    real owners, as mentioned above, is much more valuable. It is important
    to note, charging habits are not the only contribution factors to
    battery life as factors like temperature and usage patterns also play a
    role.

    As stated, most owners don’t typically run their batteries to 0%, and by
    default a Tesla battery stops charging at 80%. This is to reduce
    battery strain.To even further reduce battery strain, Tesla may limit
    Fast Charging speeds. All of these factors combined are Tesla’s
    safeguard to help protect your vehicle, ensure you have a great
    experience with your luxury EV as well as allow for an expansive
    lifespan (unlike phone and laptop batteries).

    In running some regression analysis on the user-provide data, I found
    that there was some high volatility. This is likely due to the factor
    that the data is user-reported, and it is not being measured in a
    controlled environment.

    When Eindhoven University of Technology Systems and Control Professor,
    Maarten Steinbuch, looked at this data, he found that “on average the
    batteries have 92% remaining at 240.000 km. If the linear behavior would
    continue, then the ‘lifetime’ (still 80% capacity left) can be
    calculated as follows: 92-80 = 12% times 45,000 km = 540,000 km.”

    I also looked at another studied from YouTuber and battery aficionado
    Jehu Garcia. He tested some early Tesla batteries and found that without
    use, batteries degraded at about .35% per year. Which means, after
    about 285 years, these batteries will be almost completely dead.

    Working with the figure that batteries will retain more than 80% of
    their capacities for up 310,000 miles and considering that the average
    US drives about 13,5000 miles, on average, a Tesla battery does not need
    replacing for around 23 years.

    The point is, by the time your Tesla battery wears out, we’ll be in a
    totally new world – and likely won’t even be driving ourselves anymore.
    In fact, Elon Musk recently stated that he thinks in 20 years we won’t
    even have steering wheels in cars.

    So, when it comes to the lifespan of your Tesla battery, rest easy. It will likely outlast the rest of your car.

  • FrankTesl

    Quando muitos insistem em repetir os velhos chavões luditas, se esquecem de que tudo muda, e algumas coisas mudam tão rápido que eles ficarão serão “pegos de calça curta com a brocha na mão” enquanto insistem nos velhos chavões anti carro elétrico…
    https://electrek.co/2016/06/06/tesla-model-s-battery-pack-data-degradation/

    ‘Lithium’ battery capacity degradation is one of the main concerns of
    electric vehicle buyers and potential buyers. Since the resurgence of
    electric cars is relatively recent, meaningful long-term data on large
    battery packs is fairly rare. Only Tesla has battery packs with a
    capacity higher than 30 kWh on the road in any significant number and
    they only have been in operation for a few years (Roadster aside).

    But a few Tesla owners have accumulated impressive mileage on their
    vehicles and the data provides an interesting look into potential
    battery capacity degradation.

    The electric vehicle advocate group, Plug-in America, is always
    independently gathering data on Tesla vehicles, especially through its Model S Survey.

    The organisation added a few entries in the past months and now has
    data on close to 500 Tesla vehicles with a total of over 12 million
    miles driven.

    Data shows that the Model S’ battery pack generally only loses about
    5% of its capacity within the first 50,000 miles and then the
    degradation significantly slows down with higher mileage. Plug-in
    America’s data shows several vehicles with over 100,000 miles driven and
    less than 8% degradation.
    Here’s the chart for reported battery capacity versus miles driven for each of the vehicles in the Model S survey:
    https://electrek.files.wordpress.com/2016/06/tesla-battery-degredation-plugin.png?w=819&h=497
    https://electrek.files.wordpress.com/2016/06/tesla-battery-degredation-plugin.png?w=819&h=497

  • FrankTesl

    só imaginem a cabecinha dos luditas e catastrofistas em geral quando se fala para eles de microgeração distribuída, grid tie, smart grid, tarifação diferenciada por horário, melhor potencial de aproveitamento da rede, que por ser projetada para atender o pico de consumo, que ocorre por uma fração muito pequena do dia de maneira muito intensa , obriga a rede de distribuição a ser projetada e implementada de forma extremamente superdimensionada em comparação às demais horas, especialmente a madrugada, e todo o potencial de mudanças que a motorização elétrica e a geração distribuída de energia pode proporcionar pelo melhor aproveitamento dessa estrutura…

  • Márcio

    É triste ouvir esses rumores sobre o up, carro é tão bacana. Se ficar de fato somente o e-up no Brasil vão acabar com o up.

  • zekinha71

    Já faz uns 5 anos que apresentaram o Taigun e ele continua com o desenho atual e lindo, se tivessem lançado ele a história teria sido bem diferente, é só ver que é suv pra todo lado.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend