*Destaque Elétricos Esportivos Híbridos Mercado Volkswagen

Volkswagen e-Golf e GTE chegam ao Brasil em 2018 – Alemã investirá US$ 40 bilhões no segmento

e-Golf-2017-2 Volkswagen e-Golf e GTE chegam ao Brasil em 2018 - Alemã investirá US$ 40 bilhões no segmento

A Volkswagen decidiu partir para a eletrificação no Brasil. Após circular com o híbrido Golf GTE sem dar sinais de seu lançamento no país, agora a montadora alemã enfim confirmou que irá vende-lo por aqui a partir de 2018. Mas, o esportivo de baixa emissão de CO2 não estará sozinho. A empresa também anunciou que a versão elétrica do modelo, o e-Golf, também virá.



A proposta da montadora não é somente para o Brasil, mas também Argentina e possivelmente Uruguai, citado por Pablo Di Si, novo presidente da VW para a região, durante a apresentação do Volkswagen Virtus 2018. A nova ofensiva faz parte do plano da montadora para voltar a ser líder no país e também para atingir vendas de 800 mil unidades por ano no Brasil até 2020.

Após perder a liderança no Brasil durante muitos anos, a Volkswagen parece agora decida a fazer de tudo para voltar ao topo, hoje ocupado pela GM e, durante muitos anos, pela Fiat. Para mover a roda em direção ao objetivo, a VW terá 20 lançamentos no país, sendo treze feitos aqui e dois na Argentina. Ou seja, cinco serão importados.

Ainda não se sabe como a VW lidará com a falta de infraestrutura para carros elétricos no Brasil. O BMW, por exemplo, teve de adicionar a versão do i3 com gerador a bordo, a fim de que os clientes não ficassem sem energia no meio da rua. Todas as demais marcas, apostaram nos híbridos, sejam eles comuns ou plug-in.

golf-gte-2018 Volkswagen e-Golf e GTE chegam ao Brasil em 2018 - Alemã investirá US$ 40 bilhões no segmento

O e-Golf tem motor elétrico de 136 cv e baterias de lítio de 35,8 kWh, que proporcionam autonomia próxima de 300 km. O hatch médio tem consumo energético de 12,7 kWh a cada 100 km. Equipado com rodas de liga leve aro 16 polegadas e pneus de baixa resistência à rolagem, o elétrico da Volkswagen tem uma infinidade de opcionais na Europa e aqui deve oferecer um pacote bem completo, por conta de seu preço. Na Alemanha, ele parte de 35.900 euros.

O outro destaque é o Golf GTE. O esportivo híbrido plug-in da gama, vem com motor 1.4 TSI de 150 cv e um elétrico com 102 cv, mas  a potência combinada fica em 205 cv. O modelo tem ainda um câmbio de dupla embreagem com sete marchas. Com tudo isso, o esportivo vai de 0 a 100 km/h em 7,6 segundos e atinge máxima de 222 km/h.

O Volkswagen Golf GTE utiliza baterias de lítio que podem ser recarregadas em pouco menos de quatro horas e pode rodar até 50 km apenas com eletricidade. De forma combinada, os dois motores garantem ao esportivo, autonomia de pouco menos de 950 km. O consumo médio combinado é de 62,5 km/litro. Os preços começam em 36.900 euros na Alemanha. A emissão de CO2 é de 36 g/km.

Em nível global, a Volkswagen anunciou um mega investimento de US$ 40 bilhões para acelerar a introdução de carros elétricos, autônomos e serviços de mobilidade até o ano de 2022. Há dois meses, a empresa havia anunciado US$ 20 bilhões para carros elétricos e condução autônoma até 2030, mas a montadora germânica mudou os planos e vai gastar muito mais em menos tempo para alcançar a liderança global nos dois segmentos. Até o fim da próxima década, a empresa quer ter uma versão elétrica de cada um dos 300 modelos do grupo.

  • Cléber_V

    Bom, pra quem tava apostando que a VW ia tirar o Golf de linha aqui no br, felizmente (digo como proprietário de um TSI), com essa notícia, enterra essa teoria.

    • Guedes

      vamos ver os preços

    • André

      A pergunta era se a VW iria continuar produzindo o Golf no Brasil. Com o fim do Inovar Auto, estudou-se a possibilidade de voltar a importar, mas não parar de vender.

    • Christian

      TUDO depende do preço.

      • Daniel dos Santos

        Se na alemanha custa entre 35 e 40, e por la um A5 custa isso, ele chegara por aqui acima dos 200k

    • Marcelo Cordeiro

      Não enterra, apenas reforça a ideia de que o GOLF continuará no país, apenas em versões mais caras, como carro de nicho. Tenho certeza que a versão 1.0 Tsi tende a ser descontinuada, pois é muito cara. Acho que a situação do Golf vai piorar ainda mais depois do lançamento do SUV compacto da marca. Uma pena, um excelente carro!

      • Ernesto

        Tem certeza que a versão 1.0 TSi será descontinuada? O que leio é que a VW lançará o Golf 1.0 TSi com câmbio automático, que é algo que realmente falta ao carro.

        • Marcelo Cordeiro

          Certeza eu não tenho, mas dada as ínfimas vendas do modelo, a informação das pressões sindicais na Alemanha (querem que a nova geração do GOLF seja produzido apenas lá) e a própria propaganda do Polo como Mine Golf (que na versão topo de linha supre os equipamentos do GOLF 1.0 TSI), tal conclusão parece se confirmar a cada dia. Acho que a depender do desempenho do futuro T-ROC, a VW pode abrir espaço na fábrica para produzir o SUV e optar por trazer, importado, apenas o GOLF GTi e GTe, notadamente com a redução das taxas de importação, após o fim do inovar auto.

          • Ernesto

            Marcelo Cordeiro, a versão top do Polo não supre os equipamentos do Golf 1.0 TSi. O Golf já vem com 7 air bags; ele pode ser equipado com teto solar, algo que não tem como opcional no Polo. Há também uma bela diferença nos materiais empregados nos dois carros. O que muitos comentam que falta ao Golf 1.0 TSi é o câmbio automático. Se no Polo 1.0 TSi tem (além de ter, é o único câmbio disponível com essa motorização), então por que a VW não poderá oferecer esse câmbio no Golf? Não vejo o porquê da VW tentar alavancar as vendas dessa maneira, oferecendo exatamente o que o mercado pede. Isso poderá melhorar sim suas vendas.

            • Marcelo Cordeiro

              Concordo com você. Eu torço bastante para que o carro não deixe de ser produzido por aqui e acho que a adoção do câmbio AT poderia ser uma esperança para melhorar as vendas ou – pelo menos – munir o hatch médio de atributos racionais para se proteger do “fogo amigo” que está prestes a vir com o lançamento do SUV T-CROSS. Não sei se o GOLF resistirá a ele! Aproveito para deixar minha indignação com relação a VW que aumentou em quase R$ 4.000,00 o valor do GOLF TSi. Sei disso porque rodei várias concessionárias e via o carro a 77.000,00. Na semana passada, ví que remarcaram para quase R$81.000,00. Como podem fazer isto numa unidade 2017, praticamente em dezembro, com o modelo 2018 (já com facelift) pronto para ser lançado no mercado nacional? É pedir pra não vender mesmo! E olha que não dão desconto, pois cogitei não comprar o Polo e adquirir a versão de entrada do Golf, mesmo tendo consciência da mudança, mas a irredutibilidade do vendedor e gerente em termos de descontos no modelo, me fizeram desistir do negócio.

              • FabioH

                81K a versão confortline 1.0 MT?

              • Ernesto

                Marcelo Cordeiro, não sei se você é de São Paulo, mas eu acessei o site da VW e lá tem um link para ofertas. Neste link você encontra o Golf Comfortline 1.0 TSi por R$73.690,00. De tabela, verificando no configurador, ele está por R$78.689,00. Acredito que você esteja vendo o carro com algum pacote de opcionais, certo? E provavelmente o carro que você está vendo, a concessionária reduziu o desconto dado a ele.

                • Marcelo Cordeiro

                  Ernesto, sou de Salvador-BA. Aqui está por R$ 81.882,00, na promoção da Black Friday, o site da montadora mostra que estava por R$ 75.990,00, mas a unidade já teria sido vendida. Detalhe, era a versão básica, segundo o anúncio!!!!

                  • Ernesto

                    Preço bem diferente daqui de São Paulo…

          • FrankTesl

            os carros elétricos já são isentos de IPI, e os híbridos são tributados por IPI reduzido

  • Ricardo Blume

    Briga boa com o Prius pela frente. Quem sabe, começando uma concorrência no mercado de elétricos/híbridos, este segmento se desenvolva no país e decole de vez.

    • leandro

      O Golf proposto é mais interessante que o Prius pela autonomia elétrica bem maior, esse GTE no preço de um Prius seria meu carro com certeza… Se meu gasto com gasolina cair pela metade já paga o financiamento para esse carro mais caro.
      Uma pena, mas todos já imaginamos que será bem mais caro que o Prius

      • Ricardo Blume

        Conhecendo bem a política de preços da VW, diria que não será nada barato, talvez custando bem acima da concorrência. Uma pena.

  • BillyTheKid

    Ainda que eu goste bastante de carros elétricos, não posso negar que gostaria de ter um Golf GTI, nem que fosse só por alguns meses. Por isso eu gosto do GTE; ele é plug-in, então dá pra andar só na eletricidade durante a semana, tem desempenho similar ao GTI e ainda por cima ele tem um motor à combustão que faz barulhos quando pisa no acelerador, pra felicidade dos pilotos de corrida!

    Em contrapartida, o fato de ter dois tipos de motores significa mais peças no carro pra fazer manutenção e que podem dar problema. Além disso, lá fora ele custa uns 20% a mais que o GTI, então acho que será um carro raríssimo nas nossas ruas.

    • Lucas g.

      Mas, teoricamente, o motor elétrico exige bem menos manutenção que um a combustão.
      Porem, acredito que por ser novidade, o preço seria alto de todo jeito.

    • Na verdade tem um mito quanto à manutenção dos carros híbridos. Não cai nessa não. A manutenção preventiva dos híbridos é praticamente a mesma dos seus pares a combustão. Porém os híbridos exigem bem menos do motor a combustão e geralmente não os utiliza em situação que maior desgaste, por exemplo nos anda e para dos engarrafamentos e semáforos, o que reduz quebras e prolonga a vida útil. Exigem bem menos dos freios, devido ao sistema regenerativo, que prolonga a vida útil de discos e pastilhas. E, normalmente, têm uma transmissão mais simples e com menos peças (veja a do Prius, por exemplo), com menor possibilidade de quebra. Motores elétricos, controladores, e baterias têm garantias muito maiores que dos demais componentes (8 anos ou mais), o que já mostra a confiabilidade dessas peças. Por isso, na prática, o usuário desses veículos irá passar bem menos tempo em oficinas.

  • Jeancarlo Ribas

    O consumo médio combinado é na faixa dos 24 km/l. A máxima autonomia por litro sim, gira na faixa de 62 km/l. De qualquer forma é o carro ideal para o Brasil, tirando o preço que será um estupro…

    • Pedro Neto

      o carro ideal para o Brasil seria um hibrido a etanol apenas. até 60km só elétrico e a partir daí motor a combiutão com etanol

  • Jesse James

    Com o preço do combustivel no Brasil, esse Golf GTE sera uma baita economia colocando os custos na ponta do lapis!

  • Jimmy Rustler

    Por que sempre querem trazer os modelos elétricos mais caros? Que tal o e-up? Classe alta querendo economizar em combustível é quase irrelevante.

    • th!nk.t4nk

      Cara, eu acho que é desova. Nem mesmo aqui na Alemanha esses modelos da matéria fizeram sucesso. Creio que a ideia internamente seja valorizar a marca, pra mostrar do que sao capazes. Mera propaganda.

    • O e-up não traria vantagem econômica para o consumidor que procura economia de combustível, uma vez que o up já é um carro muito econômico e seria difícil para o consumidor urbano comum pagar a diferença de preço com a economia de combustível. O Golf tem mais apelo, racional e emocional, para o consumidor de alta renda, pois a VW terá que focar no consumidor que procura baixos níveis de emissão, novidade tecnológica e maior conforto dos veículos elétricos e estarão dispostos a pagar mais por isso.

  • FrankTesl

    poderiam fazer uma versao TS-e, com 1.0 TSi e motor elétrico.
    e também o e-Up

  • Vinícius

    Não é por nada, mas se não vende nem com motor flex, pq venderia elétrico e bem mais caro? Acho que mercado de veículos elétricos no Brasil é perda de tempo e dinheiro nesse momento, um país o consumidor conhece pouquíssimo sobre carros e não é nada exigente. No mais, acho legal que a VW esteja bastante agressiva para retomar a liderança no país, com certeza ótimos produtos virão , como exemplo do Polo e do Virtus, que por mais que sejam um pouco mais caros que Gol/Fox/Voyage, são bem superiores ao que tínhamos até então estruturalmente falando e versões mais completas.

    • thi

      Cara o golf no brasil he vitrine de tec pra vw,a propria vw nap quer volume ,ta muito na cara

  • Rodrigo

    Chutando baixo, R$150 mil o GTE e R$180 mil o e-Golf (Isso se ela não traze-lo no formato leasing igual nos EUA).

    • Anderson Lemos

      Aí fica a pergunta; quem paga próximo de 200 mil num carro, está preocupado com consumo??

      • Rodrigo

        Acho que a questao nao é o consumo, mas sim a tecnologia, invocação e exclusividade de ter um modelo diferentão que todo mundo aponta na rua.

        • Anderson Lemos

          Sei não… Acho q procurar exclusividade em um golf seria uma contradição, já que para 90% da população seria apenas mais um golzão. Por 200 mil consegue-se adentrar no mundo Jaguar onde se tem uma pitada de exclusividade!!

          Ex: um rs3 por um terço de milhão é apenas um a3 encorpado para 99% da população.

          Aí, voltamos lá no início da discussão, vc teria apenas um golf econômico!!!

  • Bruno Costa

    Acho que um Polo/Virtus híbridos venderiam melhor, mesmo que viessem na faixa dos médios (80~90 mil).

    • Rodrigo

      Kkkkk por esse preço no máximo um daqueles xinglings elétricos

  • afonso200

    querem chegar a dominar as vendas de nov, kkkkkkkkkkkkkkkk, como vendendo hibridos e eletricos de 130mil pra cima pras “massa” ou seja o povao

  • No_Name

    http://m.folha.uol.com.br/mercado/2017/11/1936365-proposta-da-fazenda-eleva-imposto-e-tira-vantagem-do-carro-popular.shtml

    Olha o que o Ministério da Fazenda quer fazer. Passar o IPI de todos os carros para 25% e dar descontos entre 10 a 15% se estes obedecerem alguns critérios. Ou seja, os 1,0 que hoje pagam 7%, pagarão no mínimo 10%, mas na prática será 15% porque não haverá um carro sequer que alcançará todas as metas estipuladas pelo governo. Agora os populares de entrada chegam a R$ 50 mil!!!

    • Felippe2010

      pelo andar da carruagem, eu ainda vou passar mais 6 anos com o meu Fiesta kkk

      • No_Name

        Se quiser comprar tem que comprar agora, porque se passarem a calcular o IPI dessa forma os carros vão subir bem.

  • oloko

    Pena vai ser o preço desses carros aqui, se custa 36 mil euros lá, esse carro vai custar uns 200 mil aqui.
    De 2 uma, ou a vw faz que nem no lançamento do golf aqui, ou pelo fato de não ter a mínima estrutura para carros eletricos aqui, já vão meter a faca mesmo pra vender pouco e ganhar muito

  • Leonardo Carneiro

    o ideal seria fazer um híbrido q não precisasse ser plugado. o motor a combustão fazer a recarga da bateria, assim como no ford fusion (que funciona exclusivamente na bateria até os 100km/h)

    • Jeancarlo Ribas

      O Golf GTE é assim. Ele tem 4 modos, sendo um deles o modo de recarga da bateria. O carregamento na tomada é um plus.

  • Isaac Ferreira Santo

    Fico imaginando os precinhos…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend