Volkswagen encerra produção do Passat na Alemanha

Volkswagen encerra produção do Passat na Alemanha

A Volkswagen encerrou a produção do Passat na Alemanha, mas somente do modelo sedã. Existente desde o início dos anos 80 como um sedã, o clássico germânico deixa as linhas de montagem em Endem, mas não completamente, visto que a Passat Variant continua sendo fabricada.

A decisão da VW de encerrar a carreira do Passat Sedan se baseia nas fortes vendas da Variant, assim como do Arteon, também feito em Endem. Assim, este último acabou por gerar um fogo amigo contra o modelo vendido aqui por décadas.

Na realidade europeia, o Passat Sedan era um dos últimos três volumes ainda em produção regular, diante dos liftbacks, que dominam a paisagem do continente, como seu primo Skoda Superb, por exemplo.

Volkswagen encerra produção do Passat na Alemanha

Ter um porta-malas destacado do habitáculo foi a solução da VW para o Passat entrar definitivamente no mercado americano, onde foi vendido como sedã Quantum no começo dos anos 80.

Por aqui, a primeira geração sempre foi um fastback, mas em 1984, o Santana chegou para dar continuidade ao Passat, convivendo ambos até 1988.

Volkswagen encerra produção do Passat na Alemanha

Somente nos anos 90 é que o Passat Sedan chegou finalmente ao mercado brasileiro, na terceira geração, mas ainda convivendo com a segunda atualizada (Santana 2000). De lá para cá, todos os sedãs do modelo foram vendidos aqui.

O fim do Passat Sedan não significa que o produto irá morrer definitivamente por dois motivos. O primeiro é que ele continuará a ser vendido na China e na carroceria maior do projeto NMS II.

Volkswagen encerra produção do Passat na Alemanha

Segundo é que a proposta de estilo do modelo ressurgirá num fastback elétrico da família ID, sendo chamado ID.7.

Este modelo já roda com quase nenhuma camuflagem na Europa e é essencialmente um Passat fastback, como o original de 1973. A Variant também terá continuação na família ID.

Volkswagen encerra produção do Passat na Alemanha

O resgate do produto que chegou aqui um ano depois, mostra que a VW não se esqueceu de seu primeiro carro “próprio” movido por um motor refrigerado a água. Em 1970, o K70 foi o primeiro VW a água, mas era um projeto da NSU.

[Fonte: Autocar]

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.