*Featured Esportivos Hatches Test Drive Volkswagen

Volkswagen Golf 2019: Impressões ao dirigir

Volkswagen Golf 2019: Impressões ao dirigir

Demorou, mas chegou. O Golf 2019 para o Brasil finalmente está atualizado como na Europa, pelo menos nas mudanças básicas que foram executadas para o mercado do velho continente. O best seller da VW – que chega com preços a partir de R$ 91.790 – com mais de 34 milhões vendidos, adota um visual mais sofisticado com o conjunto ótico dianteiro e traseiro repaginado e com LEDs, assim como protetores frontais e posteriores redesenhados. As propostas visuais agradam, especialmente no GTI com a nova cor Prata Snow, que mais parece um branco perolado.


Volkswagen Golf 2019: Impressões ao dirigir

De todos, logicamente, o Golf GTI é o que chama mais atenção, não só pelos detalhes em vermelho, mas também pelas rodas de liga leve aro 18 com linhas bem arrojadas, enquanto o acabamento interno vem com o xadrez clássico, além de volante de fundo chato e bancos esportivos envolventes. O ambiente todo preto inspira velocidade. Nas outras duas versões, o visual ficou bem interessante com as mudanças, que excluíram as saídas de escape, agora ocultas sob o novo para-choque traseiro.

Volkswagen Golf 2019: Impressões ao dirigir


Na traseira ainda, nada de nova nomenclatura como nos Polo e Virtus, o Golf 2019 é mais discreto e só tem a sigla TSI. Mas, como diferenciar os motores 1.0 TSI e 1.4 TSI? Basta reparar na cor vermelha das letras “I” (somente 1.0) e “SI” (somente 1.4). As rodas de liga leve tem bom aspecto nas duas versões (Comfortline e Highline). A tela de 8 polegadas da multimídia Discover Media é bem atraente e intuitiva, nem tão no que diz respeito ao navegador.

Volkswagen Golf 2019: Impressões ao dirigir

Volkswagen Golf 2019 – Impressões ao dirigir

São Paulo – O test drive ocorreu na capital paulista em trecho inteiramente urbano, mas deu para acelerar “um pouco” o trio da gama do Volkswagen Golf 2019. Primeiro começamos pela novidade mais impactante, que é a versão Comfortline TSI com Tiptronic. O pequeno propulsor 1.0 TSI de até 128 cavalos cumpre muito bem seu papel, embora não tenha a mais força e arranque do 1.4 TSI, ele apresenta muita disposição e um ronco mais grave. Embora perceptível o funcionamento “tricilíndrico”, o som e o arranque empolgam.

O pequenino sobe de giro muito rapidamente e logo está em 5.000 rpm. Nas mais altas, obviamente, não dá para ser chamado de esportivo, mas pode botar alguns 2.0 litros para suar a camisa, sem dúvidas. Rodando mansamente, as trocas ocorrem entre 2.000 e 2.500 rpm, sem esforço.

Volkswagen Golf 2019: Impressões ao dirigir

Nas subidas íngremes, esqueça o esgoelar dos motores aspirados, pois este pequeno turbo sobe com vigor e fôlego de sobra e ainda a 2.000 rpm. São ótimos 20,4 kgfm, muito bem aproveitados pela caixa AQ250, que tem trocas suaves e na medida certa. Mesmo no modo Sport ou nas trocas manuais, o EA211 parece muito em casa e faz reduções pontuais e retomadas animadoras. O conjunto já era esperado há bastante tempo e agora faz o que era esperado.

No Highline 1.4 TSI, o EA211 de quatro pistões confirma mais uma vez que é um dos melhores motores do mercado, agindo desde uma condução bem frugal até uma pegada digna de esportivo, com direito a motor cheio nas reduções para que se pise fundo nas retomadas. O som é mais suave que no 1.0 TSI e, sinceramente, não empolga tanto, exceto pelo fato de ter mais músculos para fazer as rodas cantarem uma bela canção. São 150 cavalos e 25,5 kgfm bem medidos e o Tiptronic não estraga a brincadeira.

Volkswagen Golf 2019: Impressões ao dirigir

Por fim, o suprassumo do Golf desde 1976, o GTI é outro carro dentro do hatch. Basta entrar e puxar toda a coluna para perto dos braços para notar que há algo especial nesta versão, que vem com o belo cluster digital para completar a festa. O EA888 2.0 TSI agora está mais potente (230 cavalos ante 220 anteriores), mas a força de 35,7 kgfm se mantém. Com o DSG de seis marchas, o hot hatch começa os primeiros metros tão suave quanto uma brisa em modo Normal.

Mesmo nesse modo do dia a dia, basta uma pisada mais forte para que a cavalaria germânica empurre o Golf GTI com vigor, e nada de giro alto demais. No Eco, a frugalidade vai para o vinagre se o condutor esquecer de mudar de perfil e sentar a bota em uma pegada mais nervosa. Ele vai, mas dá para sentir muitos dos puros-sangues se retirando do campo. Ainda assim, bota a maioria bem para trás.

Volkswagen Golf 2019: Impressões ao dirigir

No modo Sport e com o DSG também em Sport, o GTI duplica seu poder como personagem de anime e vira um esportivo em tempo integral. Socos são sentidos fielmente e não pense em dar aquela saída rápida para mudar de faixa e sair da fila, que os pneus chamarão a atenção da vizinhança. A brutalidade anda lado a lado, mas é bem controlada mesmo assim, pois o handling é um dos melhores que existe e não dá para se perder facilmente… força e controle, agradecemos.

No geral, o Golf 2019 ficou bem melhor em proposta no 1.0 TSI, manteve o que tinha de bom no 1.4 TSI e deu um plus no que era elogiável desde sempre, o 2.0 TSI do GTI.

Volkswagen Golf 2019 – Galeria de fotos

Evento a convite da Volkswagen. 

Volkswagen Golf 2019: Impressões ao dirigir
Nota média 3.6 de 9 votos

313 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • Já começaram a aumentar os preços dos outros carros pro Golf não parecer tão caro. Só hoje já foi o Fiat Cornos e Kia Sportage. Ansioso pelos próximos aumentos. Podemos fazer um bolão aqui no fórum de quanto tempo a Toyota vai segurar os preços do Yaris.

        • Motor grande num compacto comum? Nem premium o carrinho é, e mesmo assim oferece 230 cv na versão de topo. Eu também prefiro carros maiores, mas daí a dizer que o Golf é capenga de motor, é forçar muito a barra.

          • o golf em nosso país antigamente era considerado um hatch grande, a versão principal dele era com motor 2.0… não sei se vcs se recordam…

            o posicionamento era mais ou menos o mesmo de hoje, mas o conteúdo dele era o que seria hoje um modelo de luxo… o seja, não adianta negar… nosso mercado andou sim para trás

            • Isso não acontece só aqui, é em qualquer país.
              O golf mesmo que desatualizado está praticamente igual ao alemão, e lá ele também oferece motores pequenos de baixa potência, inclusive menos potentes que os vendidos aqui.
              E comparando com as gerações passadas, o carro cresceu em tamanho e potência.
              E ele continua completo, pega o highline ou o gti, olha todos os itens de série e procura qual BMW ou Mercedes vem com pelo menos os mesmos itens, certamente não são as versões de entrada que tu vai encontrar.

              • na época que foi lançado, há 20 anos atrás, era o que havia de mais moderno… o 1.6 não era a versão principal, mas sim o 2.0… lembro que concorria com o Astra, que tmb era 2.0..

                mas ai é uma questão e gosto.. eu prefiro um 2.0 com meia válvula a um “1.0 ultramoderno”

                • Mas não faz sentido você preferir um 2.0 de 116 cv e 17 kgfm de torque ao invés de 1.0 Turbo de 128 cv e 20 kgfm de torque sendo que este último anda mais, bebe menos, polui menos.
                  Gostar de motor grande, tudo bem, mas não há nenhuma vantagem no EA 113 2.0 sobre o EA211 1.0 TSI no meu ponto de vista.

            • Qualquer carro que o motor não fosse 1.0 fazia sucesso antigamente. Tecnologia não existia no nosso mercado.
              Dentro da sua proposta, o Golf não deixa a desejar se comparado a modelos de Luxo ou premium.
              Vide MB e BMW de entrada, em itens de série e tecnologia são inferiores ao Golf.
              Se a 30 anos atrás a tecnologia era exclusiva de carros como BMW e MB, hoje não é bem assim.

          • É que se a materia fosse do super argo sporrrrrting, ele iria falar que era o melhor carro do mundo, ou tipo, excelente para o que se propõe.
            É assim, esses fieteiros da pra reconhecer de longe….kkk

        • Esse carrinho não permite motor “grande e potente”, senão não vai sair do lugar……rsrsrs
          Dentro das medidas e pêso dele, já tem mais do que suficiente.

        • Esse R. Rover é um tonto, rsss. “Gosto de motores grandes e potentes”. O que ele quer? Um 5.0 V8 do Mustang no golf? Ué, então compra um mustang e não um golf, simples, rsss. O golf mais potente agora tem 230 cv e custa 143 mil. O tonto do R. Rover quer um golf com motor do mustang? rsss. Pra que alguém vai fazer algo assim? É só comprar um mustang então ué, rsss. Seria como reclamar que Up porque ele não tem motor do golf, ou seja, ridículo, rsss. Se eu gosto de um carro com motor do golf, no preço no golf, então eu compro um golf, e não ficar criticando o Up porque ele não é um golf.
          “pouco espaço interno e motorização capenga, só o preço é razoável”. 143 mil é razoável? rsss. Falou o cara (R. Rover) cheio da grana querendo MOSTRAR

          • A pergunta é: O que está barato? O que dá pra comprar de melhor (falando de 0 km claro) na faixa de preço do GTI por exemplo? Aqui está tudo cara demais, falar de preço é chover no molhado e não se restringe a um modelo ou marca infelizmente.

            • No caso do GTi, apesar de caro, ele de fato praticamente não tem concorrente e se justifica o preço! A Renault ameaçou trazer o Megane RS mas nunca trouxe! Se trouxesse seria na mesma faixa de preços do GTi mesmo!

              Quando falei dos preços altos, me referi muito mais às 2 versões “civis”. Nesse caso, eu vejo o esquecido Peugeot 308 THP como uma opção muito mais interessante que os 2 VW. O interior dele é meio ultrapassado mas o desse Golf tb me pareceu (exceto o GTi)! O Peugeot “básico” custa 70mil e já traz o motor THP de 173cv e 24,5 de torque e o kit dignidade; o Griffe custa 90mil e vem bem completo (teto panoramico, multimidia, 6AB, ar digital, couro etc.)

              • Sim, concordo. O problema do 308 é que já está bem datado, o 1.6 THP é bom motor mas bebe um tanto muito devido ao peso do carro e a desvalorização e dificuldade de venda de Francês pelo preconceito que brasileiro tem é monstra. Eu mesmo, gosto dos carros da Peugeot, mas não arriscaria ter um dessa faixa de preço, pois o mercado é bem complicado. Fora que aqui na minha cidade nem CSS deles tem mais, são fatores que complica.

            • Por isto que eu procuro usado mesmo. Os salários pouco subiram se comparados aos preços dos autos.
              Dá pra achar muto carro bom por ai, falar que só novo é opção é muita ignorância.

    • Qual carro vc compra com 140 mil no Brasil com 230cv e 35 de torque?
      Na boa. Dá um exemplo.
      E se mexer de leve vai pra 300cv.

      Saquei esse teu comentário não? Rover.

        • Devido ao sobrepeso e câmbio com conversor de torque o Fusion tem desempenho e consumo pior que o GTI, e esse números grandes do powertrain desaparecem. Não dá para comparar os dois modelos, GTI anda bem mais. Fusion se revelou um projeto deficitário, foi descontinuado e abortado na matriz dos USA.

            • O amigo @@cludiomodesto:disqus disse:
              Qual carro vc compra com 140 mil no Brasil com 230cv e 35 de torque?
              Na boa. Dá um exemplo.

              Eu respondi:
              Fusion 248cv e 38kgfm torque, muito mais carro que o Golf, so um exemplo que você pediu.

              Rapaz pra que fui falar isso, despertei a fúria dos adoradores do Golf….kkkkkkkkkk
              Detonaram o Fusion todo, teve ate um que disse que estava no track e day e disse que o colega dele estava com o Fusion tomando pau do Sandero.

              • Não vou mencionar o link aqui, pois contém nossos nomes inteiros e o cadastro do carro.

                Mas enfim:
                Sandeiro RS: 2:16:585
                Fusion Ecoboost: 2:17:700

                Pra com carro com 100 cavalos a mais, é feio, não ?

                []s

          • Fusion e o Golf GTI fazem de 0 a 100km/h na casa dos 7 segundos, mesmo o Fusion sendo 60cm mais comprido e 300kg mais pesado, por ter um porte maior ainda consegue andar junto com o Golf, admito que o Golf tem a maxima maior, pois no Fusion ela é limitada eletronicamente.

            “Fusion se revelou um projeto deficitário, foi descontinuado e abortado na matriz dos USA”
            Depois dessa nem vou perder meu tempo.
            Voce ta “Serto”

            • MAS NEM nos seus sonhos mais lindos.
              Antes da 320i eu mantive por 3 anos em casa o Fusion Ecoboost 2013 e o Jetta 2.0 TSI (este ainda tenho).
              É um abismo a diferença de desempenho do Jetta pro Fusion.
              Sem contar que meu Jetta na estrada, andando manso bate 16km/l, a 320i bate 18km/l, e o Fusion quando fazia 11km/l eu comemorava.

              Sobre a dinâmica, há outro abismo na diferença.
              Estabilidade do Fusion é muito interior ao Jetta, traseira totalmente solta.
              Alias, no meu último Track Day, teve um carinha de Fusion lá, rs… não aguentava nem Sandeiro RS.

              E os freios do Fusion, também muitíssimo inferior.
              Não é a toa que ele é limitado a 195 km/h.

              Ah, lembrando que o GTI é MUITO superior ao meu Jetta, então a paulada é maior ainda.

              O Fusion é LINDO, super confortável, completasso, sobra espaço, revisões e seguro barato, e um dos melhores custos benefícios do Brasil…. mas falar que ele anda junto com um GTI… você não tem a menor noção de pilotagem.

              []s

              • Concordo.
                Golf GTI 220 cavalos:
                0-100 em 6,2 segundos (autoesporte) e 6,5 segundos (Carplace).
                Fusion 2.0T: 0-100 em 7,8 segundos (AE) e 7,9 segundos (Carplace).
                O GTI de 230 cavalos simplesmente enraba o Fusion.
                Deve fazer 0-100 perto dos 6 cravados.
                Melhor nem comparar em dinâmica então.

              • É outra proposta mesmo, o Golf é mais esportivo por natureza, o fusion é um carrão executivo pra conforto.
                Se compararmos só números fica estranho.
                Ótimo comentário.

              • Ford Fusion 0 a 100 km/h em 7,3 segundos (AE), meio segundo nao é muita coisa, sendo 60cm mais comprido e 300kg mais pesado
                revistaautoesporte. globo. com/Analises/noticia/2016/09/avaliacao – ford – fusion – titanium – awd.html

                • Golf GTI 220 cavalos Autoesporte: 6,2 segundos
                  Fusion 2.0T Autoesporte: 7,3 segundos

                  Ou seja, comparando AE vs AE, o GTI (220cv) é 1,1 segundos mais rápido.
                  Então o de 230 cavalos estraçalha mais ainda….

                  Pare de falar asneiras.

                • Meio segundo é uma eternidade, sim sr.

                  E carro vai muito além do 0 a 100… MUITO.

                  Novamente, Fusion é um puta de carro, fui muito feliz com o meu.
                  Compre um, se ainda não tem, e seja feliz.

                  Mas não tente sonhar que vai acomoanhar um GTI, rs …

                  []s

              • Tu foi infeliz no seu comentário, Fusion não toma pau do Jetta nem aqui nem na China, nem do tsi, muito menos do motor de Santana 2.0 de 120cv, o Fusion tem um andar mais linear, agregando conforto ao luxo, não quer dizer que ande menos, em relação ao Golf Gti, pode até andar menos, mas há de convir, que o Fusion é muito maior e bem mais pesado, Golf é bem leve por ser um compacto, não querendo te desrespeitar mas você parece ser um jogador de super trunfo e nunca dirigiu um Fusion, falar que já teve um é muito fácil
                Abs

            • Para, Fusion não anda mais nem que Jetta TSI quem dirá com Golf GTI.
              Proposta do Fusion é totalmente conforto, presença, elegância… em performance nem de longe se compara ao GTI. Os 248 cv do Fusion foram os cavalos mais anêmicos que já andei.

            • Golf GTI 16 de 220 cavalos:
              0-100 em 6,2 segundos (autoesporte) e 6,5 segundos (Carplace).
              Fusion 2.0T: 0-100 em 7,8 segundos (AE) e 7,9 segundos (Carplace).
              O GTI de 230 cavalos simplesmente enraba o Fusion.

              • Ford Fusion 0 a 100 km/h em 7,3 segundos (AE), meio segundo nao é muita coisa, sendo 60cm mais comprido e 300kg mais pesado
                revistaautoesporte. globo. com/Analises/noticia/2016/09/avaliacao – ford – fusion – titanium – awd.html

                • Golf GTI 220 cavalos Autoesporte: 6,2 segundos
                  Fusion 2.0T Autoesporte: 7,3 segundos

                  Ou seja, comparando AE vs AE, o GTI (220cv) é 1,1 segundos mais rápido.
                  Então o de 230 cavalos estraçalha mais ainda.

          • É isso mesmo, o sobrepeso, e eu tinha me esquecido que Fusion, por não ser voltado pra esportividade como o GTI é, tem essa porcaria de conversar de torque, que acaba com tudo, rsss.

        • Que não consegue acompanhar nem o Jetta 2.0 TSI que tem 28 kgfm de torque.
          Se comparar ao Golf GTI, fica ridículo…

          Golf GTI é uma pegada COMPLETAMENTE diferente do Fusion. Se é o caso, compara com o Passat.

          • Que eu saiba tanto o Fusion quanto o Golf GTI fazem de 0 a 100km/h na casa dos 7 segundos, mesmo o Fusion sendo 60cm mais comprido e 300kg mais pesado, por ter um porte maior ainda consegue andar junto com o Golf, admito que o Golf tem a maxima maior, pois no Fusion ela é limitada eletronicamente.

            • Não anda junto, leva um pau violento até de jetta, seja saindo parado ou retomando. No 0 a 100 leva até de Amarok V6, pra você ter ideia. É o carro de 240 cavalos mais lento que eu já vi.
              comprovações: qualquer veículo especializado que tenha aferido o desempenho dos três veículos citados.

              • FORD fusion AWD – 7,4s 0-100 km/h e os 1.000m em 28,3s (240cv e 1.689kg)
                Fonte: revista quatro r…
                Amarok acelera em 8s “conforme o fabricante”, sem chance.

                • Vai no canal do TSI//MT no YouTube, lá tem puxadas medidas no GTECH tanto de Fusion, Jetta TSI, Golf GTI, original, mexidos, lado a lado. O Fusion é MANCO.

                  • Tenho um Jetta Higline e tenho gente na família que tem Fusion. O Jetta é claramente superior, mas falar que o Fusion é manco, não é não meu caro, inclusive tem uma retomada excelente. Já comparei com Volvo T5 que também tem mais de 240 cv e achei o Fusion mais forte. O Jetta leva os dois fácil e o GTI leva os três.

                    • Amigo manco no sentido que quando você lê a ficha técnica é meio que “nossa, deve ser bem esperto, mesmo sendo pesado” mas aí e você anda e ele não passa isso. Entendeu?
                      E isso que você falou do Jetta e Golf eu já tinha falado, ambos andam bem mais que ele.

                    • Esse volvo T5 com 245cv só perde pro Fusion se o motorista foi um tetraplégico e cego de um olho, já tive Jetta TSI e o meu V40 T5 RD anda mto mais que o Jetta, quem dera qto ao Fusion, cuja o qual nunca foi páreo para o Jetta TSI que eu tinha, não sei qto ao Golf GTI, mas o T5 eu garanto que não toma toco nem aqui nem na China para um Fusion, tanto q o 0-100 do T5 é 6,3s….

                    • O T5 que comparei não é esse que vc falou, era o de 240 cv, e o Fusion era o FWD, que é praticamente 100 quilos mais leve que o outro. Os números são praticamente iguais, mas o Fusion tem mais torque, leva nas retomadas, ao menos foi o que percebi.

                    • Jetta é superior no 0-100 , velocidade final né? Conforto e espaço interno nao…

            • Não, voce esta errado.
              230cv na RODA no caso do Golf.
              248cv no MOTOR no caso do Fusion….
              porque isso? não sei, mas sei que basta colocar os 2 originais no mesmo dinamômetro que você vera essa diferença

            • Só falou besteira. Apaga que dá tempo.
              Golf GTI 16 de 220 cavalos:
              0-100 em 6,2 segundos (autoesporte) e 6,5 segundos (Carplace).
              Fusion 2.0T: 0-100 em 7,8 segundos (AE) e 7,9 segundos (Carplace).
              O GTI de 230 cavalos simplesmente enraba o Fusion.

              Favor pesquisar antes de comentar.

          • Mas a pergunta do cara foi somente em relação aos cv e torque! E a pergunta foi respondida! Ainda acrescento o esquecido Dodge Journey, que por 144mil tem motor de 280cv e 34,9 de torque! É ÓBVIO que não são a mesma proposta que o Golf e tem várias vantagens e desvantagens em relação ao mesmo! Mas são dois carros que na mesma faixa de preço tem NÚMEROS de motorização equivalentes!

          • Golf GTI 16 de 220 cavalos:
            0-100 em 6,2 segundos (autoesporte) e 6,5 segundos (Carplace).
            Fusion 2.0T: 0-100 em 7,8 segundos (AE) e 7,9 segundos (Carplace).
            O GTI de 230 cavalos simplesmente enraba o Fusion.

        • O Fusion não anda nem com o Jetta 2.0 TSi, que tem menos potência (211 cv) e torque (28,5 kgfm)!
          Fusion é um carrão, sem dúvidas, mas não serve para uma tocada esportiva. É um banheirão!
          A não ser que seja o Fusion Sport, que tem o V6 Ecoboost de 330 cv e 48 kgfm com tração integral. Ai a banheira vira um esportivo. Pena não o termos por aqui.

        • Concordo, maaas é outra categoria, certo? Até olhei aqui e se acha ele por 145 zero.
          O golf tá meio que só nesse páreo.
          O fusion é massa tmb, tô sempre de olho em 4WD.

        • Virou super trunfo. Estou quase convencido de que o Fusion perde pro Mobi nas retomadas. De qualquer maneira, a pergunta do Cláudio foi respondida. O resto é comparação de maçãs com laranjas.

        • O Fusion é uma boa opção, mas pra uma personalidade diferente do público padrão do Golf (GTi).
          O pessoal tem falado sobre as comparações e eu creio que em termos de performance, o Fusion não se compara ao Golf GTi. Considero o Fusion um carro de extrema presença, tecnologia e conforto, porém fica por aí, na sobriedade. O Golf é bruto, ágil, ao mesmo tempo econômico quando pilotado dentro dos limites de velocidade, e não vejo o que mais de conforto um carro nessa faixa de preço poderia oferecer ao interessado nesse tipo de carro. Falo de faixa de preço tratando da média de mercado atual, que não acho justa.
          Eu diria que o Golf e o Fusion não deveriam ser comparados.
          Outra coisa que posso dizer é que o GTi não se compara nem um pouco ao Jetta TSi nas configurações padrão de fábrica. Com modificações de perfomance, um pode chegar próximo do outro, mas original não. Só a programação da ECU original do GTi, já é muito superior ao Jetta, depois vem acerto de suspensão, aerodinâmica e etc.
          Não sou fã de nenhuma marca, gosto de carros, mas nessa categoria, eu garanto o GTi!

        • Tenho que concordar com quem diz que o fusion nessa potencia e torque que vc citou não anda igual o golf gti nem sonhando, independente de 220 ou 230 cv. E eu não sou ADORADOR de golf ou VW, porque pra ser chamado assim, considero que tem que gostar de golf há algum tempo, e eu dirijo e já tive vários carros desde antes do ano 2000, e nunca liguei pra golf. Mas ano passado resolvi comprar um golf gti, e não por ser golf, mas sim porque é o menor carro com melhor desempenho que dava pra eu comprar, e que tivesse concessionária na minha cidade (interior) pra ficar mais fácil de levar pra revisão, ou seja, tinha que ser das 4 grandes marcas. Tamanho pra mim não é documento. Se o fiat 500 abarth fosse mais rápido que o golf, eu teria comprado sem problema algum. Se lançassem um mobi, uno, up, mais rápido que o golf, pra mim estaria valendo, rsss. Ou seja, eu não queria o carro golf em si, o que eu queria era o desempenho dele, rsss. Sendo assim, não posso ser considerado ADORADOR de golf. Já cruzei na estrada com esse fusion que vc citou, mais de uma vez, e ele nunca conseguiu me acompanhar. Da primeira vez que cruzei com ele, nem percebi que carro era, mas de cara notei que não se tratava de um carrinho qualquer, rsss, e não andava como um carrinho qualquer, então resolvi pisar fundo pra ver que carro era e se andava mais que o golf. E não andou. Sei que o fusion que encontrei é a potencia e torque que vc citou porque memorizei a placa, pesquisei no sinesp, descobri o ano, modelo, versão, depois pesquisei no carrosnaweb (que faz uma ótima comparação de detalhes técnicos entre carros) e fiquei surpreso, pensando: “Caramba, o carro tem 28 cv à mais e também mais torque, e ele tava correndo, e eu consegui alcançar, passar, ele não conseguiu me acompanhar, e chegou num ponto que até desistiu porque sumiu do retrovisor de uma maneira que dava pra perceber que tinha desistido de acelerar mais fundo, rsss. Qual o problema com esse carro?”. Logo descobri, o seu PESO, rsss. Não adianta ambos fazerem 0 a 100km/h na CASA dos 7 segundos, pois NA CASA dos 7 segundos pode ser tanto 7,0 quanto 7,5 ou 7,9. Se a diferença for 0,5 segundos já é uma boa diferença na prática se colocar os dois pra andar juntos numa pista de uns 15 km de retas e curvas. Não consegue andar igual. Não diga que sim, porque não é verdade. Você pode até dizer: “Talvez ele não tenha pisado tudo porque não quis”. Por favor, rsss. A gente percebe quando a pessoa no outro carro está SE MATANDO pra conseguir andar mais que a gente. Ainda mais quando a pessoa desiste e de uma hora pra outra começa a sumir do retrovisor mais rapidamente do que antes, e aí você pensa: “Peraí, agora sim a pessoa NÃO ESTÁ MAIS PISANDO FUNDO, PORQUE ANTES ELA ESTAVA”.

  • Ótima matéria, descreveu fielmente a sensação de dirigir o Golf.
    Quem conhece a experiência dificilmente sai do excelente hatch.
    Preço do Comfortline mais atrativo que muito crossover aspirado pelado.
    Tecnologia, desempenho, estabilidade, segurança e dirigibilidade sem comparação.

        • Pois é, paguei 64 mil zero em 2015 manual, agora não paga menos que 110 mil no 1.4 Tsi. Mas não consigo trocar pois não acho nada parecido em dirigibilidade, motor e super econômico, meu faz 18Km/l na estrada e 14Km/l de média, seguro R$1600 e se vender não perco quase nada do valor.

          • Uma boa opção seria o Comfortline 200 TSI, números de 11/14 km/l(G), 8/10 km/l(E), consome mais obviamente, mas lhe poupa o uso do pé esquerdo com eficiência. Aguarde por promoções ou taxa 0, dirigibilidade e estabilidade do Golf é referência. Eu acho o design do Golf excepcional.

                • É, tem razão, Edson. Pensei em um negócio: você gosta bastante de seu Fluence e do nível de equipamentos que ele possui, né? Qual modelo hoje em dia o atenderia levando em conta que seu parâmetro é o Fluence? Eu sei que é uma missão meio complicada, rsrs.

                  • EXTREMAMENTE dificil.

                    Veja que curiosidade: O Civic Touring (vamos nos ater a versões de topo sem preços), esse sequer tem saida de ar para os bancos traseiros (tem sim na verdade: Mas sai por debaixo dos bancos, o Fluence tem essa saida, além da direcional na altura dos joelhos).

                    Além disso, não são todos os médios que retrovisor fotocromico. No fluence o funcionamento dos retrovisores externos que tem aquecimento (e ajudam numa chuva), o farol de xenon que alguns carros ainda não possuem (Cruze) e vc vai percebendo muito detalhe bom no fluence que falta nos medios.

                    Não preciso dizer pq não escolheria um Corolla né? Talvez, o que mais me aproxima dos itens que eu vejo nos médios falando de sedans é o Jetta 2.0 TSI e o Focus titanium+, outros sempre carecem de um ponto ou outro.

                    Deixaria de ter um Civic touring por isso? não. Deixaria de ter um Cruze por isso?não. Mas não me faz bem pensar na diferença de preço que teria que inteirar para ter um desses. E é aí que não me vejo como escolha.

                    Para os hatches médios… esses escalaram de uma forma a corrida de preços que me fugiu a possibilidade. O unico que vejo com alguma ressalva é o 308, mas ele perde muito do que tenho no Fluence hoje.(exceto motorização claro)

                    • Nossa, Edson, missão quase impossível, rs.

                      Dos equipamentos que você me relatou, acho que o Focus Titanum Plus é o que mais te atenderia em relação ao nível de equipamentos por um preço “justo”. Porém, você leva o PowerShift.

                      Não fiz isso, mas seria legal dar uma pesquisada em fóruns, na internet etc. para ver a % de defeitos no PS acoplado ao motor 2.0. Não conheço ninguém que tenha o Focus 2.0 com essa transmissão para lhe dar um parâmetro. O que eu conheço são duas pessoas que possuem a Eco 2.0 com PS: um vizinho aqui do prédio e um amigo meu, os dois possuem a Titanium com esse câmbio. Nos dois casos, já trocaram a embreagem uma vez, e o meu vizinho aqui do prédio disse que está começando a trepidar de novo. Esqueci de perguntar a km da Eco do meu amigo, mas a do vizinho aqui já vai para 80 mil km. Ou seja, “na média”, 40 mil km para cada jogo de embreagem no caso dele. A dele é 2014, ele usa muito para viajar e andar por aqui e me disse que já recebeu a carta da Ford para garantia até 2024. Por esse motivo, por enquanto, ele vai ficando com a Eco porque ele disse que, no mais, adora o carro e é bem equipado. No seu caso, se você arriscar um Titanium Plus com a carta de garantia na mão, acho que não seria mau negócio tendo em vista que você prioriza equipamentos com custo-benefício. Já cheguei a Ver Focus Titanium Plus naquela cor marrom linda e 2015 por 56k. Tentador, não?

                      No meu caso, se o Focus tivesse esse nível de equipamentos com câmbio AT convencional, seria forte candidato a entrar na minha garagem, pois a dirigibilidade dele é demais de boa (eu já tive e sei como é). Cheguei a pensar até no SE Plus 1.6 manual, mas aí seria muita grana para um manual, apesar de ele ser bem equipado. O Cruze só me interessava o LTZ por conta dos equipamentos de segurança (a gente aqui estava priorizando segurança), mas aí o preço saltava muito já. Indo para os compactos, o Polo me interessava, mas não tinha nada de desconto, e as versões mais interessantes demorariam para chegar. Aí, fomos ver os SUVs compactos, e a Eco Titanium, pelo preço que paguei e o que ela oferece, não tinha nada parecido. Além do que, minha esposa adorou a Eco, gostou por ela ser “altinha”. Em nível de equipamentos, descontando saída de ar para o banco traseiro e aquecimento dos retrovisores, que você citou, o resto tem tudo. Sei que se trata de um compacto altinho e que um médio é melhor, mas em nível de equipamentos, eu pelo menos gostei bem. Gostei principalmente do sensor de ponto cego, é muito útil. O sensor de tráfego cruzado é bem útil quando você está dando ré em uma vaga perpendicular e vem vindo veículo em uma rua ou ainda em estacionamento de shopping. Na estrada, é bem silenciosa e confortável para guiar, os bancos não cansam nada. O motor gira em torno de 2600 rpm a 120 km/h em sexta. Só como informação, viajei neste fim de semana pegando a Castello Branco, viajamos em média a 110 km/h (com algumas aceleradas aqui e ali, rs), conseguimos 9,5 km/l mesclando a estrada com o trânsito urbano desde a Marginal Pinheiros até aqui em Santo André. Sinceramente, eu gostei desse consumo. O lance é que já entendi como o câmbio funciona, ou seja, as situações em que ele reduz, quanto devo dosar no acelerador para ele vencer, digamos, um aclive leve sem reduzir a marcha, e dessa forma eu consigo reduzir o consumo. Não sei na 1.5, mas na 2.0, gostei do câmbio, do escalonamento e do funcionamento dele.

                    • Me tira uma duvida…. na Eco se vc quiser jogar para o modo sequencial, ele continua mantendo o mesmo regime de rotação de como se estivesse em drive? Se sim, as vezes vc poderia usar em estrada em trechos de aclive que iria evitar as reduções de forma desnecessaria.

            • Não acho que seja uma boa opção diante dele ter um 1.4 TSI.

              Ele com certeza sentirá falta dos itens que no dele tem e no atual carecem, já que o Comfortline perdeu o pacote elegance que adicionava itens que possuem de série no highline.

          • Na verdade, perde, Nicolas, pois os aumentos (ou seja, a inflação) comeram o poder de compra. Se você vender o seu Golf, não comprará outro igual. Afinal, os 64k de 3 anos atrás não compram a mesma coisa hoje, ainda mais carro, que sempre sobe demais de preço. O problema é que todos nós perdemos poder de compra com essas crises que não acabam nunca. Se eu fosse você, ficaria com o seu, pois tem uma bela máquina em mãos. Faça as manutenções em dia e continue sendo feliz.

        • Isso é muito relativo. Corolla Xei em 2014 custava 72 mil sem ESC, hoje custa 105.690.
          A qualidade e tecnologia do Golf é bem superior, motor turbo flex ficou mais potente inclusive.

            • Conheço pessoas que trocaram, nada é absoluto. Toyota tem bom pós-venda e grande prestígio no Brasil por méritos, porém não desabona alguns bons produtos da VW.

              • São públicos distintos mesmo Mauro.
                Normalmente o cara que compra Toyota se preocupa mais com o financeiro e vê carro como investimento e não liga muito pra dirigir, apenas dirige para ir do ponto A ao B, não há paixão pelo carro, dificilmente um dono de Corolla é um auto-entusiasta. Não são todos claro, mas o que é diferente disso é exceção e não regra.
                Já o público da VW presa mais diversão ao volante, prazer ao dirigir, quer mais potência, agilidade, modernidade, não busca um carro de design chamativo preferindo ser menos notado com o estilo sóbrio da VW e não se importa muito de ter que abrir mão de um pouco de conforto, “perder” um pouco na revenda, afinal compra pra curtir o veículo porque gosta.

                • Eu tenho um Toyota Corolla e sou entusiasta. Mas o meu é manual 6 marchas hahaha. De fato, do ponto de vista dirigibilidade, não empolga tanto assim não… Mas pelo menos o motor 1.8 com o câmbio manual de 6 marchas é de certa forma interessante… De fato, gostaria de ter um Golf, mas no presente momento ele não me atenderia em porta-malas. Já o Jetta é muito caro ou teria que me submeter a uma unidade mais antiga e a manutenção do Jetta é pesadinha. Neste ponto, o Corolla me resolve (racionalmente) melhor. Os tempos em que eu puder privilegiar totalmente o prazer de dirigir estão por vir…

                  • Sim Eduardo, mesmo você sendo entusiasta automotivo você fez uma compra racional ao invés de se levar pelo passional, você está certo. Há momentos na vida que precisamos priorizar outras coisas e carro tem mesmo que ser o mais racional possível e o Corolla é e sempre foi muito racional, faz sentido ter um.
                    Seria bom se vivêssemos num país mais justo e com preços mais acessíveis onde poderíamos ter um carro confortável pra trabalhar e outro mais esportivo para aproveitar, sem precisar se preocupar tanto com revenda e desvalorização. Aqui carro é visto como bem, caríssimo quando se compra e com desvalorização monstruosa, por isso quase sempre temos que equilibrar infelizmente, por isso o Corolla vende tanto.

            • Rapaz, eu acho contrário.
              Claro, vc pode trocar um gol por um corolla.
              Mas eu mesmo tinha VW turbo, troqui por corolla e entrei em desespero, rapidamente troquei novamente pra um VW turbo. E o que mais vejo em quem tem jetta TSI é que substituiram exatamente de um corolla e nunca mais querem voltar.
              Corolla tem seus prestígios sim, mas o importante mesmo pra quem gosta é sentir a emoção de sentar em um VW bom, pisar, curvar… ao menos é o que observo em alguns amigos e pessoas ao redor.

            • Eu troquei Hilux por Amarok em meados de 2013 e nunca mais coloco meus pés numa picape dessa marca japonesa. Pro meu uso, a Amarok é simplesmente insuperável, isso porque era a High 2.0, imagina o estupro que é a V6 (estou só esperando ela no mercado de seminovos, a 0 está cara demais). Na verdade, só tem Toyota quem nunca experimentou os concorrentes porque pagar 30k a mais, seguro 50% maior, ter desempenho muito inferior e segurança 0 no carro dessa montadora não me parece muito inteligente, analisando friamente (falando de caminhonete).
              Possuí também dois Corollas da nova geração, um XEI 15-16 e um XRS 17-18 e a experiência foi mediana, sem sal, falta algo que justifique o alto valor, além de bater todo por dentro e o seguro ser altíssimo.
              Por experiência própria, não tem absolutamente nada que justifique a compra de um Toyota, ou pelo menos dos que eu possuí.
              PS: Todos eu comprei seminovos, a Hilux com 24 mil km, o XEI com uns 6 mil km e o XRS com menos de 5 mil km e não perdi quase nada na venda, pelo menos isso esses carros oferecem, pq de resto…

              • A VW deveria fazer uma Amarok Flex/Gasolina. Muita gente não compra pickup diesel e acho que a VW perde uma boa fatia do mercado por não ter essa opção. Imagino que uma equipada com o 2.0 TSI + AT8 atrairia muitos cliente de Ranger, S10 e Hilux flex.

            • 😂😂😂 realmente, quem seria o louco de trocar um TSI completo por um Altis! Ih troque informações as bolas, você falou o contrário, está certo, parabéns que um velhinho vai trocar uma enceradeira por um TSI. 😂😂😂

        • Não tem absolutamente nada em que eu possa trocar meu Tsi 2014 1.4 DSG com Xenon couro e teto. Paguei 88000 nele na ocasião, ha 4 anos atras. Com esse mesmo dinheiro, não compro nada. Vou ficar com meu alemão mais 4 anos no minimo.

      • Eu idem. GTI 17/17 Exclusive + Teto Panorâmico.
        Ainda não há nada competente no mercado próximo do valor dele.
        Talvez o novo Jetta MQB 2.0 TSI, aguardemos.

          • hahaha, rapaz, e eu estava de GTI, e fui fazer um teste drive na surpreendente Amarok V6 e achei lenta kkk..
            Vc sair de um GTI e entrar em “qualquer carro” te dá um desanimo tremendo..
            e repito o que o Gustavo Melo disse aí acima: Nada competente no mercado passa perto desse canhão.
            E o Jetta novo com certeza vai ser fantástico, mas o velho tbm é bacana, e passa bem perto do GTI.
            As diferenças de potencia são mto pequenas, quando se está mais em alta velocidade é mto dificil o GTI sair na frente com mta facilidade.. o 0 a 100 tem pouca diferença e o novo jetta então, deve ter menos diferença ainda, além de provavelmente ganhar estabilidade e maior segurança nas curvas, lombadas..

            • Mas aí é sacanagem. Dificil ter coisa no mercado que bata o Golf GTI.

              Acredito que a pessoa fique mexida nos modelos 1.6 MSI (descontinuado), 1.0 TSI e até o 1.4 TSI se esse nã otiver pacotes.

              Se tiver pacotes, fica dificil. E eu querendo um tiptronic 1.4 TSI… mas infelizmente a VW salga demais o preço.

              • ah cara.. não gosta de usado? a vdd é que nao tem concorrente à altura pra um 1.4 TSI completinho.. então, o preço acaba sendo “justo” perante a concorrencia.. porém, é salgado mesmo.. poderiam colaborar com os fãs hehe

                meu problema é sempre km, ando bastante e aí a km vai no alto.. pessoal tem preconceito danado com km..

                • Discordo.

                  À altura existe sim, temos aí Focus Titanium+, Cruze LTZ2… podem perder sim para o pacote premium da VW em alguns pontos, mas esse tbm passa a custar preço de carros premium.

                  Então precisa existir sim um valor atrativo entre os médios para que seja considerado. Como eu já respondi a outra pessoa, o carro pode ser o melhor produto do mercado com vantagens expressivas, se ele não vale o que e´considerado interessante aos compradores, o cara vai para o que considera o segundo melhor ou vai considerar outro mesmo perdendo itens um custo mais interessante.

                  Por isso aí vem o Golf GTI que não tem algo similar a ele no mercado. Pode colocar aí o Civic SI, o Golf já oferta no modelo basico, mais do que o Civic SI.

                  Aí vc adiciona pacote, a diferença do valor se aproxima do Civic SI mas recebe muito mais itens. Percebe a diferença?

                  O Golf GTI apesar dos seus aumentos, ele ainda tem um custo x beneficio e atratividade de destaque, já o 1.4 TSI foge desse conceito.

                  • Demorei, mas fui ver uma notificações e voltei apos dois meses. haha.
                    É verdade Edson, tem estas opções.
                    Mas depende da visão.
                    Eu avalio carro de uma forma e vc pode pensar de outra forma.
                    O Golf 1.4 TSI se bobear gasta a metade do combustível que o Focus. Para mim, é fora de cogitação carro que bebe muito.
                    Outra coisa, se gasta mais, ao menos deveria andar mais, concorda? Mas não, ele é um pouco “menos rápido”.
                    E é um Ford, desvaloriza um pouco mais (apenas achismo), o cambio dizem que tem alguns problemas.
                    O Cruze sim eu acho que é um concorrente melhor, pois tem o motor Turbo. No entanto, aí vem a aparencia (embora o visual esteja totalmente renovado, acho o Golf mais bonito, melhor para dirigir).

                    Agora, que está caro, realmente.

                    • Não dá para considerar queo Focus 2.0 teria que ser mais forte que um carro 1.4 Turbo. Eles se equilibram.

                      Em relação a carros com motor 2.0, Focus e Corolla são os mais economicos do mercado. Mas… o que pega é que na estrada os downsizing fazem a diferença. Na cidade com o atual tiptronic? Não… ficaram mais beberrões.

                      Sobre seus gostos e preferencias, aí é outra coisa. Quis colocar que há rivais.

                      Mas perceba que sua preferencia é pelo Golf (a minha tbm seria, senãofosse o preço bem surreal).

              • Edson eles andam queimando Golf e Jetta para a chegada dos novos com facelift e nova geração respectivamente com preços mais condizentes.
                Estou cogitando trocar o Cruze em um Jetta Highline Premium + Teto por 100k que vi aqui na VW da cidade. Mesmo vindo o novo em breve, por 100k “malemá” pegaria um 1.4 TSI do novo e com menos equipamentos, aí acho o atual bom negócio. Não me importo em não ter o modelo “do ano” no caso.
                Se eu conseguir vender o Cruze, provavelmente pegarei.

                • Eu se fosse pegar um carro de R$100000 te diria que esse valor para um Jetta 2.0 TSI é muito bom e escolheria ele sem pensar.

                  E outra coisa, considero que a condução do Jetta espetacular. Poucos médios tem uma posição tão gostosa de dirigir.

      • Polo TSI também não é nada mal. Golf não tem mimimi com acabamento, segurança (7 AB), espaço interno adequado para hatch médio e a boa dirigibilidade atestada pela matéria é item de série.

        • Mas sabe … como eu conheci o Virtus, eu digo tranquilamente que não trocaria um Polo por um Gol/Voyage.

          O rodar do carro, o silencio a bordo, o conforto de marcha, são gritantes no Polo de superioridade. Mesmo tendo menos itens de conforto comparando as versões de topo de Gol / Voyage / Fox, o Polo é uma bela melhora na Vw e o Polo mostra que não é porque é um compacto que precisa ser duro sem deixar de ser estavel. Eu confesso que teria um Polo tranquilamente.

          Realmente o Golf é interessante, mas o preço tá pegando.

  • “Demorou ‘mais’ chegou”. Mein Gott! Essa praga do “mais” (advérbio de intensidade) em vez do “mas” (conjunção adversativa) está se alastrando de modo avassalador! É o novo “concerteza”.

  • O Golf ficou caro? Depende da referência. Antes, o Golf automático mais barato custava 110 mil. Agora são 20 mil a menos, ainda que seja com o motor TSI 1.0. Piorar as vendas não vai, pois não tinha como…

    Outra coisa, se formos olhar, pelo preço do Comfortline TSI 1.0 básico, o que há no mercado? Kicks SV Plus, que é basicamente um March crescido com o mesmo motor 1.6 sem vergonha, um CVT pra lá de apagado e com várias economias de projeto. Esse Golf é mais barato que um Renegade Longitude básico, que tem 2 airbags e é lento de doer. Custa menos de 3 mil acima de um HR-V LX, que sequer tem faróis de neblina. Um Creta Pulse Plus custa 90 mil, pesadão, com 2 airbags e 1.6. E por aí vai…

    Tudo bem que ninguém quer comprar hatch médio hoje em dia mais e isso é uma pena. Mas o Golf pode talvez assumir a liderança do segmento vendendo suas 450 unidades por mês. Não deve passar disso. Se tivesse um Comfortline 1.4 no buraco entre o CL 1.0 e o HL 1.4, batendo de frente com o Cruze LT, talvez passasse um pouco. Mas a tendência daqui pra frente é sobrarem só o VW e o GM nesse segmento mesmo, e a longo prazo, nenhum. Talvez a VW ainda importe o GTI.

    • HR-V EX 1.8 CVT por 96.500 é uma carroça comparado ao Golf Comfortline 200 TSI.
      Desempenho, segurança, itens de série, tecnologia, dirigibilidade etc. sem comparação…
      só vence em porta-malas.

      • O problema é que o cara que procura médio não procura SUV e vice-versa (com algumas exceções, claro). Falando friamente, eu ficaria com o Golf, mas é preciso levar em conta também outras variáveis, como seguro, tamanho do porta-malas, pós-vendas etc., para se decidir pela compra de um ou de outro.

    • O fator aqui é um só, todo mundo queria ver a VW desbancar o Cruze, lançando o 1.4T na mesma faixa de preço, com o 1.0TSI bem abaixo, reforçando bem as vendas… Mas mesmo que fosse o caso, eu queria ver vender 1000 unidades mês, mas não venderia… Todos os exemplos que você citou, tem porta malas maior e pra quebrar a banca, estão na moda. Infelizmente os hatches médios não combatem os SUVs compactos por isso, não tem porta malas… Mesmo que vá 3 adultos atrás apertados atrás, no Golf/Cruze não cabe a bagagem deles, e nos outros cabe, mesmo que seja pra ir se arrastando, mas cabe…

      • Não é bem assim. Renegade, Ecosport e Tracker têm porta-malas de 300 e poucos litros (o Renegade tinha 260L até ano passado) e vendem de 8 a 20x mais que o Golf. O 2008, que é um fiasco de mercado como todo PSA, vende pelo menos o dobro.

        O problema não é espaço, não é porta-malas, não é preço, não é nada disso. É apenas moda, altura do solo (dirigir “por cima” do trânsito e ficar mais longe de raspar no chão) e principalmente, prioridade das fabricantes.
        Elas querem vender SUVs pois é altamente lucrativo e convencem o consumidor a comprar isso. Veja a Ford, subindo a suspensão dos carros dela (Ka, Fiesta, Focus) mundo afora, chamando de “Active”, categorizando como SUV pra vender. Os carros são idênticos, exceto pela altura do solo e pela roupa aventureira, e tiram muitas vendas das versões comuns. Nos EUA, nem sequer haverá mais Focus hatch e sedan, só Active.

        Concluindo, a moda dos SUVs tem sua parcela natural – afinal eles crescem continuamente no mundo todo desde a década de 90 – porém o boom recente é totalmente inflado pelas próprias fabricantes, que estão num movimento de dificultar ou inviabilizar outros segmentos deixando-os mortos, pra poderem investir em SUVs muito mais lucrativos.

        • Raspar o chão. Realmente no Brasil isso é fundamental. Cada vez mais ruas com quebra molas e com rampas para acesso a garagens. Carro baixo está ficando complicado de ter.

        • Eu concordo que a moda é essa e as montadoras estão até meio que deixando o custo beneficio dos médios ir pro ralo pra deixar os SUVs mais “vistosos”…
          Mas ainda assim, tenho certeza que se desde o começo dessa moda, os hatches tivessem ao menos acompanhado um volume melhor de porta malas, eles teriam vendas mais decentes do que atualmente pois ainda dividiria opiniões, mas hoje um amante de Hatch que tem família, acaba optando por deixar o Hatch de lado pra levar um SUV compacto porque no final das contas, os 400L de porta malas ajudam, e quem é amante de Hatch não é fã de ir pra sedan, e mesmo os SUVs sendo mais altos, eles se assemelham mais a um Hatch e sacrifica uma coisa por outra…

          • Ok, o cara que tem família grande não seria atendido por um Golf com 313L de porta-malas. Mas também não seria atendido por Renegade com 260L (que aumentaram para 320 este ano), nem Tracker com 306L, nem Ecosport com 353L. Isso porque não mencionei espaço interno, em que o Golf só perde para Creta e HR-V.
            No entanto, enquanto o Golf vende 300 unidades num mês, o Renegade vende sei lá, 6000 unidades, o Tracker 2500 e o Ecosport 3200. Por quê?

            • Renegade acho que vende 90% da versão Sport de 85mil, são mais de 10mil de diferença pro Golf desde sempre, além de ser da moda… TODO CASAL que eu conheço (SEM EXCEÇÃO) a mulher quer o maledeto SUV… Já indiquei compra de Sedan e Hatch pra VÁRIOS clientes meus, eles foram olhar o carro, mas na hora de fechar, compram um Kicks, Creta ou HR-V, os 3 que tem melhor porta-malas… Dai eu pergunto e eles respondem: “Primeiro porque a mulher não quer mais carro baixo, segundo que ela diz que já que é pra gastar quase 100mil num carro que seja em um modelo melhor (essa é a concepção delas, SUV é melhor que hatches e sedans) e quando vou dar a chance de olhar um desses SUV’s, eles tem espaço parecido ou até melhor tanto dentro quanto de porta-malas, dai não tenho como não concordar…”
              O cara até muda de time na hora…

          • Além disso, um Golf Variant tem 600 Litros de porta-malas, mais que qualquer um desses SUVs, custa parecido com eles e não vende mais que 100, 120 unidades por mês.

            • Perua não atrai tanta gente assim quanto os comentários indicam, tanto é que morreram e só sobrou as de Luxo que é pra quem gosta E pode pagar…

              Eu disse no outro comentário que não acredito que só o porta-malas resolveria o problema, mas tenho certeza que os hatches venderiam pelo menos +1000 unidades cada um tirando um pouco de cada SUV hoje a venda, o que seria mais aceitável pras marcas manterem mais opções em linha…

        • Às vezes eu acho que o pessoal que comenta aqui no NA está apartado da realidade. Estive dirigindo pela Bahia e Sergipe nas últimas semanas com um Kicks alugado e percebi claramente a razão do sucesso dos SUVs: o solo lunar das ruas e muitas estradas brasileiras. Buracos a perder de vista; lombadas sem sinalização; alagamentos frequentes durante as chuvas, entre outros. Estivesse eu num Golf, Focus, ou outro carro com pouca altura livre em relação ao solo, e suspensão sem os reforços que os SUVs recebem em relação aos carros dos quais derivam, teria devolvido o veículo com sérios problemas. Não quero dizer com isso que um Kicks ou Renegade seja mais carro que um Cruze, por exemplo. Apenas estou dizendo que compreendo a razão do sucesso dos SUVs/Crossovers no Brasil.

          • Beleza então, vamos falar de realidade. O HR-V tem problemas crônicos de suspensão, por exemplo, mas ninguém fala nada e o carro continua vendendo bastante. O Focus tem uma suspensão multilink exemplar e durável, ainda que o carro seja baixo. O Compass Flex tem ângulo de ataque igual ao de qualquer Golf, raspa em qualquer entrada de garagem, mas é o SUV mais vendido do Brasil. Há outros exemplos.

            Portanto, para não me estender, digo o seguinte: para cada razão objetiva que apontarem para os SUVs venderem tanto, eu darei contra-exemplos claros de que as razões são muito mais subjetivas (moda, status, etc) do que qualquer outra coisa. Os SUVs não são os “carros familiares desbravadores da selva de pedra” que as fabricantes vendem e os consumidores acham que estão comprando.

            • Gosto muito quando pegam a exceção como regra. Citei o exemplo do Kicks que EU utlilizei (não me disseram). Bateria o fundo do carro ou suas extremidades em 70% das situações inesperadas que encontrei, se ele não tivesse a altura que tem. Assim como o Ecosport, o Duster, o Creta e outros realmente altos. Isso é inegável e facilmente comprovado por quem tem um hatch médio no dia a dia, como eu. Se eu tivesse de dirigir sempre em condições ruins, certamente já teria entrado na onda dos SUVs, mesmo que sejam carros tecnicamente inferiores aos hatchs e sedans médios. Pouca gente dá conta de ficar alinhando, refazendo a suspensão e soldando buracos no cárter o tempo todo. Essa é a vida real.

              • Hahahaha. Me divirto com esses caras viu…
                HR-V e Compass são só os dois líderes de seus segmentos amigão. Exceção porcaria nenhuma, é regra.
                Eu gosto é de conversar com gente que enxerga o exato oposto da realidade e quer ensinar algo aos outros. Me dá muita curiosidade de como a pessoa chegou a esse ponto.

                “Pouca gente dá conta de ficar alinhando, refazendo a suspensão e soldando buracos no cárter o tempo todo. Essa é a vida real.”

                Deixa de ser bobo, vai… Do jeito que você fala, parece que a maioria anda fazendo safári de carro por aí, e não indo pro shopping, pro supermercado, pra casa de parentes, viajando em estradas asfaltadas, ou mesmo em estradas de terra normais… Situações em que, mesmo com buracos, lombadas, etc, qualquer carro comum sempre sobreviveu até hoje. Como se um Focus tivesse suspensão de vidro e a de um SUV derivado do Fiesta fosse extremamente melhor rsrsrs. Muita asneira e achismo pro meu gosto.

                Do mesmo jeito que tem uma pá de gente com Civic com suspensão ferrada, tem gente com HR-V (o SUV compacto mais comum nas ruas, e que você chamou de exceção) parado pelo mesmo motivo. Mas se você quer se iludir achando que SUVs são todos altos, másculos, resistentes, brutais e à prova de balas, ou que um SUV compacto de 1100 kg com plataforma do March é a reencarnação do LR Defender, o problema é todo seu.

                Resistência da suspensão e altura do solo? Líderes dos SUVs: Compass e HR-V. Um raspa a frente em qualquer lugar, o outro tem suspensão frágil. Espaço interno e porta-malas? Eco, Tracker e Renegade são ridículos nisso e vendem de 8 a 20x mais que Golf e Focus. Capacidade de tração? Todos esses SUVs são 4×2 e a maioria usa pneu de asfalto, igual qualquer hatch. Vai questionar?

                • A Cinderela precisa aprender a interpretar textos e a sair do Morumbi Shopping ou do Barra Shopping para conhecer o Brasil real. Vá ao interior do Nordeste. Venha ao Centro-Oeste. Vá ao Norte. Vá a qualquer capital pequena e de menor renda ou transite entre elas. Vá a uma cidade como Belém (PA) ou São Luís (MA) onde chove praticamente todo dia e o asfalto não pára inteiro e entenda o que estou dizendo. Depois disso continuamos o “debate”. Antes, não.

                  • Falou o Bandeirante nato, o Domingos Jorge Velho da internet… Em primeiro lugar, pelo amor de Deus, para de dar xilique. Você já falou uma pá de asneira até agora, eu refutei absolutamente tudo com argumentos técnicos, então você resolveu apelar, me ironizar e falar que eu não sei de nada, que não conheço nada. Eu já viajei pra todo canto desse país, sei bem a desgraça de piso que são alguns lugares. E ter viajado ou não, isso não faz a menor diferença na discussão.
                    O ponto aqui é: nenhum SUV compacto suporta piso degradado, a resistência das peças de suspensão é praticamente a MESMA que qualquer hatch compacto. Isso é um FATO. São automóveis comuns como qualquer outro. Os mais vendidos têm problemas crônicos idênticos ao de carros de passeio.
                    Mas você quer se iludir e achar que está andando de LR Defender estando a bordo de um Kicks, tanto faz. Mas me faça o favor de não encher o saco de quem enxerga a realidade. Vai lá e compra um SUV desses e posta aqui depois. Falar com gente do seu tipo é como dar pérolas aos porcos. Eu devia ter ignorado você desde o início, mas acho que agora ainda é um ótimo momento para tal.

      • A tabela dele era 78,8 mil (ainda está no site). Com o pacote exclusive ia pra 88,8. Supondo o câmbio AT por 5 mil, 93,8.
        É o preço da versão nova + rodas 17.

        • Com R$ 90 e poucos mil era possível equipar o Golf 1,0 com tudo que era possível, inclusive multimídia com GPS integrado e bancos em couro com formato iguais ao do Highline. Esse novo só tem aqueles banquinhos ridículos de motorista de ônibus circular e a central não possui GPS embutido.

    • Golf Confortline 1.0 custa 21k a mais que um Polo Confortline equipado com os mesmos itens. Isso esta exagerado. Deviam ter mantido o preço abaixo de 90k. Cabe um Confortline 1.4 abaixo de 100k, basta ver preço da Variant x Golf Highline

      • O Polo Comfortline não tem os mesmos itens do Golf Comfortline de jeito nenhum, nem se colocar os pacotes opcionais se iguala.

        De qualquer forma, o preço do Golf está mais ou menos coerente com o segmento dele. Eu queria que fosse mais barato, mas não vai ser.

        • O Polo Confortline com todos os opcionais se equivale ao Golf Confortline, o que o Golf tem de diferente(fora ser maior) é a qualidade dos materiais internos.21k é muita diferença.

          • Essa diferença certamente foi deixada para encaixar algum SUV no meio.
            O Golf tem airbags de cortina e joelho, uma central multimídia maior (8 polegadas) que a do Polo Comfortline e é um carro mais refinado no acabamento, acerto de suspensão, construção (ainda que o Polo seja acima da média no segmento dele) e o próprio visual.
            Em resumo, o Golf é mais carro.
            Caro ele ficou, mas não ficou incoerente. É mais barato e melhor equipado que a maioria dos SUVs compactos que vendem horrores. No segmento médio, um Cruze LT 1.4T custa 97 mil já… O Golf não está tão fora.

            • É indiscutível que o Golf é superior, mas mesmo com 3 air-bags a mais e a central maior(lembrando que o Polo que citei tem a mais Climatronic, Kessy e detector de fadiga) , mas penso que é muita diferença de preço. Certamente ela existe pela diferença de volume entre os veículos, onde o baixo volume do Golf faz o custo ir lá para cima, mas isso é problema da VW, não de nós compradores. A agressividade por parte da VW que se viu no lançamento do Polo não está sendo vista no Golf e nem no Gol/Voyage facelift.

        • O Polo Confortline com Kit TEch II fica equivalente ao Golf em equipamentos e ainda oferece a mais que o Golf o Climatronic, o Kessy e detector de Fadiga.

    • Fiz essa comparação nos dois meses, PSEUDOS SUVS x hatch médio e optei com toda certeza pelo hatch.
      Os crossovers estão sendo vendidos por percepção (equivocada) de status, não por qualidades inatas.
      As pessoas vêem esses carros altinhos (excluam o HR-V dessa observação, pois a altura dele em relação ao solo é equivalente a de qualquer compacto de entrada) como se fossem mais caros e luxuosos.
      Pra se ter uma ideia, dos crossovers vendidos no país somente o HR-V tem um melhor espaço interno que o Golf. O Creta no máximo empata. Todos os demais são mais apertados que o hatch alemão.
      No quesito acabamento e qualidade construtiva não há comparação: os médios estão em um patamar superior aos “altinhos”.
      Dirigibilidade: nova surra dos médios aos pseudo aventureiros;
      Desempenho: o 1.0 TSI tem desempenho muito superior a qualquer um dos aspirados com motor até 1.8, bebendo menos.
      Segurança: aqui está a maior diferença entre os segmentos: nenhum pseudo SUV possui os recursos tecnológicos, principalmente de segurança Ativa que o Golf de entrada possui (Focus e Cruze na faixa dos 90k igualmente tem padrão superior em segurança).
      Vejam o caso vergonhoso do HR-V só oferecer air bags de cortina em sua versão Touring que custa 112k, preço que paguei no meu Golf GTI 2017 a 15 dias atrás…

    • Exatamente o que eu penso, os hatchs médios são melhor negócio que esses “SUVs compactos”, porém, assim como os sedãs médios, estão sendo preteridos. Sou muito mais o Golf 200 TSI Automático que qualquer um desses, todos mancos e sem handling.

      Infelizmente o povo prefere carro altinho e as montadoras também, são mais baratos de fabricar que os médios.

  • Infelizmente os hatches médios são hoje uma categoria para quem gosta e tem dinheiro sobrando para gastar com carro… Classe média vai gastar essa grana contada em um sedan (Cruze, Corolla, Civic…) ou então partir para SUV compacto (HR-V, Compass…).

  • essa cor prata snow eh sem graça. eles tinha que ter trazido a Branco Oryx que eh perolizada e linda no Golf.
    Fail pra VW nao ter colocado o Active Info Display no Highline nem como opcional.
    melhorou em relacao ao que era antes na questao de itens de serie, mas no highline poderia ter vindo de serie com o cluster digital, farois em led de serie custando 112mil, pra ser um chamativo a mais em relacao ao cruze sport6 ltz.

  • não vem com essa conversa, carro 1.0 pra mim é carro 1.0… mesmo que seja turbo. Cobrar quase 100 pau em um carro 1.0… bizarro. As noções de valores no nosso país ja se perderam faz tempo. Mas azar de quem compra ne, vale a pena desembolsar um pouquinho mais e pela tabela CNPJ vc compra um automóvel com valores mais condizentes… um new Sentra 2.0 por 79k, por exemplo. Ora, carro 1.0… vergonha. País de medíocres.

      • Nah, sempre fui fã dos carros da Ford (tive desde Fiesta até Fusion), mas tem um degrauzinho inegável entre eles e seus concorrentes da VW (e quanto mais de topo o modelo, maior a diferença). A qualidade de projeto, atençao a detalhes, ergonomia, qualidade da eletrônica, tudo isso é bem superior nos VW europeus (nao me citem família Gol por favor). O problema é que a VW cobra a mais por isso, entao às vezes é negócio encarar a opçao da Ford, PSA ou Opel, mas sabendo que está levando um produto um pouco abaixo sem dúvidas. Tudo depende do que você espera do carro. Por exemplo, se for pra rodar exclusivamente na cidade eu levaria um Focus, 308 ou Astra sem pensar 2x. Mas se for um carro pra todas as situaçoes, investiria uns trocos a mais pelo Golf sim, que vai te dar muito mais satisfaçao no geral.

        • Para quem não se importa de levar um carro antigo, que pode sair de linha a qualquer momento, mas com bom motor, o 308 tem um bom custo-benefício.

          Quem quiser um manual, ou confiar no powershift, terá no Focus sua opção. E quem quiser um turbo, moderno, sem precisar pagar um pouco mais para levar o Cruze LT, irá escolher esse Golf 1.0.

        • Não é do mesmo porte? Se ele tem maior qualidade, maior ergonomia e um monte de coisas, que ele seja de custo x beneficio mesmo melhor equipado.

          Se ele não reune argumentos para precificar muito mais caro, então aí temos um problema.

          E o problema do Golf é: Se compra Cruze LTZ2 e Focus Titanium+ pelo preço do Golf Highline sem pacote. E o consumidor então abre mão do todo poderoso Golf.

          Então a VW mesmo com toda essa superioridade conseguiria fazer um preço melhor e deveria. Assim como ela fez com o Polo que mesmo mais caro, a diferença é muito pequena dele para seus rivais o que justifica sua compra. Já no Golf não.

          E o pensamento vai ser: Enquanto o Golf custa R$94000 com motor 1.0, eu compro um turbo 1.4, um 2.0 de injeção direta ou um 1.6 turbo. Enquanto o Golf é superior em diversos aspectos, muitos deles eu tenho em outros e até mais itens para justificar a compra do Golf. E vc fala de melhor acerto, mas o Focus por exemplo é insuperavel em estabilidade e nem mesmo o Civic conseguiu a façanha.

          Por fim, a visão do cliente deixa claro que o relacionamento entre custo x beneficio do Golf para os demais está desfavoravel porque o preço está muito exagerado. Mas veja ao exemplo do Golf: O Fanjos comprou o dele 1.4 TSI + elegance + teto por R$100000, preço interessante perante os rivais.

          • Falou tudo. A grande frustração da galera é o preço. Com as promoções que fez, a VW ressuscitou o Golf nas vendas. Ao preço que o Fanjos pagou, quantos mais comprariam? Muitos, eu mesmo quando fosse trocar de carro um pouco mais adiante. A grande expectativa é que os preços continuassem agressivos e assim o carro e o segmento seguiriam vivos, com demanda “sadia” de mercado. Não foi o que ocorreu. Por isso a decepção geral e é um carro que tem demanda, basta ver o número de comentários, mas nestes patamares tão elevados de preços as vendas não acontecem. Se nada mudar vai ser caixão mesmo.

            • Pra mim parece que a visão das fabricantes é essa: Matar tal nicho de mercado. Nõa me parece existir interesse em manutenção desse porte de produto.

  • Não justifica o preço, mas temos vários sedãs médios 2.0 custando 100-110mil, até mais. O Golf anda junto à esses e de quebra tem um excelente acabamento e itens de série. A melhor opção pra mim, no entanto, é a versão Variant Comfortline, custo beneficio bem melhor que os SUVs compactos com mais porta malas e espaço interno.

  • Só tem um detalhe que a imprensa especializada está “comendo bola” há tempos desde que se começou a falar em Novo Golf: o modelo é 2018. Ao menos esses da foto são 17/18.

  • pergunte a qq um proprietario de um golf ,qualquer um …o carro é o carro… vou pegar um tsi de entrada automatico. esses suv não tem a minima chance comigo , falam que o golf esta caro , mas esqueçem q tem o apertado (suvs de shopping), com menos tecnologia que um golf , custanto 86 mil ..cada uma que se ler.

    • A questão é, tem família grande? O jeito é ir pra SUV, a não ser que seja um pai egoísta e compre um golf pra mexer com as novinhas e a família que viaje de ônibus. É razão e não emoção

      • Qual SUV tem mais porta malas que a Variant?
        Lembrando que alguns SUVs tem porta malas do tamanho do Golf ou até menor e mesmo assim esse pessoal com família compra, é complicado essa moda sem sentido.
        Só compro SUV se for da Tiguan para cima, aí sim a desculpa do espaço cabe bem pq dos compactos a maioria tem porta malas ridículos, um Sedan compacto serve melhor

        • Cara, só perguntando pra algumas famílias mesmo pra saber o pq de comprar uma SUV, mas pode notar que quem tem SUV por aí tem familia já, nunca vi uma pessoa solteira ou no máximo um casal sem filhos ter SUV. Eis a questão

  • A julgar pelos comentários do blog da VW onde o Polo é médio, o Golf vai tomar do próprio veneno. O Polo é mais negócio! Mais moderno, mais bonito, mais espaçoso e anda mais (exceto o Golf GTI) por menos dinheiro. Este genuíno médio da Volks já nasce morto no mercado.

  • Pessoal do NA, ali no inicio da reportagem nao deveria ser “Demorou, mas chegou” ao invés de “Demorou mais chegou”?

    Quanto ao Golf, só sendo muito fã pagar R$ 91mil e levar 128cv. Muito caro.

  • O que me espanta no Golf é o quanto a VW subiu o preço do mesmo desde lançamento. Highline 1.4 AT saía por 74k e hoje sai por mais de 112k. Difícil achar algum outro carro no mercado hoje que sofreu uma inflação de preço dessa e que na realidade regrediu (câmbio DSG > Tiptronic, Multilink > Suspensão dependente, Freio de estacionamento eletrônico > manual). Fica difícil defender o carro desse jeito.

      • sim porque golf va continuar sendo o mesmo carro. Eu gosto de cualquier geracao do civic mais do que golf do mesmo ano. Voce pode trocar a palabra Civic por la de qualquer carro do segmento C, para que nao pense que sou torcedor da honda

        • veja, a “escola de design” alemã presa pela sobriedade.
          BMW, Audi, Mercedes, VW tem design parecido. Não são ousadas, mas seus designs são mais atemporais do que japonesas.

          • A BMW nem de longe tem a mesma filosofia das outras, e olhando os lançamentos mais recentes da audi ela também não. Não confunda sobriedade com linhas retas.

            • Temos de olhar toda a gama de uma marca. Não é um carro isolado que vai mostrar como a marca é em termos de design.

              os ultimos lançamentos da Audi seguem a linha que ela sempre teve. qual é a diferença no seu ponto de vista?

              E pq a BMW é diferente,?me explique…

              • A bmw sempre apostou em uma estética mais fluida e menos convencional, com recortes e vincos mais fortes, além de superfícies e chapas com mais efeitos de profundidade.
                A audi pode ter minhas retilíneas, mas basta observar que elas são muitas e em diferentes camadas, além de exagerar bastante em pontos como iluminação e cabine, ângulos e recortes como o novo A7, Q8, A8 e A6. O novo A1 parece seguir pelo mesmo caminho. Para mim é um meio termo.
                A vw nem precisa falar nada, beira o genérico mesmo.

                • Audi exagerada em cabine?! tá bom então.

                  Me parece que vc está tomando os últimos lançamentos da Audi para definir toda a história da marca, o que pra mim é equivocado.

                  o bmw gran coupé tbm é exagerado em luzes, por exemplo.

                  pra mim, linhas de Audi, BmW, Mercedes e VW são muito similares: angulos retos e vincos, sem invencionices..

                  corroborando isso, veja os carros da Kia antes do Peter ex Audi e após o Peter schreyer

                  Optima, Cerato etc ficaram com cara de carro alemão

                  • E não são ? Com aquele monte de telas, cromados, brilhos, leds e excesso de texturas ? Aquilo está bem distante de ser sóbrio.
                    Mercedes ângulos retos ? Logo ela que aposta em um design mais musculoso, é a mais limpa.
                    A história já foi, óbvio que vou avaliar o que a audi é hoje, uma vez que são os produtos atuais que estão disponíveis.

  • Os comandos de som no volante agora passaram a ser de série em toda a linha? Pergunto porque no 1.0TSI manual “antigo” só vinha num pacote que incluía um monte de tranqueira e custava tipo uns 8000 reais.

  • A VW está usando a mesma plataforma no Golf e no Polo. A diferença de dirigibilidade, dinâmica, nível de conforto acústico entre os dois é muito grande?

  • Cara juro que estou me esforçando para ver as diferenças… verdadeiro jogo dos 7 erros… Mais do meso (o que não o diminui em nada posto que é um excelente carro)

  • Meu ex Mk7, comprado no lançamento em 2013, foi o primeiro VW que possuí e não tive do que reclamar. Diante da difícil decisão de trocar de carro, priorizei minhas seguintes vontades: Motor turbo, câmbio automático, porta-malas maior (um herdeiro não tarda a chegar) e preço que não ultrapassasse os 90 mil.

    Minha escolha acabou recaindo sobre o Virtus e, graças a Deus, não me arrependi. Me custou 84 mil (com todos os opcionais disponíveis, inclusive pintura metálica e rodas de 17″), bom desempenho (para um motor 1.0), boa economia (um pouco melhor que a do Golf), conforto de suspensão muito parecida, excelente espaço interno (em especial no banco traseiro), excelente dirigibilidade (típica dos VW mais novos) e pagando metade do valor do seguro.

    Longe de mim querer comparar Golf com Virtus mas, falando sinceramente, achei que o abismo entre os dois fosse infinitamente maior.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email