EUA Mercado Pickups Volkswagen

Volkswagen indica que Tarok pode ser vendida nos EUA

Volkswagen indica que Tarok pode ser vendida nos EUA

Ela nasceu para ser uma rival da Fiat Toro e parece que seu potencial vai muito além da região sul-americana. Mostrada no Salão de Nova Iorque para medir a reação do público, a picape média Tarok parece que está mais perto da realidade no mercado norte-americano.


Rumores já diziam que as chances da Tarok emplacar nos states eram boas, mas agora parece que a coisa é realmente verdadeira. De acordo com o site americano Detroit News, a indicação vem de dentro da própria VW. Eles citam Hein Schafer, que é vice-presidente sênior de marketing da marca alemã.

Volkswagen indica que Tarok pode ser vendida nos EUA

Schafer teria dito o seguinte: “À medida que as picapes aumentam – para o estágio em que são tão grandes quanto as caminhonetes de tamanho normal não eram há muito tempo – e mais caras e menos eficientes, estamos tentando ver se há espaço para um veículo com uma pegada menor que potencialmente é mais acessível e obtém melhor milhagem de gasolina”.


A declaração, segundo o site, teria relação com a Tarok, uma picape realmente pequena se comparada com as picapes médias e as grandes. Anteriormente, a VW já havia experimentado o conceito Atlas Tanoak, mas em tamanho médio e correspondente ao da Honda Ridgeline, Chevrolet Colorado, GMC Canyon e Ford Ranger.

Volkswagen indica que Tarok pode ser vendida nos EUA

Além de enfraquecer o conceito, a declaração de Schafer também tira do horizonte uma possível entrada da próxima Amarok nos EUA. A Volkswagen com a Tarok também se posiciona em um nível onde a Hyundai vai estrear com a Santa Cruz, enquanto a Ford prepara o retorno da Courier, mas não como uma picape leve e sim no porte da Toro.

A GM também prepara algo parecido e, como o Trax americano será feito no Brasil, a futura picape poderia também ser exportada para o mercado americano, sendo assim mais uma monobloco na região. As montadoras instaladas nos EUA já experimentaram baixar de porte até o nível de 4,00 m com Venue e EcoSport, por que não também explorar as picapes de até 5,00 m?

[Fonte: Detroit News]

 

Volkswagen indica que Tarok pode ser vendida nos EUA
Nota média 5 de 1 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Emanuel Schott

    A FCA tá comendo mosca em não levar a Toro pra lá. Quando perceber será tarde demais!

    • dallebu

      Verdade, ainda mais se tratando de um carro com estrutura e nível de segurança equivalente ao Compass e Renegade, produtos vendidos nos EUA, ou seja, não precisa nem gastar muito dinheiro com modificações, só colocar aqueles faroletes âmbar e alum outro detalhe.

    • Verdades sobre o mercado

      Só colocar a marca Jeep nela que vai vender bem. Com a marca Fiat tende a patinar em vendas.

      • Osni Duarte

        A marca RAM é a mais forte para picapes da FCA nos EUA. A Toro já é vendida com RAM no mercado latino.

      • Fernando Bento Chaves Santana

        Concordo nos EUA as picapes RAM vendidas ferramentas de trabalho sofisticadas. Já Toro tem uma pegada mais lifestyle e combinaria melhor com a marca Jeep e poderia ser posicionada logo abaixo da Gladiator

      • Emanuel Schott

        Ou RAM, como vendem na Colômbia, no Chile e no Panamá.

    • Raimundo A.

      Talvez isso ocorra a partir do próximo ano quando o Toro receber o facelift. Nos EUA, picape tem que ter alguma sofisticação e isso o Toro ainda não tem. As picapes médias lá ao comparar com as daqui, tem melhorias no acabamento, equipamentos de série.

      Pensando na eficiência que a VW relata usando um produto menor, isso também está atrelado a mecânica e o Toro ainda vai receber os motores turbo flex.

      Nos EUA, considerando o Toro atual, só teria o 2.4 Tigershark AT9, que não tem ainda a tração 4×4. Lá teria que ter o 4×4. Motor beberrão que já começou a ser trocado pelo T4 de 150cv ou 180cv. O Toro ainda vai ter essa mecânica. O Tarok mostrou faróis com LEDs, bancos dianteiros, não apenas motorista, com ajustes elétricos; CMM maior que no VW ainda interage com a de instrumentos totalmente digital; a arquitetura do VW vendo outros produtos, nos EUA pode ter ACC, sensor de ponto cego(tinha no conceito); monitoramento de faixa com correção(T-Cross europeu e Tarek tem).

      Venda a parte mecânica e itens que o Tarok mostrou, a FCA no facelift do Toro precisaria adotar alguns que até já tem no Renegade e no Compass não só para se adequar a futura concorrência aqui como seria para os EUA mínimo necessário visto a oferta de itens até mais relevantes nas picapes médias e grandes.

      • Eric PB

        Boa observações para com o mercado americano. Eu como proprietário de uma toro, para o EUA precisaria de painel central, painéis de porta (já tem tecido) soft touch e ajustes elétricos de bancos (existente na versão Ranch) que podem ser herdados do compass além da motorização turbo. Não que a tarok, um VW, seja campeão em acabamento como bem sabemos (…) na foto me parece que o cinza claro das portas nada mais é que um plástico trabalhado. Falando um pouco no mercado brasileiro, os plásticos presentes em toro e tarok estão de acordo com a categoria. Só espero que a dona VW não meta a faca. Se um tcross já chega a custar 125mil essa tarok pode bater a barreira dos 140mil e se duvidar sem ser 4×4 e apenas a gasolina, vão enxe-la de firulas eletrônicas. E por 140mil uma toro diesel 4×4 me parece mais adequada e o mercado demonstra pelas vendas da mesma. Estou apenas vislumbrando o futuro, veremos como será.

  • Murilo Soares de O. Filho

    Vender a Toro nos EUA, é só somente questão de ajustes, e vender com a Marca Fiat mesmo, que precisa de novo fôlego, por ser uma picape pequena para os padrões americanos, seria legal usar a marca Fiat mesmo, até porque não descaracterizaria a Marca RAM. Acho que não venderia horrores, mas ajudaria a marca no EUA.

    • lucas de jesus

      Você tem razão, precisaria de uns ajustes e melhorias (que podem ser feitis com o facelift da Toro e os nocos motores turbo), não seria um hit de vendas, mas ajudaria muito a levantar a marca nos EUA, hoje ela é completamente dependente na parte de carros domésticos no EUA da linha 500, são bons carros até, mas não da pra fazer muitas vendas nesse mercado com o 500, até porquê esse tipo de veículo é muito pequeno pros americanos e lá não ha um problema tão grande de espaço como na europa para que faca um carro desses ser atraente para o público americano, única coisa que pode atrair é o visual, o local do cambio que ajuda a trocar marchas e a facilidade de estacionar em locais apertados, mas fora isso não há muito o que atraia o publico americano a querer ter esse carro (além de muitos fazerem piada desse carro e dos motorista dele).

  • Natán Barreto

    Fiat inaugurou o segmento, mas até hoje não levou uma Toro com marca da Jeep ou RAM pros EUA. Enquanto isso Ana outras correm na frente

    • Fracamente eu tenho lá minhas dúvidas se é um erro da FCA, se lançaram no México e não lançaram por lá, talvez entendam que não é um desejo dos americanos. Afinal são espaços e por uma diferença pequena compram algo mais robusto e espaçoso.
      Eu só vi americano se entusiasmar por carro pequeno quando o petróleo bateu 150 dólares, aí Ford, GM e Grupo Chysler quase faliram. Assim que o petróleo baixou voltou tudo ao normal.
      Ao meu ver, seria mais sensato a Amarok, basta colocar um o 5cil ou algum V6 a gasolina, pois ficou queimada com o diesel. brigaria ‘quase’ de igual para igual com as picapes pequenas de lá.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email