Volkswagen Jetta 2022 com motor maior fica mais econômico

Volkswagen Jetta 2022 com motor maior fica mais econômico

O motor dele aumentou de volume e potência, porém, agrega bem mais tecnologia para se tornar ainda mais eficiente. Este é o caso do Volkswagen Jetta 2022, mas para o mercado norte-americano, onde é vendido por US$ 18.995.


Com números da EPA, a agência ambiental americana, o Jetta 2022 com motor 1.5 TSI mostrou maior economia com o novo propulsor, que estreou no Taos americano. O propulsor de quatro cilindros é uma evolução do EA211 feito em São Carlos, interior de São Paulo.

Volkswagen Jetta 2022 com motor maior fica mais econômico

O consumo médio subiu de 14,0 km/l no 1.4 TSI antigo para 14,9 km/l no caso do 1.5 TSI, tendo este um consumo melhor tanto na cidade quanto na estrada. Tanto com transmissão manual quanto automática, no caso desses números, o Jetta 2022 ficou mais frugal.

O 1.5 TSI usa ainda transmissão Aisin de oito marchas, que confere melhor rendimento em desempenho e consumo. Lá, o antigo 1.4 TSI também usava o mesmo câmbio. No caso do Jetta 2022, a potência chega a 160 cavalos e o torque a 25,5 kgfm.

Volkswagen Jetta 2022 com motor maior fica mais econômico

Com 10 cavalos a mais e tamanho maior, o 1.5 TSI ainda se apoia na tecnologia para fazer a diferença, tendo ciclo Miller e turbina de geometria variável, comum aos motores diesel, por exemplo. Tendo uma nova programação e sistema de desligamento de cilindro, que o faz trabalhar em baixa apenas com dois pistões.

O antigo 1.4 TSI tinha o que já conhecemos bem: 150 cavalos e 25,5 kgfm. Isso mostra que a troca foi benéfica para o produto, feito em Puebla, no México. Além disso, a linha 2022 melhorou o consumo do Jetta GLI, que não teve alteração do motor EA888 2.0 TSI.

Volkswagen Jetta 2022 com motor maior fica mais econômico

Este tem 230 cavalos e 35,7 kgfm, tendo ainda opção manual ou automática de oito marchas. Aqui, o Jetta deixou de ser oferecido com motor 1.4 TSI, tendo apenas o GLI, com preço sugerido de R$ 192.750. Com isso, o sedã médio da VW abandonou a briga do segmento. Visando a hibridização e o baixo consumo, logo ele estará no lugar do 1.4 TSI também no Brasil.

[Fonte: Carscoops]

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.