Europa Montadoras/Fábricas Sedãs Volkswagen

Volkswagen produz último exemplar do Phaeton na Alemanha

vw-phaeton-dresden-1

Após 14 anos, a Volkswagen finalmente retirou de linha do Phaeton. Símbolo de uma época de pujança da empresa alemã, que buscava ser a primeira do mundo e ainda imprimir sua marca entre os carros luxuosos, o sedã a princípio fracassou nos EUA, mas encontrou na China um porto seguro.

No entanto, com o recente Phideon, não havia mais razão para manter o velho Phaeton em produção. Pelo menos por enquanto. Por isso, o último exemplar saiu essa semana da Gläserne Manufaktur, a famosa fábrica transparente da Volkswagen em Dresden, Alemanha.

vw-phaeton-dresden-2

Muito caro para produzir, o Phaeton era um dos carros menos rentáveis da Volkswagen. A Gläserne Manufaktur, criada para mostrar a transparência da marca na época, ficará fechada por algum tempo, já que sua enorme área envidraçada e seu ambiente de trabalho sofisticado serão convertidos para o futuro da VW, a eletrificação e a condução autônoma.

Dos 500 trabalhadores, 100 ficarão na planta, enquanto o restante será enviado para outras plantas do grupo. Mas, o produto que será feito em Dresden será outro sedã de luxo, o Novo Phaeton. No entanto, este terá a eficiência energética, conectividade e condução autônoma como pilares. Será elétrico e também haverá opção híbrida. Mas, provavelmente só vai aparecer em 2020.

vw-phaeton-dresden-3





  • invalid_pilot

    Não consigo entender esses modelos Audi com roupa de VW

    Com a treta do Dieselgate a VW tem que passar o facão em vários modelos pouco rentáveis, inclusive o Fusca corre risco

    • Senhora Liberdade

      O Fusca ja foi um hit maker mas apenas e um tipo de nicho principalmente na China e nos EUA

  • Mumm Rá

    Eu não consigo entender essa ” mania ” da Das Fraud de querer fabricar modelos luxuosos

    Deixe isso para a Audi porque ela que e considerada a divisão de luxo principal da Das Fraud

    Das Fraud querendo fabricar modelos de luxo somente iria canibalizar seus próprios produtos

    • Creio que a intenção seja valorizar a marca. Um comprador leigo de um gol pode considerar a marca sofisticada ao ver que ela produz um carro de luxo. É como ter versões esportivas de carros normais , como exemplo do golf GTI. Muitos gostam desse carro , mas o preço faz com que seje limitado para o mercado e o consumidor comum compra uma versão normal do golf , muitas vezes a mais barata. Isso acontece também com marcas como Mercedes na linha AMG e BMW M. Outro exemplo é a presença de montadoras na fórmula 1 , é sabido que a categoria gera prejuízo as marcas , todavia muitos clientes compram um carro porque determinada marca está presente na categoria.

      • Holandês Louco

        Dói ler “seje””…

        • Pedro Cunha

          Liquida o argumento do cara. É igual mijar na piscina do clube.

      • Edson Fernandes

        Mas essa sensação não pode ser considerada por ter um carro de extremo luxo.

        Eu acho que a VW poderia se centrar a produzir carros até o nivel de Passat. Passou disso, outras marcas dentro do grupo tratam de lidar.

        A fabricante sempre deixou claro a intensão de uma VW da vida ser para o povo, mas agora quer se tornar de luxo? Não faz muito sentido nesse posicionamento de mercado. Veja o exemplo de Chevrolet, Ford, entre algumas outras…

        Elas possuem um produto sim para agregar o tal luxo, mas não é no nivel do Phaeton porque sabem que não vende. E ter prejuizo com uma marca generalista é algo que não pode acontecer.

        Só para citar exemplo disso: Peugeot. Ela tem atualmente no portifolio do Brasil o modelo 3008 que é o topo de linha. Antes era o 508.

        Isso porque o posicionamento de mercado demonstra que não se vende produto importado com certa facilidade e qdo se vende, apesar de terem um valor agregado e então lucro por unidade vendida, o tempo de espera para vender é tão grande que se há o produto disponivel em CCS, há perda de dinheiro em mante-lo.

        Imagino que isso aconteça por exemplo com o Touareg da VW e em menor quantidade mas ainda assim dificil de vender, o Passat.

        Ou seja, há um limite aceito pelo mercado. A China é bem distinta de outros mercados. Eles se apegam a qualidade de produtos, nem sempre sendo a marca de produtos premium. Outro ponto: Geralmente na China fabricantes generalistas tem um melhor atendimento que as premium… mudando pouco para fabricantes especificas… que não sejam Audi, BWM, Mercedes… porque lá o atendimento é ruim mesmo.

  • Diogo Oliveira

    Legal esse Jetta, ou seria um Fox, mas parece um Golf, que Voyage estranho, esse Gol tá difícil de saber qual é…

    • Pedro Cunha

      “GRAND VOYAGE LSE”

      • Diogo Oliveira

  • Leandro

    Esse carro devia dar um prejuízo brabo…

  • Poperon

    Lançaram o carro certo, para o mercado errado. Deveriam ter posicionado ele no Brasil, onde a marca mais forte atualmente é a VW, pois a Audi ainda está em crescimento no mercado.

    • Holandês Louco

      E venderia 5 unidades por ano…

      • Pedro Cunha

        Pro senado federal, né?
        Afinal, quem compra um lote de Mareas…..

        • Leonardo C.

          Na época o Marea era um dos melhores carros nacionais, não é mesmo?

  • Jorge Osório Cortese Magalhães

    Ok, foi um fracasso, mas era um Senhor Carro!

  • Cassio

    Um A8 sem grife… Já resume porque fracassou.



Send this to friend