Crossovers México Mercado Montadoras/Fábricas Volkswagen

Volkswagen: projeto Tharu será feito no México após saída do Golf, segundo site

Skoda-Karoq-2018-4 Volkswagen: projeto Tharu será feito no México após saída do Golf, segundo site

O projeto Tharu está dando muito pano para manga. Desta vez, mais uma informação fala desse futuro utilitário esportivo da Volkswagen que, a princípio, seria feito apenas para mercados emergentes, mas que já está sendo cogitado também para os EUA. Segundo o site mexicano Al Volante, o crossover será fabricado em Puebla, ocupando a linha de montagem do Golf atual, que ficará vazia após a saída do hatch médio, que terá produção centrada na Alemanha, conforme antecipado.



De acordo com o site, a informação foi obtida de duas formas. A primeira em visita à Portugal para conhecer e andar no T-Roc, novo crossover compacto da Volkswagen. A outra seriam suas fontes dentro da fábrica de Puebla. A definição é que o projeto Tharu será executado na planta mexicana em 2019, logo após o Golf dar adeus ao país – e talvez ao continente, se ele não continuar por aqui também – atendendo assim o mercado local, o norte-americano e também toda ou parte da América Latina.

Neste último caso, “parte” significaria excluir o Mercosul, pelo menos, visto que a primeira informação sobre o projeto dá como sendo executado na Argentina. O que reforça isso é o registro de patente no INPI. Tomar o lugar do Golf tanto no México quanto no Brasil é extremamente viável em termos comerciais, visto que o SUV aparentemente ocupará uma faixa onde hoje duelam Honda HR-V e Jeep Compass. Se for fiel ao porte de seu principal doador, o Skoda Karoq, este modelo ficaria entre a dupla mencionada.

Skoda-Karoq-2018-1 Volkswagen: projeto Tharu será feito no México após saída do Golf, segundo site

Como os utilitários esportivos estão vendendo bem em quase todo o mundo, trocar pouco mais de 350 unidades mensais do Golf por quem sabe um volume entre cinco e dez vezes maior, tirando como base os principais players do segmento, a mudança só traria benefícios para a Volkswagen nas duas pontas do continente. A base para um Tharu mexicano se baseia, de acordo com o site, nos sete lançamentos previstos para o segmento, de acordo com a própria montadora.

O T-Cross é a porta de entrada e será feito no Brasil, sendo um SUV compacto de 4,15 m mais ou menos. O T-Roc será centrado exclusivamente na Europa com seus 4,23 m. O Tharu viria como o terceiro na hierarquia de SUVs da VW, ocupando uma faixa acima com seus 4,38 m. O foco seria EUA, China e mercados emergentes. Depois, sabemos do Tiguan com seus 4,48 m e o Tiguan Allspace com 4,79 m. Touareg e Atlas fecham a conta, sendo estes bem maiores.

Mas, eis que vem a pergunta: Não é pouco tempo para elaborar um projeto novo de SUV? A resposta é não. Graças à plataforma modular MQB, o processo de desenvolvimento de produto caiu enormemente e hoje pode ser executada num prazo de dois anos. Obviamente, o projeto já deve estar sendo tocado em sigilo e sob as mãos da Skoda, segundo a informação inicial sobre o assunto.

Se fosse num prazo menor, possivelmente seria apenas o Karoq com logotipos e detalhes estéticos modificados, mas a VW geralmente não faz isso entre suas marcas, que preservam muito o design individual, mas poderia ocorrer em projeto comum, como entre Skoda Citigo e VW up!, por exemplo. Por ora, o projeto Tharu parece cada vez mais sólido e próximo, ainda mais agora, que o prazo de lançamento aparentemente diminuiu em dois anos.

[Fonte: Al Volante]

 

 

  • Eduardo T. Küll

    Primeiro, como de fato, estes crossovers são outra categoria, torço para que o Golf continue por aqui, inclusive fabricado aqui. O outro fato é que, havendo o Tharu, venha de onde vier, E AQUI? A indústria, no caso, a VW, vai continuar sua “queda”, sua perda de substância, passando a fazer carros cada vez mais simples, com menos sofisticação, tecnologia?

    • Alexandre Volpi

      Tenho quase certeza que o Golf vai parar de ser produzido assim que o lançamento do T-Cross for iminente… tudo bem que vendendo 200 carros/mês a linha pode estar ociosa, mas creio que abrirao todo o espaço possível pra esses SUV’s.

      O Fox vai embora daqui um tempo. Com o golf indo tambem, abre espaço pra um produto de bastante volume.

    • thi

      Continuar a queda?? I not understand

      • Rodrigo

        “I not understand”…
        Já diz tudo! Rsrsrs

    • Marcos Megda

      Golf nacional ja vai tarde. VW deu um tiro no próprio pé simplificando o produto e aumentando demais os preços. Se voltar a importar o Golf com mais qualidade e um preço um pouco mais competitivo pode voltar a ter vendas mais expressivas que compensem o investimento. Do jeito que está vale mais a pena abrir espaço pra outro veiculo na linha de produção

  • th!nk.t4nk

    Resumindo, vão fazer a versão baixo custo da uma versão baixo custo. Que loucura. Possivelmente mais um modelo super simplificado e esticado pra agradar o consumidor dos mercados latinos (“grande e barato”). Se tiverem alguma vergonha na cara pelo menos poderiam pegar o Karoq e só dar uma leve alterada na frente e traseira, preservando o restante do projeto. Pelo menos isso VW.

    • Eduardo T. Küll

      Se assim for, até pode vender mais que Compass, mas competir diretamente com o Jeep, só forçando DEMAIS a barra e contando com os fãs da marca, aqueles que, sendo VW, compram sem outros critérios.

  • Kiyoshi Yamashiro

    Acho que o segmento do hatch médio morreu no Brasil, o Golf e o Focus não devem sobreviver a uma nova geração, imagino que futuramente até o segmento de sedãs médios será afetado, já que só o Corolla consegue vender bem

    • Wellington Myph13

      O de Sedans médios vai continuar tendo briga, e na verdade, quanto mais o Corolla continuar vendendo, mais eles vão querer uma fatia do mercado dele.
      Já nos hatches médios, não tem um player vendendo super bem pra que os outros queiram se mexer e pegar esse mercado tb, mas não vejo o segmento morrendo, provavelmente tudo vindo importado e com vendas baixas…

      Golf aparentemente vai andar na contramão, já que não será mais fabricado no México, só fica aqui pra abastecer o nosso mercado latino, então acredito que façam como citei no meu comentário, desçam o padrão de acabamento interno pra que fique competitivo, como fizeram com o Polo.
      Tendo Powertrain bom e plataforma segura, não vejo problema, mas tem que ver até que nível vão descer o acabamento…

    • No_Name

      O Focus por aqui não será mesmo atualizado por enquanto, pessoas da fábrica em SBC dizem que a Argentina deve ganhar a produção do Escape/Kuga para ir preenchendo a produção que seria do Focus e ver até onde ele sobrevive. O Golf nacional é difícil saber qual será seu futuro porque a VW é muito estranha, toma cada decisão que não parece fazer muito sentido, como essa de encerrar a produção do Golf no México, se é que procede.

      • Ducar Carros

        O Focus vai aguardar a repercussão do Polo e do Golf 1.0 AT: se for muita boa, creio que a Ford irá adotar a postura da Peugeot com o 308, ou seja, ir deixando sem atualizar para competir em preço.

      • Ejovaste

        A decisão de encerrar a produção do Golf no México ocorre por pressão dos sindicatos alemães que exigiram a fabricação do Golf exclusivamente em solo germânico. Outro motivo é a queda nas vendas de modelos pequenos no mercado dos EUA (para os padrões americanos o Golf é um carro compacto).

        • Igor Pricandi

          Discordo. Os sindicatos querem que seus filiados produzam carros onde estão. Até tudo certo. Mas não faz diferença se produzem o carro A ou B. Desde que produzam. Se sai o golf e entra outro, empata. A outra coisa que disseram aqui mesmo no NA foi que essa tal exigência vinha da baixa qualidade do golf produzido no méxico. O que também é um contrassenso, porque se os mexicanos não servem para produzir o golf não servem para produzir outro vw. O que está havendo além das pressões comerciais americanas da era trump é a mudança no perfil de compra que aponta para suvs e pickups. Todos os outros perderão e perderão terreno, salvo um ou outro produto. Por isso, não se justifica ter muitas plantas fabricando os mesmo produtos. O mercado europeu ainda continua sendo o maior comprador do golf, e lá se justifica manter a planta. No Brasil tenho cá minhas dúvidas. Se depender apenas do nosso mercado a vw irá tirá-lo de linha. Simplesmente porque para carros genéricos produzir abaixo de 800 unidades mensais perde-se o efeito de geração de escala, começa a dar prejuízo. O golf só continuará em linha se for para abastecer o mercado da américa do sul. E não esquecendo do canibalismo, mesmo o polo sendo um produto inferior e menor irá roubar clientes do golf simplesmente porque o golf é caro demais.

    • Jesse James

      agora Vovorola so a partir de 90k, essa supremacia vai mudar

    • CanalhaRS

      A queda do Golf no mercado brasileiro, na minha visão, foi mais culpa da própria VW que do mercado.
      No lançamento, ele vinha da Alemanha com o mesmo nível de equipamentos e vendia bem (em torno de 2 mil unidades mensais, ficando atrás apenas do Focus, recém renovado também). Aí começou a vir do México, ficou mais caro e perdeu alguns ítens (e as vendas começaram a diminuir, ficando na faixa das mil unidades).
      Quando virou nacional, foi mais capado ainda e o preço disparou. O resultado todos estamos vendo: 300 unidades mensais.
      O segmento de SUVs já vem aquecido desde a década passada, com a chegada do Ecosport, então dizer que o hatches médios (que, de modo geral, ficaram muito caros, encostando na faixa de preço dos sedãs médios) deixaram de vender exclusivamente por causa dos utilitários não me convence.
      Para esclarecer, não estou dizendo que você afirmou isso, só aproveitei tua postagem para dar minha visão sobre o segmento dos hatchs médios e o caso emblemático do Golf. Abraço.

      • Marcos Megda

        Concordo com você cara. O Golf foi o melhor produto que a VW já vendeu aqui. Só perdeu pra ela mesma por ganância e burrice. Tive um Golf dos primeiros alemães que vieram. Até hoje sinto falta do carro. Se ele não tivesse mudado tanto, eu trocaria Golf por Golf a cada três anos facilmente. Ainda torço pra VW encerrar a produção dele aqui e voltar o alemão. Mesmo com o preço atual, ainda não vejo rivais à altura

  • Wellington Myph13

    Eu estou achando que esse negócio de marca baixo custo da VW não vai rolar…
    O Golf deixou de ser fabricado no México pra ser fabricado aqui. O Polo já esta sendo fabricado aqui. Agora esse Tharu vai ser fabricado lá, como uma versão de baixo custo.
    Somando todos esses detalhes, eu estou achando que teremos uma VW bem mais competitiva em preços, com bom Powertrain e Segurança, mas vão capar tudo que podem no acabamento. Polo já é assim, que até mesmo na Comfortline e Highline fica devendo certos pontos. Golf deve adotar alguma coisa nesse sentido pra brigar com o Cruze e Focus (Cruze tem painel emborrachado? Não lembro). Tharu deve seguir as linhas do Polo em termos de Design interno e acabamento, o que pode resultar em valores agressivos… Vamos ver. Honestamente acho interessante desde que o carro não vire escola de samba… Meu Gol 2013 com 40mil km não era, meu up! até os 20mil km também não era, meu cunhado tem o novo Gol, já esta em quase 30mil km, e nada também… Enfim, vamos ver como vai ficar, mas ligando os pontos, o desenho que forma é esse…

    • Alexandre Volpi

      Cruze tem um painel com a tecnologia Durastic, kkkk.

      Ao menos em 2 tons na LTZ.

      • Rodrigo Pasini

        kkk, faz tempo que a gm abandonou o painel emborrachado.
        Ao menos o painel é bem bonito, acho inclusive o todo preto da versão LT mais bonito que o da LTZ.

      • Wellington Myph13

        Então, sendo o modelo que mais vende, com acabamento sem ser emborrachado, eixo de torção e câmbio automático, não vejo porque não a VW não copiaria pra reduzir custo e baixar o preço do Golf.
        Eu honestamente estou achando que o Golf volta a brigar, seguindo o que a VW fez com o Polo… Mas… Vai saber…

    • Djalma

      O Golf não deixou de ser fabricado no México para ser fabricado aqui. A produção lá começou antes do que aqui, agora vai parar, mas em 2019. No Brasil, ainda é uma incognita. Se a versão 1;.0 AT pegar pode ser até que continue, mas a lógica é que fique só na Alemanha e na China mesmo. É uma pena, pois não tem no Brasil um Hatch e muito menos SUV que se iguale ao Golf no conjunto comportamento dinâmico, dirigibilidade e modernidade no mercado, tirando os players do seguimento Premium.

      • Wellington Myph13

        Eu sei que ele não deixou de ser fabricado no México pra ser fabricado aqui, eu disse que ele vai ser fabricado aqui com simplificação de acabamento, assim como o Polo, pra poder competir melhor com Cruze e CIA, e atender um mercado menos exigente, onde no mercado mais exigente vai ser atendido pela Alemanha…

    • FabioH

      O problema nem é o Golf, o problema é o seguimento inteiro de hatches médios, os SUVs compactos que mais vendem estão na mesma faixa de preço dos hatches médio, é uma tendência, não apenas no Brasil, mas em muitos mercados pelo mundo, não acredito que a VWBR tente baixar o custo do Golf para voltar pra briga, já que hoje eles tem o Polo ocupando essa lacuna imediatamente abaixo, inclusive fazendo propaganda de “mini-Golf”, rs. Mesmo o Cruze, que lidera o segmento, vendeu apenas 630 unidades, não vale a pena manter uma linha de produção para vender 300~400 unidades, o Golf deve voltar a ser importado da Alemanha e se bobear somente nas versões mais recheadas, como foi no lançamento, não acho ruim desde que consiga manter preços competitivos.

      • Wellington Myph13

        A Tiguan é importada da Alemanha e não tem preço competitivo… O Golf não seria diferente, e quanto a reduzirem os impostos de importados, pode ter certeza que vão achar uma brecha pra colocar em outro lugar. Tudo bem, pode acabar tornando os importados mais dentro da realidade dos fabricados aqui, mas ainda acho que o acordo mercosul vai ser melhor.
        Sem estar fabricando no México, o Brasil é o único a poder atender a america latina, e nisso podem querer reduzir em certas coisas como fizeram no Polo pra que seja competitivo em preços, mas não sei.
        Eu sei que não foi investimento baixo pra fazer o Golf aqui, apesar da plataforma MQB ser usada em mais modelos, ele não é feito só da plataforma, todo o restante é investimento “perdido”, certamente menor do que o de uma plataforma, mas…
        Vamos esperar pra ver, mas estou achando que esse atraso no Golf tem algo a ver com isso, baixando custos pra encaixar ele frente com o Cruze.

  • TT 230

    Vi vários vídeos do Karoq, com imagens ótimas, e o acabamento do painel parecia ser muito bom, principalmente o desenho, que ficou bem mais moderno do que aqueles contornos mais arredondados do ótimo acabamento do Compass, típicos de carros americanos.

    Colocando o design exterior da VW, o Tharu vai estar pronto em termos de porte e espaço interno para brigar com o Compass. Terá preços de 105 mil até 135 mil com motor 1.4 do Golf.

    Tiguan All-Space deve partir de 150 mil até os 185 mil com o 2.0 de 220 ou 230 cv.

    T-Cross vem pra competir com HR-V e cia partindo dos 80 mil manual e 85 mil AT, e encostando nos 105 mil do Tharu de entrada. O motor vai ser 1.0 TSI de 128cv. Mesmo menor, a VW deve conseguir ao menos 380-400 litros de porta-malas.

    O T-Track (Taigun) vem pra ficar no lugar do que era o Fox/CrossFox. Manual por 70 mil e AT por 75 mil. Indo até os 85 mil. Deve usar os 1.6 e 1.0 TSI.

    Golf deve surgir no início de 2018 apenas AT. Iniciando como 1.0 TSI AT por 89.990. A VW já deveria empurrar aqui os bancos de plástico, rodas 17, a Central de 6,5 do Polo com volante multifuncional em couro, tudo de série. Afinal o Cruze tá logo acima.

    OBS: chegou a hora da VW deixar os faróis de LED mais acessíveis para os clientes do Golf, isso aumentaria bastante as vendas. Poderia colocar um pacote de opcionais junto com os instrumentos digitais e a Central de 8″ por R$ 3.000. O Golf vai morrer e só 17 brasileiros tiveram os belos faróis no seus. Tá faltando estratégia.

    Tirando o Golf, o restante demora algum tempo pra chegar ao mercado, então precisa corrigir adicionando de 5 a 10 mil em cada modelo.

  • savedog

    MINHA OPINIÃO SOBRE VW.
    NÃO COMPRO NUNCA MAIS VW,,,,PENSE COMIGO, SE UMA EMPRESA INVESTE TEMPO E DINHEIRO P/ INVENTAR UM CHIP P/ BURLAR A LEI DE EMISSÕES DE POLUENTES NOS U.S.A. IMAGINA O QUE O POVO BRASILEIRO COMPRA…TO FORA.

    • Raimundo A.

      Ela e outras fizeram. Detalhe, descobriu-se porque alguém inventou de fazer aferições com metodologia diferente. Os testes de colisão não são diferentes, pois enquanto uma metodologia é conhecida, várias marcas se dão bem até que mudam ela para mostrar com outro olhar algo que de fato ocorre fazendo os ditos seguros serem reprovados. A sensação é que cumpriam requisitos para serem aprovados e a verdade é essa até que outras coisas que ainda não atentaram em avaliar passarem por crivo.
      O Onix, da Chevrolet, tirou zero no Latin NCAP. O que a fabricante respondeu: cumpre a legislação brasileira. Os vários que compraram o produto e continuam a comprar, a maioria talvez não se importe com a nota zero, e a legislação, fraca, apesar de melhor que outros países da região, não impede a comercialização. O produto Onix e outros com notas ruins feitos para mercados pouco exigentes a nível de segurança.

      Se você acha que não compensa mais comprar da citada marca pela falta de ética dela, ótimo. Outros vão ignorar.

      • savedog

        concordo..!!!

      • th!nk.t4nk

        Outras grandes montadoras já passaram por escândalos bem piores. A Volvo foi pega reforçando as colunas de um modelo com madeira (!) pra ir bem no crash-test. Ford e GM venderam carros que comprovadamente pegavam fogo nos EUA e nao fizeram nada a respeito, preferiram ver o consumidor morrer queimado e pagarem os processos, pois saía mais barato. O que a VW fez deu muita audiência porque foi em 2015, numa época onde a internet permitiu grande alcance. Mas pensando friamente, foi “tempestade em copo d’água” comparado ao que outras grandes montadoras já fizeram. Em outras palavras, você vai comprar carro de quem, se quer evitar os picaretas? Vai ter que andar a pé, nesse caso 😄

    • Djalma

      Já começa falando abobrinha, não foi inventado chip para burlar nada! Basta você alterar o software e você muda todo o comportamento de um carro, inclusive índice de emissões.

    • Wellington Myph13

      Totalmente fora de contexto a sua raiva.
      Se for pensar assim, é melhor ficar trançado em casa, porque toda empresa já fez ou faz algo que não é correto.
      Acho que tem que ter punição sim, e por isso temos leis e institutos investigando. A VW está pagando por isso, e muitas outras também.
      Só em comparação ao que você disse, a GM desrespeita muito mais o brasileiro do que a VW. Lá fora a VW usou software fraudulento (que foi descoberto que muitas outras também o fizeram), mas ainda assim por aqui preza pela segurança, seguindo exemplo com o Polo tirando 5 estrelas, onde a GM por aqui pouco se importa com isso e disse ainda que atende as exigências do país e toma aí que é isso que vocês merecem…
      Pondere suas exigências e raivas. Se o problema é a emissão, todos os motores flex se usado etanol aqui tem emissão 0, então a VW não precisa inventar nada por aqui pra trapacear resultados…

      • Ejovaste

        Eu ainda prefiro o tal chip poluidor a um carro zero estrelas em segurança.

        • Wellington Myph13

          Com certeza. Mas tem gente que se sente enganado e etc. Não vou tirar a razão, mas ao menos tento passar uma visão diferente das coisas. Porque procurar o que é certo é excelente, mas tem que ponderar, porque senão é mais fácil não sair de casa…

        • thi

          Prefiro 10 chipes a um carro 3 estrela

    • thi

      Entao nao compre nenhuma. Tenho vw e nao tenho dq reclamar. Fusion com volante q solta, Cabo de embreagem de etios q se rompe, fora as falcatruas das mesma. Viu de vw. A vw fez algo errado sim ,mais foi pra passar da fiscalizacsi ,mas seus carros de verdade sao excellent

    • Guedes

      Não foi só a VW que burlou regras. Não justifica, mas a Peugeot tbm mentia dados de consumo.

  • celso

    Como a VW é lerda pra ler o mercado. Esta notícia deveria ter saído 3 anos atrás, mesmo que ainda não houvesse o Tharu.
    Neste caso, um modelo da própria VW já deveria ter sido desenvolvido.

    • Djalma

      Vai chegar atrasada mas uma coisa já se sabe, vai dominar o mercado de SUV., basta ver o estrago que o novo Tiguan está fazendo no mercado e o começo auspicioso do Atlas nos EUA, onde foi eleito o melhor SUV no seu seguimento.

      • thi

        Verdade , ta vindo forte a volks

      • Cosi fan Tutti

        Estrago? Não vi estrago algum no outro post sobre quem cresceu nos Eua, VW não é citada e continua atras de Hyundai, Kia e Subaru.

        • Djalma

          Mercado americano não conta muito para a VW, mesmo assim está crescendo acima da média, agora da uma olhada nos números do TIGUAN na Europa e na China.

  • Penso que se a VW não lançar logo o Golf 1.0 TSi aut. não vai demorar muito tempo para sair de linha.
    Acredito que essa versão poderia elevar as vendas por aqui a mais de 500 unidades por mês e abastecendo o mercosul talvez viabilizasse a fábricação por aqui.

    • Ducar Carros

      Parece que a ideia é lançar o Golf 1.0 AT em janeiro ou fevereiro. Se vender perto de mil/mês no Brasil talvez ainda sobreviva, senão, vai passar a ser importado da Alemanha (e acabando com os 1.0).

      • Tomara que venha, será benéfico ao mercado, mas acho que será difícil chegar a 1000 é um bocado difícil, já que o líder do segmento não chega a 700/mês.
        Se conseguir ao menos a liderança, talvez a VW segure a fabricação aqui para atender a América Latina.

        • Djalma

          Se o 1.0 AT chegar na faixa de 80 a 85 mil pode sim chegar as 1000 por mês.

  • marc west

    Se esse carro só vai ser vendido em mercados onde a Skoda não atua, então faz todo o sentido que ele seja um Karoq com detalhes modificados. Até porque o visual de linhas mais retas é comum nas duas marcas e também sairia mais rápido e barato para a VW.

  • Raimundo A.

    Que o VW Golf vá embora, pois em breve o segmento dos médios hatches modernos padrão primeiro mundo será nicho de mercado aqui. Tem marca que deixou de ofertar e as que insistem, vendem, mas parece só compensar porque a produção é para a região. Se for depender exclusivamente de um dado mercado, é melhor importar mesmo.

  • Natán Barreto

    Só sai rumor, só sai previsão e lançamento que é bom mesmo só sairam o T Roc, Tiguan e Atlas, sendo que NENHUM pro Brasil.

    Todas as marcas no Brasil já colocaram seus players pra brigar pelo segmento. VW demora tanto que deu tempo da Ford renovar o Ecosport. GM melhorou o Tracker e trouxe o novo Equinox, Fiat lançou Compass e Renegade, Honda lançou HRV e enjambrou o Fit como WRV. Peugeot já pôs o 2008 no mercado faz tempo e tem até o 3008, Hyundai lançou o Creta e nova Tucson, Kia já tá aí com o Sportage há séculos. Até a Renault conseguiu capar o Captur pra vender aqui.

    Quando o carro autônomo elétrico chegar ao Brasil, a VW vai estar lançando esses crossovers e SUVs.

    • Cosi fan Tutti

      Sem contar que a Kia ja esta pra lançar o Stonic, que ja vende na America Latina, e os chineses tem vários Suvs pra lançar, e a VW dormindo no ponto achando que o Polo é a salvação.

  • Eduardo

    Com um Golf custando o preço de um Compass, não se admira que venda tão pouco.

    R$ 116 mil um Longitude.
    R$ 114 mil – Highline (com pacote Elegance; com pacote Exclusive vai a 122 mil) Com um teto solar – mais R$ 4.574.
    São classes distintas de carros, mas o modismo manda também na hora da compra.

    • Djalma

      Só gostaria de saber no que um Golf é inferior a um Compass? Muito pelo contrário, é superior em praticamente tudo, a começar pelo motor muito mais moderno. Para mim perde só no porta malas.

      • Eduardo

        Isso é que dá quebrar promessa. Prometi que nunca mais ia postar comentário nessa áreas.
        NÃO afirmei superioridade nem inferioridade.
        Estou falando de PREÇO, o que move uma quantidade considerável de consumidores. Eu mesmo gosto muito do Golf e de hatches.
        Com os consumidores se interessando por SUVs, praticar preços tão próximos a essa classe vai acabar acontecendo o que realmente vai; o Golf terá sua produção aqui interrompida, O QUE EU LAMENTO.
        Entendo que a política da empresa seja ganhar mais em cada unidade vendida, já que não pode obter lucro pela escala de venda, mas tal política vai acabar matando o produto.
        Por favor, não veja coisas que NÃO foram ditas num comentário, só porque você não gostou do mesmo.

  • Rbeto Doniz

    A decisão da VW de fabricar o Golf no Brasil me intriga até hoje…
    Os hatches médios já vinham perdendo espaço no mercado para os SUVs, o preço do Golf produzido aqui acabou sendo maior do que do importado mesmo com todas as simplificações que foram feitas…
    Por que não investiram no lançamento de um SUV ou mesmo na atualização do Gol que ainda era forte no mercado na época?

    • Guedes

      Simplesmente porque Golf é uma marca muito forte. É quase o carro de imagem da VW, é um carro mundial.
      Não acho que a produção no Brasil fez com o que o preço aumentasse. Os motivos do aumento são outros.

      • Rbeto Doniz

        Bem Guedes, não questiono a qualidade e a fama do Golf, inclusive mesmo com as simplificações que ele sofreu, ainda o considero uma boa opção de compra, mas se a intensão fosse ter um carro de imagem como vc diz, daí sim o importado seria ainda mais o carro ideal.
        O que questionei foi o que levou a VW, investir na fabricação local de um carro que já tinha uma expectativa de venda pequena devido ao interesse do consumidor desta faixa de preço estar mais voltado para os SUVs, a VW poderia ter priorizado a atualização do Gol que perdeu seu reinado e já estava devendo um SUV para atender seus consumidores.
        Quanto ao preço do Golf, na nacionalização a VW retirou o Confortline 1.4TSI, que poderia ser uma opção interessante e acabou ficando um salto muito grande do 1.0TSI manual para um Highline 1.4TSI aut, o que ao meu ver juntamente com a simplificação que teve na nacionalização com um grande aumento de preço contribuiu ainda mais para as vendas tão baixas.
        A única explicação que vejo para a fabricação local seria que, de qualquer maneira ela teria que investir para nacionalizar o Audi A3 e Q3, então aproveitou para colocar o Golf para ajudar a cobrir o investimento, só acho que infelizmente para nós cosumidores o posicionamento de preço que ela impôs ao Golf mostra que não tem nenhum interesse em vende-lo por aqui e que assim ele está contribuindo muito menos do que poderia para amortizar o investimento feito.

        • Cosi fan Tutti

          Mas na época nem mesmo lá fora a VW tinha investimento pesado em Suvs, agora que estão começando a lançar este tipo de Suv que o mercado quer, como T-Roc, Atlas etc.. Então nem projeto direito tinha antes.

  • Celso

    Pelo menos com o fim da produção nacional do Golf, as futuras versões importadas devem voltar a ter câmbio dupla-embreagem e suspensão multi-link.

  • Pedro Neto

    O projeto, independente da plataforma, não é executado jamais em 2 anos. Na verdade este carro já existe, olha as imagens… apenas irão mudar a “cara” e o logomarca

  • Miguel

    Sinceramente eu acho que a VW está meio perdida com essas mudanças no mercado.
    Tanto é que a resposta dela ao crescimento das vendas de SUVs veio meio atrasado, e agora eles estão correndo contra o tempo pra competir na faixa de preço de Compass pra baixo.

    Agora eles ainda tem que lidar com os hatchs todos com preços quase canibalizando tudo, novo Polo, Golf, etc. Que salada!

    Acabei de vir da Suiça, aluguei um Golf automático por lá e fiquei admirado com tanta “bruxaria” que o carro tinha, além do motor TSI.
    Eu não fiz as contas, mas eu dirigi do sul para o norte da Suiça, parando em cidades para conhecer, e quando devolvi o carro o tanque ainda estava pela metade! KKkkkk

    A VW capou o Golf e agora tira ele do mercado (talvez). Parabéns para os envolvidos.

  • Marcelo Cordeiro

    O GOLF já era. Toda a movimentação da VW indica isto. Com o fim do INOVAR AUTO e a produção do hatch médio da VW concentrada na Europa, ele pode continuar no mercado local como carro de nicho, importado. Acho uma pena, mas o pífio desempenho nas vendas do GOLF não justifica a manutenção de uma linha de produção em solo brasileiro. Não sei se a culpa é do preço elevado do modelo ou desta débil hegemonia dos Crossovers/SUV’s em todo o mundo. O fato é que aqueles que gostam de modelos hatchback (como eu) ou mesmo sedans terão que manter seus modelos antigos ou entrar na modinha SUV.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend