Volkswagen promete produzir elétrico popular em 2025

Volkswagen promete produzir elétrico popular em 2025

A Volkswagen prometeu produzir carros elétricos de baixo preço nos próximos quatro anos. Ralf Brandstätter, CEO da VW, diz que a marca está comprometida com um “carro do povo” eletrificado.


Revelando mais detalhes do projeto, Brandstätter disse que a plataforma MEB-Lite é considerada prioridade para atender os requisitos da VW para os segmentos A e B no mercado europeu.

Pelo que se sabe, haverá um hatch e um SUV, ambos compactos, que serão equivalentes do Polo e T-Cross, ambos com a MEB-Lite, porém, com baterias limitadas até 45 kWh.

Para alcançar um custo de produção extremamente baixo, a VW contará com ajuda de seus sócios chineses, mais notadamente a JAC Motors, da qual tem 50% das ações.

Com ênfase em reduzir custos, podemos esperar pelo MEB-Lite com bateria de lítio-fosfato de ferro, que se mostram mais duráveis e baratas que as de lítio atuais. Até mesmo a Tesla já está substituindo suas células originais por esse tipo.

Volkswagen promete produzir elétrico popular em 2025

Brandstätter fala que a VW quer atingir segmentos “altamente acessíveis” e se estima que o ID.1 custe em torno de US$ 24 mil na Europa, enquanto o ID.2 sairia por US$ 30 mil, valores que ainda estariam altos se comparado ao mercado americano, por exemplo.

Como a Volkswagen não mencionou faixa de preço, tais valores podem ser até mais baixos. Embora não tenha falado sobre a concorrência, a montadora alemã está de olho nas marcas francesas, especialmente a Renault.

O motivo é que a Dacia, conhecida por preços extremamente baixos, logo mais terá de mergulhar na eletrificação plena. Imaginar um Sandero elétrico pelo dobro do preço base atual é de fazer arrepiar alguns em Wolfsburg.

Tendo como meta atingir todos os públicos, a VW quer dar ênfase em volumes grandes. “Estamos trabalhando nesses conceitos. Claro, temos que levar em conta que os segmentos mais baixos no futuro exigirão VEs, e estamos preparando conceitos”, disse Brandstätter.

Volkswagen promete produzir elétrico popular em 2025

Contudo, o chefe da VW sugere que a marca botou o pé no freio em seus lançamentos elétricos. Ele mencionou que a marca lançará um carro elétrico por ano, indo numa direção contrária ao esperado.

Brandstätter mencionou que o ID.6 chega apenas em 2022 na China e que o ID.5 estará na Europa em 2023… Isso sem contar o ID Buzz em 2024.

Isso soa estranho, visto que a própria VW já menciona o ID.5 para produção no segundo semestre e o ID.6 na linha de montagem chinesa. Apenas a “Kombi” do futuro é que ainda não se materializou industrialmente, mas não deve demorar.

Já o Aero-B (ID Vizzion sedã e perua), aparecerão apenas em 2025. Ou seja, se é isso, o plano de substituir o Passat em 2023 fracassou, podendo dar uma sobrevida ao clássico alemão.

[Fonte: Autocar]

Ricardo de Oliveira
Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

31 comentários em “Volkswagen promete produzir elétrico popular em 2025”

  1. O mercado precisa de um elétrico popular que não seja feio. Hoje só a Tesla conseguiu fazer carro elétrico agradavelmente bonito, porém o preço é os olhos da cara, mesmo para os americanos.

  2. VW fazer carro barato? Conta outra! Vai sair por 199.990,00, menos de 200 mil!
    Em tempo: o Mobi é o atual lider de vendas em março! kkkk…..povo que quer comprar carro zero só tem o Mobi abaixo de 50 mil. Claro que vai mudar ao longo do mês, mas é curioso o Mobi liderar, ainda que pos alguns dias apenas..

    • Verdade, mas nesse caso da matéria falam na Europa, onde a VW de fato faz carros bem baratos (tem Golf a partir de 130 € no leasing). É uma marca de carros bem populares mesmo. Já no Brasil vira tudo do avesso.

        • São motores bem duráveis e bons. Os Golf rodam com eles há muitos anos e nunca ouvi reclamaçoes nao. Aqui em termos de problema são famosos os Mazda (não motor, mas costumam ter suspensão e freios problemáticos) e Jaguar Land-Rover (esses sim com motores que dão muita dor de cabeça). Os Opel uma época estavam bem ruins de mecânica também, depois que a marca foi abandonada pela GM (mas agora com a PSA creio que isso mude logo).

          • Valeu pela resposta, é que aqui os caras gostam de condenar sem nem ter dirigido um, baseado na opinião de youtubers que
            não entendem nada, aquelas coisas…

  3. Brandstätter fala que a VW quer atingir segmentos “altamente acessíveis” e se estima que o ID.1 custe em torno de US$ 24 mil na Europa, enquanto o ID.2 sairia por US$ 30 mil, valores que ainda estariam altos se comparado ao mercado americano, por exemplo.

    Polo reestilização 2022 será o último, o de despedida.

  4. Agora só quero ver como ficará a VW do Brasil qdo a gama europeia da VW for toda de IDs, por causa da eletrificação automotiva maciça que terá na Europa..
    Já na Stellantis-Fiat não terá variaçôes, pois a gama italiana da marca é totalmente diferente da gama brasileira, para mim é uma boa já que aqui a eletrificação ainda demorará um bom tempo para dominar, se dominar.

  5. Quando uma montadora de carros fala em atingir o segmento “popular” não é no conceito brasileiro da palavra. O Brasil obviamente não é cabeça-de-chave no desenvolvimento de veículos, ainda menos os elétricos. Os projetos são pensados para os países desenvolvidos (EUA, Europa, Japão) e só depois que se discute os “emergentes”. Para este caso, temos as plataformas simplificadas, ou projetos BRICS (com destaque para China e índia = Onix novo, Kwid, Etios, etc), ou os projetos jabuticaba, criados para o nosso mercado (Mobi, Argo, Onix antigo, Spin, Agile, etc).

    • Os projetos chamados jabuticabas, costumam ser bem acertado para nossas crateras lunares, na minha opinião acaba por ser mais interessantes que produtos pensado inicialmente para China e Índia e adaptado ao Brasil. Quanto aos globais, produto produzidos aqui nem sempre são iguais aos originais!

    • Elétrico é tão bom que alguns até têm sistema de som pra imitar carros a combustão… Ou seja, nível 5 do broxantéu. Adoro carro mas não consigo gostar de elétricos. É uma coisa que (ainda) não me desce.

Deixe um comentário