Europa Mercado Volkswagen

Volkswagen quer regionalizar para não perder mercado

gol-2p-2017-1

A Volkswagen vai mudar a estratégia de produto para ampliar as vendas em mercados fora do eixo Europa-China. A ordem agora é regionalizar, a fim de buscar o que o consumidor local deseja e não impor uma regra global, que está afastando a marca de muitos clientes.

De acordo com Jürgen Stackman, novo diretor de marketing e vendas da Volkswagen, a montadora vai dar mais poder de decisão às filiais, que assim poderão trabalhar seus produtos segundo as tendências locais. Mas, essa reorganização – imprescindível após o Dieselgate – não ocorrerá de forma rápida.

Ele explica que na Europa os consumidores procuram mais tecnologia embarcada, especialmente conectividade. Já em mercados emergentes, especialmente no Brasil, o visual é a principal atração. Aqui, modelos como o Golf são considerados de nicho por serem caros, em detrimento do Gol, um desenvolvimento local.

novo-golf-nacional-1

Por causa de decisões que só podem ser tomadas em Wolfsburg, a Volkswagen deixou de acompanhar a evolução de muitos mercados de fora da Europa e China, dando assim mais espaço aos concorrentes, que souberam aproveitar as oportunidades com produtos que atendem melhor os desejos locais. O fator “novidade” é muito importante na América Latina, por exemplo, onde o carro ainda é considerado um símbolo de status e conquista pessoal.

Mas tanto na Europa quanto no Brasil ou Índia, por exemplo, a Volkswagen quer buscar os clientes da classe média ascendente, público-alvo descrito por Stackman como “faixa ótima”, sendo esta intermediária entre a massa e o segmento premium. Mas, para fazer valer isso, a empresa precisará modificar suas estratégias regionais. O executivo diz ainda que a massificação no modelo tipo exportação não é mais válida em termos globais.

[Fonte: Financial Times]





  • CanalhaRS

    Minha nossa, a globalização será trocada pela gambiarrização.
    Brasil nunca mais terá um carro de padrão europeu fabricado aqui.

    • Pedro Rocha

      Era uma questão de tempo as marcas globais perceberem que a globalização de modelos empacaria na hora que os consumidores de países de menor renda vissem o preço disso.

      Não adianta trazer modelos modernos para mercados emergentes sem a devida contextualização, ou melhor dizendo, tropicalização. Se os modelos vendidos por aqui estão defasados, o motivo principal é o nosso mercado fechado, fechado pelos políticos que a maioria dos brasileiros elegeu nas últimas décadas.
      O povo tem o governo e os carros que merece. O melhor gestor nacional que a América do Sul viu desde a 2ª Guerra Mundial foi Augusto Pinochet e o pior são os irmãos Castro, mas perguntem o que nossos políticos pensam de cada um deles. Idem no âmbito nacional com Médici e Lula, respectivamente.

      • Marco

        Concordo plenamente, Pedro Rocha.

      • Márcio Sousa Rocha

        É preciso esclarecer que Pinochet aplicou bem os conceitos da escola de Chicago levando ao “Milagre econômico Chileno”. Fora isso foi só mais um sanguinário ditador latino americano.

    • Joaquim Grillo

      Nunca teve acorda, VW sempre fez gambiarras para o Brasil desde o fusca, que era fabricado no mexico ia para fora, já o fabricado no brasil tinha muitas limitações e problemas, olha a Kombi precisou de uma lei para que ela tirasse aquela bomba perigosa das ruas, olha no golf G2 que ficou anos no nosso mercado enquanto o G5 já estava andando nas ruas de fora de nosso pais, sem contar o fox fabricado aqui e inportado para fora que era superior em segurança que o nosso.
      O problema do mercado que ela perdeu foi simplesmente que ela parou no tempo, esqueceu que Honda, Toyota, Hyundai até a Fiat melhorou de qualidade e achou que somente o nome Volkswagen que ela construiu durante anos no Brasil iria ser motivo para comprarem produtos dela, e em 20 anos percebi que consumidores fiéis a ela começaram a sair dela para outras marcas e estão satisfeitos.

    • vicegag

      Mais jabuticabas podres, Brasil o país do futuro que nunca chega.
      É um passo pra frente e dois pra trás.

      • pedro rt

        brasil – lugar onde sempre os politicos “melam o jogo” do país se desenvolver…

    • Leonel

      Pois é. Brasileiro não valoriza o seu suor e o dinheiro que ganhou, ainda enxerga no carro um símbolo de status (há os que realmente são, claro) e não um meio de transporte que deve ser eficiente e seguro.

      Eu bato na tecla da educação, me criticam, mas é só ver o que a Europa valoriza e o que a AL valoriza. Complicado.

      • HugoCT

        kkk é isso mesmo, e vai continuar assim. Tem gente que passa metade da vida endividado com carros kkkk. Eu adoro carro, mas não coloco como prioridade.

    • Snoop Dogg

      A Volkswagen do Brasil foca em determinados pontos que brasileiro NAO DA IMPORTÂNCIA, vou citar:

      -Segurança
      -Consumo
      -Tecnologia de motor
      – Design conservador (grande maioria dos Brasileiros também não gosta)

      Brasileiro gosta:

      De conectar celular em aparelho de radio
      Latarias com vincos
      Farol que esticado ate a porta lateral dos carros
      Design exagerado vide as marcas orientais
      Carros 15cm mais alto do chão que são considerados “SUVs” independente de qualquer outro atributo.

      Agora em vez de bater de frente, eles vao prestar atenção no que Brasileiro da valor.

      • Zoran Borut

        A VW do Brasil, no passado, fez modelos cujo design não só agradava aos brasileiros, mas também chegou a arrancar elogios da matriz alemã. Exemplos são a reestilização da família BX em 1991 e a dupla Logus e Pointer. O Gol G3 foi outro que tinha um design feito para o gosto brasileiro, bem mais atraente do que o Polo da mesma época. É algo que a Hyundai está fazendo, ao lançar o HB20 para o Brasil ao invés do i20 – o nosso tem estilo mais agressivo. Quanto à suspensão alta, antes de abusar dos preços a Volks vendia bastante Crossfox – o erro foi não ter feito crossovers mais acessíveis e de manutenção simplificada como brasileiro gosta.

        Cada consumidor tem peculiaridades de gosto de acordo com sua história. Nós temos gostos diferentes de americanos, indianos e japoneses.

    • Snoop Dogg

      Brasileiro e Europeu pensam TOTALMENTE diferente na hora de comprar um veiculo, e a Volkswagen so percebeu isso agora.

    • André

      Veja que o ranking de vendas no Brasil mostra que a ideia da globalização está errada.
      Produtos regionais: Onix, HB20, Palio, Gol, Fox.
      Produtos Globais: Fiesta, 208, C3, March
      O único produto global que vende bem, mas já é um produto “meia sola” de nascença é o Sandero.

      • Zoran Borut

        O que chamam de robustez na verdade seria simplicidade mecânica, que a Renault foi aprender com a Nissan.

        Já quanto aos mais vendidos, é preciso considerar que os produtos globais que vc citou não têm versões 1.0, e portanto são bem mais caros, com exceção do March que ainda não é muito conhecido fora de grandes centros.

        Nossa peculiaridade é querer carros com design agressivo, “lindo por fora” (rodas de liga, aerofólio esses trecos), de baixo preço, que exija pouca manutenção, e tenha baixo consumo aliado a bom desempenho nas nossas longas estradas. Não temos a mesma facilidade de trens e aviões que os europeus têm.

        • Paulo Henrique

          Os produtos q ele citou podem até nao ter um motor 1.0, mas o C3 e o 208 têm uma opção de motorização de 3 cilindros 1.2, o motor pure tech, q eh o motor de 3 cilindros mais econômico do Brasil, ate mesmo do q o motor q equipa o up.

          • Leandro Balmant

            Imagino que ele se referiu ao 1.0 por ser concedido em carros mais acessíveis. C3 e 208 custam mais de R$ 46.000 nas versões de entrada.

            • Zoran Borut

              Sim, foi por isso. Versões até 40 mil reais.

    • Pedro Cunha

      ….tipo a china, que por muitos anos só recebeu “facelifts” e enjambres de modelos pré-existentes.

  • Louis

    A Honda está apostando no mesmo Civic para o mundo todo, vamos ver quem acerta.

    • Pedro Henrique

      o problema não ta na globalização, o golf, global, não tem um país que não ache o carro legal (até mesmo nos eua) o problema ta em não oferecer oque o mercado local quer, por exemplo, na europa hatch, e wagon vende igual água, nos eua é sedã e suv. a estratégia de por o mesmo carro da europa nos eua não é errada(o custo vai ser barateado e tudo mais), o erro ta em não oferecer oque o pessoal dos eua quer.
      ou seja, tem na gama, hatch, sedã, wagon e suv. na europa vai vender bem hatch e wagon, nos eua vai vender bem sedã e suv, com a vantagem de baratear pra ambos e ter uma gama grande em ambos.

      a ford ja vem mostrando que é uma decisão acertada, new fiesta, ecoesport, fusion, focus, edge, todos carros globais, até o ka já ta virando carro global.
      o problema na ford é o cambio powershit mesm, além de depenar alguns modelos

    • Fabio Marquez

      Já tem muitos anos que as japonesas Toyota e Honda globalizam seus modelos mais populares. Na geração atual do Civic dá para notar que o modelo tem luzes de posição nos para-choques, item obrigatório no mercado americano e que está sendo colocado em nosso modelo para padronizar e baratear a linha de produção.

      • FocusMan

        Cara, acho que você está equivocado.

        O Civic sempre foi diferente em diversos mercados. O Corolla Idem.

        • Rodrigo

          Falando especificamente do Civic, essa nova geração é a primeira a ser a mesma em todos os mercados.
          E sim, nas outras gerações o Civic tinha um representante em cada continente, praticamente. Até aqui no Brasil houve uma geração específica daqui.

        • Fabio Marquez

          No geral são mudanças pequenas para se adaptarem ao mercado, nada extenso. Painel de Del Rey está presente no Corolla americano, russo, indiano ou qualquer outro mercado onde ele é vendido, só a frente que muda nos EUA, já que por lá ele é um carro voltado ao público jovem. As reestilizações chegam rápido para que a produção esteja alinhada.

          • FocusMan

            Não mesmo….

            O Corolla tem versões em alguns mercados que de igual somente o nome.

            Difere muito em motorização e acabamento. O Corolla nacional por exemplo é bem melhor que muitos vendido ao redor do mundo.

      • Edson Fernandes

        Entretanto, os compactos da Honda são depenados comparando diretamente outros mercados.

        • Gustavo73

          Não só os compactos. Nem o Civic Touring tem os mesmos equipamentos aqui que lá fora. Mas a percepção do mercado é diferente entre as marcas. Um dos itens que a VWB parece não ter percebido.

          • Edson Fernandes

            Exatamente!

            Vamos lá… a propria VWB não trouxe a opção do Golf 1.4 TSI, com desligamento de cilindros! O carro iria ter uma economia absurda com isso! (principalmente em situações onde há transito)

        • cepereira2006

          Estão depenados hoje. Por muitos anos foram os únicos compactos com câmbio automático, freios à disco traseiros, ABS e air bags antes mesmo de serem obrigatórios, eram os mais completos para a época. O Fit foi o primeiro a ter tudo isso junto em um compacto. Por isso fez nome. Só que o brasileiro médio só valoriza a casca e não o recheio. Se der mil reais de desconto, aceita um carro todo depenado. As montadoras foram vendo isso e se aproveitaram.

          • Raphael Pereira

            Fit so tinha isso na versao top, as outras so vinha o basico pelo preço e categoria dele como ar vidro e direçao e super calotas

            • cepereira2006

              Não discordo. Mas a versão completa estava lá e era mais completa que qualquer outro carro. Infelizmente hoje já não é mais assim, a montadora parou de investir no carro, que cada vez fica mais pelado diante da concorrência e talvez por isso as vendas do Fit só tem despencado. Mas por muitos anos ele foi o compacto mais equipado do mercado brasileiro, algo que ficou no passado, infelizmente.

              • Raphael Pereira

                Discordo de ter sido o compacto mais completo do pais, tive ha 10 anos um 206, categoria inferior ao do Fit, versao feline e tinha tudo isso que vc disse inclusive freio a disco nas 4, abs airbag duplo, ar digital, isso mesmo digital num carro de entrada ha 10 anos atras, alem de sensor de chuva e crepuscular fora varios sensores mordomia. Se nao me engano o AR digital do fit so veio na segunda geraçao.

                • cepereira2006

                  Com câmbio AT?

                  • Raphael Pereira

                    O meu nao era, mas tinha opçao com o famoso AL4. Nao tem conversa, o Fit nao era o mais equipado, nao falo apenas pelo 206 que é um exemplo pois tive um mas com certeza existe outros mais equipados que o citado Fit Por exemplo o C3 exclusive.

                    • cepereira2006

                      Foi ter câmbio AT muuuito depois do Fit.

                    • Raphael Pereira

                      cara nao tem conversa independente disso, o fit nunca foi o mais equipado!

                    • cepereira2006

                      kkkkk. Quer você goste ou não, foi o primeiro carro compacto a oferecer câmbio automático. NENHUM outro tinha e por anos foi assim. Fora o comando variável de válvulas, que fazia ele voar, mesmo com motor pequeno e mega econômico. Por isso virou o sonho de consumo de quem gosta de carro pequeno. Era caro? Com certeza. Mas tinha tudo que o cara queria. Ainda vinha de brinde uma dirigibilidade ímpar, versatilidade com os bancos jamais vista, baixíssima manutenção, conforto, inclusive para quem vai nos bancos de trás, que tem visão de anfiteatro da estrada. Foi o carro compacto que fez história no BR. Ainda hoje é muito amado, pena que a sua montadora tem feito de tudo para avacalhá-lo, empobrece-lo ao extremo, enquanto segue aumentando seu preço.

                    • Raphael Pereira

                      Ja ouviu no corsa sedan automatico isso no ano 2000 , agora fazer o fit voar? vc ja dirigiu um? com seus miseros 80cv parei de ler ai!

                    • cepereira2006

                      Também era uma boa opção para a época, só que mosca branca, mas o Fit era superior. O Fit da primeira geração era leve. Arrancava como moto, na frente dos outros carros. Era o carro da minha mãe e os irmãos disputavam para dirigi-lo. Esse comentário baseado em cavalaria não condiz com a agilidade dele. Digno de super trunfo.

                    • Raphael Pereira

                      Economico era sim nao tenho duvida agora ser primor em desempenho, mesmo na segunda geraçao nunca foi. O carro tem seus meritios mas nao e o melhor carro, mais equipado, e kkkk potente. O novo com 115 cv ate pode dar certa emoçao mas os antigos jamais, deixemos o lado fanboy e sejamos realistas. Claro, como um Monovolume ( categoria na qual ele se enquadra, tipo a spin, idea, c3 picasso etc, ele nao e hatch compacto e se for compárado como hatch ele esta mais para medio visto suas dimensoes comparadas aos compactos da epoca em que foi lançado) deveria no minimo ter essa versatilidade toda, ser confortavel e espaçoso afinal quem compra um monovolume espera no minimo espaço! Pesquisa ai qual foi o primeiro compacto com AT!

                    • cepereira2006

                      Estou falando do Fit da primeira geração que era leve e ágil

                    • Thiago Miotto

                      Classe A com certeza teve câmbio AT antes

                    • cepereira2006

                      Teve mesmo. E vendeu muito por conta disto. Tinha esquecido dele.

          • Zoran Borut

            Citroen C3 tinha tudo isso também e era considerado mais sofisticado que o Fit. O Fit fez fama pela qualidade de montagem e do atendimento da rede, não pelos equipamentos. Vale lembrar que mesmo a linha Clio já oferecia airbag de série desde a nacionalização, anos antes do Fit.

            • cepereira2006

              C3 não tinha câmbio AT. Só mais recentemente. Clio era um bom carro, que também não tinha AT.

          • Edson Fernandes

            Negativo. As versões 1.6 de C3 já ofertavam tal item desde 2002. E nesse periodo o C3 ainda tinha discos de freio traseiro (que por sinal são bem eficientes).

            Mas isso nada muda o que a Honda trouxe de solução para o produto. Prefiro acreditar que a formula da Honda com o Fit foi o que agradou.

            Me lembro do Fit do meu tio levar: Meu primo, esposa, filho e filha, tio e tia. E acredite… ainda que não seja com conforto, eles viajaram muito dessa forma. Hoje ambos possuem Sandero e quando viajam vão em dois carros (ok, os filhos também cresceram, é pedir demais em ir num Fit).

            Pra mim, o que falta nas demais fabricantes é enxergar que precisariam ter um carro com soluções flexiveis como é o caso do Fit. É um carro compacto que pode aproveitar e muito tais caracteristicas.

    • LondrinaMatsuri

      eu gostei do novo Civic

  • Joaquim Grillo

    agora que acordou, querer vender Golf e jetta a preço de mercedes e audi aqui é um erro.

    • Luiz camurça neto

      Quanto a Audi não e problema o preço, pois é o mesmo carro. Mas tentar enfrentar MB e BMW… é outra coisa

    • Rodrigo Pasini

      Realmente é um erro, mas não se preocupe, da forma que está indo, logo logo “o carro do povo” vai custar mais que uma MB ou Audi.

    • Diego Ávila Monteiro

      Em que lugar que vc mora que Golf e Jetta custam o mesmo que MB ?
      Golf parte de 70 mil até 110 mil iniciais do GTI contra 120 mil iniciais da Classe A 200. E o Audi parte de 100 mil contra 79 mil a 100 mil do Jetta Top de linha. Os preços estão bem longe.

      • Joaquim Grillo

        Jetta TSI tá custando 177 mil reais OK e o Golf GTI 190 mil

        Muitos mercedes, bmw e audi 0K não custam isso

        • kravmaga

          177 mil ?!

          Um Jetta 2.0 TSI highline com todos os opcionais possíveis custa por volta de 125 mil.

          O Golf GTI é caro mesmo, mas as versões que vendem mesmo giram em torno de 140 a 150 mil.

          • Joaquim Grillo

            Se você olha os preços no site da VW ou das marcas esqueça as concessionárias colocam até 30% acima do preço desses sites, os famosos monte o seu.

            O Jetta de 125 mil pode chegar a 160 mil se colocar todos os itens de um top para chegar perto de um mercedes benz

            • Gustavo73

              Não há equipamentos para se colocar no Jetta acima de 125mil.

            • Diego Ávila Monteiro

              Nem um Jetta blindado 0km custa 160 mil.

            • kravmaga

              Eu comprei o meu no ano passado exatamente pelo preço de tabela. E só não tive descontos porque comprei numa multimarcas do RJ que trouxe o carro de SP.

          • Snoop Dogg

            GTI vai de 125k ate 159K

            • Diego Ávila Monteiro

              GTI em muitas lojas em SP partem de 110 mil.

        • Fernando C.

          Concordo que esses dois modelos são bem caros, mas em quais locais que eles estão saindo por esse preço?

          • Joaquim Grillo

            Nas concessionárias mesmo ando por ai perguntando

            • Gustavo73

              Nas concessionárias o que não falta é desconto.

            • Fernando C.

              Então quem compra o carro por esse valor tem que ter muito dinheiro sobrando, porque o preço oficial do GTI com todos opcionais possíveis fica na casa de 160 mil. E uma concessionaria que pratica preços assim não deveria vender nada mesmo.

            • Doccar

              Vc ta louco..Nas lojas todos os carros q vc citou tem descontos de R$ 10 mil.

            • Diego Ávila Monteiro

              Ta andando no lugar errado.
              Da uma olhada na Webmotors que tu vai ver a realidade.

        • FocusMan

          Brasileiro sendo Brasileiro….

          Meu caro, esses são os modelos TOP da VW. Em qualquer mercado do mundo, os modelos Tops das marcas comuns custam mais que as versões de entrada das marcas premium.

          Um Ford Fusion top de linha aqui nos EUA custa mais do que um BMW série 3 intermediário, veja quem vende mais por aqui?

          • Joaquim Grillo

            mas estamos falando de mercado brasileiro o um Mercedes CLA 200 0K aqui no brasil custa 150 mil e um Golf GTI custa 190 mil um absurdo de diferença onde a VW vê que 40 mil a mais em um golf ela vai vender

            • Diego Ávila Monteiro

              160 mil é preço de GTI blindado. Acho que você está mais longe do Brasil que que o FocusMan.

            • PEDAORM

              Essa versão citada versões GTI é superior a uma CLA 200 em tudo, na minha opinião, só deve o status… Em outras versões o GTI consegue ser superior custando menos, oferece melhor custo beneficio na minha opinião.

            • FocusMan

              É a mesma coisa nos Estados Unidos.

        • Diego Ávila Monteiro

          Golf GTI parte de 110 mil e Jetta TSI 100 mil.
          Procura antes de chutar esses preços.

      • Rodrigo

        Aonde que um GTI custa R$110 mil? Acho que nem no site da VW…
        Estive há duas semanas atrás em 4 diferentes CSS em São Paulo (veja bem, a maior metrópole da América do Sul) ajudando um amigo a comprar seu GTI basicão e o mais barato que achamos foi uma versão com teto-solar e pintura metálica por R$130 mil (com desconto). Pior que nem encomenda a VW está aceitando…

        • Gustavo73

          Enquanto ela não normalizar a produção não deve aceitar encomendas mesmo. Aqui no Rio ainda se acha o Gti básico abaixo dos 120.

          • Rodrigo

            A do freio de mão eletrônico eu sabia, a do eixo de torção não…
            Mas sabe, até prefiro o freio de mão “normal”, por dois motivos:
            1. Em manobras evasivas o eletrônico não deve funcionar (até por uma questão de segurança);
            2. Pra fazer qualquer intervenção de manutenção em freio de mão eletrônico (exemplo, troca de pastilhas traseiras) o bloqueio só pode ser feito via software específico. Se for fazer a alavanca manual (como qualquer mecânico faz atualmente), corre-se o risco de danificar o módulo de controle. Quem me disse isso foi um mecânico, então não sei se procede ou não.

            • Gustavo73

              Na Europa o Confortline tem duas opções de potência com o 1.4Tsi de 150 cv aí usa a multilink e a de 125cv aí usa o eixo de torção e todas as versões daí para baixo incluindo as à diesel. O erro ao meu ver foi tirar da Highline principalmente pelo volume de vendas e preço pedido. A VWB errou muito nos preços ao lançar o nacional. Se ao menos tivesse incluindo mais equipamentos na trica da suspensão traseira tinha uma desculpa. Mas não(só um detalhe aqui e outro ali)e ainda lançou o MSi com preços muito próximos do Confortline mexicano. Mesmo que tivesse preço similar as versões 1.6 do Focus não foi assim que o mercado viu. Hoje o Highline descola muito em preços do Focus, o TSi é um destaque mas não justifica os preços. Era melhor continuar trazendo o Golf do México. Já com questão ou AutoHold ele tem muitas funções legais e práticas. Mas as questões que você levantou existem.

            • kleber peters

              Procede. O bloqueio sempre deverá ser feito via software.

        • Diego Ávila Monteiro

          Então está procurando no lugar errado Rodrigo, olha na Webmotors que vai ver GTI partindo de 112 mil.

          • Zoran Borut

            Esse é o preço mínimo, na própria Webmotors informa que o preço médio dos anúncios é de 127 mil. Já os de 160 mil são unidades blindadas.

            • Diego Ávila Monteiro

              Pelo preço mínimo já leva um GTI, então ele parte de 112 mil. Em nenhum momento eu disse que o Top custa 110 mil. Liguei pra 2 lojas hj e me disseram que se chegar com 100 mil sem carro na troca, ja leva!

  • Verdades sobre o mercado

    A VW tem ótimos produtos (haters podem malhar …), mas no Brasil ela peca pelo conservadorismo. O consumidor brasileiro prefere emoção (design) e não razão. A VW no Brasil segue sua linha mundial, onde o design não é marcante e por isso perde tanto mercado. É claro que não é o único motivo, mas se ela investir em produtos que agradem mais aos olhos do brasileiro ela tem condições de melhorar seu desempenho.

    • Matthew

      Sei lá, acho que tá havendo muito histeria por parte do pessoal aqui do fórum. Hoje a gama Volkswagen se divide em dois grandes grupos, a saber: a) nacionais, que só tem carroças do naipe do Gol e do Fox que já estão bem cansados, e b) importados, carros de padrão internacional da marca que vêm do México ou Alemanha, à exceção do Golf que foi nacionalizado por força do Inovar-Auto.
      Então é justamente na maior fatia do bolo que ela tá sem competitividade. Aquele interior do Gol é inaceitável para os padrões de hoje. O Fox é basicamente o mesmo carro há 13 anos. E o resto da linha de nacionais são derivações deles, tipo o Voyage que a VW nem se deu ao trabalho de trocar a chapa onde o vai guardado o estepe, que é a mesma do Gol e fica lá no fundo do porta-malas devido ao maior comprimento do sedã.
      Quanto a linha de importados, não necessariamente produtos regionalizados sejam tão piores assim, tá cheio de exemplos. O Passat vendido nos EUA é bem maior que o Europeu só que menos sofisticado. A GM ao perceber que os modelos da Opel estavam ficando muito sofisticados (e caros) para os padrões do mercado brasileiro, substituiu o Vectra/Astra pelo Cruze, que nada mais do que é um GM que segue os preceitos da escola japonesa de se fazer carros. É um Chevrolet “asiático”. Se a GMB fosse vender o Opel Astra de última geração aqui no Brasil hoje, teria os mesmos problemas que a VWB tem com o Golf.

  • thi

    Até que em fim a vw percebeu q o Brasil é primeiramente desenho e segundo tb ,depois o resto

  • Airplane

    A VWB (Brasil) sempre foi regionalizada.
    Modelos importantes vendidos aqui, como o Gol por exemplo não são vendidos na Alemanha.
    Outros que usam o mesmo nome dos que são vendidos lá, como o Up por exemplo, são muito diferentes dos originais.
    Essa regionalização será também implantada em outros mercados pois aqui sempre foi assim.

    • Ricardo Santos

      Isso que eu pensei… VW do Brasil sempre teve um monte de jabuticabas… e os modelos ditos “globais” nunca venderam muito.

      • pedro rt

        os produtos globais dela hj custam entre 35mil e 50mil e 75mil a 300mil… ou seja o up!, golf, golf variant, fusca, passat…

    • Verdades sobre o mercado

      Os produtos são regionalizados, mas seguem a linha mestra da matriz, ou seja, são produtos com DNA VW europeu mas adaptados para a realidade econômica do brasileiro. Agora creio que a VW Brasil deverá buscar um DNA próprio que agrade ao brasileiro.

    • thi

      Mas segui desenho global e esse desenho vendi menos q um hb ou onix

      • Rodrigo

        Não acho que seja “só” o desenho. O problema é a relação preço x equipamento, que aqui a VW enfia a faca sem dó e, quando tem algum desconto, ou é porque o modelo está mudando ou porque está encalhado.
        Bota o preço do up! uns R$5 mil abaixo do que custa cada versão pra vc ver se não dá um “up” nas vendas…

        • Verdades sobre o mercado

          É claro que se baixar o preço do up! vende mais, mas não acredito que venda muito mais, pois o up! tem um desenho que não agrada o brasileiro, apesar de ser um excelente carro dentro de sua proposta.

    • Gustavo73

      O que tem de muito diferente do Up lá e cá?

      • Verdades sobre o mercado

        Pouca coisa, entre elas a tampa de vidro e uma traseira um pouco mais comprida. Logicamente o europeu tem mais itens de segurança, mas isto vale para qualquer carro de entrada.

      • Airplane

        Comprimento diferente, porta traseira diferente com janela com vidro que sobe e desce (na Alemanha é basculante), tampa do porta-malas diferente (a alemã é de vidro como a do Mobi), melhor acabamento e mais itens de segurança no alemão.

        • Gustavo73

          Comprimento diferente para ter um porta-malas e tanque de combustível maior(vantagem), vidro traseiro que aobe e desce frente ao basculante(vanta). A porta da mala tem acabamento em vidro mas alma em aço diferente da do Mobi, maia bonita na minha opinião mas não vejo problema na de aço com relação a função. Itens de segurança diferentes aqui e lá fira acontecem infelizmente em todas as categorias( se for assim o Civic e Cruze recém lançados também são muito diferentes lá fora, o Civic inclusive no motor 2.0 diferente do 2.0 americano) o acabamento é igual antes do facelift recém apresentado na Europa. Aqui e lá usam o mesmo powertrain e plataforma não considero nem de longe MUITO diferente como você disse. Eas diferenças no desenho traseiro firam para melhor e não pior. Exceto a tampa da mala.

          • Airplane

            O Up brasileiro não é pior que o europeu, mas é diferente por ser abrasileirado (regionalizado), ou seja, a regionalização sempre foi praticada no Brasil, não é novidade, pois sempre foi assim. Regionalizar talvez venha a se constituir em inovação em outros mercados, mas, com certeza, não no BrHue.
            A família Gol, carro mais vendido pela VWB até hoje, é outro exemplo da regionalização da VW do Brasil, pois este modelos (Gol, Voyage, Saveiro, etc.) nunca foram fabricados pela matriz alemã.

            • Gustavo73

              Sem dúvida aqui está longe de srr novidade. Isso acontece falando em VWB desde os tempos da Brasília. Não sei exatamente em que contexto as opiniões firam dadas na matéria original. Mas ela não retrata a realidade nem da VW AL com produtos regionais dominando as vendas Gol e Fox e suas famílias. E na da China aonde apesar de ter os produtos mundiais o Passat acaba de ser lançado por lá, tem em sua maioria produtos regionais alguns exclusivos e baseados em projetos mais antigos. Falando em AL a queda nas vendas começa na queda do mercado no geral capitaneado pelo Brasil. Falando em mercado interno a VWB só está colhendo o que platou(ou melhor não plantou no que chamo a década perdida 2003-2013). O pico na minha opinião foi o chamado Gol G4 que acabou com qualquer desejabilidade pelo modelo. Mesmo com o G5 melhorando isso, nunca mais o mercado olharia para o Gol do mesmo jeito. E mesmo assim ele foi pensado exclusivamente para bater o Palio. Ao meu ver o que a VWB precisa agora é reconstruído a sua imagem, isso passa por revisões anuais, os preços delas agora já tabelados e com M.O inclusa (finalmente). E uma política de preços vs em mais agressiva, isso é primordial para que o mercado volte a olhar ela de uma maneira mais agradável. Não tem jeito ou desce ro salto e arregaça as mangas ou vai ficar na melhor das hipóteses na mesma.

  • zekinha71

    Com essa “regionalização”, quais serão as surpresas que a VWB nos dará.
    E isso pode indicar que o primeiro a dançar poderá ser o The very best.

    • The Canadian

      A volta do santana, importado da China é uma opção.

  • saosao

    Engraçado que muitas fabricantes vêm fazendo o caminho inverso há tempos, e pelo visto é algo que, se bem administrado, dá certo sim.
    O que dá a entender é que ela se viu obrigada a regionalizar devido à situação em que se encontra (caso Dieselgate), e em que possui modelos que vendem bem em determinados mercados, mas não em outros (Gol, Fox, Polo etc).
    Um caso da própria marca que é praticamente o mesmo em todo o mundo é o Golf, que faz sucesso e é o carro chefe da marca.

    • Diego Ávila Monteiro

      Na Europa da certo pq não são ambiciosos, e fazem um carro de qualidade. Aqui no Brasil, trocam um motor perfeito, com potência, torque, econômico, pouco poluente por um … e o pior, cobram mais caro !

  • Diego Ávila Monteiro

    “Já em mercados emergentes, especialmente no Brasil, o visual é a principal atração.”

    Essa política já está sendo adotada aqui, exemplo do Golf MSI, por fora atende o Brasileiro mas por dentro, digo o motor, um erro.

    • Rodrigo

      Motor, suspensão traseira por eixo de torção (até na Highline), freio de mão convencional, e por aí vai.

      • Gustavo73

        Nada diferente por exemplo dos EUA aonde o freio de mão também é por alavanca. Eico de torção também tem na Europa a diferença é que lá só até o 1.4Tsi de 125cv.

    • Zoran Borut

      O Golf MSI está correndo risco de sair de linha, devido à rejeição ao modelo. Foi uma tremenda tramóia sem vergonha e desaforada da VW oferecer esse motor num carro nacionalizado pelo mesmo preço que era cobrado pelo importado que tinha um motor mais potente, mais econômico e mais moderno. Quer vender Golf 1.6 MSI, tudo bem, mas tenha a decência de cobrar bem menos do que cobrava pelo 1.4 TSI.

  • Diego Ávila Monteiro

    Promoções chamam os compradores. Olha a GM, primeiro lugar com o Ônix pq toda semana tem promoção na TV e jornal. Tbm foi esperta em colocar uma multimídia nas versões de entrada pq de resto o carrinho não tem nada pra estar em primeiro.
    A VW precisa mudar a estratégia aqui no Brasil, mas com essa total autonomia, tenho medo que fique pior!

  • Magnamox

    Traga o Polo e coloque o nome de Gol…Tira de linha o Fox… Pronto, resolvido.

    • Eduardo Alves

      E coloca o preço do Golf.

    • pedro rt

      em 2018 a vw tira de linha o fox e as versoes mais caras do gol. e vai lançar o gol G8

    • The Canadian

      Um polo básico de 2 portas e calota, com motor 1.0 custa 45 mil reais na Alemanha, você acha que custaria quanto aqui? Quem aceitaria pagar uns 55 mil em um carro desses?

      • Magnamox

        Poxa vida, jurava que o Polo era vendido em Euros na Alemanha….

        • The Canadian

          Euros que valem mais do que reais, ou você acha que a vw venderia ele aqui por 12400 reais?

      • Zoran Borut

        Começou a comparação de preços ao pé da letra… Na Alemanha o salário mínimo é de 1500 euros mensais, ou cerca de 5400 reais, suficientes para comprar esse Polo com 8 meses de salário. No Brasil, o salário MÉDIO (nem estou citando o mínimo) é de 2.200 reais. O Polo é muito mais barato para um europeu do que um Mobi para nós.

        • The Canadian

          Sim, por isso a vw não vende ele aqui como gol, o brasileiro médio não tem renda para comprar/manter um carro igual ao vendido na Europa. Se levarmos em conta o salário médio da população a vw teria que vender esse carro por 500 dólares em Cuba porque a média do salário é de 30 dólares por mês.

  • Pedro Henrique

    faixa ótima, custo de produção de massa, preço de segmento premium

  • Thales Sobral

    Acho que a VW não entendeu nada. Os produtos globais que ela vende aqui são CAROS, por isso que vende pouco. A Ford trouxe o Fiesta “igual” ao fé lá de fora, vendeu muito. O próprio Golf vendeu bastante quando chegou.

    • kravmaga

      Também acho isso. Se começarem a avacalhar no Brasil os bons modelos globais que ela já tem, como fizeram com o Golf ao lançar com motor 1.6 MSI, vai perder tanto os clientes que sempre quiseram comprar esses modelos mas não têm dinheiro quanto os que têm dinheiro mas não querem levar porcaria.

      Infelizmente o nosso mercado é pobre mesmo e se a VW quer quantidade tem que fazer umas jabuticabinhas bonitas no segmento de entrada e manter os bons modelos globais no segmento médio para cima mas trabalhando mais nos preços, oferta de equipamentos e no marketing

      • Edson Fernandes

        Só o fato dela colocar opcionais irracionais mostra um posicionamento errado.

        Quer melhorar? Que deixe justo o preço dos opcionais. O carro é moderno mas não é ainda coisa de outro mundo. Enfim… por aí já dá para entender.

        Outro ponto é… porque existir uma linha mais simples do Jetta que perde em itens de série para a maioria do mercado? Ok… tem mais segurança que alguns modelos, mas a que preço? Pra mim deveria ser o comfortline por exemplo no lugar do trendline e com os opcionais, tudo considearndo o preço de partida do trendline podendo incluir os opcionais. São exemplos que dariam mais sucesso a VW sem ter prejuizo, porque o que fizeram no trendline é um absurdo.

    • FocusMan

      O nome do jogo é Lucro. Vender muito não significa lucro.

  • FocusMan

    Falo isso todos os dias onde eu trabalho:

    Carros globais é á idéia mais furada da história. Já tentaram isso no passado em uma escala menor e não funcionou, hoje que as pessoas tendem a buscarem a individualização, ficou pior ainda.

  • FocusMan

    Enquanto nas mesas do conselho discute-se como se lucrar mais vendendo menos, ficamos aqui preocupados com quem vende mais carros.

  • Edson Fernandes

    Fico pensando… será que a VW continuará a pensar que deve manter um produto durante anos e que assim fará sucesso? As demais estão se atualizando e mostrando que estagnar não é interessante no mercado. Espero que ela repense muito bem as mudanças que irá aplicar no Brasil.

  • Celso

    ÓBVIO DO ÓBVIO DO ERRO DESSA POLÍTICA: A VW AINDA NÃO TEM UM CONCORRENTE DO ECOSPORT, O QUE DEVERIA JÁ TER OCORRIDO A TEMPOS.

    • Verdades sobre o mercado

      Este erro não é só da VW, é da Fiat (que sempre se vangloriava de atender às necessidades do consumidor antes) e da Chevrolet. Não entendo como estas marcas passados 13 anos do lançamento do Ecosport até hoje não lançaram um concorrente. Até a Renault já lançou (e já vão 5 anos!)

      • A Fiat até tem, por meio de sua divisão Jeep, com o Renegade.

  • RKK

    A melhor forma da VW não continuar a perder mercado é descer do salto alto !

  • se no Brasil o visual é a principal atração mobi etios e cia o que estão fazendo nesse mercado?

    • Verdades sobre o mercado

      Se o Etios tivesse um design que agradasse o brasileiro teria vendido muito desde o lançamento e certamente estaria entre os 3 mais vendidos. O Etios vendeu muito mal no início e suas vendas estão crescendo desde então porque é um bom produto e a Toyota tem um excelente pós-vendas. Quando vier o novo Etios (certamente com um design minimamente agradável) vai vender demais.

      • JAC

        ETIOS HB 3.583
        MOBI 3.351
        FOX 2.932
        UP 2.758
        Fenabrave 29/08

    • Kyozuki

      Se o Etios tivesse um design minimamente agradável, era ele que seria o líder de vendas e não o Onix.

  • Verdades sobre o mercado

    É isso que o comprador brasileiro valoriza … infelizmente.

    • Tosoobservando

      Engraçado que ha pouco tempo isso era uma reclamação de la fora todos os carros terem multimidia, gps, etc ate em modelos basicos e aqui nao, e agora que tem o povo so reclama kkk

  • The Monster Man

    VW, perdeu tempo, seus carros estão caros demais e muito mal equipados aqui, esse diretor de marketing não sabe de nada que acontece fora da Europa mesmo.

    • Gustavo73

      Será que é só esse o problema? Os japoneses também são mal eu e caros. HRV e Renegade vendem a rodo mesmo sendo caros e novamente mal equipados. A questão da VWB é simples. Deixaram uma década no marasmo 2003/2013. Nada de muito relevante ou interessante. Quando decidiu se mexer o mercado já estava em queda e seu nome por sí só não é mais suficiente para atrair consumidores. É necessário descer do salto e repensar a política de preços e opcionais. Mesmo que por um tempo tem que vender mais por menos.

  • Gustavo73

    Tem algo fora de lugar no pensamento desse senhor. O mercado aonde a VW perdeu mercado é justamente a AL, aonde seus produtos mais fortes são regionalizados desde sempre. Família Gole família Fox. Na China também é assim, grande parte dos produtos só existem lá, mas ao contrário vendem muito bem. Na AL o problema se concentra principalmente no Brasil política de preços errada principalmente. Baixa a bola preços mais interessantes e vai vender.

    • Tosoobservando

      E concorrencia oferecendo coisa melhor.

      • Gustavo73

        Ai depende da categoria. A VWB está com motores modernos, a exceção do 1.6 8v, mas não é um motor ruim. Já os carros mesmo que alguns não sejam is melhores estão na média. O problema ao meu ver está na questão cxb e desejabilidade da marca. Os modelo desejados estão com preços acima, esses precisam melhorar nesse equilíbrio. A maioria tem preço na média mas já não são tão desejados, então por hora precisam atrair pelo cxb. Não vejo um produto melhor que o Up na sua categoria, mas seu preço coloca as versões mais interessantes na faixa de modelos mais desejados e maiores. O Gol melhorou no 1.0 e o interior ficou melhor mas já tá cansado enquanto espera uma nova geração deveria atrair mais pelo preço x equipamentos, o Fox melhrou muito nos últimos anos internamente, mas falta para a categoria o algo a mais como alguns equipamentos e o at no 1.6. O Jetta precisa de mais equipamentos nas versões 1 4 e preço frente ao Cruze por exemplo e por aí vai. Equipa mais e ajusta os preços que vende. Não estou falando em ser líder de vendas ou coisa assim. Isso depende de outros fatores e um trabalho de médio prazo. A percepção do mercado sobre a VWB hoje não é a mesma dos anos noventa, culpa da própria.

        • Tosoobservando

          Up! é carro citadino, nao da certo no Brasil. Aqui tem de ser grandin ou ter aparencia assim, por isso MObi, Etios, Sandero etc.. vende mais. Mas a maior mancada ate hoje a meu ver foi nao seguir o mercado a epoca dos lançamentos de Onix e HB20 e fazer um “novo” Gol mais proximo do Polo. Quiseram por o Fox no lugar e o Up! na entrada. Foi o tiro no pé.

          • Gustavo73

            Mobi é menor externamente e principalmente internamente. O Uno é menor internamente. Então não vejo isso como problema. Ônix e Hb20 não estão perto do Polo. São projetos nacionais da mesma maneira que o Fox. Já disse no passado não há espaço para Gol e Fox como estão hoje, inclusive se fosse para escolher só VW eu iria de Up ou Fox nunca de Gol. O problema da VW foi o nome forte do Gol ter impedido a morte do mesmo. Ficando Up e Fox seria possível um Fox mais barato que tem ao meu ver mais qualidades que o Gol. Na verdade ela deveria ter chamado o Up de Gol. Ele é ligeiramente mais estreito, mas de resto tem espaço parecido inclusive no porta-malas. Agora é esperar para vcomo ela resolve isso nas novas gerações de Gol e Fox.

            • Tosoobservando

              Não falei pra lançar o Polo pra disputar com ONix e HB20, e sim pra atualizar o Gol pra algo proximo do Polo europeu, mas poderia ate manter o nome Gol mesmo, ou colocar Polo ate ajudaria a vender mais nessa faixa. Poderiam sim ter apenas Up! e Polo (um Gol melhorado talvez) e acabar com o Fox que ficou horrivel na nova geração, principalmente aquela traseira. Deram mancada tb com Golf e Jetta, tirar a Kombi e nao oferecer nenhum utilitario na faixa, e tambem nao fazer um Suv ou crossover barato. São muitos erros e estas crises de imagem la fora, tao queimando a marca aqui dentro.

              • Zoran Borut

                Já comentei uma vez: a Volks poderia fazer Gol e Voyage sobre a plataforma MQB-A0, equivalendo ao Polo europeu (mas com um design menos insosso para agradar ao brasileiro que gosta de estilo agressivo), e desenvolver a ideia da minivan space-up! para fabricar como Fox, sendo assim a opção de compacto altinho da gama, podendo a partir dele desenvolver uma versão furgão comercial. Acredito que com o motor 1.0 e 1.0 TSI, esse Fox-spaceup se tornaria vendável em regiões metropolitanas e bastante interessante para o pequeno comerciante também, devido à possibilidade de grande espaço interno em menos de 4 metros de comprimento.

                Para o lugar da SpaceFox, a VW pode lançar o crossover derivado do futuro Polo, porém tem de se atentar a oferecer bom espaço no porta-malas e boa altura do solo sem exagerar no preço (querer concorrer com HR-V em patamar de preço, jamais – deveria mirar nas versões 1.6 do Duster e EcoSport). Para a faixa mais cara do mercado, deveria ter um crossover diferenciado, mais ao estilo “hatch médio volumoso” do HR-V e equipado com o motor 1.4 TSI flex.

  • Mumm Rá

    KKKKKKKKKK até que enfim Das Fraud foi sincera e pior para os brasileiros KKKKKKKKKK

    ” Já em mercados emergentes, ESPECIALMENTE NO BRASIL, o visual é a principal atração ”

  • andré

    Não adianta globalizar mesmo, as pessoas estão preocupadas realmente nos países emergentes com visual, com status, do que com segurança, qualidade e tecnologia. O que importa é o meu carro ser melhor que o do vizinho, do amigo… Isso aí Volks, você deve entender o cliente…

    • delvane sousa

      A meu ver essa questão de status caiu bastante. No momento atual as pessoas compram o que conseguem comprar, se é que conseguem comprar. Qualquer popular decente tá chegando na casa dos 50mil. Pelo menos a geração atual esta vendo carro de uma forma diferente. Mais como meio de transporte e menos como status.

  • carroair30

    Fala baixo que aqui ta cheios de HBBOYS

    • Ricardo

      Pior são os Onixboys!

    • Zoran Borut

      Não vejo nada de condenável na mecânica do HB20. E quem lançou a moda de painel Mairinque, ops, My Link, foi o Onix, que de popular de entrada 29.990 acabou aumentando de preço 23% em um ano e meio e chegando ao patamar de compactos-premium-de-pobre.

      • O GM Onix foi o que valorizou o equipamento, pois a época, o Renault Sandero da antiga geração já tinha o MediaNav como opcional desde o final de 2011, com o erro da Renault em não ter feito versões com o equipamento de série e comercial disso.
        HB20 também já tinha BlueNav como opcional desde novembro de 2012, mas só fez versões equipadas de fábrica em 2013.

  • Snoop Dogg

    A Volkswagen do Brasil foca em determinados pontos que brasileiro NAO DA IMPORTÂNCIA, vou citar:

    -Segurança

    -Consumo

    -Tecnologia de motor

    – Design conservador (grande maioria dos Brasileiros também não gosta)

    Brasileiro gosta:

    De conectar celular em aparelho de radio

    Latarias com vincos

    Farol que esticado ate a porta lateral dos carros

    Design exagerado vide as marcas orientais (fora os que acham Toyota marca premium).

    Carros 15cm mais alto do chão que são considerados “SUVs” independente de qualquer outro atributo.

    Agora em vez de bater de frente, eles vao prestar atenção no que Brasileiro da valor!

    • Kyozuki

      Esqueceu de falar do bom atendimento no pós-venda, que também é muito valorizado e cobrado pelos brasileiros.

      • Snoop Dogg

        Qual marca tem o Pos Venda muito superior as outras pra voce ???

    • JAC

      Ele explica que na Europa os consumidores procuram mais tecnologia embarcada, especialmente conectividade.
      Jürgen Stackman

    • Tosoobservando

      A Toyota com o Corolla em 3º mais vendido e o Fetios subindo desmente tudo isso que vc falou. Agora sobre design, ate a Hyundai e Kia chama atenção na europa pelo design e preços baixos. Sobre consumo, Ford Ka manda lembranças…e o Clio…. Peugeot tem altas tecnologias de motor tambem.
      Mas tem uma coisa que a VW faz que brasileiros realmente nao gostam, carros citadinos. Isso realmente, o UP! vende mal por isso, consumidor dessa faixa prefere um carro com aparecia de maior e mais espaço.

      • Zoran Borut

        Nesse momento de retração, só consumidores com poder de compra mais “permanente” estão comprando carros zero, e tais consumidores geralmente estão concentrados nos grandes centros urbanos, como São Paulo. Devido à preferência desse perfil de consumidor por carros automáticos, as vendas do Etios estão aumentando – além de o custo-benefício do carro ter melhorado na nova linha. Não fosse a crise, talvez o Etios estaria com os mesmos números de venda, ou pouca coisa maior, mas os demais carros de entrada estariam vendendo muito mais, como era em meses anteriores.

        Quanto ao up!, vejo muitos aqui no centro de São Paulo. Não creio que possamos dizer “o brasileiro não gosta de carros citadinos” assim de forma generalizada. O up! tem espaço interno de Gol, inclusive no porta-malas – é basicamente um Gol com metade do cofre do motor. Tem mais espaço que um Picanto, por exemplo, e bem mais que o Mobi. Vejo mais problemas no design do up!, interno e externo, e no fato de custar o mesmo preço do Gol e do Fox. Ele parece simples demais por dentro e custa o mesmo que os outros (na concessionária). E os outros dois têm um design mais agressivo, ao gosto local.

        Acredito que o design do Skoda Citigo, a versão up! da marcha tcheca, estaria mais ao gosto do brasileiro, e não seria difícil a VW adotá-lo por aqui. Os faróis poderiam ser inspirados nos do Fox internamente. E seria preciso fazer uma escada de preços, eliminando a versão 1.0 do Fox e promovendo o conteúdo do Gol para deixá-lo com custo-benefício atraente ante os concorrentes e, com isso, preparar terreno para a chegada da nova geração (tática adotada pela CAOA para construir a imagem da Hyundai).

        • Tosoobservando

          O Etios melhorou o interior e tem motor otimo, o cambio é o melhor da categoria abaixo dos 50 mil, e e´um Toyota, isso conta. Se o visual exterior fosse um pouquinho melhor, seria lider. Sobre o Up!, eu ja acho que o Seat Mii estaria mais para o gosto “latino”. Sobre o Gol eu acho que a VW devia melhorar ele e por no lugar do Polo (na mesma faixa de antes) pegando Onix, Hb20 e tambem Cobalt e talvez ate City com uma versão automatica top do Voyage melhorado, mas teria de ser algo melhor e com cara do europeu. Ae seria Up!, Fox e Gol a escada de preços.

  • A VW sempre é muito lenta, e não entende bem o mercado.
    – Veio trazer o Golf quando o segmento caia no abismo.
    – Lançou um subcompacto pelado (UP), quando o mercado quer carro de entrada com algum conforto, aí vimos Onix e HB20 bombando e a VW parada.
    – Até hoje não tem um SUV citadino, Jeep e Honda estão colhendo os louro$$ de ter enxergado melhor. Quando a VW vier a lançar um modelo pra competir, já estarão nas ruas as versoes da Hyundai e da Toyota… e a VW vai ficar com a lanterna.

    • Zoran Borut

      Eu só discordo quanto à questão do Golf. Ele chegou bombando, sendo cobiçado e tal, mas quando estava para ser nacionalizado começou a ficar caro demais, até perder totalmente o custo-benefício que tinha. Se hoje tivéssemos um Golf 1.6 automático com preço ao redor de 62 mil reais, preço dos compactos premium top de linha, poderia ter vendas significativas por ser um produto prestigiado. Mas custa, em promoções, pelo menos 10 mil a mais que isso.

  • Rodrigo Alves Buriti

    “classe média ascendente, público-alvo descrito por Stackman como “faixa ótima”, sendo esta intermediária entre a massa e o segmento premium.”

    Simples, diz que o Up é modelo de entrada, o Gol é premium e o Fox é médio. Pronto! Tá feito o gosto da massa brasileira.

  • HugoCT

    Leigos veem isso como falta de qualidade, outros como estrategia de mercado. Não será só ela, muitas outras fazem, caso da Fiat, o que explica suas vendas no mercado brasileiro e do restante do mundo. Não é por que um carro é desenvolvido no Brasil que é mal projetado, longe disso. As montadoras não vão investir em um produto que não venda. Temos que ter a consciência que estamos em um pais subdesenvolvido e que o publico é diferente da Europa. Lá o Golf é o mais vendido, já aqui é médio Premium, alem do “absurdo” cobrado – não sei se a culpa e só da montadora, tem os juros tambem e custo fixos. Alias, temos que dar valor aos projetos nacionais, pois eles proporcionam empregos internos, o que anda faltando em nosso pais. Estamos a beira do precipício, ou a industria vai para frente ou não sei o que será de nos brasileiros.

    • Tosoobservando

      VW Polo foi o melhor modelo feito por ela no Brasil ate hoje.

    • Zoran Borut

      “As montadoras não vão investir em um produto que não venda”. Não tem como elas preverem o sucesso ou não do produto. Vide a Chery. Ou o Etios, que era para vender bem e levou todos esses anos para começar a ter bom custo-benefício. Temos ainda o caso do Linea, do Bravo, tantos outros que não alcançaram as vendas esperadas. Quanto a projetos locais… olhe para o Mobi, o pior projeto já feito no Brasil, que deixa o velho 147 parecendo o supra-sumo da engenharia no que tange ao aproveitamento de espaço. Não dá para generalizar.

      Brasileiro compra carro pequeno não por querer carro pequeno exatamente, mas primeiro pelo preço. Sandero, Siena e Classic tiveram boas vendas quando o mercado estava aquecido. E segundo, pelo fato de o mercado consumidor de carros zero se concentrar nas regiões metropolitanas, onde naturalmente há menos espaço nas ruas, estacionamentos e garagens. Dificilmente (para não dizer nunca) se vê algum smart fortwo em pequenas cidades interioranas, um carro nada barato, mas eles são frequentes no centro paulistano.

      Daí sobra para quem não tem o poder aquisitivo dos metropolitanos a opção de comprar “o resto” desses últimos, e assim temos o mercado de usados, no qual a simplicidade mecânica e tecnológica é essencial para o consumidor, visto que este não pode arcar com o custo de manutenção de um carro sofisticado. Então dá para dizer que, para aumentar as vendas de carros novos, faltam produtos adequados para nossa realidade, ou seja: preço. E para ofertar preço, tem que desafiar o cartel.

  • Schlatter70

    Se o Golf no Brasil custasse o equivalente aos EUA ou Europa, com o mesmo nível de qualidade e acabamento, ele provavelmente venderia mais que Corolla. Mas a VW quer que o brasileiro que ganha menos que americanos e europeus pague muito mais que nesses países. Aí não tem mesmo jeito. E o cara me fala uma merda dessa, que no Brasil o pessoal gosta mais de visual do que de tecnologia. Esse cara não entende nada de nada.

  • Leo

    Vou dizer algo meio difícil para nós que amamos carros: só teremos um mercado decente, tanto em preço quanto em qualidade, quando deixarmos de dar tanto valor à posse de um automóvel, como a própria reportagem destacou. Precisamos encarar como um bem de consumo qualquer, jamais uma prioridade – a ponto de muitos passarem aperto no orçamento apenas para comprar e manter um veículo. Isso passa por exigir melhorias de fato no transporte público e o carro passar a ser apenas uma opção, e não uma necessidade. Aí sim, as fabricantes vão rebolar para vender; o poder será do consumidor, que imporá limites mínimos de segurança e conforto e máximos de preço, simplesmente porque ele poderá viver tranquilamente sem um automóvel.

    • Tosoobservando

      Na vdd é tao simples, ano que vem acaba o Inovar Auto, lembra quando o Collor abriu o mercado e baixou o imposto de importação pra menos de 20%? Então, façam isso de novo, tirem as barreiras, façam acordos internacionais, tragam concorrencia. O preço do carro vai despenca. Vao fechar fabricas? Vao. Mas ja estao fechando do mesmo jeito. Vão umas e vem outras.

    • alexandre

      Perfeita colocação. Carro aqui é moda. O que mais lemos aqui é que carro tal não vale nada na hora de revender. E quem faz a revenda é o efeito boiada mesmo. Em regra, brasileiro não procura o melhor produto, ne relação custo x benefício, na compra do seu carro. Compra o bonito “bão” de revenda.

  • The Canadian

    Lá vem o Golf 7,5.

  • Zoran Borut

    Ao ler o título, imaginei uma concessionária à beira rio vendendo Schwimmwagens zero km no Amazonas e um Gol com chassi de Amarok transitando pelo Mato Grosso.

  • Vinicius Batista

    Já tentaram diminuir os preços? É uma boa dica, acho que vão vender bastante!

  • pedro

    Golf considerado nicho??? Custando três vezes mais aí fica difícil assalariado a levar o Golf, se o cara tiver intenção de pagar.
    Não compramos Gol porque queremos, é porque é o que podemos.

  • JAC

    Realmente… com Sr.Jürgen Stackman como novo diretor de marketing e vendas da Volkswagen, mais autonomia,poder de decisão às filiais,é imprescindível.

  • Renato Campos

    Simples. Como qualquer povo o brasileiro gosta de carro bom. A diferença é que carros bons no Brasil custam uma fortuna. Então no Brasil, faz sucesso carros que fingem que são bons, por isso a estética é tão importante no nosso mercado. A lei do bonitinho, mas ordinário. Façam carros bons com preços competitivos e serão aceitos em qualquer mercado. Põe o Golf top 100000 e mais barato 55000. Venderá igual água.



Send this to friend