Volkswagen Saveiro – defeitos e problemas

Introduzida no mercado brasileiro em 1983, a Volkswagen Saveiro se posiciona como um dos modelos de maior sucesso da fabricante alemã no país.


Atualmente, a picape compacta está em sua quinta geração (esta com duas reestilizações em pouco mais de oito anos) e é a segunda mais vendida do segmento, ficando atrás da veterana Fiat Strada.

Como acontece com praticamente todos os automóveis à venda no mercado, a Saveiro costuma apresentar alguns problemas relatados pelos seus proprietários.

Com base em relatos de proprietários registrados em fóruns e sites especializados na internet, a picape de porte compacto da Volkswagen pode apresentar alguns defeitos que vão desde falhas no acabamento a dores de cabeça com problemas na motorização.

Confira alguns deles:

Motor 1.6 MSI com consumo excessivo de óleo

Desde meados de março de 2014, a Volkswagen Saveiro passou a ser equipada com o novo motor 1.6 16V MSI na versão topo de linha Cross, que foi usado ainda no Gol e esteve presente também em modelos como o Polo em sua configuração intermediária.

Todavia, embora seja um propulsor de concepção mais moderna que o antigo 1.6 8V (usado nas outras versões da picape) e também mais potente e “torcudo”, ele costuma apresentar um problema em várias de suas unidades.

Segundo relatos de alguns proprietários da Saveiro Cross registrados na internet, o motor 1.6 16V MSI que equipa a picape compacta da Volkswagen costuma apresentar constantes baixas no nível de óleo.

Em diversos casos, a concessionária realizou a substituição completa do óleo, colocando a quantidade necessária conforme recomendado pelo fabricante. Mesmo assim, após rodar cerca de 2 mil quilômetros, o nível de óleo baixou para menos do mínimo.

Para piorar a situação, a Volkswagen vê isso como algo “normal” – de fato, o nível de óleo baixar é algo normal, devido a evaporação e queima na câmara de combustão, por exemplo, mas após bons quilômetros rodados.

Segundo um boletim interno da marca, o consumo excessivo de óleo nos motores 1.6 16V MSI é devido à montagem incorreta ou desgaste prematuro dos anéis ou de outro componente interno do motor, ou ainda uma falha nos vedadores das hastes das válvulas.

Falha na bobina de ignição

Um dos problemas que costumam ser relatados por alguns dos proprietários da Volkswagen Saveiro de atual geração é a bobina de ignição um tanto quanto ineficiente.

Ela acaba deixando o condutor na mão antes mesmo do previsto, por volta de 50 mil quilômetros rodados (o equipamento foi projetado para durar mais de 200 mil km, dependendo das condições de uso e manutenção). Em um dos casos, o problema apareceu após somente 17 mil km.

Num veículo, a bobina tem como função transformar a tensão da bateria em alta tensão para as velas de ignição, que produz as faíscas necessárias para que a combustão seja realizada e o motor funcione conforme previsto.

Com o defeito na bobina, a tensão é transferida de maneira irregular às velas, provocando problemas na combustão, além de aumento no consumo de combustível e nos níveis de emissões de poluentes, perda de potência e barulho de batida de pino do motor.

Má vedação dos vidros e portas

Parece que as borrachas de vedação utilizadas pela Volkswagen nas portas e vidros da Saveiro não são tão eficientes assim.

Conforme os relatos de diversos proprietários em sites especializados na internet, a picape compacta pode apresentar infiltração de água através da porta do motorista e do passageiro, sendo que em alguns casos foi relatado até a presença de goteira na cabine do veículo.

Além disso, a má vedação das portas e dos vidros da Volkswagen Saveiro pode permitir a invasão de poeira no interior da picape.

Algo considerado bastante crítico, tendo em vista que em muitas vezes o utilitário é usado como um veículo para trabalho e que pode ser utilizado em trechos mais acidentados – inclusive nos exemplares da versão Cross, que sai de fábrica com suspensão mais alta e pneus de uso misto prontos para essas condições.

Freios traseiros com chiado

Outra reclamação bastante frequente entre os proprietários da atual geração da Volkswagen Saveiro é um barulho bastante expressivo emitido pelos freios traseiros.

Segundo alguns relatos, os freios traseiros ficam extremamente sensíveis e barulhentos nos primeiros instantes de funcionamento no dia. Esse chiado costuma ser tão alto que muitos proprietários o comparam com o barulho dos freios de um ônibus.

Ao que tudo indica, tal problema afeta somente os exemplares equipados com freios traseiros a tambor. Vale lembrar que a Volkswagen Saveiro é equipada com freios traseiros a disco de fábrica em sua última reestilização, lançada em março de 2016.

Tanto é que um dos proprietários relatou que parte do problema foi solucionado pela concessionária ao substituir os tambores traseiros em garantia, mas após alguns quilômetros o ruído voltou a aparecer.

Ruídos internos e externos

Como é algo praticamente característico entre os carros compactos, a Volkswagen Saveiro também não escapa quando o assunto são os ruídos causados por parte do acabamento interno, em especial no painel e nas portas.

Os proprietários também relatam ruídos constantes na tampa da caçamba, que costuma “bater muito” e emitir “um barulho horrível na hora de fechar”.

Além disso, outro tipo de barulho que pode aparecer frequente em parte dos exemplares da Saveiro é na suspensão, sobretudo ao entrar na cabine do veículo. Além disso, alguns clientes reclamaram do fato da suspensão ser dura demais quando sem carga – ao ser carregada, o conforto melhora consideravelmente.

Outra reclamação de ruído é quanto aos pneus de uso misto da Volkswagen Saveiro. Um barulho excessivo vindo deles é algo bastante frequente entre veículos equipados com eles.

Porém, ainda conforme os relatos de proprietários, no caso da picape compacta da marca alemã o barulho é bastante excessivo, sobretudo em estradas de chão batido ou asfalto com trepidação.

Autor: