Volkswagen T-Cross: Primeiras impressões do novo SUV compacto

Volkswagen T-Cross: Primeiras impressões do novo SUV compacto

O Volkswagen T-Cross finalmente chegou! Em apresentação simultânea entre Europa, Brasil e China, três versões de um mesmo produto aparecem diante da imprensa automotiva.


Aqui, o crossover será a principal arma da VW para alcançar a liderança de mercado, desejada pela empresa há pouco tempo. Na Europa, ele será feito na Espanha, enquanto na China, haverá duas linhas de produção (lê-se FAW e SAIC). Daqui, ele será enviado para a região, incluindo o México, mas os EUA e Canadá estão fora do alcance. Até mercados na África serão atingidos.

A ser feito em São José dos Pinhais-PR, o Volkswagen T-Cross começa a produção no primeiro trimestre, tendo no segmento trimestre a ativação do segundo turno no Paraná. O utilitário esportivo compacto tem 4,199 m de comprimento, 1,568 m de altura e 2,651 m de entre-eixos, tendo porta-malas entre 375 e 420 litros.

Volkswagen T-Cross: Primeiras impressões do novo SUV compacto

A oferta nacional envolve o motor 1.4 TSI Flex na versão 250 TSI, que entrega 150 cavalos e 25,5 kgfm, além de transmissão automática de seis marchas. A tração é sempre dianteira, mas o T-Cross chega com modos de condução: Normal, Eco, Sport e Individual. O motor está disponível na versão Highline.

A outra opção será o 1.0 TSI com até 128 cavalos e 20,4 kgfm, mantendo a mesma caixa de câmbio automática e com opção manual, ambas com seis marchas. Parte de uma estratégia agressiva da VW, o T-Cross é um dos cinco SUVs que a marca pretende lançar aqui até 2020, sendo que destes o primeiro foi o Tiguan Allspace e agora faltam três, que podem ser crossover do Polo, Tarek e Atlas.

Volkswagen T-Cross: Primeiras impressões do novo SUV compacto

Volkswagen T-Cross – Primeiras impressões

O Volkswagen T-Cross se apresenta com um conjunto agradável. O visual não ficou carregado demais e o equilíbrio estético agradou ao primeiro encontro. A VW apresentou duas propostas de tonalidade bem distintas e de bom aspecto. Uma é mais sofisticada e impactante (marrom), enquanto a outra é mais leve e divertida (branco).

A frente do T-Cross nacional é elegante e robusta, tendo faróis duplos de LED com luzes diurnas em LED bem desenhados, assim como um conjunto mais harmônico com a grade, que possui elementos em preto brilhante bem destacados, assim como frisos cromados na base. As rodas de liga leve tem design bem esportivo e haverá opções de 16 ou 17 polegadas com pneus 205/60 R16 e 205/55 R17.

Volkswagen T-Cross: Primeiras impressões do novo SUV compacto

O para-choque tem um aspecto fluido com faróis de neblina em evidência, assim como a barra central na parte inferior, que tem o nome do carro em baixo relevo. Ou seja, é para ser reconhecido até de frente. O capô é discreto e os para-lamas fazem uma estranha curvatura, indicando que a frente ainda poderia ser mais alta se quisesse a VW.

Com teto e colunas em preto brilhante (pintura, não aplique), o T-Cross ganha um ar mais esportivo, tendo ainda barras longitudinais no teto e vidro solar panorâmico. Nota-se as portas traseiras maiores por causa do entre-eixos ampliado, assim como os retrovisores grandes. Um aplique lateral indica a versão, enquanto o logotipo do som Beats (que tem 300 watts RMS e subwoofer no porta-malas) é fixado nas colunas B.

Volkswagen T-Cross: Primeiras impressões do novo SUV compacto

Na traseira, o Volkswagen T-Cross parece ter forçado um pouco a amizade com um conjunto ótico tão volumoso, com lanternas em LED compactas, mas um preenchimento central que não acende por completo. Nessa enorme lente, o logotipo da VW até encontrou seu lugar. O para-choque tem aspecto moderno, mas não chama tanto a atenção.

No interior, o T-Cross é bem mais expressivo. O acabamento geral ainda aposta no custo baixo ao aplicar muitos plásticos duros, tanto no painel quanto nas portas. Mas é aquilo, assim como Polo, Virtus e Jetta, a tecnologia chega para desviar o foco da coisa e compensar isso. Assim, tonalidades em cobre e cinza chamam muita atenção, assim como o aplique brilhante no painel.

Volkswagen T-Cross: Primeiras impressões do novo SUV compacto

No T-Cross branco, o foco foi a cor exterior – assim como na outra pintura – com o mesmo cinza em bancos e painel, além de console e parte inferior do carro sempre em branco, o SUV compacto agradou nas escolhas das cores até o momento.

O painel é exclusivo do Brasil, tendo um desenho ligeiramente modificado e dotado de Active Info Display e Discover Media (com Android Auto, Car Play e Mirror Link). Falando em conectividade, o sistema tem sistema de som Beats, três USB (dois atrás), dois SD (um para navegação) e mais DVD/CD.

Volkswagen T-Cross: Primeiras impressões do novo SUV compacto

No Discover Media, pode-se optar pelos modos de condução e configurar o painel. O T-Cross Highline tem (provavelmente opcional) Park Assist, além do Start&Stop. Há também botão de partida, volante multifuncional, ar-condicionado automático (podia ser dual zone…) e persiana elétrica do teto solar. A iluminação interna é em LED e colunas e teto são escuros. O aplique na cor do carro no painel e portas tem boa textura.

Porém, se tudo isso parece um Volkswagen, uma sensação estranha ocorre quando se observa a alavanca de câmbio. A ausência do tradicional seletor de marcha, agora coberto por uma capa de napa e com pomo “importado da Suécia” e iluminado, parece algo muito estranho num carro da marca.

Volkswagen T-Cross: Primeiras impressões do novo SUV compacto

O espaço geral é bom, especialmente no banco traseiro, que tem ainda difusor de ar e ajuste do mesmo, assim como duas entradas USB. A altura interna é boa e o encosto do banco é aceitável. Quem dirige ou vai na frente, tem ainda um apoio de braço ajustável.

O porta-luvas é pequeno e o teto de vidro é bem amplo e deixa o ambiente bem agradável. Já o porta-malas é suficiente, mas ainda sobra espaço sob o assoalho. Apesar da boa impressão de tecnologia, o T-Cross ainda fica devendo itens como controle de cruzeiro adaptativo, leitor de faixa ou frenagem automática de emergência, por exemplo, mas pelo menos estaciona sozinho…

Volkswagen T-Cross: Primeiras impressões do novo SUV compacto

A questão aí é o preço, que deve ser bem alto. A imprensa no geral aposta algo entre R$ 80 mil e R$ 110 mil, aqui não considerando opcionais, que são evidentes, como teto solar e Park Assist, por exemplo.

A VW não deu indicadores de valor, mas pelo pacote oferecido na versão Highline, o T-Cross deverá abranger uma faixa de preço importante no mercado.

Agora é esperar pelo lançamento nacional e sua produção, que pode ainda contemplar uma versão de PCD com câmbio automático. Terá ele um bom desempenho no mercado? O que você acha?

Volkswagen T-Cross – Galeria de fotos

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.