Avaliações Esportivos Sedãs Volkswagen

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

O Polo GTS trouxe de volta a sigla famosa nos anos 80 com o Gol GTS, mas veio acompanhado de seu irmão maior, o Volkswagen Virtus GTS. Um sedã compacto “esportivo”? Por que não?


Embora não tenhamos visto um Voyage GTS naquela época, a ideia parece boa, ainda mais quando experimentamos. Contudo, este GTS aposta também no conforto para andar rápido.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Mesmo tendo levado o preço para uma faixa pertencente aos sedãs médios, o Virtus GTS oferece uma proposta de desempenho diferente de seu irmão Jetta 250 TSI.

São salgados R$ 107.990 por um sedã compacto, porém, este vem com o coração do Jetta, aprimorado com alterações mecânicas para servir como esportivo. Nisso, ele parece ter dado certo.

Por fora…

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Sem exagero, assim como o Polo GTS, o Virtus GTS é até mais elegante com suas formas alongadas e entre-eixos maior.

O conjunto ótico full LED vem com detalhes em vermelho e cromo, que reforçam a proposta do modelo. A grade personalizada chama atenção, mas não mais que a sigla GTS destacada na dianteira.

O para-choque com faróis de neblina exibem LEDs que não funcionam, já que existe a assinatura em LED nos faróis. Na traseira, as lanternas são parcialmente em LED.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

As belas rodas aro 17 com pneus 205/50 R17 são atraentes, compondo um conjunto que ainda tem defletor de ar na tampa e antena exclusiva no teto.

Faltaram visivelmente um bom teto solar elétrico e escape esportivo aparente, coisas que podem aparecer, quem sabe, no futuro. Já a suspensão alta demais é outra coisa que não se encaixa.

Por dentro…

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Se por fora busca ser um pouco mais discreto, por dentro, o Virtus GTS não precisa ir nesse caminho. O ambiente é escurecido em teto e colunas, mantendo a amplitude do habitáculo.

Os bancos personalizados com abas altas e apoios de cabeça integrados (na frente) chamam atenção, mas a sigla GTS é pouco destacada. Pelo menos o volante multifuncional faz isso.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

No painel, o Active Info Display tem o vermelho como base para diferenciar o Virtus GTS, assim como a multimídia Discover Media traz monitor de desempenho e cronômetro de volta.

Câmera de ré e a bem completa integração entre o dispositivo e o cluster digital estão presentes. Ele também já apresenta o Android Auto atualizado com mais funções.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Soleiras personalizadas “GTS”, assim como pedais esportivos realçam o interior desse Virtus de desempenho, que também vem – nesse caso, item opcional – com o som Beats.

Esse sistema de áudio tem 300 watts de potência e inclui ainda tweeters nas colunas A e subwoofer ajustável. Sonoridade muito boa, por sinal.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

O Virtus GTS traz ainda os modos de condução (Eco, Normal, Sport e Individual), ar condicionado automático e slots para CD e SD (dois, mas um destinado à navegação nativa).

Rico na manipulação de arquivos de mídia, o modelo é fraco em entradas USB (somente duas). Falando no lado negativo, o acabamento se mostra muito simples, como no Polo GTS. Já é um acabamento simples demais para a faixa de preço das versões Highline, quanto mais para os GTS.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Para quem vai atrás, pelo menos as pernas vão bem, enquanto o porta-malas têm seus 521 litros úteis, levemente reduzidos com o som Beats e o compartimento sob o assoalho.

Por ruas e estradas…

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Como teria sido legal um Voyage GTS, não é mesmo? Hoje, porém, o que mais se aproxima dessa proposta nunca executada, vem com outro nome: Virtus GTS.

Para fazer a diferença em relação ao que já existia na gama de versões, o modelo adotou o propulsor 1.4 TSI Flex da família EA211, fabricado em São Carlos-SP.

Era a escolha óbvia para manter um custo adequado e favorecer a produção nacional. Com 150 cavalos a 5.500 rpm e 25,5 kgfm a 1.400 rpm, ele cumpre o que promete.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Com turbocompressor e intercooler, o quatro cilindros de 1.395 cm3 e 16 válvulas, tem uma curva de potência e torque que favorece tanto desempenho quanto economia.

Só o torque máximo vai até os 4.000 rpm, permitindo um funcionamento elástico. Dotado de quatro modos de condução, o Virtus GTS pode ir da frugalidade à performance no apertar de um botão.

Como já falamos anteriormente, mesmo no modo Eco, o 1.4 TSI se mostra bem disposto e quase cativo, até quando o pedal de acelerador é forçado com vigor.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

A rápida subida de giro, acompanhada de resposta imediata, faz com que o Virtus GTS assuma outra postura, mesmo ainda sem o modo Sport, que é o suprassumo da coisa.

De respostas atenuadas até as mais instantâneas, o propulsor do sedã compacto faz um bem enorme ao condutor, que tem um motor forte e disponível para qualquer situação.

No dia a dia, ele roda tranquilamente a 1.500 rpm, sem o menor esforço. O ronco mais grave em comparação com o 1.0 TSI é agradável e indica que ali, sob o capô, a força está oculta.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Metendo o pé fundo, com o modo Sport ativado e mais o câmbio em S – sim, você pode optar por um dos dois sem medo de errar – o Virtus GTS deixa até alguns sedãs médios para trás.

Vendo o ponteiro passar dos 6.500 rpm, a sensação de força é muito boa, com mudanças bem escalonadas no automático Tiptronic de seis marchas, o esportivo agrada ao volante.

Pena não ter câmbio manual, o que geraria um desafio extra ao condutor, mas este ainda pode explorar a sensação com mudanças manuais na alavanca e nos paddle shifts.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Com boa liberdade em escolher as marchas, o motorista tem um carro mais à mão, que ainda pode ser programado no modo Individual, inclusive eliminando o ronco gerado artificialmente.

Neste modos Individual, direção, câmbio e ar condicionado podem ser alterados também, conforme a preferência do condutor.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Por ser mais longo, rendeu melhor em consumo na estrada, fazendo 15,6 km/l na gasolina. O Polo GTS fez um pouco menos. Na cidade, o sedã bebeu um pouco mais: 11,2 km/l.

Deslocando 1.271 kg de peso, o Virtus GTS vai de 0 a 100 km/h em 8,7 segundos e com máxima de 210 km/h. Ou seja, perde na aceleração, mas se ganha na final.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Para um carro com sua proposta, o consumo é muito bom até. Olhando pelo lado da esportividade, dá para ver esses números caírem bem numa direção mais ousada.

Nisso, a direção elétrica adaptativa é um recurso bom, assim como os freios a disco nas quatro rodas, dimensionado para os 4,49 metros do Virtus GTS.

Contudo, para realmente ter uma condução limpa, a proposta precisa de uma suspensão igualmente adequada. Mais firme, o conjunto do modelo ainda tem algum conforto.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Isso parece mais evidente quando se olha o carro e percebe-se que a altura livre do solo é igual aquela exagerada do sedã normal.

Já falamos sobre isso na avaliação do Polo GTS e voltamos à mesma tecla: boa para passar em lombadas e depressões, porém, alta demais para um modelo vendido como esportivo.

Mesmo firme no ajuste de molas e amortecedores, o conjunto ajuda no deslocamento de peso da carroceria, já que o centro de gravidade é mais alto.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Em curvas bem fechadas, a traseira quer sair, mas a frente também. O entre eixos ampliado, somado à carroceria alongada, torna o Virtus GTS menos arredio e empolgante, nesse caso.

É preciso forçar a mão para que ele comece a escapar como o Polo GTS faz mais facilmente. Com boa estabilidade, o sedã da Volkswagen se mantém bem neutro na maior parte do tempo.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Se fosse mais baixo, as reações seriam melhores. Longe de ser pensado para as pistas, o Virtus GTS é aquele carro esporte que não precisa provar sua competência num circuito fechado.

É gostoso de dirigir pelo bom handling e pela potência sempre disponível. Apoiado sobre uma plataforma bem rígida e equilibrada, esse GTS com porta-malas não titubeia em sua missão.

Por você…

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

Para uma compra racional, o Volkswagen Virtus tem outras opções mais interessantes. Contudo, um esportivo é algo essencialmente emocional.

Esta, porém, pode ficar abalada diante dos R$ 110 mil completos, pagos neste carro com o sistema de som Beats e outras coisas, como rede e prancha alta no porta-malas.

Volkswagen Virtus GTS aposta no conforto para andar rápido

De qualquer forma, para realmente fazer a diferença, teto solar elétrico, escape esportivo e mais outros itens seriam apreciáveis.

Como produto, sua missão de levar esportividade para clientes menos abastados é importante, assim como no caso do Polo GTS. O preço alto, porém, é uma consequência disso. Vale o teste!

Medidas e números…

Ficha Técnica do Volkswagen Virtus GTS 1.4 TSI 2020

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 4 em linha, turbo

Cilindrada – 1.395 cm³

Potência – 150 cv a 5.000 rpm (gasolina/etanol)

Torque – 25,5 kgfm a 1.400 rpm (gasolina/etanol)

Transmissão – Automática Tiptronic de seis marchas com trocas manuais na alavanca e volante

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 8,7 segundos

Velocidade máxima – 210 km/h

Rotação a 110 km/h – 2.000 rpm

Consumo urbano – 11,2 km/litro

Consumo rodoviário – 15,6 km/litro

Suspensão/Direção

Dianteira – McPherson/Traseira – Eixo de torção

Elétrica

Freios

Discos dianteiros e traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga leve aro 17 com pneus 205/50 R17

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.492 mm

Largura – 1.751 mm (sem retrovisores)

Altura – 1.477 mm

Entre eixos – 2.649 mm

Peso em ordem de marcha – 1.271 kg

Tanque – 52 litros

Porta-malas – 521 litros

Preço: R$ 107.990 (preço base) e R$ 110.190 (versão avaliada)

Volkswagen Virtus GTS 2020 – Galeria de fotos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Marcio Andriani

    Tinha tudo para ser uma boa opção, porém por 110 mil enfrenta um grupo complicado de sedans médios….obs: essa 6a marcha é overdrive né…110km/h a 2000rpm é bom para andar tranquilo, não rápido…

    • th!nk.t4nk

      Sem dúvida, mas desde que o câmbio reaja rápido ao kickdown, tá ótimo. Meu carro anterior tinha duas marchas overdrive. Em 9a marcava 2000 rpm a 180 km/h, mas afundando o pé ele baixava direto 3 marchas e reagia de imediato (mesmo no modo comfort). Já o modo sport só é vantagem enquanto estiver querendo acelerar, porque mantém o giro mais elevado (trocas tardias) e afeta bastante o consumo. Mas enfim, o importante é ter a opção. Penso que todo carro automático deveria ter estes modos de direção.

      • daneloi

        ZF9?

        • th!nk.t4nk

          No meu carro anterior era o 9G-Tronic. No atual o ZF 8HP. Ambos muito bons, mas em velocidade de cruzeiro mais elevada (> 160 km/h) é nítido que uma marcha extra ajuda, baixando bem a rotação.

      • o câmbio Polo/Virtus/Jetta (1.4) não é rápido demais mas tb não é lento demais, é aceitável pra proposta, uma ultrapassagem por exemplo vc não passa medo. Possuo um Polo TSI, já fiz ultrapassagem de 6º pisei ele baixou pra 3º. É tranquilo por que esses carros turbo puxam e não fica só gritando.

  • Josh Rios

    A grande questão é que se for para andar rápido e com conforto, porque não comprar o jetta 1.4t? Que é mais carro, melhor acabado, maior e mais interessante ? Não faz sentido, sem dizer que os valores são bem próximos.
    Não vejo o menor sentido na proposta dessa linha GTS, não nesse valor pelo menos, a não ser que aumentem o valor do Jetta a ponto de ficar uma diferença de 20k ou mais.

    • Eduardo 1981

      Também penso assim, o carro é ótimo, não fosse pelo Jetta, no mesmo show room, custando na prática o mesmo.

    • daneloi

      Nessa semana irei publicar uma avaliação do Jetta 1.4 Comfortline. Excetuando a ausência das saídas de ar para o banco traseiro, apoios de cabeça costurados no emcosto e falta dos paddle shifts, o Jetta é superior em tudo. Tem inclusive faróis e lanternas em full led! O Virtus GTS não conta com lanternas traseiras em LED como o Polo GTS.
      EU levaria o Jetta.
      Os únicos argumentos a favor do Virtus GTS seria o valor das revisões, uma (provável) melhor revenda, a incerteza da importação do Jetta pela alta do dólar (especulação) e peças exclusivas não fabricadas aqui para reposição / manutenção.

      Vocês levariam essas coisas em questão?

      • Marcos Pastori

        Eu levaria, sem dúvida. O Comfortline começa em R$ 121.000, O GTS R$ 107.000. Pelo menos para mim, R$ 14mil reais é muito dinheiro. Dá para pagar quantos anos de revisão, gasolina, seguro, IPVA, fora a desvalorização que é menor no Virtus ? Em espaço interno, segurança e conforto, que é o que interessa para uma família com 1 ou 2 filhos, os dois se equiparam em praticamente tudo.

        O Jetta claramente é muito superior como carro, porém na hora do vamos ver, o custo de manutenção e compra bem menor do Virtus GTS pode pesar bastante. Quando lançou eu achava sem sentido mesmo, hoje já vejo de outra forma.

        • daneloi

          Pois é…Antes a comparação era até mais válida já que os preços eram mais próximos. Com o último reajuste do jetta a diferença do preço aumentou e argumentos como os que você falou ganharam mais força

          • Marcos Pastori

            No cenário 01 mais racional, hoje eu levava um Virtus GTS já faturado em uma concessionária, chorava ali um preço próximo ou até abaixo de R$100mil. No cenário 02, eu chutaria o balde e já ia para o Jetta R-Line com teto solar, por R$ 130mil. Por sinal, vi um hoje nesta configuração, baita carro!

            • daneloi

              Acho o R-Line muito massa. Estava no meu radar pra Agosto. Após os últimos aumentos, desisti

              • daneloi

                E o receio de seguro e peças por causa do dólar…mas esse sou eu…levo essas coisas em consideração

  • Gabriel Garcia

    Voyage GTS pode não ter vindo com o Gol GTS, mas parece q esqueceram do Voyage Sport… q dava no mesmo…

    • Eduardo 1981

      Sim, tivemos o Voyage GTS, só que com outro nome!

      • Edson Fernandes

        Tivemos o Voyage S 1.8 AP. Que basicamente trazia tudo do Gol GTS, exceto o acabamento em plastico preto da parte inferior da carroceria e as rodas possiveis eram apenas as BBS para essa versão. (além do modelo Sport)

        • André

          Antes ainda tivemos o Voyage 1.8 GLS, também com tudo do GT

          • Edson Fernandes

            Isso é verdade. ACHO que o GLS tinha inclusive o borrachão mais grosso que os demais… ou estou enganado?

            • daneloi

              O GLS tinha o borrachão maior sim. Eu achava massa.

  • Tibúrcio

    Se quer mesmo um carro esportivo sem ter de vender um rim, vá de Sandero RS que anda mais e custa quase metade.
    O Polo/Virtus GTS é legal? Ah… legalzinho, mas nada de mais… Anda legal? O motor 1.4 TSI é bom! Anda bem!
    Vale mais a pena procurar um Gof GTI ou Golf Variant 2018, aquele com o pequeno facelift antes de sair de linha, que vale muuuuito mais a pena!
    Ah, mas e o painel digital? Tenho um Polo highline com esse painel há 6 meses e te digo que já nem ligo mais pra ele. Foi legal por umas duas semanas… Depois, nem mexo mais. Trocaria meu Polo pelo Golf Variant 2018 sem nem pensar!

    • daneloi

      Sobre o painel, concordo contigo. Depois de um tempo não faz diferença alguma. Já não tava nem aí pro painel do Polo antes mesmo dele começar a dar problema e vazar agua no meu pé…

      • Tibúrcio

        O meu ainda não teve infiltração, tomara que não tenha! Mas barulho no painel e no porta-malas… Tem de sobra!
        Avaliei para vender e olhe só… Desvalorização brava!!

        • daneloi

          Sério, @tib_rcio:disqus ? Pensei que a VW tivesse resolvido pelo menos o problema do barulho do porta-malas. Já levou na concessionária? Foda. A desvalorização é tensa mesmo. Resultado do tanto dor de cabeça que o carro deu em 2018/2019… Uma pena, por que tinha tudo pra ser um carro bom…

          • Tibúrcio

            Levei na concessionária, mas o máximo que fizeram foi reajustar a borracha pra aumentar a pressão.
            Como é o seu consumo?
            Eu tinha um Focus Titanium 2.0 AT que fazia 12,5 km/L. Eu esperava mais do Polo, mas ele tira exatamente os mesmos 12,5km/L na gasolina!

            • daneloi

              Tibúrcio, conseguia no máximo 11 na gasolina e por volta dos 7 no Álcool. Fiquei bastante decepcionado com o consumo. Em um Civic LXS 2014 que tive conseguia médias maiores no Álcool. Transito de Brasília, sem muita variação do relevo e majoritariamente pistas retas

        • Felipe S. Rangel

          Meu pai comprou um CL TSI 2018 e trocou há alguns meses em outro CL TSI 2020. A VW valorizou bem o usado e proporcionou uma boa negociação para pegar o novo. Realmente é impressionante o nível de ruído interno em Painel, Colunas e Porta-malas em ambos os casos e olha que o carro está só com 2.000 km. Eu tenho um New Fiesta Titanium 2017 com mais de 50.000 km e não faz 1/3 dos barulhos que os Polos do meu pai faziam/fazem. Olha que tinha interesse em pegar um Polo no futuro, mas isso desanima bastante. Agora tem o Onix para olhar com calma também.

          • Tibúrcio

            Eu gostaria de avaliar o meu em uma concessionária desde que eu pudesse pegar o Golf Variant usado… dos novos agora nenhum me chama atenção.
            Certa vez fiquei um mês com um Golf highline alemão 1.4 TSI de um amigo que viajou.
            O consumo era excelente! 15 km/L!
            Como tenho criança em casa e tralha pra carregar sempre. o Golf Variant seria ideal!
            Mas não achei ainda…

            • daneloi

              é muito dificil achar o golf variant. Esse golf que você passou um mês…era manual ou DSG? O motor 1.4 TSI casava muito bem com esses dois câmbios. Já com o AISIN de 6 marchas, nem tanto

              • Tibúrcio

                Era DSG – 7
                Esse câmbio é bom, tipo Powershift. Se não der problema, é excelente.
                Não rodei com o AISIN no Golf ainda.

      • Eu acho que fui premiado, desses problemas que o pessoal relata na internet o meu só tem o barulho do porta malas, o carro vai pra revisão volta sem esse barulho mas logo o barulho volta. E olha que o meu é 2017/2018, comprei no lançamento.

  • Eduardo 1981

    Nós tivemos o Voyage GTS sim, só que ele se chamou VOYAGE SPORT !

  • CanalhaRS

    É um belo carrinho (apesar da aperência normal e o acabamento interno fraco), mas 110 contos é forçar a amizade.
    Não vale isso, aliás, nenhum carro por aqui vale o que pedem, nossa triste realidade.

  • Uma ressalva quanto à introdução da matéria.

    Na época do Gol GTS, realmente não existia um “Voyage GTS”, mas na segunda reestilização (frente apelidada de “chinesinha”)tivemos o Voyage Sport, com o mesmo motor AP 1.8S e demais mimos do Gol GTS, como os bancos Recaro, suspensão diferenciada, e demais itens do hatch. Só não tinha o aerofólio e os faróis de milha.

    Era uma versão bem interessante do sedã do Gol. Um amigo meu tinha um deles todo original. Voyage belíssimo (e andava bem para os modelos da época). Não levava o nome GTS mas era “na prática” o Voyage GTS.

  • delvane sousa

    Fico balançado, mas por esse valor ainda iria de honda Civic Exl por ter um acabamento melhor.

  • anonbr666

    CArro “BBB”:

    Bom,
    Bonito e
    Bem caro

    kkk

  • Edson Fernandes

    Adianta dizer que ele é confortavel? Adianta dizer que ele seria uma opção de motor mais forte perante o 1.0 TSI?

    Mas não, já disse a minha reaçao dele e parece que eu estava enganando quem conhece o 1.0 TSI. Enfim… ele é um sedan compacto com uma segunda opção de motor e só. A preparação? É para lidar apenas com a maior potencia sem descontrole. E só. Não é um esportivo de fato.

  • Daniel

    Pode ser o mesmo motor, mas entra em Virtus, e depois em um Jetta. Você verá a diferença!

  • Daniel Pirolli

    Como li aqui outro dia, carro de agora 110 mil com acabamento de pobre kkkkk to fora. Iria de jetta usado entao.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email