Voltz quer radares nas motos e scooters em 2023

voltz evs 1

A Voltz é uma marca de motos e scooters elétricas brasileira, sediada em Recife e que vem se destacando por seus produtos sofisticados e visão moderna de um mercado de duas rodas eletrificado no Brasil.


Agora, a Voltz quer ir além de introduzir um nível de segurança em suas motos só vista em marcas premium, como BMW, Ducati e Triumph, por exemplo.

Focando na tecnologia, a Voltz quer implantar em suas motos elétricas um sistema de radar de ponto cego e monitoramento da via até 2023.

Como se sabe, a Voltz tem dois modelos, a street EVS e a scooter EV1 Sport. Recentemente, a marca pernambucana lançou o triciclo utilitário elétrico Miles para entregas urbanas sem emissão de CO2.

Assim como em carros modernos, a Voltz quer instalar o pacote de sistemas chamado ADAS (Advanced Driver Assistance System), normalmente citado em modelos com controle de cruzeiro adaptativo, alerta de faixa, alerta de colisão e de ponto cego, entre outros.

Esses dois últimos são os que a Voltz está interessada. Usando radares e câmeras, a marca quer um pacote de assistência ao piloto para evitar acidentes.

voltz ev1 sport 2

David Stanete, diretor de tecnologia da Voltz, explicou: “Enquanto nos carros, o futuro aponta para cada vez mais um isolamento do motorista do mundo externo, com diversas tecnologias autônomas, os motociclistas não podem se desligar nunca”.

O executivo romeno comenta que a tecnologia promete “vigiar” o trânsito ao redor da moto. Stanete comentou: “Em um trânsito louco, como o de São Paulo, por exemplo, esses sistemas podem evitar muitos acidentes”.

A Voltz usará três radares, sendo um frontal e dois traseiros para cobrir os campos fora da visão do motociclista. Como exemplo, a Triumph Tiger 1200 usa apenas um traseiro, sobre a diminuta lanterna em LED.

Inicialmente, o pacote ADAS da Voltz apenas alertará o condutor sobre a aproximação de veículos, porém, a ideia é que no futuro o sistema possa fazer mais pelo motociclista.

Stanete fala de sistemas ativos de aceleração e frenagem, o que contribuirá ainda mais para a segurança veicular sobre duas rodas.

[Fonte: Infomoto/UOL]

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.