Hatches História Mercado Toyota

VW Gol: Há 40 anos iniciava produção do campeão de vendas por 27 anos

VW Gol: Há 40 anos iniciava produção do campeão de vendas por 27 anos

Há 40 anos, um hatch compacto iniciava uma família de carros exclusiva dentro do portfólio mundial da Volkswagen. Este era o Gol, que demorou sete anos para alcançar a liderança, algo que o irmão (bem) mais velho Fusca, já estava muito familiarizado.


Iniciando a produção em Taubaté, fábrica no Vale do Paraíba que já havia produzido o Passat, o Gol ainda tentava ligar o passado com o futuro, tendo um projeto exclusivo para o Brasil com elementos atuais da VW, mas ainda portava o clássico boxer refrigerado a ar.

VW Gol: Há 40 anos iniciava produção do campeão de vendas por 27 anos

O modelo mais produzido, vendido e exportado da indústria automobilística nacional, agora vira um quarentão e ainda está no portfólio da marca, numa posição de entrada, que lhe foi dada desde o início.

Com câmbio de quatro marchas, o “1300” que ia sob o capô, dividia o espaço com o estepe, mas seu desempenho não agradou, sendo necessário troca-lo pelo “1600”, em arranjo que ainda manteve o pneu sobressalente, mesmo com dois carburadores.

VW Gol: Há 40 anos iniciava produção do campeão de vendas por 27 anos

Em 1982, Taubaté já havia produzido 100.000 unidades do Gol, que ainda não tinha a confiança geral, conquistada definitivamente em 1984, mas não com uma versão popular.

O esportivo Gol GT veio, viu e venceu, sendo equipado com motor 1.8 e ainda com câmbio manual. Nessa altura, o hatch já havia recebido a importante adição do motor 1.6 refrigerado a água, que foi completado com a nova opção de desempenho.

VW Gol: Há 40 anos iniciava produção do campeão de vendas por 27 anos

Em 1987, após dois anos de liderança do Monza, o Gol finalmente chegou no topo dos mais vendidos, um ano depois que o eterno campeão Fusca deixou a linha de montagem da Anchieta. A partir daí, o hatch com teto inclinado não largaria tão cedo do primeiro posto nos 27 anos seguintes.

Com o Gol GTS, cuja sigla retornou recentemente com Polo e Virtus, o modelo ganhou a tecnologia (proibida na época) de injeção eletrônica com o GTI. Em 1994, a segunda geração (G2), ganha um formato mais atual, porém, com a mesma plataforma de 1980, devidamente modificada.

VW Gol: Há 40 anos iniciava produção do campeão de vendas por 27 anos

Após o G3, o G4 veio para encerrar essa fase “longitudinal” do Gol em 1993, deixando apenas o G5 de 2009 com a plataforma atual, que agora tem até câmbio automático, algo impensável no Gol de 1980. A planta paulista produziu mais de 5 milhões de unidades do hatch.

Primeiro flex do Brasil, o Gol alcançou 8.532.771 unidades feitas no país, tendo ainda 190 mil fabricadas na Argentina. Com 1,54 milhão exportado, o modelo é também o mais vendido da história no mercado nacional com quase 7 milhões emplacados.

Apesar da longa história de sucesso em seus 40 anos, o futuro do Gol está atrelado ao lançamento de um crossover em Taubaté, que deverá sucede-lo junto com Voyage, up! e Fox.

 

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Rick Wakeman

    Na verdade, o Gol não morrerá. O Polo é o novo Gol, na verdade. Propostas idênticas de carro. Design bem próximo. Essa foi a terceira vez que o Polo foi lançado em nosso país, e dessa vez creio que vai matar o Gol. Com o Polo no mercado, não tem sentido manter o Gol. O Gol é hoje talvez o carro mais ultrapassado do mercado, com direção hidráulica ainda, interior mal acabado, etc. Se melhorar, fica próximo em preço ao Polo, o que nao faz sentido. Se mantiver do jeito que está, só continua vendendo pra PJ. Pra mim não tem sentido manter o Gol. Talvez o nome do Polo deveria ter sido lançado como novo Gol, pra manter o nome forte .

    • Luiz Santos

      O polo já tá na hora de ser reestilizado, e o projeto do novo gol deve ser o mini-SUV mesmo. A GM já provou que apenas 1 modelo (Onix) ocupando todas as lacunas dos compactos (de entrada e premium) dá mais resultado, a VW deveria mesmo investir mais no Polo. Pra começar, tirar o 1.6 de linha, colocar o 1.0 170 TSI do Up! como o modelo de entrada e deixar o 200 TSI para as atuais Comfort e High.

      • ViniciusVS

        Nem todo mundo quer carro turbo, sem a versão 1.6 boa parte mudará para a concorrência, sem contar que esse 170 Tsi será pior que o 1.6 atual, é o tipo de solução boa somente para a montadora que vai economizar na produção…

        Vou além, o próprio Polo MPI atende uma boa fatia do mercado, sem as versões aspiradas a concorrência nadará de braçada.

        • Leonardo C.

          Aproveitando seu comentário, se a manutenção do motor turbo no futuro não se popularizar, o Polo tanto 1.0 MPI quanto o 1.6 MSI que hoje são os que mais desvalorizam, daqui uns anos serão os mais procurados no mercado de usados.

          • Fernando Piston

            Um dos primeiros carros Turbo do País, o Cruze, infelizmente tem baixa valorização no mercado de usados, até por conta da manutenção cara.

        • David Diniz

          Entre um Motor turbo e um Motor de cilindrada maior aspirado sou a segunda opção, esses motores turbo 1.0 não me agradam de forma nenhuma.

      • oscar.fr

        A GM não provou isso, ela mesmo mantém o Onix e o Onix joy para manter as vendas. Mesmo antes da segunda geração mantinha o Joy e o reestilizado. Então, há espaço para um Gol abaixo do Polo.

        • Fernando Piston

          Sem falar que Gol é concorrente direto de Ka, Kwid e Onix Joy. Polo de Novo Onix, seria do Fiesta, mas a Ford matou ele.

    • Aristeu Junior

      O próximo GOL será totalmente diferente. Assim como a Ford fez com o KA.

    • Mauricio Ferrari

      Discordo. Polo é Polo, Gol é Gol. A VW é que vem só errando nas suas estratégias no Brasil. Up! foi erro. Deveriam ter lançado uma nova carroceria Gol em cima da plataforma mais moderna e segura do Up! com acréscimo de tamanho.
      Falando de futuro, o ideal agora seria, na minha opinião…em alguns passos rápidos..
      1)Encerra o Up! (gosto muito mas veio com estratégia errada)
      2)Mantém a atual carroceria do Gol como versão de entrada única – 1.6 / 1.O TSI
      3)Lança o novo Gol com a carroceria do atual Polo mas com alterações na frente, traseira, painel, interior. Esse brigaria com as versões de entrada do Ônix 1.6 / 1.0 TSI
      4)Lança o Polo reestilizado com o entre-eixos do Virtus e interior mais sofisticado, ficaria um meio termo entre o atual Polo e o Golf, brigaria num nível um pouco acima 1.0 TSI / 1.4 TSI
      5) Deixa o Virtus atual numa versão de entrada
      6) Lança o Virtus reestilizado mais sofisticado para brigar melhor no seu segmento

      Enfim, a VW deveria explorar melhor o que ela já tem, e ir melhorando.
      Mas, ultimamente parece que ela se especializou em perder mercado com decisões erradas
      O engraçado é que ela perde mercado em duas frentes.
      Demora pra lançar novidades e lançamentos mal estudados para o mercado.

      • Rick Wakeman

        Discordo em tudo que vc falou. Pra mim teria que unir os carros. Vc ainda propoe mais um? Se melhorar o gol, invade o preço do polo. Ficaria Gol, novo Gol e Polo?

        Ela poderia apenas atualizar o gol, com direção elétrica, melhorar acabamento, em aumentar muito o preço. E deixar o Polo, tirando sua versão de entrada (que ficaria o mercado do gol). Isso pra não ter que mudar tudo. Os nomes eu não sei, poderiam manter tudo gol ou tudo polo.

        Ela não deveria ter lançado o polo com esse nome. Mas já que lançou, aí fica difícil agora resolver isso.

        O up ela deveria melhorar o acabamento, corrigir os problemas dele (colocar forro nas portas, botar um painel decente e completo, e não o Atual, que não tem saída de ar ajuatevel e nem da pra instalar uma mukimedia). Melhora o design TB.

        • Sino Weibo

          Eu entendi, tira a versão pelada e ruim do Polo, deixa ele como carro de “imagem” da marca, completinho e moderno, e melhora o Gol um pouco para seu segmento, onde Onix e HB20 reinam. Mantém a tradição e nome Gol que ainda vendem bem nessa faixa em nosso mercado.

          • Mauricio Ferrari

            Bem, nesse sentido, minha ideia acima aprimora bastante isso
            Um Polo com entre eixos do Virtus ficaria realmente de imagem e com certeza ganharia bastante interesse
            E isso tudo que citei no meu primeiro comentário ainda teria custos bem contidos, nada de investimentos altíssimos

        • Mauricio Ferrari

          Então Rick
          o Up!, apesar de um caro excelente, já está queimado para o público leigo. E o preço não ajuda. Tirando ele já abre um espaço. O Fox está em final de carreira (apesar de ser melhor que o Gol atual – a VW não vai mais investir nele), então abre outro espaço. O Gol atual ligeiramente reestilizado poderia ser vendido a um preço bem competitivo, de entrada. O Gol na carroceria do atual Polo ficaria maior e melhor, bem atual, e brigaria melhor com Ònix de entrada.
          Agora, um Polo com entre eixos do Virtus, reestilizado, maior, mais bem acabado, entraria em uma faixa de preços superior, brigando com novo Ónix, HB20, etc.
          Bem, minha visão é essa
          Mas, nada disso vai acontecer. A VW está focada em SUVs, e só.

          • eduardo fevereiro

            Na minha opinião o UP! que vem como proposta de carro compacto tem o preço fora da realidade. Deveria ser concorrente direto do Moby e Kwid em relação a preço e tamanho. Deveria tirar os itens tecnologicos do UP! pra isso ser viável. O Gol e Polo tem propostas parecidas em relação a valor e tamanho, então o polo vale mais a pena por ter uma construção melhor. Daria para fazer dessa forma: UP! por 40 mil, Gol 50 mil e Polo 60 mil. Estaria muito bem pago.

          • Rick Wakeman

            Queimado para público leigo? Como assim? O público não é leigo! Quem dá mais de 40 mil num carro não gasta assim de QQ jeito. O up não vende pois é um carro mal acabado e feio. Ninguém da 50 mil num carro com painel de Kombi. A VW poderia tirar os defeitos do up. Colocar um painel normal, forro nas portas, melhorar o acabamento geral e o design. Seus concorrentes em tamanho (mobi e kwid) TB tem defeitos, mas tem um interior mais agradável , fora que o kwid tem o mesmo nível de segurança que o up. As diferenças mecânicas não são tantas assim, apesar do kwid ter algumas deficiências, e o mobi não ter porta malas.

            City car é um nicho que tem espaço no Brasil. Veja que kwid e mobi estão entre os mais vendidos desde o lançamento. Nunca devem ficar no pódio, pois são de uso mais restrito, mas vendem bem. O up se for melhorado pode competir com os dois. Hj não tem como. O carro não agrada visualmente nem por fora e nem por dentro.

            O público não é leigo. Os carros vais vendidos geralmente tem bom custo beneficio., Coisa que o up não tem. Não tem preço bom e nem o carro e bom, daí o fiasco. A questão não é preco. é outra categoria, claro, mas o Compass é caro e vende muito bem.

            • Mauricio Ferrari

              Você parte da premissa que o consumidor brasileiro é maduro.
              Mas os preços e/ou a qualidade dos produtos vendidos aqui provam que não é.

              Quando alguém paga um preço bem acima do valor do produto, isso mostra que a pessoa não compreende relação preço/valor, nem tampouco valoriza o suor de seu próprio trabalho.
              Se eu comprar um Iphone, uma camiseta de grife, um tênis, um jantar, pelo dobro (ou até mais) do preço dele em outros países, mostrei que valorizo tanto a griffe, que vou pagar sempre muito mais caro.
              No Brasil, ditos como “o barato sai caro”, “pago mais caro para ter o melhor”, difundiram ao brasileiro que o melhor “sempre” é o mais caro possível.

              Ao mesmo tempo, isso gerou uma multidão de consumidores que, em reação e em movimento contrário, procuram só o mais barato, mas fazem isso desconsiderando e desprezando sem a devida análise qualidades diferentes

              Então temos hordas de consumidores que “só compram o mais caro que podem”, e outros que “só compram o mais barato que podem”.
              Ambos são imaturos, porque dinheiro nenhum no mundo é infinito, e também porque comprar por comprar é coisa que a atual pandemia prova como é fútil, enquanto tanta gente passa fome, sede e frio

              Maduro é o consumidor que só compra o que realmente precisa, depois de comparar, e depois de decidir que realmente precisa daquilo, daquele jeito e por aquele preço.

              Caso do Up! – abaixo…

              Economizou em acabamento interno sim. Mas não é péssimo, está na média do segmento
              Trocou beleza por eficiência – gosto é gosto e eu acho ele bem bonitinho na versão Cross-Up
              Trocou acabamento por plataforma mais moderna e segura (na época do lançamento)
              Trocou preço por motores mais modernos (especialmente o turbo) – de novo, na época do lançamento
              Mas veio com estratégia errada, brigando em preços com carros maiores
              Além desse erro fatal, a VW errou no merchandising do carro. Nunca vendeu de verdade suas qualidades e pontos fortes
              Enfim, minha impressões

              Respeito as suas

              • Rick Wakeman

                Paga quem pode ora! iPhone é caro, mas o troço funciona bem, dura muito, desvaloriza menos que os concorrentes, etc. Compra um Samsung e vai vender 1 ano depois? É mais barato, mas é pior.

                Geralmente o mais caro é melhor. Quem tem dinheiro sobrando, compra picanha Bassi. Eu compro maturata, e olha lá. A Bassi é bem melhor, mas eu prefiro comprar a mais barata, pois aquele dinheiro a mais vai me fazer falta. Quem pode compra a melhor .

                Carro é a mesma coisa. Comprei um Mobi, apertado, direção hidráulica, motor fire aínda, mas é o que achei o melhor custo benefício pra minha situação. Quem pode comprar um carro melhor e continuar folgado em grana, melhor né. Nem ele e nem eu estamos errados. Cada um tem sua história e suas possibilidades.

                Mas no geral o mais caro é melhor né. Disso eu não tenho dúvida.

                • Mauricio Ferrari

                  Aqui concordamos 100% então!
                  O direito à opinião e as escolhas são próprias de cada pessoa. e o dinheiro dela ela usa da forma como julga ser melhor pra ela.
                  Sendo assim, agradeço suas respostas e considerações.
                  Abraço, desejo saúde e uma breve recuperação a todos nós dessa crise atual

    • RicardoVW

      Sim! Os alemães se basearam no Gol par fazer o Polo. Haha

      • Rick Wakeman

        Alguém disse isso?

    • ViniciusVS

      Na verdade o gol e o polo tem o mesmo nível de acabamento porco, o que é melhor no Polo é somente a estrutura e o espaço interno.

      Enquanto tem golzinho 1.0 com regulagem de altura e profundidade do volante, a vw tem a coragem de vender Virtus com volante fixo…

      • Rick Wakeman

        Pior que é…tem gente que diz que o acabamento do gol é até menor pior que o do polo, mas acho que deve ser coisa de hater. ..

        Mas eu fiquei surpreso com uma análise que foi feita do som Beats (acho que é esse, o top) no Polo. O cara disse que simplesmente não dava pra usar o som pois os plásticos internos causavam muito ruído devido à trepidação. O painel do Polo brasileiro não é inteiriço, como no europeu. Os fanboys ficam enchendo a boca dizendo que o polo é carro mundial, mas na verdade o que vende aqui é uma versão mais simples de lá de fora .

        • ViniciusVS

          Quase todo carro vendido aqui, até mesmo os que são fabricados lá fora são adaptados para nosso mercado. são raros os casos do mesmo veículo.

          • Rick Wakeman

            Com certeza…e com isso não é tão vantagem assim dizer que o carro X é mundial e o Y é feito somente no nosso mercado. No final, eles se equivalem.

          • Fernando Piston

            Um Exemplo disso na VW, é o antigo Voyage, que era Fox nos EUA e o Passat LSE (Iraquiano).

    • Matheus Mendes

      Faz sentido manter o gol sim. Pelo mesmo motivo que a GM mantém o Joy.

      A linha de produção com ‘nome’ diferente permite vc acelerar os preços das versões mais baratas em áreas de alta competitividade que são elas:
      Locadoras, grandes frotas e governo (licitações)

      A intenção é:
      1 – Potencializar a margem de lucro dos irmão maior… deixando o preço da versão de entrada inflada no site e trabalhando descontos agressivos nas vendas de frotas. Então a opção de cima parece mais ‘atraente’ e com preço mais ‘justo’

      2 – Gerar número de emplacamentos para garantir Pódio

      A realidade é que esses veículos devem continuar na linha por um bom tempo

      (Edit: Lembrando que temos outros veículos por ai com mesmo finalidade que não citei (vulgo Uno entre outros)

      • Rick Wakeman

        O Joy está a anos luz do gol, acabamento melhor, direção elétrica, etc. Tanto é que o gol vende quase que exckusivamente pra PJ, que não liga muito pro conforto do seu funcionário. Discordo do Uno. O Uno tem versões com direção elétrica, acabamento melhor que o gol. Tem versao mais simples, mas oferece versões mais modernas. O gol está numa situação que se melhorar encosta no polo em preço, e manter do jeito que está só atrai PJ. Por enquanto deve estar sendo lucrativo pra vw, mas não sei até quando. A questão é que ela disse que vira o novo Gol. Daí que houve essa discussão. Se mudar, vai ter que pensar numa estratégia boa. Eu melhoraria o Gol e tirara o polo de entrada. Só não sei se valeria a pena manter os nomes como estão.

    • Henrique

      As pessoas precisam entender que precisam existir carro de entrada.
      Com motor 1.0, direção hidráulica, acabamento que não seja “sooft-tounchh” … e entre outros.
      Para assim preencher devidos públicos alvos.
      (apesar de que EU prefiro comprar um usado do que um carro mais pelado.)

      • Rick Wakeman

        Direção hidraulica eu não concordo…o gol é o único carro de entrada que só tem direção hidráulica (o grand Siena tb,mas não é o carro de entrada da Fiat…o mobi versão com direção elétrica). A direção elétrica deixa o carro mais econômico, algo importante nessa categoria (fora o conforto maior, para a maioria).

        Acabamento de plástico acho que todos nessa faixasão …

  • Luiz Santos

    O polo já tá na hora de ser reestilizado, e o projeto do novo gol deve
    ser o mini-SUV mesmo. A GM já provou que apenas 1 modelo ocupando todas
    as lacunas dos compactos (de entrada e premium) dá mais resultado, a VW
    deve investir mesmo no Polo.

  • Hank Rearden

    Tive um 92, motor CHT 1.6 a álcool, fazia 11km/l na cidade sem fazer esforço. Mecanicamente impecável, a unica vez que me deixou na mão em quase 6 anos que fiquei com ele foi quando levei pra um auto eletrico instalar um cd player (kenwood!) e o cara simplesmente tirou o fusivel do limpador de para brisa e eu descobri numa rodovia, a noite embaixo de uma chuva torrencial. Vendi porque não consegui manter a ferrugem sob controle e troquei num G3 2002 1.0 8V “Power” zero km. Pior carro que tive! Não andava nada e fiquei várias vezes na mão, 2x tive que guinchar o carro pra oficina, tudo que se imagine quebrou, de parte eletrica e mecanica! Vendi com menos de 30mil km e 3 anos de uso e tenho pena de quem comprou até hoje!

    • Marcelo A.

      Esse motor 1.0 16V era uma tristeza, meu pai já teve uma Parati 1.0 16V que não conseguia subir uma subida forte quando estava com 5 pessoas dentro (não tinha espaço para pegar embalo kkkk), e o pior é que a VW inundou os pátios das concessionárias com esses motores entre 99 e 2002, quase não tinha mais Gol 1.6 como tinha na época do Gol bolinha… Lembro até dos vendedores falando que ele andava igual ao 1.6 depois que pegava embalo na rodovia…

  • RicardoVW

    Poderia ser líder até hoje se a VW não demorasse tanto para o adequar aos novos mimimis atuais!

    • Matheus Mendes

      Os comentários desse fanboy são sempre os melhores kkkkk

  • G. de F.

    Não se pode deixar de admirar a longevidade de um modelo, ainda mais num mercado com tantas características especiais quanto o brasileiro. Imagina só o trabalho que terá a VW para “matar” esse modelo, e pior, colocar um substituto para cumprir a sua função, que hoje, sinceramente, já nem sei mais qual é, rs.

    Gol já foi modelo de entrada (1000), esportivo GTS/GTI/GTI 16 V), econômico, carro para entrega/serviço Gol Furgão), pseudo-adventure (Gol Rally),precursor dos modelos flex e por aí vai… Já foi de tudo, e é mais fácil apontar o que não foi.

    • Marcelo A.

      Lá pelos anos 2000 quando não existia nem o Polo e nem o Fox a VW equipou bastante o Gol, lembrando das versões “de luxo” (confortline e sportline) que existiram entre 97 e 2001… Depois lançaram o Polo em 2002 e a VW já depenou bastante o Gol nesse ano, depois lançaram o Plastic-Fox em 2003 e aí a VW depenou mais ainda, o Gol Power em 2003 era bonito por fora, mas por dentro tinha acabamento de Gol CL, nem se comprar as versões que tinham bancos esportivos em 99/2000/2001… Depois rebaixaram ele de vez para carro de entrada (abaixo do Fox) com o Gol G4 e lá permanece até hoje.

  • Mauro Moraes

    O Gol continua sendo o carro chefe da VW no Brasil, embora esteja no mercado há 12 anos. Ainda o teremos por muitos anos, por mais que uma nova geração esteja sendo desenvolvida na China, um mini suv. A atual geração deverá cair ainda mais de preço pra sobreviver.

    • MauroRF

      E o projeto dele está pago há tempos já.

  • Pablo Henrique

    “O modelo mais produzido, vendido e exportado da indústria automobilística nacional”

    Indústria automotiva! Automotiva! Automobilismo é ESPORTE! Me dói tanto ver praticamente todos os sites de notícias automotivas (o nome do site tá certo!) SEMPRE errando uma bobagem dessas.

  • Henrique

    Se acomodou, isso é fato. Parou no início da geração 5 e pronto, parece tudo igual. Viu pelo retrovisor onix e hb20 encostando e em seguida ultrapassando.
    GM foi experta em revitalizar seu onix, que já acumulava uma chuva de críticos…Para sua sorte ainda, o hb20 ficou horroroso.
    Qual concorrente do Onix hoje? Já vi alguns comparativos com polo, complicado isso.

  • Carlos

    Na foto, aquela pilha de rodas, seria pneus 145 – 80 – r13 ?

  • Fabão Rocky

    Seria bom se a VW fizesse no novo Gol uma releitura do Gol quadrado. Uma espécie de notchback que pega aerofólio, não como esse hatches de hj em dia com aquelas traseiras ordinárias, que virou moda, que não pegam aerofólio.

  • Evandro

    Tive um G4, não consigo entender como um carro tão ruim vendia tanto enquanto existiam opções bem interessantes no mercado.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email