Argentina Segredos-Flagras SUVs Volkswagen

VW Tarek prepara chegada com retorno aos testes na Argentina

VW Tarek prepara chegada com retorno aos testes na Argentina

A Volkswagen vem de uma sequência de lançamentos bem-sucedidos desde o Polo, passando pelo Virtus e T-Cross. Com o Nivus, embora ainda em seus primeiros quilômetros, a tendência é dar continuidade ao sucesso da plataforma MQB-A0 no Brasil.


O próximo passo, no entanto, vai para um segmento acima dos compactos e sem a versão menor da MQB. O projeto Tarek será a consolidação do plano da VW de investir em novos produtos, especialmente utilitários esportivos, para alcançar a liderança, tirando o posto da GM. Pelo menos em junho ela conseguiu, mas a batalha está longe de terminar.

Novo projeto global da VW, o Tarek terá algumas poucas diferenças em relação ao Tharu chinês e será fabricado na Argentina, Rússia, México e, naturalmente, na própria China, junto com o irmão atual, feito pela SAIC-VW. Ou seja, esse outro será da FAW-VW.

No país vizinho e nessas regiões, o Tarek sairá com outro nome, que deve ser divulgado internacionalmente entre fim de julho e começo de agosto. Com exceção da Europa e Índia, o novo SUV da VW terá um alcance muito grande, indo dos EUA até a China, passando pela América Latina e Eurásia.

VEJA TAMBÉM:

Por aqui, saindo de General Pacheco, o Tarek terá um conjunto propulsor “padrão” com motor 1.4 TSI de 150 cavalos e 25,5 kgfm, além de câmbio Tiptronic de seis marchas. Tirando este último, o conjunto é o mesmo do Tiguan, que será reposicionado.

VW Tarek prepara chegada com retorno aos testes na Argentina

Espera-se pelo 2.0 TSI de 220 cavalos, porém, o Tarek precisa encontrar seu espaço entre o T-Cross e o Tiguan, especialmente em relação à este. Ele já nascerá com pouco espaço para manobra (preço), visto que o SUV mexicano impõe uma forte presença e tem a mesma mecânica.

O ideal, nesse caso, seria o Tiguan subir para o 2.0 TSI de 186 cavalos e ciclo Miller, tornando-se um produto pouco mais diferenciado em relação ao Tarek, pois, caso contrário, será apenas um irmão de sete assentos do argentino. Aliás, Puebla dividirá sua linha entre os dois.

Caso a estratégia comercial do Nivus se repita com o Tarek, as coisas para o Tiguan devem se complicar um pouco mais. Embora com menos capacidade para bagagem, o argentino tem a mesma plataforma e atende no mesmo segmento, embora com 4,45 m ante os 4,70 m do mexicano.

Ainda assim, para quem considera o Tiguan grande demais e não necessita de todo seu bagageiro ou de sete assentos, o Tarek será uma opção atraente. Olhando para apenas esse diferencial, parece que nessa hora, um Tarek Coupé seria algo melhor para o tradicional SUV alemão.

[Fonte: Autoblog]

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Sino Weibo

    VW Tarek vai atuar num segmento acima do T-Cross, que já é caro, e ainda sendo menor que o Tiguan e sem 7 lugares? A concorrência, que vem aumentando de tamanho e de opções, inclusive de 7 lugares, agradece. O Tiguan vai passar dos 200 mil então.

    • Tinho Tenório

      Existe uma lacuna entre 120 e 160.000. Acho que esse carro vai se encaixar aí.

      • Sino Weibo

        Na verdade essa lacuna não existe, eles estão criando-a, no caso, subindo o preço e forçando mudanças de segmentos. Por isso o Tiguan tem 2 versões, de 5 e 7 lugares. Mas eu entendo que a VW queira esse projeto que será mais barato fazer e vender, lucrar.

        • Juca

          Claro que existe uma lacuna, que é justamente onde se encontra o Compass. O T-Cross não faz frente ao carro da Jeep e o Tiguan já é um patamar acima. Tanto no preço, quanto no tamanho e refinamento, existe um lacuna muito clara entre T-Cross e Tiguan. Eu, por exemplo, estou aguardando pelos lançamentos de 2021 para comprar um carro. Acho o T-Cross muito pequeno e porta malas impraticável, já o Tiguan é muito grande para quem mora nos grandes centros e eu não preciso de 7 lugares. É aí que entram carros como o Tarek.

        • Edson Fernandes

          Lembrando que o preço do Tiguan comercializado de 5 lugares “de entrada” é R$130000. Espaço até tem para trablahr 120000 a 150000, mas não podem jogar a Tiguan nas alturas. Isso é pedir para perder terreno desse carro.

    • El Gato!

      Somados valor de tabela + teto + pintura + IPVA + emplacamento, já passou dos R$ 200 mil desde o ano passado.

  • Tinho Tenório

    A previsão para chegar esse carro no Brasil é maio de 2021 mesmo?

  • th!nk.t4nk

    Poderiam simplesmente ter levado o Tiguan “de verdade” (o de 5 assentos) pro Brasil, ao invés de insistirem no modelo esticado (Allspace) + um modelo de baixo custo (Tarek). Como sempre querem baixar custos no país, mas o engraçado é que não repassam essa economia ao consumidor.

    • Luiz Santos

      Tiguan “de verdade” só na Europa, se não me engano. A verdade é que TODAS as marcas fazem isso, deixam os melhores carros para o 1º mundo, e nós pegamos os projetos emergentes.

    • Freaky Boss

      pois é, e por anos ainda ficamos dando subsídio para as indústrias automotivas aqui…leia-se menos $ para segurança, para infra estrutura, etc. Mas essa estratégia da VW está estranha mesmo. TCross canibaliza o Tarek que canibaliza o Tiguan. Para o consumidor leigo que não enxerga plataforma, etc, esses carros têm ítens e mecânica muito parecidos, só vão mudando o porte e design.

      • Edson Fernandes

        Na verdade a ideia é a seguinte: Eu tenho um produto mais simples e barato de fazer, enfio alguns recursos tecnologicos baratos porém desejados de categoria superior e assumo esse player naquele preço. O cara nem vai conhecer a Tiguan, vai olhar o modelo inferior e pensar qu eo superior é mais caro sem saber o preço. O consumidor faz muito disso.

        Perceba que a moda de altinhos faz até carros com custo x beneficio melhores e até mais equipados, perderem terreno como é o caso do Jetta.

        • Freaky Boss

          é verdade

  • Baetatrip

    Sequencia de popular até top de linha:
    Nivus…T Cross…Tarek… Tiguan…. Atlas…Touareg?

    • th!nk.t4nk

      Bom, mas você misturou 3-4 mercados aí… E se for pra pegar modelos do mundo todo, teria de colocar o T-Roc paralelo ao Tarek.

    • Edson Fernandes

      Brasil:
      Nivus – TCross – Tarek – Tiguan e só.

      • Baetatrip

        Pois é!
        A Tiguan “matou” o lugar do Touareg…!
        Pior acabamento etc no lugar do melhor acabamento etc…!

        • Edson Fernandes

          Mas o Touareg era um Cayenne da VW. Ele era mto refinado e as poucas pessoas que o compravam pagavam bem caro.

          Tanto que é super raro ver um Touareg V8. (topo de linha)

          • Baetatrip

            Sim…..
            Temos a Touareg V6 da ultima geração que foi vendida aqui….!
            Acho bom carro….. Fora as peças são pouco caras…!

  • Mion

    Se o publico do Tiguan migrar para o Tarek, acredito que a VW mata o Tiguan no Brasil. O Tarek é muito mais lucrativo.

    • Edson Fernandes

      Foi o que eu imaginei. E assim cada vez mais perderemos carros alinhados com outros mercados.

  • Freaky Boss

    A pergunta que eu faço é: QUAL O DIFERENCIAL DESSE CARRO, ALÉM DE TAMANHO/PORTE, COM RELAÇÃO AO TCROSS??

    Porque com as informações que temos hoje a resposta é quase nada…..
    Motor igual , aquele câmbio AT6 meio xoxo idem, painel digital, ítens de segurança, etc etc….

    Tarek highline = T CROSS highline apenas maior??
    Estranho

    VW ou vai ter que colocar mesmo um motor 2.0, ou pegar o DSG do Tiguan , ou colocar um 4motion em versão TOP.

    • Edson Fernandes

      Ou apenas coloca como complemento dos compactos mesmo. Pensa:
      Nivus – TCross – Tarek
      Irão atacar diretamente compactos e alguns modelos médios dessa faixa de preço. A ideia é principalmente mostrar uma novidade que apague os rivais de outras marcas, mas se vc quiser o modelo superior que disputam diretamente com esses mais caros, terá a opção da Tiguan.

      A pergunta que fica é…. a Tiguan no futuro terá uma versão hibrida / eletrica? Porque não me faz sentido enfiar mais produtos caros acima da Tiguan, mas abre espaço para uma versão de desempenho mediano porém economica (e olha que tanto a 1.4 TSI como 2.0 TSI são economicas)

      Após isso só enxergo no futuro um novo compacto de entrada e um altinho abaixo do Nivus – TCross.

  • Edson Fernandes

    Espera isso, espera aquilo… quem diz isso?

    Esse carro ficará logo acima do TCross 1.4 e abaixo da Tiguan 1.4. E a Tiguan usa DSG no motor 1.4 também.

    Ou seja, em todos os sentidos esse carro é inferior. Ele será um produto de escalada de preço dos altinhos e só. O Tiguan já está bem servido com os motores 1.4 e 2.0 atuais. Se ele tem o motor 2.0 mais potente, para que trocar pelo motor de ciclo miller? Economia? Não faz o menor sentido.

    Que se for assim, a VW que lance um hibrido no estilo Golf GTE para a Tiguan que faz mais sentido. Mas como a ideia foi de achismos na noticia sobre o futuro da Tiguan e a precificação do Tarek, fica claro pra mim que um obviamente vai invadir o preço do outro.

    Assim como:
    Honda: HRV e Civic
    Jeep: Renegade e Compass

    Tem espaço para todos. E a ideia é que o Tcross topo de linha deixe de ser a opção mais atrativa frente ao Tarek “de entrada”. Assim como o Tiguan pode ser atraente perante o Tarek topo de linha APENAS com motor 1.4.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email