Ecologia Finanças Governamental/Legal Volkswagen

VWB pode pagar até R$ 17 milhões por conta de Dieselgate e consórcio

VWB pode pagar até R$ 17 milhões por conta de Dieselgate e consórcio

UPDATE: A Volkswagen enviou uma nota sobre o posicionamento diante das questões apresentadas nesta matéria, que segue abaixo:


  • “No Brasil, o tema Diesel difere de outros mercados, uma vez que o software não otimiza os níveis de emissões de NOx das picapes Amarok comercializadas no mercado brasileiro com o objetivo de atender os limites legais. Portanto, o os carros envolvidos atendem a legislação brasileira mesmo antes dos softwares serem removidos destes carros.
  • Em 2017, a Volkswagen convocou os modelos Amarok para substituir o software da unidade de comando eletrônico do motor visando retomar a confiança dos consumidores. O recall foi iniciado em 3 de maio de 2017 e envolve um total de 17.057 veículos.
  • Com relação à sansão divulgada nessa segunda-feira (4 de fevereiro), a Volkswagen tomou conhecimento pelo Diário Oficial da União e entrará em contato com o DPDC para entendimento das razões da decisão.”

A Volkswagen recebeu uma nova multa no Brasil, relacionada ao caso conhecido como Dieselgate. A montadora alemã havia vendido 17.057 unidades da picape média Amarok com motor diesel EA189 2.0 TDI, cujo software seria o mesmo empregado nos EUA para manipular as emissões de poluentes durante os testes de inspeção veicular.

Por conta da comercialização destas unidades, a Volkswagen do Brasil foi multada por dois órgãos. O Ibama aplicou uma de R$ 50 milhões, enquanto o Procon-SP enviou outra de R$ 8,3 milhões, ambas em 2015. Agora, o Ministério da Justiça e Segurança Pública, através da Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor) aplicou mais uma.

Esta nova multa é de R$ 7,2 milhões que, de acordo o publicado pela Senacon, foi motivada porque “o consumidor não poderia supor que existia a adulteração, configurando a violação da boa-fé que o fornecedor deve buscar nas relações de consumo”. A Volkswagen tem 10 dias para se pronunciar sobre o caso.


De lá pára cá, a Volkswagen procedeu com a atualização de todos os veículos envolvidos a partir de 2017, alegando que os demais propulsores vendidos no Brasil, que usam gasolina ou são bicombustíveis, estariam dentro das normas de emissão. Com essa nova multa, a empresa acumula R$ 65,5 milhões em punição só com o Dieselgate.

VWB pode pagar até R$ 17 milhões por conta de Dieselgate e consórcio

Mas a conta pode ficar ainda maior. A Senacon também mira o Consórcio Nacional Volkswagen. Diferente do Dieselgate, aqui a denúncia é de venda casada. Um processo foi aberto para investigar casos de consumidores que seriam obrigados a adquirir outros produtos financeiros.

Nesse caso, o interessado em cota do consórcio, teria também que adquirir seguro de vida, seguro de quebra de garantia e seguro prestamista, que garante a quitação das mensalidades devidas em caso de invalidez, morte, desemprego involuntário e até perda de renda.

Caso o inquérito apure irregularidades no consórcio da VW, ferindo assim o Código de Defesa do Consumidor, a empresa poderá pagar multa de até R$ 9,7 milhões. Da mesma forma, a montadora tem 10 dias para se defender.

[Fonte: UOL]

VWB pode pagar até R$ 17 milhões por conta de Dieselgate e consórcio
Nota média 4 de 1 votos

  • Robinho

    Ta certo, concordo…mas e a Vale e Samarco? rsrsr

    • Léo Dalzochio

      Tens razão. Acho que a VW não tem nenhum pistoleiro lá dentro daquela casa de luzinhas coloridas conhecida como STF.

      • Diego Lip

        Exato, a Volks não deve ter pago deputados e para poder fazer suas ilegalidades, diferente da Vale e Samarco

  • Verdades sobre o mercado

    Esta história de venda casada do consórcio VW tá estranho. Ate pelo menos 2011 nunca foi o procedimento da empresa (e acho pouco provável que tenha mudado), mas pode ter algum grupo de css que aproveitou outros produtos que a financeira VW oferece (além do consórcio) e feito venda casada sim. Quanto ao Dieselgate, independente da VW Brasil estar ciente ou não do problema (pode ser algo que a filial nem sabia) deve ser punido exemplarmente, para que todas as demais empresas (não só de automóveis) fiquem atentas, que não podem mais contar com a impunidade, incluindo aí casos como o da Vale/Samarco.

    • Edson Fernandes

      Deve ter rolado aquelas coisas em alguma concessionaria do grupo onde o cara abaixa o preço do produto a uma margem ligeiramente menor na venda desde que o consumidor adquira um produto adicional. Posso estar falando besteira, mas foi para equiibrar a balança e dar ao consumidor uma visão como se isso fosse vnatajoso. Só pode ser, mas… tudo achismo.

  • zekinha71

    Meia dúzia de up! vendidos paga essa conta rapidinho.

    • Tibúrcio

      O problema que não vende nem metade disso, aí fica difiícil!

  • Já fui vendedor de consorcio, praticamente todas as empresas fazem venda casada com seguro de vida e outros. Inclusive muitas não aceitam seguro de outra seguradora (que o cliente poderia escolher ) o motivo é simples, a comissão que a empresa de consorcio ganha é maior que a média.

  • JOSE DO EGITO

    VW toma vergonha na cara !!!!!

  • th!nk.t4nk

    Esperando os super fãs da VW lá da outra matéria (“Passat é um carro do nível do Classe E” — haha) virem defender o indefensável. E essas multas mixurucas que aplicam no Brasil, sinceramente, não fazem nem cócegas nos resultados dessas empresas.

    • zekinha71

      Essa do Passat foi pior que a do Corolla que andou 50K kms sem óleo no motor e não apresentou defeito nenhum.

    • Joãozinho

      Além da multa ser mixuruca eles nem pagam mesmo.

  • Paulo

    Mais um dia normal. VW sendo VW.

  • RicLuthor

    Esse negócio de venda casada é um terror, principalmente no mercado imobiliário e no sistema bancário.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email