*Destaque Europa Super Carros Tecnologia

Zenvo TSR-S: bólido com asa que ‘dança’ nas pistas chama atenção

Zenvo TSR-S: bólido com asa que 'dança' nas pistas chama atenção

Você acha que já viu de tudo nas pistas de corrida? Pense bem. No passado, vimos Fórmula 1 com seis rodas e três eixos, asas duplas ou triplas, boca de tubarão, hiperesportivo com cabine em forma de cápsula, carros híbridos diesel, carro com turbina de helicóptero, entre outras coisas. Mas, alguém já viu uma asa que ‘dança’ durante a pilotagem na pista?


Não se trata de mudar simplesmente o ângulo com as extremidades fixas para obter maior ou menor pressão aerodinâmica, mas sim alterar a posição de forma completa, como se fosse uma asa delta, mas com efeito contrário, pois a busca é por downforce. Pois é, isso já existe e está a bordo do Zenvo TSR-S, um superesportivo baseado no anterior Zenvo TS1 e que foi projetado para disputar track days.

Zenvo TSR-S: bólido com asa que 'dança' nas pistas chama atenção

Mas, o que realmente chama atenção no carro não são seus 1.177 cavalos. Sua asa traseira é completamente móvel, sustentada por uma base triangular centralizada e apoiada por amortecedores adaptativos nas extremidades. Como o ponto de apoio ao centro é móvel em todos os ângulos, a asa se inclina de forma exagerada para os lados e também para a frente.


O movimento lembra o de uma asa delta, exceto pelo fato de que a prancha aerodinâmica não eleva a frente para aumentar a sustentação. Porém, durante a condução, o dispositivo coloca a asa numa posição bem fechada para aumentar o arrasto e reduzir a velocidade nas desacelerações, ficando bem plana em linha reta. Nas curvas, ela se inclina de forma abrupta para fora da curva em que o Zenvo TSR-S está fazendo.

Zenvo TSR-S: bólido com asa que 'dança' nas pistas chama atenção

O movimento chega a ser hipnótico, pois os olhares ficam aguardando o próximo movimento “impossível” dessa estranha asa sobre a traseira do bólido europeu. Isso sem dúvida deve atrapalhar um pouco a concentração do piloto que vem atrás, pois duma hora para outra, a asa simplesmente cai para um dos lados e a impressão é que o Zenvo TSR-S vai acabar saindo da pista por falta de estabilidade, mas é o contrário disso.

Essa estranha forma de buscar mais eficiência na aerodinâmica não deve ser testada em competições da FIA, pois as regras são mais rígidas quanto à aplicação do arrasto aerodinâmico. O Zenvo TSR-S por sua vez, tem um aspecto agressivo e totalmente feito em fibra de carbono, inclusive a tal asa móvel. O bólido tem grandes entradas de ar na frente e captação de ar para o motor sobre a cabine. O propulsor central é um V8 5.8 biturbo. E aí, será que ele consegue ser mais rápido que os outros?

Zenvo TSR-S – Galeria de fotos

 

Zenvo TSR-S: bólido com asa que ‘dança’ nas pistas chama atenção
Nota média 3.8 de 5 votos

  • Tosca16

    Depois daquele Halo na F1 esse tipo de dispositivo seria o de menos… (antes que alguém venha dizer que não são pra mesma finalidade, eu sei, tô dizendo em matéria de bizarrice).

    • Faheina

      Nada conseguirá superar o imbatível halo. Triste!!!!!!

      • Tosca16

        Em bizarrice mesmo não.

      • Uau!

        Olha q acostumei já. 2 GPs e vc já acostuma.
        Não vejo a hora de lançarem o F1 2018 em agosto pra jogar.

  • Fanjos

    Bem bacana os vídeos dele, agora só precisa ver se é tão eficiente quanto exótico

  • Ricardo

    Em questões visuais não achei o halo feio, mas deve ser muito ruim pilotar com essa coisa no meio dos seus olhos.

    • Marcelo Nascimento

      Ah, é que nem pilotar as kombis antigas, com duas janelas na frente :-p

    • Edson Fernandes

      Creio que a visualização possa ter camera além de usar os retrovisores laterais.

  • Uau!

    Vou fazer isso no meu Mobi

  • Cromo

    O efeito aerodinâmico é óbvio, criando uma componente horizontal da força provinda do aerofólio qdo inclinado, q empurra o carro para dentro da curva. A força centrífuga é suportada não só pelos pneus, mas também pelo aerofólio. Também ajuda o carro a rolar (inclinar) menos na curva. Nos carros normais, durante as curvas, as rodas externas suportam + peso e as internas menos peso, mas aqui essa transferência de peso para as rodas externas diminui, e se o aerofólio for posicionado suficientemente alto, as rodas internas podem até suportar + peso q as externas. É justamente para minimizar esta transferência de peso q os carros, principalmente os de competição, tem o centro de gravidade o + baixo possível. Aí pergunto: pque os carros da Fórmula Indy, q viram só para um lado, não tem os aerofólios inclinados.

    • Unknown

      Talvez porque nas retas o carro se comportariam de forma ruim?

  • Wander Souza

    Nürburgring nele!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email