Carro de R$ 70.000 tem custo mensal de R$ 3.800 no Brasil

Carro de R$ 70.000 tem custo mensal de R$ 3.800 no Brasil

Um estudo feito pelo consultor automotivo Leandro Mattera, revelou que um carro de R$ 70.000 no Brasil gera um custo mensal de R$ 3.844.


Esse custo é referente a seguro, manutenção, juros, impostos, depreciação, combustível e custo de oportunidade.

Ele utilizou como exemplo um Honda Civic zero km. O valor do custo mensal é referente ao modelo com financiamento, mas sem isso, o custo cai para R$ 3.538,22. Uma queda de 8% nas despesas mensais.

Para ter um cálculo exato dos custos de qualquer automóvel – no caso do exemplo, o Honda Civic – foram reunidos os custos de aquisição, propriedade, oportunidade, venda e financiamento.

O custo de aquisição – no caso do exemplo – é referente ao preço de compra do veículo (R$ 70.000) mais as taxas de circulação, como registro do veículo (R$ 204,69) e lacração (R$ 70,99).

Custo de propriedade leva em conta os gastos que terão de ser feitos em um ano, tais como:

IPVA – R$ 2.800 = 4% do valor do carro em SP.
Seguro – R$ 2.100 = 3% do valor do carro.
Licenciamento – R$ 62,70 + R$ 11 para envio opcional pelos Correios.
DPVAT – R$ 101,16.
Consumo – R$ 4.050 = 10 km/litro, 15.000 km rodados e gasolina a R$ 2,70.
Revisões – R$ 160 + R$ 180 hora na troca eventual de peça de desgaste natural.
Pneus – R$ 100 = alinhamento/balanceamento.
Multas – R$ 130 = estimativa Dinheirama.
Estacionamento – R$ 1.800.
Lavagem – R$ 720.

Depois há o custo de venda do carro e a desvalorização, que no caso do Honda Civic novo é de 14% no primeiro ano. Assim, seu valor cai de R$ 70.000 para R$ 60.200. Em quatro anos, o Civic perderá R$ 17.500 de seu valor original. Isso ainda é bem pouco se levarmos em consideração alguns modelos do mesmo segmento.

Liquidez é a facilidade de vender o carro sem perder muito dinheiro. No entanto, nem sempre o proprietário vai conseguir vender pelo valor pedido, as vezes até acima da tabela FIPE.

Nesse caso, alguns desvalorizam o veículo em relação à tabela para facilitar a venda. Neste exemplo, o desconto foi de 5% em relação ao preço de tabela, o que gerou uma despesa extra de R$ 2.625 com valor de venda de R$ 49.875.

Já o custo de oportunidade leva em consideração o valor pago pelo veículo, que caso fosse aplicado poderia render R$ 23.482 em quatro anos, com taxa Selic anual de 7,5%.

Por fim, o terrível financiamento de um carro de R$ 70.000 foi calculado levando-se em consideração entrada de R$ 35.000 e saldo em 48 meses. Nesse caso, com juros de 1,5% ao mês, o valor da parcela seria de R$ 1.028,12.

Ao final de quatro longos anos, o valor financiado totalizará R$ 49.349,76. Há ainda o IOF de R$ 595. No final, o valor do Honda Civic pula de R$ 70.000 para R$ 84.944,76. Ou seja, um acréscimo de R$ 14.944,76.

No final das contas, o custo mensal do Honda Civic de R$ 70.000 com e sem financiamento é de R$ 3.844 e R$ 3.538,52. Em um ano, os valores correspondentes são de R$ 46.136,50 e R$ 42.462,25.

Mas estes valores sobem para níveis bem mais altos, se levarmos em consideração o impacto financeiro total (com custo de oportunidade) em quatro anos: R$ 114.794 e R$ 99.849, na mesma ordem.

Já o impacto financeiro com o preço de compra chega a R$ 184.546 com financiamento e R$ 169.849. O custo por km rodado é de R$ 3,07 e R$ 2,83, respectivamente.

Enfim, depois desse complexo conjunto de cálculos e valores, o consumidor que deseja ter um carro e se preocupa com os custos vai pensar muito mais na hora de comprar. Mesmo assim, quem precisa terá que encher o peito e mergulhar nas despesas. Afinal, ninguém vive sem elas nos dias de hoje.

[Fonte: Infomoney]

Agradecimentos ao leitor Wilmar pela dica.

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.