EUA FCA Governamental/Legal Manutenção Segurança Vídeos

FCA: processo nos EUA indica milhões com defeito no Tigershark 2.4

FCA: processo nos EUA indica milhões com defeito no Tigershark 2.4

A FCA pode enfrentar um problema tão grave quanto o desligamento repentino do motor Tigershark Multiair 2.4. O fabricante ítalo-americano recebeu uma ação no Tribunal Federal do Distrito Leste de Michigan, alegando defeito no propulsor citado.


De acordo com a ação judicial, protocolada pela agência de advocacia Hagens Berman, o motor Tigershark Multiair 2.4 tem alto consumo de óleo lubrificante, o que poderia provocar seu desligamento durante o funcionamento (não o travamento), colocando em risco a segurança dos ocupantes e de terceiros.

Segundo a agência, “os proprietários desses veículos têm medo de paradas repentinas e inesperadas, e são deixados de mãos vazias pelos concessionários e técnicos da FCA que continuam a ignorar esse sério risco à segurança”.

A acusação de que o Tigershark 2.4 tem problema é bem grave, uma vez que milhões de unidades teriam sido introduzidas em diversos modelos do grupo, inclusive na Fiat Toro.

FCA: processo nos EUA indica milhões com defeito no Tigershark 2.4

A lista de carros que teriam o mesmo problema, segundo a ação judicial, inclui os modelos Chrysler 200 (2015-2016), Dodge Dart (2013-2016), Fiat 500X (2016-2020), Fiat Toro (2017-2020), Jeep Cherokee (2014-2020), Jeep Compass (2017-2020), Jeep Renegade (2015-2020) e Ram ProMaster City (2015-2020).

O que se sabia até agora sobre esse motor é que sua introdução na estreia da atual geração do Jeep Cherokee foi bem problemática, tendo adiamento de lançamento e produção, por incompatibilidade técnica com o câmbio ZF 9HP de nove marchas.

Os relatos de proprietários de modelos com esse motor dizem que um sistema de proteção detecta o baixíssimo nível de óleo e assim procede o desligamento do propulsor, a fim de protege-lo de um travamento mecânico. Um dos depoimentos fala de alerta de falta de óleo com pouco mais de 4.800 km rodados, quando teria baixado para 3/4 do volume normal.

FCA: processo nos EUA indica milhões com defeito no Tigershark 2.4

Muitos clientes alegam que a FCA deveria ter introduzido um alerta de baixo nível de óleo, evitando assim o desligamento do motor em condições de rodagem. Na denúncia, o texto diz: “Em vez de ser honesta sobre esses problemas, a FCA se empenhou em escondê-los descrevendo os defeitos como ‘normais’ em um boletim de serviço técnico”.

O processo visa uma compensação financeira para os clientes afetados pelo problema e uma multa para a montadora, que pode ter que desembolsar milhões de dólares, além da chamada para revisão de toda a frota.

No Brasil, a Fiat Toro passou por recall relacionado com baixo nível de óleo, mas foi na antiga versão diesel manual. Num vídeo abaixo, um proprietário mede o nível do lubrificante e se mostra preocupado com a situação. Em outro, comenta o procedimento da Fiat:

[Fonte: Carscoops]

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Leo

    Se nos EUA, que o combustível e óleos lubrificantes são de qualidade bem superior, imagina aqui…

    • Raimundo A.

      Imagina aqui, mas há reclamações em quantidade aqui? Talvez tenha, mas pode ser relativizada por conta mínima presença do 2.4. Todavia, a FCA daqui exporta Compass e Renegade com o 2.4, então os vizinhos estão chiando?

      • Leo

        Mercado lá é mais exigente.
        Veja o caso do Powershift (Ford) e Dieselgate (Volks).
        Porque lá não vende HB20, Gol, Pálio?

        •  iSheepOS

          aqui dizem que o Corolla é carro de velho.
          lá fora é carro de jovem, pessoas que não querem comprar luxo.

          aqui passam a vida inteira comprando essas marcas (GM VW Fiat Ford) e no final da vida, não aguentam mais e compram finalmente um TOYOTA para literalmente descansar em paz.

          • Caulazaro

            Com certeza! Compra “um Toyota para literalmente descansar em paz”.
            Vai morrer com o airbag assassino ou por falta de itens de segurança.
            Tirando esse último, que é bonito sim e mais seguro, jamais iria comprar um Vovorolla.
            Não é essa Coca-Cola toda.

            •  iSheepOS

              airbag ativa quando tem colisao ne? e parece que esse motorzinho desliga do nada, vc escolhe qual quer dirigir, tó aqui a chave do Jeep
              hihihi

        • Baetatrip

          Esse tipo de segmento nao existe nos EUA….
          Tem Fit lá…. Mas e raríssimo!
          Categoria Corolla+ Civic são a nossa “categoria popular” nos EUA

          •  iSheepOS

            Corolla eh carro de velho aqui porque o brasileiro passa a vida inteira comprando porcarias, e finalmente na velhice descobre que so fez besteiras

            • Baetatrip

              ….Concordo!

            • Pablo Alves

              nao amigo, é pq um jovem de 18 anos nao consegue 140 mil reais para comprar mesmo

              •  iSheepOS

                claro que consegue, nao precisa ser novo

          • Emilio

            Não é bem assim… O Civic é popular em vendas mas não tem preço tão popular assim, tem opções bem mais baratas.. Cada dolar conta no mercado lá.

        • Raimundo A.

          O que é mercado exigente, pois cansei de ver matérias sobre o perfil dos compradores daqui e especialistas entrevistados, como responsáveis das aéreas envolvidas das montadoras, dizem ser exigente. Com o quê?
          Ter CMM como prioridade acima da segurança?
          Lá, com poder aquisitivo maior, competitividade acirrada, tributação e juros para financiar baixos, é só olhar a história do país, pra ver que city car, aqui compacto, esses que você citou, são raridade. O indivíduo não precisa passar 4, 5 anos se virando com salário mínimo para ter um médio daqui, nem que seja seminovo.
          Já viu alguns Youtubers brazucas esnobando esportivos caros, alguns nem tem aqui, lá. Dizer que é dono é fácil, mas será?
          A realidade daqui é que alguém que ganha R$ 15k por mês pode, não tendo despesas alta, comprar um caro Corolla para pagar em pouco tempo. Se esta pessoa tiver o mesmo emprego num país desenvolvido, poderá ter um BMW na garagem sem muito esforço, provavelmente pagando no mesmo período.

        • TijucaBH

          Nao vente HB20, Gol, Palio etc nao por ser mais exigente e sim porque americano nao gosta de carro pequeno. Veja bem, nao estou querendo dizer que esses 3 carros sao de otima qualidade (apesar de achar que a qualidade do HB20 nao pode ser comparada a Gol e Palio- HB20 é bem superior), mas o motivo desses carros nao serem vendidos lá nao é por questao de qualidade, é mercado. Nem mesmo um Audi, BMW ou Mercedes pequenos vendem bem na terra do Tio Sam

      • Bili

        O Tigershark de 2.4 litros está em processo de aposentadoria. Ele será substituído por um turbo GSE/FireFly de 1.3 litros e mesmo com um turbo GSE/FireFly de 1.5 litros.

        • Paulo Lustosa

          Quero ver como vai nascer um 1.5L Firefly equilibrado, pois o espaçamento entre os cilindros do Firefly é menor que o do Fire. Aumentar o curso de virabrequim vai tornar mais aversivo a alta rotação que os 1.3L e o 1.0L 3cil já são.

        • Raimundo A.

          Caro, eu já sei disso e não tem GSE 1.5 turbo. São 1.0 e 1.3 aspirados e os mesmos com mais tecnologias, turbo,
          chamados de GSE T3 e T4.

          • Bili

            aqcf . it

            FCA Termoli, start ai motori GSE FireFly, eredi del glorioso e celeberrimo Fire
            Di Territoriale Termoli FCA -20/12/2019

            Nell’incontro tenutosi oggi a Termoli, FCA ha dichiarato che a fine gennaio 2020 partirà il cantiere per l’allestimento della linea di lavorazione di montaggio dei nuovi motori GSE (Global Small Engine): si tratta di propulsori compatti e leggeri, con potenze elevate Turbo T3 (un tre cilindri di cilindrata 999 cc) e Turbo T4 (un quattro cilindri di cilindrata 1500 cc) che andranno a sostituire il glorioso e celeberrimo quattro cilindri Fire.

            I nuovi impianti saranno tecnologicamente innovativi, rivolti a garantire in primis l’ergonomia e la sostenibilità.

            Le attività del progetto impegneranno gran parte del prossimo 2020, con una previsione di inizio dell’attività produttiva nel gennaio 2021. Per la gestione di tale periodo verranno adottati gli strumenti previsti dal CCSL atti a garantire la maturazione dei ratei degli istituti.

            L’avvio dell’investimento è una notizia da lungo tempo attesa e di grande importanza per lo stabilimento di Termoli: garantisce una prospettiva di crescita produttiva e occupazione.
            È il coronamento degli sforzi, della professionalità e dei sacrifici di tutti lavoratori che continua a rimanere un polo centrale e strategico per la produzione.

          • Bili

            aqcf . it
            AQCF (L’Associazione Quadri e Capi Fiat)

            FCA Termoli, il rilancio di un polo produttivo strategico per l’automotive
            Il Segretario Generale Serra e il Segretario Nazionale Damiano nel plant termolese
            Di Territoriale Termoli FCA -08/02/2020

            Dal tavolo automotive del Mise a FCA Termoli: il Segretario Generale Giovanni Serra ha incontrato l’azienda, coadiuvato dalla rappresentanza territoriale RSA – formata da Marco Travaglini e Vittorio Cornacchione – accompagnato dal Segretario Nazionale Umberto Damiano.
            Durante l’incontro si sono esplicitati e approfonditi i contenuti espressi nell’intervento al Mise e si è parlato dell’avvento del motore GSE FireFly 1.0 e 1.5 e alle relative evoluzioni del cambio – previsto nell’immediato futuro.

            Riteniamo che grazie agli investimenti in corso per la riconversione produttiva al nuovo motore, il plant termolese possa avere le carte in regole per affrontare le prossime sfide che attendono il gruppo e conferma di essere un polo produttivo strategico, pronto a supportare il rinnovo dell’attuale parco veicoli circolanti e a cogliere le nuove opportunità della transizione elettrica e produttiva.

            L’attività produttiva dello stabilimento di Termoli è stata avviata nel 1972 e ben presto il sito è diventato un polo industriale di riferimento del molisano: qui sono nati i motori Fire – prodotto in oltre 23 milioni di pezzi -, Multiair e due propulsori per l’Alfa Romeo Giulia.

            Punto di forza strategico del plant sono i lavoratori, sia le maestranze che lo staff impiegatizio e i quadri, che sosterranno un piano di crescita efficace.

          • Bili

            Diga me. Você ainda está negando os planos para um motor turbo GSE de 1.5 litros.

            Eu posso te dar uma lista parcial de um motor FCA Euro 6D:
            1.0l de GSE T3 GDI Eu6D Temp/Final
            1.0l GSE N3 PFI Eu6D Temp/Final
            1.3l GSE T4 GDI Eu6D Temp/Final
            1.3l GSE N4 PFI Eu6D Final
            1.5l GSE DOHC Eu6D Final

            Ou a partir de outro perfil do LinkedIn:
            “… GSE T3 e T4 Técnica de Calibração de Motores. Presso FCA – Fiat Chrysler Automóveis

            GSE T3 e T4 Técnica de Calibração de Motores. Chumbo
            Um tempo pieno
            Data giu 2019 – presente
            Durata lavoro 1 anno
            Località Pomigliano d’Arco
            -Base Calibration, Driveability – Calibração de Emissões e Frota Responsável pelas Famílias de Motores GSE T3 MAIR e T4 DOHC.
            …”

            Como você pode ver, GME T4 DOHC é a nova versão de 1.5 litros de um GSE.

            Mas talvez todos eles sejam apenas mentirosos. Sindicatos Italianos FCA incluídos.

  • Fabão Rocky

    Fiat sendo Fiat.

  • Pablo Lee Peter

    Honda e Toyota voce nunca vai ver isso acontecer…Depois ainda reclamam dos preços

    •  iSheepOS

      exato

    • Sem noção

      Talvez por usarem uma tecnologia “mais tradicional”, tendem a enfrentar menos problemas.

    • Murilo Soares de O. Filho

      Se fossem tão bom assim, não existiria outras marcas…

      • Pablo Lee Peter

        Pelo contrario, seria monopolio e isso é proibido, pois é atributo do serviço público

        • Murilo Soares de O. Filho

          Lógico que não urh, se outras marcas morrem por perder mercado e fechar e restar apenas Honda e Toyota, isso no seu sonho, não seria monopólio não.

          • Pablo Lee Peter

            Uma hipótese totalmente improvável. conforme falei antes

        • Osni Duarte

          Mono significa um em grego, então se forem dois já não é monopólio…

          • Pablo Lee Peter

            Monopolio foi resposta a uma hipotese improvavel de todas contra apenas duas, entao nesse caso é monopolio, em administração nem toda palavra tem significado ao pé da letra

        • fsjal

          existe algo chamado monopólio natural. como o amigo acima disse, se fossem boas assim não teriam concorrentes.

          • TchauQueridos

            Não tem nenhuma lógica seu comentário.
            Quando algo faz sucesso, é crível que venham concorrentes, não necessariamente bons.
            Vide inúmeras marcas que copiam a coca-cola (cópia mal feita por sinal) e continuam no mercado.
            Por qual razão? Inúmeras, primeira delas o preço.

            • Murilo Soares de O. Filho

              E coca-cola é bom?

            • fsjal

              o monopólio natural é possível sim. é improvável de acontecer, mas não impossível. é quando um dos competidores se torna tão bom, que toda a preferência do mercado vai pra ele.

              porém, a diferença entre esse tipo de monopólio e o monopólio artificial, é que o primeiro não é definitivo: pelo fato do mercado ficar aberto, é questão de tempo até um novo ciclo de concorrentes aparecer.

      • TchauQueridos

        Não ser precisa ser bom pra estar no mercado.
        Ta cheio de porcarias por ai…

    • RPM

      Rapaz….eu tenho uma Hilux diesel 2006,troco o óleo do motor à cada 7.500 km….não baixa nem 100 ml…do jeito que fica na marca máxima da vareta,depois dessa Km,o nível está no mesmo lugar…e olha que uso óleo sintético “fino”, 5W30….

      • Racer

        Mas isto não é exclusividade de Honda…Toyota…. A matéria cite UM motor específico….de UM fabricante específico… E só dá pra dizer que não baixou nada, se tu tirar a mesma quantidade que colocou….o que é bem difícil, já que sempre existe um “consumo” de óleo.

        • RPM

          Eu não falei que é exclusividade….só citei o caso do meu carro atual.
          Mas nessa sua obs,posso citar um Civic 99 que tinha(está na família ainda),e é super normal do motor dele baixar 1/1,5 l a cada 5 mil Km…..sempre foi assim desde os 40 mil Km,quando o comprei…hj ele está com 180 mil Km….

          • Racer

            Até não foi pra ti…mas pro outro que citou estas duas. O consumo de óleo é a coisa mais normal que existe, mas dentro disto que tu exemplificou. Os motores antigos baixavam mais ainda.

            • McLovin

              Será? Sempre desconfiei dessa história de reduzirem cada vez mais a viscosidade do óleo lubrificante. Carros da Honda que saíram da fábrica usando 5W30, passaram a ter recomendação de uso de 0W20 quando trocado na concessionária em revisões. Algum consumo de óleo sempre foi normal, de fato. Lembro da galera reclamar do alto consumo nos AP da Volkswagen. Lembrando que motor turbinado consome ainda mais, com esses lubrificantes de baixíssima viscosidade pra reduzir consumo e sobretudo emissões, eu tenho minhas dúvidas.

              • Racer

                Nunca confie em CCS….. Por mais que na CCS eles indiquem, sempre uso o óleo descrito no manual. Na Kia, por exemplo, queriam me dar óleo de carro flex e com viscosidade diferente para usar em uma camionete a Diesel.

                Tive dois carros com o AP1800. Lembro que no manual (não lembro se dos dois) falava em algo de 1l/1000km……mas nunca chegou a isto.

                • McLovin

                  Compreendo. Mas eu diria que o consumo é maior nesses motores mais modernos. Além da especificação de viscosidade cada vez menores, muitos utilizam variadores de comandos de válvulas que dependem da pressão de óleo para serem acionados. No projeto preveem atrito e folgas mínimos, porém a margem de erro fica no limite. Qualquer situação adversa já é suficiente pra desencadear esse tipo de problema. Meu pai cupim de ferro moía os carros, o mecânico macaco velho já botava óleo de viscosidade maior prevendo este uso severo. Mas com CVVTs não pode fazer essa mudança, sobretudo se for pra mais.

                  Edita: no caso da Honda, a culpa não é das concessionárias. É orientação da própria fabricante fazer a substituição do 5W30 pelo 0W20. Na linha Fit e City passaram a sair com essa especificação de lubrificante, e até onde se sabe não foi anunciada nenhuma alteração no propulsor. Eu não arriscaria baixar pra 0W20 um carro que rodou a vida inteira com 5W30. Se já veio assim de fábrica, ok.

                  • Racer

                    Justamente….hoje as folgas estão menores e tudo já no limite. Se usar um óleo menos viscoso é certeza que vai aparecer problema. É fato que estes motores, ao menor desgaste, já vão baixar óleo mais cedo. Lá na época dos óleos monoviscosos, eu costumava usar um um pouco mais “grosso” pra dar uma equilibrada no desgaste. Mas coisa de 40 pra 50, por exemplo.

                    Tu imagina… que um óleo mais viscoso (grosso) vai demorar mais a chegar nos pontos altos do motor…Em motor novo isto é um crime. Daí tu chega na CCS e eles querem usar o óleo que eles estão comprando de tonel…não o que é recomendado.

                    • McLovin

                      Sim, era justamente um aumento na margem. Acho que o manual recomendava 15W40, ele subiu pra 15W50. No período recente tivemos vários motores com consumo excessivo de óleo. Os EA211 1.6-16v deu esse problema em um monte de Fox; o SCe 1.6-16v da Renault houve bastante relatos no começo também em toda a linha.

                • TchauQueridos

                  Acho que nem no manual pode-se confiar.
                  Marea quem o diga!

                  • Racer

                    Não duvido…principalmente quando o carro for importado e não tiver sido “tropicalizado” como deve.

              • Paulo Lustosa

                AP no início tinha alto consumo de óleo devido aos vedadores de válvulas serem de especificação inferior aos Audi 827 alemães.

      • Murilo Soares de O. Filho

        Essa eu pago pra ver, não baixar 100 ml…

        • Racer

          Baixa sim… tu bota 8 litros e não tira 7 na troca (em 10 mil km)

        • RPM

          Na vareta do óleo pelo menos, não acusa….agora,a capacidade dela é de 6.9 litros de óleo….deve gastar algo sim,mas não acusa absolutamente nada após 7.500 km….eu ando como tiozão também,meu motor raríssimamente passa de 2 mil rpm,por ex….enfim

        • Murilo Soares de O. Filho

          Foi um erro aqui.

      • Pablo Lee Peter

        Tenho na minha rua um amigo q tem uma SW4 “reta” daquelas antigas, completa e em perfeito estado, que ele disse que a unica coisa que ele faz é trocar óleo. Ja fiz ofertas e ele nao vende, porque tem familia grande

        • TchauQueridos

          Oque mais tem é nego vendendo, se quer comprar não perca tempo.

    • Paulo Lustosa

      D16/B16 discorda veemente sobre o que você disse.

    • Caulazaro

      Pode procurar que vai encontrar vários problemas, inclusive com cambio, infiltração, freios ruins, etc. E isso só na Hilux. Fora que é uma barulheira só, o interior.
      Todas as marcas tem problemas, infelizmente.
      Acorda!

      • Pablo Lee Peter

        Acordar por estar dormindo é melhor do que por estar sonhando. Honda e Toyota voce nunca vai ver isso acontecer. Por isso sao mais caros, e tem tanta gente reclamando, maioria por nao ter condições de comprar, por isso vendem tanto.

        • Caulazaro

          Procura se informar melhor.

          • Pablo Lee Peter

            Procurou se informar melhor? Deu certo?

            • Caulazaro

              Já procurei e há vários relatos de problemas e sérios, nos carros de Honda e Toyota.

              • Pablo Lee Peter

                Onde?

  • Baetatrip

    Pois é…..
    Fiat sendo Fiat, não tem jeito!
    Vender 1 motor 2.4 bichado?
    Deveria ter recall disso já!

    • Paulo Lustosa

      Todos os motores 2.4L que usam como projeto o bloco da Hyundai acontece isso, não é exclusividade do Firefly. O 4B12, o WGE 2.4 que equipou a Freemont no Brasil e o Theta também sofrem com o alto consumo de óleo lubrificante e com problema crônico de lubrificação que não ocorre nos 1.8 e 2.0L dos mesmos motores, tanto é que a Mitsubishi vende até hoje o 4B11 e a versão turbo dele nos seus carros.

      • Murilo Soares de O. Filho

        Que Firefly?

        • Paulo Lustosa

          Corrigido. Não é exclusividade do Tigershark, já que ele é um projeto da aliança da Hyundai-DaimlerChrysler-Mitsubishi, só que com cabeçote reprojetado pela FCA para usar o Multiair.

          • Murilo Soares de O. Filho

            Na verdade já é um motor mais antigo repaginado em fim de linha.

            • Paulo Lustosa

              Se comparar com o EA-888 e os BMW B48 e MB M274 ele é mais antigo, mas com o resto, acaba sendo contemporâneo, e por sinal, o mesmo motor com fabricação Mitsubishi é extremamente confiável e com uma excelente base de preparação (4B11/4B12).

      • Baetatrip

        Bom saber…..
        Usam a mesma litragem de 1.8 ou 2.0 que geralmente 5L com filtro de oleo….!
        Motor maiores tem maior litro de óleo… Exemplo: 2.4 da GM é 5L sem filtro….
        Esse 4B11 está praticamente todos os motores da Mistu: Lancer (todas versões+ ASX….Bom motor e nao dá problema como caso da SZK J20A…

  • Murilo Soares de O. Filho

    Sempre que surge uma reclamação aqui, o detratores de plantão aparecem, o pessoal tem que parar de falar algo que não tem conhecimento, só que tem pode falar com fundamentos, o disse que não disse, o meu amigo, vizinho do meu pai, o carro do meu irmão…não tem credibilidade isso. Todo carro tem consumo de óleo, basta verificar no manual, o que não pode haver é um consumo além do que é descrito no manual.

  • Alvarenga

    Se até BMW faz isso porque um Fiat não pode fazer tambem né ?????

  • RKK

    Ok, alerta de baixo nível de óleo é saudável, mas à 75% do nível total é exagero (poderia ser à 60%).

  • Bruno Schatkoski Valerio

    kkkk cadê os dono de torinho?

  • Marcos Pastori

    Pelo que entendi, a marca decidiu que é melhor o motor desligar quando o óleo baixar, do que perder o motor inteiro. E se vire quem tiver dirigindo. Pelo menos, não terão que arcar com um motor novo na garantia, não é mesmo ?

  • Selsu Brass

    Bezzero Toro bebendo água demais, ops, óleo demais hehehe.

  • A exigência do Brasileiro e se tem tela multimídia, isofix que não usa, encosto de cabeça onde não vai ninguém…

  • zekinha71

    Metem o pau aqui nos motores jurássicos, mas esses modernos são um festival de problemas, são motores só pro primeiro dono rodar uns 2 anos, depois passa pra frente e deixa o segundo dono se virar com os B.O.s.
    É esse aí, é THP, é Tsi, é bomba de alta que queima, é sensor que falha, é bobina que racha, é turbo que explode, é vazamento pra todo lado.

    • Gabriel Camilo

      Não se esqueça do Duratorq da Ford, TDI da Amarok, dentre tantos outros.

    • Paulo Lustosa

      Tigershark tem 15 anos nas costas.

    • Caulazaro

      Os jurássicos, também tem seus problemas.
      Estamos é lascados!
      O setor automotivo gera muito pib pro governo. Então não estão nem aí.

  • Matafuego

    Expectativa: Chrysler ajudar a desfazer a má fama da Fiat nos EUA
    Realidade: Fiat ajuda a destruir a fama da Chrysler nos EUA

  • Danilo

    Essas desculpas que as montadoras dão de carro poder consumir 400 ml de óleo a cada 1000 km é um absurdo. Eu tinha um stilo 1.8 8 válvulas que não abaixava nem um milímetro de óleo na vareta a cada troca de 7500 km e com óleo semi sintético lubrax ainda que não é lá uma Brastemp. E olha que comprei o carro com 120 mil km e vendi ele com 220 mil km. Foi num carro Fiat que eu aprendi a admirar os GM pois esse motor era o mesmo do corsa 1.8. Desde então estou com essa família de motores GM F1 (inclusive no Onix joy que comprei esses dias) e é só alegria. Outro excelente motor nesse sentido também de não baixar óleo é o fire 1.0, tenho um também e é só alegria, já o fire 1.4 em 10 mil km ele desde novo baixa 1 litro, pouco pra 10 mil km porém muito pro motor que só tem 2,5 litros de óleo disponível para troca sem trocar o filtro.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email