Jeep Commander vs Chery Tiggo 8: Um é mais caro, e o outro é mais equipado

tiggo 8 pro hybrid (1)
tiggo 8 pro hybrid (1)

O Commander carrega a tradição da marca e é um dos mais procurados no segmento de SUVs de sete lugares.

Mas ele está cada vez mais preocupado com a ascensão de um rival chinês: o Tiggo 8.

Neste comparativo, vamos ver qual deles tem preços mais chamativos, lista de equipamentos mais generosa, motores mais eficientes, mais espaço para levar a família e custo de manutenção mais baixo.

O resultado foi surpreendente! Confira!

commander longitude 2024 (3)
commander longitude 2024 (3)

O Commander é mais caro

O Commander 2025 chegou com diversas novidades, mesmo que o visual tenha permanecido praticamente o mesmo.

Uma delas foi a entrada da versão Longitude de cinco lugares, por R$ 217,3 mil, enquanto a terceira fileira é um opcional por R$ 8,7 mil.

As versões Limited e Overland também usam o mesmo motor 1.3 turboflex, custando entre R$ 241 mil e R$ 263 mil, enquanto a mesma configuração Overland ainda tem o propulsor 2.0 turbodiesel, por quase R$ 298 mil.

A maior mudança na nova linha, porém, está no topo da gama: as opções Overland e Blackhawk, que usam o novo motor 2.0 turbo (gasolina) e ficam acima dos R$ 300 mil.

Veja os novos valores do Commander 2025:

  • Commander Longitude 1.3 Turbo (5 lugares) – R$ 217.290
  • Commander Longitude 1.3 Turbo (7 lugares) – R$ 225.990
  • Commander Limited 1.3 Turbo – R$ 240.990
  • Commander Overland 1.3 Turbo – R$ 262.990
  • Commander Overland 2.0 Diesel – R$ 298.290
  • Commander Overland Hurricane – R$ 308.290
  • Commander Blackhawk Hurricane – R$ 321.290
tiggo 8 pro hybrid (16)
tiggo 8 pro hybrid (16)

O Tiggo 8 começa bem abaixo do rival da Jeep na versão Max Drive, que tem motor 1.6 turbo e ainda sai por menos de R$ 180 mil.

O interessante é que essa versão a combustão já está na linha 2025, enquanto o modelo híbrido segue como 2024.

Por falar nele, o Tiggo 8 Pro Hybrid exige um investimento de R$ 60 mil sobre a versão de entrada, custando quase R$ 240 mil. Ele usa o motor 1.5 turbo associado a outros propulsores elétricos.

Confira os preços do Tiggo 8 2025:

  • Tiggo 8 Max Drive – R$ 179.990
  • Tiggo 8 Pro Hybrid – R$ 239.990

VENCEDOR: Tiggo 8.

commander longitude 2024 (11)
commander longitude 2024 (11)

E o chinês também é mais equipado

Se você quiser desembolsar R$ 240 mil, esses modelos oferecem duas opções bem interessantes: Commander Limited 1.3 Turbo e Tiggo 8 Pro Hybrid. Mas qual deles é mais equipado?

O Chery tem mais itens exclusivos, como câmera 360º, assistente de desembarque, retrovisores com aquecimento, teto solar panorâmico, banco do motorista com aquecimento, ventilação e memória e banco do passageiro com ajustes elétricos.

Enquanto isso, o modelo da Jeep oferece assistente de estacionamento, sete airbags, GPS, Wi-Fi, subwoofer, leitor de placas e faróis de neblina, numa lista um pouco mais tímida que seu rival chinês.

Além disso, ambos são equipados com alerta de ponto cego, assistente de faixa, alerta de colisão, ar dual zone com saída traseira, ACC, sensor de chuva, partida remota, Auto Hold, rodas aro 18, faróis em LED com assistente de luz alta, sensores dianteiros e traseiros, som premium, entre outros.

tiggo 8 pro hybrid (8)
tiggo 8 pro hybrid (8)

Em resumo, os dois são bem equipados, mas o Commander precisaria da versão Overland T270 para realmente bater de frente com o Tiggo 8 Hybrid.

O problema é que essa opção custa R$ 22 mil a mais.

VENCEDOR: Tiggo 8.

Ele faz mais de 30 km/l?

Os dois SUVs apostam em motores turbo, que são mais eficientes. Além disso, de um lado temos a opção diesel do Jeep, enquanto a Chery foi uma das primeiras a apostar em versões híbridas.

Para definir quem é mais eficiente, vamos aos números.

O Commander começa com o conhecido 1.3 turbo de 185 cv e 27,5 kgfm, com câmbio automático de 6 marchas. Ele chega aos 100 km/h em 9,5 segundos e alcança 202 km/h de máxima.

commander longitude 2024 (17)
commander longitude 2024 (17)

São números melhores que a versão movida a diesel, com o 2.0 turbo de 170 cv e 38,7 kgfm, câmbio automático de 9 marchas e tração integral. Com esse conjunto, os números pioram para 11,6 segundos e 197 km/h.

A carta na manga da montadora é a nova opção movida a gasolina, com o motor 2.0 turbo de 272 cv e 40,8 kgfm.

Usando o mesmo câmbio e tração da versão a diesel, o SUV impressiona ao levar apenas 7 segundos até os 100 km/h, além de atingir 220 km/h de máxima.

Do lado da Chery, o Tiggo 8 começa com o motor 1.6 turbo de 187 cv e 28 kgfm, ligado ao câmbio automatizado de 7 marchas. São 9 segundos no 0 a 100 km/h e máxima de 180 km/h, exibindo um tempo de aceleração inferior ao Commander 1.3 turbo.

Na versão híbrida, o SUV chinês usa o motor 1.5 turbo de 147 cv e 22,5 kgfm ligado a outros dois propulsores elétricos (95 cv e 17,3 kgfm + 75 cv e 16,8 kgfm). Com câmbio CVT de 11 marchas, ele entrega 317 cv e 56,6 kgfm.

tiggo 8 pro hybrid (13)
tiggo 8 pro hybrid (13)

O desempenho é muito bom: 0-100 km/h em 7 segundos e máxima de 180 km/h.

Ao falar sobre consumo, é óbvio que as melhores marcas aparecem no Tiggo 8 Hybrid, que fica próximo dos 30 km/l na média combinada.

Mas mesmo excluindo essa opção, a versão a combustão do SUV é mais econômica que o Commander 1.3 turbo, especialmente na estrada.

A versão movida a diesel do Jeep também entrega números satisfatórios, enquanto as novas versões Hurricane ficam abaixo.

Ou seja, depois de um empate no desempenho, o chinês leva a melhor no consumo, sendo o mais eficiente nessa disputa.

Consumo Commander 1.3 Turbo Commander 2.0 diesel Commander Hurricane Tiggo 8 1.6T Tiggo 8 Hybrid
Cidade – etanol 7,0
Cidade – gasolina/diesel 10,0 10,2 8,0 10,1 32,7
Estrada – etanol 8,2
Estrada – gasolina/diesel 11,4 13,2 10,2 12,0 27,8

VENCEDOR: Tiggo 8.

commander blackhawk 2025 (22)
commander blackhawk 2025 (22)

Mais conforto no Commander

O Tiggo 8 deveria ser mais apertado que seus rivais do segmento, como o Commander, pois tem 8 cm a menos de entre eixos (2,71 x 2,79), mas isso não acontece. Na verdade, ele é bem espaçoso na segunda fileira, assim como o Jeep.

No restante das medidas, o chinês é mais generoso na altura (1,74 x 1,70) e na largura (1,86 x 1,85), enquanto o Commander é maior no comprimento (4,76 x 4,72). Por dentro, os dois se equivalem.

O que conta a favor do modelo da Stellantis são algumas comodidades. Ambos tem saída traseira de ar, mas apenas o Commander tem ajuste de velocidade independente, além de contar com tomadas extras para carregamento.

Outro ponto que favorece o Jeep é o acesso à terceira fileira, um pouco mais fácil que no rival.

tiggo 8 pro hybrid (18)
tiggo 8 pro hybrid (18)

Com todos os lugares ocupados, ele carrega 233 litros (contra 140 litros do Tiggo 8), e com eles guardados, o espaço aumenta para 661 litros (versus 650 litros do Chery).

Por tudo isso, a vida a bordo é um pouco mais confortável no Commander.

VENCEDOR: Commander.

A Chery cobra caro nas revisões

Os dois modelos contam com garantia de 5 anos, mas depois disso tudo fica bem diferente ao realizar as manutenções periódicas. Aliás, compará-los nesse aspecto não é uma tarefa fácil.

Do lado da Jeep, as revisões são feitas a cada 12.000 km nos modelos T270 e Hurricane ou a cada 20.000 km na configuração a diesel.

Enquanto isso, o SUV da Chery segue o intervalo de 10.000 km, mas não divulga o valor da revisão dos 60.000 km.

commander blackhawk 2025 (25)
commander blackhawk 2025 (25)

Para uma comparação mais justa, vamos citar os valores até os 50.000 km. O Commander totaliza R$ 3,5 mil na versão 1.3 turbo, R$ 2,4 mil na opção a diesel e pouco mais de R$ 4 mil na Hurricane.

Enquanto isso, o Tiggo 8 exige um pouco mais, chegando a R$ 4,1 mil na versão a combustão e quase R$ 6 mil na opção híbrida.

Revisões Commander 1.3 Turbo Commander 2.0 Diesel Commander Hurricane Tiggo 8 Tiggo 8 Hybrid
10.000 km R$ 668,25 R$ 549,89
12.000 km R$ 767,00 R$ 782,00
15.000 km
20.000 km R$ 1.163,00 R$ 1.016,71 R$ 882,14
24.000 km R$ 874,00 R$ 1.273,00
30.000 km R$ 782,04 R$ 624,92
36.000 km R$ 972,00 R$ 727,00
40.000 km R$ 1.228,00 R$ 1.016,71 R$ 3.333,23
45.000 km
48.000 km R$ 906,00 R$ 1.273,00
50.000 km R$ 668,25 R$ 549,89
60.000 km R$ 1.463,00 R$ 1.894,00 R$ 1.839,00 (não divulgado) (não divulgado)
TOTAL R$ 4.982,00 R$ 4.285,00 R$ 5.894,00 R$ 4.151,96 R$ 5.940,07

VENCEDOR: Commander.

tiggo 8 maX drive (43)
tiggo 8 maX drive (43)

O Jeep (ainda) vende mais

Contando as vendas de janeiro a abril de 2024, o Commander aparece numa posição mais confortável que seu rival.

Foram 4.310 unidades contra 2.993 emplacamentos do Tiggo 8, colocando os SUVs na 18ª e 20ª posições do segmento, respectivamente.

Parece pouco, mas vale lembrar que eles brigam contra modelos mais baratos, como os muitos SUVs compactos que temos em nosso mercado. Ainda há campo para melhora, mas são vendas interessantes.

É bom destacar a melhora que o Tiggo 8 teve nesse ano, pois a diferença em 2023 entre os dois era muito maior.

O Commander fechou com 19.874 unidades, enquanto o chinês teve apenas 9.545 emplacamentos.

VENCEDOR: Commander.

commander blackhawk 2025 (1)
commander blackhawk 2025 (1)

Conclusão

Eles não empataram em nenhuma categoria, mas terminaram igualados ao final deste comparativo.

O Tiggo 8 começou melhor, se destacando nos preços, no nível de equipamentos e na motorização, que segue muito eficiente graças à versão híbrida.

Mas o Commander buscou o empate ao vencer as últimas categorias: ele é mais espaçoso, tem revisões mais baratas e ainda vende mais em nosso mercado.

Isso tudo mostra como os brasileiros estão aceitando melhor um modelo chinês desse porte e preço, o que também comprova a evolução da marca por aqui.

E você, colocaria qual deles na sua garagem?

tiggo 8 maX drive (36)
tiggo 8 maX drive (36)

Fichas técnicas

Commander

Tiggo 8

Preço  R$ 217.290 a R$ 321.290 R$ 179.990 a R$ 239.990
Motor 1.3 turbo, 2.0 diesel ou 2.0 gasolina 1.6 turbo ou híbrido
Potência e torque 1.3T – 185 cv e 27,5 kgfm 1.6T – 187 cv e 28 kgfm
2.0 diesel – 170 cv e 38,7 kgfm
2.0 gasolina – 272 cv e 40,8 kgfm Híbrido – 317 cv e 56,6 kgfm
Câmbio AT6 ou AT9 AT ou CVT
Aceleração e velocidade máxima 1.3T – 9,5s e 202 km/h 1.6T – 9s e 180 km/h
2.0 diesel – 11,6s e 197 km/h
2.0 gasolina – 7s e 220 km/h Híbrido – 7s e 180 km/h
Consumo cidade 1.3T – 7 km/l (E) e 10 km/l (G) 1.6T – 10,1 km/l (G)
2.0 diesel – 10,2 km/l
2.0 gasolina – 8 km/l Híbrido – 32,7 km/l (G)
Consumo estrada 1.3T – 8,2 km/l (E) e 11,4 km/l (G) 1.6T – 12 km/l (G)
2.0 diesel – 13,2 km/l
2.0 gasolina – 10,2 km/l Híbrido – 27,8 km/l (G)
Rodas e pneus 235/55 R18 ou 235/50 R19 235/55 R18
Medidas comprimento, 4,76 m; altura, 1,68 a 1,70 m; largura, 1,85 m; entre-eixos, 2,79 m comprimento, 4,70/4,72 m; altura, 1,70/1,74 m; largura, 1,86 m; entre-eixos, 2,71 m
Tanque 61 litros 45 ou 51 litros
Porta-malas 233 a 661 litros 150 a 650 litros
Peso  1.635 a 1.908 kg 1.600 a 1.829 kg
google news2 Quer receber todas as nossas notícias em tempo real?
Acesse nossos exclusivos: Canal do Whatsapp e Canal do Telegram!

O que você achou disso?

Toque nas estrelas!

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.


Últimas Notícias



viny
Autor: Viny Furlani

Trabalha no segmento automotivo há mais de 18 anos. Desde 2009 trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escrevendo avaliações e notícias sobre carros, totalizando mais de 2.000 artigos.