História Nissan Sedãs

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)
Nissan Altima 2019

O sedã Nissan Altima é um dos carros mais emblemáticos da marca japonesa no mercado, em especial para os consumidores norte-americanos.

Se por aqui ele fez uma espécie de participação especial na carreira da marca por pouquíssimo tempo, lá fora ele vende bem. Só no ano passado foram 186 mil Altima’s vendidos nos EUA, sendo o sexto sedã que mais emplacou por lá em 2018.


E todo esse sucesso não surgiu do dia pra noite: o Altima é um carro que faz parte da gama da Nissan desde 1993.

Ele está atualmente em sua sexta geração e tem fôlego suficiente para brigar com modelos como Toyota Camry, Ford Fusion, Honda Accord, Chevrolet Malibu e diversos outros sedãs da mesma categoria.

O nome “Altima” deriva da palavra latina “altus”, que significa “de ordem superior”. Além disso, em inglês o nome do carro soa como semelhante à palavra “ultimate”, que quer dizer “o melhor”.


A trajetória do Nissan Altima no mercado brasileiro teve início em novembro de 2013.

O modelo chegou por aqui importado dos Estados Unidos, em versão única de acabamento com preço de R$ 99,8 mil. Todavia, ele durou cerca de um ano e deixou de ser importado no ano seguinte.

Veja abaixo os principais detalhes da história do Nissan Altima:

Nissan Altima (1992 a 1997)

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Antes do Altima como um modelo de série, a Nissan já empregava este nome em versões de outros modelos da sua linha.

Como exemplo, havia o Leopard Altima como a variante topo de linha do carro no Japão em 1986 e também o Nissan Laurel Altima, este vendido na América Central e Caribe até meados de 1992.

A primeira geração do Nissan Altima saiu da linha de produção de Smyrna, no estado norte-americano de Tennessee, no dia 11 de junho de 1992.

Ele chegou para ocupar o lugar do Nissan Stanza, tanto é que os primeiros modelos foram anunciados como “Stanza Altima”, já que a Nissan se preocupava com a aceitação do público e a capacidade de pronunciar o nome do novo carro.

No entanto, logo na primeira geração, o Altima caiu no gosto do público.

O impacto foi logo imediato e o modelo incomodou rivais também japoneses como Honda Accord e Toyota Camry.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Na linha da Nissan, o então novo Altima se posicionava entre o Sentra e o Maxima, tal como acontece até hoje (pelo menos lá fora).

O modelo chegou equipado com um motor DOHC de 150 cavalos de potência, associado a um câmbio manual de cinco velocidades ou automático de quatro marchas.

Este conjunto era capaz de levar o Altima aos 100 km/h em pouco mais de 8 segundos na versão manual.

Ele contava ainda com suspensão composta por hastes com barras estabilizadoras em ambas as extremidades, o que segundo a Nissan deu ao carro uma experiência de condução mais afiada e esportiva.

A versão de entrada do primeiro Altima era a XE, que vendeu pouco, já que não contava nem com vidros elétricos.

Já o Altima GXE, intermediário, oferecia vidros elétricos, sistema de som, relógio digital no painel, apoio de braço no banco traseiro, entre outros.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

O Altima SE, mais esportivo, contava com suspensão mais firme, spoilers, saias laterais, bancos esportivos, faróis de neblina e freio a disco nas quatro rodas.

Por fim, o topo de linha Altima GLE incluía até head-up display digital, bancos dianteiros com apoio lombar regulável, ar-condicionado automático, chave presencial, sistema de som com seis alto-falantes, bancos em couro, entre outros.

Nas medidas, tem 4,58 metros de comprimento, 1,7 m de largura e 1,42 m de altura, com entre-eixos de 2,62 m.

Nissan Altima (1998 a 2001)

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

A primeira versão do Altima durou pouco tempo no mercado. Sobreviveu nas concessionárias por aproximadamente cinco anos.

Logo depois surgiu a segunda geração do sedã médio/grande da Nissan, que ganhou as ruas no ano de 1998.

O novo modelo seguia boa parte do estilo visual da antiga geração. As linhas remodeladas foram projetadas pelo centro de design da Nissan na Califórnia.

As formas ficaram mais fluidas e harmônicas, com direito a vincos mais marcantes em alguns pontos da carroceria.

Por dentro, o painel do Nissan Altima de segunda geração (que também atende pela sigla “L30”) manteve praticamente o mesmo conceito do modelo antigo, apenas com alguns recursos extras e uma nova disposição dos botões.

Ele adotou também novos porta-copos, porta-luvas revisado e banco traseiro rebatível.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Além disso, ele ficou maior. Passou a contar com 4,72 metros de comprimento, 1,75 m de largura e 1,42 m de altura. O entre-eixos permaneceu o mesmo, de 2,62 m.

Entretanto, a Nissan afirmou que a capacidade cúbica interna permaneceu idêntica, de 3,1 m³, embora o espaço para os ocupantes tenha melhorado devido a uma nova distribuição dos componentes da cabine.

Na mecânica, seguiu com o mesmo motor 2.4 litros de quatro cilindros a gasolina de 150 cv, com câmbio manual ou automático.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

As versões eram as seguintes: XE, de entrada, GXE, intermediária e mais vendida, SE, esportiva, e GLE, topo de linha e mais luxuosa.

O Nissan Altima SE era o que mais se destacava, com direito a grade na cor da carroceria, rodas de liga-leve exclusivas, spoilers e faróis de neblina.

O carro recebeu boas mudanças no ano de 2000, quando a Nissan ampliou a potência do motor para 160 cv.

Esses cavalos extras deixaram o carro mais ágil, passando a acelerar de 0 a 100 km/h em 8,4 segundos (ante os 8,4 s do modelo de 150 cv).

Nissan Altima (2002 a 2006)

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Se por um lado a segunda geração foi praticamente uma evolução do primeiro Altima, a terceira geração do Nissan chegou como um carro totalmente novo.

Foi a partir daí que o Nissan Altima se posicionou como um real objeto de desejo para os consumidores americanos.

Para se ter uma ideia, no ano de 2004 a Nissan teve que ampliar a produção do Altima e passou a fabrica-lo também na planta de Canton, Mississipi, para dar conta da demanda.

“O conceito por trás da terceira geração do Altima foi simples: parar de copiar o Accord e o Camry, como estávamos fazendo, e criar um novo território”, explicou o vice-presidente de vendas e marketing da Nissan na época, Al Castignetti.

“Com este veículo, a Nissan encontrou a sua própria identidade no segmento de sedãs médios, que continua impulsionando a sua popularidade até hoje”, finalizou.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Não para menos, o Nissan foi premiado como o “Carro do Ano na América do Norte” em 2002, sendo o primeiro asiático a ganhar tal título.

Fora isso, a mídia automotiva considerou o Altima de terceira geração não como uma mera alternativa aos principais sedãs da categoria, mas sim como igual ou melhor que os líderes do segmento que estavam no mercado há bastante tempo.

A nova geração do Altima estreou no ano de 2002 com direito a uma nova plataforma, conhecida como FF-L.

Além disso, foi o primeiro modelo da linha a contar com um motor 3.5 V6 de 240 cv, além do já conhecido 2.5 litros de quatro cilindros em linha, este agora com 180 cv.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Com o uso da plataforma inédita, o novo Nissan Altima ficou maior que o antigo, passando para 4,88 metros de comprimento, 1,79 m de largura e 1,47 m de altura, com entre-eixos de 2,80 m.

A capacidade cúbica interna melhorou consideravelmente, indo para 3,36 metros cúbicos.

O visual do carro também sofreu boas mudanças, adotando linhas mais modernas e adequadas para aquela época.

O destaque ficava para os faróis mais angulosos, a grade cujo formato acompanhava os vincos do capô e as lanternas traseiras que ladeavam a tampa do porta-malas.

Entre as outras evoluções, recebeu suspensão traseira do tipo multilink e freio a disco nas quatro rodas em todas as versões.

Nissan Altima (2006 a 2012)

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Em abril de 2006, mais precisamente no Salão do Automóvel de Nova York, a Nissan apresentou aos consumidores locais a quarta geração do Altima.

Seguindo a evolução da última geração, o novo modelo apresentou boas mudanças e adotou a nova plataforma Nissan D, usada também pelos modelos Murano, Pathfinder, Maxima e Quest, além dos Renault Laguna e Latitude.

O Altima de quarta geração foi o primeiro carro do grupo Renault-Nissan a contar com esta nova base.

Todavia, com o uso da nova plataforma, o carro ficou ligeiramente menor, com cerca de 3 centímetros a menos na distância entre-eixos, por exemplo.

A Nissan, por outro lado, garantiu na época que o novo Altima entregava o mesmo espaço interno do modelo antigo.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Ele estreou com um motor 2.5 litros de quatro cilindros a gasolina, com 180 cavalos de potência, ou 3.5 V6 de 280 cv, com câmbio manual de seis marchas ou uma nova transmissão automática do tipo CVT (continuamente variável), no lugar da antiga caixa automática convencional.

O Nissan Altima de quarta geração recebeu ainda novos recursos, como freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD), chave presencial Nissan Intelligent Key, partida do motor por botão, câmera de ré e conexão Bluetooth.

A novidade chegou nas versões Base, S, Special Edition e SR, sendo a mais completa delas com recursos como reconhecimento de voz, som premium Bose com nove alto-falantes e subwoofer, rodas de 18 polegadas, entre outros.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Fora isso, o modelo passou a contar com uma versão Altima Coupe, que chegou no Salão de Los Angeles de 2006.

Além do visual mais arrojado, o cupê da marca japonesa era mais curto, mais baixo e com menor distância entre-eixos em relação ao sedã.

Outra versão inédita foi o Altima Hybrid, que estreou em 2007. Ele foi o primeiro carro híbrido produzido em série pela Nissan.

Contava com um motor 2.5 litros a gasolina de 160 cv e outro elétrico de cera de 40 cv, capazes de entregar potência combinada de 200 cv. O modelo entregava consumo de 15 km/l na cidade e 14 km/l na estrada.

Nissan Altima (2013 a 2017)

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Pulando para a quinta geração, o Altima renovado deu o ar da graça durante o Salão do Automóvel de Nova York. Esta é inclusive a geração do carro que foi vendida no mercado brasileiro.

O novo modelo foi anunciado somente na carroceria sedã, deixando de lado a configuração cupê e também a versão híbrida.

O sedã manteve a plataforma do modelo anterior, mas agora com dimensões ligeiramente maiores e com cerca de 55 kg a menos.

Com essas mudanças, o Nissan Altima seguiu como o sedã mais leve da sua categoria, graças ao uso intensivo de aço e alumínio de alta resistência em áreas como capô, teto e colunas.

No visual, o Altima incorporou a identidade visual da Nissan na época, tendo como destaque a larga grade frontal com moldura cromada e os faróis angulosos na dianteira, além das lanternas traseiras invadindo parte das laterais.

O interior ficou mais refinado e incorporou novas soluções. Entre elas, os bancos Zero Gravity inspirados pela NASA, que segundo a Nissan proporcionam uma experiência de condução menos desgastante para o motorista.

Ele foi anunciado com um motor 2.5 litros de quatro cilindros, com 185 cv, e o 3.5 V6, este com 280 cavalos, atrelado sempre ao câmbio automático do tipo CVT.

O modelo podia ser encontrado nas versões S, SV e SL. Em 2016, adotou a versão esportiva SR, dotada de volante em couro, bancos com logotipo da variante, detalhes internos em tons azulados, spoilers e rodas aro 18.

Uma das maiores mudanças da linha foi a versão reestilizada, que chegou em 2016.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

O novo Nissan Altima adotou um visual modificado, com faróis dianteiros com recorte mais agressivo, lanternas traseiras maiores, nova grade frontal “V-Motion” e para-choques mais discretos.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

O volante e o console central no interior também foram redesenhados. Além disso, o sedã adotou melhorias no isolamento acústico, com novos materiais e um para-brisa diferenciado.

Nos anos seguintes, o Altima passou a dispor de novos itens como faróis em LED, central multimídia com tela de sete polegadas, Android Auto e Apple CarPlay, sistema de câmera traseira Rear View, entre outros.

Sexta geração do Nissan Altima (2018, até hoje)

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Na sexta e atual geração do Nissan Altima, o sedã chegou com boas mudanças mecânicas.

Apresentado no Salão de Nova York de 2018, o novo Nissan estreou com um motor 2.5 litros de quatro cilindros, com injeção direta e potência de 190 cv, ou um inédito 2.0 litros de quatro cilindros com turbo de compressão variável, sendo o primeiro carro produzido em série no mundo a dispor de tal tecnologia.

O novo motor VC-Turbo estreou no Infiniti QX50 (modelo da marca “rica” da Nissan), mas chegou à linha de produção dentro do cofre do novo Altima. Nele, a taxa de compressão pode ir de 8:1 a 14:1.

A unidade rende 272 cv, a 5.600 rpm, e 38,8 kgfm, a 4.400 giros. Segundo a marca, ele é 35% mais eficiente do que um V6 com potência e torque equivalentes.

No que se diz a respeito do design, o Altima adotou linhas bem mais agressiva. A dianteira é marcada pela enorme grade com um detalhe cromado em formato de “V”, fazendo junção com os novos faróis de LED. Há também vincos marcantes no capô, portas e traseira.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Ainda entre as novidades, ele traz rodas de liga-leve de até 19 polegadas, lanternas traseiras em LED invadindo a tampa do porta-malas e laterais e um discreto aerofólio posicionado no topo da tampa do compartimento de bagagens.

Por dentro, chama a atenção o painel mais moderno, destacando a tela “flutuante” da central multimídia no console central.

Este display é sensível ao toque e tem sete ou oito polegadas, além de funções como Android Auto e Apple CarPlay.

Na lista de equipamentos, há também frenagem automática de emergência com detecção de pedestres, alerta de tráfego cruzado, detecção de objetos em manobras de marcha a ré com frenagem automática, alerta de saída de faixa, entre outros.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Ele dispõe ainda do sistema de condução semiautônoma Nissan ProPilot Assist, assim como os irmãos Rogue e Leaf.

Este recurso dispõe do controle de velocidade e de distância em relação aos outros carros, além de conseguir manter o carro dentro da faixa.

Lá fora, o Altima de nova geração pode ser encontrado nas versões SV, SL e Platinum.

O sistema ProPilot Assist é uma exclusividade da configuração topo de linha.

Nissan Altima no Brasil

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Como citamos no decorrer da matéria, o Altima já fez uma participação especial na gama da Nissan no Brasil. Porém, como acontece no mundo da música, a participação do sedã por aqui durou pouco.

Ele estreou em novembro de 2013 e foi vendido por cerca de um ano.

O Altima chegou em nosso mercado com preço de R$ 99.800.

Este valor era correspondente ao modelo SL, que inclusive foi a única versão de acabamento disponibilizada por aqui, sempre com motor 2.5 litros de quatro cilindros a gasolina, capaz de gerar até 182 cv e 24,8 kgfm, com o câmbio automático Xtronic CVT.

A lista de equipamentos do Nissan era bastante recheada.

De série, oferecia monitoramento de ponto cego, aviso de mudança de faixa, detector de objetos em movimento, monitoramento da pressão dos pneus, seis airbags, controles de estabilidade e tração e sensores de luz e chuva.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)

Tem também ar-condicionado automático de duas zonas, chave presencial, banco do motorista com ajustes elétricos em 10 posições, bancos em couro, direção eletrohidráulica, navegador GPS, lanternas em LED, sistema de som Bose com nove alto-falantes, central multimídia com tela de sete polegadas, entre outros.

Em seu primeiro ano cheio de vendas, em 2014, o Nissan Altima fechou com 606 unidades vendidas.

Para efeito de comparação, o rival Ford Fusion emplacou 12.299 carros, enquanto o Hyundai Azera registrou 1.801 vendas, e o Volkswagen Passat, 857 modelos comercializados.

Nissan Altima: gerações, modelos, versões, equipamentos (e detalhes)
Nota média 5 de 3 votos

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

  • El Gato!

    Em 2014, um gerente da Nissan me ofereceu um 13/13 branco, zero km que estava encalhado, por 88 mil à vista, emplacado e com IPVA pago. Até hoje me arrependo por não ter comprado o carro.

    • Marcelo Amorim

      Acho um carro ainda muito bonito,teria fácil.

    • e3965

      Carro é bom, mas um micasso no mercado, só ficou 1 ano vendido aqui, imagina ficar refém de concessionária para peças, se livrou de uma, isso sim.

      • El Gato!

        Quanto a “mico de mercado”, é uma nomenclatura que realmente não me importo. Compro carro para rodar por, pelo menos, 150 mil km. Peças, desde que inventaram o EBay eu compro o carro que quero, sem preocupações.

        • e3965

          Depender de eBay para comprar peças? Furada, melhor comprar o modelo concorrente equivalente que teve melhor aceitação e muitas peças no mercado interno.

          • El Gato!

            Furada é sofrer com o péssimo atendimento das concessionárias Ford, na minha opinião. O Fusion é um bom carro, mas Ford nunca mais. E comigo não é achômetro. Quem fala aqui é um ex proprietário de três Ford.
            E só para complementar… comprando no EBay a peça chega mais rápido do que em muita concessionária por aí.

  • Domenico Monteleone

    Curto essa linha de design da Nissan, é uma marca que considero na próxima troca.

  • Fanjos

    Quando o Altima ficou bonito, deixou de vir para o HuEzil, melhor que o Altima é o Maxima

  • Bruno Silva

    Uma pena a Nissan ter descontinuado aqui. Poderia trazer alguns lotes pelos menos, igual a VW faz com Passat, a Honda com Accord e Toyota com Camry.

  • Bruno

    Que sonho um Altima Coupe manual ♥

    • Guilherme Gimenes

      aluguei uma vez nos eua, um coupe (eu queria sedan mas me deram esse).. foi o pior carro alugado da minha vida. o banco eh desconfortavel demais, e a visibilidade é péssima, parece que o banco eh mt baixo, enfim, péssimo negocio que fiz.

  • globonãotemjapa

    Tem Nissan Altima GNV?

  • João Silva

    Antes de chegar ao Brasil em 2013, usei um nos USA por 20 dias. A chave presencial é que me dava um nó, às vezes não acionava o motor, eu tinha que sair do carro, fechar e entrar de novo para reconhecer… kkkk
    Mas era um baita carro, não entendi a pequena aceitação frente ao Fusion! O Fusion estava já consolidado no mercado e estreava o novo modelo em 2013, o Altima era novidade mas também atual lançado a pouco tempo no mercado americano. Na época, lembro que vendia mais que o Fusion por lá, mas aqui não rolou…..

    • Vitor C

      Chegou com uma motorização fraca perante a concorrência. Acho que aqui a motorização para esses modelos é algo a ser levado em conta .

      • João Silva

        O Fusion de entrada também era 2.5 – 4 cilindros na época. E o Altima era mais potente e mais torque
        Tinha desempenho bem adequado à proposta do carro e era econômico com a gasolina pura de lá, claro…
        Não sei se o problema foi motorização…

        • Vitor C

          O fusion sempre vendeu mais nas versões v6 se não me engano, assim como a atual geração vende mais com o ecoboost turbo.

          • João Silva

            Sim, os Fusion V6 vendiam mais, ok! Pode ser! Mas quantos Fusion 2.5 eram vendidos? Com certeza, muito mais que a miséria de Altima…. E lá fora existia o V6 também, ou seja, se o mercado exigisse era só trazer, por isso ainda acho que não foi a motorização a razão da não aceitação…
            O fato é que não temos aqui e nem teremos pois o mercado desse segmento diminui. Nem o Fusion teremos por muito tempo….

            • Fabio

              Eu não tenho os números, mas me parece que na geração anterior a grande maioria dos Fusions vendidos aqui era 2.5. Vejo muito mais Fusions antigos 2.5 do que V6. Na atual sim o Ecoboost 2.0 sempre vendeu bem mais.

              Acho que o maior problema do Altima foi a falta de confiança do consumidor na continuidade da oferta do modelo por aqui. No que os consumidores estavam certos, aliás, porque a aventura brasileiro do modelo não durou muito…

  • Piston head

    Um dos poucos carros que a cada nova geração ficou um nível acima da anterior em design. Exceto pelo painel medíocre.

  • Leandro

    Custava menos que um Corolla Altis, mas mesmo assim não vendeu o esperado.

  • vi.22

    A terceira geração foi uma grande evolução diante da segunda e também diante de civic, corolla, cavalier, focus, lancer, etc, era o que mais se destacava por Ter o design mais moderno perante a concorrência, morava nos EUA naquela época e admirava mto o carro por ser bonito e ter bastante personalidade… a atual é maravilhosa.

  • mjprio

    A penúltima e a atual gerações sao lindas! Acho esse carro sensacional!

  • zekinha71

    O desenho só ficou legal de 2013 pra cá.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email