Porsche Cayenne: história, versões, equipamentos

porsche cayenne gts 2020 1

Porsche Cayenne. Pela primeira vez a marca de carros esportivos alemã entrou no segmento de utilitários esportivos e não saiu mais, gerando produtos como o Porsche Macan.


Seguindo os passos da Volvo, Mercedes-Benz e BMW, o fabricante de Zuffenhausen logrou sucesso com seu SUV.

Projetado em conjunto com a Volkswagen, o Cayenne surgiu como a primeira disrupção da Porsche, que adentrou em um segmento de risco, afinal, a marca alemã até então nunca se arriscou em um produto como tal, ainda que já tenha participado em ralis.

Com o Cayenne, a Porsche trouxe de volta o motor V8, encerrado com o fim do Porsche 928 em 1995. Irmão do Volkswagen Touareg, o modelo surgiu em 2003 e começou a ser produzido na fábrica da VW em Bratislava, Eslováquia.

Incorporando o design icônico criado por Ferdinand Porsche, o Cayenne seguiu a mesma linha dos demais produtos da marca, assumindo versões de acordo com os motores usados. Utilizando uma plataforma comum também com o Audi Q7, o SUV esportivo se adequou à proposta.

Porsche Cayenne – detalhes

porsche cayenne gts 2020 2

Ao longo de três gerações, o Porsche Cayenne conquistou um público fiel, por ser um SUV com pegada verdadeiramente esportivo, algo impensável antes dele. Utilizando motores V6 e V8, o modelo manteve a essência da marca nos detalhes, como por exemplo, aerofólio ajustável na traseira.

Com espaço para cinco pessoas, o Cayenne se apoiou em suspensão pneumática adaptativa, transmissão de dupla embreagem de alto desempenho, modos de condução, direção bem direta, assistência e recursos para o condutor e ajustes especiais.

Tendo acabamento de alta qualidade, muitos itens de conforto e comodidade, amplo espaço interno, detalhes em aço e alumínio, muito couro premium e bagageiro volumoso, o Cayenne tem ainda um chassi dotado de componentes de alto desempenho.

Discos de freio ventilados ou em carbono-cerâmica, além de rodas aro 20 polegadas ou maior, pneus bem largos e escapamento superdimensionado, freios Brembo, faróis Matrix LED, lanternas em LED adaptativas, aerofólio ajustável e suspensão programável, também se apresentam.

Além dos motores a gasolina ou diesel, o Porsche Cayenne aposta também em propulsão híbrida plug-in, que alivia o consumo de combustível e que ainda é uma opção de nicho na gama do SUV, que vem se mantendo como um produto purista em meio à eletrificação.

porsche cayenne turbo gt 2

Na terceira geração, o Cayenne ganhou uma variante chamada Cayenne Coupé, que aproveitou a onda dos crossover-cupês para ampliar sua gama de versões, compartilhando todos os motores e pacotes, duplicando a linha.

Ainda assim, o destino do Porsche Cayenne é ser um irmão SUV do Porsche Taycan, tornando-se assim um modelo 100% elétrico. Mas, isto só irá acontecer após a chegada do Macan elétrico, que já está perto do lançamento.

O Porsche Cayenne atual tem um visual inspirado em modelos como 911 e Panamera, com frente afilada e faróis full LED Matrix com quatro LEDs diurnos separados, que dão a característica visual da marca.

No capô pouco vincado, fica o logotipo clássico da Porsche. Já o para-choque tem enormes entradas de ar laterais que servem tanto para os freios quanto para os radiadores de óleo. Elas possuem ainda luzes de LED com função neblina.

Além disso, na parte central, a grade é maior e emprega o radar do controle de cruzeiro adaptativo, tendo ainda aletas internas móveis para reduzir o arrasto. Há também um skid plate sob o para-choque, além de sensores de estacionamento e câmera.

porsche cayenne turbo gt 4

No para-brisa, um sensor e uma câmera estéreo garante a detecção de pedestres, bicicletas, animais e outros veículos, além de faixas de rolamento. Com linhas suaves, a carroceria do Porsche Cayenne tem maçanetas ressaltadas.

Os retrovisores possuem repetidores de direção, espelhos eletrocrômicos e aquecidos, além de rebatimento elétrico. Os vidros são climatizados, geralmente com os traseiros escurecidos.

As colunas C possuem vigias e não são tão largas, sendo mais inclinadas no Cayenne Coupé, que tem um teto pouco mais baixo na parte traseira.

Ambos possuem defletor de ar prolongado, que possui aerofólio adaptativo, que pode ser acionado manualmente. Assim, ele gera mais downforce sobre a traseira em track days, por exemplo.

No teto, barras longitudinais e vidro elétrico panorâmico com persiana elétrica internamente. As lanternas são em LED adaptativas e reproduzem o estilo dos faróis, com quatro elementos luminosos.

porsche cayenne s hybrid 2011 1

O nome Porsche vai dentro da lente que as une sobre a tampa do bagageiro, com acionamento elétrico com sensor de pé. O para-choque tem refletores e saídas de escape duplas ou quádruplas, dependendo da versão.

Ele tem um difusor de ar discreto e sensores de estacionamento, enquanto a câmera fica sobre a placa. O vidro traseiro têm limpador e lavador, bem como desembaçador.

Isso nas versões comuns, porque na Turbo GT, por exemplo, o Cayenne Coupé tem um aerofólio retrátil enorme sobre a tampa, assim como outro superior.

Ele tem ainda duas bocas metálicas de titânio anodizado e customizadas ao centro, além de difusores de ar laterais e detalhes em fibra de carbono.

Por dentro, o Porsche Cayenne tem um interior que remete aos irmãos igualmente caros. O cluster análogo-digital tem somente o conta-giros físico, com duas telas reproduzindo outros quatro mostradores.

O estilo foi herdado do Porsche 911. Ao centro, a multimídia PCM tem diversas funcionalidades, integrando navegação, modos de condução e terreno, mídia, conexão remota e configurações do veículo.

Por ela, é possível inclusive configurar botões extras no volante ou painel, além de perfis de usuários e valet. O console central é bem junto ao painel e tem alavanca de tamanho reduzido.

Nele, existem vários comandos físicos, incluindo modos de condução, climatização, conforto e segurança. Alças em couro nas laterais realçam o visual do conjunto.

No Cayenne, assim como em qualquer Porsche, o cronógrafo analógico domina o topo do painel. Com bom espaço interno, o SUV tem bancos em couro com ajustes elétricos e memórias na frente, assim como controles de ar-condicionado no banco traseiro.

Tendo ar-condicionado de 4 zonas, o Cayenne garante muito conforto a bordo, tendo ainda um porta-malas com 770 litros no modelo padrão e 625 litros no Cayenne Coupé.

Porsche Cayenne – versões

porsche cayenne turbo gt 3

  • Porsche Cayenne
  • Porsche Cayenne E-Hybrid
  • Porsche Cayenne S
  • Porsche Cayenne GTS
  • Porsche Cayenne Turbo
  • Porsche Cayenne Turbo S E-Hybrid
  • Porsche Cayenne Turbo GT
  • Porsche Cayenne Turbo GT Performance Pack

Equipamentos

porsche cayenne turbo gt 9

O Porsche Cayenne tem diversos equipamentos de luxo, conforto, entretenimento e segurança, tais como rodas aro 20 polegadas, faróis Matrix LED adaptativos e inteligentes, frenagem automática de emergência com detector de pedestres.

Controle de cruzeiro adaptativo e inteligente com reconhecimento de limite da estrada e traçado da rodovia, HUD colorido, visor noturno com detecção de pedestres, ciclistas e veículos,

Há também estacionamento automático, alerta de tráfego traseiro com frenagem, alerta de faixa e ponto cego com correção, modos de condução e terreno, ajuste automático ou manual de altura da suspensão a ar, diferencial de deslizamento limitado e teto panorâmico.

Também possui bancos em couro exclusivo, ajustes elétricos com memória e climatização, sistema de som premium com 1.455 watts, tendo 21 alto-falantes e subwoofer ativo com amplificador de 400 watts.

Tem ainda sistema de efeito 3D com equalizações gráficas de alta definição. Há opção do som da Bose com 14 alto-falantes e 710 watts de potência.

O Cayenne tem ainda iluminação interna em LED personalizável, bagageiro com tampa de acionamento elétrico com sensor de pé, assim como banco traseiro tripartido com ajustes modulares para ampliar o espaço para bagagens.

Porsche Cayenne – motor

porsche cayenne turbo gt 1

O Porsche Cayenne tem duas linhas de motores, sendo dois motores V6 da linha EA839 e um V8, sendo o primeiro um V6 3.0 com um turbo, tendo 24 válvulas com comandos variáveis, bem como injeção direta e indireta.

Esse propulsor tem 2.995 cm³ e entrega 340 cavalos entre 5.300 e 6.400 rpm com 45,7 kgfm de 1.340 a 5.300 rpm. Além dele, há uma versão do mesmo com dois turbos, mas com volume interno menor, tendo este 2.894 cm³ e uma preparação superior.

Oferecido somente no Cayenne S, essa variante do propulsor que também equipa o Audi RS4, entrega 440 cavalos de 5.700 e 6.600 rpm, tendo 55,8 kgfm entre 1.800 a 5.500 rpm.

Na linha V8, o 4.0 Twin Turbo de 3.996 cm³ dispõe de 460 cavalos de 6.000 a 6.500 rpm e 63 kgfm, indo de 1.800 rpm até 4.500 rpm.

Já o Cayenne Turbo tem o mesmo motor, mas com preparação para 550 cavalos de 5.750 rpm a 6.000 rpm, bem como 78,2 kgfm de 2.000 a 4.500 rpm.

Em 2021, o Porsche Cayenne ganhou uma versão GT com este V8 4.0 dispondo de 640 cavalos e 86,4 kgfm, mas com vendas a partir de 2022. Com o Performance Pack, a potência chega a 775 cavalos e torque de exatos 100 kgfm.

Nas versões híbridas plug-in, a menor tem um V6 3.0 de 340 cavalos, porém, a transmissão ZF de oito velocidades dispõe de um motor elétrico interno de 136 cavalos e 40,8 kgfm, com pequena perda, o modelo chega a 462 cavalos e 71 kgfm. Ele usa uma bateria de lítio de 17,9 kWh.

Já a opção mais potente, usa o V8 4.0 atualizado em 2021, que elevou a potência combinada de 680 para 700 cavalos, mas o torque baixou de 91,4 kgfm para 88,4 kgfm.

O Porsche Cayenne tem transmissão automática ZF de 8 marchas em todas as versões, sendo a caixa padrão em outros modelos, como o Porsche Panamera, por exemplo.

O Cayenne tem ainda sistema de tração permanente nas quatro rodas com modos de condução e terreno, usando um sistema da Torsen com distribuição eletrônica de torque entre os eixos e rodas, garantindo total adequação à pista ou ao terreno.

Porsche Cayenne – desempenho e consumo

porsche cayenne coupe turbo 1

O Porsche Cayenne é um bólido de alta performance, que em cada versão responde com bons números, começando pelo V6 3.0 de 340 cavalos.

Isso permite ao SUV esportivo ir de 0 a 100 km/h em 6,2 segundos e alcançar 253 km/h. Os números são os mesmos para o Cayenne Coupé em qualquer versão.

Com 440 cavalos, o Cayenne S faz o mesmo em 5,2 segundos e com final de 265 km/h.

Já a versão GTS com seus 460 cavalos, alcança 270 km/h e vai da imobilidade até os 100 km/h em 4,5 segundos.

No Cayenne Turbo, sua cavalaria de 550 ginetes garante resposta em 3,9 segundos e com final de 286 km/h. Mas, isso ainda não é o fim…

A nova versão Turbo GT de 640 cavalos, voa até 100 km/h em 3,2 segundos e alcança 300 km/h.

Se for com o Performance Pack com 775 cavalos, esta baixa para 2,73 segundos e atinge 320 km/h.

Nos híbridos, a coisa não é pouca. O E-Hybrid de 462 cavalos precisa de 5,0 segundos, enquanto o Cayenne S E-Hybrid de 700 cavalos (atualizado), o faz em 3,5 segundos.

Já no consumo, o Porsche Cayenne a gasolina varia de 7,1 km/l na cidade e 9,1 km/l na estrada com o V6 3.0 de 340 cavalos.

O Turbo, por exemplo, faz 5,5 km/l no urbano e 7,0 km/l no rodoviário.

Agora, quando se fala em consumo, o E-Hybrid V6 3.0 se destaca com 16 km/l na cidade e 18,1 km/l na estrada, superando até um carro popular 1.0.

Mesmo com o V8 4.0 no S E-Hybrid, o Porsche Cayenne faz bem: 14,9 km/l no circuito urbano e 16 km/l no rodoviário.

Porsche Cayenne – história

O Porsche Cayenne surgiu em 2003 e nessa primeira geração, foi oferecido com motores VR6 (3.2 e 3.6 litros), assim como os V8 4.5 e 4.8 litros, ambos de origem Porsche. Ele teve ainda um V6 3.0 diesel da Audi.

Assim, com motores das três maiores empresas do grupo VW (o VR6 é de origem Volkswagen), o Cayenne se apresentou nas versões S, GTS, Turbo, Turbo S e Diesel, basicamente.

Com linhas arredondadas, o primeiro Cayenne media 4,78 m de comprimento e 2,85 m de entre-eixos, tendo ainda transmissão automática da Aisin ou manual da ZF, ambas com seis marchas.

A tração nas quatro rodas tinha programação para transferência de força e atuação com os modos de condução. No Cayenne S, eram 340 cavalos, enquanto o GTS tinha 406 cavalos.

No Cayenne Turbo, eram 450 cavalos, que subiam para 520 cavalos no Turbo S, mas ambos com o V8 4.5. Quando este mudou para o 4.8, isso subiu para 500/550 cavalos, respectivamente.

O Diesel era o mais fraco com 240 cavalos. O modelo foi feito até 2011, quando surgiu a segunda geração.

Nesta geração, o Porsche Cayenne manteve o VR6 3.6 com 300 cavalos, bem como o V8 4.8 com 400/420 e 500/550 cavalos, respectivamente S/GTS e Turbo/Turbo S.

Foi o primeiro a ter versão híbrida com 380 cavalos, depois elevados para 416, porém, foi o último a dispor de versões diesel, com um V6 3.0 de 250 cavalos e um V8 4.0 com 385 cavalos.

Estreou o controle dinâmico de chassi e também a suspensão pneumática adaptativa de alta performance. A produção durou até 2018.

Porsche Cayenne – fotos

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.