Renault Captur 2021: preço, motor, consumo, revisão, versões

Renault Captur 2021: preço, motor, consumo, revisão, versões

O Renault Captur 2021 vem com preços a partir de R$ 113.990. Ele se mantém numa faixa adequada para seu segmento, convivendo pacificamente com o Renault Duster 2021, já que sua única versão está bem acima de seu irmão.


Mas, como já sabemos, a Renault colocou dois jogadores para cobrar a falta na grande área e apenas um dará o chute ao gol. O SUV se renovou e tem até mais tecnologia que o irmão um pouco mais velho. Se chegar aqui com proposta parecida, o Captur terá de se reinventar ou morrerá. Em realidade, qualquer um dos dois fica ameaçado com um equilíbrio de forças que gera fogo amigo.

O Captur nasceu originalmente na Europa como um crossover compacto de 4,12 m de comprimento e 2,60 m de entre-eixos. Feito sobre a plataforma do Clio 4, o modelo da Renault logo encontrou no Peugeot 2008 seu principal rival.

Feito na Espanha, ele ficou limitado ao velho mundo. Mas a marca tinha outros planos para ele, fora de lá.

Assim, utilizando a plataforma grande do Duster, a B0, a Renault criou o Kaptur (com K) para o mercado russo. Com 4,33 m e enormes 2,67 m (para seu segmento), o modelo rapidamente chegou ao Brasil, mas como Captur mesmo.

Renault Captur 2021 – detalhes

O Renault Captur 2021 tem um bom aspecto visual, sendo um dos mais bonitos do mercado nacional. Com carroceria esguia, ele é baixo e longo, mas apresenta uma boa altura livre do solo, além do grande entre-eixos de 2,67 m.

Chama atenção o balanço dianteiro curto. Ainda assim, os ângulos de entrada e saída são bons.

A frente é moderna e dá ao Renault Captur 2021 um visual agradável. Ele incorpora um conjunto ótico com faróis tipo canhão, LEDs diurnos no para-choque e faróis de neblina de LED, além de função de conversão estática.

O para-choque com detalhes cromados também ajuda a compor o belo estilo do modelo. Na carroceria, teto, retrovisores e colunas são pintados de preto. O item é opcional é custa a partir de R$ 1.400. As lanternas são com lâmpadas comuns, mas têm belo efeito visual.

Cromado na tampa do bagageiro e rodas de liga leve aro 17 fecham o conteúdo visual.

O ambiente tem um tom de preto e já abandonou a outra opção, que tinha dois tons com branco e cinza escuro. Os bancos seguem o estilo sóbrio e são oferecidos apenas em acabamento preto.

Com cluster análogo-digital bem resolvido e de boa leitura, o painel vem ainda com indicador de função Eco, além de computador de bordo.

A multimídia Media Nav 2.0 e o ar-condicionado automático são envolvidos em acabamento em preto brilhante. Botão de partida e slot para a chave-cartão são heranças do finado Fluence.

O volante com piloto automático e limitador acionados apenas por botão entre os bancos é péssimo, mas infelizmente é o padrão da Renault. O ajuste de áudio fica na coluna e esta última só tem ajuste em altura, outra falha grave do Renault Captur 2021.

Bom mesmo é o aspecto das portas, cujo acabamento é parcialmente em couro e preto brilhante.

O Renault Captur 2021 vem ainda com vidros one touch e rebatimento elétrico dos retrovisores. O espaço do porta-luvas é grande. O condutor ainda tem ajuste em altura do banco e apoio de braço individual.

Atrás, Isofix e cinto de três pontos no meio e assento bipartido. De modo geral, o espaço interno é bem mediano e o porta-malas muito raso. Ou seja, poderia oferecer mais nos dois casos. O bagageiro, pelo menos, conserva seus 437 litros.

Renault Captur 2021: preço, motor, consumo, revisão, versões

Renault Captur 2021 – novidades

A última novidade do Renault Captur 2020 foi a adição de uma nova série limitada, chamada Bose. Essa edição especial ganha, como o nome diz, o sistema de som Bose, com amplificador digital de 7 canais, tweeters, woofers nas portas dianteiras e alto-falantes nas portas traseiras, além de um subwoofer de 150x230mm BOSE Fresh Air Subwoofer no porta-malas. O detalhe é que o equipamento não diminui o espaço no porta-malas.

Essa série especial chega em duas versões, 1.6 CVT X-TRONIC e 2.0 Automático. Além do sistema de som, o modelo ganha revestimento em couro sintético nos bancos, detalhes com a inscrição “Bose” e a nova pintura bicolor com carroceria Cinza Cassiopée e teto Prata Étoile. Outras três opções de pintura estão disponíveis: Preto Nacré com teto Prata Étoile, Branco Glacier com teto Preto Nacré e Vermelho Fogo com teto Preto Nacré.

Além da nova versão especial, as outras configurações do Captur também receberam novidades. Agora o modelo vem com o sistema Follow me Home (temporizador do farol), rebatimento automático dos retrovisores ao travar o veículo e luz de cortesia no quebra sol do passageiro.

Além disso, o Renault Captur 2020 já havia recebido a desejada versão CVT Xtronic, que traz mais eficiência e conforto ao motor 1.6 SCe, mostrando assim que o propulsor da marca francesa pode utilizá-lo não só no SUV mais caro e nem mesmo somente no Duster, mas também nos Logan, Sandero e até na picape Oroch.

Espera-se para o futuro a chegada de um motor pequeno com turbo e injeção direta, mais não será o 1.2 TCe europeu e nem o 1.6 DIG-T da Nissan. Este novo substituirá o longevo 2.0, enquanto a caixa CVT espanta para longe o automático de 4 marchas.

Renault Captur 2021 – versões

O Renault Captur 2021 está disponível em apenas uma versão, que inicialmente havia chegado como uma série limitada. A configuração Bose tem motor 1.6 litro flex com câmbio automático Xtronic CVT.

Há também o modelo Captur Life 1.6 CVT, o mais básico da linha, mas disponível somente para o público PcD.

Confira abaixo a gama de versões do Renault Captur 2021:

  • Renault Captur Life 1.6 CVT 2021 (exclusivo para PcD)
  • Renault Captur Bose 1.6 CVT 2021

Renault Captur 2021: preço, motor, consumo, revisão, versões

Renault Captur 2021 – equipamentos

Renault Captur Bose 1.6 CVT 2021

CONFORTO: Regulador e Limitador de velocidade, Chave-cartão handsfree com função walk-away closing, Apoio de braço do motorista, Travamento central das portas, Ar Condicionado com ajuste automático, Vidros traseiros com função One Touch, Vidros dianteiros com função One Touch, Volante revestido em couro “like leather”, Vidros verdes e Banco do motorista ajustável em altura.

COMUNICAÇÃO: Espelhamento Smartphone Android Auto e Apple CarPlay, Função Eco Coaching e Eco Scoring integrada ao MEDIA Evolution e Áudio BOSE com 6 alto-falantes, subwoofer e amplificador digital.

SEGURANÇA: Freios antitravamento (ABS), Alarme Perimétrico, Cinto de segurança traseiro central de 3 pontos, Desativação do Air bag do passageiro, Luz de Neblina em LED com Função “cornering light”, Desembaçador Traseiro, Alerta de cinto de segurança não afivelado, Sensor de Chuva e Luminosidade, Luzes de circulação diurna em LED (DRL), Assistente de Frenagem de Urgência (AFU), Controle Eletrônico de Estabilidade e de Tração e Assistente de partida em rampas, Cintos de segurança dianteiros com regulagem de altura, Estepe de uso temporário, Airbag duplo frontal, Air bags laterais e Sistema de fixação para cadeirinhas Isofix.

DESIGN: Pintura Biton, Repetidor Lateral, Rodas de liga-leve 17″, Detalhes em Prata Brilhante, Velocímetro Digital, Bancos revestidos em “like leather” e Rodas diamantadas.

Renault Captur 2021 – preços

Confira abaixo os preços do novo Renault Captur 2021:

  • Renault Captur Life 1.6 CVT 2021 (exclusivo para PcD) – R$ 69.990
  • Renault Captur Bose 1.6 CVT 2021 – R$ 113.990

Cores disponíveis: Branco Glacier com teto Preto Nacré (R$ 0), Preto Nacré com teto Prata Étoile, Cinza Cassiopée com teto Prata Étoile e Vermelho Fogo com teto Preto Nacré (R$ 1.650).

Preços com base no configurador online da Renault em março de 2021.

Renault Captur 2021: preço, motor, consumo, revisão, versões

Renault Captur 2021 – motor

O Renault Captur 2021 antes era equipado com duas opções de motor, sendo a Life e a Zen com motor 1.6 SCe com 118/120 cv a 5.500 rpm, respectivamente com etanol e gasolina, e torque de 16,2 kgfm a 4.000 rpm, nos dois combustíveis.

A outra opção era o 2.0 16V com 143/148 cv a 5.750 rpm e 20,2/20,9 kgfm a 4.000 rpm, na mesma ordem. Esta estava disponível somente na Intense, a configuração mais cara da gama. A transmissão era manual de cinco marchas no 1.6 e automática com quatro velocidades no 2.0.

Agora, porém, a versão única do Renault Captur 2021 manteve apenas o conjunto com motor 1.6 e o câmbio CVT. O Renault Captur 2021 vem ainda com o sistema Eco Mode, que reduz o consumo de combustível em até 10%.

A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 11,9/13,3 segundos no 1.6 e 11,1/12,0 segundos no antigo 2.0, respectivamente com etanol e gasolina. As máximas são de 168/169 km/h no 1.6 e 174/179 km/h no 2.0, respectivamente com gasolina e etanol.

O crossover também dispõe do GSI, indicador de troca de marchas, que auxilia o condutor na redução do consumo de combustível. O sistema ESM, consiste na recuperação energética nas desacelerações para obter até 2% de economia de combustível.

Falando nisso, o Renault Captur 1.6 2021 tem consumo de 7,6/10,9 km/litro na cidade e 8,0/11,3 km/litro na estrada, respectivamente com etanol e gasolina. Já o 2.0 fazia 6,2/8,8 km/litro na cidade e 7,3/10,8 km/litro na estrada, na mesma ordem de combustível.

Com o câmbio CVT X-Tronic, o Renault Captur 2021 tem como opção apenas o motor 1.6 SCe, que entrega 118/120 cv a 5.500 rpm e 16,2 kgfm a 4.000 rpm, respectivamente com gasolina e etanol.

Essa nova caixa de transmissão na gama do modelo é 10% menor e 13% mais leve que o câmbio manual, proporcionando melhor eficiência energética com redução de consumo de 3,5% na cidade, em comparação com a caixa manual. Ele representará 60% das vendas do modelo.

Renault Captur 2021: preço, motor, consumo, revisão, versões

Renault Captur 2021 – desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h e velocidade máxima final

  • Renault Captur 1.6 MT – 11,9 segundos e 169 km/h (fora de linha)
  • Renault Captur 1.6 CVT – 13,1 segundos e 169 km/h
  • Renault Captur 2.0 AT – 10,9 segundos e 179 km/h (fora de linha)

O Renault Captur 2021 tem um desempenho aceitável para sua proposta na versão 1.6 e poderia ser melhor na 2.0, que não é mais oferecida, se não fosse o câmbio de 4 marchas. Com transmissão manual de cinco marchas, o SUV é ágil e tem uma boa desenvoltura na estrada e na cidade.

Essa opção confere ao utilitário esportivo consumo urbano de 7,6 km/litro com etanol e 10,9 km/litro com gasolina. Na rodovia, o modelo faz 8,0 km/litro com etanol e 11,3 km/litro com gasolina. Até 100 km/h, ele precisa de 11,9 segundos e tem máxima de 169 km/h.

Mas é com câmbio CVT a diferença entre as duas propostas é perceptível. Para seus 1.286 kg, o Renault Captur 2021 com CVT entrega uma boa disposição para um propulsor 1.6 SCe, que 118 cv na gasolina e 120 cv no etanol.

Ele tem bom torque em baixa e responde razoavelmente bem ao acelerador, entregando 16,2 kgfm a 4.000 rpm, tanto com gasolina quanto com etanol. Dessa forma, o motor trabalha mais manso, podendo ser tocado sem problemas em torno dos 1.500 rpm, quando na cidade.

Ele tem saída até que esperta para seu porte e potência, precisando de uns 3.000 rpm para manter o embalo em subidas mais inclinadas. É verdade que há certa lentidão na resposta, mas o SUV roda suave entre os carros, inclusive quando se usa o modo manual, que pode ser até tocado com os dedos na alavanca.

Dá para notar o CVT deslizando até entregar a força necessária para uma performance melhor, quando no modo Eco. Boas reduções e retomadas medianas no modo Eco.

Na estrada, o Renault Captur 1.6 2021 com CVT tem um trabalho suave para o motor a 2.000 rpm, quando a 110 km/h, o que é bom para conforto e consumo, como já se sabe. Em ultrapassagens, a rotação fica em torno de 3.000 rpm, algo esperado pelas características do powertrain.

Seu consumo na cidade é de 7,3 km/litro com etanol e 10,5 km/litro com gasolina, enquanto em estrada faz 8,1 km/litro com etanol e 11,7 km/litro com gasolina.

Mas ele chega facilmente aos 4.000 rpm ou mais, quando há aclives longos. A calibração mais macia da suspensão não compromete a estabilidade e a condução. No entanto, a antiquada direção eletro-hidráulica é bem mais pesada do que deveria em manobra, embora com certa eficiência ao dirigir.

Ele vai de 0 a 100 km/h em 13,1 segundos e tem velocidade máxima de 169 km/h.

Muita coisa mudava, porém, quando o assunto era o Renault Captur 2020 com motor 2.0 e câmbio automática de 4 marchas. O velho propulsor ainda dava um caldo, entregando 143 cv com gasolina e 148 cv com etanol, ambos a 5.750 rpm.

Ele também não ficava atrás quando a questão era torque: 20,2 kgfm com gasolina e 20,9 kgfm com etanol. Estes aparecem em sua totalidade aos 4.000 rpm. Bom de respostas, o motor ficava à mercê do câmbio automático de quatro marchas, que limitava seu potencial e eficiência.

Com relações longas, ele pedia marchas por volta de 2.000 rpm. Para manter o embalo, só giro mais alto e aí é que vem o consumo em excesso e algum ruído, embora no geral seja aceitável. Rodando a 110 km/h, ele aponta para 2.800 rpm.

As retomadas eram apenas medianas, mas respondiam bem nas saídas mais vigorosas. Seus 1.352 kg não eram problema para o grande 2.0, mesmo no modo Eco. No modo Sport, as rotações alcançavam facilmente os 5.000 rpm, mas sem a resposta devida, por sua limitação de marchas.

Na cidade, as quatro marchas fluíam suficientemente, com um giro médio entre 1.500 e 2.000 rpm, mas não dava para ir muito além em uma tocada esportiva, mesmo com as trocas manuais sendo possíveis na alavanca. Para melhor equilíbrio entre performance e economia, o ideal seria um câmbio CVT, gerando assim mais conforto também.

Na cidade, o conjunto motor 2.0/câmbio automático de 4 marchas confere 6,2 km/litro com etanol e 8,8 km/litro com gasolina. Em rodovia, ele entrega 7,3 km/litro com etanol e 10,8 km/litro com gasolina. Tudo isso com posição de dirigir razoavelmente confortável, embora sem ajuste de profundidade. De modo geral, não é tão confortável para alguém de estatura alta.

Repentina redução no funcionamento do motor ao se esterçar completamente a direção é percebida, por caus do sistema eletro-hidráulico, que consome mais energia do propulsor e do condutor, pois é mais. Os freios são condizentes com a proposta, mas não há discos no eixo traseiro.

A suspensão tem DNA do Duster. bem estável nas curvas e em desvios rápidos de trajetória, o conjunto tem um bom ajuste entre maciez e estabilidade, mas se destaca mesmo é na passagem por buracos, valetas e pedras, entregando conforto e sem bater no fim do curso.

Mesmo passando sobre pedras e bloquetes soltos, o utilitário esportivo se saiu muito bem. Carregado de pessoas e bagagens, o SUV da Renault não raspa o fundo, mesmo em lombadas grotescas.

Com McPherson na frente e do eixo de torção, a proposta do Renault Captur 2021 é cumprida com louvor. Mesmo com rodas aro 17 polegadas, calçadas com pneus 215/60 R17, ele mostrou robustez, conforto e equilíbrio.

A atuação do conjunto em cruzamentos de ruas com depressões, como calhas de água, por exemplo, não são problema. Controles de tração e estabilidade garantem ainda mais segurança em curvas ou pisos escorregadios, bem como assistente de partida em rampa nos aclives mais acentuados. O Renault Captur 2021 está apto à enfrentar pisos ruins e a buraqueira brasileira.

De modo geral, o Renault Captur 2021 cumpre sua tarefa, embora tenhamos esperado mais dele em termos de performance e eficiência. Isso pode mudar com as atualizações mais adiantes, que devem corrigir alguns problemas pontuais e atenuar outros, já que uma reengenharia sairia muito caro.

Faltava um câmbio CVT no 2.0, mas este item de conforto só deve chegar no topo da linha apenas com um motor novo.

Renault Captur 2021: preço, motor, consumo, revisão, versões

Renault Captur 2021 – consumo

Cidade

  • Renault Captur 1.6 MT – 7,6 km/litro com etanol e 10,9 km/litro com gasolina (fora de linha)
  • Renault Captur 1.6 CVT – 7,3 km/litro com etanol e 10,5 km/litro com gasolina
  • Renault Captur 2.0 AT – 6,2 km/litro com etanol e 8,8 km/litro com gasolina (fora de linha)

Estrada 

  • Renault Captur 1.6 MT – 8,0 km/litro com etanol e 11,3 km/litro com gasolina (fora de linha)
  • Renault Captur 1.6 CVT – 8,1 km/litro com etanol e 11,7 km/litro com gasolina
  • Renault Captur 2.0 AT – 7,3 km/litro com etanol e 10,8 km/litro com gasolina (fora de linha)

Renault Captur 2021 – manutenção e revisão

Revisão

Custo

Custo

Quilometragem

Preços 1.6

Preços 2.0

10.000 km

R$ 459,09

R$ 519,99

20.000 km

R$ 513,34

R$ 574,24

30.000 km

R$ 513,34

R$ 574,24

40.000 km

R$ 896,58

R$ 808,96

50.000 km

R$ 567,59

R$ 628,49

60.000 km

R$ 567,59

R$ 628,49

Renault Captur 2021 – ficha técnica

Motor

1.6 SCe

2.0 Flex (fora de linha)

Tipo

Dianteiro transversal, Etanol e Gasolina

Dianteiro transversal, Etanol e Gasolina

Número de cilindros

4 em linha

4 em linha

Cilindrada em cm3

1597

1998

Válvulas

16

16

Taxa de compressão

10,7:1

11,2:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Multiponto

Potência Máxima

Gasolina: 118 cv a 5.500 rpm / Etanol: 120 cv a 5.500

Gasolina: 143 cv a 5.750 rpm / Etanol: 148 cv a 5.750 rpm

Torque Máximo

Gasolina: 16,2 kgfm a 4.000 rpm / Etanol: 16,2 kgfm a 4.000 rpm

Gasolina: 20,2 kgfm a 4.000 rpm / Etanol: 20,9 kgfm a 4.000 rpm

Transmissão

Tipo

Automático CVT

Automática 4 marchas

Freios

Tipo

Disco ventilado / Tambor

Disco ventilado / Tambor

Direção

Tipo

Eletro-hidráulica

Eletro-hidráulica

Suspensão

Dianteira

McPherson, independente com barra estabilizadora

McPherson, independente com barra estabilizadora

Traseira

Eixo de torção

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Liga Leve aro 17 polegadas

Liga Leve aro 17 polegadas

Pneus

215/60 R17

215/60 R17

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.329

4.329

Largura sem retrovisores (mm)

1.813

1.813

Altura (mm)

1.619

1.619

Distância entre os eixos (mm)

2.673

2.673

Capacidades

Porta-malas (litros)

437

437

Tanque (litros)

50

50

Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)

449

449

Peso em ordem de marcha (kg)

1.273 (MT) 1.286 (CVT)

1.352

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

ND

ND

Renault Captur 2021 – fotos

Ricardo de Oliveira
Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.