Usar silicone nos plásticos do carro resseca componentes?

silicone automotivo 3m

Como é bom encontrar um carro usado à venda com interior e exterior todo limpo e com as partes plásticas brilhantes, não é mesmo? Com certeza esse carro foi lavado corretamente.


E o melhor, deixar sempre que o habitáculo e o visual externo continuem com uma aparência de novo faz o dono ter a sensação que seu carro acabou de sair da linha de montagem.

Embora o cheirinho de novo vá embora com o tempo, o visual do acabamento pode ser preservado por um período bem maior. Mas isso não dependerá apenas do proprietário, do cuidado que ele tem com seu automóvel.

Um outro fator importante para que o ambiente onde o motorista e a família estão tenha um aspecto mais apresentável, o que também vale para a parte externa, é o uso de produtos adequados para que a limpeza preserve o melhor do original. Nisso, um dos produtos mais populares e usados na limpeza e conservação de partes plásticas do veículo é o famoso silicone.

Mas será que usar silicone nos plásticos e partes pretas do carro dá problema? Antes de mais nada, vamos dar uma pequena explicação sobre os silicones e sua composição.

Os silicones são polímeros formados por um núcleo de silício. Pela variação no tamanho da cadeia, podemos manipular as características do material, deixando ele desde sólido até um líquido viscoso.

Geralmente, o silicone é resistente ao calor e outras coisas, então acaba servindo como agente de vedação, proteção, etc. Aí vem a pergunta: será que usar silicone em componentes plásticos do carro pode ressecá-los? Será que as peças irão sofrer algum tipo de transformação ou mudança de cor?

Já presenciamos vários carros que regularmente eram levados a lava-rápidos e o silicone era passado nas partes de plástico de seu exterior. Com o tempo, nota-se que o plástico do carro começa a ficar esbranquiçado, ou queimado de branco, o que certamente provoca uma aparência muito feia.

Muitas vezes isso acontece logo um dia depois da aplicação do silicone. Geralmente, a pessoa não limpa a superfície corretamente, então a sujeira fica cozinhando debaixo do silicone.

O silicone ainda traz outros problemas, pois a película que se forma resseca o plástico, e isso que causa aquela aparência esbranquiçada que todo motorista deseja evitar. Outro problema é aquela aparência engordurada.

Sendo assim, fica a lição: não use silicone ou produtos a base de silicone no exterior do seu carro. Existem produtos a base de água que custam mais caro, mas que protegem os plásticos do carro.

Agora vamos para o interior. O que dizer de aplicação de silicone no painel e outras partes plásticas? Muitos optam por não usar esse produto, pois o local onde ele é aplicado pode ficar um pouco engordurado.

Dessa forma, o painel e outras partes acaba retendo poeira (e fica aquela meleca). Além disso, esse produto passa a impressão de que o carro é bem mais velho do que aparenta, pois geralmente ele é usado para disfarçar o tempo de uso.

Há outro detalhe que merece muita atenção em relação ao silicone no interior do carro. Um pouco do produto acaba evaporando quando o automóvel fica debaixo do sol forte por várias horas. Aí, um efeito indesejado vai acontecer.

O para-brisa ficará engordurado, por causa do silicone, e embaçará muito mais facilmente, gerando uma situação de perigo sob chuvas fortes. Em casos assim, até mesmo o ar-condicionado do veículo não será capaz de retirar essa gordura impregnada no vidro, dificultando assim a visibilidade.

No painel do carro deve-se usar apenas um pano úmido sem nenhum produto. Se você quiser usar alguma coisa, opte por algum produto automotivo apropriado para limpeza do interior, mas não silicone, pois o prejuízo pode ir bem além da estética.

Acabamos chegando à conclusão de que usar silicone no interior do carro também é uma péssima ideia.

Qual foi a sua experiência com este tipo de produto? Usa silicone ou prefere outro tipo de limpeza?

Autor: Eber do Carmo

Formado em marketing, tem mais de 17 anos de experiência escrevendo sobre o mercado automotivo no Notícias Automotivas, desde que fundou o site em 2005. Anteriormente trabalhou em empresas automotivas, nos segmentos de personalização e áudio. Também teve por três anos uma empresa de criação de sites e catálogos eletrônicos.