Vespa (moto): história, modelos, motor, equipamentos

vespa 1 e1652165429521

A moto Vespa surgiu como um dos muitos produtos oriundos da Itália do pós-guerra, que em ruínas pelos intensos bombardeios, precisava reorganizar sua economia e assim necessitava de veículos pequenos e versáteis.


O nome surgiu a partir de uma motoneta da italiana Piaggio, criada por Enrico Piaggio e Corradino D’Ascanio. Quando pronta, em 1946, Piaggio comentou que ela parecia uma Vespa.

Ainda assim, a inspiração veio mesmo dos aviões que eram feitos pela empresa antes e durante a Segunda Guerra, porém, naquele momento, a fábrica estava destruída por bombardeios.

Criada ainda durante o conflito, mas apenas como um protótipo, a Vespa se tornou um sucesso rápido após o lançamento e as vendas decolaram.

Pequena, versátil e econômica, a motoneta italiana logo virou cult nas mãos de celebridades de Hollywood, dentro ou fora da Itália. Hoje ela concorre com Honda Elite ou Yamaha Fluo.

História

vespa 16

A Vespa tem uma longa história no mercado mundial de motos, com trajetória remontando a 1946, com o modelo Vespa 98. O modelo tinha visual bastante simples e com farol no para-lama dianteiro.

Com suspensão monobraço na frente e atrás, além do motor monocilíndrico de dois tempos, a 98 tinha banco simples para um condutor.

No mesmo ano, além de dois modelos de competição, a Vespa 98 ganhou a Série II e com ela um bagageiro atrás do banco único.

Após a Vespa 125 de competição, a versão de rua encerrou a produção da Vespa 98, mas a fabricante das motos Vespa, a Piaggio, lançou três modelos de competição.

Em 1951, o modelo ganhou fama internacional com o filme “A Princesa e o Plebeu”, com Audrey Hepburn e Gregory Peck, filmado em Roma.

vespa canhao

Ganhou ainda uma versão chamada “Seis Dias” com tanque adicional e estepe colocado entre o banco e o escudo frontal.

Em 1955, a Vespa 125 recebeu um sidecar com para-brisa azulado. Logo depois, surge a versão GS com 8 cavalos no motor 2 tempos, tendo assim 150 cilindradas.

A Vespa era tão famosa nos anos 50, que até artistas de Hollywood possuíam exemplares do produto, que chegou a ter uma versão militar na França com um canhão de 75 mm…

Diferente de outras motonetas, a Vespa 400 é um microcarro que vendeu 30.000 exemplares.

vespa 17

A segunda geração (VNA2) surgiu em 1958 com as formas que ficaram famosas no Brasil, usando um chassi com duas chapas moldadas iguais.

O modelo Vespa 125 Dalì tinha estepe de lado na rabeta, além de protetores, enquanto a versão 50 tinha estepe no escudo.

Em 1966, a Vespa 90 Super Sprint tinha um tanque sobre o estepe central e um ano depois surgiu um conceito de helicóptero da Vespa Alpha.

vespa heli

A terceira geração, chamada Primavera, surgiu com motor de 125 cilindradas, ganhando a seguir a versão 180 Rally.

A Vespa 50 ganhou pedal de freio e outras inovações, enquanto a 180 ia ganhando cada vez mais espaço.

Então, em 1974 ela retornou à produção brasileira, anteriormente feita entre 1958 e 1964, com o modelo PX.

Com motor de 200 cilindradas em 2 tempos, a Vespa PX foi produzida até 1990, ganhou uma reestilização maior em 1985.

Vespa – novidades

vespa 7

Como um meio de transporte urbano numa época em que não haviam automóveis disponíveis, a Vespa rapidamente tornou a produção da Piaggio limitada e licenciada em vários países, inclusive o Brasil.

Aqui, a motoneta foi fabricada em duas gerações até os anos 90, mas é atualmente importado da Itália e vem em vários modelos, todos derivados do mesmo projeto.

A marca oferece os modelos: Classic VXL 150, SXL 150, 75 Anos, Club ZX 125, Notte 125 e Club 125.

Com preços bem elevados, a Vespa tornou-se um produto premium por aqui, mantendo as linhas básicas do projeto original, ou seja, preservando a elegância de suas linhas suaves.

Ela é oferecida com dois motores, sendo um de 125 cilindradas de quatro tempos com refrigeração a ar e três válvulas no cabeçote, tendo ainda sistema de ignição variável.

vespa 15

Esse propulsor entregava 9,5 cavalos a 7.250 rpm e 0,99 kgfm a 6.250 rpm, além de câmbio CVT com conversor de torque.

Depois da atualização pela legislação ambiental, foi para 10,7 cavalos a 7.700 rpm e 1,06 kgfm a 6.000 rpm.

Já o motor de 150 cilindradas com a mesma tecnologia, entregando 12,9 cavalos a 7.750 rpm e 1,30 kgfm a 6.500 rpm. Algumas versões têm 11,6 cavalos.

Com injeção eletrônica, ela pode ter tanto partida por pedal quanto elétrica, além de painel análogo-digital, farol de LED, lanterna em LED e rodas aro 10 ou 11 polegadas, entre outros.

Tendo suspensão monobraço na dianteira e traseira, como o modelo clássico, a Vespa pode ter disco de freio nas duas rodas ou simplesmente somente a tambor, mas ambos CBS ou ABS.

vespa 2

Porta-capacete, carregador USB e detalhes exclusivos de cada versão, chegando algumas com acessórios de fábrica.

Falando em acessórios, a gama tem bancos em couro, manoplas em couro, manetes de alumínio, bauleto, protetores de suspensão, rack dianteiro, para-brisa, rack traseiro retrátil, capa da moto, tapete de borracha e descanso lateral, entre outros.

A gama Vespa tem a linha de entrada 125 com os modelos Club, Club ZX e Notte, bem como os modelos de 150 cilindradas Classic VXL, SXL e 75 Anos.

Detalhes

vespa 5

A Vespa tem estilo baseado no modelo de 1967, o modelo Primavera, que chegou a ser produzido no Brasil nos anos 80. No portfólio atual, o modelo Club é o mais barato e simples, com motor de 125 cm³.

A Club 125 tem farol simples circular no corpo do guidão com painel analógico, tendo este velocímetro e nível de combustível, além de luzes-espia.

No escudo frontal, três entradas de ar e duas lentes de piscas simples. Logo abaixo, o para-lama dianteiro é alto e encobre parcialmente o monobraço articulado com amortecedor e mola.

A roda dianteira, de liga leve, tem freio a tambor com CBS e acabamento preto com pneu 90/100 R10.

O chassi monobloco de aço tem assoalho de três níveis com borrachas antiderrapantes e apoio de pé para o garupa.

vespa 12

Já o assento duplo tem chave para abrir e acessar o tanque de combustível e o porta-capacete com USB e iluminação do baú, tendo ainda alças de aço envolvente para o garupa.

A lanterna traseira é simples e tem piscas simples separados, enquanto o motor 125 fica alojado sob a carroceria, com monobraço traseiro com as correias do CVT cobertas.

O freio a tambor traseiro, assim como o dianteiro, tem sistema CBS, além de roda de liga leve aro 10 polegadas e pneu 90/100 R10.

Ela é oferecida nas cores Maze Grey e Yellow. Na Vespa Club ZX 125, o visual é o mesmo, mas com frisos e retrovisores cromados, assim como manetes de alumínio, acabamento do para-lama dianteiro e alça do assento cromados.

Na suspensão dianteira, a capa da suspensão é na cor da moto, tendo ainda os braços metalizados, assim como o amortecedor e a mola. O mesmo acabamento se apresenta no braço da suspensão traseira.

vespa 11

As rodas de liga leve aro 10 têm desenho diferente e na frente há um disco ventilado de freio, enquanto a traseira mantém o para-lama com acabamento preto e refletor, além de suporte de placa.

Oferecida nas cores Bianco, Rosso, Azzure Provenza e Amarillo, a Vespa Club ZX 125 tem tanque de 7,4 litros e partida por pedal ou elétrica, mesmos itens da Club 125.

Com pintura Nero, a Notte 125 tem acabamento geral preto-fosco com freios a tambor, sendo um modelo descolado por seu visual escurecido.

Na linha 150, a Vespa Classic VXL tem acabamento parcialmente cromado, com farol full LED, enquanto a roda dianteira em liga leve de cinco raios tem aro 11 polegadas com pneu 110/70 R11, tendo disco de freio ventilado com sistema ABS.

O modelo tem escape com silencioso tendo protetor cromado, enquanto a parte superior da carroceria, tem banco em couro caramelo e alça elevada para o garupa com acabamento cromado.

vespa 13

Já o painel é análogo-digital com velocímetro com ponteiro e display digital com hodômetros e nível de combustível. Atrás, o pneu tem 120/70 R10.

A Vespa Classic VXL 150 tem pintura em dois tons Azzure, Bianco, Nero, Rosso e Amarillo, com as duas últimas cores com o banco de couro preto.

No caso da SXL 150, o diferencial principal é o farol quadrado full LED, tendo moldura central diferenciada no escudo, enquanto o painel análogo-digital tem visual personalizado.

Ela tem ainda retrovisores retangulares cromados, bem como suspensão dianteira com amortecedor dotado de mola vermelha e o banco de couro com alça central.

Suas cores são Matt Black, Matt Red, White e Orange, todas com banco em couro na cor preta.

vespa 14

Por fim, o modelo mais caro e exclusivo é a Vespa 75 Anos, uma edição mais que especial, com para-brisa envolvente no guidão e moldura central do escudo personalizada.

O para-lama dianteiro tem grafismo 75 Anos, assim como nas laterais da carroceria traseira.

Na rabeta, há uma bolsa circular que lembra um estepe, sendo feita em couro e resistente à água. A cor exclusiva é a Ciallo 75th e há uma plaqueta metálica alusiva à edição.

A motoneta tem ainda uma caixa de boas-vindas que contém uma seleção de cartões-postais colecionáveis dos anos 40 até hoje.

Modelos

vespa 3

  • Vespa Club 125
  • Vespa Notte 125
  • Vespa Club ZX 125
  • Vespa Classic VXL 150
  • Vespa SXL 150
  • Vespa 75 Anos

Equipamentos

vespa 10

Club 125 – Motor de 125 cm³ e câmbio CVT, mais partida em pedal e elétrica, painel simples, farol simples, rodas de liga leve aro 10 polegadas, pneus 90/100 R10, banco duplo retrátil, porta-capacete com iluminação e carregador USB.

Freios a tambor nas duas rodas com sistema CBS, escape com protetor, assoalho emborrachado, suspensões dianteira e traseira monobraço, detalhes pretos, alça para o garupa, entre outros.

Notte 125 – Itens acima, mais pintura preta e detalhes escurecidos.

Club ZX 125 – Itens da versão Club, mais freio dianteiro a disco com sistema ABS, detalhes cromados, retrovisores cromados, alça do garupa cromado, entre outros.

Classic VXL 150 – Itens acima, mais motor de 150 cm³, tendo farol full LED, alça cromada traseira elevada, banco em couro caramelo ou preto e cluster análogo-digital.

SXL 150 – Itens acima, mais farol full LED quadrado, retrovisores cromados quadrados, moldura dianteira exclusiva, amortecedor com mola vermelha e banco em couro duplo com alça.

75 Anos – Itens da VXL 150, mais pintura especial, para-brisa, bolsa traseira circular, caixa de boas-vindas com cartões postais e plaqueta comemorativa, plaqueta na carroceria e rodas escurecidas.

Preços

Qual é o preço da Vespa?

vespa 9

  • Vespa Club 125 – R$ 23.609,60
  • Vespa Notte 125 – R$ 24.440,00
  • Vespa Club ZX 125 – R$ 25.494,00
  • Vespa Classic VXL 150 – R$ 27.990,50
  • Vespa SXL 150 – R$ 28.833,70
  • Vespa 75 Anos – R$ 33.763,70

Vespa – motor

vespa 4

A Vespa tem dois motores disponíveis para seus modelos no Brasil, lembrando que ainda existe um propulsor de 50 cm³ na Europa, enquanto aqui se resume aos de 125 e 150 cm³.

O propulsor da Piaggio é um monocilíndrico de quatro tempos, refrigerado a ar com cabeçote em alumínio de três válvulas por cilindro, com duas de admissão e uma de escape.

Com injeção eletrônica de combustível e abastecido somente com gasolina, o seu motor tem escapamento com silencioso lateral, além de câmbio CVT com conversor de torque.

Tendo ventoinha de refrigeração, o propulsor tem partida a pedal ou elétrica, com 124,9 cm³ e 10,7 cavalos a 7.750 rpm e 1,06 kgfm a 6.000 rpm.

Já a versão de 154 cm³, dispõe de 12,9 cavalos a 7.750 rpm e 1,30 kgfm a 6.500 rpm. Trata-se de um motor com muitos anos de uso, mais precisamente desde 2013, sendo um propulsor bem eficiente em consumo.

Desempenho e consumo

vespa 6

Vespa 125 – O consumo médio é de 48 km/l com velocidade máxima de 91 km/h. O motor e o câmbio CVT garantem um bom desempenho urbano para a Vespa 125, contudo, trata-se de uma performance totalmente urbana.

Com 48 km/l de consumo médio, com seu tanque de 7,4 litros, garantindo autonomia de 355 km, o que é uma boa para um veículo tão pequeno.

Vespa 150 – O consumo é de 45 km/l e sua autonomia chega a 333 km, o que também é muito bom se comparado a outras scooters.

Qual a velocidade máxima da Vespa? A velocidade final é de 98 km/h, com aceleração um pouco melhor e garantindo agilidade no meio urbano.

Vespa – manutenção e revisão

vespaprimeservice

A moto tem uma rede de assistência de 100 pontos no Brasil, com programa de revisão “Vespa Prime Service”, com pessoal técnico altamente profissional e padrão de pós-venda premium.

Com valores da Vespa Service Prime (Qualidade, Segurança, Confiabilidade e Respeito ao Meio Ambiente), a rede atende todos os modelos da marca no país.

A rede verifica diversos itens no veículo, incluindo bateria e parte elétrica, além de motor e câmbio.

Também são verificados itens de suspensão e freios, estado dos pneus e lubrificante do motor, além de lavagem e recall se houver.

Vespa – fotos

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.