Avaliação: Citroën C3 1.2 PureTech tem economia e performance

Avaliação: Citroën C3 1.2 PureTech tem economia e performance

A PSA trouxe para o Brasil o novo motor 1.2 PureTech, um pequeno de três cilindros acima da categoria onde geralmente os três pistões são mais conhecidos. Lançado inicialmente no Peugeot 208, o propulsor também está disponível no Citroen C3.


O compacto da marca parisiense ganhou mais um bom argumento para ser levado para casa. O Citroën C3 1.2 PureTech ficou não só bem mais econômico que a versão anterior, equipada com o já cansado 1.5 8V, mas tem também uma performance adequada para sua proposta.

Oferecido para avaliação na versão Tendance, andamos com etanol e conseguimos observar a frugalidade da nova opção. Custando R$ 53.590, o Citroën C3 nessa versão (a mais completa com o novo motor) veio com multimídia e ar-condicionado automático, que custam a mais R$ 1.850. De janeiro a setembro, o modelo vendeu 8.969 unidades.

Avaliação: Citroën C3 1.2 PureTech tem economia e performance

Por fora…

O Citroën C3 1.2 PureTech não difere da versão 1.5 anterior, exceto pelo pequeno logotipo referente ao motor, fixado na tampa do porta-malas. Elegante, o compacto leva o duplo chevron cromado integrado à própria grade. Nesta versão, felizmente as colunas são pretas e harmônicas, diferente de outras versões do modelo, sem pintura.

O modelo oferece faróis duplos, LEDs diurnos no para-choque, para-brisa panorâmico Zenith com acabamento cromado no teto, lanternas traseiras bipartidas, sensor de estacionamento e uma grande área envidraçada. As rodas de liga leve aro 15 polegadas com pneus 195/60 têm bom aspecto visual.

Avaliação: Citroën C3 1.2 PureTech tem economia e performance

Por dentro…

No interior, o Citroën C3 1.2 PureTech mantém o mesmo padrão já conhecido, que oferece materiais de qualidade adequada e texturas interessantes nos assentos. O painel tem cinco difusores de cor prateada e tonalidade tungstênio no pequeno console central.

Chama atenção a instrumentação bem distribuída, além de multimídia com tela de 7 polegadas sensível ao toque. O dispositivo vem com Apple Car Play e MirrorLink, mas faltou o bom Google Android Auto, já que nem todo mundo tem os poucos dispositivos do segundo sistema e o navegador Maps é o mais confiável, depois do Waze.

Avaliação: Citroën C3 1.2 PureTech tem economia e performance

Sem navegador, a multimídia só oferece alguns serviços conectados com a Citroën e informações de condução. Apesar da tela ser touchscreen, o sistema ainda oferece comandos físicos de menu e volume abaixo do ar-condicionado automático, destoando em visual e ergonomia.

Falando neste último, o C3 tem comandos dos vidros elétricos inclinados na porta do condutor, o que não é muito ergonômico, assim como o velho comando de áudio na coluna de direção. Já poderiam ter incluído isso no próprio volante, assim como no irmão 208.

Avaliação: Citroën C3 1.2 PureTech tem economia e performance

Em compensação, o porta-luvas é grande e a área envidraçada é generosa, ainda mais com o para-brisa panorâmico Zenith com seus 80° de ângulo. Para-sóis retráteis reduzem a abertura para evitar maior exposição ao sol ou luminosidade, se os ocupantes desejarem. O conjunto tem uma trava para manuseio, que aparentemente não fixava a peça no veículo testado, mas sem qualquer prejuízo quanto à funcionalidade.

A altura interna é muito boa, deixando as cabeças bem longe do teto. As luzes de leitura ficam nas laterais. O espaço para as pernas de quem vai atrás é reduzido, infelizmente, mas esperado para um carro com 2,46 m de entre eixos e sem proposta de ser um monovolume.

Os bancos são confortáveis e apresentam textura agradável. O assento traseiro é bipartido e tem cinto central de três pontos, mas peca por não ter o terceiro apoio de cabeça. Já o porta-malas tem um bom volume (300 litros) e pode ser ampliado com o rebatimento do banco traseiro, garantindo assim melhor acomodação de bagagens e objetos grandes.

Avaliação: Citroën C3 1.2 PureTech tem economia e performance

Por ruas e estradas…

O novo motor 1.2 PureTech do Citroën C3 2017 faz parte de uma família que inclui unidades turbinadas na Europa – que esperamos aqui no Brasil – e conta com três cilindros. O funcionamento em condução é suave, enquanto em marcha lenta uma pequena vibração é sentida, mas nada que incomode.

O propulsor 1.2 tem boa disposição e torque em baixas rotações. Ele entrega 84/90 cv a 5.750 rpm e 12,2/13,0 kgfm a apenas 2.750 rpm, respectivamente com gasolina e etanol. Essa força em baixa garante boas saídas e retomadas interessantes para seus números.

Além disso, deixa a condução mais prazerosa, podendo o condutor manter uma marcha mais adequada – há indicador de troca no painel – garantindo assim mais economia sem perda de performance. Já a partir de 2.000 rpm, é possível notar a disposição do PureTech em ajudar o motorista nessa missão.

Avaliação: Citroën C3 1.2 PureTech tem economia e performance

A transmissão manual de cinco marchas tem engates suaves e bom curso da alavanca, oferecendo relações em dia com a proposta do motor. Interessante também é notar que o indicador ordena trocas breves, que fazem o ponteiro cair bastante e mesmo assim, a condução não fica prejudicada com uma possível falta de força.

Rodando a 110 km/h, o ponteiro marca 3.400 rpm, exatamente como no irmão 208 1.2. Com bom comportamento ao dirigir, o Citroën C3 1.2 PureTech também é frugal, fazendo 11,1 km/litro na cidade e 12,3 km/litro na estrada. Os números ficaram bem próximos aos do Peugeot avaliado anteriormente (confira aqui a Avaliação NA do 208 1.2 PureTech).

Com direção elétrica bem leve e precisa, o Citroën C3 1.2 PureTech tem freios firmes, que seguram bem o compacto, mantendo bom equilíbrio nas frenagens mais fortes. A suspensão com ajuste mais voltado para o conforto.

Avaliação: Citroën C3 1.2 PureTech tem economia e performance

Isso é bom para absorção das muitas imperfeições que temos em nossas ruas e estradas, mesmo em pisos de terra, paralelepípedos e asfaltos destruídos. No entanto, a estabilidade fica um pouco prejudicada, apresentando inclinação lateral um pouco além do desejável. Ainda assim, o equilíbrio geral é aceitável para o dia a dia.

O nível de ruído a bordo é bom, já que o 1.2 PureTech apresenta um funcionamento linear e suave, graças ao conjunto de coxins bem eficiente e à concepção moderna do propulsor. Os pneus são de baixa resistência à rolagem, o que ajuda a reduzir também o barulho durante a condução, bem como a economia de combustível.

O campo de visão já é muito bom no C3, melhorando ainda mais com o Zenith, que é composto de três vidros colados e tem 1,35 m de comprimento. Os retrovisores são grandes e ampliam ainda mais a visibilidade durante as manobras. O banco do condutor tem ajuste de altura, assim como a coluna de direção e cintos de segurança dianteiros. No geral, o modelo se mostrou agradável de conduzir, notadamente na cidade.

Avaliação: Citroën C3 1.2 PureTech tem economia e performance

Por você…

O Citroën C3 1.2 PureTech em termos de condução – como dito acima – se mostra uma boa opção, assim como pela sua frugalidade. Com gasolina, o compacto provavelmente será muito mais eficiente, como dizem os números do Inmetro (14,8/16,6 km/litro em cidade/estrada). Mas mesmo quem é adepto do derivado de cana, não irá se decepcionar.

O conjunto de equipamentos é interessante no Citroën C3 1.2 PureTech, faltando poucos itens diante de sua proposta, que é intermediária, diga-se de passagem, embora seu preço seja alto: R$ 55.440 completo.

Ar-condicionado automático, multimídia com Car Play e MirrorLink, para-brisa Zenith, rodas de liga leve aro 15 polegadas com pneus de baixa resistência à rolagem, faróis de neblina, LEDs diurnos, Bluetooth, sensor de estacionamento, trio elétrico, faróis de neblina, USB/auxiliar e outros estão disponíveis nesse pacote Tendance, onde os dois primeiros são opcionais.

Avaliação: Citroën C3 1.2 PureTech tem economia e performance

No pós-venda, a Citroën vem com a campanha de R$ 1 por dia de custo de revisão. Ou seja, R$ 365 por ano. O valor é o mesmo para as outras duas revisões seguintes, com intervalos de 10.000 km, subindo para R$ 728 cada até 50.000 km e, por fim, R$ 884 aos 60.000 km.

No total, o custo alcança R$ 3.435. Não é o mais em conta do mercado, visto que muitos rivais se mantém bem abaixo de R$ 3.000. Até os 30.000 km, pelo menos, paga-se R$ 1.095. Os valores de cada revisão podem ser parcelados em quatro vezes sem juros. A garantia é de três anos sem limite de quilometragem e com assistência 24 horas.

Com boa performance para um motor pouco acima de 1.0 e economia, o Citroën C3 1.2 PureTech se mostra uma boa opção para quem quer um veículo que também ofereça conforto, prazer ao dirigir e estilo. Vale conferir.

Medidas e números…

Ficha Técnica do Citroën C3 Tendance 1.2 PureTech

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 3 em linha Flex
Cilindrada – 1199 cm³
Potência – 84/90 cv a 5.750 rpm (gasolina/etanol)
Torque – 12,2/13,0 kgfm a 2.750 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão – Manual de cinco marchas

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 13 segundos (etanol)
Velocidade máxima – 175 km/h (etanol)
Rotação a 110 km/h – 3.400 rpm
Consumo urbano – 11,1 km/litro (etanol)
Consumo rodoviário – 12,3 km/litro (etanol)

Suspensão/Direção

Dianteira – McPherson/Traseira – Barra de torção
Elétrica

Freios

Discos dianteiros e tambor traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga leve aro 15 com pneus 195/60 R15

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 3.944 mm
Largura – 1.708 mm
Altura – 1.521 mm
Entre eixos – 2.460 mm
Peso em ordem de marcha – 1.110 kg
Tanque – 55 litros
Porta-malas – 300 litros
Preço: R$ 53.590 (versão avaliada: R$ 55.440)

Galeria de fotos do Citroën C3 Tendance 1.2 PureTech 2017:

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.