*Featured Avaliações Sedãs Volkswagen

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

O Volkswagen Voyage 2019 já havia recebido uma importante alteração em sua composição de versões, que fora simplificada em uma única oferta com motores 1.0 e 1.6, mas ambos com transmissão manual e poucos opcionais.


A estratégia é gerar um custo-benefício melhor e deixar as versões com ênfase em sofisticação e conforto para o Virtus, que já vende muito bem. Então, com visual atualizado, importado da Saveiro, o sedã compacto da VW não reinventou a roda, mas ficou mais interessante dessa forma.

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

Sua missão e proposta estavam mais claras, mas faltava algo importante nos dias atuais e isso chegou agora, a esperada transmissão automática. Em realidade, para quem viu o Voyage desde o início, ganhar o câmbio automático agora é quase como dar um presente para o sedan.


De fato, ele merecia há um bom tempo, mas será que faz jus ao que ganhou? Custando a partir de R$ 59.990, o Voyage 2019 automático alcança R$ 65.090 quando completo. Ele também traz o motor 1.6 MSI com até 120 cavalos para acompanhar o câmbio. Agora ele quer mostrar que pode ser ainda melhor com esse conforto a mais.

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

Por fora….

As mudanças na frente deixaram o Voyage 2019 com um ar mais encorpado, tendo em realidade um frontal mais alto, com elevação do capô, grade maior e com direito a frisos cromados, que se harmonizam com correspondentes nos faróis.

Estes, por sua vez, ficaram maiores e possuem dupla parábola com bom aspecto e sem qualquer pretensão para ter LEDs ou algo assim.

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

O para-choque revisado também caiu bem, especialmente os faróis de neblina cortados que interagem bem com as linhas fluídas do protetor. As rodas de liga leve aro 15 polegadas com pneus 195/55 R15 dão equilíbrio ao conjunto, que é bastante discreto.

Nos detalhes, retrovisores com repetidores de direção e função tilt down no direito, enquanto as lanternas traseiras continuam as mesmas, de visual que já não agrada muito. Chama atenção o badge “Automatic” embaixo do MSI. Pronto, apenas isso diz que esse Voyage é automático.

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

Por dentro….

Nesse Voyage com câmbio automático, parece que nada mudou com exceção dos itens que o diferenciam do manual. Na linha 2019, porém, o modelo já havia recebido painel com novo grafismo.

Para ter os paddle shifts, por exemplo, o volante é o mesmo da versão manual, mas possui acabamento em preto brilhante como nos demais modelos da VW. As borboletas são discretas e o conjunto iluminado é um toque a mais para quem agora vai de Voyage.

Como o conjunto já é padrão na VW, a coluna de direção é ajustável também em profundidade. Mas, ao observar a direção, ficou faltando um item que para nós é obrigatório em um automático, o controle de cruzeiro. O Voyage já teve e testamos isso no Evidence.

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

Pena esse dispositivo não estar disponível na linha 2019, mas quando existiu no Voyage, ficava na haste das setas. Se não perder a garantia, fica a dica. O restante do conjunto frontal não é de todo ruim, mas é muito simples, com certeza.

A multimídia vem com tudo e para a proposta do Voyage está muito bem acertada com Android Auto, Car Play e MirrorLink, além do Park Pilot que é o sensor de estacionamento, mas bem que poderia ter uma câmera de ré em seu lugar.

Entradas suficientes para USB, auxiliar e SD, além de Bluetooth e tudo controlado pelo volante. O suporte de celular tem seu próprio USB para carregamento e fecha o pacote, lembrando que ainda há o bom computador de bordo. O cluster tem uma leitura agradável e ficou bom com a mudança.

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

E o restante? Simples, até demais. Apesar da padronagem dos assentos não ser ruim, nota-se que a economia nos detalhes salta aos olhos, como a falta de acabamento nos trilhos dos bancos, sendo fácil observar o assoalho da carroceria sem nenhuma proteção no piso e a graxa para lubrificação…

O Voyage 2019 também peca por ainda ter cintos subabdominais no banco traseiro, que é inteiriço. Pelo menos há um terceiro apoio de cabeça. O sedã tem ainda tecido nas portas, luzes de leitura na frente e atrás, trio elétrico completo (com os comandos dos vidros traseiros no painel…) e espelhos nos para-sóis.

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

Por ruas e estradas….

Pelo que o velho motor 1.6 MSI EA111 oferece de torque em baixa, ele talvez não se sairia mal com um câmbio automático, mas a VW preferiu adicionar um “plus” na oferta com o mais recente EA211, que já fez parte do Gol Rallye.

Com 16 válvulas, o propulsor da Volkswagen entrega 110 cavalos com gasolina e 120 cavalos no etanol, ambos a 5.750 rpm, numa calibração que a marca poliu no Polo e no Virtus. Mesmo a 4.000 rpm, ele entrega 15,8 kgfm no derivado de petróleo e 16,8 no etanol.

Como já comprovado, apesar de ter torques máximos em rotação bem acima dos 2.500 rpm do 1.6 8V, esse MSI mais moderno tem boas respostas para quem exige mais desempenho, mas aqui com a suavização da transmissão AQ-160F de seis velocidades.

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

O casamento motor/câmbio se mostrou muito bom no Voyage 2019, sendo que o propulsor não titubeia na oferta de força e a caixa automática não fica prendendo marchas ou criando buracos entre as trocas. Tudo é feito com suavidade e na ordem correta.

Como o desempenho é importante, o Voyage 2019 vai de 0 a 100 km/h em 10,2 segundos, o que está muito bom para um sedã prático e leve com caixa automática dotada de conversor de torque. O câmbio vem completo e isso significa dar ao condutor o que daria no Polo ou no Golf.

Assim, além do modo Drive, há também o Sport com rápido ganho de giro e uma desenvoltura agradável, apesar do nível de ruído ficar mais acima do que o desejado. Dá para tocar o Voyage até 6.000 rpm em condução esportiva, o que agrada pela resposta do câmbio, que fica cheio esperando uma retomada.

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

Com mudanças manuais na alavanca ou no volante, o condutor tem uma boa independência sobre as trocas em que momento for, assim como nos demais VW automáticos. No uso urbano, a rotação fica geralmente na casa de 1.500 à 2.500 rpm, privilegiando o conforto e a economia, onde fizemos bons 11,5 km/l.

A progressão de marchas bem escalonadas dá ao Voyage 2019 uma tocada muito confortável no dia a dia de trânsito pesado e corre-corre. Na estrada, sentimos falta não só do controle de cruzeiro, mas também de um apoio de braço direito. Com eles, o conjunto estaria completo.

Nas ultrapassagens, o 1.6 MSI dá um gás a mais com segurança, sem esgoelar. O câmbio ajusta certo as marchas e garante força suficiente para não passar aperto, mesmo com carro cheio. Claro, a rotação vai subir bem, mas o que se quer é passar e ir embora.

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

Nas reduções, o AQ160-F faz seu bom trabalho, deixando a marcha mais adequada para aquele momento e proporcionando respostas mais rápidas nas retomadas. Em cruzeiro, o ponteiro marca 2.300 rpm e o consumo chega a ótimos 16,1 km/l. Isso tudo com gasolina.

Ruim é o nível de ruído, um pouco alto para o que se esperava, mas aceitável. O rival Ka Sedan 1.5, por exemplo, é bem superior nesse aspecto. Também não gostamos da direção hidráulica, ficou mais pesada, mas não tanto quanto os conjuntos da Renault, por exemplo.

Com rodas aro 15 e pneus largos, a estabilidade do Voyage não poderia ser melhor. O sedã compacto contorna bem as curvas e garante controle em desvios rápidos, mesmo com uma saidinha leve de traseira. A suspensão é mais robusta que confortável, algo que não surpreende ninguém. Atende bem no geral, assim como os freios, bem dimensionados.

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

Por você….

O Voyage 2019 chegou com um câmbio automático que realmente fazia falta nessa oferta de acesso, mesmo que nos faça lembrar de como ele teria sido há 10 anos com a nova geração, visto que o acabamento da alavanca é o daquela época…

O ar retrô fica apenas nesse detalhe e a oferta do Voyage até que é boa, mas é preciso ver que a concorrência não dorme no ponto e rivais como Ford Ka Sedan 2019, Chevrolet Prisma 2019 e Toyota Etios Sedan, para citar esses, também vem bem “automáticos” no mercado. Por isso, custar menos seria uma vantagem.

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia

Faltaram alguns itens e uma atenção nos detalhes, como melhora no acabamento, piloto automático e cinto de três pontos para todos, mas fora isso, o Voyage 2019 com transmissão automática tem uma boa tocada e é econômico. Para quem preza por esses dois aspectos, terá no clássico sedã da VW uma opção interessante.

Se fosse há 10 anos, um Voyage “Tiptronic” nadaria de braçada. Porém, hoje em dia, a raia tem bons nadadores e chegar ao final na ponta se tornou algo bem mais difícil. Se você aprecia as qualidades do sedã, vale um test drive e o esquecimento de que um dia existiu um lamentável “I-Motion”.

Medidas e números….

Ficha Técnica do Volkswagen Voyage 1.6 Automático 2019

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 4 em linha, flex

Cilindrada – 1.598 cm³

Potência – 110/120 cv a 5.750 rpm (gasolina/etanol)

Torque – 15,8/16,8 kgfm a 4.000 rpm (gasolina/etanol)

Transmissão – Automático de seis marchas com mudanças manuais na alavanca e no volante

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 10,2 segundos (etanol)

Velocidade máxima – 190 km/h (etanol)

Rotação a 110 km/h – 2.300 rpm

Consumo urbano – 11,5 km/litro (gasolina)

Consumo rodoviário – 16,1 km/litro (gasolina)

Suspensão/Direção

Dianteira – McPherson/Traseira – Eixo de torção

Hidráulica

Freios

Discos dianteiros e tambores traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga leve aro 15 com pneus 195/55 R15

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.213 mm

Largura – 1.656 mm (sem retrovisores)

Altura – 1.464 mm

Entre eixos – 2.467 mm

Peso em ordem de marcha – 1.058 kg

Tanque – 55 litros

Porta-malas – 480 litros

Preço: R$ 59.990 (básico) – R$ 65.090 (versão avaliada sem a pintura)

Volkswagen Voyage 2019 – Galeria de fotos

Avaliação: Voyage 2019 automático agora tem o que merecia
Nota média 4.2 de 6 votos

  • awatenor

    65K por um coche meio bruto…sei não…

    • Ford Opala Attractive 200TSI

      O conjunto motor/câmbio parece muito bom, sendo potente e econômico, mas realmente o Gol/Voyage peca em espaço, segurança e acabamento

      • Verdades sobre o mercado

        O problema do Cronos 1.8 é o motor, gasta mais (mesmo com start-stop) e isso se reflete nas ruas (já vi muitos 1,3 nunca vi um 1.8) e vai se refletir na revenda, vai perder valor pelo consumo mais elevado. Se a Fiat tivesse um AT no 1,3 e preços menos extorsivos nos opcionais venderia muito.

        • Ford Opala Attractive 200TSI

          Sim, o E.torQ 1.8 é um motor antigo, mas se estiverem certas as aferições de revistas especializadas, o Cronos 1.8 é pouca coisa menos econômico que a concorrência ( exceto o 1.0 TSI). Fora isso, dá um banho no acabamento interno, é muito bonito (opinião pessoal), excelente dirigibilidade, muito equipado mesmo sem opcionais, som e multimídia excelentes. Só falta o crash test.

          • MonHoe

            Estranho, eu ja vi alguns precision, ainda não vi nenhum sem a etiqueta AT6 atras, e a maioria com kit Stile, eu levaria o Tech apenas, nos compactos pra mim é o que tem o melhor custo beneficio, por 73 mil é o mais completo disparado, os concorrentes para ter os mesmos equipamentos chegam próximo aos 90 mil Yaris e Virtus

          • Edson Fernandes

            Em SP eu já vi alguns (o que me impressiona pelo fato de eu ter trabalhado em Minas e só ver na propria Fiat onde tbm trabalhei), mas sempre sendo o Cronos 1.8 com opcionais (até pelos itens que a versão de topo evidencia com cromados, rodas e alguns detalhes de banco do interior).

        • Djalma

          Sem contar que o preço aparentemente bom esconde a enorme quantidade de pacotes fechados de opcionais que leva os preços nas núvens. Além disso não existe Cronos HGT e sim Precision 1.8 MT e AT.

        • Robert Dniro

          Se eu não estiver errado já li que a Fiat esta preparando esse powertrain motor 1.3 com at6, creio que viram que o dualogic não caiu no gosto do consumidor
          Pelo menos na dupla Cronos e Argo “Bye bye automatizado”.

    • HugoCT

      kkk, otimo carro, mas o desenho denuncia o peso da idade, e o preço não está longe de carros mais modernos.

    • Dafomg

      Sem falar no cinto abdominal no banco traseiro. Dá nojo, passo nem perto.

      • Djalma

        Dá nojo porque? O carro nunca foi adequado atrás para mais do que 2 pessoas.

        • Dafomg

          Não é o que vc acha que importa e sim, o projeto do carro que é pra 5 ocupantes. Se custasse 20mil já seria um absurdo, 65mil por algo tão arcaico é sacanagem. Se está bom pra vc compre e seja feliz.

        • Rafael Trindade

          Vide o Virtus.

  • afonso200

    como a falta de acabamento nos trilhos dos bancos, sendo fácil observar o assoalho da carroceria sem nenhuma proteção no piso e a graxa para lubrificação…………. porco isso,,,,,,,, tiraram o cruise control, ridiculo isso . kkkkkk esse acabamento das portas desde 2009 nao combina com o novo painel e saidas de ar novas…..

    • UPTSI

      São os mesmos trilhos de sempre, gol quadrado ao gol “g7” usam o mesmo esquema de fixação (bem ultrapassado) de banco

    • Djalma

      Ué, mas só observaram isso agora? Sempre foi assim.

      • catucadão

        gente que fica procurando problema onde não tem….

  • UPTSI

    Talvez lá pra 2022 a Volkswagen mude de verdade essa geração atual que está a mais de 11 anos, só mudando para-choques, farol, lanterna e tabelier.
    Apesar de que deveria já tirar de linha o Voyage e deixar somente o Virtus no mercado, dando a ele uma motorização MPI pra quem tivesse a necessidade de um sedan mais acessível.
    Deixar o Gol somente com uma versão TSI bem equipada tornando um “esportivo” de adesivo e motorização mais acessível.

    • Bruno Silva

      Não faz sentido tirar o Voyage de linha, o Virtus é bem mais caro e não atende aos frotistas e PJ igual ao Voyage, pelo custos menores. E o Voyage ainda vende bem.

      • UPTSI

        Fabricar só o Virtus ao invés dele com o Voyage torna a produção mais barata.
        O que não faz sentido é manter os dois, principalmente pelo fato do Voyage ser um projeto já bem antigo junto com o Gol.
        Além disso, se a VW fizer um novo Gol e Voyage, pode ter certeza que o preço vai encostar ou até mesmo ultrapassar Polo e Virtus.

        • Ford Opala Attractive 200TSI

          Não concordo. O Voyage é um investimento que já se pagou faz tempo, além disso compartilha peças com o Gol e está vendendo quase 3.000 unidades por mês na média de 2018. Não há razão para tirar de linha.

          • UPTSI

            Você tem esse direito de não concordar.
            Porém querer que um carro continue no mercado só pq ta vendendo razoavelmente bem, é um dos motivos de termos vários carros ultrapassados a venda nas lojas de 0km.

            • Verdades sobre o mercado

              O motivo de terem carros ultrapassados à venda é que tem quem aceita comprar. Se não comprar os fabricantes param de produzir, simples assim. No caso do Voyage, o consumidor final quase não compra mais mesmo, porém o mercado de frotistas compra e com bons números.

              • Renato Duarte

                Brasileiro ainda não tem condição de comprar um carro que vai ficar pouco tempo em produção. Além do mais,, carro que sai de linha muito cedo,, dá um prejuízo danado quando vai revender, e aí mais um motivo pra comprar um carro longevo. Lembrando que todo carro de frotista,, em 12 meses será vendido ao consumidor comum,, então não faz sentido dizer que ele é um carro ruim de negócio.

                • Verdades sobre o mercado

                  O Voyage não é um carro ruim de negócio, ele apenas não atrai mais os consumidor final que vai comprar um 0 Km.

            • Elizangela Oliveira

              Bom, se olhar do ponto de vista do fabricante. Se vende 3000 por mês e tria de linha, quanto desses 3000 ficarão na marca? Melhor não arriscar. Um conhecido meu gosta tanto de mille que está no quarto já. O último (comprou com 43mil km) mandou colocar ar condicionado, trio elétrico e sensor de ré. Diz que vai ficar com ele uns dez anos. Esse tipo de consumidor mantém as velharias em linha.

              • Thiago Ramos

                Eu sou assim com o Fox. Tô no meu quarto e se não saisse de linha, continuaria nele…

                • Guilherme

                  Eu até hoje nunca repeti modelo de carro. Devo ter tido uns 12

              • Que tristeza.

            • Paulo Lustosa

              Quero ver é o desempenho do Virtus com o 1.0 MPI, o Polo 1.0 já se arrasta, quero ver num carro de mais de 1200 kg

              • Arthur

                Não entendi; nem tem essa opção, talvez pelo peso/potência mesmo.

                • Paulo Lustosa

                  Exato, só tirar pelo Polo que já se arrasta, imagina em um veículo que pesa mais de 1100kg

              • Fabricio Pinho

                O Virtus pesa 1134kg.

                • Paulo Lustosa

                  O Highline pesa 1192, de qualquer forma bem mais pesado que os sedans compactos atuais e bem mais pesado que o Voyage, por isso não colocaram a opção mecânica 1.0 MPI no Virtus

                  • Fabricio Pinho

                    Prisma 1.0 – 1035kg
                    Cronos 1.3 – 1134kg
                    Hb20s 1.0 – 1010kg
                    Voyage 1.0 – 947kg
                    Ka sedan 1.0 – 1022kg
                    O Cronos também é pesado para o motor 1.0, apesar de ser menor que o Virtus.

                    • Paulo Lustosa

                      Cronos eu sempre soube do alto peso, afinal é derivado de plataforma do Corsa D e Punto, mas pra por o Virtus com mecanica 1.0 pra encarar HB20S, Ka e Prisma pra substituir o Voyage, acabam optando ao Voyage porque peso menor, o carro anda mais e curiosamente gasta menos por exigir menos o pedal do acelerador.

                    • Fabricio Pinho

                      O Virtus é bem maior que esses sedan compactos pequenos. Quase do tamanho do Jetta. Pelo menos ele justifica o peso.

                    • Paulo Lustosa

                      Sim, ele é do porte do Cobalt, apesar de que é mais pesado que o mesmo

        • Djalma

          Voyage e Gol são projetos com custo amortizados e não faz sentido tirar os 2 de linha com o Gol no TOP 5 e o Voyage no TOP 20. Além disso que compra Voyage não compraria Virtus e vice e versa.

  • Baetatrip

    Vi as fotos…..
    Acabamento beeeeeem pobre!
    Como oferece bela caixa AT6 e empobreceram o acabamento?!
    E tiraram cruise control……. Daria mais conforto ao viajar…!

    • Djalma

      Não empobreceram o acabamento, é o mesmo acabamento anterior, que tem materiais inclusive melhores que os do KA e com arremate das peças mais caprichado.
      Também não tiraram Cruize Control, que era um item da versão Evidence que não existe mais. Essa versão atual é equivalente a de entrada, a Trendline;

  • Mayck Colares

    O voyage e o gol ficaram com uma só versão de acabamento que era a pior da linha, pior q o confortline, connect, track e highline. Acho que deveriam melhorar o acabamento pelo menos nessa versão automática.

    • Djalma

      Não tinha como, o preço já está perto do preço do Virtus MSI 1.6. Talvez fosse mais interessante colocar mais alguns itens, como regulagem de volante, retrovisor elétrico e sensor traseiro e não ter mais opcionais, vendendo ai na faixa de 60 mil.

      • Edson Fernandes

        Aí sim faria bem mais sentido. Porque eles perdem margem de poder negociar o Virtus… e com novos players de mercado, o Virtus pode sofrer.

  • VeeDub

    a extensão do porta malas em relação ao Gol é uma simples chapa soldada… Gambiarra total.

    • Elizangela Oliveira

      Eu já acho que o desenho ficou razoavelmente bom.

    • Djalma

      Sério mesmo? É cada uma!

      • VeeDub

        procura as fotos no Google Djalma…. vai ver a chapa lá no porta-malas e o estepe logo depois do banco, mesma posição do gol

        • catucadão

          mais o voyage é um gol esticador…. não tem mal nenhum nisso ta querendo arruma problema onde não tem.

        • Edson Fernandes

          São soluções normais para sedan. Justamente para separar a cabine do porta-malas. Isso é comum em muitos sedans que inclusive são de nosso mercado (Cronos por exemplo)

          • VeeDub

            Edson, nenhum outro sedã derivado existente no brasil possui a chapa inferior soldada como no Voyage. Ela é inteiriça. A VW economizou alguns milhões, mas ficou uma gambiarra danada, que ela seque ousou fazer o mesmo no Virtus.

          • T1000

            Solução normal soldar uma chapa ao invés de usar uma peça inteira tá bom vai.
            Da até medo rodar num carro remendado assim. Estampagem idêntica a do gol de 1980, solda na chapa do porta malas… Onde fica sua segurança? E vender isso por R$60mil????????

            • Edson Fernandes

              Normalmente o porta malas é uma parte de um sedan que não se deve fazer parte da estrutura de habitaculo.

              Pois se sofrer uma batida traseira, que o porta malas se desmanche, sem prejuizo aos ocupantes.

              E nessa situação, vc ficaria assustado de ver na pratica como esses produtos servem para suportar uma batida traseira. Obviamente cito carros realmente seguros.

  • Lucas086

    Custava a VW colocar uma direção elétrica? Outra coisa, olhando por foto, até que a frente não ficou muito ruim no voyage, tem fotos que aparenta estar bem casado.

    • Rafaelhsouza

      Concordo, uma baita mancada…o conjunto motor + tiptronic até agrada, mas esse tipo de ausência é imperdoável.

    • invalid_pilot

      Deve ser algum acordo com quem fabrica o sistema de direção hidráulica, nada justifica essa diferença.

      • Lucas086

        Justamente, não sem condições, na VW só Gol e Amarok usam hidráulica ainda… mas dos concorrentes, só Gol e hb20

        • invalid_pilot

          A Hyundai ainda é mais sacana pq oferece a Eletrica no HB20 topo

          • Lucas086

            Oferece, mas nem progressiva é ,vergonha total

          • Dod

            Elétrica só no HB20X, tanto na versão Style quanto Premium. No HB20 “normal” e no HB20S nem nas versões Premium.

        • REDDINGTON

          Acredita que na Hilux também é…Não tem lógica uma picape ter isso. Da amarok eu não sabia viu…

          • Lucas086

            Elétrica parece que só tem S10 e ranger

            • REDDINGTON

              Interessante…

      • Djalma

        Esse assunto é igual o da discussão sobre suspensão multlink x eixo de torção
        Agora a Mercedes colocou eixo de torção no classe A, vamos ver se alguém vai reclamar. Bem, na realidade vão; os SEM CARRO.

        • catucadão

          exatamente

      • Tico

        O sistema de direção com assistencia hidráulica e elétrica é completamente diferente, custa caro mudar sim, é um desenvolvimento novo do sistema de direção inteiro, sem contar questões de package no cofre do motor que as vezes impossibilitam a implementação. Já dirigi bastante o Gol e acho a assistência bastante satisfatória, se não falar a maioria das pessaos nem sabe que não é elétrica, sem contar que a direção hidráulica tem suas vantagem, como um feedback da pista bem melhor que a eletrica, um retorno a possição central bem mais rápida e precisa. O up! por exemplo tem direção elétrica e é uma porcaria, dura pra caramba.

    • T1000

      Que diferença faz hidráulica ou elétrica?
      A leveza depende mais da calibração do fabricante do que da tecnologia.
      Está vendo problema onde não existe.

  • zarath rocha

    Tenho um civic g10, só por comparação esse 1.6 110/120cv com conversor de torque, é mais rápido que o civic 2.0 com 150/155cv com CVT.

    • Fanjos

      Antes de optar pelo Golf eu dei uma boa volta no Civic CVT e vi que até para o Polo eu senti diferença em arrancada e aceleração.
      O Civic é lindão, é o único sedan que eu compraria hoje em dia, mas tinha que vir com o 1.5T em todas as versões pq o 2.0 com CVT é para quem não tem pressa
      Obs. Não dirigi o mecânico então não sei se da uma melhorada.

      • Abdallah

        Civic é lento mesmo no cvt, se v c pegar um corolla vai sentir como o cambio da toyota conversa melhor com o motor, vai ver q por isso vende mais.

        • Fanjos

          Só dirigi a versão do Vovoorolla americano quando aluguei no EUA em 2015 e não curti não, também era bem lesma viu.

      • REDDINGTON

        Já dirigi, sim MUDA.

        • Fanjos

          Apesar de eu gostar de cambio mecânico, eu já aceitei que não tem mais volta, daqui para frente o carro vai ter que ser bom com AT/CVT/DE, etc, porque só de olhar essa reportagem e ver que até Golzinho e Voyage vem com AT é praticamente a pá de terra no cambio mecânico, questão de 5 ou 6 anos só o pé de boi do pé de boi e carros de nicho que viram com cambio mecânico.

          • REDDINGTON

            Cara to no AT desde 2012. Tenho vontade de voltar pro MT??? NADA, ZERO…rs rs rs, é um caminho sem volta igual AC e DH.

      • Alexandre Maciel

        Na verdade no caso do Civic eu acho que só compraria, se pudesse, o SI. Acho o sedã bonito no geral mas acho que o modelo não combina muito com as 4 portas.

  • CanalhaRS

    Uma pena a VW ter demorado tanto para por esse conjunto na dupla Gol/Voyage.
    Pelo que custa deveria ser mais caprichado por dentro e algum cuidado a mais por fora também.
    Enfim, não acho que seja um bom negócio, a não ser que role um desconto gordo.

    • Djalma

      Finalidade do carro é ser barato, se fica colocando uma coisa aqui, outra ali deixa de ser competitivo e perde a função visto que Polo e Virtus MSI 1.6 são pouca coisa mais caros. Em sã consciência, duvido que alguém vai deixar de comprar Polo/Virtus em detrimento de Gol/Voyage, por causa de uma diferença de menos de 3 mil reais.
      Acho que a intenção da VW é atender frotistas, dado a popularização dos AT inclusive para locação e também ao público PCD de menor poder aquisitivo.

  • Fabão Rocky

    Engraçado é ver na foto o consumo de 6,9km/l no ps de bordo e na ficha técnica mostra o consumo urbano de 11,5 km/l.

    • Geraldo Xavier

      Q mancada

  • Paulino Lino

    Sem dúvidas que o Voyage merecia o câmbio automático, mas se comparar um Voyage AT6 completo por (65k) e um Virtus MSI AT6 por (70k) o consumidor desembolsa pouca coisa a mais e leva um carro lançamento e com maior espaço interno e mais tecnologia em sua estrutura….. aí não dá né dona VW! …… seria a hora de fazer um downgrade nos preços do Voyage e melhorar suas vendas.

    • Edson Fernandes

      Sem contar que o rodar do Virtus é muitosuperior ao Voyage. E literalmente vc sente que saiu de uma carroça para entrar num carro bem superior.

      • Paulino Lino

        Com certeza! Saindo de um Voyage vc sente que saiu de um popular e pegou uma categoria acima (no caso do Virtus)

        • Edson Fernandes

          Te digo por ser dono de um sedan médio: Mas o rodar do Virtus consegue estar em um patamar até superior aos Cobalt, Versa e compania viu.

          A VW acertou a mão nele. Nesse aspecto me agradou em cheio. Ainda que não tenha o mesmo acerto de um médio, foi muito bem feito. Pelo menos a VW resolveu melhorar bem diversos aspectos que em Gol/Fox/Voyage/Saveiro é bem ruim que eu considero a rodagem e principalmente conforto a bordo.

  • ocampi

    Parece um carro honesto se comparado ao que se vende no mercado.

    • Djalma

      Também acho. E não se pode esperar muito mais, tem a limitação de custos e concorrentes denrto da própria marca.

      • cepereira2006

        Limitação de custos? Essa jabiraca requentada deve custar pouco mais que 10 pilas para fazer. Se não for menos.

  • REDDINGTON

    Esse cinto sub-abdominal…que vergonha…apesar que a Hyundai no New Tucson também oferece essa maravilha rs rs rs.

    • Djalma

      Não tem vergonha nenhuma; tem coisas piores por aí!

      • REDDINGTON

        Sim concordo, mas um erro não justifica o outro. Daqui a pouco alguém tira o encosto de cabeça traseiro, por que “tem coisas piores por aí”!? Não vejo lógica no seu comentário.

        • Edson Fernandes

          Aquela coisa… ao invés de comparar com o que há de melhor… preferem comparar com o que tem de pior…

          • REDDINGTON

            O famoso nivelar por baixo…isso explica o mercado brasileiro…

            • Edson Fernandes

              Pode conversar com um leigo e vc vai reparar. Qualquer coisa superior ao carro anterior, já é uma “nave”.

              Eu conversando com um taxista que ficou se queixando que o carro dele (um Virtus) não tinha um monte de item de conveniencia, comecei a falar dos de segurança. Ele ficou tão impressionado que falou mal do desenho e cor dos acabamentos do carro (que eu devo concordar, que combinação feia que a VW usou para as versões de entrada), mas… o Virtus deveria ter melhor recheio nas versões de entrada.

              • REDDINGTON

                Verdade, deveria mesmo.

  • Dod

    A VW cobrava o mesmo por um Voyage i-Motion até bem pouco tempo atrás, já é um avanço o câmbio automático de verdade, mesmo sendo esse museu. Eu ainda não compraria, seria minha última escolha no segmento, mas é bom ver os automatizados monoembreagem morrendo.

  • Hadson Nobre

    Agora, falta apenas introduzir essa opção de câmbio automático na Saveiro. Ela sim, precisa o quando antes.

  • Verdades sobre o mercado

    No Gol até vai vender alguma coisa o AT, mas no Voyage creio que não, é um veículo praticamente morto no varejo, vende bem apenas em VD, e na VD não vai vender muito este AT não.

    • Djalma

      Talvez tenha boas possibilidades de vendas para o mercado PCD.

  • Chris

    65k? Vale mais pagar um pouco a mais ir de cronos 1.8, virtus 1.6 at etc.

    • Bruno Albuquerque

      Ou até mesmo pagar R$68mil no Polo Comfortline. O Polo só perderia no quesito porta-malas (480 litros x 300 litros).

      • Chris

        Concordo com o apontamento, porém como trata-se de sedam, provavelmente o consumidor estaria procurando porta-malas. Abraço.

        • Bruno Albuquerque

          Verdade. Abraço

  • Jean Lehn

    6.9 km l mesmo consumo que um carro 2.0 parei ali!

    • Bruno Albuquerque

      Com os bicos injetores entupidos.

    • Djalma

      Precisa ver onde é esse consumo né. Pode ser em algum momento de transito pesado. O meu chega a marcar até menos dependendo do lugar.

  • Bruno Albuquerque

    Pagar R$59mil/65mil nesse carro jurássico só pra ter o “benefício” de não passar marchas? Não vejo racionalidade. Se for pra ficar na VW, melhor aguardar o Virtus MSI automático ou partir para o Virtus Comfortline.

    • Djalma

      Melhor aguardar o Virtus MSI AT? Já chegou a mais de 1 mês.

      • Bruno Albuquerque

        Verdade. Não tinha percebido.

  • Gorlami

    PArabéns VW, por tirar o atraso de uns 15 anos

  • Tiago Eduardo Costa

    Com esse tipo de proposta da VW (num voyage, um carro antigo no mercado atual) que percebemos o pq da Fiat ainda patinar nas vendas da dupla Argo/Cronos. As versões 1.3 já eram pra o cambio Automatico, e não aquele automatizado. Fiz um test drive, o cambio não é ruim, é suave até. Mas não se compara ao conforto e a agilidade dos automaticos e os CVTs.

  • Pedro Cunha

    Perdeu tempo de aplicar o motor 1,0 tsi e tornar o carro de fato competitivo e alinhado com a concorrência.
    Excelente opção automática para frotas, locadoras e corporativos. Pro consumidor “comum” a matemática prova que é mau negócio diante do portfólio da concorrência.

  • Alessandra Regina M

    Com este preço vou de YARIS

  • thi

    Ao vivo esse desenho ficou otimo

    • Djalma

      Vou dar muita risada se esse dois velhinhos começarem a vender bem. Bom, o Gol nem precisa, já que sempre termina no TOP10.

  • Mauro Moraes

    Carro há mais de 10 anos no mercado, design cansado, a bem sobreviver de maquiagens e vendas diretas. Fruto de um projeto ultrapassado, sofre com a concorrência dos mais modernos, e hoje, embora seja o representante da maior montadora do país no segmento de sedãs de entrada, ocupa uma das últimas posições no ranking de vendas da categoria.

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    Em off: novo Citroen C4 cactus brasileiro. Abram no canal Matias Antico no iutubi, é argentino

  • Renato Otto

    Já era líder entre os taxistas, mais ainda com cambio automático.

    Agora as locadoras vão comprar aos montes

  • ocampi

    O povo vai pensando, com esse dinheiro compraria isso ou aquilo, que deve ser melhor e tal. Mas na garagem real, aquele Ônix “seguro e econômico”. Eu sei, o carro é ótimo.

  • Jaderson

    Na venda direta (CNPJ), o Gol sai por R$ 51.920,60 completo. Tô pensando em comprar. 13% DE DESCONTO, isso não ser encontra em lugar nenhum.

    • Edson Fernandes

      Encontra! opa se encontra! Vai lá na Chevrolet ver Onix a 15%, 208 a 17%, C3 a 15% e por aí vai. Tem sim opção de desconto.

      • Jaderson

        Acabei de entrar em contato com GM , os descontos deles estão 8,5 %, Ford 8%, desculpa mais nem fui atras do 208 e c3.

        • Edson Fernandes

          Curioso. Mas comoeu disse, tem descontos em todas as marcas para alguns produtos.

          • Jaderson

            Boa tarde. Nosso papo esta rendendo. Foi ontem a uma concessionaria fazer o pedido carro, consegui um desconto de 13% no GOL, só que a fila de espera esta para 30 dias .

  • Davi

    Se tivesse sido lançado assim há uns 5 anos teria feito um tremendo sucesso.
    Mas, como já dizia o ditado: “Antes tarde do que nunca”.

  • Arthur

    Rapaz… queria entender a razão dos controles dos vidros traseiros no painel; nas versões anteriores já era assim ou mudou nessa simplificação das versões?? Snme, já vi Gol com os controles na porta. Dirijo um Logan que é assim também, e acho bem tosco; mas acho que sempre foi assim né.

    • Edson Fernandes

      Era e sempre foi assim. Pelo fato de não ser tão mal ergonomico, ninguem critica. Mas deveria ser nas portas. Tem Fox e Polo para ficarmos nos hatches compactos que possuem essa armação. Mas segundo contadores de feijão, sai mais barato esse arranjo porque gasta-se menos fios (mas gasta para ter um botão gigante no painel). A diferença é que antes da “telinha” ali, ele ficava ao centro de onde seria a telinha.

  • Peter Bishop

    Vai ser zero no crash test?

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email