Honda Lançamentos Motos

Honda CG 150 Start é lançada e traz partida elétrica por R$ 6.350

Honda-CG-150-Start-4-700x523 Honda CG 150 Start é lançada e traz partida elétrica por R$ 6.350

A Honda oficializou nesta terça-feira (25) a nova CG 150 Start, que chega para se posicionar como a versão de entrada da linha 150, com preço sugerido de R$ 6.350. E para não gerar um conflito interno, a montadora japonesa vai deixar de oferecer os modelos CG 125 ES e ESD, já que o primeiro tem exatamente o mesmo preço da novidade e o segundo é R$ 200 mais caro, deixando para a 125 apenas a variante KS, por R$ 5.750.



A nova Honda CG 150 Start segue a mesma linha dos demais modelos da CG e está disponível apenas na versão ES, com partida elétrica e freio dianteiro a tambor.

Honda-CG-150-Start-3-700x523 Honda CG 150 Start é lançada e traz partida elétrica por R$ 6.350

O motor é o OHC (Over Head Camshaft), monocilíndrico, de 149,2 cm³, quatro tempos, arrefecido a ar e com comando de válvula no cabeçote, injeção eletrônica PGM-FI e tecnologia FlexOne, que entrega com torque máximo de 1,32 kgf.m a 6.500 rpm (gasolina); e 14,3 cv a 8.500 rpm com torque máximo de 1,45 kgf.m a 6.500 (etanol). A transmissão é de cinco velocidades e a embreagem utiliza multidisco em banho de óleo.

A suspensão dianteira utiliza garfo telescópico com 135 mm de curso e a traseira apresenta curso de 106 mm. A CG 150 Start está equipada com freios a tambor (dianteiro e traseiro) e pneus são do tipo 80/100 – 18 (dianteiro) e 90/90 – 18 (traseiro).

O novo modelo está disponível nas cores preta e vermelha. A garantia é de três anos, sem limite de quilometragem.

Galeria de fotos da Honda CG 150 Start

  • GPE

    Faz quanto tempo que a garantia dessas motos passou a ser de 3 anos?

    • Marcos Vinicius

      Se não me engano foi a um ano atrás, quando a Honda anunciou a linha 2014 da CG.

    • jonathan iury

      1 ano aproximadamente

  • jonathan iury

    pra q nome novo? muita gente vai rejeitar

    • HugoVictor

      Pior que é mesmo. É exatamente a mesma moto, mas tem gente que desconfia de tudo… haha

  • Tosca16

    Se fosse tivesse partida elétria e a pedal venderia até mais … não duvido, aqui mesmo nas auto-escolas moto de partida elétrica arreiam direto .

    • Ramom Alencar

      realmente o pedal faz muita falta nessas motos pequenas…

      • HugoVictor

        Discordo. Em raros casos (como o da auto escola citado) o pedal faz falta. No mais, uma bateria em uso comum, dura pelo menos dois anos sem manutenção. Ajuda o fato do farol ser ligado no alternador, não na bateria. Nem de graça eu quero pedal. Melhor empurrar numa necessidade à ficar dando coice a todo instante.

        • Tosca16

          ficar dando coice ? Empurar é melhor que usar uma partida à pedal ? Sério, eu não vejo mal algum em trazer as duas de série… E para quem não faz questão da elétrica por que não ter somente à pedal ? Eu tinha uma moto e usava ambas, a pedal me ajudou diversas vezes …

          • HugoVictor

            Sim “Coice” pra dar partida no pedal. Entendo seu lado, mas pra mim, ou opta por part. elétrica ou pedal. Lembro dos casos das CG125 ES, que, ao acabar a bateria, os donos usavam o resto da vida só no pedal… haha
            Enfim, não estou criticando sua opinião, mas se eu compro uma moto com partida, quero usar a partida. Caso a bateria descarregue, empurro pra pegar no tranco e corro pra loja pra substituir a bateria. Não vou ficar usando o pedal porque a bateria descarregou (o que é um perigo já que influencia na luz de freio, pisca e buzina). Enfim, creio que o fato de não vir com pedal+partida seria por dois motivos:
            1- O uso do pedal seria muito, muito raro.
            2- Economia porca das montadoras. Economizam até num simples marcador de combustível, quanto mais em adicionar peças afim de dar conveniência ao piloto.
            Entenda que não sou contra que tenha os dois modos, apenas não faço nenhuma questão a minha tenha o pedal.

            • Tosca16

              Eu gosto das chinesas por que mesmo com um produto inferior trazem tudo que eu acredito ser indispensável . Economia porca tem se feito à rodo infelizmente, acho que partida elétrica e a pedal, lampejador de farol alto, freio à disco e até mesmo cavalete central deveriam vir de fábrica( por exemplo a Yamaha até retirou da Fazer 150, só a versão completa vem de série ) . Painel tem que ter conta-giros , marcador de combustível e velocímetro não me importa se digital ou analógico . Sensor de celular como a Web que eu tinha e não sei por que essas motos não tem um mini-computador de bordo para pelo menos dá o consumo instantáneo .

              • HugoVictor

                Concordo plenamente. Eu achando que, com a nova linha, a Honda talvez implantasse o freio a disco na traseira da Titan… que ilusão. Fez foi retirar o dianteiro nessa Start. Enfim, vende porque tem nome, porque o mínimo necessário pra comodidade do piloto simplesmente não existe. Esses painéis digitais não são nada atraente e acho extremamente desconfortável, em moto ou em carro. É ridículo.

                • Tosca16

                  é mas há painéis e painéis; tem muita moto grande com excelentes painéis digitais, entretanto esse no modelo acima nem combina ao meu ver, é um modelo que não trouxe inovação alguma e uma salada mista de coisas antiquadas e atuais … a Fazer 150 por exemplo tem um visual mais arrojado, mais atual e seu painel traz a combinação que acredito ser ideal em linhas futuras, analógico e digital .

                  • HugoVictor

                    Pois é, o problema é meu gosto mesmo: Não gosto de painéis digitais.
                    Sim, de longe, o da Fazer (ou o desse estilo analógico/digital) é infinitamente mais belo que o relógio digital de 1990 da Titan. Mas o meu desinteresse é no controle que temos da velocidade. Veja bem, piloto moto há alguns anos e sempre fico de olho na velocidade. Quero andar a 90km/h, então basta deixar meu ponteiro entre 80 e 100, qualquer mínima variação é irrisório pra mim. Diferente do digital, eu querendo andar a 90, o digital marca 88km/h, ai dou uma aceleradinha e ele vai pra 91~93km/h, diminuo um pouco e lá vai ele pra 87… hahaha
                    Outra coisa é em caso de diminuição de velocidade. No ponteiro, se estou a 90 e o fotossensor é maxima de 60km/h, eu calculo a queda do ponteiro até parar de frear, ou seja eu freio até até 65~62 e a desaceleração já estabiliza em 60. No digital, por não ter idéia da velocidade de desaceleração, eu freio até chegar em 60, só que ai, com a desaceleração, a moto já vai pra 55~52km/h.
                    Não sei se me fiz entender, e sei que é extrema bobagem minha, mas ando na nova Titan e numa Spin, e detesto o controle que tenho que ficar fazendo pra manter a velocidade.
                    PS: A Fan 125 só tem marcadores de velocidade e odômetro. Combustível, relógio e odômetro parcial, só Titan. É triste!

                    • Tosca16

                      intressante seu relato, eu como nasci nas 2T não me acostumo em motos sem conta-giros, já que na RD eu passava a marcha no giro do motor e pelo ronco identificava a marcha e tal … acho que é por conta disso que não reclamo da vibração de algumas motos chinesas como Traxx Work e Joto 135, Shineray Max 125/150 e Fire 150 e as chinesas comercializadas pela Suzuki aqui, as Haojue Yes 125 e Intruder 125; as GSR 150 já não vibram tanto como as YES e as da Yamaha sem sombra de dúvidas muito menos, exceto a XTZ 125 e que ainda tem aquele banco estreito; uma moto ágil no trânsito em manobras e corredores, mais manca e sem conforto algum .

                • Tosca16

                  Olhe aqui, a diferença ao meu ver é giritante … a Honda tem um painel feito, simples demais … e nesta versão não duvido que não tenha todas as funções que as top de linha do modelo tenham !

          • jonathan iury

            se vinher de serie a honda aumenta uns 300 conto, você quer mesmo?

            • Tosca16

              sinceramente não gosto da Honda, mas pagaria sim num modelo que me agradace; ou até mesmo preferiria sem partida elétrica se fosse para escolher; isso numa moto para trabalho e não meu uso pessoal também .

  • Lupavideos Oliveira Guedes

    Dizem que os burros estão sendo substituidos pelas motos no norte/nordeste. Eu acredito sim, inclusíve aqui em sp, pois uma pessoa comprar uma moto dessa é no mímino um jegue. Prefiro uma 125 com freio a disco do que uma 150 com freio a tambor. Como a honda faz isso? Tambor não se usa nem em 50cc mais. Coisa ultrapassada, duvido que exista alguma moto honda no japão ou na europa ou eua com freio a tambor. Nos carros fez a mesma coisa, tirou os freios a disco do novo fit até na versão mais cara.

  • Alvaro Guatura

    E a Honda sempre esperta.. atenta

    • visanpai

      É impressionante como a Yamaha dorme no ponto e as demais são negligentes.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend