EUA Finanças

Leasing de carros nos EUA – entenda como funciona

mercedes-benz-cla-200-avaliacao-NA-1-700x466 Leasing de carros nos EUA - entenda como funciona

Você já deve em algum momento ter se deparado com propagandas, seja em revistas ou até mesmo em sites americanos na internet, anunciando veículos novos por parcelas (Leasing) que nós brasileiros automaticamente associamos a um filme de ficção cientifica ou a algum golpe/pegadinha, certo? Abrir um site e ver o anuncio de uma Mercedes CLA 250 0Km por apenas US$ 327 por mês, ou algo em torno de R$ 784 é de deixar qualquer no mínimo curioso e se indagando “Como é que eles conseguem?”



Vou tentar explicar no texto abaixo, como que funciona nos USA o leasing de carros.

Primeiramente vamos ao conceito básico de leasing – é um contrato através do qual a arrendadora ou locadora (a empresa/banco que se dedica à exploração de leasing) adquire um bem escolhido por seu cliente (o arrendatário, ou locatário) para, em seguida, alugá-lo, por um prazo determinado – Ou seja, o carro / moto é de propriedade do banco/empresa e você paga para usá-lo por X meses.

Vamos as explicações de como isso funciona lá nos USA:

Diferente do Brasil onde os contratos de leasing são de 100% do carro, nos USA o valor é diretamente associado a depreciação pelo prazo do contrato, ou seja, é o valor que o carro depreciou no tempo que ele ficou com você, sejam 12, 24 ou 36 meses. O restante é definido em contrato e chamado de “Residual de Leasing”, – de uma forma simplista de entender:

Leasing de um carro de US$ 40.000: em 24 meses este perde 30% do valor (depreciação), logo daqui 2 anos o carro valerá US$ 28.000 – então:
40.000 – 28.000 = 12.000 (você “usou” US$ 12.000 do carro)

Logo:
12,000 / 24 meses = US$ 500

Este é o cálculo bruto usado para se entender a lógica, mas ainda incidem impostos, taxas, etc.… que irá elevar o valor da parcela.

A arrendadora agora calcula o “Fator Financeiro” definido pelo banco – são os Juros
(Adicione o atual do carro, ao valor futuro + taxa de %juros)
(40,000 + 28,000) x 0.00125 (3%) = US$ 85

A parcela será algo próximo de 500 + 85 = US$ 585 (mais impostos) com um residual de US$ 28.000 após 24 meses.

Mas se o cliente A roda 5x mais que o cliente B como que a arrendadora sabe quanto que será “usado” do carro?
Pelo contrato! Na hora de assinar um contrato de leasing o comprador aceita os termos e regras do jogo, exemplo:

– 10 mil milhas/ano ao prazo de 24 meses.

– 5 mil milhas/ano por 24 meses (comum em super esportivos)

– US$ 0,40 ~ 0,60 centavos por milha excedida no final do contrato

– Todas as revisões inclusas (adicionar US$ xx na parcela mensal)

É assim que a arrendadora sabe quantas revisões seu carro vai precisar, que peças precisará trocar, quanto precisará de óleo, e quanto de pneu você vai gastar conseguindo estimar de uma forma muito mais apurada a depreciação que seu carro vai ter e quanto seu carro valerá daqui 2 anos.

E se ao final dos 24 meses você tiver rodado 25 mil milhas?

É aí que eles ganham (e MUITO), pois se você assinou um contrato de US$ 20.000 você terá um extra de US$ 2.000 a pagar pela milhagem extra + gastos de manut associados aos KM excedente definido em contrato que são sempre aliados a generosos valores.

Quem define o valor do carro daqui 2 anos? Quanto o carro deprecia? Nos USA isso é definido pela ALG, existem as tabelas oficiais divulgadas para o mercado onde se calcula a depreciação de qualquer modelo vendido por lá:

Exemplo: Mercedes CLA 250 (Prazo / Depreciação)
24 meses – 39%
36 meses – 47%
48 meses – 55%

O que acontece no final do contrato? O carro nunca foi seu, você apenas pagou para usá-lo então você é apresentado com as seguintes opções:

– Devolver o carro para a montadora e ir embora – Tudo que você pagou fica para eles.

– Pagar o residual e comprar o carro.

– Se seu carro for cotado num valor maior o residual do contrato, digamos US$ 28.000, mas em contrato ele valeria US$ 24.000 você pode vender o carro, quitar o saldo devedor e ganhar os US$ 4.000 de diferença.

– Ou você pode usar a diferença para abater numa entrada no próximo leasing, e pagar uma parcela ainda menor e sair de carro novo em 24 meses.

Com isso as montadoras tem sempre carros sendo vendidos e alto índice de fidelização já que o número de clientes que troca de carro devido a leasing é cerca de 4x maior que clientes que efetivamente compram e trocam de carro via financiamento tradicional.

Pelo leasing é possível ter carrões com parcelas ínfimas que num financiamento tradicional muitos não teriam acesso:

Maserati Ghibli S Q4 – US$ 799/mês
Mercedes CLA 250 – US$ 327 / mês
Mercedes C Class – US$ 412 / mês

Por Daniel Piccoli

  • Lucas Souza

    Legal olha. Se tivesse isso no Brasil, todo mundo ia ser “hostentacaum” hahaha

    • Thales Sobral

      A GM fez um plano similar, de você dar entrada de 20%, pagar 50% em parcelas, e no final de 3 anos quitar os 30% finais.

      • leitor

        Mas lá, se tiver entrada é para o leasing abatendo na mensalidade. Mesmo assim os carros não perdem 70% ao fim de 3 anos.

    • Luciana

      Se tivesse isso no Brasil eu só andaria de mini cooper…. :D

      • Daniel P.

        outro ponto interessante a citar que usualmente nos contratos de Leasing as empresas incluem as revisões… pois como vc assinou contrato de 24 meses, e X mil kilometros eles sabem certinho quais revisoes voce vai pagar e precisar, e existe multa caso voce nao leve o carro para ser revisado. – voce nao so andaria de Mini Cooper, mas teria todas as revisoes ja definidas, pagas sem ser roubada nos valores entre as CSS diferentes.

      • Jorge luiz pinheiro da silva j

        O meu aqui e Mini Cooper clubman graças ao leasing I❤️USA

    • CorsarioViajante

      Já teve, mas não deu muito certo.

      • jogador

        Não, no Brasil o leasing não era como nos EUA.

    • Hyundai ia dominar esse “mundo”…

      Os funkeiros piram…

    • Guest

      lá nao é ostentação, lá o povo anda de carro decente, novo, economico, eficiente e acima de tudo SEGURO… o que é melhor? o povo andar de Celta pelado que se bater morreu, ou de Camry cheio de airbags ?

      • automotivo

        O problema é aqui o povão não pode pagar camry nem via leasing, nem fazer sua manutenção. Mercados diferentes.

    • Raul Cotrim de Mattos

      É jogar dinheiro fora da mesma forma… O negócio é comprar carro usado, em qualquer lugar do mundo, ou comprar logo o seu carro próprio.

      • Willian souza

        eu acho que não é dinheiro jogado fora,pq pelo que intendi,se vc pegar um carro de 40 mil,pagar esse tempo de Leasing você pagar 12 mil,você pode optar por pagar os outros 28 mil quando acabar,e comprar o veiculo,seria mais um teste driver estendido,com a opção de compra,achei interessante a ideia.

      • leitor

        Jogar dinheiro fora é mais aqui no Brasil. Perto da metade são impostos e não temos o retorno devido. Se com o mesmo valor se pode comprar um Mercedes ou um Fiesta, quem fica com o Fiesta jogou dinheiro fora, no caso aqui no Brasil.

      • mjprio

        Lá nem tanto, amigo, pois o carro usado quanto mais velho for mais imposto ele paga!!! A gente sabe que muitos limpadores de privada andam de carrão lá porque é usado mas a parte ruim dos impostos ninguém fala

        • Raul Cotrim de Mattos

          Quando vou comprar um carro eu pesquiso muito, e vejo muita opinião em fóruns estrangeiros e a mentalidade deles, principalmente na Europa, é essa, que comprar carro zero é jogar dinheiro fora. Se lá é, imagine aqui… Brasileiro reclama do Brasil, mas continua fazendo “brasilices”… Parem de comprar carro 0 km e vão ver como o mercado muda.

      • MMM

        Pra quem não tem prazer em dirigir o carro que gosta, realmente deve ser dinheiro jogado fora. Parece um cara que eu conheci que não ia ao cinema pq dizia que a tv era de graça e no final eram filmes do mesmo jeito.

    • poleta

      Pois é, se quiser ir de BMW procure pelo programa Sign & Go da BMW Brasil A partir de entrada de 35 mil de entrada mais 24 parcelas de 1990 vc pode passear de BMW e ainda ter a garantia de compra do carro pela BMW daqui 2 anos. Caso queira ficar com o carro paga-se o resíduo de 50% (58 mil). Esta é a simulação para a 118i. Até que achei interessante, mas se a depreciação não fosse de 50% e sim de 30 % como na reportagem.

      • Luiz

        Nos eua o banco compra o veiculo e faz o leasing para voce. (pode ser banco da propria montadora). Mas la e possivel pela taxa selic de 1,25%, aqui no br teria que respeitar a selic de 11%.
        Geralmente as montadoras te oferecem um novo veiculo antes de acabar o leasing ,e você so renova o contrato. Nesse caso o veiculo se torna um aluguel de valor fixo, por cerca de 300 dólares você fica andando de corolla 0km

  • Louis

    Valeu pela explicação, bem esclarecedora.

    Se não me engano, por aqui, até algum tempo atrás as empresas utilizavam bastante o leasing por vantagem fiscal, visto que as parcelas do leasing podiam ser lançadas como “despesa” da empresa, abatendo do imposto de renda. Mas creio que essa vantagem foi derrubada, fazendo com que o leasing perdesse vantagem.

    • Debraido

      O Leasing no Brasil só serve para abatimento junto ao IR.
      O residual é baixíssimo e os juros enormes. Desvirtuaram essa forma de aquisição aqui no Brasil.

    • MMM

      O leasing foi “desvirtuado” dessa maneira quando o governo começou a limitar o prazo de financiamento dos bancos para conter inflação. Além disso existe a vantagem de abatimento de imposto de renda além da isenção de IOF.

  • Mr. Car

    É por este sistema que um primo nos E.U.A troca de carro a cada dois anos.

    • jogador

      Seu primo e milhões de americanos

  • Ramom Alencar

    muito bom! principalmente pra quem roda pouco, porém creio que no Brasil não daria certo por causa de nossa legislação, vide a cláusula de reserva de domínio, que por exemplo: se A, vende o carro a B, com a cláusula citada, então B resolve revender o carro a C mesmo sem ter quitado o veículo e o pior de tudo é que A não pode reaver se veículo a qual tem propriedade porque C comprou o veículo de boa fé a B, e isso segundo nossa legislação traria prejuizo ao terceiro de boa fé (C).
    Outro fato que talvez não desse certo é que o brasileiro vê o carro como uma reserva de dinheiro caso precise em algum momento, sim, um dos bens que mais depreciam nós ainda vemos com aoo uma espécie de poupança ao invés da tradicional poupança em banco que não deixa sei dinheiro depreciar por causa da inflação.

    • Sam86

      Essa sua teoria não tem nexo. Em leasing o carro só pode ser comprado ao final do contrato. Isso está bem claro no texto, inclusive.

      • Lucas Souza

        Pois é. O cara viajou demais. E mesmo que o cara “venda” o carro pro terceiro de boa-fé. Existem ações na justiça para cancelar o contrato. Esse pensamento de que sempre os outros se dão bem fazendo coisa errada é típico de quem leva um calote ou é prejudicado e sequer procura um advogado para saber se tem direitos.

      • Ramom Alencar

        sim, exatamente, assim como acontece nos financiamentos, vc tem a posse do veículo mas a propriedade é do banco, e sim vc só tendo a posse do bem é possível a venda infelizmente e o real proprietário do bem fica de mãos atatadas pois não se cabe ação de busca e apreensão contra terceiro de boa fé.

      • Ramom Alencar

        perdão se eu interpretei o texto de forma errônea

      • leitor

        Nada pode impedir que um negócio seja desfeito se houver vantagem para ambos por conta de um terceiro interessado.

    • CorsarioViajante

      Isso que ia falar, o brasileiro vê o carro como investimento e veria o leasing como uma espécie de “aluguel”, ou seja, dinheiro jogado fora. Ao invés de pagar uma parcela para alugar o carro, prefere pagar uma parcela para comprar o carro e, sinceramente, eu também preferiria! rs

      • Linkera

        Ai depende da parcela, se a parcela para alugar for muito mais barata do que a parcela para comprar, talvez eu prefira alugar.

      • Lucas Souza

        Pois é. Se for gastar 80mil para no final ter um carro valendo 40mil pra vc. Ou gastar 50mil pra no final não ter nada. Melhor economizar esses 10mil não´? Só compensa se o valor for realmente mais baixo mesmo.

      • FerSaccon

        Já eu vejo o leasing aplicável àquela pessoa bem estabelecida, que troca de carro regularmente a cada 2-3 anos: sabe que o carro novo desvaloriza x%, mas prefere arcar com esse valor do que ter que se preocupar com manutenção, etc. etc. Ao final do contrato, devolverá o carro e pegará um novo em folha, mantendo o ‘carnê’. Se quiser comprar o carro (caso crie algum amor por ele), pagará o valor de mercado. Já no caso brasileiro, ele terá que peregrinar por uma boa oferta pelo usado na troca por um novo, recebendo 10%-30% a menos que a FIPE. Definitivamente, leasing não se aplica às pessoas que estão contando as moedas, onde cada centavo economizado é bem vindo. Tanto no Brasil, quanto nos EUA, elas continuarão andando de carro usado.
        Para os ‘gearheads’, financiamento é a melhor opção, pois o carro é seu e você faz dele o que quiser. Pessoas comuns fazem leasing, pois só querem o carro como meio de locomoção e vão devolver exatamente como pegaram.

        • Luiz

          No brasil o problemas são os juros da taxa selic, No mercado americano e diferente. Carros com baixa desvalorização como o corola são baratissimos no leasing, e o juros da selic e de 1,25%.

  • FocusMan

    A GM já fez isso aqui.

    A BMW e a Audi também fazem. Meu pai olhou BMW com esse tipo de financiamento, mas ficou com medo pelo problema de extrapolar a KM. realmente fica bem caro!

    Ótima Explicação!

  • Daniel

    A GM tentou implantar esse sistema no Brasil algumas vezes…
    Uma vez qse entrei nessa (programa “pra sempre chevrolet” ou coisa do tipo). As parcelas seriam ridiculas… a desvantagem é que aqui vc ainda dava uma entrada consideravel…

  • CorsarioViajante

    Um tempo atrás tentaram popularizar o leasing no Brasil. É quase um “aluguel a longo prazo”.
    Se não me engano ainda existem algumas possibilidades, mas quem conhece o Brasil não precisa de mais que dez segundos para entender que aqui dificilmente daria certo. Preços altíssimos, juros muito altos, e, graças aos espíritos de porco que fazem uso destrutivo, condições muito restritivas.

    • Fabio Marquez

      Essa parte do uso destrutivo é fácil de resolver, no contrato você pagar pelas revisões que serão feitas no carro, no final do contrato se você não fez o prejuízo é seu, já que você previamente pagou.

      • CorsarioViajante

        Quando digo uso destrutivo não me refiro apenas à negligência de não fazer revisão! rs Me lembra de um vídeo de uns caras aloprando uns carros alugados que veicularam um tempo atrás. Triste!

        • Daniel P.

          exato, em 90% dos casos a revisao ja esta inclusa, e voce sabe quanto vai custar, baste deixar o carro la um dia e buscar de terde, sem ter que ouvir os “especialistas” querendo cobrar 300reais para trocar a palheta do vidro.

        • mjprio

          Infelizmente vc tem razão, basta ver os leilões de carros BA(busca e apreensão) pra vc ver muitos carros que são detonados de sacanagem porque o cara sabe que vai perder o carro

    • Castle_Bravo

      Acho que o principal problema aqui ainda são os juros. Lá eles são irrisórios, tornam o negócio atrativo a quem contrata o serviço. Aqui juros, somado ao custo de manutenção, lucros da empresa e depreciação acabariam por deixar as prestações do “aluguel” muito próximas a de um financiamento.

    • Ricston

      Mas nos EUA não tem só santo não. Lembro-me de uma vez que estava pesquisando em um fórum gringo (acho que era o audizine.com) sobre um problema específico do A4 B8 a respeito do consumo excessivo de óleo. Lá, um camarada se manifestou, dizendo que o problema dele era bem pior que os demais relatados, tendo que “completar” o óleo toda semana. E ele disse algo mais ou menos assim: “Não me interessa se eu vou ter que andar com um galão de óleo no carro. Meu contrato de leasing vence daqui a 3 meses. Então, se depois disso o motor do carro explodir eu não estou nem aí, porque o problema não é meu”.

  • fschulz84

    O plano em si é vantajoso para aqueles que sabem que não vão extrapolar a km prevista em contrato.

    Eu particularmente aderiria a um se fosse nestes moldes.

  • Danilo

    Alguém sabe dizer oq acontece qdo a pessoa precisa se desfazer do carro/leasing antes do prazo contratado? Ex: Vou voltar pro Brasil, e aí, como fica?

    • Fabio Marquez

      Eu acho que fazem a rescisão contratual em cima do que está faltando para vencer o contrato, coisa simples.

    • Daniel P.

      Voce encerra o contrato antes, e paga apenas pelo que usou.. pois seu carro esta amarrado a depreciação contratual. se o contrato falar que em 14 meses seu carro vale 10, e voce conseguir apenas 9 nele, vc precisa pagar pro banco esse 1 de diferença.

  • Charlis

    Excelente matéria… mostrando que nem tudo são flores, infelizmente.

    Outra matéria interessante, seria mostrar o real valor, e modelo exato, dos carros no preço inicial lá.
    É sabido, e inquestionável que os carros nos USA são muito mais baratos que aqui…
    Mas muitas vezes, percebo a molecada nos foruns (aqui também acontece) comparando o Camaro SS do Brasil que custa R$ 200.000,00, com o Camaro nos USA que custa $24.000,00… que por sua vez, é a versão mais básica do Camaro, que não é vendido aqui.
    Quem viaja pros USA, sabe que as versões standard dos carros lá, exceto nos itens de segurança, são mais pelados que os nossos aqui. É muito comum ver Fusion, Santa Fé, Camry, Accord com bancos de tecido, e calotas.
    Além deste detalhe, o valor que os sites apontam, estão sem o imposto, e sem o frete, isso também ajuda a maquiar.

    Mas reforço, obviamente os carros lá são MUITISSIMOS mais baratos que aqui, ainda mais se o consumidor optar por semi novos.
    Considerando rodovias e cidades com pavimentações perfeitas, sem valetas, buracos e afins… Pode-se ter um excelente de um carro, pagando extremamente pouco.

    • CorsarioViajante

      Boa lebre esta que vc levantou.

      • Fabio Marquez

        Mas bancos de couro e rodas de liga nem tem tanto valor assim para o fabricante, o que importa mesmo nos carros de lá é o pacote de itens de segurança, as versões básicas lotadas de air bags, controle de estabilidade, estrutura reforçada com uso de aço mais nobre, se colocassem isso nos nossos carros, a disparidade de preços seria ainda maior.

    • Tosoobservando

      Mesmo que vc pegar a versão completa do Camaro ZL1 (V8 de 580cv de 55 mil dolares), a disparidade ainda é tremenda com o brasileiro que atualmente é a SS (V8 de 406 cv por 227 mil ou mais de 100 mil dolares). Ou seja, custa mais que o dobro em doláres (agora nao sei voce mas eu nao ganho em dolares) E outra, mesmo a versão basica de 23 mil dolares é a V6 de 323 cv, pra efeito de comparação o Fusion ta custando o mesmo la (versão SE 2.5).

      • Charlis

        Observe o ultimo paragrafo do meu post :)

        Nao só carro, ate uma guarrafa de agua custa metade ou menos do que aqui amigo.

        Apenas quis ilustrar que nos USA ou mesmo na Europa é possivel ver Accords e BMW Serie 5 de calotas.

        Mas é inquestionavel que nos pagamos sempre o dobro por tudo.

        • Tosoobservando

          mas calotas vai do gosto do consumidor, o brasileiro que gosta de gastar quase o preço de um carro novo nisso. Adora se exibir. E tambem estes países frios precisam de rodas mais maleaveis que possam colocar correntes ou tipo evitar derrapar na neve.

    • FerSaccon

      Boa. Realmente existe muita diferença entre o carro americano e o brasileiro. Mas no final das contas eles se equivalem. Exemplos: os sedãs-médios brasileiros tem acabamentos mais refinados, pois são vendidos a consumidores com maior poder aquisitivo: volante encapado em couro, painel macio ao toque, rodas de liga leve em todas as versões e alguns outros mimos, tecido/couro nos bancos e na porta, plásticos de melhor qualidade, etc. Já o americano é bem simples: roda de liga é opcional, muitas vezes até vidros elétricos, painel de plástico duro. Porém eles vêm muito mais equipados na parte de segurança: sempre 7 ou mais airbags, controle de estabilidade e tração, isofix, cinto de três pontos em todos os bancos, etc. Ainda prefiro o americano…

      Questão dos impostos e do frete: só esperar a data certa para comprar. Determinadas épocas do ano eles desovam o estoque, dando descontos sobre o preço de tabela ou absorvendo esses custos. Sem desconto, acrescente 5-7% sobre o valor do carro mais $1000 de frete. É aproximadamente o custo final.

  • Fabio Marquez

    Fico numa tristeza quando vejo matérias do tipo, todo os países sabendo fazer o dever de casa para crescer de verdade, manter toda a cadeia de produção (concessionários, transportadores, bancos…) e com empregos em alta, e nosso desgoverno que não consegue sequer cobrar de forma correta e ordenada seus impostos.

    • FerSaccon

      Parabéns pelo comentário. Fico me perguntando se a redução no número de impostos e desburocratização no sistema não aumentaria a arrecadação sem onerar mais o contribuinte (talvez até desonerando)… Explico: não seria melhor ter um número reduzido de impostos e todos arrecadados de maneira eficiente do que dezenas de sub-impostos cobrados de qualquer maneira, a maioria das vezes sonegados? Lembre-se que junto com o imposto há uma estrutura embutida, como órgão gerenciador dos recursos, fiscalização, etc.

  • johnnyburanelo

    a BMW lançou um plano assim aqui no brasil a uns 2 meses acho… ou parecido
    onde vc dá 30%, 40%paga prestação em torno de 2 mil e pouco, e os 30% restante dá no final, acho q era algo assim

    • Hiboria

      Acredito que não se compare, só ver que lá não tem entrada (não ficando valor imobilizado com custo de oportunidade para o “comprador”).

    • Ale Rossi

      Esse plano da bmw te força a ficar com o carro. Imagina vc começar pagando 30% do valor de uma 320i que custa em media R$ 130.000? São quase R$ 40.000… Quem vai querer devolvê-la depois?

    • m_Ferrari

      Vejo muito isso nas motos BMW, sempre deparo com anúncios do tipo.

  • Daniel P.

    pequena correção no texto: “…contrato de 20.000 milhas você…” te um U$ a mais ali. pois mostra que num contrato de 20mil milhas o cara andou 25mil milhas..

  • Antonio De Julio

    Obrigado por tornar o meu dia pior do que já está em saber que isso existe…

  • Antonio De Julio

    Aqui além de tudo iriam obrigar as revisões em concessionárias…

  • Felipe Gomes

    Nos programas da BMW e AUDI , você paga quase metade do valor do carro pra rodar 2 anos. Não vale a pena.

    • Fabio Marquez

      Parece que rola um bonus para quando você for comprar outro modelo da marca no fim do prazo.

  • Ale Rossi

    Tá certo, esse tipo de modalidade de crédito impulsiona o consumo, gera emprego, faz a economia crescer, temos muito a aprender com eles

  • Mr. On The Road 77

    Aqui no Brasil isso nunca daria certo. Brasileiro só pensa em levar vantagem em tudo. Iam inventar os mais diversos golpes, tanto os fabricantes como os usuários.
    Por exemplo: não fazer nenhuma revisão, voltar hodômetro e rodar muito mais (só iam descobrir depois do contrato encerrado). ou quando fosse devolver o carro, o fabricante ia inventar um monte de defeito, invocar uma cláusula e te cobrar rios de dinheiro, desvalorizando o carro e por aí vai.
    O povo ‘experto’ daqui tem mais que andar de celta mesmo…

    • Tosoobservando

      Mas ae que iriam entrar as multas, os bancos brasileiros sabem muito bem se blindar desse “jeitinho”, entao qualquer empresa de leasing saberia tb.

  • Rodrigo R

    Poderiam ter adicionado a matéria que o salário minimo lá, na pior das hipóteses, é de 1400 dolares ao mês, enquanto que aqui é de 800 reais.

    É como se um assalariado lá pudesse andar de Maserati Ghibli S Q4 – US$ 799/mês sem comprometer todo o salário, enquanto aqui, são necessários 45 salários mínimos para comprar um FIAT uno.

    As coisas lá não são baratas, aqui que as coisas são caras demais !

    O Dinheiro lá tem valor, aqui que não vale nada.

    • Tosoobservando

      O mesmo continente mas dois mundos completamentes diferentes.

    • Luan Moro Vargas

      A fato é que um assalariado pode comprar um maserati, porém ele jamais conseguiria suportar os gastos com combustível, seguro, ipva, revisões, pneus,… imagina quanto custa trocar o óleo de um maserati?

      • Rodrigo R

        Luan,recomendo a você reler a matéria, pois você não entendeu o que é Leasing e como funciona a manutenção do carro nessa modalidade de contrato.

        Quanto a ipva e encargos, lá são valores irrisórios, que não se parecem em nada do que pagamos aqui.

        Existem canais no youtube que mostram a vida de brasileiros que moram lá nos EUA e fazem essa comparação de custos Brasil x EUA.

  • Comentarista

    Nem podia colocar uma matéria dessas. Muitos vai ter depressão kkkk.

  • FerSaccon

    O leasing é extremamente compensador, principalmente em carros que desvalorizam pouco durante o período do contrato = menor parcela. Achei meio alto os valores citados para os quilômetros excedidos, mas provavelmente são para marcas premium. Como contra-exemplo cito algumas ‘populares’, como a Nissan, que cobra $0.10/km e Subaru: 0,12/km (foram algumas que encontrei os valores no site). Nesse caso, mesmo que o consumidor exceda a quilometragem do contrato, acaba compensando, pois 1.000 km = $100. Se o contrato foi feito com base em um conhecimento adquirido do uso do veículo (baseado em experiências anteriores), dificilmente ficará longe do pré-estabelecido.

    • Daniel P.

      tomei por base os valores por km de carros premium sim, tipo modelos mais caros da MB, Lexus, porsche, etc… lá voce faz Leasing de tudo… tem carro com 189 dls de parcela, tem carro de 1200… vai do gosto e bolso ;-)

  • m_Ferrari

    Tem uma coisa que é imutável, quer vc esteja acima ou abaixo do equador: Poupar e comprar à vista é mais negócio.
    O leasing é uma modalidade de empréstimo cuja garantia é o bem adquirido, logo, o banco está lucrando com a operação e banco vive de juros, mesmo os bancos das montadoras, isso vale pra qualquer pais do mundo.

    • mjprio

      Mas lá um carro usado perde absurdamente o valor, por uma série de fatores. O principal é que os impostos são caros pra carros mais antigos e as revisões vão aumentando de preço. Por isso é que eles fazem leasing. Mas de qualquer forma seu pensamento tem fundamento

      • Tosoobservando

        É verdade existe uma proposta pra que acabem a isenção do IPVA pra carros antigos aqui no BR, pra ver se tiram estas tralhas velhas de circulação, ae quem sabe talvez pegue aqui algo parecido com leasing.

    • MMM

      Não necessariamente. Quando mudei para os Estados Unidos não tinha nenhum histórico de crédito, o que é um grande problema até pq queria comprar uma casa em alguns anos. Se vc compra tudo a vista, não possui um bom credit score e consequentemente vai pagar mais caro quando financiar algo e não vai conseguir crédito quando precisar.

    • Daniel Bezerra

      Depende das taxas de juros, custo de oportunidade, etc. Comprei um carro agora e financei 50%. Poderia ter comprado a vista. Mas recebo um pouco mais de 0,8% a.m do banco e financiei por cerca de 0,6% a.m (CET). Então, para mim foi muito mais lógico financiar. Ainda mais que não me descapitalizo. Nos EUA os juros são mais baixos e o americano gosta muito de investir. Então lá nem sempre valerá a pena comprar à vista também.

      • FerSaccon

        O juros que você paga por mês, eles pagam ao ano.

  • leitor

    A grande questão no Brasil ainda é o imposto que eleva o preço de tudo.

  • Augusto

    Com o preço do leasing da CLA 250 nos EUA não dá nem pra pagar as revisões aqui no BR…

  • Lucas Lima

    Muito boa a explicação. Já havia tempos que eu queria saber a respeito.
    São planos como esse que a BMW e a Mercedes têm oferecido por aqui?

  • GPE

    Excelente matéria!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend