Sedãs Volkswagen

Virtus Highline: detalhes, equipamentos, preço, motor e consumo

Virtus Highline: detalhes, equipamentos, preço, motor e consumo

O Virtus Highline é a versão topo de linha do sedã compacto da VW. Até pouco tempo atrás, com R$ 90 mil você conseguia comprar um sedã médio topo de linha e ainda sobrava um bom trocado para pagar o IPVA, seguro e alguns tanques de combustível, não é mesmo?


Porém, o cenário mudou e hoje este valor é suficiente apenas para você levar para casa um sedã médio de entrada ou um compacto topo de linha. Como é o caso do Volkswagen Virtus Highline.

Configuração mais equipada e cara da linha do Virtus 2020, o Virtus Highline é um dos modelos mais tecnológicos da categoria.

É o único que oferece o belo painel de instrumentos totalmente digital, o mesmo de carros mais caros da Volkswagen, como o Passat e o Tiguan R-Line. Este item, porém, é um opcional.

O Virtus na versão Highline parte de salgados R$ 84,3 mil e pode ultrapassar os R$ 93 mil com todos os itens disponíveis. Será que vale a pena? Saiba abaixo tudo sobre o carro:

Virtus Highline: detalhes, equipamentos, preço, motor e consumo

Volkswagen Virtus Highline – detalhes

Comercializado no mercado brasileiro há dois anos, o Volkswagen Virtus chegou como uma alternativa aos sedãs médios.

É um modelo com dimensões significativas e bom espaço interno, mas com acabamento interno mais simples, lista de equipamentos mais enxuta e motorização menor. Apesar disso, ele não decepciona em praticamente nada – apesar do preço excessivamente alto.

O Virtus Highline é o melhor modelo para quem quer ter o melhor da linha Volkswagen Virtus. Ele é o mais equipado e sofisticado e ainda pode receber bons recursos como opcional, como o painel de instrumentos digital, detector de fadiga do motorista, frenagem automática pós-colisão e até sistema de som premium da marca Beats.

Ele é um carro com dimensões generosas, sendo expressivos 42,5 cm maior que o Polo – seu modelo de base. Tem 4,48 metros de comprimento, 1,75 m de largura e 1,47 m de altura, com distância entre-eixos de 2,65 cm.

Ou seja, ele entrega boas medidas que resultam num espaço interno suficiente para acomodar uma família sem muito aperto.

Além disso, ele tem um porta-malas com capacidade para 521 litros, um dos maiores do segmento em que ele atua. Ele pode ser ampliado com o rebatimento do banco traseiro, que oferece encosto bipartido.

No banco traseiro, o vão para as pernas é muito próximo a de um carro médio. Se os bancos dianteiros não estiverem muito recuados, quem vai atrás consegue até cruzar as pernas. Todavia, o espaço para a cabeça é um tanto quanto diminuto, visto que a carroceria do carro tem aqueda acentuada do teto na parte traseira.

Por outro lado, o acabamento do Virtus decepciona por contar com muito plástico e pouca área de tecido nas portas. As portas traseiras, então, não têm sequer nem uma porção de tecido na área de contato com os braços dos ocupantes.

Ele está dentro do padrão da categoria, mas desaponta num carro de R$ 90 mil.

O motor 1.0 TSI também agrada e consegue entregar um bom equilíbrio entre desempenho e consumo de combustível. Apesar de se tratar de um propulsor “mil”, ele é dotado de turbo e injeção direta de combustível.

Isso faz toda a diferença, proporcionando bom desempenho em arrancadas e retomadas de velocidade. O câmbio também tem bom comportamento, com trocas de marchas rápidas.

Virtus Highline: detalhes, equipamentos, preço, motor e consumo

Volkswagen Virtus Highline – equipamentos

Segurança: airbags frontais e laterais, controle eletrônico de estabilidade, controle de tração, assistente de partida em rampas, faróis de neblina com luz de conversão estática, fixação Isofix para cadeirinhas infantis no banco traseiro, luzes de condução diurna em LED, bloqueio eletrônico do diferencial, sistema de alarme com comando remoto, encosto de cabeça e cinto de segurança de três pontos automáticos para os cinco ocupantes, entre outros.

Conforto: direção elétrica, ar-condicionado digital “Climatronic”, banco traseiro com encosto bipartido e rebatível, chave presencial, partida do motor por botão, sensor de estacionamento traseiro, piloto automático, banco do motorista com ajuste milimétrico de altura, descanso de braço dianteiro com porta-objetos, portas USB para carga e saídas de ar traseiras, retrovisores externos elétricos com função “Tilt Down” no lado direito, vidros elétricos com one touch nos dianteiros, porta-luvas refrigerado e iluminado, coluna de direção com regulagem de altura e profundidade, entre outros.

Visual e acabamento: bancos revestidos em tecido, manoplas da alavanca de câmbio e de freio de mão revestidas em couro, maçanetas e retrovisores na cor da carroceria, volante revestido em couro, uma luz de leitura dianteira e duas traseiras, porta-revistas nos encostos dos bancos dianteiros, rodas de liga-leve de 16 polegadas, sobretapetes em carpete, entre outros

Tecnologia: suporte para celular com tomada USB para carga no painel, volante multifuncional com paddle shifts, computador de bordo com display multifuncional, central multimídia “Composition Touch” com tela sensível ao toque, Android Auto e Apple CarPlay, sistema de som com quatro alto-falantes e dois tweeters, entre outros.

Virtus Highline: detalhes, equipamentos, preço, motor e consumo

Volkswagen Virtus Highline – opcionais

Rodas de liga-leve “Razor” de 17 polegadas (R$ 945);

Bancos revestidos em couro sintético “Native” (R$ 550);

Pacote Beats Sound (R$ 2.160): sistema de som Beats com quatro alto-falantes, dois tweeters, amplificador e subwoofer com ajustes especiais, rede no porta-malas e porta-malas com sistema “s.a.v.e.” de ajuste variável de espaço;

Pacote Tech High (R$ 4.290): sensores de estacionamento dianteiros, antena Diversity, câmera de ré, comandos de voz, detector de fadiga do motorista, retrovisor interno eletrocrômico, faróis com função “coming e leaving home”, indicador de pressão dos pneus, Post Collision Brake, painel de instrumentos Active Info Display, sensores de luz e chuva e central multimídia “Discovery Media” com navegador GPS.

Virtus Highline: detalhes, equipamentos, preço, motor e consumo

Volkswagen Virtus Highline – preços

Veja abaixo os preços do Virtus Highline 2020 0 km:

  • Volkswagen Virtus Highline 1.0 TSI 2020: R$ 84.290
  • Volkswagen Virtus Highline 1.0 TSI 2020 + pintura metálica + opcionais: R$ 93.255

Volkswagen Virtus Highline – cores

A seguir, as cores disponíveis na gama do Volkswagen Virtus 2020:

  • Preto Ninja (sólida, sem custo adicional);
  • Vermelho Tornado (sólida, sem custo adicional);
  • Branco Cristal (sólida, por R$ 490 adicionais);
  • Azul Night (metálica, por R$ 1.570 adicionais);
  • Cinza Platinum (metálica, por R$ 1.570 adicionais);
  • Prata Sirius (metálica, por R$ 1.570 adicionais);
  • Prata Tungstênio (metálica, por R$ 1.570 adicionais).

Virtus Highline: detalhes, equipamentos, preço, motor e consumo

Volkswagen Virtus Highline – motor

O motor usado no Virtus Highline estreou em terras tupiniquins no subcompacto up!. É usado também no Polo e no T-Cross e já serviu outros modelos como o Golf. Trata-se do 1.0 TSI turbo flex de três cilindros em linha, conhecido também pelo codinome “200 TSI”, que faz referência do torque da unidade em Newton-metro.

Este propulsor é dotado de três cilindros em linha, turbocompressor, injeção direta de combustível de alta pressão (250 bar), intercooler, bloco de alumínio, arrefecimento com duas válvulas termostáticas, 12 válvulas (quatro válvulas por cilindro), sistema de partida a frio sem tanquinho auxiliar de combustível, entre vários outros recursos diferenciados.

No Virtus, o 1.0 TSI consegue desenvolver 116 cavalos de potência com gasolina e 128 cv com etanol, a 5.500 rpm. O torque é de 20,4 kgfm com ambos os combustíveis, disponível entre 2.000 e 3.500 giros.

Junto a ele está o câmbio automático Tiptronic de seis velocidades, com conversor de torque, e tração dianteira. Ela tem o modo Sport para um comportamento mais esportivo, com direito ainda a opção de trocas manuais de marcha por meio de paddle shifts atrás do volante.

O Volkswagen Virtus foi o segundo sedã do Grupo Volkswagen construído no Brasil a utilizar a plataforma modular MQB (o primeiro foi o A3 Sedan, da Audi), neste caso na variação MQB-A0. Esta base é formada por aços especiais de alta e ultra-alta resistência, com assoalho com aço conformado a quente, que é aproximadamente quatro vezes mais resistente que uma chapa de aço convencional.

Com o uso dessa base e os aços de até ultra-alta resistência, o Virtus obtém um grande ganho em dirigibilidade, rigidez e, sobretudo, segurança.

Na suspensão, ele usa sistema independente tipo McPherson com molas helicoidais e barra estabilizadora no eixo dianteiro e independente com braços longitudinais, molas helicoidais e amortecedores verticais no eixo traseiro.

Este conjunto de suspensão garante conforto ao motorista e os demais ocupantes do carro mesmo em ruas com imperfeições. Todavia, pequenos impactos são sentidos mais que o ideal.

Ainda a respeito do conforto, o motor turbo tricilíndrico da Volkswagen vibra como qualquer outro propulsor menor com número ímpar de cilindros. Porém, devido ao bom trabalho de isolamento de vibrações e ruídos no cofre do motor, tal incomodo é praticamente imperceptível dentro do habitáculo do carro.

Conta ainda com freio a disco nas quatro rodas, do tipo ventilado na frente e sólido atrás.

Virtus Highline: detalhes, equipamentos, preço, motor e consumo

Volkswagen Virtus Highline – consumo

Confira abaixo os números de consumo do Virtus com motor 1.0 TSI flex e câmbio automático, de acordo com as aferições do Inmetro no Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE):

Volkswagen Virtus 200 TSI 2020

  • Consumo de 7,8 km/l na cidade e 10,2 km/l na estrada com etanol;
  • Consumo de 11,2 km/l na cidade e 14,6 km/l na estrada com gasolina;
  • Notas “C” na comparação relativa na categoria e “B” na comparação absoluta geral.

Volkswagen Virtus Highline – desempenho

A Volkswagen divulga os seguintes números de desempenho para o Virtus com motor 1.0 TSI flex:

  • Aceleração de 0 a 100 km/h em 9,9 segundos com etanol;
  • Aceleração de 0 a 100 km/h em 10,4 segundos com gasolina;
  • Velocidade máxima de 194 km/h com etanol;
  • Velocidade máxima de 189 km/h com gasolina.

Volkswagen Virtus Highline – concorrentes

Fiat Cronos Precision 1.8 AT – R$ 75.490

Virtus Highline: detalhes, equipamentos, preço, motor e consumo

Embora seja o mais barato desta lista, o Cronos Precision é um dos menos equipados e com a maior oferta de opcionais. Ele parte de R$ 75.490, com motor 1.8 flex de até 139 cv e 19,3 kgfm, atrelado a um câmbio automático de seis velocidades.

Tem recursos como ar-condicionado manual, direção elétrica, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, monitoramento da pressão dos pneus, central multimídia com tela de sete polegadas e espelhamento de smartphones, sensor de estacionamento, rodas de liga-leve aro 16, entre outros.

Como opcional, há chave presencial, retrovisores externos com rebatimento elétrico, retrovisor interno eletrocrômico, sensores de luz e chuva, ar-condicionado digital, painel de instrumentos com tela TFT de sete polegadas, rodas de liga-leve aro 17, bancos em couro e airbags laterais dianteiros. Completo, salta para R$ 86.440.

Chevrolet Onix Plus Premier II 1.0 Turbo AT – R$ 78.090

Virtus Highline: detalhes, equipamentos, preço, motor e consumo

Apesar dos casos de incêndio logo nas primeiras semanas de vendas, o Onix Plus é a melhor opção da categoria. É ele que oferece a melhor relação custo-benefício, sendo bem mais barato que o Virtus Highline. Seu preço é de R$ 78.090 na configuração topo de linha Premier II.

Esta configuração Premier II é a mais completa da gama. Oferece seis airbags, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, alerta de ponto cego, faróis tipo projetor, bancos em couro, Park Assist, carregador wireless para smartphones, sensores de chuva e luminosidade, chave presencial, partida por botão, ar-condicionado automático, entre outros.

Seu motor é um 1.0 Turbo flex de três cilindros, que desenvolve 116 cavalos de potência e 16,8 kgfm de torque, com transmissão automática de seis velocidades.

Honda City EXL 1.5 CVT – R$ 86.900

Virtus Highline: detalhes, equipamentos, preço, motor e consumo
Honda City 2019 EXL

Modelo mais velho desta lista, o Honda City foi um dos primeiros sedãs compactos “premium” oferecidos por aqui. O modelo na versão EXL é o mais completo da gama e também o mais caro, com preço de R$ 86.900.

Ele tem faróis e lanternas em LED, bancos revestidos em couro, ar-condicionado automático digital, apoio de braço dianteiro, central multimídia com tela de sete polegadas, espelhamento de smartphones e câmera de ré, piloto automático, volante multifuncional, seis airbags, luzes diurnas de LED, entre outros.

Fica devendo itens importantíssimos, como controles de estabilidade e tração e assistente de partida em rampas, recursos oferecidos por todos os outros rivais.

Tem motor 1.5 litro flex aspirado de até 116 cv e 15,3 kgfm, com transmissão automática CVT.

Toyota Yaris XLS Connect 1.5 CVT – R$ 86.990

Virtus Highline: detalhes, equipamentos, preço, motor e consumo

Em sua versão mais cara, o Yaris XLS Connect tem bom equipamentos. Oferece luzes diurnas de LED, sensores de luz e chuva, sete airbags, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, central multimídia com tela de sete polegadas e espelhamento de smartphones, ar-condicionado automático, retrovisor interno eletrocrômico, retrovisores externos com rebatimento elétrico, chave presencial, partida por botão, entre outros.

O sedã compacto da Toyota, porém, tem o conjunto mecânico mais fraco. Ele é dotado de um propulsor 1.5 litro flex aspirado de até 110 cv e 14,9 kgfm, combinado a uma transmissão automática do tipo CVT que simula até sete marchas.

Volkswagen Virtus Highline – ficha técnica

Motor

1.0 TSI Flex

Tipo

Dianteiro, transversal, gasolina e etanol

Número de cilindros

3 em linha

Cilindrada em cm3

999

Válvulas

12 (4 por cilindro)

Taxa de compressão

10,5:1

Injeção eletrônica de combustível

Direta

Potência Máxima

116 cv com gasolina e 128 cv com etanol a 5.500 rpm

Torque Máximo

20,4 kgfm com gasolina ou etanol a 2.000 rpm

Transmissão

Tipo

Automático de seis marchas com conversor de torque

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Discos ventilados (dianteira) e discos sólidos (traseira)

Direção

Tipo

Elétrica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson, com molas helicoidais

Traseira

Eixo de torção, com molas helicoidais

Rodas e Pneus

Rodas

Liga-leve de 16 ou 17 polegadas

Pneus

205/55 R16 ou 205/50 R17

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.482

Largura (mm)

1.851

Altura (mm)

1.472

Distância entre os eixos (mm)

2.651

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

400

Tanque (litros)

52

Porta-malas (litros)

521

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.192

Volkswagen Virtus Highline – fotos

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

            Quem somos

            O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

            Notícias por email