Virtus 2022: preço, motor, consumo, equipamentos, detalhes

Virtus 2022: preço, motor, consumo, equipamentos, detalhes

O Volkswagen Virtus 2022 está no mercado desde a sua linha 2018, e é um dos principais sedans compactos do nosso país.

Na época do lançamento, ele tinha preços entre R$ 59.990 e R$ 79.990. Grave bem esses valores, pois no decorrer da matéria você verá o quanto o modelo subiu de preço.


Confira todos os seus detalhes:

Virtus 2022: preço, motor, consumo, equipamentos, detalhes

Virtus 2022 – detalhes

Na apresentação, a Volkswagen fez comparações de tamanho e volume do Virtus 2022 com alguns sedãs compactos vendidos aqui, tais como os Chevrolet Prisma e Cobalt, além de Hyundai HB20S e Honda City.

Com 4,48 m de comprimento, 1,75 m de largura e 1,47 m de altura, o Volkswagen Virtus 2022 queria oferecer um pouco mais que o Polo 2022, por isso teve seu entre-eixos ampliado em 8,5 cm, alcançando 2,65 m.

Essa nova distância entre-eixos do Virtus 2022 deverá ser um padrão dentro do grupo VW no que se refere à plataforma modular MQB A0. Podemos assim esperar outros produtos com esse mesmo espaço mais adiante.

Mas, por ora, o Virtus é quem estreia a arquitetura, desenvolvida pela engenharia da montadora no Brasil.

O enxerto de aço na base também foi acrescida de uma armação na traseira do Volkswagen Virtus 2022, a fim de abrigar um longo e volumoso porta-malas, que tem bons 521 litros.

Este, inclusive possui o separador de bagagem no assoalho e tampa com abertura tipo pescoço de ganso.

A estrutura MQB A0 é tão resistente quanto aquela do Polo 2022, que recebeu cinco estrelas no Latin NCAP.

Por fora, o que impressionou mais foi a traseira, naturalmente. Ela é mais prolongada que o esperado, proporcionando assim ao Volkswagen Virtus 2022 alcançar seu tamanho de quase 4,5 metros.

O conjunto ótico traseiro com lentes retangulares e bipartidas, além do próprio desenho da tampa, lembra até do Audi A3 Sedan, embora outros elementos tenham semelhança com outros produtos do grupo alemão.

Um vinco forte nas laterais, se eleva para criar um defletor de ar natural sobre a tampa. Nas laterais, chamam atenção os vincos superiores, que parecem dar mais volume ao desenho, surgindo estes no logotipo Highline.

A silhueta do Volkswagen Virtus 2022 é bem suave na traseira, com a vigia prolongando-se bem sobre o bagageiro. A frente é curta como no Polo 2022, não tendo elementos exclusivos na versão Highline.

Virtus 2022: preço, motor, consumo, equipamentos, detalhes

As rodas de liga leve aro 17 polegadas do Volkswagen Virtus 2022 são diferentes do hatch, bem como o logotipo Highline e outros detalhes externos.

O que é realmente dele está além das colunas B. O para-choque, por exemplo, possui detalhes cromados de boa aparência. A tampa possui maçaneta para abertura, o que dispensa o uso de um botão próximo do câmbio, como ocorre no Polo 2022.

Por dentro, o ambiente é bem amplo. Na frente, praticamente tudo é igual ao Polo, exceto a ausência do botão de abertura do bagageiro, citado acima. Mas, para diferenciar um do outro, o Volkswagen Virtus agrega uma padronagem diferenciada dos assentos com tons mais claros.

Além disso, o sedã compacto da VW tem um ótimo espaço para pernas atrás, graças ao entre-eixos maior. A altura interna é razoável no Virtus 2022. O banco traseiro é completo em termos de segurança e logo atrás existem dois grandes alto-falantes.

O encosto é bipartido e pode levar objetos de até 2,60 m. Poderia este ter um apoio de braço central com porta-copos.

Virtus 2022: preço, motor, consumo, equipamentos, detalhes

Como já conhecido, a posição de dirigir é boa e a ergonomia correta no Volkswagen Virtus 2022. O teto vem com luzes de leitura na frente e atrás, além de porta-copos. O porta-luvas vem recheado com CD, SD (2), iluminação e refrigeração.

O ar-condicionado automático é um complemento quase obrigatório, assim como a multimídia Discover Media com sensor de proximidade e boa tela de 8 polegadas.

O apoio de braço ajustável em distância também é bom. O que falta? Notamos a ausência de um teto solar, que valorizaria mais o produto.

Virtus 2022 – novidades

Assim como o Polo 2022, o Virtus 2022 recebeu a nova central multimídia VW Play como item de série nas versões Comfortline, Highline e GTS. O equipamento traz o que a VW tem de mais moderno em termos de conectividade, assim como já vemos no Nivus.

Além dos itens já conhecidos nesse sistema, como o Waze, Spotify e iFood, o equipamento ganhou os aplicativos Get In (para reservas em restaurantes e bares) e MobiMax (TV Digital, mas que funciona apenas com o carro totalmente parado).

Outra mudança anunciada pela marca foi em relação à versão 1.6 MSI, que ganhou ajuste de altura na coluna de direção e descansa braço central, este último apenas para a versão automática. O restante da linha segue sem nenhuma alteração.

Confira abaixo as mudanças em anos anteriores:

A primeira grande novidade após o lançamento foi a chegada do Virtus GTS, logo após a mesma versão entrar na linha do Polo.

O sedã esportivo se diferencia por detalhes estéticos, como para-choques exclusivos, bancos esportivos e rodas diferenciadas. Mas o principal diferencial está no motor 1.4 TSI, que entrega 150 v e 25,5 kgfm, sempre com câmbio manual de seis marchas.

Além da chegada dessa nova versão, a linha do Virtus 2021 também recebeu outras novidades. A versão Highline passou a contar com espelhos retrovisores com rebatimento elétrico, item também visto na opção GTS. Essa ainda recebeu, como opcional, as rodas de 18 polegadas.

O que realmente deve chamar a atenção é a próxima reestilização que Virtus e Polo receberão, o que deverá incluir vários itens do Nivus, como a central multimídia VW Play.

Veja abaixo as alterações da linha 2020 do Virtus:

O Volkswagen Virtus 2020 chegou com algumas poucas novidades na lista de equipamentos das versões mais baratas. Além disso, o modelo sofreu aumento de preços em todas as versões, mesmo naquelas que não apresentaram nada novo.

As novidades se limitam à versão Virtus MSI, que tem motor 1.6 e câmbio manual ou automático. Essa configuração passa a dispor de importantes itens de segurança como controles de tração e estabilidade, além do bloqueio eletrônico do diferencial, tudo isso como itens de série. O detalhe é que esses itens já eram ofertados num pacote que custava R$ 1.430. Agora, o modelo tem os itens, mas custa mais do que anteriormente, equipado com esses opcionais.

As versões Comfortline e Highline, equipadas com motor 1.0 TSI, não tiveram alterações em seu pacote de equipamentos e nem no visual, mas também ficaram mais caras (veja todos os valores mais abaixo).

A verdade é que o Volkswagen Virtus é um modelo recente no mercado brasileiro e ainda se beneficia das novidades que trouxe em seu lançamento. Por exemplo, o Active Info Display com sua tela configurável de 10,25 polegadas. O volante com paddle shifts e acabamento preto brilhante e a alavanca metalizada do câmbio também são elogiáveis.

Em resumo, quem já conheceu o Polo, não terá surpresas em estilo e conteúdo no Volkswagen Virtus 2020, mas perceberá de fato o bom ganho no espaço interno e em seu porta-malas, suficiente para uma viagem longa.

Para quem comprar e tiver dúvidas sobre seus sistemas, basta baixar o app Meu Vokswagen e perguntar ao manual do proprietário cognitivo, desenvolvido pela IBM com a plataforma Watson. Ele não só responde, mas também pede mais detalhes para o usuário quando não entende a pergunta.

Por exemplo, se o usuário disser que tem uma luz piscando no painel, o aplicativo vai pedir uma imagem do que o condutor está vendo. Então, após “ver” o que está acontecendo, o sistema esclarece o motivo do alerta… A tecnologia estreia com o Volkswagen Virtus 2019.

Para o futuro, já se sabe que o Volkswagen Virtus 2020 terá uma versão denominada GTS. Como se sabe, trata-se de uma opção esportiva clássica da VW e que já esteve presente em modelos consagrados, tais como Gol e Passat, por exemplo.

O anúncio feito na Argentina mostra que até 2020, essa versão estará disponível, mas o propulsor ainda é um mistério. Provavelmente será o motor EA211 1.4 TSI com 150 cv e 25,5 kgfm, mas o motor 1.0 TSI de até 128 cv com câmbio manual de seis marchas seria uma opção interessante também.

Virtus 2022: preço, motor, consumo, equipamentos, detalhes

Virtus 2022 – versões

O Volkswagen Virtus 2022 tem as seguintes versões:

  • Volkswagen Virtus MSI 1.6 MT 2022
  • Volkswagen Virtus MSI 1.6 AT 2022
  • Volkswagen Virtus Comfortline 1.0 TSI AT 2022
  • Volkswagen Virtus Highline 1.0 TSI AT 2022
  • Volkswagen Virtus GTS 1.4 TSI AT 2022

Virtus 2022: preço, motor, consumo, equipamentos, detalhes

Virtus 2022 – equipamentos

O Volkswagen Virtus 2022 oferece três possibilidades de acabamento e equipamento, sendo elas: MSI, Comfortline e Highline, além da esportiva GTS. O conteúdo é parecido com o oferecido pelo Polo.

Volkswagen Virtus 1.6 MSI 2022

De série com ar-condicionado, direção elétrica, airbags laterais, airbag duplo, freios ABS com EDB e controle de tração (M-ABS), controles de tração, estabilidade e bloqueio eletrônico do diferencial, banco do motorista com ajuste de altura, coluna de direção com ajuste de altura, banco traseiro com três apoios de cabeça e cintos de 3 pontos, Isofix, bancos em tecido, banco traseiro rebatível, computador de bordo, indicador de mudança de marcha, vidros dianteiros e traseiros elétricos, travamento central elétrico (incluindo porta-malas), pneus 195/65 R15, rodas de aço aro 15 com calotas, suporte de celular com USB para recarga, rádio Media Plus com USB/SD/auxiliar/Bluetooth, chave canivete, espelhos iluminados nos para-sóis, alertas de faróis e cinto e sistema de som com quatro alto-falantes.

Volkswagen Virtus Comfortline 2022

Itens de série e o opcionais do MSI. De série, adiciona vidros dianteiros one touch, grade e preto brilhante, faróis de neblina com função curva, descansa-braço central ajustável, USB no banco traseiro, difusores de ar traseiros, freios a disco nas quatro rodas, luzes de alerta em frenagem, I-System com Eco Comfort, dois tweeters, banco traseiro bipartido, retrovisores elétricos com tilt down, lanternas traseiras escurecidas e alarme.

Opcionais:

PF1 (R$ 5.950): “Kessy” – acesso ao veículo sem o uso da chave e botão para partída do motor, “Park Pilot” – sensor de estacionamento dianteiros e traseiros, “Piloto automático” – controle automático de velocidade, Ar-condicionado digital “Climatronic” com filtro de poeira e pólen, Câmera traseira, Detector de fadiga, Espelho retrovisor interno antiofuscante automático (eletrocrômico), Faróis com função coming/leaving home, Indicador de pressão dos pneus e Post Collision Brake, Porta-luvas iluminado e refrigerado, Revestimento dos bancos em couro sintético, Rodas de liga leve 16″ Design Avalanche com pneus 205/55 R16, Sensor de chuva e crepuscular e Volante multifuncional revestido em couro com “shift paddles”.

Tech I (R$ 2.280): “Kessy” – acesso ao veículo sem o uso da chave e botão para partída do motor, “Park Pilot” – sensor de estacionamento dianteiros e traseiros, “Piloto automático” – controle automático de velocidade, Espelho retrovisor interno antiofuscante automático (eletrocrômico), Faróis com função coming/leaving home, Sensor de chuva e crepuscular e Volante multifuncional revestido em couro com “shift paddles”.

Volkswagen Virtus Highline 2022

Itens de série do Comfortline, mais espelhos retrovisores com rebatimento elétrico, rodas de liga leve aro 16 polegadas com pneus 205/55 R16, volante com paddle shifts, controle de cruzeiro, porta-luvas refrigerado, luzes de cortesia dianteiras e traseiras, LEDs diurnos, entrada e partida sem chave (Kessy), ar-condicionado automático e porta-óculos.

Volkswagen Virtus GTS 2022

Agrega itens exclusivos, como para-choque, alterações na suspensão, molas e amortecedores, além de detalhes visuais.

Opcional:

Rodas de 18 polegadas com pneus 205/45 R18 (R$ 1.620)

Pintura:

A pintura do Volkswagen Virtus 2022 pode ser sólida e é composta pelos tons Preto Ninja e Branco Cristal, que custa R$ 495, exceto a primeira, que é gratuita. As pinturas metálicas custam R$ 1.585 e a paleta de cores é composta pelos tons Prata Tungstênio e Cinza Platinum. Existe ainda a opção Azul Biscay, exclusiva do Virtus GTS, também por R$ 1.585.

Virtus 2022 – preços

Os preços do Volkswagen Virtus 2022 subiram bastante desde seu lançamento, quando variavam entre R$ 59.990 e R$ 79.990. Hoje, o preço inicial é mais alto que o valor cobrado anteriormente pela opção mais cara.

Veja abaixo todos os valores do Volkswagen Virtus 2022:

  • Volkswagen Virtus MSI 1.6 MT 2022 – R$ 80.390
  • Volkswagen Virtus MSI 1.6 AT 2022 – R$ 86.690
  • Volkswagen Virtus Comfortline 1.0 TSI AT 2022 – R$ 91.150
  • Volkswagen Virtus Highline 1.0 TSI AT 2022 – R$ 106.090
  • Volkswagen Virtus GTS 1.4 TSI AT 2022 – R$ 121.790

Virtus 2022 – motor

O Volkswagen Virtus 2022 vem com três motores, sendo o motor 1.6 16V MSI na versão de acesso. Assim como no Polo 2022, ele perdeu 3 cv no etanol, entregando 110/117 cv a 5.750 rpm e 15,8/16,5 kgfm a 4.000 rpm, respectivamente com gasolina e etanol. Este vai de 0 a 100 km/h em 10 segundos.

O 1.0 TSI entrega também entrega 3 cv a mais que no antigo Golf Comfortline 1.0 TSI, tendo assim 116/128 cv a 5.500 e 20,4 kgfm (os 200 nm da nomenclatura) entre 2.000 e 3.500 rpm. O Volkswagen Virtus 2022 vai de 0 a 100 km/h em 10 segundos.

Finalmente, temos o Virtus GTS 2022, que é equipado com motor 1.4 TSI de 150 cv e 25,5 kgfm de torque. Sua aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 8,7 segundos, com máxima de 210 km/h.

Virtus 2022 – desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h e velocidade máxima final 

  • Volkswagen Virtus 1.6 MSI MT 2022 – 9,8 segundos e 195 km/h
  • Volkswagen Virtus 1.6 MSI AT 2022 – 10,6 segundos e 195 km/h
  • Volkswagen Virtus 1.0 TSI AT 2022 – 9,6 segundos e 194 km/h
  • Volkswagen Virtus GTS 1.4 TSI AT 2022 – 8,7 segundos e 210 km/h

Equipado com motores 1.6 MSI de até 117 cv e 1.0 TSI de até 128 cv, o Virtus no segundo caso vai de 0 a 100 km/h em 9,6 segundos, o que está bom para sua proposta. A máxima é de 194 km/h. A primeira impressão foi boa em diversos aspectos. Ambos possuem uma boa performance.

O Volkswagen Virtus 1.0 TSI AT 2022 é muito confortável no meio urbano. O ronco do turbinado dá mais segurança e a boa integração com o câmbio Tiptronic torna tudo mais fácil, respondendo com ótimo torque em baixa, que permite saídas rápidas e giro baixo na maior parte do tempo.

Rodando a 110 km/h, ele marca 2.100 rpm, mantendo assim um bom nível de ruído e economia. No modo Sport, o giro sobe rapidamente para entre 4.000 e 6.000 rpm, entregando uma performance bem animadora.

O câmbio tem engates suaves e um bom escalonamento. A direção elétrica é bem progressiva e conversa abertamente com os assistentes eletrônicos que mantém o Virtus na onde deve estar, dentro da pista.

Com suave e bem medido, o Volkswagen Virtus 1.0 TSI AT 2022 quando na estrada, revela sua força em respostas prontas, mas sem explosões de performance como nos turbinados antigos. A proposta é de conforto ao dirigir e economia.

A esportividade vai ficar para a versão GTS, que surgirá futuramente e que poderá utilizar o mesmo propulsor, mas com câmbio manual de seis marchas com engates mais curtos nas marchas iniciais, a fim de extrair mais do conjunto. A dirigibilidade dessa versão é o ponto alto.

O Volkswagen Virtus 1.6 MSI MT 2022 mostra-se um carro tanto bem equilibrado, mas com ressalvas, já que não tem turbo e injeção direta. O ronco do motor 1.6 MSI sobe com mais frequência que o ideal, já que precisa subir até uns 3.000 rpm para dar respostas mais animadoras, mas buscando evidentemente mais frugalidade no consumo, roda bem com trocas na casa dos 2.000 rpm.

O câmbio é bem macio e preciso como sempre. A relação de marchas tem bom escalonamento, mas uma sexta faria o giro cair um pouco mais, dando mais conforto a 110 km/h. O ponteiro, nesse caso, marca 3.000 rpm.

Os engates são curtos e pode-se mudar as marchas com as pontas dos dedos. As retomadas são adequadas e a o conforto geral é bom. A direção elétrica é do jeito certo, precisa e progressiva, enquanto suspensão e freios estão bons como no Polo.

Virtus 2022 – consumo

Virtus 2022: preço, motor, consumo, equipamentos, detalhes

Cidade

  • Volkswagen Virtus 1.6 MSI MT 2022 – 8,2 km/litro no etanol e 11,9 km/litro na gasolina
  • Volkswagen Virtus 1.6 MSI AT 2022 – 7,8 km/litro no etanol e 10,8 km/litro na gasolina
  • Volkswagen Virtus 1.0 TSI AT 2022 –  7,8 km/litro no etanol e 11,2 km/litro na gasolina
  • Volkswagen Virtus 1.4 TSI AT 2022 –  7,5 km/litro no etanol e 11 km/litro na gasolina

Estrada 

  • Volkswagen Virtus 1.6 MSI MT 2022 – 9,5 km/litro no etanol e 13,8 km/litro na gasolina
  • Volkswagen Virtus 1.6 MSI AT 2022 – 9,8 km/litro no etanol e 13,8 km/litro na gasolina
  • Volkswagen Virtus 1.0 TSI AT 2022 –  10,2 km/litro no etanol e 14,6 km/litro na gasolina
  • Volkswagen Virtus 1.4 TSI AT 2022 –  9,6 km/litro no etanol e 13,7 km/litro na gasolina

O consumo do Virtus 2022 fica próximo do Polo, mas por conta de sua melhor aerodinâmica faz números melhores que o hatch na estrada, que faz 9,8 km/l com etanol e 14,1 km/l na gasolina, na versão 1.0 TSI. No 1.6 MSI, o hatch faz 9,5 km/l com etanol e 13,9 km/l na gasolina, por exemplo.

Virtus 2022 – manutenção e revisão

As revisões do Virtus 2022 estão bem detalhadas no site da Volkswagen, seguindo a norma comum de serem feitas a cada 10.000 km ou 1 ano, o que ocorrer primeiro.

Veja abaixo os valores de cada versão:

Motor 1.6 (manual ou automático)

  • 10.000 km – R$ 586,79
  • 20.000 km – R$ 650,65
  • 30.000 km – R$ 576,55
  • 40.000 km – R$ 919,66
  • 50.000 km – R$ 576,55
  • 60.000 km – R$ 650,65

Motor 1.0 TSI

  • 10.000 km – R$ 562,06 (gratuita para o Highline)
  • 20.000 km – R$ 625,93 (gratuita para o Highline)
  • 30.000 km – R$ 551,83 (gratuita para o Highline)
  • 40.000 km – R$ 1.116,44
  • 50.000 km – R$ 551,83
  • 60.000 km – R$ 625,93

Motor 1.4 TSI

  • 10.000 km – Gratuita
  • 20.000 km – Gratuita
  • 30.000 km – Gratuita
  • 40.000 km – R$ 1.241,24
  • 50.000 km – R$ 551,83
  • 60.000 km – R$ 694,83

Virtus 2022 – ficha técnica

Motor

1.6 MSI

1.0 TSI

Tipo

Dianteiro transversal, Etanol e Gasolina

Dianteiro transversal, Turbo, Etanol e Gasolina

Número de cilindros

4 em linha

4 em linha

Cilindrada em cm3

1598

2755

Válvulas

16

16

Taxa de compressão

11,5:1

15:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Direta

Potência Máxima Líquida (ABNT NBR 5484)

Gasolina: 110 cv @ 5750 rpm / Etanol: 117 cv @ 5750

Gasolina: 116 cv @ 5500 rpm / Etanol: 128 cv @ 5500 rpm

Torque Máximo Líquido (ABNT NBR 5484)

Gasolina: 15,8 kgfm @ 4000 rpm /Etanol: 16,5 kgfm @ 4000 rpm

Gasolina: 20,4 kgfm @ 2000 rpm / Etanol: 20,4 kgfm @ 2000 rpm

Transmissão

Tipo

Manual 5 marchas

Automática 6 marchas

Freios

Tipo

Disco ventilado / Tambor

Disco ventilado / Disco

Direção

Tipo

Elétrica

Elétrica

Suspensão

Dianteira

McPherson, barra estabilizadora

McPherson, barra estabilizadora

Traseira

Eixo de torção

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Liga Leve aro 15 polegadas

Liga Leve aro 16 / 17 polegadas

Pneus

195/65 R15

205/55 R16 / 205/50 R17

Dimensões

Comprimento total (mm)

4482

4482

Largura sem retrovisores (mm)

1751

1751

Altura (mm)

1472

1472

Distância entre os eixos (mm)

2651

2651

Capacidades

Porta-malas (litros)

521

521

Tanque (litros)

52

52

Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)

ND

ND

Peso em ordem de marcha (kg)

ND

ND

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

ND

ND

Motor

1.4 TSI

Tipo

Dianteiro, Transversal e Flex

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm3

1.395

Válvulas

16

Taxa de compressão

10:1

Injeção eletrônica de combustível

Direta

Potência Máxima

150 cv a 5.000 rpm

Torque Máximo

25,5 mkgf a 1.500 rpm

Transmissão

Tipo

Automática Tiptronic de 6 marchas com conversor de torque

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Discos ventilados (dianteira) e discos sólidos (traseira)

Direção

Tipo

Elétrica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Liga-leve de 17 polegadas

Pneus

205/50 R17

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.492

Largura (mm)

1.751

Altura (mm)

1.476

Distância entre os eixos (mm)

2.649

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

425

Tanque (litros)

52

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.255

Porta-malas (litros)

521

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

ND

Volkswagen Virtus 2022 – fotos

 

Ricardo de Oliveira
Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

199 comentários em “Virtus 2022: preço, motor, consumo, equipamentos, detalhes”

  1. Gostei, ficou bonito. Pena que sedã estão em baixa…. Provavelmente vai custar o preço de um suv de entrada, então, não acredito que venderá o esperado…..

    • Vc fala como se suv fosse superior a um sedã.

      Em termos de engenharia, estabilidade, etc, não há comparação, um sedã é muito superior.

      Suv é perfeito para madames fazerem off road em rampas de shopping.. rsrs

      • Eu entendi o que quis dizer, mas o mercado pode não entender: o pessoal vai ver o sedã, vai ver que tem SUV de entrada nesse preço e vai no SUV pelo “tamanho”.

      • Tamanho, seja em peso, altura, comprimento e etc, sempre dará vantagem no que tange segurança. Se pegar um SUV e um sedã de mesmo nível tecnológico, a tendência é que o SUV seja mais seguro, principalmente em caso de colisão frontal.

        • Hahahahahhaa. Se fosse assim era só andar de caminhão que seria seguro. Cada uma. Deve pensar que fusca Itamar é mais seguro pois tem parachoque de ferro. Falou pouco. Mas falou besteira. Carro não é mais seguro por ter mais metal. Ele é mais seguro pela forma de construção, tipo de metal utilizado e deformação programada.

          • Arrogância e falta de educação são uma m*rda! Confundindo alho com bugalhos… faltou nas aulas de física. por mais deformação que tenha, quando um carro mais pesado bate contra um carro mais leve que esteja na mesma velocidade, ele vai transferir mais energia para o carro menor do que o contrário. A tendência é que o carro mais leve inverta o sentido do movimento, provocando um impacto muito maior nos ocupantes… superdimensionando para você visualizar a situação, imagine um carro batendo num caminhão ou em um trem, oq vai acontecer? Um SUV de 2000 kg vs. um sedão GRANDE, como Accord ou Azera de cerca 1500 kg, já é uma diferença de mais de 33,3%. Além disso, estou falando de carros com mesma tecnologia, mas mesmo assim, experimenta bater um sedã moderno contra uma pick-up de 2 toneladas de 20 anos atrás… sem falar que quando um sedã acerta uma picape ou caminhão, a área mais atingida é a região dos parabrisas, enquanto em pickups e suvs será a área das pernas… vai dizer que você tem mais segurança em um sedã do que em um suv ou pick-ups modernos? É cada uma…Com controle de estabilidade e outras tecnologias, a tendência é que a diferença na segurança só aumente para carros maiores.

            • Suas ponderações sobre física fazem sentido até certo ponto. O que entendo é que um SUV de entrada (especalmente Kicks, Creta, Ecosport, WR-V e HRV) apresentam, por preço igual ou até maior, menos equipamentos, comodidades e sistemas de segurança que um sedan como o Virtus em sua versão de topo. A questão física, na minha humilde opinião, só faz sentido se confrontarmos um Virtus, por exemplo, a um Jeep Compass, um Hyundai Santa Fe, um Honda CR-V, uma Hilux, entre outros, que são maiores e obviamente possuem mais massa. Ainda assim, mesmo quando em impacto frontal, as zonas de deformação programada de um carro bem construído são capazes de minimizar o efeito ricochete. Reforçando: entendo que, no caso dos SUV de entrada, até os R$ 100 mil, não vejo algum que possa ser superior em segurança a um carro como o Virtus, se este confirmar o que se espera dele. E segurança não se restringe apenas à capacidade de resistir a um acidente, mas também à capacidade de evitá-lo. Nesse sentido, não vejo como um SUV, alto e naturalmente menos estável, possa ser melhor.

                • Por que não mesmo nível tecnológico de um SUV de entrada? Kicks, HR-V, Creta e Ecosport são de entrada, não no sentido de suas versões mais baratas, mas no sentido de que são pequenos, usam bases de carros Fit (HR-V), March (Kicks), Fiesta (Ecosport), e são bem equipados. Então mesmo que aparentem porte maior podem ser inferiores em segurança ativa e passiva. Não compreendi porque sua réplica agressiva ao meu comentário, já que foi ao encontro da sua opinião, e não ao contrário.

              • Disse tudo amigo! Era exatamente isso q eu estava pensando qdo estava lendo o post do Raul. É melhor evitar um acidente do q resistir. SUV só tem tamanho, mas n faz curva e n tem estabilidade.

                • Cada carro tem sua particularidade. Posso falar por experiência. Meu penúltimo carro foi um Jetta, adorei, excelente carro, faz curvas em alta velocidade que ninguém acredita. Hoje tenho uma Hyundai Santa fé, também um ótimo SUV, mas não posso nem comparar porque são segmentos totalmente diferentes. A Santa fé tem espaço, motor e bebe que é uma desgraça, puta que o pariu como gasta esse carro. É seguro, vou em qualquer lugar, passo por cima de buracos e tenho certeza que numa batida acredito com um carro menor eu levaria a melhor, porque a camionete é pesada e parece um trator. Mas ano que vem se melhorar as coisas devo voltar a um bom sedan. A dirigibilidade do sedan é inigualável. Esqueci de falar, se fizer uma curva em alta velocidade com uma SUV do porte da Santa fé mesmo com controle de estabilidade vai pro pau. Curva não é o forte de SUV. Analisado friamente valeu a experiência mas não compraria mais uma SUV. É difícil de manobrar, consumo altíssimo, e mecânica muito cara, a minha quebrou a caixa esse ano. Enfim, se arrependimento matasse… Que saudades do meu Jetta.

            • Amigo, em colisão frontal, o suv, por ter mais massa, é mais seguro, devido a dissipação de energia. Só pesquisar em qualquer livro de mecânica clássica, mais precisamente no assunto de quantidade de movimento.

              No entanto, não é somente essa situação, o suv possue menor estabilidade comparado a um sedan. Por ser mais pesado, deve possuir um motor mais potente para se equiparar a um sedan.

              Mas na realidade ocorre o oposto. Exemplo: hrv 1.8 vs civic 2.0, ambos na mesma faixa de preço.

              Obviamente um SUV com tecnologia suficiente embarcada de 200 mil será superior a um sedan de 100mil. Mas se comparar na mesma faixa de preço, não há comparação.

              Compare um cruze com aquele SUV da Chevrolet que nem controles de estabilidade tem.

              Agora, quanto a mercado, realmente o suv vem sobrando, principalmente pelo fato de ser altinho, está na moda.

            • Isso aí, físico. Me explica essa lista aqui então. Cadê os suas grandões nas primeiras posições ? No seu raciocínio eles deveriam estar na frente, não é?

              http(://)www.icarros(.)com(.)br/noticias/top-10/top-10:-carros-mais-seguros-do-brasil-nos-testes-de-colisao/23373.html

            • Como o colega Osni disse: É melhor evitar um acidente do q resistir. SUV é ruim de curva e n tem a estabilidade q um sedã tem e de quebra o sedã ainda freia melhor.

            • Tudo depende, em partes esta correto (fisicamente falando), mas não da pra tornar uma máxima.
              Eu pontuaria que SUVs não são tao mais pesados que sedãs de porte semelhante por exemplo tiguan 1622kg jetta 1375kg, onde boa parte do peso deve-se a tração integral. Porem se considerarmos um obstaculo “imovel” (poste, parede, um caminhão ou até mesmo o solo) sua teoria se volta contra vc pois maior massa maior energia a ser dissipada e consequentemente maior estrago.
              O que mais vale para os SUVs é o que vc mesmo mencionou a posição mais elevada que em algumas colisões, favorece a sobrevida, como na colisão lateral.

          • Leandro, seu comentário ainda favorece os SUVs rsrsrs… É muito mais fácil trabalhar a deformação de um carro maior (SUV), mas a questão não é essa, pra mim o sedan tende a desviar ou freiar antes do obstáculo com maior facilidade. Eu é que não quero testar a capacidade de deformação do meu sedan, mas já consegui me livrar de alguns acidentes por causa dessa resposta do carro.

            • Sim, segurança não se resume só á colisão frontal. A capacidade de um suv escapar de um acidente é menor, pois eles possuem muito menos estabilidade, distância de frenagem maior etc.

          • Concordo em gênero, número e grau. Um sedã faz mais curva e tem mto mais estabilidade q um SUV. Por isso os sedãs me dão mais segurança do q um merdUV. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        • Tenho um conhecido que estava em uma Renegade em uma estrada e foi desviar de um cachorro, o carro perdeu a trajetória e saiu da estrada. Por sorte não aconteceu nada com ele (não estava correndo), com o carro e com o cachorro, mas essa pessoa não quer mais saber de SUV e em seguida comprou um sedan (Fluence).

        • Exatamente, já existe há muitos anos um crash test de um Golf MK5 (ou MK6, não me lembro) batendo de frente contra um SUV da Volvo, é só pessoal procurar no Youtube que encontram, e não teve chance pro Golf, o habitáculo deformou muito pra cima do motorista, já no SUV foi tranquilo.

        • Bati um Audi A3 (1.400 kg) à 160km/h num poste, sai ileso. Na mesma semana, bateram um ford fusion 2016 (1600 kg) num poste a 120km/h, morreram os 4 ocupantes. Sem mais!!!

      • O maior problema da VW sao os MOTORES ,certamente terao uma durabilidade menor,devido ao TURBO,e um alto custo de manutençao,devido a troca da CORREIA DENTADA,e especilista ja advertiram que em mais de 70% dos motores que trocarao a CORREIA DENTADA NAO FICARAO NO PONTO,devido ao nao uso de ferramental correto e tambem a falta de conhecimento do MECANICO sobre a engenharua aplicada nesses motores.

      • Como sempre, a matemática e a física não mentem.

        Porém, contudo, entretanto, todavia, não se esqueça do principal problema: SUV vende como vende justamente pela PÉSSIMA qualidade dos pavimentos, em especial aqui no Hu3land..
        Enquanto os asfaltos forem esse lixo (principalmente nas cidades) e ninguém fizer nada a respeito, SUV continuará sendo uma tendência.
        Ninguém quer dirigir um liquidificador.

        • Buracos, meio-fio que são quase muros, quebra-molas tão altos que um carro baixo não consegue passar com 4 pessoas dentro sem raspar o assoalho todo, estradas de terra (pra quem anda/viaja muito para o interior e/ou fazendas), entradas de garagem que fazem raspar todo o pára-choques, etc.; por isso que eu não compro carro que tem suspensão baixa demais.

          • Moro no interior de São Paulo e frequento a capital duas vezes por semana, no mínimo. Rodo em periferia cheia de buraco e lombada e em minha cidade o que mais existe é quebra molas e ruas de paralelepípedo mal conservadas. Olha, vou te dizer que faço tudo isso de 208 GT e não sinto a mínima falta de uma suspensão mais alta, nem de câmbio automático. Acho que as pessoas andam exagerando ao justificar a compra de um SUV para rodar no asfalto. É só dizer que comprou pq quis e achou bonito. Qual o problema nisso?

            • Eu tenho um Polo antigo e acho ele bem alto (mesma altura do Fox), e me serve bem, vou com ele pra fazenda de vez em quando e nunca raspou em nada, mas aqui perto de casa, na BR-153 tem um quebra-molas que um carro com suspensão baixa não passa sem raspar de jeito nenhum! Em um lugar onde eu trabalhei também tinha uma entrada de garagem que direto eu via new Fiesta raspando o pára-choque para entrar lá…

              • Entendo. Não vou dizer que sou satisfeito com a qualidade das nossas vias. Muito ao contrário. Mas você, que tem um carro de dirigibilidade aceradíssima também, vai me dizer que uma raspada aqui e acolá são imperativos para abrir mão do prazer ao guiar? Sei lá… Eu ficaria mais frustado em me divertir menos do que raspar o pára choque em um lugar que nem aparece.

            • As pessoas procuram a aprovação do outros. Não importa o gosto delas, ela precisa ser aprovada pelos demais.

              Tem gente que compra até a versão de entrada que normalmente é super ruim de equipamentos só para passar a sensação de carrão.

              Mas infelizmente essa pessoa compra normalmente para esperar que os demais aprovem a compra.

        • Realmente, em relação a buracos na pista, é muito melhor um SUV.

          Agora a comparação do colega acima de colisão frontal entre um SUV da volvo e um golf: 1) o volvo é muito mais caro que um golf 2) em colisões frontais, supondo que ambos tem a mesma qualidade de contrução e materiais, o veículo de mais massa se sai melhor, no caso o suv 3) a volvo é referência em segurança e não se pode generalizar, e cobra caro por isso

          Agora quanto a estabilidade, desempenho, economia, manutenção, etc.. não tem comparação.

          Agora compare um capoyota Hilux com um Civic, Jetta, golf (suspensão independente), e até mesmo ao Corolla ou cruze, que não possuem suspensão independente

        • Sinceramente acho um grande exagero das pessoas comprarem SUV apenas por causa de alguns buracos, umas lombadas e algumas valetas que neste caso qualquer carro de passeio consegue enfrentar.

          • Depende muito onde a pessoa mora, por exemplo no Norte, onde as estradas são horríveis, é preferível um carro alto (SUV ou Caminhonete), ainda mais viajando na época de chuva…

    • acho que vai depender do preço. Concordo contigo que a versão top realmente venderá pouco por conta da briga com os SUVs de entrada, mas da versão intermediária pra baixo a diferença de preço pro SUV fica muito grande. Esse carro vai cair bem com a turma que sonha com Jetta TSI (mesmo que 1.4) e nao dá conta $$$ e também os clientes que precisam de sedan com espaço e projeto atual, já que Grand Siena já deu o que tinha que dar, Logan brica no degrau de baixo, Cobalt melhorou design mas continua com o jurassico motor 1.8, HB20S é atual mas espaço interno limitado, NewFiesta sedan é caro e quase nao tem disponibilidade no mercado em funçao das cotas de importação do Mexico, e por aí vai…

      • As turbinas do Golf 1.0 tsi e do Polo 1.0 tsi são maiores, que as do Up, se era um problema crônico da turbina do menor, em tese isso deveria resolver o problema. Sobre o sistema de injeção não tem solução, abasteceu com combustível ruim vai dar problema, não tem como, a solução para esse carro, é posto de confiança usando podium ou etanol.

    • Quem deseja investir não compra carro. Carro é para curtir. Quem quer investir aplica na bolsa. Eu gosto de sedãs. Gosto de um carro rente ao chão. Mas se fosse comprar um svu teria que ser um de verdade e não um suv-compacto

    • Desculpe-me, mas os sedans todos os anos vendem mais do que os veículos utilitários esportivos. Não existe nada que indique que essa situação vai mudar, ao contrário, a cada dia novos sedans são lançados com mais conforto, economia e espaços aumentando suas vendas. Se considerarmos apenas os sedans médios em 2017, foram vendidos 183.663 unidades, contra 114.762 de todos os SUV. Se somarmos os sedans pequenos e grandes, essa diferença mais que triplica. O Virtus parece um bom carro, mas tem o problema no preço, como de resto todos os carros da Volks. Custam mais do que valem!!!

      • comparando com os concorrentes new fiesta e city? até que ta no padrão e os encaixes parecem bem feitos e sem rebarbas como os vw mais carinhos tem…
        como o up que quase não tem rebarba exceto pela grotesca falha de rebarba nos mostradores de velocidade, normalmente as pessoas acabam relando a mão ali no transito pesado sabia dona VW?

          • Acabei de voltar de uma concessionária VW. Sobre o acabamento, o aspecto dos Polos de entrada são realmente ruins. Quanto a encaixes e rebarbas, nada para reclamar. Quanto ao Highline, gostei. Com a colocação daquela faixa no painel o aspecto ajuda bastante. O volante dos de entrada também são ruins, assim como é o do Comfortline. No Highline o volante é multifuncional e revestido em couro. No Comfortline é opcional.
            Fiz um rápido test-drive no Highline e gostei do carro. O motor responde muito bem, além do conforto do câmbio automático. Acho que minha mulher vai gostar se trocar o Fox Rock’n Rio dela por esse Highline.

    • Com esses itens ia ser praticamente um Jetta menor e a VW certamente não quer isso. Itens mais “supérfluos”, digamos assim, que deixariam o carro refinado, a VW vai deixar como diferencial do sedan maior. Mesmo caso do Polo vs Golf.

      • sim entendo, polo e golf inclusive parecem estar tendo mais prioridade que o jetta que vai ser o ultimo a receber as tecnologias…
        no caso do golf é normal, sempre foi assim, mas o polo…

        • Só fico imaginando…. se o Golf 1.4 custa acima de R$100000, quanto que virá um Jetta?

          Se ele agregar os itens que o Golf possui, a VW vai matar o Jetta. E vai ficando Focus, 408, C4 Lounge e Cerato abaixo dos 100000 só….

  2. Deve ser o melhor da categoria. Mas a que preço? 80 mil na Highline e 72 na Comfortline? A versão de entrada, “Basicline” com motor de 1,6L, se for capada igual a do Polo, não prestará!
    Pagar mais de 70 mil num sedan compacto é de doer, por mais que ele seja o melhor e não seja tão compacto.
    Por isso que a VW BR tirou a versão de entrada Trendline do Jetta de linha. Era o preço do Virtus Highline. Tudo bem que o Jetta Trendline tinha menos equipamentos, mas tinha motor 1.4 TSi.

    • Acredito que o Virtus terá mais sucesso que o Polo. Pelo menos há espaço para achar semelhanças com o Jetta, um carro de categoria superior.
      A VW cometeu um erro ao matar o antigo Polo e, principalmente, ao tentar deixar nosso Gol como uma versão parecida (e muito mais pobre) do Polo europeu. Agora, a maioria dos consumidores estão vendo o atual Polo como uma versão anabolizada do Gol. Para quem não acompanha o mundo automotivo, não adianta argumentar que foi o nosso Gol que copiou o Polo porque, para os “leigos”, o Gol chegou primeiro.
      Acho que a própria VW reconheceu seu erro ao colocar na propaganda que o Polo é o mini-Golf para tentar descolar da imagem do Gol . Mas, se colocarmos Polo e Golf lado a lado, não dá para dizer isso. O design é totalmente diferente, o acabamento nem fala, melhor não comentar.
      Agora, se colocar uma Polo e um Gol lado a lado, é inegável que as linhas da carroceria de ambos são muito parecidas e qualquer um vai dizer que o Polo é um maxi-Gol, seja pelo design ou pelo acabamento.

  3. Não consigo gostar do design da VW, mas externamente até que ficou bom; só não acho a frente muito combinando com a traseira mas aí é gosto pessoal meu… internamente que sinceramente, oh interiorzinho que não me agrada. No geral me pareceu um bom produto, vai vender menos que o Cronos kkk

  4. Minha aposta:
    – 59.990 o 1.6 de entrada com calotas e som.
    – 64.990 o 1.6 com rodas, multimídia, controles no volante
    – 69.990 o Comfortline 200TSI
    – 74.990 o Highline 200 TSI
    – 80.990 o Highline com todos os opcionais

  5. O carro é muito lindo por fora, realmente. Mas esse interior é muito porco. Quem vai gastar 60, 70 mil e querer esses bancos com esse tecido de pano de chão? Credo… Os plásticos do carro, parece aqueles carrinhos de brinquedo. Sem noção. Ganância demais, querem lucro demais… Faz o trem direito!

    • VW não deixa de ser VW, tem que ter alguma coisa para estragar o carro. No caso da dupla Polo – Virtus, o interior é de lascar… Só quem está acostumado com coisa ruim para não ver a pobreza do acabamento.

      • Você tá sendo irracional, se a VW faz um acabamento nível Polo Europeu eles vão cobrar mais, a empresa não é filantropia e os investimentos na plataforma ainda não foram pagos não tem como cobrar acabamento emborrachado no carro, aí se colocasse o mesmo nível do Golf o pessoal iria reclamar do preço dizendo que a marca é careira.

        • Não discordo que deve haver uma certa hierarquia entre os modelos, até porque, como você mesmo diz, um acabamento mais luxuoso vai ter reflexos no preço. Minha principal crítica é quanto à qualidade e aspecto dos plásticos utilizados e à falta de combinação de materiais, como um pouco de couro (que seja o tal ecológico) em algumas partes do carro nas versões mais caras. Aí sim, para a grande maioria das pessoas o carro passaria um aspecto de luxo sem ter usado materiais caros.
          Mas, para mim, o pior são os comentários de apaixonados pela marca e pelo modelo que não reconhecem a simplicidade do acabamento, pelo contrário, falam em luxo.

          • Pra mim nem precisaria de couro. O que depoe contra o Polo/virtus é esse cinza na porção inferior de acabamento. Eu acho legal carro com cores claras. O meu Fluence é assim, só que obviamente o aspecto do plastico (o Fluence tbm tá cheio deles) não passa a impressão de pobreza como nesse.

            Então pra mim a VW poderia ter escolhido uma cor que não deixasse um aspecto tão pobre / simples do produto. E além disso empobreceu mais as variantes de entrada que não faz nenhum sentido. Que tivessem deixado igual em coloração e ganhasse em equipamentos apenas. Espero que no Virtus ela faça isso.

    • Eu já gostei bastante do tato desse tecido, são macios, nada de aspereza. Diferente do 1.6, que aí sim é grosseiro. Mas os bancos do Comfortline e Highline ficaram bons.

  6. Eu acho que a galera exagera dizer que está parecendo Voyage, ou Jetta… o carro tem personalidade, ficou muito bonito, com porte, podia ter alguma mudança na frente, só para diferenciar ainda mais, já que usa outro nome, mas com certeza um excelente carro e que se tiver preço, vai vender bem.

  7. Acho que está no nível dos modelos de 100/120 conto. Talvez um couro nos bancos para melhorar, mas parece estar nesse bom nível de acabamento que a VW apresenta em uma faixa um pouco superior de veículo. O que tira mesmo o status do carro é aquele penduricalho no painel, que deixa a impressão de carro para táxi.

  8. Pro segmento que vai atuar esta a frente dos concorrentes, chegando a compradores de corolla versoes mais basicas. Diferencial 200TSI com cambio aut e segurança.

      • Concordo. Mas se você for ver, até o Golf feito aqui em primeira leva (1999/2000) tem melhor qualidade do que o Golf atual. Depois eles foram simplificando o acabamento.
        Eu tive a oportunidade de ir pra Franffurt no Salão do automóvel e realmente o painel do Polo é emborrachado, mas os painéis da porta também são de plástico bem duro. Lembro que vi um T-roc e a porta dele já estava toda arranhada por dentro e realmente era muito simples.

        • Pera…. um Golf de 1999/2000 é bem acabado mas não se compara ao Golf atual. Mas entendi que vc quis dizer sobre a geração anterior que perdeu sim com o tempo.

  9. Olha, gostei bastante. Se tratando da VW que é bem conservadora em design, continuou limpo, porém sem ser tão simples.
    Sem falar nessa plataforma que é uma dos tiros mais certos da volks aparentemente…

  10. Muito bonito, mas o mercado as vezes é ingrato. Veja o Onix por exemplo, tinha problemas de ergonomia, economia de combustivel, motores antiquados, e mesmo assim vende que nem água. O sucesso do Virtus está atrelado a seu preço, é triste ver o mercado de sedas medios partindo de 90 mil e o de compactos começando em 60 mil. O virtus não é médio, e ainda terá que enfrentar o Cronos

    • Problema do Virtus não vai ser Cronos só; tirando o Prima todos os concorrentes vendem na mesma faixa, cerca de 2 mil por mês, além do Yaris que vai chegar. O Virtus vai ter um “plus” que o CRONOS não tem, ou seja, cambio de verdade na versão 1.6 de entrada e além disso, espaço interno bem maior que os concorrentes.

  11. Teto solar para quê? Seria muito melhor ter 7 airbags para superar os 6 airbags do City. Segurança acho muito mais importante. O Fiesta Sedan já possui 7 airbags desde 2012!. Também seria ótimo um farol decente como o do Gol GT Concept. Por sinal acho que se lançassem o Gol Gt ia ser o máximo com esse motor 1.0 TSI e câmbio AT Tiptronic 6 marchas. E mais prefiro teto solar panorâmico que não abre e não quebra.

  12. Dependendo de quando a VW cobrar em vez de fazer estrago na concorrência, vai é ter brigar dentro de casa.
    A pessoa vai ver o Voyage e pode acabar levando o Virtus, e quem tem olhos pra outras marcas, poderá nem ligar pro Virtus.

    • Mas o que interessa pra quem está olhando pelo retrovisor se tá vindo um Gol ou um Passat? É pra decidir se vai abrir passagem ou não? Ou é só pra cuidar do carro do outro?

      • Bom dia André, eu só quis expressar minha opinião sobre os carros da VW de uns tempos pra cá que estão muito parecidos, sobre saber se está vindo Gol ou Passat também acho irrelevante. Só que não gostaria de comprar um carro desta marca de 150.000K como o Golf GTI e a frente ser parecida com de um Gol 1.0. Respeito sua admiração pela marca.Abraços

      • Bom dia Edson, primeiramente obrigado pela resposta, como comentei com o leitor André eu só expressei minha opinião sobre a marca de ter carros ( esteticamente por fora ) muito parecidos. Agradeço a dica para andar em um Voyage ou Passat.

        • Eu digo isso pois nesses casos de family face, o melhor é sentir os carros. Eles apresentam inumeras diferenças entre eles. Ainda que a VW tbm goste de colocar isso no interior, a convivencia muda bem de um produto para o outro. Abraço.

  13. Preço… espere o 1.0 TSI agora 200tsi pelo preço de um Jetta 1.4tsi(+80k).
    O jetta sobe de preço para ficar “invendavel” (1.4 por 95 a 100 e 2.0 de 110 a 120) até sair de linha e voltar em nova geração em 2019.

    PS, a quem vai abrir o configurador, pelo menos aqui no piauí se acha jetta 1.4 abaixo do valor do configurador (que eu nem abri).

    • Pois é…é o que eu pensei. Quero estar enganado, mas dúvido que Jetta renovado seja interessante, a não ser que a VW queira ser competitiva nesse nicho, o que acho dificil.

  14. Acho que consegui sanar minha dúvida. Na primeira postagem eu havia questionado o motivo de a foto da mala não ter capturado a tampa. Estava vendo fotos noutro site e minha desconfiança parece ter procedência: 80 mil e não puseram forração na tampa da mala? É sério? Isso é uma dúvida minha porque nas fotos de outro site parece não ter. Não que desmereça o veículo, mas não custa tirar uma foto capturando todos os detalhes.

      • Sedãs, diferentemente de hatches, têm duas porções na tampa da mala a serem cobertas. Então, fabricantes costumam colocar carpete na região em que não se ocultam extensões de faróis e fios. Também, já sanei minha dúvida, visto que há um vídeo no YT que mostra o carro em detalhes.

        • Olha…. ainda que outras marcas possam não ter a forração, geralmente possuem plasticos de capa para não ficar lata aparente. O Virtus assim como o Polo em muito tempo eu não via um acabamento exposto dessa forma.

          • Eu também não via algo assim há bastante tempo. Ontem dei uma olhada no Polo e a VW conseguiu colocar meia capa de plástico na tampa; simplesmente ridículo.

  15. Na real, eu não gostei do Polo. Achei Golzão, sem graça.
    Já o Virtus, eu gostei! Achei que ficou mesmo melhor que o Voyage!
    Pensaria nesta compra! Mas ianda tá caro.

    • Ou seja, uma traseira diferente fez você mudar do “não gostei, é sem graça” para “eu gostei e pensaria na compra”. Você sabe que, de resto, eles são literalmente iguais, né? Mecânica, todo design à frente das colunas A e B, acabamento, itens, literalmente tudo.

      • Sim, o acabamento continua pobre.
        Motorização nunca foi problema ao meu ver.
        Preço é que é o bicho… se o Polo é caro (assim como todos), o Virtus será mais.
        O desenho da coluna B para trás melhorou bem.
        O fato de parecer um Gol visto por trás não é o motivo de não ter gostado do Polo. Realmente achei sem sal, e o acabamento é de doer.
        O design do Virtus me pareceu mais coeso. Ficou melhor mesmo, bonito.
        Além da segurança, o fato de ter espaço mais generoso atrás e porta-malas farto, me faria estudar essa compra.
        Na minha opinião, que não é lei, acho que o Virtus vai chamar mais consumidores do que o Polo.

  16. Acho o design dos carros da Volks sem sal . Nenhum carro me da aquela sensaçao de quero um desse . Esse HEMOVIRTUS pra mim e um voyage plus size so isso . Minha opniao e questao de gosto obvio .

  17. Olha, pelo menos a versão Highline do Polo é bem interessante. Fazia tempo que eu não via um compacto com bancos daquela qualidade (lembrou inclusive de quando tinham carros com banco em veludo). Agora, dos modelos de entrada, é nivel de Gol mesmo, muito ruim.

  18. Apesar de o carro ter ficado bonito o preço, segundo qual vi no vídeo da Michelle J durante o lançamento que a versão top do modelo iria chegar por 120 mil, valor que acho absolutamente INVIÀVEL para o segmento o que acabava colocando no mesmo patamar das versões top do Corolla e Cruze.

  19. Na minha opinião, o carro ficou lindo, com jeitão de carro grande, Não tem nada a ver com Voyage gente! Só diz isso quem ignora em analisar o carro de verdade. Essa linha estilo cupê, como A3 sedan e Passat CC ficou muito bacana. Além disso, se vier na faixa de 60 a 80 mil, será o melhor veículo 0km pelo preço. Nenhum veículo está barato no Brasil, mas, pelo menos esse é realmente seguro.

  20. Depois de tantos comentarios negativos sobre o acabamento do interior deixei apreguiça de lado e fui na css ver de perto o polo. Achei o interior simples mas aceitavel. Esperava pelos comentarios ver um monte de rebarbas e peças mal encaixadas mas nao foi o que vi. Gostei do perfil baixo e da largura da traseira . O teto p mim (1,86 m) pareceu baixo mas regulando a altura do banco ficou ok. Sentei-me atras do bco motorista e meus joelhos nao tocaram o bco da frente. Vou espera o Virtus ( entreeixos maior ) mas o acabamentto interno ,hoje ,nao me faria desistir da compra.

  21. Olha a propaganda: “Com versões a partir de R$ 79.990,00”. hehe.
    Eu achei bonito, vai do gosto de cada um. Mas, sera que vale a pena investir nele ou um Jetta usado? Veremos.

  22. Ele é bem legal, más eu acho que sedã é carro para velho, prefiro SUV ou Pick up, é mais esportivo.
    O preço do top de linha é bem salgado tbm, um carro desse tamanho com motor 1.0 eu não boto fé, tem que ser de 1.6 pra cima.
    Coloca cinco adultos dentro da fera e sobe a serra do mar, quero ve r se vc não tem que forças o bicho.
    Tive o Voyage 1.0 e sofri com isso, é muito peso para pouco motor.

  23. Os comentários sobre comparação de SUV com sedã são interessantes.
    Muitos usam até a física para argumentar que SUV são melhores no quesito segurança do que um sedã por causa de seu peso ser maior e ai comparando o Virtus com sedãs de mesmo nível tecnológico (Creio que isto queira dizer que nao importa preço, só a tecnologia do Virtus versus um SUV com os mesmos equipamentos) o Virtus perde.
    Mas depois de olhar os comentários a lógica de alguns é:
    – Considerando só física é melhor andar em um tanque M1 Abrams do que qualquer outro carro porque se houver uma colisão com qualquer outro veículo o meu tanque sofrerá menos danos e eu sairei vivo.

    O problema deste argumento é simples: Probabilidade!

    As probabilidades de colisões frontais contra outros veículos em movimento ocorrerem é baixa (uma busca rápida na internet encontrei que em 2017 nas estradas brasileiras houve 29% de acidentes com colisões frontais e das quais não há menção se a colisão frontal foi contra um poste parado ou contra outro veículo em movimento contrário)

    Bom, se o primeiro quesito de compra do Brasileiro for este, vamos começar a fabricar tanques de guerra que vamos vender aos montes!

    É óbvio que não é este o primeiro quesito de decisão!

    Então comparar o Virtus com SUV pensando só em física é algo ilógico.
    O que se compara sempre é:
    – Nesta faixa de preço, quais veículos estão disponíveis?

    Logo, se voce comparar diferentes categorias de veículos como hatchs, sedãs, SUVs, pickups, SW, etc. haverá uma grande gama de opções com prós e contras em cada uma. (Provavelmente os SUV’s de mesma faixa de preço disponíveis hoje terão menos tecnologia embarcada que o Virtus)

    Mas o que as pessoas levam em conta antes de comprar é:
    – Design (O carro é bonito? As pessoas admiram este carro?)
    – Preço (O carro tem um bom preço? O valor dele deprecia muito na hora de revender?)
    – Performance (O carro tem boa performance? Torque bom? Acelera rápido? Tem boa velocidade final?)
    – Segurança de maneira geral (Sem levar em conta os detalhes da física como muitos aqui proclamaram mas sim se o carro tem Airbag, se tem boa nota nos testes de segurança, etc.)
    – Tecnologia (Tem central multimídia? Câmera de ré? Retrovisores rebatíveis? Farol de milha/neblina? luzes de LED? Xenon?)

    Usar a física como argumento não faz sentido.

    Eu comprei a 2 meses atrás um City EXL e devo dizer que até interessou este Virtus mas o motor 1.0 TSI apesar de entregar mais torque (20,4 Kgfm) ainda me faz pensar se vale mais a pena devido aos materiais de acabamento da Volkswagem serem mais simples que dos outros fabricantes. (Quem nunca ouviu frases dizendo que VW são carros com mecânica excelente mas acabamento “pé-de-boi”?)

    Vamos ver como serão as vendas este ano.

  24. Tenho os dois modelos (SUV e sedam). O SUV me proporciona mais visibilidade, segurança e confiança.. Não estou dizendo que os modelos sedam não possam atender satisfatoriamente a uma boa fatia do mercado. Portanto, cada um sele o seu cavalo ao seu bel- prazer.

  25. Comprar um carro assim é a mesma coisa que você entrar na melhor churrascaria do Rio Grande do Sul e dizer para o garçon: _”Por favor me traga aquela carne bem boa, mas com beeeeem pouquinho sal”

  26. Poderiam mudar a taxa de compressão, e a cilindrada do motor TSi?
    Vocês informam 15:1 no motor turbo, que seria uma loucura, além de divulgarem 2.755cc em um motor 1.0.
    O correto, é 10,5:1, e 999cc

Deixe um comentário