Comprando e Vendendo Longform Mercado zslider

O compreensivo relato de um ex-vendedor de carros sobre os bastidores de uma concessionária

concessionaria-nissan

Publicamos abaixo o relato de um ex-vendedor de concessionária de carros que expõe algumas verdades dos bastidores deste tipo de negócio. Quanto ganha um vendedor de carros? Vamos manter o relato anônimo, e ressaltamos que este texto não tem como objetivo fazer com que nossos leitores pensem que todas as concessionárias agem assim. Também não tem como objetivo denegrir a imagem de qualquer marca, de qualquer concessionária, ou dos funcionários de concessionárias em geral (que aliás compõem uma grande parcela dos leitores do NA). As experiências pelas quais o autor passou se resumem aos locais onde ele trabalhou, e certamente não podemos generalizar os erros e atitudes anti-éticas.

Prezados leitores, apesar de acessar diariamente o NA, não participo das discussões como também não costumo expressar minhas opiniões, resguardando-as para mim ou debatendo com amigos mais próximos. Contudo sempre tive vontade de apresentar minha experiência passada como vendedor de carros, posição pomposamente chamada também de consultor de vendas entre outras nomenclaturas.

Não trabalhei nas “quatro grandes”. Trabalhei em marcas ditas como “superiores em qualidade”, e, digamos que tive uma grande experiência com as marcas japonesas (a foto acima é meramente ilustrativa). O mercado com o qual trabalhei foi no Rio Grande do Sul.

Iniciando minha experiência, o primeiro ponto que devo responder, o que levou-me a entrar no ramo?

Por que trabalhar como vendedor de carros?

A resposta é simples: a promessa de um alto salário.

Eu já havia concluído a faculdade, estava empregado em uma empresa relativamente estável, atuando em uma atividade que gosto e de repente surgiu uma oportunidade de mudar de ramo e trabalhar com algo que eu também gostava (na verdade ainda gosto), contudo com uma promessa de salário absurdamente maior. E a diferença seria substancial, eu teria que “comer muito capim” para na minha “carreira de formado” chegar no nível salarial que ao qual fui apresentado e que simplesmente mudaria rapidamente a minha vida.

Quanto ganha um vendedor de carros? Bem, hoje em 2014, talvez não seja um valor tão fantástico, mas pensem em 2006 uma oportunidade que ficaria por volta de R$ 5.000, isto sem muito esforço sendo que houvesse empenho chegaria a R$ 8.000, afinal na remuneração por comissão o salário baseia-se no que você vende.

Então resolvi mudar de ramo e encarar o desafio, o começo foi um tanto cruel, pois apesar de ter um grande conhecimento sobre carros, eu não tinha experiência com vendas, então, fui alocado como uma espécie de trainee, com um salário de R$ 800,00 que era menos da metade do salário que eu tinha na empresa anterior. Mas como eu sonhava com os R$ 8.000, encarei a entrada por dez vezes menos. Acho que não preciso dizer que tive uma verdadeira bagunça financeira logo que fiz esta mudança.

Apesar da exploração salarial, foi um período interessante, pois fiz um tour por diferentes setores da empresa, e aqui começam alguns podres dos quais nunca esquecerei e que constatei que aconteciam exatamente do mesmo modo nas demais (sejam do mesmo grupo ou concorrentes).

Briga entre vendedores e consultores técnicos

Primeiro, em especial em concessionárias maiores (lojas/revendas como são chamadas aqui no Sul), existe uma rixa (para não chamar de antipatia) entre o setor comercial (vendas de veículos) e o setor de oficina. Simplificando, muitos (não todos) os consultores técnicos (pessoa a qual você se dirige quando agenda alguma revisão ou efetua alguma manutenção em uma concessionária) na verdade queriam estar na parte comercial, queriam estar vendendo carros e não serviços de oficina.

Em geral sentem-se não valorizados pelo fato da empresa não dar uma oportunidade na “linha de frente” e culpam (com razão) muitos problemas que surgem nos carros de clientes em função de uma informação errada (ou falta dela) que o vendedor tenha dado ou omitido para o cliente no momento da venda. O que ouvi de um consultor técnico: “Os idiotas lá da frente enchem os bolsos e para nós ficamos cheios de broncas!

Os consultores técnicos costumam culpar os mecânicos pelos atrasos, mas é comum tratarem prazos com os clientes, sem ao menos ter realizado (ou até pela falta de conhecimento técnico) uma avaliação técnica.
Contudo, muitas concessionárias (revendas) adotaram ou estão adotando o sistema de comissão para os consultores técnicos, de modo que assim claro, aumenta o lucro do setor e “acalma” os ânimos dos consultores técnicos já que quanto mais serviços “empurrarem”, melhor será o seu salário.

Ainda com relação aos consultores técnicos, muitos nunca tiveram experiência anterior com mecânica, ou ainda mal possuem algum conhecimento técnico e para piorar vários não tem interesse algum em adquirir este conhecimento. Não é a toa que muitas vezes um simples questionamento sobre o tipo de óleo utilizado para a troca, torna-se algo de outro planeta.

Sem generalizar, existem consultores técnicos muito bons, mas muitos na verdade acabam sendo meros vendedores de serviços, fazendo o serviço de recepção e entrega do veículo na oficina. Então, não é de causar surpresa a famosa “empurroterapia”, assim como a falta de respostas quando o cliente faz algum questionamento técnico.

A oficina

Entrando na oficina, o cenário que encontrei foi o mais amigável e mais “divertido” de se trabalhar, esse cenário foi comum nas diferentes marcas. Não vou aprofundar muito, mas sabemos que no mundo existe preconceito com pessoas que desempenham trabalhos chamados de “braçais”. E com o pessoal de dentro da oficina (mecânicos, funileiros, etc.), isso ocorre.

Tanto pelo lado dos consultores técnicos como por parte dos vendedores. Infelizmente existe uma discriminação bem acentuada, com algumas poucas exceções. Foi aí que encontrei mais pessoas dispostas e com boa vontade em ajudar (sem estar querendo algo em troca).

Claro que nem tudo é perfeito, mas em uma oficina de concessionária de maior porte, em geral terá um ou dois talvez “chefes de oficina”, que possuem teoricamente o maior conhecimento. Terão também mecânicos com “conhecimento mediano” (desempenham bem suas funções, sabem montar, desmontar, mas sem aprofundar na engenharia) e vários (senão muitos) mecânicos “juniores”.

O trabalho dentro da oficina não é fácil, muitas vezes deve-se fazer milagre para cumprir os prazos. Então, as revisões normalmente são executadas pelo pessoal de menor experiência, e os serviços mais complexos pelo pessoal de maior experiência.

Não é comum os mecânicos de menor experiência ficarem desassistidos e tendo que tomar decisões precipitadas por pressão dos consultores técnicos. Dentre os erros comuns estão aperto excessivo dos parafusos de rodas pelo uso da pistola pneumática, apertos feitos no motor sem o uso de torquímetro, não apagar os erros de injeção, etc….

Coisas que uma concessionária não deveria fazer

Contudo existem falhas sérias, como uma que presenciei. Tratava-se de uma revisão de 40.000km de uma “caminhonete de luxo”, e um item da revisão era realizar o ajuste de válvulas, e eis que o mecânico quebrou a cabeça de um dos prisioneiros (parafuso) da tampa do cabeçote na hora de apertar. E, para complicar, estava próximo do horário marcado para o cliente retirar o veículo.

Qual o procedimento adotado? Simples, colou-se a cabeça do parafuso com “superbonder”, afinal o cliente não vai perceber (de fato não percebeu) pois esteticamente ficou bem disfarçado o problema, e quando o carro viesse para a revisão seguinte (se viesse) se pensaria na resolução do problema criado.

Uma outra situação, que também não podemos generalizar como sendo comum em todos os lugares, mas presenciei também um “descontrole” com relação as saídas para teste de rodagem. Certa vez ocorreu de um mecânico sair para um teste de rodagem próximo ao horário de almoço e já aproveitou para buscar a namorada em outro lugar, o problema é que o cliente viu o carro dele na área central da cidade distante 10km da oficina.

Quando fala-se em objetos pessoais dentro dos veículos, deve-se ter atenção. Felizmente não presenciei nenhuma situação de furto de objetos, mas certa vez, um cliente deixou o carro para revisão e dentro dele havia um videogame portátil no console central. A pessoa que estava responsável pela revisão não teve dúvidas, pegou o brinquedo, abriu, ligou e divertiu-se por uns 15 minutos depois fechou e guardou novamente. Não existiu uma maldade na ação, mas percebi que não existia uma orientação (ou mesmo interesse) por parte da empresa em ter “regras de conduta”.

Ainda dentro da oficina, saindo um pouco do tour, mas na parte de chapeação de pintura, trabalhei tanto em empresas que tinham funilaria própria, assim como em outras que terceirizavam o serviço. Aqui renderia alguma páginas de explicações, mas resumindo, se for terceirizado o serviço, saiba que você está pagando pelo menos três vezes mais que o valor real, e muitas vezes a preocupação com o custo baixo em prol da lucratividade é tanta que utiliza-se oficinas muito duvidosas para o reparo.

Com relação a garantias por defeitos de fábrica, as montadoras são extremamente burocráticas para resolver, aqui a culpa direta não é das concessionárias e sim das montadoras mesmo. É comum a concessionária resolver um problema para o cliente e depois tentar cobrar a montadora, em função da burocracia e demora no processo. Por sinal, garantia de “x” anos, é o meio que as montadoras encontraram de garantir o fluxo de oficina das concessionárias.

Vendendo carros sem os comprar

Seguindo o tour, tive uma passagem interessante no setor administrativo/financeiro. Lá entre várias coisas, registrava-se a chegada de veículos novos, controle das negociações, etc. Literalmente existia uma “mala preta”, onde ficavam os documentos (DUT) dos veículos usados recebidos na troca. A maior parte deles (em função de quilometragem, idade, marca, estado de conservação) é repassado para lojistas.

Enfim, para vocês melhor entenderem, vou explicar o procedimento correto de “entrada” de um veículo em uma troca:

1- O DUT é preenchido com os dados do vendedor (cliente) e do comprador (loja);

2 – O carro é transferido para o nome da loja;

3- É emitida uma nota fiscal de entrada que é fornecida para o cliente.

E o que acontece comumente:

1- O DUT é preenchido somente com os dados do vendedor (cliente) junto com uma procuração que dá plenos direitos para pessoas do alto escalão da concessionária realizarem qualquer operação de transferência;

2- O carro NÃO é transferido até que surja um comprador;

3- O cliente recebe uma cópia do DUT com os dados do “comprador” final depois que o carro for vendido (pode demorar já que o carro, vai para o lojista e deste talvez para outro lojista “menor”, para então chegar em um comprador).

Então todos esses DUT, ou seja, comprovantes de veículos que são da concessionária (mas que em termos legais não são já que não foram transferidos), são guardados em um “lugar seguro” (vulgo mala preta). Neste ponto os lojistas “disputam” por esses carros, estes por sua vez fazem uso da mesma artimanha e o carro só será transferido de fato quando o lojista vender o mesmo. Lucro limpo, se é que podemos chamar assim.

Chegando nas vendas, é uma piada as montadoras e concessionárias reclamarem de baixos lucros. Para uma concessionária não ter rentabilidade, é só se for muito mal administrada, situada em uma cidade sem demanda, ou se for de uma marca sem força no mercado.

Basicamente o modelo de negócio funciona da seguinte forma, a venda de carros 0km é somente lucro, não paga custos de operação, já a oficina é responsável por bancar os custos operacionais da empresa. Ou seja, infraestrutura, salários, despesas operacionais da concessionária são pagos pela oficina. Podem observar que marcas novas (em especial importados) tendem a forçar visitas à oficina em prazos menores de tempo justamente para gerar fluxo de oficina.

Lucrando com garantias longas e muitas revisões

Ou seja, toda a revisão programada baseada em tempo (no caso dos absurdos 6 meses independente de quilometragem) tem como objetivo gerar fluxo e claro, caixa para oficina. Nessa linha de raciocínio, pensem em algumas das marcas que mais vendem atualmente, por que suas revisões são mais espaçadas e não condicionadas por tempo? Pelo simples fato que sua rede de concessionárias não comportaria um fluxo intenso de por exemplo de 6 em 6 meses se todos (ou pelo menos maioria) trouxessem seus carros para revisão para manter a garantia.

Imaginem uma desejada marca que é conhecida por revisões caras e com espaçamento “variável” (alguns reclamam que o carro pede revisão a cada 3.000km), fizesse uso de sua reconhecida qualidade de construção e suas revisões fossem espaçadas? O fluxo de oficina seria baixíssimo, não manteria a operação.

Mas voltando às vendas e relacionado a lucratividade, basicamente existem carros que são os “carros-chefes” que possuem uma alta lucratividade mas existem alguns (raros) cuja a margem para a concessionária de fato é mais apertada. Aqui vem um fato curioso, e que me chama muito a atenção, carros e versões de “lucratividade baixa” em geral atraem poucos clientes.

Margens maiores em modelos mais baratos

Neste momento não vou entrar no mérito do ágio praticado, mas apenas exemplificar o que relatei acima. Um determinado modelo na sua versão básica tinha seu preço sugerido em aproximadamente R$ 65.800, contudo seu preço de nota fiscal real era de R$ 48.000 aproximadamente. Ou seja quando ocorreu uma promoção que tal modelo foi vendido por R$ 59.900 (e vendeu muito), as concessionárias ainda tinham quase R$ 12.000 livres. Ao passo que a versão esportiva, mais cara deste mesmo modelo, tinha como preço sugerido o valor de R$ 99.500, já o seu preço de nota fiscal real era de R$ 92.500. Ou seja, sem promoções, a diferença era de “apenas” R$ 7.000.

Em outra marca, um exemplo era um veículo, importado, com preço sugerido de R$ 75.800 (contudo a marca incentivava a praticar R$ 80.000 pois na época os valores não eram divulgados no site) tinha como valor de nota R$ 58.000. Já outro modelo com preço sugerido de R$ 52.000 tinha como valor de nota fiscal R$ 47.000.

Não acredite em promoções “pelo preço de nota fiscal de fábrica”, nunca vi uma nota fiscal de fábrica com o preço verdadeiro de fábrica na mão de um cliente final. Taxa de 0% ou ainda 0,99% em concessionária também não existe. É uma operação chamada de “taxa de rebate”.

Taxa de rebate

No que consiste a tal taxa de rebate? É utilizar um desconto que poderia ser dado para o cliente, para bancar o juro do banco. Exemplificando: O carro “x” custa R$ 50.000, e pode ser vendido na condição de entrada de 60% + 24x sem juros. Claro, que existe a tarifa de abertura de crédito e taxinhas ocultas (que no final resultariam em aproximadamente R$ 2.000), mas vamos fantasiar que o mundo é perfeito e arredondando o valor, então a conta seria R$30.000 + 24x de R$ 833.

Trazendo a conta para o mundo real, utilizando uma taxa real viável e bem otimista para pessoas comuns (taxa vendida na concessionária, não entra nesta conta se a pessoa quiser utilizar seu próprio banco) que é algo em torno de 1,7%, os R$ 20.000 financiados irão transformar-se em R$ 24.500 (sendo otimista) pelo menos.

Traduzindo, neste caso o valor do desconto no carro poderia facilmente ser de R$ 4.500,00, no caso de uma compra à vista, ou utilizando o financiamento do seu banco (banco o qual você tem conta), este último caso explicarei abaixo. Isto é uma tática para o negócio parecer vantajoso, e para não nivelar o preço do carro por baixo, pois é sabido que depois que o preço baixa, dificilmente consegue-se “recuperar” o patamar anterior sem tem que alterar o modelo, então este é o meio de “mascarar” o valor sem de fato alterar o preço para baixo.

Ao contrário do que muitos pensam, as concessionárias não gostam de vender à vista. Em outras palavras, falar para o vendedor a frase “pagando à vista, qual o desconto que terei?”, pode ter certeza que não chegará na melhor negociação possível. Não se esqueçam, a loja SEMPRE vai receber a vista. O financiamento que o cliente faz, é com o banco, e o banco paga à vista a loja. Não importa para a concessionária, por onde vem o dinheiro se diretamente da conta bancária do cliente ou se oriundo de um financiamento.

É muito mais fácil barganhar preço utilizando o financiamento “normal” vendido pela concessionária (não os financiamentos promocionais que mencionei anteriormente). Explicando, a concessionária, além do lucro sobre o veículo vendido, ela recebe comissão dos bancos e seguradoras para vender os serviços, no caso dos bancos, por vender financiamentos.

Taxa de retorno

E aqui entra a já conhecida por alguns e por outros nem tanto, chamada “taxa de retorno”, que basicamente consiste na escolha, por parte do vendedor, da comissão que a concessionária (e ele) receberá do banco por ter vendido o financiamento.

O funcionamento da taxa de retorno é o seguinte, na hora de calcular o financiamento, normalmente o vendedor tem diversas tabelas com números que não fazem muito sentido para quem é leigo no assunto, mas basicamente as linhas são os prazos e as colunas o percentual de retorno (comissão), algumas concessionárias colocam essas tabelas dentro de pastas para disfarçar, mas basicamente é, quanto maior a taxa de retorno aplicada, mais o cliente pagará de juros e mais a concessionária (e o vendedor) receberá de comissão.

Normalmente vão de escalas de 0 a 12 (ou 10 dependendo do banco), e cada escala significa uma “comissão” de 1,2% sobre o total financiado. Não importa o prazo, por sinal em prazos menores os juros mensais mais altos.
Ou seja, em uma conta fácil, imagine um financiamento de R$ 10.000, aplicando uma tabela “3” (facílima de aplicar), a comissão seria de R$ 360 (sobre este valor, depende do acordo existente na concessionária, mas em média o vendedor teria direito entre 8% a 20%).

Parece pouco, mas a maioria financia valores superiores e normalmente utiliza-se tabelas entre 4 a 6. No caso de R$ 30.000 financiado com uma tabela “5”, teríamos R$ 1.800 extras no financiamento. Ou seja, se você comprar um carro de R$ 40.000, “ganhar” um desconto de R$ 2.000 e financiar R$ 30.000, o banco está feliz pelos juros que você vai pagar, e a concessionária mais ainda pois vendeu o carro pelo preço cheio. Afinal os R$ 2.000 que ela deu de desconto, ela recuperou com o banco. E o cliente super satisfeito pois “arrancou” 5% de desconto no preço do carro.

Este é um caso bem comum, fora as situações onde a concessionária recebe mais ainda do que o desconto que fora concedido. E para acontecer isso é muito simples. Basta o cliente pedir para o vendedor calcular diferentes prazos, em diferentes bancos, na salada de números o cliente acaba concentrando-se na parcela, então no jogo de números o vendedor dá o bote, passando uma parcela mais baixa mas com um percentual de retorno maior. O “golpe” é simples, utiliza-se um prazo imediatamente superior e duas “tabelas” mais altas, a prestação dilui e como o prazo é maior, o cliente leigo, não consegue perceber o aumento do juros aplicado já que a prestação está menor.

Quando o vendedor informa que é “indiferente” com relação ao fato que o cliente vai verificar com o gerente do banco do qual ele é cliente se consegue taxas melhor, ele está mentindo, pois é algo a menos que está vendendo. E isso, prejudica a negociação, pois entra no mesmo cenário do “vou pagar à vista”.

A melhor negociação e o último dia do mês

Resumindo a melhor negociação possível é fazer de conta que irá utilizar o serviço de banco que a concessionária está tentando vender, achar ótimos os juros e prestações sugeridas, mas barganhar desconto. Em outras palavras, focar no preço do carro, e passar a ideia que de fato vai financiar um valor alto com a concessionária. Afinal quanto maior o valor a ser financiado, mais a concessionária receberá proporcionalmente.

Quando perceber que não consegue nada mais no preço, então aceite a negociação e então diga sua real forma de pagamento. O vendedor estará desarmado neste momento. Outra situação, é que existe uma crença forte que os últimos dias do mês são os ideais para comprar carro, em função das metas e cotas. Isto faz sentido, pois de fato as concessionárias possuem um fechamento mensal que é no último dia possível do mês para emitir a nota fiscal para agregar no número de vendas.

Em outras palavras as concessionárias querem vender, contudo isso não significa que os vendedores estejam com a mesma “sede”. A resposta é simples, normalmente a folha de pagamento das concessionárias, fecha dias antes. Ou seja, é comum contabilizar as comissões entre os dias 20 a 20 de cada mês (exemplo de 20 de janeiro à 20 de fevereiro).

Ou seja, o vendedores estarão ávidos, nos dias próximos ao final do período contábil das comissões. Não tem como tentar adivinhar isso, mas digo começar a sondar pelo dia 15 do mês e jogar a isca para o vendedor, pode ter certeza que ele começará a correr atrás para concretizar a venda quanto mais estiver próximo do período de fechamento.

Onde o vendedor ganha mais?

Mas enfim, toda essa conversa e qual é a real remuneração de um vendedor de uma concessionária? A resposta é que isso varia muito de marca para marca, e nos serviços oferecidos (financiamentos, seguros, garantias estendidas, emplacamento, este último é um comissionamento vender o serviço do despachante da loja) mas todas tendem a seguir uma de duas metodologias que são as mais comuns, mas antes de demonstrar as metodologias, vou citar as três maiores fontes que agregam à renda (não necessariamente salário) de um vendedor de automóveis:

1- comissão sobre a venda de veículos ;

2- venda de acessórios ;

3- venda de financiamentos.

Existem outras fontes, como seguros, consórcios, garantias estendidas, mas em geral apesar de atrativas acabam tendo um volume um pouco menor. Com relação a comissão de venda de veículos, basicamente existe a modalidade de comissionamento onde a comissão é baseada em um percentual da venda do veículo, que no mercado em geral varia de 0.3% a 0.8% de acordo com a concessionária, sendo que em muitas este percentual é variável, por exemplo estipula-se que se um carro for vendido pelo com “ágio cheio” (sim existe incentivo para vender o carro com ágio), a comissão será de 0.8%, mas se for dado desconto (redução do ágio) este percentual vai baixando, até chegar no preço sugerido (ou menor) onde o percentual da comissão será o mínimo.

A outra metodologia é a da comissão baseada no valor do lucro gerado pelo veículo vendido, neste caso o valor fica em torno de 8%. Traduzindo, por quanto mais caro o carro for vendido, a comissão será consideravelmente maior.

Já na venda de acessórios, os percentuais são muito mais generosos, e digo que é fácil (dependendo da concessionária) ter em uma venda um valor de comissão por acessórios superior que a venda de um veículo, trabalhei com comissões de 20% sobre o lucro em acessórios. E como sabemos os acessórios em concessionária tem muito mais que o dobro do valor. Algumas concessionárias incluem no salário, outras pagam “por fora”.

Com financiamentos, eu expliquei anteriormente. Mas fica fácil entender, em cima, baseado na “tabela” aplicada, o vendedor recebe um percentual (trabalhei com valores entre 8% a 20%), então torna-se uma remuneração também muito atraente. Aqui, ou os bancos pagam diretamente o vendedor com uma ordem de pagamento, ou a concessionária repassa “por fora”.

Baseado nestes três itens acima, fica fácil entender o jogo de números que é feito no momento de uma venda. O vendedor pode trabalhar reduzir uma ponta (em geral no preço do carro), mas tentará compensar nos outros dois itens que resultam em uma rentabilidade até superior que a venda do veículo. É fácil em uma venda ganhar mais nos acessórios, do que com a venda do veículo em si, com os financiamentos é a mesma situação. Pois pensando friamente, a comissão do carro em si é baixa, a concessionária é quem lucra muito.

Os números

Então, simulando uma venda de um carro de R$ 65.000, vendido sem ágio (no cenário 0.3% que é bastante comum quando as vendas esfriam) tendo o cliente financiado metade do valor em uma tabela “4” (calculando um valor de 20% que o vendedor receberá do retorno), e gastando R$ 3.000 em acessórios (digamos uma central multimídia).

Pelo carro vendido, terá recebido R$ 195. Pelo financiamento de R$ 32.500 recebe-se no exemplo citado R$312. Já pelos acessório, vamos pensar que o custo tenha sido de 50%, gerando um lucro de R$1.500 neste caso rende para o vendedor R$ 300.

Chegamos em uma excelente venda onde o vendedor recebeu ao todo R$ 807, claro que isso pode variar, usei um percentual ruim, junto com um médio aliado à um excelente. Claro que não é o caso da maioria das vendas, pois é importante frisar que são poucos clientes que gastam muito com acessórios, mas lembre que aquela película que o vendedor “lhe deu de brinde”, mas que estranhamente não consta no valor do carro mas que você ignora por ser tão pouco, rendeu uns trocados para o vendedor (se lançar como R$ 200 resulta em R$ 20 supondo um custo de 50%) que somando cada veículo vendido com o “brinde”, acaba fazendo-se um “troco” considerável.

Resumindo existem várias formas de o vendedor “engordar” sua renda jogando os números. Traduzindo é possível construir um bom salário como vendedor de carros, alcançando valores consideravelmente superiores aos de muitos profissionais de nível superior completo e bem alocados no mercado.

Mas isso cobra um preço, na verdade “alguns preços”. Primeiro é que deve-se trabalhar muito (nada menos que 60 horas por semana, e estar SEMPRE disponível no telefone celular, seja no dia de folga, em algum feriado, fora do horário normal de expediente). Segundo ponto, é a sazonalidade do mercado. Neste caso em períodos normais ou de vendas em alta, tudo é “lindo e maravilhoso”, mas quando o mercado entra em crise ou ainda se o “carro chefe” da marca começa a deixar de ser desejado pelos consumidores, o inferno começa a “chamar”.

Conta rápida para entender o raciocínio, partindo como exemplo uma concessionária que venda em média com mercado aquecido 150 carros mês e que tenha 10 vendedores, resulta numa média de 15 carros para cada vendedor (claro se todos tiverem a mesma produtividade o que é impossível), e por algum motivo que pode ser uma mudança de cotas de importação, crise nos EUA, uma obra na cidade que atrapalhe o trânsito de acesso à loja, facilmente pode ter sua média reduzida abruptamente para 100 carros, o que resulta em 10 carros por vendedor.

Para a loja não é um problema, pois como expliquei a venda de carros é a operação de lucro, então uma redução nas vendas por alguns meses não vai “fechar a loja” (a menos que tenha problemas de administração), mas a vida do vendedor vai sofrer um impacto, principalmente por que no momento de “recessão”, menos financiamentos são vendidos. E então começa uma linha tênue, onde cada venda de cada carro torna-se uma mistura de desespero e alívio momentâneo (se concretizada a venda).

O dilema moral

Neste ponto é bom e ruim para o consumidor, pois o vendedor queimará todas as margens, fará de tudo para vender, inclusive será induzido a mentir, omitir informações buscando sem escrúpulos forçar o fechamento de uma negociação. Isto é a parte crítica, onde realmente o profissional tem que ter estômago para ter paz consigo mesmo. Eu não tive.

Não critico nem condeno os vendedores que “não estão nem aí” em forçar uma negociação, o problema é que o sistema induz a isso, as concessionárias estimulam a competição entre os vendedores, e adotam a filosofia do “se estás ganhando pouco é por que não está se esforçando”, gerentes e diretores incentivam a “desonestidade”, a preocupação é que o cliente não precisa estar satisfeito, mas pensar que está satisfeito com a compra por achar ter feito um excelente negócio, isto é visto como algo “natural”.

Claro que não concordo que a pessoa, no caso o vendedor, deva se render ao sistema, mas para participar dessa brincadeira e levar isso de fato como carreira, em algum momento obrigatoriamente terá que “enganar” algum cliente, senão as contas pessoais não poderão ser pagas!

E antes que venha algum argumento, do tipo “juntar dinheiro” nas épocas boas, o mercado é muito dinâmico, e existem muitas marcas e modelos atualmente disponíveis no mercado (por mais que o nível seja baixo), então pensando-se que se tem que guardar o dinheiro imaginando que o mês seguinte pode ser ruim, entra-se num ciclo onde se trabalha muito, ganha-se bem, mas não dá para “curtir” o mesmo com tranquilidade. O problema não é um ou dois meses ruins, mas uma sequência de meses ruins, e isso acontece sem dar indícios, quando menos espera-se.

Depois da experiência que tive em diferentes marcas, posso classificar o mercado de automóveis como um meio “podre”. Infelizmente, ética não tem valor algum neste meio. Como falei, trata-se de emprego que resulta em uma boa rentabilidade mas que pode literalmente enlouquecer quem foi criado prezando princípios éticos.

Mas não pode-se condenar quem trabalha, pois realmente a remuneração é de fato muito atrativa e querendo ou não o mundo é feito por predadores e presas, e não existe sentido “deixar de colocar comida para dentro de casa” por achar que está fazendo algo não ético, pois afinal a lei e as autoridades permitem que isso seja feito, que o mercado proceda deste jeito.

Mudam as marcas, o CNPJ, mas as regras do jogo no final das contas são as mesmas. Complementando, antes que algum vendedor sinta-se ofendido, não sou vendedor frustrado, apenas quis expor para os leitores NA os “bastidores” do que acontece em muitas concessionárias e qual é a realidade das negociações nas vendas de veículos, pois temos muitos comentários de consumidores, alguns vendedores, mas nunca vi um relato sobre o que “acontece” dentro de muitas concessionárias as quais são “endeusadas” como “templos” de carros 0km.

Acho que não preciso responder a pergunta: “O que levou-me a sair do ramo?”

A propósito, ganhei dinheiro sim, mas prefiro minha vida atual com um salário razoável, trabalhando 40 horas por semana, com qualidade de vida e paz de espírito. O bom é que aprendi como comprar carro e o quão atento preciso ser ao levar para as revisões.





  • Resumo ?

    • Anderson_sp

      Não alimente expectativas de ficar rico vendendo carros.

      • Excepcional texto!

        É por tudo isso que o melhor negócio é comprar carro seminovo, à vista, de terceiros (óbvio que escolhendo bem o estado de conservação do carro).

    • VictorHugo

      Impressão minha ou na parte do veículo normal e esportivo pelos valores seriam do Jetta ?

      • schweinerei

        Pensei em Honda. Civic Si por R$ 99.500,00

        • Pensei no corolla e corolla xrs! Jetta não é pq ele não trabalhou nas quatro grandes marcas! Pode ser o Civic tambem…

          • Pedro_Rocha

            O Corolla XRS nunca custou mais que o Altis. A impressão que tive é que era a Kia com o Cerato e o Cerato Koup.

            • Credison Silva

              kia não é japonesa, é coreana

        • Thiago

          Tbm pensei no CIVIC, e tirando por base que ele citou marcas japonesas, acho q eh isso mesmo. Não lembro de corolla "esportivo" por 95k .. a versão altis não é esportiva, é "luxuosa", e ainda fica longe desse valor.

      • Leandro1978

        Ele afirma:

        "Não trabalhei nas “quatro grandes”. Trabalhei em marcas ditas como “superiores em qualidade”, e, digamos que tive uma grande experiência com as marcas japonesas"

        • Quando ele disse caminhonete de luxo, pensei logo em Toyota e nessa frase acima, na Honda… Também há várias citações relativas a Hyundai.

          • Credison Silva

            a caminhonete pode ser a CRV, ou a hilux, rw4

      • bow

        foi a mesma que eu tive

    • Edson Roberto

      Resumo? Se tiver realmente lido tudo, vc ao mesmo tempo aprende muito sobre como comprar carros 0km. E são muitos que sequer sabem e essa noticia vem muito bem a calhar.

      • Como comprar carros 0km: não comprar.

      • rafa_marcao

        O cara me fala em resumo…. O famoso cara que não lê contratos…

      • luciana

        Acabei aprendendo com o "estômago" muitas das dicas dadas pelo texto; descobri que concessionária detesta vender a vista; que é melhor negociar no fim do mês; que temos de tomar muito cuidado com as tabelas de juros, porque a diferença fica diluída nas prestações. Fiz ano passado uma negociação excelente para o mercado brasileiro, fechando financiamento de rebate (é ilusão achar que a concessionária vai dar o desconto no valor do rebate para pagamento a vista; não vai, eu tentei) e depois quitando antecipadamente o carnê, para efetivamente embolsar parte do "desconto".
        Outra coisa que eu notei é que o mercado é excessivamente machista; quando eu ia sozinha negociar, nunca conseguia nada bom, tentavam me empurrar branco por 5 mil reais alegando que era a cor da moda (para um vendedor eu respondi: "moço, o preto anda igual ao branco? sim? Então eu fico com o preto mesmo") e um vendedor inclusive tentou me vender uma SUV no lugar do compacto esportivo que me interessava, como se o público de um e do outro fosse o mesmo, ou como, sei lá, eu tivesse cara de soccer mom.
        Depois que eu fui com o meu marido, a negociação foi bem mais fácil, tentaram enrolar menos, admitiram parte dessas práticas quando ele mostrava que o juro do financiamento mais longo era menos vantajoso que o do curto, enfim, as coisas que eu tentava mostrar sem sucesso.

        • Saulo Nardotto

          Luciana, você tem razão quando diz que esse mercado é machista. À época em que minha esposa (que também se chama Luciana) e eu estávamos escolhendo um veículo, ela chegou a entrar em uma loja da Fiat sozinha enquanto me esperava por lá, e assim que chegou foi olhar um Punto de perto e foi abordada por um vendedor que na lata informou o preço do 1.4 atractive de R$ 44.500,00, mas que se fechasse na hora ele podia baixar pra R$42.900,00 em uma das cores sólidas. Simulou o financiamento com uma entrada de R$15.000,00 e 60 parcelas de R$840,00 mais ou menos… fiz o cálculo na hora que cheguei e vi que a taxa de juros chegava a quase 2,20%, quando ele viu que estava calculando, ele perguntou o que achei e eu disse que por esse valor nem ia ver o carro. aí ele baixou pra R$40.000,00 o valor do carro e me convidou a fazer um teste drive, sem que eu fizesse contraproposta alguma…
          Mas acabei não comprando o Punto por achar o motor totalmente subdimensionado para o carro e por que minha mulher precisava de um carro um pouco menor pra estacionar na nossa vaga de garagem.

    • malaman

      Leia o texto e tire suas próprias conclusões. Esperar que os outros lhe expliquem o teor do texto só faz com que repita ideia dos outros, ao invés de ter as sua próprias.

    • rsanque

      Largue de ser preguiçoso :-)

      • felirrari

        Até aqui Sanque? Portela :P

    • ZeroGTR

      Resumo: volte à escola e aprenda a interpretar textos.

    • Uma vez eu vi uma resposta para um acéfalo desses que pediu RESUMO no texto… Era mais ou menos assim:

      "Eu me empenhei em escrever um texto desses, passando o meu conhecimento para alguém que eu sequer conheço e você, um ser parasita, quer apenas sugar uma parca informação. Se você nem ao menos quer se ajudar quem sou eu para querer ajudar alguem como voce".

    • G. B. Pavani

      Quem acha que o individuo que fez esta denuncia esta errado, me mostrem as concessionarias que teem preços reais menores, pois os custos de manter um comercio varia de acordo com a administração de cada um (capacidade administrativa/racionalisação de custos,etç) e, agora os puxa-sacos estão mordidos com a denuncia verdadeira, há isto estão e e´normal, assim como criticar politicos os mesmos ficam ferrados e se achando deuses mas, tem uma solução que esta nas mãos do povo brasileiro que por ignorancia (aí não é so falta de escola) não o fazem: DEIXAR DE COMPRAR POR UM OU DOIS MESES CARROS ZER KM QUE EDUCAREMOS TANTO O GOVERNO COMO OS APROVEITADORES ABUSIVOS DO MERCADO, e só….

    • RoodrigoX

      não gosta ler, o que demonstra que não sabe ler…em nenhum momento encontra-se o termo RESUMO e sim RELATO.
      imagino qdo aparecem contratos para tu leres, aí sim, tu mostra que é herbívoro e não carnívoro…repense tudo, amigo!!!

  • XST150

    Na boa. na minha infância queria trabalhar com isso. mas hoje vejo que não é aquilo tudo que eu pensava e é uma bosta.

    • Até hoje eu pensava em trabalhar com isso.

      • TSThiago

        Não desanime amigo, não é como o nosso amigo relatou. Posso te garantir que tem prós e contras como em todas as profissões ….
        Att

  • Guerra

    Caramba, que texto. Parabéns ao autor. Um dos melhores textos que já lí aqui no NA. Muito interessante.

    Muito do que estava escrito eu já imaginava (trabalho no setor automotivo, mas não em css/revenda) e o texto me esclareceu muitos pontos.

    Legal!!!

    • junio

      Sem dúvida, texto excelente, e condizente com a realidade de mercado. Parabens ao autor

    • EuMeSmObYmYsElF

      é uma experiência pela qual todos deveriam passar pra aprender a comprar carros…

    • Márcio

      Concordo, ótimo texto!

    • AdmSC2003

      Faltou o autor falar um pouco mais do consumidor; tipo aquele que reservou um Veloster por mais de R$ 90.000,00 + R$ 5.000,00 pela cor branca, pagando um sinal para entrar na "grande" fila de espera, sem conhecer o "esportivo" e muito menos, fazer um test drive. Em seguida, ele beija os pés do vendedor e agradece por ter lhe feito o favor de vender o melhor "esportivo" do mundo, com 140 CV e câmbio de dupla embreagem; digno de fazer inveja a qualquer dono de Ferrari.

      • luciana

        Olha, a tática de venda da CAOA foi vergonhosa mesmo, mas nada desmerece a mecânica do carro. O motor podia ser melhor sim, mas na minha opinião, mesmo o GDI vendido lá fora é pouco para o carrinho. De resto, o veículo é impecável, silencioso, confortável, macio, não merece apanhar como apanha aqui, principalmente de gente que nunce nem fez um test-drive em um, que dirá usar no dia-a-dia…

        • Edison Silva

          lentoster, veboster, veloser, escolha.

    • macumba_online

      verdade… esse tem que ficar salvo, e vez ou outra vou voltar aqui pra reler e lembrar das manhas das tabelinhas, e da sequencia pra se comprar…

    • mjprio

      O melhor texto. Acho que inclusive isto deveria ser amplamente divulgado na mídia, de forma a desmascarar esse cartel. Eu estou tendo as mesmas impressões em relação ao meu carro atual, sendo que neste caso na compra eu me safei pois joguei um vendedor contra o outro e consegui comprar o carro mais em conta no preço final, mas amarguei no pós venda, onde eu tive incrivelmente AS MESMAS IMPRESSÕES que o autor do texto!!! Falo da (péssima) css Montanna de Manaus AM. E vou mais longe, TODAS as CSS de Manaus são HORROROSAS!!!! Atendimento péssimo, parecem que não precisam de comissão.

  • ChalMust

    Parabéns pelo texto.
    Realmente existe uma margem de lucro gigante também nas css, pois já sei que as montadoras possuem este mesmo lucro farto ha tempos.
    Já escutei de pessoas de dentro de uma montadora Francesa que o lucro por carro girava em torno de 15% no Brasil.
    Se as css também estão com muita "plata na bolsilha" … realmente temos que colocar o nariz de palhaço.
    Valeu.

    • TSThiago

      Amigo, realmente o lucro é absurdo … mas esse lucro é das montadoras e não das concessionárias !!!!

  • Louis

    Parabéns pelo texto.
    Muito rico em informações. Mas não me surpreendeu as práticas "condenáveis" citadas…
    Aliás, não acho que concessionária ou vendedor deva dar explicações de quanto se ganha em cada negociação. Afinal, alguém aqui fica questionando o salário dos outros (com exceção de salários astronômicos em cargos públicos)?

    • EuMeSmObYmYsElF

      realmente, lucro e salário não devem ser faladas assim abertamente. é uma das bases do capitalismo.. "se a pessoa não sabe o quanto você ganha, vai comprar feliz da vida".. mas que é uma puta sacanagem, isso é…

    • Carvo

      Condenável entre aspas?? Já ouviu falar de ética? Pelo jeito não, imagina como vc se comporta no seu dia a dia profissional…

    • TSThiago

      Você tem toda razão, ninguém tem que saber sobre quanto vc ganha.

  • pablobmw

    Uma terra quase sem lei atras da porta do gerente.

    Queria saber sobre os semi novos e usados pegos na entrada e as css mult marcas.

    • marquito1978

      também queria saber sobre como funciona com os seminovos…

    • Pedro_Rocha

      Se até o Supremo virou terra sem lei com os indicados do PT…

    • mjprio

      Neste caso nas multimarcas e nas ditas "agências" vc tem que estar atento aos carros "maquiados". A trapaça é outra: óleo mais grosso pro carro não chiar, gatilhos de todo tipo com peças de segunda linha, carros com problemas de documentação, etc. Quanto aos carros pegos como entrada , digo a minha experiência: avaliei meu carro e o vendedor do usados deu um valor e ficou justificando uma série de baboseira , meu carro ( Um Pailo fire a gasolina) era mono, da geração anterior, o IPI tava zero ,etc. Fui pra casa. No dia seguinte, o vendedor de novos veio desesperado querendo ver meu carro. Ao ver o carro lindo novinho com 4 pneus Pirelli zerados, som, tudo original , manual, chave reserva, não perguntou se eu queria vender pra ele 500 reais mais barato que a loja, pois o avaliador "repensou" o preço e falou que iria tirar mais mil do preço. Dai, já com com uma comprador pro meu carro no particular, perguntei o seguinte, se meu carro tá lindo porque vcs baixaram o preço? Quer saber vendo por 16500( ele havia me oferecido 14500) . Ele falou ah isso eu não posso pagar! Entaõ falei pra ele obrigado, lamento em dizer que já vendi por 17 mil!!! E ele falou: como: e eu falei vendendo!! Dai sai e , lógico, fiz negocio em outra loja rsrsrs
      Conclusão. Nos seminovos eles veem o carro e jogam o valor lá pra baixo pra tentar passar pros próprios vendedores ou vender com maior margem e melhores condições pois as taxas do seminovo são menos vantajosas e o preço pode ser mais barganhado por causa da FIPE

      • pablobmw

        vlw

      • Silvio

        Trabalhei em concessionária e uma coisa eu posso te garantir, a concessionária faz de tudo para o vendedor não comprar carro algum; Principalmente de cliente da mesma. Em quase todas as que conheço, se o vendedor for pego comprando o veiculo direto do cliente, ou repassando por fora, este será sumariamente demitido na mesma hora! Pense comigo… Se um cliente possuir um carro no valor de R$ 18.000,00, e eu conseguir compra-lo por R$ 13.500,00, terei um lucro de R$ 4.500,00; Mas quando eu vender esse mesmo carro, na troca vou pedir R$ 19.500,00; Onde meu lucro com o mesmo passaria para R$ 6.000,00; Continuando as negociações, ainda consigo tirar em torno de uns R$ 2.000,00 de cima do carro que receberei na troca; O que me geraria um lucro estimado em R$ 8.000,00 em apenas duas negociações; Se eu fizer pelo menos três negócios desses durante o mês, resultaria em uma renda de R$ 24.000,00/ mês! Você imagina uma pessoa que tem uma renda acima de R$ 20.000,00/mês, trabalhando para uma concessionária, cumprindo horário trancado dentro de uma loja??? Com certeza a concessionária perderia o vendedor, e todo o lucro que esse mesmo ficou para si; Se achas esses números que coloquei absurdos, então comece a observar as lojas de veículos que começam com apenas uns quatro ou cinco carros, e dentro de pouco tempo estão em lojas gigantes com quarenta ou cinquenta carros em suas dependências. Você precisa ganhar nos dois (na compra e na venda), senão além de não obter lucro, você com certeza vai quebrar o seu negócio. Além de assinar em baixo do texto publicado, ainda digo que o autor poderia ter se aprofundado mais no assunto pois ficou algumas coisas pra traz…. Ex: Quando falam em bonificação, esse valor é escondido para você ver um preço melhor no teu carro… E pode acreditar em mim, se o teu carro valia R$ 17.000,00, e o vendedor estava te mostrando R$ 14.000,00, é porque na realidade o teu carro estava sendo entregue, por no máximo R$ 13.000,00; A diferença, ele estava tirando dos bônus que ele possuía no dele!! Realmente, REALMENTE, ESSE NEGÓCIO É PODRE!!!!

      • TSThiago

        Amigo, a revenda vive de lucro. Se pagar o valor da tabela para você revende por quanto ?
        Não esqueça que a loja paga imposto sobre a diferença da nota fiscal de entrada e de saída, ele tem que transferir o veículo para o nome da empresa, pagar a comissão do vendedor dar garantia total de 3 meses … né !!!
        Isso sem contar o custo do dinheiro e as variávies como aluguel, preparação, telefone, luz, aguá, contador …. se acham que é tão bom assim e tão fácil assim é simples: Abra uma loja de veículos ….

  • MuriloSoares

    Parabéns ao texto…esclarecendo muitas coisas que eu imaginava, mas não tinha como ter certeza.

  • olivpedro

    Muito bom o texto. Apesar de que muito do que disse não é novidade para quem frequenta concessionárias. Sobre os acessórios, percebi isso na última compra que fiz. O vendedor me deu tapetes e película antes mesmo de eu pedir. Quando foi me entregar a nota do carro, disse que tinha que emitir nota para os brindes, e por conta disso diminuiu o valor do carro na nota fiscal em R$ 300, me fornecendo em separado nota dos acessórios no mesmo valor.

    • luciana

      Olha, vieram me oferecer película de graça uma vez, eu falei "não, obrigada". Na insistência do "é de graça", soltei a máxima do Bob Sharp: "não boto saco de lixo nos vidros".
      Eu *realmente* não uso película, mas é porque ela atrapalha a minha visualização, então prefiro ter segurança e ficar com o carro mais "visado" do que dirigir sem enxergar direito por aí…

      • mjprio

        Saco de lixo mesmo, a que veio no meu carro era uma porcaria!! Além disso o preço é absurdo. Fui colocar os 4 vidros elétricos a interface de vidros e sensor e deu quase 2 mil , reclamei e baixaram pra 1400,, só pra vc ver. E argumentam que é por causa da garantia. Pois bem coloque os acessórios numa boa loja e eles nem perguntam na revisão. A central multimídia que coloquei agora no carro foi meons da metade do valor da que oferecem na loja, sendo que onde vcs acham que eles instalam os acessórios? na mesma loja particular onde comprei a minha central por menos da metade do preço

    • mjprio

      Quanto aos acessórios a manobra é o seguinte: dependendo da css e do acessório, os mesmos não são colocados ali e sim em lojas de acessórios particulares daí a css paga a loja e coloca um sobrepreço em cima. Essa prática é muito comum com bancos de couro, insulfilm, centrais multimidia, estribos , entre outros acessórios que não valem a pena ter em estoque

  • E_OS

    Legal o relato!

  • Omega3

    Vivi experiências desagradáveis também. Apesar de não trabalhar em concessionárias, era inspetor de sinistro de seguradora. O que via ? Serviços de lanternagem e pintura porcamente executados (qualquer oficina razoável faria melhor). Funcionários dormindo na hora do almoço dentro de carros de clientes, com ar e som ligados, diagnósticos de mecânica medíocres e pressa para cumprir o serviço.

    Sem falar na maneira com que ligavam os carros (0 km ou de clientes) pela manhã, para manobrá-los. Acelerando tudo com o motor frio, arranhando o câmbio, cantando pneus, etc.

    E vi vários carros 0Km, com mossas e arranhões (vocês acham que os funcionários tem amor por estes veículos ? abriam a porta do carro, sem se importarem com o carro ao lado). O conserto, é claro, feito por um martelinho de ouro amador, que ía de moto para a oficina.

    Em relação à manutenção dos meus carros, tive uma decepção quando levei meu carro (um Civic) para revisão na Honda. Queria fazer a revisão de 4 anos, mas o "consultor técnico" alegava que tal revisão não existia. Eu teria que aceitar a revisão de 40.000 Km, que era muito diferente em termos de serviços e trocas de peças, em relação àquela primeira. Ignorância, má fé ou pouco caso do "consultor" ? não conseguindo convencer o mesmo da diferença entre as duas revisões, tive que ir embora e procurar uma oficina particular, que executou um serviço muito bom, pela metade do preço.

  • BlueGopher

    Muito interessantes estes detalhes do ramo das concessionárias.
    E isto acontece em todo o comércio (e indústria, e serviços, e política, e etc), as manhas são muitas, leva-se tempo até conhecer bem o ramo de trabalho.

    Talvez por causa deste desconhecimento inicial, novos empreendedores têm sérias dificuldades, suas recém abertas empresas acabam fechando as portas com pouco tempo de vida.
    Geralmente eles não calculam este tempo inicial de aprendizado, nem a reserva financeira necessária até o novo negócio decolar.

  • zeuslinux

    EXCELENTE TEXTO !

    Trabalhar em concessionária deve ser bem estressante para quem é honesto. Me lembrou muito o tipo de trabalho de corretor de imóveis.

  • Navaman74

    Muito bom o texto. Obrigado por compartilhar suas experiências.

  • MuriloSoares

    Algo muito parecido com o setor automotivo, deve ser o imobiliário.

    • AutoNacional

      Com absoluta certeza. Agora te falo algo, todo o ramo de venda é assim. Um exemplo, posto de gasolina, acredite, o que menos da lucro é o combustível.

    • Pedro_Rocha

      Garanto a você que o setor imobiliário é muito pior. Sofri por meses até achar uma imobiliária séria, no caso em Macaé/RJ.

    • E o setor educacional, e o setor alimentício, e o setor…

  • zeuslinux

    Imaginem como deve ser o trabalho de um vendedor de carros usados de lojas multimarca…

    Eu nunca gostei muito de lidar com vendas nem tenho saco para aguentar certas pessoas e por isso sempre preferi trabalhar com máquinas e cálculos. Eu acho que preferia ser mecânico ou consultor técnico, mesmo que não ganhasse tanto.

    Mas fico imaginando como deve ser estressante ter que lidar com a péssima qualificação de muitos mecânicos no Brasil. Eu sofro isso diariamente, só que em outra área técnica. Não é à toa que estamos atrasados e, pelo jeito, continuaremos assim enquanto a educação não for de qualidade para a grande maioria.

    • sergiopsy

      Multimarcas e multipreços, vc pode ir a uma loja destas e a cada vez que vc entrar e se dirigir a um vendedor diferente vc tera preços diferentes, assim como mentiras diferentes para o mesmo automovel.

  • Maik

    Sou colega de profissão do amigo e pelo relato, creio que já deve fazer um tempo que ele saiu do ramo. Comissões sobre financiamentos existem sim, mas em escalas bem menores.

    • JPaulo10

      Então, por favor, me explique.
      Supondo que eu queira comprar um veículo 0km, à vista, sem dar carro usado como entrada, como posso ter um desconto?
      Afinal, meu dinheiro entra "limpo" e rápido na ccs.

      • Rafael

        Tb sou colega de profissao de Maik, e o que ele argumentou e verdade, as margens hoje de financiamento existem, mas sao beeeem menores ao relatado no texto e como o proprio texto diz, o relato e das concessionarias as quais o leitor trabalhou nao podendo generalizar, concordo com varias coisas mas muitas outras nao, como briga entre consultores e vendedores, vendendo carros sem os comprar, etc.

        • Anonimo

          Amigo as comissões de financiamento hoje em dia não chegam nem a 1/3 do que eram antigamente, e a questão da TAXA DE REBATE que informado ele tamebm se precipitou, taxa de rebate so é usado em carros muito caros, mas eu por exemplo vendo VW e lhe digo, existe SIM Gol, Fox etc.. com taxas de 0,49%, 0,99% com o mesmo preço !!! E graças a DEUS, prefiro não vender do que enganar um cliente, pq tenho pricnipios CRISTÃOS, e naminha opinião ainda existe sim vendedores honestos !! E uma dica, Assista A VIRADA !! Abraço

      • Maik

        Meu caro, Tudo depende da maneira que o negócio é conduzido, tanto pelo vendedor como pelo gerente da ccs! Outros fatores também devem ser considerados: tempo de estoque, metas da loja, margem de lucro, cortesias concedidas , etc. Muitos clientes querem rasgar o preço e no final ainda barganhar cortesias….Pra tudo existe limites e o bom senso deve prevalecer entre as partes. É o que eu penso! Sds.

    • luciana

      Então por que a consultora que me vendeu meu carro se recusou a me dar o desconto do rebate para pagar a vista? Eu falei para ela que a única diferença seria que o dinheiro sairia integralmente da minha conta, ao invés de ser pago em parte pelo banco. A resposta foi "é que a concessionária ganha comissão em cima do financiamento, então a gente tem como repassar essa comissão em desconto para o cliente. Pagando a vista não tem como fazer nesse valor".

  • nightwishjp

    Cara, relato mais plausível que já li sobre. Desmascara qualquer discurso da ANFAVEA ou das CSS's.

    • Pare de falar bobagens, esse texto está todo errado, a ANFAVEA nunca iria mentir que cada carro só gera 200 reais de lucro pra concessionária!

      • nightwishjp

        Sério isso, brother?

        • Saulo Nardotto

          Claro que não ele não falou sério, né?!?

          • nightwishjp

            Olha embaixo, Saulo e vê que ele falou sério isso. IUHSAIUHSAIUHSAIUH

      • MarcioR

        Véi, vc leu mesmo a reportagem??? Os R$ 200,00 de lucro não é para a concessionária, mas sim o lucro de comissão do vendedor pela venda do carro…

        • Pode ser, devo ter me confundido, mas tenho certeza que a ANFAVEA é uma associação idônea, que não pratica estratégias proibidas como cartel, e recebe apenas lucros justos e baixos, pensando sempre no consumidor final.

  • lexbh

    Algumas coisas eu já imaginava mesmo, ele só confirmou. Agora o que foi bom é a dica de tentar levar o valor do carro ao maximo pra baixo falando que vai financiar… Não havia pensado assim!E outra, tambem achava que era ideal comprar no fim do mes mas nao havia pensado no esquema de comissão;

    • Lincoln

      Isso não adianta, já tentei fazer isso, mas quando você diz que vai financiar por conta própria eles se recusam a passar os dados do carro para você fazer o financiamento pelo seu Banco. O que você pode fazer é acionar o Procon porque está prática caracteriza venda casada pois o bem que você quer é o carro e não o financiamento.
      Mas se você for um cara muito paciente, compre o carro, pague todas as taxas (serviços de terceiros, gravame, taxa de avaliação do bem, taxa de cadastro, …) assim como eu fiz, e abra um processo para reaver o valor em dobro e danos morais por ter sido dissuadido a adquirir o bem somente sobre esta condição unilateral

      • EltimLopes

        Comigo funcionou briguei pelo preço (abaixou R$ 3.000,00), falei que iria fianciar, ele calculou o dele e no final fechei em meu banco.

  • Rockman-X

    Épic! Imprimi, li, reli e estou passando adiante as informações. Isso esclareceu muitas dúvidas.

  • TWA

    por isso sempre compro carros de terceiros e á vista… assim, quem diz o preço sou eu !

    • Salgado2013

      to no mesmo time!!

      • mjprio

        gostaria de fazer o mesmo se eu tivesse a certeza de que o vendedor tem zelo pelo carro como eu tenho. Meus dois carros que vendi, foram de boca em menos de um dia de anuncio, pois os compradores ficaram impressionados com o estado de conservação. Um comprou o carro sem ve-lo antes por indicação de uma amigo meu que conhecia; e o outro conhecia o carro e já queria transferir o dinheiro na hora sem ao menos andar. Pois eu fiz questão de que ele desse uma volta no carro e expliquei também que o mesmo estava com um problema no interruptor do ar condicionado, o qual fiz questão de abater do preço já combinado o sobressalente e o serviço. Mas será que tem gente assim??

    • TSThiago

      Boa sorte ! Só não esqueça que hoje o particular é mais esperto que o lojista ….

  • Um dos melhores textos que já li no NA… Parabéns!!!

  • MarcosBittencourt

    Muito bom seu relato, e por eu trabalhar no comércio (Não no ramo automotivo) a essência é a mesma em QUALQUER ramo: vender o mais caro possível e comprar pelo menor preço que der, e deixar a conta na mão do consumidor.
    Por várias vezes eu defendi tanto montadora quanto concessionário por causa dos "altos lucros", e depois desse relato onde mostra a realidade por trás dos preços dos carros, não vou mudar minha opinião: "O dinheiro foi feito para se multiplicar".
    Resumindo: Ta caro? Ou você não guardou dinheiro suficiente, ou esse produto não é para o seu nível econômico. Dê o passo do tamanho da perna.

    • João

      que comentário "maravilhoso" e "sensato"

    • Vinicius

      Meu pai trabalha com vendas a 30 anos, e eu estou indo para o mesmo caminho, e falo com propriedade, vender é uma arte, você tem que e satisfazer pessoalmente e financeiramente, tem que deixar o cliente feliz, e seu superior mais feliz ainda. O vendedor que veste a camisa, usa os argumentos que tem e os que não tem para finalizar a compra. E o cara que é bom mesmo, ele pensa em como fidelizar o cliente, então nisso, um cliente satisfeito, é muito importante. Pode ser um desconto de 1 real, ou apenas um financiamento aparentemente melhor, fazer o cliente abrir um sorriso é uma das melhores sensações de se trabalhar com vendas. E como o colega falou, acho que no Brasil independente do mercado, trabalhar com vendas, se o cara se dedicar e for bom, ele ganha salários que passam tranquilamente dos 5 dígitos.

      • MarcosBittencourt

        Curiosamente tenho o meu pai também com esse tempo de vendas e ele sempre pregou o que você falou, fidelizar o cliente. Se ele se sentir confortável e feliz com o que ele comprou, ótimo para ele e para o vendedor. Ele vai voltar a comprar ainda mais com você e vai te "devolver" o desconto que você algum dia deu a ele.
        Em pouco tempo que estou na área, e me identifiquei por sinal, aprendo a cada dia que o vendedor tem que nascer para isso. Ele pode ser lapidado, mas dificilmente será um grande se não gostar de fazer aquilo.
        Alguns nasceram para trabalhar em grandes corporações dentro de escritórios, outros nascem para vender produtos e interagir com o consumidor.

        • EltimLopes

          Belos comentários os seus.

    • Alan Navarro

      não funciona bem assim…. isso é custo brasil meu amigo… tem que haver preço justo…

  • Journeyer

    Excelente texto!
    E só vou dizer uma coisa: Como ja se sabe, hoje qualquer empresa têm problemas para contratar, as pessoas não querem estudar, as pessoas não querem aprender, as pessoas só querem saber de futebol, mulher, ir pro bar beber e falar da vida alheia, esse é o maior buraco desses nossos tempos, e isso reflete tanto na nova administração seja de CSS quanto de uma lojinha de fundo de quintal

    Não, não são apenas bons funcionários faltando, faltam bons líderes! gente que soca a mesa e fala: vamos levantar essa ***** aqui e gerar lucros no mercado! vamos trabalhar juntos para oferecer um serviço digno de respeito MUNDIAL!

    Mas fazer o que…Brasileiro é um bicho medíocre

    • Cao

      O que o autor do texto falou não se aprende em lugar nenhum e explica boa parte dos nossos males. Para sobreviver, temos que aprender a ser desonestos.

      • _oliveira

        Eu não sei se te interpretei mal.. Mas o autor não diz que temos que ser desonestos não..
        Isso de ter que ser desonesto para sobreviver é coisa de cabeça pequena.. (de brasileiro)

      • Journeyer

        Não adianta ser desonesto, é até pior que se ferrar sendo honesto, se você faz algo errado e está certo que fazer isso vai te trazer vantagem, pode até ser que você escape uma, duas, ou até três vezes, mas não têm mente podre que sobreviva (a não ser que você tenha muito dinheiro e uma cara de pau que te transforma em um ser cômico até, (Oi Tio Maluf), sendo honesto o importante é você ter equilíbrio e saber seus limites, você não se ferra sendo honesto com boa consciência dos que está fazendo.

        • Pedro_Rocha

          Para se dar bem sendo desonesto tem que ter um "sistema" completo para te dar apoio. Vejam a diferença de penas entre os petistas (Dirceu foi julgado pelo próprio advogado!) e Marcos Valério, que era apenas uma peça do esquema.

    • Freaky_Boss

      Concordo com vc. O "freio moral" do brasileiro é MUITO pequeno.

    • Vinicius

      Estão faltando bons profissionais em todos os setores, todos sem exceção, como você mesmo disse, falta comprometimento, pessoas que vistam a camisa, e falem eu vivo disso, eu preciso dar retorno. Mas também devemos levar em conta que existem muitos "chefes" que não possuem respeito algum para com os seus colaboradores. Para uma empresa funcionar bem, além de um lucro bom, que a mantenha de portas abertas, precisamos de um elo entre "diretoria e chão de fábrica" onde todos falem a mesma língua, sem engrandecimento de nenhuma das partes.

      • Journeyer

        Exatamente, todos trabalhando juntos com toda ética

  • jao_simonetti

    O texto é bom, mas seria melhor se fosse dividido em umas 03 partes: Ficaria menos cansativo e mais organizado.

    Não terminei de ler justamente por ter ficado cansativo aos olhos.

    Mas boa iniciativa!

    • mvnascimento

      Se o texto fosse dividido só em 3 partes, alguém reclamaria disso.
      Se cansou os olhos, talvez você precise de óculos. 8-)

      Cada vez mais as pessoas estão lendo menos. Veja os leitores de manchete, que saem comentando besteiras sem ler a reportagem. Acho que textos longos deveriam existir, cada vez mais, desde que bem escritos, como achei que foi esse…

      • jao_simonetti

        Eu uso óculos.

        Apenas expressei minha opinião. Teu argumento foi evasivo e péssimo para impugná-la.

        Posso te apontar alguns erros de pontuação no texto. Quer ver?

        "Chegamos em uma excelente venda onde o vendedor recebeu ao todo R$ 807, claro que isso pode variar, usei um percentual ruim, junto com um médio aliado à um excelente".

        O certo seria: "…ao todo 807. Claro que isto pode variar – usei um percentual ruim, junto com um médio aliado a (sem crase porque é apenas a preposição 'a' sem artigo) um excelente".

    • Eanes

      cansativo aos olhos? entao vc nunca leu um livro na vida, nem o barquinho amarelo?

      • jao_simonetti

        Fiz duas faculdades e duas pós sem ler nenhum livro. Sou advogado e não leio nenhum processo……..

        O texto é bom, mas é mal escrito – cheio de "vai e vem" (sem objetividade, coerência e coesão), pontuação ruim e muito mal distribuído (não segue nenhuma regra). O cara teve boa intenção e o texto dele tem um conteúdo muito bom. Não obstante, perdeu-se.

        Livros são divididos em capítulos e a escrita segue padrões da norma culta. Para quem não tem experiência com escrita, o correto é dividir o texto em 03 partes (capítulos: 1-venda, 2-pós venda e 3-lucro). O que impugno é justamente isto.

        • Magnosama

          os livros que vc lê,
          com capítulos mais curtos que este texto,
          devem ser ótima leitura. Ótima.

          • jao_simonetti

            Tua cerceada capacidade cognitiva te deixa tolhido em entender a semântica de meu supracitado comentário.

            Tentarei "desenhar": Para quem não está acostumado a escrever um texto (elementos básicos: Contexto, coesão e coerência), sugiro que o divida em capítulos. Nesta vicissitude, tornar-se-á mais fácil expor os argumentos, mediante uma pontuação mais adequada.

            • Dilson Noronha

              "Tua cerceada capacidade cognitiva te deixa tolhido em entender a semântica de meu supracitado comentário."
              Que frase ridícula é essa?! E, aparentemente, largou esse tolete aí achando que estava ensinando o mundo a escrever. Confunde escrever de forma rebuscada com a capacidade de construir uma argumentação coerente num texto claro. Não surpreende. A maioria dos advogados não sabem mesmo escrever. Muito menos argumentar. E bem menos ainda o significado de "coerência". Ainda assim, nem o mais fajuto rábula de porta de xadrez discutiria com meninada de fórum de internet usando o argumento "posso apontar erros de pontuação no teu texto, quer ver?" O devogado aí deve ser o Dotô Pasquale.
              KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

              • Magnosama

                huashuahsuiashuiahuaishiahiahaihasiahuahaihuais…

              • Rarmbrock Pescador Tucunaré

                Kkkkkk

            • Correção

              Correção: depois de "dois pontos", continuasse a frase com letra minúscula.
              "Tentarei "desenhar": Para quem não está acostumado…"
              "(elementos básicos: Contexto, coesão e coerência)"

        • ekler

          Jao…… também achei a mesma coisa, tem alguns parágrafos, que não dava pra ler tudo não, muita canseira……… kkk mas no resumo deu para entender e foi bastante didático.

          • jao_simonetti

            Cansa a vista ler textos extensos e mal escritos… É igual ouvir mulher bêbada enchendo o saco em DR…

    • Magnosama

      vai pro twitter cara,
      talvez 140 caracteres não cansem os seus olhinhos de advogado cansado.

      • jao_simonetti

        Para que tanto stress? Bicho, é carnaval!

        Sei que tu sejas um gordinho feio e chato que não pega mulher, por isto fica dando "piti" em fóruns.

        Mas te sugiro sair – vai que alguma baranguinha bêbada te dá bola! É bem melhor do que ficar se estressando e agindo como valentão que só xinga escondido atrás de um computador…

        • Magnosama

          mas não te xinguei, muito menos fui "valentão",
          só te indiquei uma leitura mais de acordo com o seu perfil. ;-)

          • jao_simonetti

            O eufemismo empregado ('olhinhos de advogado cansado') é sumariamente interpretado na forma mais explicita possível. Na ausência de argumentos plausíveis para uma discussão saudável, derroca-se para apelação – destarte evasivo argumento.

            Enfim, é carnaval. Espero que siga minha dica e tente pegar umas baranguinhas por ai…

      • Rarmbrock Pescador Tucunaré

        Kkkkk

  • É óbvio que os empresários do ramo se enchem de dinheiro , aqui onde eu moro tem uma CSS da VW chamada Felivel , tem um heliponto em cima , sempre de segunda ou terça feira pela manhã está lá pra todo mundo ver um Bell 429 azul metálico lindíssimo qued é do dono da CSS .

  • Renato

    Sou Gerente de uma concessionária de veículos e gostaria de ter a oportunidade, em nome das concessionárias de veículos e dos profissionais que nela trabalham com honestidade e dedicação, de responder a este cidadão. Com certeza ele deve ter sido desligado não apenas pelo seu desempenho comercial, mas, pelo que vejo, por seu perfil pessoal. O texto tem afirmações corretas e muitas incorretas, que podem levar o leitor a achar que todas as concessionárias de veículos trabalham desta maneira. E, caso seja real tudo o que ele afirmou da concessionária em que ele trabalhava, tenho certeza que o grupo deve estar passando por sérios problemas de qualidade gerencial e administrativa. Gostaria que o Éber me mandasse, por email, instruções de como respondê-lo, para que se faça justiça às empresas que trabalham correta e eticamente e aos milhares de profissionais que trabalham no setor. Grato.

    • mis

      Ou ele expôs a situação atual da palhaçada automotiva brasileira, e o senhor se ofendeu por ele estar falando o que realmente acontece, claro que nem todas as concessionárias devem ser assim, mas com certeza em relação a muita coisa que foi dita no texto, realmente acontece nas concessionárias, o que é deplorável.

      • mjprio

        Faço coro contigo! Se a pessoa tem escrúpulos não tem que se ofender por si e pelos que trabalham honestamente. Ele foi bem claro nas observações e exceções. E no mais ninguém aqui é idiota ou inocente de achar que isso não acontece. E muitos acabam se vendendo ao esquema das css por não querer perder o emprego e deixar de sustentar sua família

    • Cao

      Em nenhum momento o autor do texto generalizou. Não veja pelo em ovo. O que ele diz no texto, ainda que não tenha generalizado, AJUDA O CONSUMIDOR. Se tem algo a responder que seja valioso para o CONSUMIDOR, faça por aqui. Se não, guarde seu corporativismo e instinto de auto-proteção para si próprio, pois ele não interessa a ninguém.

    • O texto não leva leitor algum a pensar que todas as concessionárias agem assim, pois logo no começo colocamos um parágrafo bem grande dizendo que não é uma generalização, você chegou a ler o primeiro parágrafo?

      • ZeroGTR

        *clap* *clap* *clap*

        • allan

          continuacao do clap clap clap clap clap…

      • Pedro_Rocha

        Mas ainda assim seria interessante deixar ele escrever um texto também. Quanto mais percepções sobre o assunto, melhor.

      • Vinicius

        Ok Eber.

        Vou fazer um comentario a respeito disso.

        O texto em si realmente diz que não é uma generalização, mas essa informação não é levada em consideração observando os comentarios de todos aqui.

        Dá pra contar nos dedos os comentarios que NÃO generalizam o mercado ou os vendedores.

        Na teoria e no papel é uma coisa mas na pratica a visão é outra.

        Por gentileza, me de um feedback de se eu estou certo ou errado.

        Abraco

      • Gustavobrt

        Quando um indivíduo não possui argumentos, parte par a desmoralização.

        "deve ter sido desligado não apenas pelo seu desempenho"

        Ridículo

        Eber, continue com esta saga para a defesa dos consumidores!

    • Wikle

      Acho que sua concessionária é que é exceção. Tenho dezenas casos a relatar de mau atendimento em concessionárias. No último caso, um rádio configurado no site da fábrica tinha um custo de cerca de R$ 1 mil, instalado, e na CC queriam cobrar quase R$ 2 mil quando da encomenda do carro; quase desisti do carro, só levei porque sei que nas outras concessionárias da marca ocorria o mesmo.

    • Simples, envia um e-mail fazendo justiça à todos que trabalham corretos e dentro da ética, más só não esqueça que para se feito essa justiça tem que ter no mínimo três pontos de interesses de todos os leitores do NA, que creio ser eles:

      Qual é o lucro de um carro novo à vista e financiado.

      Quanto lucram na venda dos carros semi-novos dado como parte de pagamento, e que esfolam qualquer cidadão que precise desse artificio para a compra de um caro OKM.

      Quanto lucram na venda de acessórios.

      Dessa forma poderíamos, todos ver o quão errado está o leitor que nos deu esse relato.

      • rpasini1

        Nunca que o cara vai abrir isso.

      • Fernando

        até parece que o cara vai abrir o jogo dessa maneira. os lucros das concessionárias estão aí pra quem quiser pagar. todo lugar existe lucro. todo mundo quer ganhar dinheiro. não seja hipócrita.

        voce contaria aqui os lucros do seu negócio, caso seja dono de um? mesmo que anonimamente.

        se não concorda com os lucros praticados, não compre carro novo.

    • Claudinho

      Sr. Renato, ele citou por diversas vezes no texto que NÃO são todas as css que agem assim.
      Portanto ele não generalizou, se a empresa a qual o sr trabalha age corretamente não deveria se sentir ofendido.

    • MarcosS

      Já eu apostaria no contrário, que a maioria age como foi relatado no texto da matéria e que apenas algumas poucas são realmente 100% honestas. Se a sua concessionária é uma dessas raríssimas 100% honestas, ótimo. E nesse caso, deveria ser do seu interesse ver a verdade vir à tona, ver os maus profissionais do ramo desmascarados. ;)

    • mvnascimento

      Que tal enviar um texto completo como esse para o NA explicando seus pontos de vista sobre financiamentos, comissões e revisões. Mostre para nós, leitores, que existe um mundo diferente do que foi descrito. Faça-nos acreditar nisso.
      Em vez de deduzir porque o cidadão deve ter sido desligado (generalização), mostre quais foram os pontos corretos citados e explique os incorretos.
      Se for bem escrito, porque o NA não publicaria seu texto?

      • Rogerio

        Gostei.

    • laguiar

      Mostre o números reais (fotos?) de sua concessionária se quiser convencer alguém, do contrário será sim somente mais um que age da mesma forma!

    • joel

      dono de concessionaria? chora…

    • luca55ilva

      Vai me desculpar amigo, mas esse seu comentário em tom de ameaça só depõe contra você e contra o que você quer provar, o dono do site não tem obrigação nenhuma de lhe fornecer dados do autor do texto para contato, justamente por causa de pessoas como você ele preferiu se resguardar no direito do anonimato!!

      • Rogerio

        Boa.

    • ZeroGTR

      "Com certeza ele deve ter sido desligado", desculpe, mas não dá pra ter certeza de nada. E o texto foi específico das experiências dele, não precisa vestir a carapuça tão rápido.

      Acho que você deveria levar esse texto de forma construtiva e avaliar se isso acontece na sua empresa. Se não percebeu, a GRANDE maioria aqui tem ou teve experiências parecidas com concessionárias.

      • Gustavobrt

        Quando o cara não tem argumentos, parte para a desmoralização. Ridículo.
        Acontece muito por aí.

    • Salgado2013

      a carapuça servi né !

    • AdmSC2003

      Opa Sr. Renato!!!! O Sr. quer "responder" ao autor? Que tal "responder" aqui no NA!!! Há algo que o Sr. quer fazer e que nós não devamos saber? Se eu tivesse qualquer dúvida na veracidade do conteúdo acima descrito, o seu tom ameaçador já me respondeu. Obrigado!!!!

    • ARMN

      Tem um ditado que diz o seguinte: "a verdade dói".

    • Wladimir

      Renato, sou engenheiro e hoje trabalho em uma montadora. Até 3 anos atrás, trabalhei em uma empresa de consultoria, que vende serviços de engenharia para montadoras. Uma dessas montadoras comprou um pacote de serviços da empresa onde eu trabalhei, que consistia em treinar os funcionários de TODAS (eu disse TODAS) as concessionárias da marca no Brasil, ensinado um novo conceito de atendimento que visava melhoria da qualidade do atendimento nas oficinas e no relacionamento com o cliente final.
      Depois de uns bons pares de anos, após o vencimento do contrato inicial, os frutos foram ridículos. Em mais de 90% dos casos por causa da ganância dos donos das concessionárias, que se recusavam a abrir mão dos altíssimos lucros em nome de melhoria da qualidade e diminuição potencial das visitas às oficinas.
      E as histórias que ouvi dos engenheiros que trabalharam nesse projeto (quase todos AMIGOS meus, ou seja, não precisavam inventar nada) batem em 100% do que eu acabo de ler no texto lá em cima.
      Estou falando de UMA SÓ MONTADORA, mas de TODAS AS CONCESSIONÁRIAS espalhadas pelo Brasil.
      Como já disseram em um dos muitos comentários que li, acho que quem tem de provar que o autor do texto está errado é você, com um outro texto a ser publicado aqui e defendendo eu ponto de vista.
      Senão, continuarei acreditando no que li.
      Abraço.

    • falou agora o joao sem braço ao estilo Lula.." nao sabia d nada"…"nao é bem assim"…aaaaaa vá…mais um querendo convencer sobre a existencia do coelho da pascoa, papai noel e cia….lembre-se do q o autor coloca no texto…tudo isso nao é desonesto, é uma questao d etica, e o jogo d numeros confunde o comprador…e se nao estou enganado qq tipo d venda é assim…engula o saco e roua os cotovelos em silencio…

    • luciana

      Olha, o cara mesmo disse que ele viu isso "nas que ele trabalhou". Não deve ter trabalhado com voce. *Eu* senti na pele praticamente TODAS as pegadinhas descritas no texto; aliás, brasileiro é machista e acha que mulher está aí para ser enganada. Seja na negociação do carro novo, como na revisão do antigo, tudo é mais caro e mais inegociável para a mulher.

    • ronaldo

      O NA deixa claro no inicio do texto:

      ""este texto não tem como objetivo fazer com que nossos leitores pensem que todas as concessionárias agem assim. Também não tem como objetivo denegrir a imagem de qualquer marca, de qualquer concessionária, ou dos funcionários de concessionárias em geral (que aliás compõem uma grande parcela dos leitores do NA). As experiências pelas quais o autor passou se resumem aos locais onde ele trabalhou, e certamente não podemos generalizar os erros e atitudes anti-éticas.""

    • Alan

      claro que o senhor vai defender o seu peixe…….

    • tito

      Desculpe amigo, mas NÃO HÁ GENTE SÉRIA neste segmento. Nem culpo os humildes profissionais de oficinas e outros, mas os gestores e proprietários são TODOS inescrupulosos, bem como as fábricas que os sustentam.
      É uma máfia dedicada a sangrar o ingênuo e emergente povo brasileiro, que coloca o carro novo muito acima de sua real importância….

  • Ric53

    Fantástico!

    Parabéns pelo texto!

  • Diegorji

    Parabéns ao Notícias Automotivas por este tipo de matéria.

    Site com credibilidade que merece todo nosso respeito com matérias memoráveis.

  • Gustavo73

    Mesmo protegido pelo anonimato, parabéns pela coragem.
    Texto muito elucidativo. Mais uma vez parabéns ao autor do texto.

    • Aposto uma Pizza Hut do dia + uma Hut Brigadeiro contigo se esse carro não for o DS3.

      "Em outra marca, um exemplo era um veículo, importado, com preço sugerido de R$ 75.800 (contudo a marca incentivava a praticar R$ 80.000 pois na época os valores não eram divulgados no site) tinha como valor de nota R$ 58.000. Já outro modelo com preço sugerido de R$ 52.000 tinha como valor de nota fiscal R$ 47.000."

      • Gustavo73

        Dudu não parei para pensar nisso não. Rsrs

  • Marquinhos

    ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZzzzzzzzzzzzzzzz vou terminar de ler amanhã, Este é primeiro Longform da NA? kkkkkkkk mas até onde eu li, você disse: pensem em algumas das marcas que mais vendem atualmente, por que suas revisões são mais espaçadas e não condicionadas por tempo? Pelo simples fato que sua rede de concessionárias não comportaria um fluxo intenso de por exemplo de 6 em 6 meses se todos (ou pelo menos maioria) trouxessem seus carros para revisão para manter a garantia. Resposta: Pelo que eu sei a VW por exemplo é de 6 em 6 meses a revisão e é uma marca que mais vende.

    • ZeroGTR

      "Pelo que eu sei" vindo de quem não sabe NADA, não vale muita coisa, colega.

      • Marquinhos

        Se tratando de Educação, pelo que eu li de seus comentários, a Educação nunca foi o seu forte…

        • Vega

          Nada a ver. Não se trata de uma atitude rude, sem consideração do colega.
          É vontade de se aproximar, de ter mais intimidade.

    • EltimLopes

      A FORD é de 6 em 6 meses, mas ele falou fora das 4 grandes… valeu.

  • Diegorji

    Compartilhem no facebook !!!

  • What_the_hell???

    Procurei, procurei e não encontrei a famosa e tradicional "LIVINA VERMELHA" na foto da matéria!!!! Pensei que ela estivesse escondida em algum lugar da foto, do tipo "onde está wally", mas nada! O q houve, Eber?????? Fiquei desapontado!!!! s:)))))))))))))))))))))))))

  • 3dimensional

    Besta de quem enxerga em concessionárias um porto seguro de tranquilidade.
    Esses são os mais enganados…

  • Muito bom o texto!

    Agora ele poderia escrever outro texto sobre o que mudou em seu processo de decisão de compra (novo x usado…).

  • Marcelo

    Pelo jeito uma das que ele trabalhou foi a rede Toyota…

    • portela_lucas_

      É a Toyota sim! Na Nissan não tem carro com versão comum e esportiva, como ele relatou que existia, e na Honda não tem caminhonete. Só sobrou a Toyota de japonesa. A não ser que a Honda que ele trabalhava venda a Ridgeline, ou que a concessionária Nissan tenha um March ´´Sport“ por quase 100K.

      • mho

        Ele falou de uma versão que custava quase 100 mil reais e de outra mais simples de 65 mil.
        Na hora eu pensei: é o Civic Si.

  • Cao

    Tenho algumas dúvidas. Vamos lá:

    TEXTO:

    Resumindo a melhor negociação possível é fazer de conta que irá utilizar o serviço de banco que a concessionária está tentando vender, achar ótimos os juros e prestações sugeridas, mas barganhar desconto. Em outras palavras, focar no preço do carro, e passar a ideia que de fato vai financiar um valor alto com a concessionária. Afinal quanto maior o valor a ser financiado, mais a concessionária receberá proporcionalmente.

    DÚVIDAS: Barganhar desconto onde? No preço à vista ou nas prestações simuladas? Não ficou claro isso. Qual seria uma margem de barganha padrão para sair o negócio? Pode dar um exemplo prático?

    TEXTO:

    "Quando perceber que não consegue nada mais no preço, então aceite a negociação e então diga sua real forma de pagamento. O vendedor estará desarmado neste momento.

    DÚVIDAS: Não entendi a sequência. Como assim dizer sua real forma de pagamento agora? Que diferença prática isso fará em relação ao começo da negociação?

    • Simples. Negocie ao máximo nas condições e taxas que o vendedor oferece.
      Reclame do Juros aplicado, peça desconto em cima do preço do carro (alegando que as o valor pago no juros será alto).

      Pronto! Conseguiu seu desconto, talvez R$500.
      Quando o vendedor oferecer esses R$500/1000,00 em desconto no valor do carro, diga que pagará à vista ou financiará o preço final com seu banco.

      • PLR

        O vendedor simplesmente vai alegar que só consegue dar o desconto atrelado à condição do financiamento com o banco da marca…já vi isso inúmeras vezes.

        • mvnascimento

          Aí você vai embora. Se for perto da época do fechamento das comissões pode ser que ele te ligue….

    • Kadu

      No caso da segunda dúvida, ele quis dizer que você vai conseguir maiores descontos ao financiar o carro, pois o vendedor ganha comissão do banco. Portanto, sinalize que vai aceitar o financiamento proposto, consiga um bom desconto (em teoria o vendedor lhe dará algum desconto pra adoçar a venda, já que ele está ganhando comissão por também estar vendendo o financiamento), e assim que chegar ao limite de onde pode chegar feche o negócio, mas mude de idéia dizendo que vai pagar à vista ou financiar com seu próprio banco. Na teoria, o vendedor lhe daria tudo o que pode, mas você ia passar a perna dele.

      Já sabia disso, pois um amigo do meu pai tem uma revenda e ele sempre falou de como as CSS gostam de financiar, pois ganham comissão dos bancos, e a pior notícia que um vendedor pode receber é de um cliente dizendo que quer pagar à vista.

      Dito isso, eu duvido que a estratégia funcione. Na hora em que você disser que quer pagar à vista ou fazer financiamento particular, eu acho que o vendedor vai cancelar a venda com alguma desculpa. Só vai funcionar se o cara estiver desesperado pra concretizar o negócio.

      • Simples, fala para ele anotar as simulações com o preço do veículo e as prestações no bloco de papel.
        Se ele se recusar a vender o veículo à vista ou financiado em outro banco, você tem provas que a concessionária está praticando venda casada. Sempre que vou comprar um veículo uso essa tática do financiamento e peço para o vendedor fazer as simulações no bloco de nota.

    • edubarbosa

      Na prática (pelo que eu entendi do texto):

      Suponha que vai comprar um UP top de linha (42k).

      Diga que quer ver os financiamentos em 36x, 48x e 60x. Tem uma parte do texto em que o autor fala que o vendedor pode te enrolar com o aumento de prestações, aumentando a comissão (aumentando o número da tabela), e você vai usar isso contra ele. Dane-se o valor da prestação, negocie o preço do carro.

      Assim, a taxa de 60x provavelmente vai ser a pior para o consumidor. Então finja que 36x e 48x está "muito puxado", e se foque em 60x. Isso deve te dar mais margem para descontos, já que o retorno para o vendedor nas outras condições é menor.

      Quando o carro estiver por uns 38k em 60x (se pedir acessórios o valor pode até cair mais, conforme o texto), você fala:

      "OK. Vou levar à vista." E por 38k.

      Agora, uma coisa que eu vi quando negociei em CSSs é a prática do "É para fechar negócio.". O vendedor negocia o desconto com a contrapartida de fechar daquela maneira na hora. Assim, a última palavra é deles, e não minha. Mas como sempre cheguei querendo comprar carro em promoção de fábrica (ou saindo de linha) à vista, fiz boas (mas nunca ótimas) negociações. Na próxima, podem ter certeza que eu vou fazer essa manobra.

      • saosao

        Galera, só lembrando que o objetivo é evitar ao máximo de pagar juros, e não de prejudicar o vendedor, que é uma pessoa e ganha seu salário sobre a venda.
        Ele só está tentando ganhar o dele, e se ele está agindo de má fé, não somos nós que vamos dar uma lição nele.

        • edubarbosa

          O objetivo é economizar dinheiro, não apenas o gasto com juros.

          Eu odeio a falta de transparência na hora de comprar carros. Na minha visão de mundo ideal carros não seriam "negociados". Você os compraria em uma loja, como compra eletrodomésticos. O preço é X, e dou desconto de Y se for à vista. Parcelo em Z vezes sem juros, ou em W vezes com juros. Para isso, os carros precisariam de um numero bem menor de versões, e que não houvessem opcionais. Modelo A, tem o preço X. Ponto. Escolha a cor e pague. Sem choro. Sem "Troca", ou então com tabelas públicas e padronizadas de preço por ano/modelo. Um problema é que essas tabelas obviamente pagariam o valor de um carro em péssimas condições. O dono do carro em boas condições deveria vendê-lo como particular.

          Assim poderíamos economizar com os esquemas de ágio, comissões, frete, subfaturamento na troca, carros com trocentos opcionais que não agregam valor na revenda, etc.

          Contudo eu entendo que é muito mais cômodo e seguro (tem muito pilantra no BR) realizar a transação na CSS, mesmo que perdendo mais 5k com isso.

          • jogador

            Você, talvez sem saber, tratou de um resultado da falta concorrência entre concessionárias, reflexo da anacrônica e territorialista lei ferrari.

      • ekler

        Tentei isso uma vez, na compra de Gol Titan, que ganharia banco de couro etc, mas depois fiz uma comparação com o financiamento do "meu banco" e o vendedor só venderia com o financiamento do "banco dele". Resultado, tiveram que devolver o sinal que dei e desisti da compra do "zero".

        • Tiago

          O mesmo aconteceu comigo. A vendedora não aceitou quando eu escolhi pagar à vista (ao invés de financiar). Disse que, nesse caso, o preço seria outro. Também desisti e devolveram o sinal.

    • Claudnho

      Simples no segundo texto: Ele vai diminuir o valor financiado optando por seu banco particular, pois com prováveis números menores de juros, no seu banco particular não vai haver a tabela de comissão do vendedor do carro.

  • Sérgio D.

    Muito bom o texto e a iniciativa do NA. Parabéns.

  • rogeriulima

    Baralho que relato!!! Esse é um post que vai entrar pra história do NA.

  • andreHHX

    Parabéns pelo texto. Estávamos precisando de algo esclarecedor assim.

    Espero que muitas pessoas vejam e que tenhamos um mercado automobilístico mais sadio.

  • EduBH

    Só duas coisas. A css não GANHA DE LUCRO o valor cheio da diferença que vende com o valor da nota fiscal de fábrica. Há os impostos a serem desconstados da venda da CSS ao consumidor final.
    Outra, não são todas as CSS que pegam o seu usado e não transferem para o nome dela. Eu mesmo já deixei carro usado em troca e EXIGI que o recibo fosse assinado e datado. Não tive nenhum tipo de recusa por parte da CSS em fazer isso.

    • Kadu

      Verdade em relação a segunda. Existem concessionárias que transferem sim o veículo para o nome delas. Na realidade, na maioria esmagadora das CSS com que negociei meu usado eles efetuaram a transferência prontamente pro nome deles, não ficaram esperando um comprador aparecer.

    • marquito1978

      Perfeito… essa foi a atitude correta.

    • NRolim

      Há uma Lei em SP que obriga a transferência para a loja. Há algum tempo comprei uma Fielder recém entregue numa negociação e não pude retirar o carro enquanto esse trâmite não foi feito, apesar da minha insistência em querer levar logo o carro, ainda em nome do proprietário anterior. Tive que esperar.

  • guilhermeccomp

    Excelente texto.

    Obrigado ao autor e ao NA por disponibilizá-lo.

  • Alessandrex

    Um dos melhores textos que já lí aquí.

  • Guilherme

    Inacreditável a história do SuperBonder.
    Nossos carros já não são grande coisa, ainda com essa manutenção…

  • HugoGYN

    Eu queria ser vendedor de automóveis,mas parece ser difícil ter esse emprego.

  • Anderson_sp

    Maracutaia everywhere !

  • Leandro1978

    Bastante interessante o relato. Muito esclarecedor.

    Engraçado alguns não lerem e já virem comentado. Em época de 140 caracteres, qualquer coisa acima disso, faz alguns "leitores" perderem a atenção. Depois vêm dar uma de "entendidos"…

    • ZeroGTR

      Precisamente. Tem muito analfabeto funcional que não consegue ler uma bula de aspirina.

  • Fanjos

    Minha noiva trabalhou em uma css da Fiat, já sabia de algumas coisas, mas esse relato ficou bem completo.
    Parabéns, esta ótimo.

    • ekler

      O careca aí não deixa a oportunidade de alfinetar a Fiat de jeito nenhum. O relato não tem nada a ver com as 4 grandes, mas o cara não aguenta e tem que meter a Fiat no meio. EEEiiiiiiiiiitaaaaaaaa…………….

      • Saulo Nardotto

        O relato tem muito a ver com as 4 grandes, não se engane… Muitas das práticas aqui relatadas parecem ser recorrentes em concessionárias das mais variadas marcas.

  • viniciusmc

    Esse papo de lucro pequeno das concessionarias é furado mesmo!

    Estive em uma loja citroen e tinham um C4 pallas no showroom que esqueceram de tirar a nota fiscal da fabrica, e constava pelo modelo algo em torno de 47 mil.

    Detalhe é que na negociação, o preço de cara falado pelo vendedor foi de 62 mil, isso tudo pouco antes de mudar a geração do C4.

    A negociação demorou e sem nem avisar ao vendedor que havia visto tal nota fiscal, o preço caiu pra 51 mil!!!!

    E adivinha o que ele disse quando falei da nota de fábrica???

    Se eu baixar mais o preço é melhor fechar a loja!!!

    Por isso continuo com meu carro!

    • Barroso

      Eu teria fechado por 51 mil. Se o custo era 47, acho um lucro justo. Você não queria que eles te vendessem pelos 47 mil de custo, né?
      Além disso, não se compra um carro dessa categoria por esse preço, mesmo saindo de linha.

    • jogador

      A título de curiosidade, o preço de 47 ml contemplava os impostos ou não?

  • andreHHX

    Sempre vi a revisão forçada de 6 em 6 meses como picaretagem. E agora veio a confirmação direto da fonte.

    Ford eu tenho certeza que faz assim, mas deve haver outras, se não me engano a Nissan também.

    • Fanjos

      VW

    • Kadu

      Na realidade, a garantia (aliado ao fato de que ela só é válida com revisões em dia feitas na CSS) é uma picaretagem. Imagina uma garantia de 10 anos, e por 10 anos você ser obrigado a torrar uma grana na autorizada. Mina de ouro pro lojista.

      Já tinha até comentado isso aqui no NA em outra ocasião: se um carro tem garantia de 3 anos, e você pretende ficar com o carro por todo esse período, não faça revisões na CSS, faça mais barato em uma mecânica e deixe a garantia morrer. Acho que só vale manter a garantia viva se você for vender o carro ainda dentro dela, pois ajuda no valor de revenda. E ainda assim nem acredito muito nisso, porque se você soubesse como é fácil falsificar as revisões…

    • marquito1978

      A Ford é desse jeito mesmo… sinto na pele…

    • O_Corsario

      E as longas garantias caem como uma luva.

  • Vinicius

    muitas verdades e muitas inverdades pelo menos na experiencia onde trabalhei.

    Mas como disse o autor, essa foi a experiencia dele no ramo.

    Sou vendedor, falo por mim, não preciso mentir pro cliente para vender (pois isso eu aprendi de berço).

    Apesar de o mercado fazer de tudo para que voce o faça, minha estrategia, é me municiar de informação para rebater as objecoes sem mentir e sempre mostrando a fonte.

    Mas a maior verdade de todas, é que O CLIENTE ADORA SER ENGANADO.

    Se voce fala a verdade pra ele nua e crua, ele acha que esta sendo enganado, entao com muito jeito (muitas vezes até ludico) voce tem que desenhar pra explicar muitas coisas.

    Existem muitas marcas e cada marca trabalha com uma margem, por exemplo, onde trabalho a margem é de 8% no valor do carro, sobre o valor real, por isso não trabalhamos com desconto, é a forma mais transparente de agir.

    Onde eu trabalho, não cobramos agio, não cobramos mais caro e nem mais barato. So que com essa estrategia a gente se ferra pois nao temos margem para aumentar a avaliacao do cliente ai ele acha que esta fazendo um bom negocio na concorrencia que está "pagando mais" no carro dele.

    O cliente adora ser feito de trouxa, principalmente neste quesito.

    Dica para os consumidores, quando forem dar carro na troca, avaliem o valor da volta para a compra e nao o valor que o vendedor passou na avaliacao.

    Outra coisa, não sei a quanto tempo voce saiu do ramo.

    Acabou a festa do retorno, as financeiras cortaram esta modalidade pois sofreram muitas açoes na justica (revisional de contrato).

    Hoje o retorno maximo é 3. So que com as taxas subsidiadas o retorno não é mais praticado.

    Nao se ganha mais dinheiro com financiamentos, infelizmente.

    Outra coisa, antigamente se ganhava muito mais vendendo carros, hoje o mercado encontra-se prostituido, o que é a causa do despreparo da mão de obra nesse segmento.

    As concessionarias querem lucrar (o lucro diminuiu por causa dos finaciamentos) e pagar menos pro vendedor, ai contrata-se vendedores inexperientes, nao da tempo pra prepara-los o que diminui vertiginosamente a qualidade da mao de obra no segmento.

    Esse é um pouco da minha visão do negocio. Tenho esposa e filho, quero passar pra ele um exemplo de honestidade e de trabalho e não preciso me envolver na "podridao" do mercado para ter uma noite de sono sem peso na consciencia.

    Abraços

    • saosao

      Vc tem toda a razão ao dizer que o cliente adora ser enganado.

      Eu não confio em ninguém, muito menos em vendedor de loja, só que parece que muitos aqui querem não só fazer um bom negócio, mas também que o vendedor se dê mal, e isso é totalmente desumano.

      Me esclareça uma coisa: há uns anos atrás saía com uma mulher que trabalhava numa css Renault. Ela me disse que não tinha salário, que o "salário" dela eram as comissões recebidas por carro. Isso é verdade ou só acontece com algumas concessionárias?

      • Vinicius

        Bom, antigamente existia o salario fixo + comissoes pelas vendas dos carros, mais um beneficio que se foi para o vendedor.

        O vendedor ganha dinheiro basicamente com a comissao do carro que varia de 0,3% a 0,5%, existem algumas que pagam comissao de 5% de acessorios (onde trabalho), mas ja trabalhei em locais que se paga 2%.

        Financiamentos dificilmente se ganha alguma coisa hoje, essa era a galinha dos ovos de ouro das concessionarias e vendedores.

        varia de empresa pra empresa, por exemplo, a honda na minha cidade ninguem quer trabalhar (pelo menos os bons vendedores), pagam 0,3% e muita coisa por fora ai nao vale a pena, vendedor passa fome rs

      • AutoNacional

        Não existe salário fixo, o que acontece é a retirada minima. Se sua comissão da R$ 400,00 em um mês, você ganha o base do comércio. Mas não ganha o base mais R$ 400,00. Ou seja, a comissão precisa passar do base, se não simplesmente ganha o minimo.

    • mvnascimento

      Em um ponto você concordou com ele: existem profissionais honestos mas no geral o mercado é podre.

      • Vinicius

        Nao disse que o mercado é podre, eu coloquei entre "aspas" exatamente para informar o contrario.

        Massss, se adjetivarmos o mercado automotivo como podre, o mundo inteiro em sí esta podre!

        Frigorificos que colocam agua no frango pra lucrar mais, empresas que poluem o meio ambiente em detrimento dos lucros, advogados que so querem sugar o cliente, medicos que recebem comissao para indicacao de remedios.

        Existem bons e maus profissionais em todas as profissoes, o problema não esta no mercado e sim nas pessoas.

        Vi um documentario no history channel, falando sobre os indutriais (rockfeller, vanderbilt, Carnegie, ford), voce fica pasmo em saber o que essas pessoas fizeram com seus funcionarios e com o pais para lucrarem e se tornarem as potencias que sao hoje.

        Entao meu amigo, infelizmente, o mundo hoje em dia esta corrompido em todos os sentidos.

        • mvnascimento

          Você disse:
          " não preciso me envolver na "podridao" do mercado"
          Depois:
          "Nao disse que o mercado é podre, eu coloquei entre "aspas" exatamente para informar o contrario. "

          Ficou contraditório… :-)

    • Nane

      Faço de suas palavras as minhas, trabalho em ccs. Os clientes não entendem a questão de proposta de volta, somente avaliam propostas no usado, onde muitas vezes fazem negócios ruins. A taxa de retorno não existe mais! Eu também passo a informação de forma certa, sem ágio e negociações reais, durmo tranquilo e tenho clientes fiéis.

    • O_Corsario

      Bom comentário, complementa o texto.
      Desculpe a pergunta, que marca vc trabalha?

      • Vinicius

        Hyundai

        • Visitante

          Seria a Hyundai HMB, da linha HB20, certo? Recebi essa mesma informação do vendedor que me vendeu o meu HB20S, e achei justa a informação. Lá a comissão dele é aquela, a comissão da concessionária é outro tanto e só… não tem muito esquema. Uma pena é cumprirem quase que rigidamente a tabela e o vendedor fatura em acessórios, que não pode fornecer gratuitamente dando desconto no veículo, pois a margem dele é aquela mesma. Quando adquiri, mesmo sendo fim de mês e etc, a concessionária preferindo pagamento á vista, pois não dava nem um centavo de desconto mesmo financiando, consegui uma sensível redução no total da compra, abatendo no valor dos acessórios, justamente pelo pagamento a vista.

  • Roms

    O texto foi muito bem escrito. Parabéns. Só não há esse lucro por "carro" como o amigo descreve. A prática é bem menor. Isso (lucros grandes por unidade) acontece na linha de carros premium, mas nas comuns o mundo é um pouco diferente. As margens são apertadas, e ele está ignorando os custos de floor plan das css e o altíssimo custo operacional, e o sistema push, que a montadora obriga os concessionários a comprar carros para colocar em seu estoque, mesmo que seja mico de vendas (o mesmo ocorre com peças). Ex.: É muito fácil vender carros de alto volume, mas ainda assim vc tem que comprar (e pagar) os carros ruins de vendas que as vezes ficam mais de 1 ano em estoque, e quando pagam floor plan (espécie de valor por arrendamento de crédito; umtempo que o carro fica parado), dão prejuízo e dos grandes. Então: é verdade que há comissão ao vendedor sobre itens agregados (financiamentos, acessórios, seguros, etc), mas o mundo real é bem menos fantasioso e difícil de administrar. É muito fácil quebrar se não for grupo grande com bastante capital. Já o juro zero é da montadora e há sim esse subsídio que migra de carro pra carro dependendo da sazonalidade (menor venda, entra em taxa zero, vendas altas não. Obvio assim). As css tb dão mais descontos sim nos finais de mês, porque o bônus das montadoras (importantíssima renda da css) vem do VOLUME dentro do mês. É comum quem comprou carro no final do mês receber sua DANFE faturada perto das 0:00h. O gerente vai aprovar com maiores descontos. P.S. Antes que me perguntem, sim, trabalho em um grande grupo de css de SP que tem várias bandeiras.

    • marquito1978

      Esse tipo de esclarecimento é tão importante quanto as análises técnicas dos carros..

    • Dilson Noronha

      Você sim poderia redigir um texto sobre o assunto e mandar para o blog, já que demonstra conhecer na totalidade o processo, além de demonstrar imparcialidade e capacidade de opinar com isenção. Nas horas de comentar o "lucro" alheio, todo mundo esquece que para manter a empresa operando existem altos custos envolvidos no pagamento de impostos sobre as receitas obtidas e obrigações trabalhistas…

  • Claudio

    No ano passado um amigo meu estava comprando na CSS GM um Cobalt LT 1.4 MT 0 km cor preta por R$ 49.500,00 para pagamento a vista sem troca ou financiamento no dinheiro e veio até mim pedir o que eu achava do negócio, dei uma pesquisada e achei em uma loja multimarcas um Cobalt LT 1.8 AT 0 KM por R$ 47.000,00 na cor prata
    Até ai tudo bem R$ 2500,00 de economia sendo que ele pegaria um modelo com mais opcionais AB2 ABS com cambio automático motor mais potente e cor metálica, fui com ele até a CSS para ver se eles podiam chegar no mesmo preço da loja e nos informarão que não havia como fazer esse milagre, enfim fechamos negócio na loja e fui com ele buscar o carro e para meu espanto a Nota Fiscal foi emitida pela mesma CSS que nós havíamos ido tentar comprar o mesmo carro, ai eu perguntei ao vendedor da loja se ele pegava carros consignado da CSS
    O vendedor s e ele respondeu que sim, a CSS pagava a ele R$ 1000,00 de comissão a cada carro vendido, quer dizer na verdade a CSS poderia ter feito R$ 46.000,00 nesse carro mas nos pediu R$ 53.000,00´
    O vendedor da CSS só tinha colocado um "overzinho" de R$ 7000,000

    • Parabéns Claudio, simples e informativo seu texto!

    • Sor

      Isso mostra qual a mentalidade do brasileiro. É muita burrice. Se o cara tivesse fechado o negócio com o cliente, teria ganhado menos, mas teria algum ganho. Foi olho grande e não ganhou foi nada.

    • Salgado2013

      todas as marcas fazer isto e é por isto que as loja tem ZERO mais barato que na CCS.

    • Marcelo

      Claudio, tinha carro usado na negociação?

  • Ricston

    Ótimo texto! Um dos melhores que já li no NA. Bastante informativo.

  • saosao

    Algo não ficou claro para mim, talvez pq não prestei 100% de atenção.
    Vendedor tem salário ou não?

    Pergunto pois saí umas vezes com uma vendedora de uma loja Renault, que disse que não tinha salário fixo. Seu salário era a comissão pelos carros vendidos. A comissão dela, lá pelos idos de 2010, girava em torno de uns 400 reais por Sandero, o que é pouco, mas se vendesse uns 10 carros no mês, já dava um salário qualquer.

    • JPaulo10

      Que eu saiba, vendedor tem um salário, bem pequeno, registrado em carteira.

    • Fernando

      a lei não permite que se trabalhe sem um salário fixo. imagine um vez que não aconteça nenhuma venda (não é impossível), o vendedor/a vai ficar sem comer aquele mês?

      • AutoNacional

        Não existe salário fixo, o que acontece é a retirada minima. Se sua comissão da R$ 400,00 em um mês, você ganha o base do comércio. Mas não ganha o base mais R$ 400,00. Ou seja, a comissão precisa passar do base, se não simplesmente ganha o minimo.

  • Denium

    Parabéns. Uma realidade muito competitiva que os vendedores passam diarimente

  • pumagtb

    Parabens pelo texto e ao NA por publicar, infelizmente muitos acreditam de olhos vendados em concessionarias e seus serviços (há excessões), uma vez um cliente deixou uma pick-up de marca japonesa pra fazer uma revisão quando ele voltou para buscar a pick-up estava lá toda cheia de lama e aí foi uma confusão daquelas é por isso que eu falo arrume uma oficina de confiança assim como um mecânico de confiança e não terá problemas.

  • marcio233

    E a ANFAVEA naquele "mimimi" pra enganar a torcida…

    O sistema é assim, atesto por ter pessoas próximas a mim que fizeram parte deste (e eu participei indiretamente por um tempo), tanto vendedores, quanto funcionários de oficina (consultores e executantes).

    E eu continuo com meus dois usados…
    Carro não tem ano, tem dono. Faça uma boa escolha, cuide do seu bem (que não custa barato para a maioria…) e tenha profissionais de confiança.

  • ubiratamuniz

    Este trecho aqui resume bem o que é ser vendedor de carro (e não é só aqui no Brasil, em qualquer lugar do mundo é assim, basta ver qualquer filme pastelão americano onde apareça algum vendedor de carro, é sempre algum cara nesse perfil):

    "gerentes e diretores incentivam a 'desonestidade', a preocupação é que o cliente não precisa estar satisfeito, mas pensar que está satisfeito com a compra por achar ter feito um excelente negócio, isto é visto como algo 'natural'. "

    É bem aquele dito popular, que quando um esperto encontra um bobo, dá negócio sempre, a diferença é que o bobo acha que fez um bom negócio e o esperto tem certeza.

    Parabéns ao autor pelo texto, esclarecedor, confirma com informação "insider" o que muitos de nós já sabiam por instinto.

  • CarLos Guilherme

    Posso observar que todos teceram elogios, e merecido. Também digo, EXCELENTE TEXTO.
    Obrigado ao autor pela iniciativa e consideração com os demais interessados, pois, certamente, prestou um serviço social de esclarecimento dos consumidores.
    Agora estou imprimindo o texto, para dividir com amigos e familiares.
    Parabéns ao Autor e site NA.

  • Alemão

    O país nojento. E o governo não faz nada. Consumidores enganados. Angola disfarçada. Não vou xingar Angola….Brasil é brasil. País de analfabetos e que venha a copa do mundinho….. nunca gostei de vendedores de carro. Caras de vampiros. More 1 ano fora do brasil e ficará com vergonha do nosso transporte, segurança, higiene…… ética. Alguns salvam nessa Sodoma e Gomorra.

  • deve ser bem interessante, mas o texto é longo pra baralho dae nem li.

    • PLR

      Então pra que se deu o trabalho de escrever essa bobagem?

      • ZeroGTR

        Nossa, esse foi campeão. Esse merece comprar carro em concessionária.

    • Hans

      Na minha juventude, minha diversão era ler livros com 500, 700, 1.000 páginas. Hoje em dia parece que nem placa de trânsito os jovens têm paciência para ler. O que aconteceu?

      • LEONARDO40

        O que aconteceu? A maldita internet… hoje em dia ler é uma façanha que o cérebro deles não alcança.
        Escrever direito, então, é sonho de uma noite de verão… em terra de 140 caracteres, quem escreve 141 é rei.

      • Pedro_Rocha

        Estamos sofrendo os efeitos deletérios da reforma educacional iniciada por Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro no governo JK: uma legião de semi-analfabetos prontos para serem recrutados pelo PSOL.

    • Fernando

      perdeu uma bela chance de ficar calado, hein amigão?

    • mho

      O texto te prende a atenção.
      Dê uma chance e leia os dois primeiros parágrafos.

  • Rodrigo

    Honestamente não vi nenhuma novidade neste relato, porque essa história de venda de automóveis zero km com lucros exorbitantes não é de hj, é desde que se inventou o carro no Brasil. Aliás, a caixa preta da ANFAVEA nunca vai ser aberta.

  • Silva

    E tem mais coisa, trabalho em concessionaria, já vi muitas camionetes diesel serem pintadas laterais inteiras, carros que chegam com amassados, arranhados…mandavam pintar em oficinas de bairro comun, parachoque então …..campeão de repintura, teve uma ocasião em que um cliente extremamente insatisfeito com um usado que tinha comprado na concessionaria riscou as 2 laterais de 1 veiculo novo que estava pra ser entregue, o carro foi pra oficina de rua e foi repintada as 2 laterais….e tem muito mais coisas que uma autorizada faz que é dificil de acreditar.

    Uma coisa que quem for comprar tem que ficar muito esperto é se o vendedor pedir a TAC separado em dinheiro ou cheque, porque ? o TAC geralmente esta embutido na tabela de financiamento e pode ser golpe do vendedor.

    A obrigatoriedade de fazer o documento na loja tamben é um abuso, bata o pé e faça com o seu despachante ou vá direto no detran de sua cidade, é só pedir o kit despachante.

  • netovskis

    Muitos aqui crucificam os vendedores mas tenho certeza que, principalmente quem pertence às classes mais abastadas da população, aproveita-se da ingenuidade, de uma escassez, decreto ou brecha pra ganhar a vida.

    O relato não serviu como um manual de julgamento mas como um maravilhoso guia de negociação. A parte em que ele sugere negociar a prazo e depois mudar pra pagamento á vista foi demais.

    • Seria interessante um relato de algum vendedor (ex-vendedor) mostrando as artimanhas de como negociar e conseguir o melhor desconto em um concessionária. Fica a sugestão!!!

      • NRolim

        Esse foi o ponto alto do texto ora publicado. Parece que você pulou essa parte !

    • marquito1978

      nós nunca teriamos acesso a essas informações se não fosse por alguém de dentro…

  • Freaky_Boss

    Texto interessante! Um dos melhores do NA que já vi.
    Meus comentários:
    1. Há algumas práticas aí que são comerciais (e devem acontecer inclusive em países mais evoluídos eticamente), mas há outras que, se não ilegais, são imorais.
    2. Não me assustei nem um pouco com o relato. Infelizmente é o retrato do brasil típico:
    -Não existe nas pessoas muito escrúpulo para alcançar vantagens. Importam são os fins.
    – Decisões são tomadas com procedimentos cínicos: jeitinho, corrupção e favor.
    O "freio moral" do brasileiro é muito fraco.
    O Lula dizia que o melhor do brasil é o brasileiro: discordo , e muito!

    Qualquer semelhança com o congresso nacional não é mera coincidência.
    E digo mais: antes esse fosse o único meio onde isso é encontrado! (e óbvio que não ocorre com todos os vendedores! Se a situação é assim mesmo, deve ter muitos que sofrem!!)

    Em exemplo ridículo, mas que ilustra: jogadores brasileiros se jogando a todo momento para enganar e ludibriar os árbitros. Não é a toa que o Neymar é meio queimado em alguns lugares da Europa.

    Se cada brasileiro subir 1 degrau na escala moral/ética, o país será outro.
    abraços

  • caique313131

    "..por achar que está fazendo algo não ético, pois afinal a lei e as autoridades permitem que isso seja feito, que o mercado proceda deste jeito.". Errado. A lei não permite que ninguém aja assim. Um crime citado por você tem o nome de estelionato, e se caracteriza quando alguém se utiliza da dita "esperteza" para tirar vantagem de outro alguém. O outro é prestar algum serviço imbuído de má-fé e de descaso ao bem alheio, ambos puníveis com reclusão.

    • CauêRodrigues

      Desculpe caique313131, mas esses crimes nao se aplicam ao caso concreto, e mesmo que você fosse promotor de justiça, jamais conseguiria comprovar tal delito, ou prática delituosa, seja lá como queira chamar.
      E para o único "crime" tipificado que seria o de estelionato, caso você conseguisse comprovar o que é impossível, pois, no caso concreto isso nao é o tipificado no art 171 do CP, ja estaria sendo absorvida a conduta de ma-fé, até porque, para que seja consumado o crime do 171 CP, "caput" a ma-fé é presumida.
      E depois de muito trabalho, e todas as provas "impossíveis" de serem comprovadas, ainda sim tivesse um juiz insano o suficiente para aceitar a denúncia, o "parquet" também conhecido no sistema judiciário como mero palpiteiro (promotor de justiça) ainda sim seria obrigado a oferecer transação penal ou "sursi", pois embora esteja previsto com pena de reclusão, o prazo máximo esta abarcado pela lei 9.099.
      Então viva ao nosso sistema judiciário e advogados "caros".
      Em outro tópico manifestarei no sentido da publicação do tópico.
      Abs

  • Tiago

    Lucro monstro na fabrica + lucro devastador na concessionária = brasileiros burros.

    Por isso que é o país onde os gringos mais gostam de ganhar dinheiro.

    Se não comprar os preços despencam e os lucros caem – se continuar comprando os preços continuam nesses patamares.

  • Este é o terceiro lado que é a porquice do mercado de automóveis nesse país. O governo leva o dele, a montadora leva o dela, a css leva o dela e o consumidor leva no rabo.

    • Isso é verdade , Governo com os altos impostos leva sua fatia ( Que vai pros Politicos Corruptos) , montadoras com os altos Lucros tambem faturam ( Que envia o dinheiro pros seus paises de Origem ) , e as concecionariascom faturam com os Lucros e as Falcatruas ( Para manter os altos padrao de vida dos donos ) , tamo na Merda !!

  • bow

    ótimo texto, eu já sabia das malandragens cometidas mais são bem piores do que eu imaginava

  • zzzepa

    ….pavoroso e deprimente….como as coisas funcionam neste país….carro de 48k vendido por 65.800k?…sem dizer quando é financiado…o lucro dos bancos …e quando não vende, pede pra Deus ajudar…hilário…

    • jOe

      e olha que R$ 48mil nao é o custo de produção do carro rsrsrs Então … rsrsrss nem bom pensar no lucro senão é hora de deprimir.

  • Caio

    Excelente texto. É muito raro ver isso por aqui. Parabenizo o autor em compartilhar essas informações com nós consumidores. O povo agradece!

    Isso comprova a cara de pau dos representantes da Fenabrave e da Anfavea.

    Essa do financiamento não sabia. Vou tentar aplicar isso na próxima compra. Já financiei, mas ultimamente só a vista e também nunca comprei acessório. Costumo comprar sempre o carro que está na loja para que eu possa ver o que estou comprando e sempre com o pé atrás. Procuro não demonstrar interesse. Não fecho negócio no mesmo dia. Não faço teste drive no dia da compra (Isso é bom fazer alguns dias antes da compra para deixar a empolgação passar). Sempre comento o preço da concorrência para tentar mais desconto. As vezes funciona. Tem concessionária que não dá desconto de jeito algum… nesse caso vou embora e procuro outra CSS.

    Na última compra acho que o vendedor não lucrou muito, já a CSS é certeza que lucrou bastante. O preço de tabela no site era 46k mas a CSS já estava vendendo a 43,9k (lembro que foi um mês que vendeu bem pouco, o que talvez possa justificar o desconto). Falei que iria pagar a vista (erro meu) e logo o vendedor comentou que não era comum alguém comprar a vista. Tentei negociar com uma proposta de 41k. O vendedor não podia dar o desconto de imediato. Sempre procurava o gerente para ver se autorizava e vinha com uma nova proposta. Após uma longa conversa, idas e vindas ao gerente, sem pressa de comprar, consegui um desconto de 1,1k e fechei negócio por 42,8k. Depois que fechei a compra o vendedor me levou na parte de acessórios e seguros. Agradeci mas não comprei nenhum acessório e nem fiz seguro com a CSS… o preço do seguro era bem salgado na CSS. Economizei mais 500 reais fazendo o seguro fora da CSS.

    O desconto de 4,1k representou aproximadamente 9% do valor de tabela. Isso mostra que as CSS tem uma margem muito grande de lucro e com certeza é bem maior que 10%.

    Planejar a compra de um carro é o melhor negócio. Isso envolve tempo, pesquisa e muita paciência. O ideal é ir juntando dinheiro e num valor acima do que se pretende gastar. Como diz o ditado, "Nunca gaste tudo que tem, se não, gasta o que não tem". Depois, da compra tem o IPVA, licenciamento, seguro e etc…. Dependendo do caso ainda dá para colocar estes itens na negociação do preço do carro. O ideal também é comprar no final do ano para não pagar IPVA duas vezes. Ver outros modelos e marcas, mesmo que não tenha interesse de compra, ajuda a negociar um preço mais baixo. Tirar todas as dúvidas antes de comprar é fundamental. Precisa saber o que realmente está comprando antes de fechar negócio.

  • Kaich Olasc

    Três letras : UAU!

  • Heisenberg

    Excelente! Apesar de ser um texto longo, mas foi o suficiente para entender como funciona o mercado "mercenário" legalizado de carros nesse país.

  • Silva

    Eduardo Prado Baston por exemplo quanto a negociação, a primeira coisa que o vendedor quer saber é se tem usado na troca, porque ele vai segurar o preço do novo para pagar mais no seu carro.

    Ex. o novo custa 50 mil e seu usado o avaliador pagou 25 mil, ai o vendedor vai no gerente e pedi o preço mínimo, o gerente faz o novo a 47 mil, pronto ele consegue pagar 28 no usado, conhecido como "jogada de numero"

    Não demonstre que você veio pra fechar negocio, demonstre frieza procure em primeiro lugar o melhor preço a vista do carro, ai sim você diga que esta pensando em por o seu usado na troca.

    Fiquem espertos ! geralmente o gerente e o vendedor sempre seguram preço, portanto não tenham pressa em fechar o negocio, e não demonstre que você quer filme, carter, tapetes, friso lateral de cortesia, "Não Existe cortesia !!!" quando você abre a guarda o vendedor vai segurar no preço do carro, tudo o que ele precisa para gerar essas cortesias

    Quando chegar no último preço, ai sim você pode perguntar o que você vai ganhar de cortesia, e até pedir cortesia para fechar o negocio.

    O correto é focar em qual carro e modelo você esta interessado e fazer uma pesquisa em várias concessionarias da marca escolhida e inclusive nas lojas de uma mesma bandeira, ex. Vigorito, Viamar, Dutra etc… porque existe também uma concorrência interna nas empresas, se tiver preguiça de pesquisar você corre serio risco de pagar mais caro.

    A pesquisa por telefone também é uma boa alternativa, seja incisivo peça o menor preço diga que voce esta fechando com a melhor oferta, "seja um comprador profissional" faça planilha coloque tudo no papel e faça os comparativos.

    E boas compras a todos !!

    • Saulo Nardotto

      Silva, leia de novo o que você mesmo escreveu. Essa "jogada de números" a que você se referiu existe sim, mas não do modo como você disse, pois se o vendedor sobe em 3 mil a avaliação do usado (de 25 pra 28) e abate 3 mil do valor do novo (de 50 pra 47), o comprador ganhará 6 mil!

  • <img src="http://i1199.photobucket.com/albums/aa461/abedollars/Hispanic-Clap.gif"&gt;

    Acho que o NA vai sair na Forbes de novo depois desse BAITA texto. Sensacional, mesmo. Parabéns a quem fez.

    • Rajeneesh

      O pessoal da ANFAVEA não disse que o lucro era baixo? kkkkkkkkkkk
      cada um poe a culpa no outro. Anfavea nos impostos………….. governo na Anfavea…….. e os bancos? esses agradecem!

  • informecar

    Parabéns, NA! É desse tipo de informação, uma espécie de prestação de serviço, que eu venho falando, caro Eber, que o NA vem perdendo ao longo do tempo, ao se "profissionalizar" demais, se comparando com a mídia especializada que temos por aí.

    Veja só quanto elogio você recebeu em uma única postagem. Portanto, é dessa originalidade, desse DNA, que o leitor sente falta e por isso procura mídias alternativas como o NA, pois este é o espaço de encontrarmos posições e opiniões que não encontraremos nas páginas das revistas mais lidas do ramo hoje publicadas no país.

    Invista nisso, volte a publicar informações CONCRETAS e precisas aos leitores e verá, ou voltará, ao caminho do sucesso.

    • Paloma

      tá bom só faltou ele dizer que isso foi uma realidade de anos atras…hoje….nada a ver

    • sergiopsy

      Pois é isso mesmo que a massa precisa de informação. Quando comprei o meu Golf tive acesso a chave da nota fiscal de fabrica e pude observar não só o valor de entrada do carro na fabrica como a taxação de impostos que se incide no automovel. Guardarei os documentos, pois além de ver imprimi para ninguém falar que estou mentindo a respeito do assunto.

  • Eduasg

    Parabéns pela excelente matéria, muito esclarecedora!

  • oleodecart

    Gostei demais do que li. Por pura coincidência,quase fui vítima desta empurração de serviços em uma revisão numa concessionária Honda. Levei meu cívic para revisão dos 2 anos e o "consultor técnico" queria vender HIGIENIZAÇÃO DE AR CONDICIONADO E e outras coisas mais. Além do mais tinham colocado um adesivo na parte interna do parabrisa do carro indicando a data da revisão,gratuita,de 2 anos ou 20.000 km e o "consultor" disse que o manual de revisões indicava 1 mês antes e não teria mais direito à revisão gratuita. Foi quando percebi que havia algo errado. Mandei fazer a revisão somente dos itens necessários para manter a garantia e não fazer higienização. O valor cairia pela metade. Foi quando o " consultor",que havia dito que não tinha autonomia para autorizar uma revisão com mão de obra gratuita, falou em alto e bom som, FAZ A HIGIENIZAÇÃO que a mão de obra eu não cobro. Aí foi demais. Prefiro que me xinguem,falem mal,mas tentar fazer de bobo,é a pior coisa que pode acontecer. Não me considero uma pessoa com QI excepcional,mas, burro também não sou. Bom,prá terminar, penso seriamente em mudar de marca, apesar de gostar demais do veículo Honda,mas pensava que em uma marca que dizem ter a melhor pós venda. Lendo a matéria percebi que posso ter mais decepções. Não custa tentar.

    • Saulo Nardotto

      Cara, anteontem (26/02/14) fui fazer a primeira revisão do meu Fox (antes que me xinguem, comprei a versão Rock in Rio depois de muito pesquisar por R$38.500,00 pois era o melhor custo benefício pra mim à época) e de cara quiseram me empurrar o valor da mão de obra, que no site diz ser gratuita, além de troca de aditivo de radiador e limpeza de ar-condicionado. Não aceitei nada disso, e pra minha surpresa o "consultor" não aceitava fazer a revisão sem cobrar por fora a mão de obra de R$123,00… Pois bem, liguei pra Volks de lá mesmo do meu celular buscando uma orientação e expliquei a situação, então me disseram que eu não deveria pagar a não ser que a revisão estivesse fora do prazo, o que não era o caso. Voltando a falar com o "consultor", o mesmo, vendo que eu não era tão idiota quanto ele pensava, pediu pra eu não contar pra ninguém e aceitar pagar o valor da mão de obra se ele fizesse alinhamento-balanceamento-rodízio e acelerasse o horário da retirada do veículo (que eram de absurdas 8 horas para troca de óleo e filtros). Acabei aceitando depois de uma conversa pois eu realmente pensava em fazer esses serviços em outro lugar e não queria mais ficar criando caso. Sei que ele acabou ganhando um pouco com isso e eu acabei perdendo uns trocados, mas depois que ele abriu o jogo e disse que a comissão dele seria maior se ele marcasse o serviço como "mão-de-obra", não me senti à vontade em cortar o pouco da renda extra dele…

  • AutoNacional

    Pessoal, quem assistiu o filme O lobo de Wall Street, é exatamente assim que funciona, aqui e em todo mundo.

    • Hans

      Exato, meu caro. O sistema capitalista, puro e simples. Lembre-se do termo obsolescência programada. Da função de criar necessidade que o marketing executa. E tantos outros casos.

      • Pedro_Rocha

        O pior sistema capitalista ainda é melhor do que qualquer sistema socialista. Os "profissionais de saúde" cubanos escravizados pelo PT que o digam.

        • jogador

          Pior que já ouvi: "Mas o socialismo de verdade nunca existiu! O verdadeiro é melhor que o mais perfeito sistema capitalista!"
          Em relação a obsolecência programada, isso que permitiu a queda de preços da maior parte dos bens manufaturados no mundo, como sacrificar o emprego de componentes duráveis e mais caros pelos mais baratos e vida útil menor (menos no Brasil, claro). Somente não sei se esse padrão produtivo vai continuar por muito tempo.

  • oleodecart

    Só prá ajudar quem não sabe calcular taxa de juros em um financiamento, como eu, é só entrar na internet e colocar no Google, CALCULADORA DO CIDADÃO, e lá , no site do Banco Central, você coloca o prazo que você quer ,o valor financiado,a pretação e o programa calcula a taxa de juros,ou você coloca a taxa de juros ,o valor financiado,o prazo e o programa calcula o valor da prestação e assim por diante. Você coloca três dados conhecidos e o programa fornece a incógnita. É muito fácil, prá quem,como eu,não sabe usar aquelas calculadoras científicas para fazer este cálculo.

    • Fabio D.

      Bela dica! Muito, muito boa! Sinceramente, não fazia ideia de como calcular isso… Não sou aquele tipo mané que compra o máximo que der pra pagar prestação, procuro me programar e gastar menos que o planejado na negociação (ignorar cálculos complexos de banco não é pecado), mas isso aí ajuda e muito.

    • Freaky_Boss

      Boa dica!

  • Leandro

    Certa vez deixei meu Chevrolet Corsa hatch na concessionária para a realização de um serviço de funilaria no teto do carro, pois acabou energia e o portão eletrônico não subiu, danificando a lataria do meu carro.
    Acredito que todas as marcas adotam o procedimento de anotar a quilometragem do veículo quando o mesmo entra no pátio. Anotada a quilometragem do meu carro, deixei-o na oficina e fui buscá-lo no prazo previsto. Quando fui buscar meu carro, para minha surpresa ele estava com 50 km rodados a mais do que quando entrou na oficina e a bateria tinha sido desligada do carro.
    Como eu sei disso? Simples, ao colocar a frente do rádio no local e ligá-lo, as horas piscavam. Acabei deixando por isso mesmo, não fui atrás de satisfação, mas perdi a pouca confiança que tinha na concessionária. Atualmente só levo meu veículo em mecânicos de minha confiança.

    • Cristian

      Bateria desligada… sorte se não foi TROCADA por outra…

      • Leandro

        Não consegui perceber se a bateria foi trocada por outra, se foi, colocam a mesma amperagem e até agora não apresentou nenhum sinal de bateria fraca

  • informecar

    Ao que tudo indica, a forma menos danosa de comprar um carro 0km, ou com menos prejuízos e lucros exorbitantes para as concessionárias, é adquirir o veículo desejado diretamente na fábrica. Mas sabemos que isso não é pra todos, e fica limitado aos funcionários que têm no mínimo 15% de desconto em um modelo popular, por exemplo.

    Pelo menos assim você faz o negócio direto com a fábrica, pelo preço de tabela (sem ágio ou acréscimos dos comerciantes) e se necessário fazer um financiamento, este também será tratado diretamente com o banco da montadora. Então, pelo menos com o desconto que terá no valor final do carro compensa o que te cobram BEM A MAIS nas concessionárias e o prejuízo, no final das contas, não será tão grande assim.

    • Se você for comprar uma dúzia de bananas poderá escolher e dizer:"quero estas", mas se for comprar um carro terá que se contentar com aquele que a css quiser te entregar, que nem sempre é um bom montado no meio da semana por empregados satisfeitos.
      Se você conseguir o desconto da fábrica, pode ter certeza que o vendedor ou a css retardará a entrega ao máximo para te punir por ter conseguido aquele desconto – aconteceu comigo e a demora foi tanta que me fez desistir do negócio.

  • jOe

    Realmente, muito esclarecedor o texto. Repugnante a situação.
    Há mais ou menos 1 ano, estive na Css da GM aqui na BAHIA pra trocar uma peça do meu carro. Enquanto estava observando o que o mecânico fazia, notei que existia uma SPIN LTZ branca zerada (era lançamento na época) ligada há um bom tempo e aquilo me incomodou, pois até a venturinha ja tinha disparado. Quando dei uma observada melhor, advinha quem estava la dentro tomando arzinho gelado de tarde com banco reclinado cochilando?? Um mecânico.
    Em outra oportunidade, fui há uma Css FORD vê um ECOSPORT que um amigo meu havia comprado em prevenda, e que estaria na garagem da Css esperando o dia da entrega (veículo já comprado). Quando entro na Css, vi um único ECOSPORT no showroom aberto e com uma família testando (sentando, abrindo, etc). Conseguem advinhar de quem era o ECO? rsrsrs

    Clientes não tem pra onde correr. Sofre em qualquer uma.

    • mho

      Veja como são as coisas, quando fui comprar o meu Vectra o vendedor falou que todos os que estavam no showroom já foram vendidos. Na mesma hora eu nem quis tocar mais nos veículos, apenas conhecia a mecânica e vi o acabamento por fora.
      No dia que fui pegar tinha várias pessoas querendo abrir a porta e eu tive que falar alto para por favor não mexer.

  • Sor

    Troquem o "concessionária" por qualquer outro ramo de atividade e terão a radiografia da sociedade brasileira.
    Infelizmente ética e moral são coisas que não são levadas a sério no Brasil. Depois reclamam dos políticos, como se viessem da Lua.

  • Excelente texto. Também muito interessantes os contrapontos apresentados pelo Vinicius e Roms em seus comentários. Afinal, se a taxa de retorno já era, ainda é válida a técnica de negociação do autor, de aumentar prazo e pedir desconto no preço do veículo?

    • Vinicius

      Rodrigo

      Comigo isso não funciona. Alias nunca fiz esse tipo de coisa, abaixar o preco do carro e aumentar retorno no prazo maior.

      Isso vai da estrategia de cada um.

      • Vinicius

        Vou dar uma dica pra voce.

        O vendedor odeia é cliente arrogante que se acha o dono da verdade e quer "mandar no seu negocio".

        Ser honesto, transparente, mostrar a sua real necessidade eu faço de tudo pra ajudar.

        a partir do momento que ponho o pé pra fora da loja, eu sou cliente como todos os outros.

  • Oziel

    Ótimo texto, nos ajudará e muito!!!

  • luiz

    Aqui em Porto Alegre, o mercado é cartelizado.Cobra-se valores irreais de frete.Os carros da Caoa custam R$10.000,00 a mais que em São Paulo,etc….

    • Fabio D.

      Nunca entendi esse "frete" assombroso que as fábricas cobram. Na boa, já mandei um VW do Rio de Janeiro de cegonheira pra Manaus, o que incluiu aí um embarque em barcaça em Porto Velho por R$ 1.600,00. Aí me vem a fábrica cobrar R$ 3.000,00 de frete por um carro fabricado no estado ao lado (SP)?! Peraí, né, cara de bobo tem limite…

      • Realmente o frete é caro, mas o valor praticado costuma ser o mesmo pra qualquer lugar do país, por isso sofre mais quem mora perto da fábrica.

    • DougSampaNA

      Vc não pode comprar fora, é mercado fechado?
      Compra em outro lugar ou estado, em nome de parente que more em outra cidade e transfira imediatamente para seu nome.

  • dayberth

    Não precisava explicar eu só queria entender, ô paizinho de merda é esse "brasil". como tem bandido em todos os lugares, e não só em "brasília".

    • MarcosBittencourt

      Lucrar é crime? Conte-nos mais sobre isso.

    • mho

      Ironicamente é mais fácil negociar veículos no DF pois aqui tem várias concessionárias.
      Só a Fiat tem 11 e A Ford tem 7.

  • atl77

    Um dos melhores textos que li no NA, o mercado de vendedor de automóvel e muito difícil de entrar, quais cursos tem que fazer ?

    Curiosidade

  • edsontak

    Épico! Muito bom mesmo!

  • Leomt

    Realmente muito esclarecedor. Parabéns pelos relatos detalhados! Se mais pessoas fizessem relatos desse nível, teríamos um povo bem mais esclarecido e informado, e consciente dos seus direitos. Nos EUA, caso um produto suba de preço além da conta, eles boicotam comprando um produto substituto. Eu q trabalhei em banco mais de 10 anos posso a mesma coisa, lucros absurdos às custas do sofrido trabalho dos funcinários. Temos q parar de comprar carros e pegar empréstimos. Somos nós q alimentamos o Lucro Brasil!

  • Fabio D.

    A parte dos serviços de oficina foi a que mais me chamou a atenção… Viram sobre o que falo de garantia de fábrica? Garantia de 6 anos porque o produto é bom? Balela… é pra te enfiar a faca em serviço de revisão. Se for tabelado, vão te cobrar R$ 150,00 por um alinhamento, R$ 300,00 por uma "higienização de ar condicionado" (a que eu mesmo faço no meu carro fica melhor que a da autorizada, porque o carro é meu e tenho carinho por ele, gastando 20% desse valor com o gás que se coloca na cabine e o filtro antipólen).

    Eu ignorei a revisão de 3 anos que a Renault me deu, fiz a primeira revisão e adeus… Muito caro, serviço idêntico ao que possuo (claro, pesquisando e buscando indicação com quem entende) e muito blablabla… "ahhh, se vc não fizer isso, perde a garantia e seu carro perde valor de mercado", "ahhhh, seu carro não pega por causa de gasolina adulterada"… Cansei dessa lenga lenga, que ouvia desde os tempos que a minha mãe e meu pai levavam os primeiros carros zero deles pra revisar em concessionária, isso há uns 20 anos. O resultado disso tá lá, custo de manutenção à metade do esperado (sendo bem pessimista), um carro confiável e nunca me deixou na mão. Nunca.

    Parabéns ao NA por ter coragem de expor esse lado podre das concessionárias e ao leitor, que abriu seus segredos para que conhecessemos melhor essa sujeirada. Que não me surpreende, porque eu vejo isso em outros mercados e no próprio governo. É manobra pra derrubar o colega e ficar com o salário dele, é 10% na licitação da obra, é desvio de material…

    • Michel

      Revisão a cada 6 meses é uma palhaçada, mas dando 5 anos de garantia total e exigindo apenas uma revisão anual ou a cada 10mil km (como a Kia faz) eu acho que compensa sim. Se é tão lucrativo como dizem por quê as marcas populares não dão 5 anos também? Porque não garantem seus produtos! Veja bem, ninguém é obrigado a fazer as revisões, faz somente quem quer manter a garantia, ninguém é obrigado a pagar por higienização, paga quem quer.

      • Manolo

        É bem por aí! Possuo um i30, modelo 2010! São 5 anos de garantia e revisões a cada ano ou 10 mil km! Estou com quase 80k rodados e nunca paguei uma revisão com valor acima de R$ 450,00. Pode se dizer que na média, as revisões ficaram com valores entre R$ 300 e R$ 350,00. Sempre fiz a troca dos itens básicos para a manutenção da garantia, sempre procurei acompanhar as revisões (o que não abro mão, conhecendo as concessionárias) e presenciei a troca de todos os componentes. Podem falar o que for da Hyundai / CAOA, mas no meu caso, manter a garantia pela realização das revisões valeu a pena! Quando tive algum problema com o carro, a garantia funcionou plenamente e não enfrentei burocracia para realizar os reparos necessários sem ônus! Se as pessoas soubessem avaliar as variaveis e se importassem com o valor pago pelos seus bens, muita coisa seria diferente!
        Abraços, pessoal!

  • abussade

    EXCELENTE.

    Poucas vezes li um texto bem escrito com o resumo de uma realidade na qual "temos uma vaga idéia e de orelhada".

    Parabéns ao autor e ao site NA por disponibilizar esta matéria.

    Leitores, aproveitem e aprendam a negociar com conhecimento.

  • Tadeu14

    Melhor texto que ja li no NA, parabens ao autor! Ja imaginava algumas coisas que o autor citou mas nao tao detalhadas!

  • Silvio

    Caramba tanto o texto como os comentarios são de +, só não consigo enteder como e que o povo aceita tudo isso sem reclamar. A final quando si quer um carro não interessa o quanto ele vale e sim ir dirigindo e isnobando o quanto pagou pelo mesmo, afinal é istatus.

  • PortoWF

    É um relato muito bom e melhor ainda que venha de alguém da área pq dá certa credibilidade, meu primeiro emprego quando cheguei em Curitiba foi no Faturamento de uma revenda.
    Prefiro esquecer das coisas q vi acontecer lá dentro.

  • Essa historia da tabela é verdadeira. Uma amiga foi comprar um carro, e na hora de financiar ela falou o código da tabela de financiamento que queria (já tinha sido orientada). O vendedor ficou espantado e perguntou como ela sabia

    O texto também explica porque o cara de Cuiabá que comprou o Gol não conseguia saber o preço à vista, só o valor das prestações.

  • Silvio

    Tadinha das montadoras, não sei nem como as concessionarias sobrevivem com lucros tão baixos. O povo tem mais é que tomar no cú mesmo " tá pagando!!!".

  • Bruno

    A matéria é muito boa e acredito que muitos vão agradecer por saber dessas coisas que jamais imaginariam. O fato é que onde há muito dinheiro e interesses envolvidos, a ética desaparece por completo. Isso é do ser humano, claro que nem todos são assim, mas a grande maioria. Se você tem algo que é altamente desejado por outros, lógico que vai cobrar muito por isso, se é exclusivo então, nem se fala… Isso vai desde carro até meninas leiloando virgindade. Não é uma coisa só de Brasil, é no mundo inteiro. Esse mundo não é do bem, mas com atitudes como essa, um dia será…

  • Vinicius

    Parabéns pelo texto. Sempre observei serviços de css e sempre achei porco

  • thiagolamim

    MELHOR RELATO QUE JÁ LI, PARABÉNS!
    Nunca imaginei tanto por trás.

  • Diogo

    Muitos de nós já imaginávamos esta realidade podre das concessionarias, mas acho muita ingenuidade culpar o setor automotivo, a realidade é que este tipo de conduta de tirar vantagem é cultural. Esta por todas as partes e extratos sociais. é Justamente nossa podridão cultural que cria ambientes como o descrito nesta matéria.

    não sou de elogiar mas desta vez Parabéns NA.

  • Tadeu

    Excelente texto. Esse é o tipo de coisa que todo mundo desconfia que acontece, mas nunca teve como provar.

  • "Depois da experiência que tive em diferentes marcas, posso classificar o mercado de automóveis como um meio “podre”. Infelizmente, ética não tem valor algum neste meio. Como falei, trata-se de emprego que resulta em uma boa rentabilidade mas que pode literalmente enlouquecer quem foi criado prezando princípios éticos."

    Fui militar por seis anos, estava atualmente "estudando" enveredar para este lado de concessionárias.

    Os motivos que o levaram a sair deste ramo, foram os mesmos que me levaram a sair das forças armadas, ou seja, terei que "estudar" outro ramo profissional.

    • Freaky_Boss

      Meu Deus, o mundo vai acabar. Até as forças armadas , onde supostamente a disciplina gera um comportamento mais "reto", está assim….

  • TiagoB

    Texto épico no NA!! Parabéns ao NA/ Eber por ter publicado, e parabéns também ao autor do texto.

    Por via das dúvidas vou copiar e colar esse texto, vai que chega alguma "ordem de cima" mandado remover o texto do site.
    Já compartilhei para todos meus conhecidos do Facebook!

  • thiago

    MEu pai teve uma experiência muito ruim com a VW. Ele comprou um GOL zero com um vendedor "amigo", ficou com o carro uns 2 anos e decidiu vender. No anúncio meu pai frisou que o carro NUNCA havia sido batido. Apareceu um lojista para comprar e qdo ele olhou o carro, na hora ele disse: "essa lateral do lado do motorista foi pintada de ponta a ponta". Inclusive, o lojista ficou furioso pq veio do interior para buscar o carro e qdo chegou aqui o carro havia sido "batido". Ocorre que meu pai era o único dono do carro, e de FATO nunca foi batido. Levamos o carro para fazer uma perícia onde constatou a pintura de toda lateral (de ponta a ponta) do carro. Não sabemos se meu pai comprou o carro ZERO já pintado, se aconteceu alguma coisa nas revisões (q foram feitas na mesma concessionária onde o carro foi comprado), mas, enfim, o carro do meu pai jah havia sido pintado o que fez depreciar muito o valor na revenda. Fizemos a queixa na concessionária e a resposta foi: Vc vem reclamar após 2 anos. Não podemos fazer nada. CONCLUSÃO: Todos os carros ZERO que compramos sai da concessionária direto para perícia.

    • A justiça ouve após 2 anos. Por mais que reclamem da justiça brasileira, casos como esse são praticamente "ganhos", na maioria das vezes a loja prefere fazer um acordo do que continuar com o processo. O que acontece é que a maioria desconhece como agir em um caso desse, e infelizmente a maioria dos comerciantes aproveitam.

    • Gigi

      Recentemente também tive problemas com um Voyage, que veio 0km com a pintura toda manchada. Isso porque o vendedor também era "amigo". Sem contar que o carro veio cheio de barro por tudo quanto era fresta. Tentaram de todos os jeitos arrumar a pintura mas até hoje está manchada. Uma vergonha.

  • Melhor matéria que eu li no NA, contrata este cara para escrever para vocês frequentemente.

    Ou melhor não contrata que ai vocês não vai mais conseguir contratos com as montadoras

  • Nildo

    Seja quem for o autor, deixo aqui a minha admiração por prezar pela honra e ao mesmo tempo esclarecer essas duvidas publicamente, evitando que mais pessoas caiam nesses golpes baixos aplicados por esses ladrões!
    Parabéns e muito obrigado pelas informações!!!

  • plextor2012

    Parabéns pelo texto. Tem uma questão que eu não entendo: já é sabido por todo brasileiro que a indústria automotiva ganha muito dinheiro em cima de cada consumidor que compra um carro. A pergunta sempre vai ser esta: porque continuam comprando???

    • Alan

      porque o brasileiro tem que aparecer para o vizinho…….é o famoso STATUS!!!!! as vezes também entendo alguns, porque antigamente para comprar um carro zero tinha que ser muito rico, para se ter um bom carro, claro. mas depois que a situação econômica melhorou a maioria tem acesso ao carro novo, estariam descontando uma época em que tiveram apenas que sonhar com a que agora podem realizar o sonho do carro 0?

  • Ricardo Lopes

    Totalmente excelente!!!

  • Paloma

    É o texto nada reflete que o cenário atual…não existe o tal "retorno"…enfim acredite quem quiser…

  • ZeroGTR

    Obrigado pelo texto.

    Primeiro pela dedicação ao escrevê-lo. Isso é raro, pelo tempo e pela estrutura da linha de pensamento.

    Segundo porque tive vômitos, diarréia, pressão alta e baixa e sudorese. Extremamente interessante.

    Terceiro, as únicas pessoas discordando de você são donos e parentes/funcionários de CSS. Você pegou bem na veia.

  • Evrandro S

    Parabéns ao autor e parabéns ao NA. Muito bom!
    Explicou muito e confirmou as suspeitas que tive ao comprar meu ultimo carro, quando consegui R$ 4000 de desconto em um carro de R$ 40.000. Sabia que eles tinham boa margem de lucro e que no final do mês iriam aceitar minha proposta, ainda mais quando confirmei que uma parte seria financiada.

  • Freaky_Boss

    1. Esse papo de garantia de 3 ou 5 anos é para beneficiar as CSS ou montadoras mesmo. Meu carro atual veio com garantia de 3 anos desde que levasse na CSS de 6 em 6 meses, e cada revisão não era barata! Levei só nas 2as primeiras (isto é, 1 ano) e depois nunca mais pisei na CSS. Isso é gerenciamento de risco puro. Pensei: o produto é bom e o risco de dar problema é baixo, então é fazer o básico por fora e pronto. Meu carro está atingindo agora os 3 anos. Perdi a garantia, claro, mas economizei uns R$ 2000 nesse tempo todo e nunca tive 1 problema com o carro (se desse eu usaria os R$2000 para pagar, simples!). Motor e câmbio são as coisas caras, mas raramente, raramente dão problema com a manufatura dos dias de hoje. Se a mecânica for confiável, faz o básico (óleo etc), cuide do seu carro (óbvio) e a chance de dar problema é mínimo.
    Eu recomendo essa política a todos os meus amigos e parentes.

    2. Por eu gostar e entender um pouquinho de carro a mais que meus parentes, eu ajudo meus pais, irmãos e cunhados a escolher os modelos (opcionais,etc) e a comprar, indo nas CSS,etc. Minha opinião é que na maioria dos casos os vendedores entendem pouco dos modelos que vendem (e não estou falando de coisas elaboradas, como explicar o VVTi,etc). Parece que estavam em outras profissões e entraram de repente no ramo, sem treinamento e, principalmente, sem gosto pela coisa (quando vc gosta vc aprende sozinho!!). Não raro, tem má vontade. É o esquemão do brasileiro: Quero ganhar dinheiro sem trabalhar muito, e não me enche a paciência com coisas difíceis que minha cabeça já está no churrasco do fim de semana! rs
    No último test drive que fiz a vendedora fez o percurso de 5 minutos comigo simplesmente calada e olhando para o celular quase todo o tempo (Devia estar num facebook da vida…sei lá). Pensei: isso é que é vocação!! rs

  • Vendedores, sejam de veículos, sejam de serviços bancários, trabalham pelo lucro. Uma vez estava num banco e o "gerente" explicando para um idoso que ele poderia usar o limite do cheque especial o do cartão como "complemento de salário", sem mencionar o tamanho da "TROLHA" que ele iria tomar de juros.

    Eu adoro me fazer de ************* e deixar os gerentes de bancos tentarem me vender fundo de previdência como aplicação financeira sem explicar taxas de carregamento, multas… No site muitas informações são omitidas.

    Nos financiamentos imobiliários é a mesma coisa: depois que você assina o contrato, várias taxas são cobradas e não foram explicadas pelos vendedores na hora da compra.

    Tudo isso aliado ao um sistema que não pune e incentiva tais práticas.

    Quando vou comprar um zero, coisa que não faço muito, pois uso o carro até o "osso", sempre fecho por telefone, assim evito o contato direto e o "empurra-empurra". Tento simplificar ao máximo a transação, sem dar usado como entrada (vendo por fora) e vou com o dinheiro "limpo", comprando zero. Compro um carro de acordo com a minha realidade financeira. Procuro pela concorrência dentro do mesmo tipo de carro para ver se estão cobrando o preço justo.

    A nossa maior arma é a INFORMAÇÂO! É fazer o dever de casa ANTES de ir ao banco, à concessionária ou ao plantão de vendas. Pois se depender de vendedores, vão arrancar a nossa pele.

  • guilherme

    Muito bom texto.

    Certa vez levei meu Punto para revisão de 45K na Strada Fiat de BH e me informaram que deveria trocar a correia dentada e rolamento. Moral da história. mandei fazer. Voltei para a revisão de 60K e informaram que deveria fazer a troca da correia e tensionador. Argumentei que troquei aos 45K por recomendação da propria CCS, resposta: Caso o senhor não troque não carimbamos o manual com a revisão. Moral da história. NUNCA MAIS VOLTEI E PERDERAM UM BOM CLIENTE.
    Esse é o Brasil. Péssimas prestações de serviços e desrespeito aos clientes.

    • Um amigo meu fez a suspensão em uma rede da Continental em Bauru-SP. A loja disse que a garantia de 3 meses valia para toda a rede franqueada. Dois meses depois ele levou o carro em uma loja da Continental em CAmpinas, sem mencionar que tinha 'arrumado' o carro dois meses antes. Os caras fizeram um orçamento de quase 3 mil reais (Era um Honda Fit), que 'abatendo' o que estava na garantia daria 700 reais. Ele mandou o fazer o serviço e na hora de pagar, deu só 700 reais e apresentou a nota fiscal do serviço anterior. Os caras ficaram muito bravos, ""Porque voce naao falou antes??". O gerente não pode fazer nada, só ficou olhando com a cara brava. O "chefe de oficina" não queria deixar ele tirar o carro. Mas o gerente acabou liberando, meu amigo disse: " Se você acha que eu não estou pagando o serviço, chame a polícia."
      No fim, mostra bem a falta de integridade de muitas lojas. Mas nem todas são assim.
      Eu sempre arrumo a suspensão do meu Versailles em uma rede da Pirelli, o mecânico é super gente boa, eu sempre acompanho o serviço e ele me mostra o que tenho que fazer, o que pode dar problema no futuro, etc. Eu nem reclamo de pagar o preço, alguns serviços são uns 10% ate 20% mais caro que a concorrência. Pelo menos eu sei que ele faz o serviço correto.

    • Freaky_Boss

      Isso acontece demais.

  • Eduardo

    Isso que ele não comentou a respeito da pressão pelas vendas, já que a empresa também não quer um vendedor que não venda, que fique apenas pelo fixo.

  • GUILAVINA

    Parabens, explicação coerente..

  • Jonas A. de Freitas

    Muito bom o relato. Penso que não existe montadora nem concessionária verdadeiramente séria, em que a gente pode confiar, talvez existam algumas menos "espertas". Mas isso faz parte da natureza humana, a falta de fidelidade e honradez nas ações, algumas pessoas mais e outras menos. Você nunca tem absoluta certeza de estar sendo lesado ou não.

  • RTEC29

    Lindo texto! ainda estou surpreso, vou ler até de novo!

  • Sandro Schmitt

    Seu carro usado, ma troca de uma zero, vale nada. Consultam garagistas para repassar o seu carro usado. Mesmo que o seu carro tenha 10mil KM, o preço que pagam é ridículo. Chega dessa roubalheira. Vamos boicotar a compra de carro 0 KM e auantar o tranco para ver o que esse sangue-sugas vão fazer com suas fábricas e estoques.

  • Sandro

    Outra… diga não a financiar carros. O que eles te vendem não é carro, é dinheiro a custos altíssimos. O maior do mundo. Uma banana aos bancos. Fiquem com seus carros e guardem dinheiro para comprá-los a vista.

    Eu também gostaria de emprestar dinheiro a 20% ao ano + IOF, sem trabalhalhar. É o melhor negócio do mundo.

  • Sandro

    Outra… diga não a financiar carros. O que eles te vendem não é carro, é dinheiro a custos altíssimos. O maior do mundo. Uma banana aos bancos. Fiquem com seus carros e guardem dinheiro para comprá-los a vista.

  • Sandro

    Seu carro usado não vale nada. O que eles vendem, usado ou novo é outro preço. É a preço de ouro. Não troque de carro e quero ver o que acontece com garagistas e revendedores de carros zero que querem ganhar 15, 20 mil encima de sua carro usado; Contenha-se por 8 meses e vamos ver o que vai acontecer.Carro de 90mil querem pagar 70mil e o deles, zero, vale 120mil. Depois seu carro, o mesmo que vc vendeu por 70 mil vai a venda por 90mil. Fácil não.

  • Bosco_

    Convidaram alguém de concessionária para ir ao Senado nesta semana?

  • Sandro

    Sem contar com os juros abusivos dos bancos. Eles vendem dinheiro a 20% ao ano. Como é em parcela, o trouxas vão lá e pagam em parcelas. Guardem dinheiro e depois realizem seus sonhos.. Carros não valorizam e sim desvalorizam rapidamente, de um dia para o outro você perde 20 mil brincando.

  • sandro

    Fique com seu carros usadinho. Ele te leva na mesma forma que o novo.

  • Wilian

    Só para esclarecer, a culpa não é do vendedor. Não é culpa do vendedor se o cliente não compra o carro pelo menor valor possível. Quando vou comprar um terreno, um eletrodoméstico, contratar o serviço, raramente me fazem pelo menor valor possível. Isso é economia, é negociação. Ninguém obriga ninguém a comprar. Lucro não é pecado não. Acham que isso é coisa de brasileiro e antiético? Garanto que em qualquer lugar do mundo, tenta vender pelo maior preço possível, e quem quer comprar é quem tem q tentar comprar pelo menor preço possível. Isso é negociação.

    Concordo com alguns problemas apontados e as concessionárias poderiam investir um pouco mais na qualidade dos serviços assim como as fábricas, mas investimento sai caro e o retorno é sempre calculado.

    Só fico curioso porque apenas na venda de automóveis há essa paixão toda que causa esse sentimento de ódio aos vendedores. Eu tento fazer o meu serviço bem feito, agradar ao cliente, oferecer suporte e tirar todas as dúvidas possíveis, e tento na medida do possível também fechar os negócios que atendam as necessidades tanto do cliente como as minhas.

    Discordo que a profissão do vendedor seja antiética. A conduta pode ser de alguns indivíduos, mas não pode generalizar a classe.

  • felipesalomao

    Texto excepcional ! Melhor matéria que já li no NA !!!!
    Sou importador e fornecia Central Multimída para Concessionárias há cerca de 2 anos atrás.. Vivi esse mundo por 2 anos e digo uma coisa, é nojento !! Funcionários querendo receber arrego para poder aprovar compra dos acessórios, venda de acessórios a preços exorbitantes e pouquíssimo explorado pelos vendedores. Falta de conhecimento, safadeza.. Ai vem a Anfavea dizer que o lucro por carro é de 200 reais é piada ! O lucro varia de 5 mil até 20 mil dependendo do carro, é uma mina de fazer dinheiro ! Outro absurdo são as revisões de 6 em 6 meses ! Tenho um Fusion novo 2014, não faço nem fodend.. revisão de 6 em 6 meses na concessionária, que se fod.. a garantia ! Vou ficar com carro mais de 3 anos mesmo.

  • OzzyBR

    O lucro é alto, é…
    Mas vendo as manobras dos vendedores, o que concluo é que o causador do efeito é o proprio brasileiro.
    parcelar, pechinchar e a lei de gerson, fazem com que o que num primeiro momento era desvantagem pra um vendedor, virou somente vantagens (em uma "anti-lei de gerson"), pois como o autor disse, ele tem que ganhar tb.
    Ou seja, qto mais "vantagens", mais escondido o lucro fica, tanto da montadora, da CSS, qto do vendedor.

    E é por isso q ninguem sabe realmente qto é o lucro do carro no brasil… eu só tenho uma certeza, não são os impostos!!! São tansparentes e completamente declarados pelo governo, diferente das montadoras/CSS. E se escondem é porque "tem culpa no cartorio!"

  • cara, PARABENS demais pelo texto.

    Não é impressionante como quando alguem quer desmascarar alguma coisa, vem uma penca de mané querendo mudar o foco da discussão.

    Sempre que tento ter uma discussão inteligente com um grupo e alguns ficam ofendidos, não se prestam a analisar os pontos, mas sim em agredir ou tentar mudar o foco para que todos se dispersem.

    O mundo – e principalmente o brasil (sim, com "b menos") – precisa melhorar muito ainda pra ficar "vivível". essa porr@ toda ta um lixo por completo. Em qualquer lugar ou empresa, a grande maioria quer tirar proveito dos outros, só quer saber do benefício próprio e nada mais; seja no trânsito, trabalho, rua, política, escola… todos os lugares!!!

    É muito triste viver num lugar desses. Mas eu acredito que a coisa pode melhorar, acredito que influenciando positivamente nossa rede, tendo discussões inteligentes e dignas, passar valores para nossos filhos, sobrinhos, afilhados, amigos e também para nossos pais, avôs e tios…

    Um país rico é um pais rico… precisa de muita coisa além de alguns números diferentes das décadas anteriores!!! Um país que nasceu sobre a exploração e assim se formou, baseado em exploração. Um lugar que nunca, em toda a sua história, teve uma direção voltada ao futuro.

    :'(

  • BituMattioli

    Muito bom o texto! Parabéns para o autor!! Adorei…

    E é bom saber de tudo isso, para se ter mais argumentos contra os vendedores safadénhos que tentam te passar a perna. : ) mas sabemos que este esquema de "brinde" não existiu nunca né… nada é de graça nessa vida. E sabemos que nunca saímos ganhando depois de fazer uma nova compra de um veículo 0km (pelo menos alguns sabem…) mas o que tentamos acreditar é que "saímos perdendo menos"… infelizmente.

  • fabritch

    Realmente se ganha mto dinheiro, tb já trabalhei na área, porém não se tem vida, e é mta pressão. Para uma pessoa de 22 (idade que eu tinha na época) não compensava mesmo, sem contar que se não vendesse mto o salario não chegava nem perto dos 4.000,00.
    A margem de lucro por carro em alguns casos é bem pequena mesmo, mas como ele citou, existem diversas outras coisas, inclusive incentivos da montadora

  • neverbeenherebefore

    Acompanho o NA diariamente, mas nunca posto comentários… mas para esse texto, não houve como não comentar.

    Muito bem escrito, explicativo e educativo!

    Parabéns ao autor, e que relato completo, minuncioso!!

  • Já ouvi da boca de um gerente de concessionária fiat:" pra mim vender a prazo é melhor que a vista"!

  • portela_lucas_

    Melhor matéria que já vi no NA! e ficou muito bom esse texto esclarecedor depois daquela palhaçada de que as concessionárias não lucram. NA merecia uma reportagem nacional depois desta matéria!

  • AlexandreCE

    Excelente texto… bem esclarecedor e, creio, serve de guia para todos os que desejam adquirir um veículo. Olhos bem abertos e curiosidade aguçada para compreender o que estão tentando empurrar.

    Um questionamento. Como me sinto um péssimo cliente sob o prisma do lojista (costumo pagar à vista ou uso consignado com taxas reduzidas e pagando antecipado), gostaria de saber como seria vista, pelo vendedor, a minha compra do último veículo, pelo qual paguei, pouco tempo após o lançamento, o preço do site e, para completar, não pus acessórios, película e ainda retirei o carro sem placas e fui ao DETRAN realizar os procedimentos necessários à emissão do DUT.

    p.s.: tomei naba na venda do usado e já sabia que não tinha como não ser assim por conta das circunstâncias do setor no ano passado… como de praxe, também não foi emitida nota de entrada e, claro, o fdp teve lucro livre sem recolhimento de impostos (obviamente tudo sempre é relatado por mim na declaração de IR e a Receita, se tiver interesse, que faça o cruzamento de dados).

  • Diágoras Alencar

    Nota 10 para o texto e nota 0 para a industria automotiva!!!

  • Sem dúvida, o MELHOR texto que já saiu aqui no NA!

  • Só não concordo com a declaração do site no preambulo do texto. Com toda a certeza do mundo, essa deve ser uma prática generalizada, mudando apenas o grau de picaretagem e o endereço.

  • marcfreitaz

    Autor está de parabéns, fantástica a explicação do texto!

  • bilharinho

    Obrigado ao autor por compartilhar as informações conosco.

    Confesso que não canso de me surpreender com as coisas. Cada parágrafo foi um choque. A gente sempre desconfia que não jogam limpo, mas quando abre-se o jogo é igual te jogarem um balde de água fria.

  • Igor

    "Quando fala-se em objetos pessoais dentro dos veículos, deve-se ter atenção. Felizmente não presenciei nenhuma situação de furto de objetos"

    Já tive um par de raquetes de frescobol e um óculos escuro COM GRAU furtados numa concessionária de Maceió, não sei se pode falar o nome dela aqui. Só fui perceber alguns dias depois, e nem valia a pena esquentar a cabeça com isso, afinal não tinha como provar.

  • felirrari

    Eu tive pequenas experiências com concessionárias. Primeiro, comprei um Corolla 2010 e tava querendo fazer a revisão do 60k. Liguei para a concessionária e perguntei o preço, se não me engano ficava na faixa de 500 reais. Perguntei quais itens seriam trocados. A resposta foi óleo e filtro de motor, bujão do cárter e filtro de ar-condicionado. É pra rir né?

    Antes disso, fui tentar vender o meu Corolla 2005 para tentar algo mais novo. Fui à concessionária da Toyota e recebi um preço praticamente 10 mil mais barato que a Tabela FIPE. Como não queria esperar muito, fiz uma troca em uma revenda (lojista) e vendi o carro por quase 8 mil a mais do que eu recebi na concessionária.

    Meu pai tava com grana pra trocar a Hilux 2006 em uma mais nova, queríamos já com o modelo atual. Procuramos usadas, mas os preços estavam altos. Resolvemos pesquisar, conseguimos desconto e foi mais vantagem comprar 0km. Ao ver a gama de acessórios caríssimos da concessionária, notei que eram os mesmos que vemos em qualquer loja de acessórios.

    Enfim, somos feitos de palhaços, querem que a gente pague preços altíssimos em coisas que certamente encontramos de forma igual em estabelecimentos fora da concessionária.

  • giovaniu

    lindo texto, com uma triste realidade de um mercado que o VENDEDOR e so mais uma peça explorada e humilhada,
    Gostaria muito de não voltar mais para essa profissão que um dia tanto amei.
    Pelo dinheiro, o vendedor perde, sono, familia,saude e muito mais…….

  • Jean

    Ainda bem que vc saiu do ramo…Boka aberta…Vai vender batata na feira que vc ganha mais.Enquanto vc voltou pra sua vidinha normal, ganhando essa miseria, muitos de nós estamos aqui tentando vender carro e ganhar nosso ganha pão, ja que vc esta tão arrependido, devolve todo o dinheiro que vc ganhou de retorno, acessorios, seguros, e transferencia, para seus clientes.
    Ninguem põe uma arma na cabeça de ninguem, compra e paga o que achou melhor…

    • Tiago

      As armas são outras: as técnicas para ludibriar o consumidor. O que, a meu ver, também é desonestidade.

      • Jean

        Eu não sou desonesto, vcs clientes tem todo direito de brigar por taxas, descontos, interesses de vcs, eu vendo produtos, se vc aceita ótimo, mas se vc me diz que tem uma taxa ali ou aqui melhor, eu vou fazer de tudo pra fazer o melhor negocio pra vc, e levar o meu pra casa, a principio o relato do rapaz ai diz de retorno, mas hj o retorno serve pra complementar a entrada que o cliente não tem, os bancos exigem 20% de entrada no minimo, e é usado pra isso, o que esse rapaz fez ai, e passar pra vcs leitores, que vcs são lesados o tempo todo, o que nao é vdd, ele esqueceu de dizer o que é mais importante, que vendemos o sonho das pessoas, e não as roubamos…se for assim ninguem compra mais nada…Talvez o lugar que ele trabalhou não prioriza o cliente e sim a venda somente, tenho muitos clientes, e nunca nenhum chegou e disse que eu o estava roubando…Assim como todo ramo tem gente que não presta, mas tem muita gente boa no nosso ramo, por essas e outras brigo pelo ramo que escolhi pra minha vida, tudo que tenho foi graças ao ramo de vendas automotivas, e nunca roubei ninguem, vendi o sonho delas…abraços…

  • gino

    Nessa arapuca ai eu entrei com R$ 3.000,00 a mais do que o carro zero valia. Acertei um preço com o vendedor na troca com meu carro usado e quando veio as notas fiscais, veio a surpresa. Trocando em miudos. Eu paguei R$ 55.000,00 e o modelo custava R$ 52.000,00 . E olha que foi avista. Confiei. Dancei bonitinho.

  • andrei

    Edward Snowden das revendas automotivas.

    Excelente texto. Mesmo não revelando, quando citou margens de veículo, suponho que tenha referido-se a HONDA, e ao veículo: Civic e Civic SI.

    • Mack30

      Certamente. Carro japones esportivo de R$99.500 era o civic Si… Carro japones que regula valvula em revisao de 40.000km é o Honda tb!

  • Anônimo

    Trabalho no ramo, não querendo defender nenhum lado. Mas as fabricantes vendem os carros pelo preço que querem para as css, as css vendem os preços que querem para os consumidores. Da mesma forma que com seu carro, você vende pelo preço que você quer, se estão pagando mau na css, você não fala tá pagando mau e caí fora, não é "lucrativo vender para a css", ou seu carro tem teto solar, banco em couro, multimídia ching ling com GPS, rodas exageradas e fala, meu carro vale bem mais que tabela FIPE, ou paga mais ou não vendo, é a mesma forma que as css, dão o preço no seu produto, ou quando você vende sua casa que é medido por metro quadrado, mas você supervaloriza, por ter uma piscina, todos os quartos com suítes, jardim bem cuidado e por aí vai.

  • botinha1

    Ótimo texto, soh fiquei com uma dúvida em relação a tabela de preço. Por exemplo se o carro custa 67000, aonde os fascinolas ganham os lucros?

  • Tempos atras estava a querendo comprar um Clio e fui ver um carro anunciado por uma revenda por um preço bem atraente, só que quando disse que pretendia pagar à vista o vendedor subiu o preço em quase 30%, a meu ver isso até pode ser comprensivel mas não deixa de ser uma baita falta de ética. Mais tarde conseguimos compra-lo por preço ainda menor através de venda direta da fábrica e tenho a certeza de que mesmo assim a css e o vendedor ainda lucraram algo.
    Mas tudo o que o nosso amigo relatou não me causou nenhuma surpresa, o lucro move o mundo e para obtê-lo todos são capazes das maiores vilanias.
    Trabalho com sucatas e certa vez fui chamado para carregar em uma famosa concessionária Chevrolet, que estava reequipando a sua oficina, pois bem os seus clientes deveriam ver a qualidade e o estado das suas instalações "altamente especializadas" tão sujas que até nós ficamos com nojo de ter que manusear aquele verdadeiro lixo … e ainda por cima estamos nos arriscando a perder a garantia se mandamos o carro a uma oficina independente mais limpa e melhor equipada.

  • Ademar G Cardoso

    "O homem é o lobo do homem"

    É o preço que pagamos por ter pouco ou nenhum interesse por aprender sobre algo que gostamos e/ou precisamos. (ler ou fazer contas)

    Houve até menção sobre a extensão do texto…

    Bem… afinal somos todos responsáveis por nos mesmos. Uns mais; outros de menos.

  • Nilton

    Eu também gostaria de saber como funciona com veículos seminovos. Isto porque as concessionária oferecem no carro do cliente que está adquirindo um carro zero um valor de "carro roubado", ou seja, uma ninharia. Para depois vendê-lo por um valor até maior que o de "comércio".

  • safas44

    Legal o texto, ajuda a quem nao entende ter uma visao do mercado. Por ter conhecidos donos de loja de carros usados algumas coisas como preferirem vender no financiamento e outras mutretas citadas eu conhecia. Mas ha gente honesta no meio. Meu atual carro, usado, comprei numa agencia GM, o vendedor se mostrou profissional e de boa fé, mesmo pq eu como entendendo razoavelmente do setor, nao seria enganado por qualquer um, e ele em nenhum momento demonstrou tal atitude. Há gente ruim… mas é aquela coisa, vender é preciso, entao, as vezes o vendedor precisa a seguir regras se quiser continuar no jogo.

  • DougSampaNA

    Faz tempo, muito tempo que não leio algo tão bom.
    Como vendedor sei o que o cara está tentando dizer, eu tambem odeio quando alguem "perece me sugerir" atitudes "diferentes" para ver se é possivel agradar um comprador mais "dificil"; eu finjo de surdo, ignoro!
    Meu nome e minha imagem vale mais que míseros reais a mais no bolso, foram mais de 30 anos para bem construi-la; jamais me renderei a bola e coisas do genero.
    Rentabilidade no meu setor (comodites alimentícias) sempre foi baixa, e pra ter algo tem que trabalhar muito, há anos ruins e anos bons, nenhum ano foi excelente para mim; mas tenho tudo pago, e não compro nada a prazo.
    Meu novo HB foi comprado a vista! 4 anos juntando mês a mês fielmente o X/avos do carro; perseverança e paciencia.
    Deus abre as portas dos honestos, e conto com isso todos os dias no meu agradeciemnto a Ele pelo que vai ou não me dar, simplesmente porque Ele me deu mais um dia pra viver! É trabalhar e trabalhar! ;)

  • Alessandro Aguiar

    Olha…
    Grandes verdades, mas não pensem que essa de comissão em financiamento acontece só no Brasil.
    Tenho parentes nos Estados Unidos que já trabalharam em Grandes marcas mundiais, e lá o leasing é o carro chefe deles, e os lucros giram em torno não só das vendas mas também do negócio financeiro, veículo recebido na troca e as formas de pagamento.
    Meu sogro foi vendedor da GM e cunhado da Toyota, e eles falam que para comprar, o negócio é saber negociar. Mas as comissões e lucros são altos.
    Estive lá por 30 dias e só vi diferença nos preços e qualidade dos veículos, porque financiamento e financeiras comandam. kkk

  • Walter Silva

    Excelente matéria!!! Ousada e esclarecedora. Definitivamente o NA é o melhor site sobre automóveis do momento!

  • Junior

    Ele só esqueceu de mencionar o fato de um cliente vulgo trouxa que vive enrolado em financiamentos e da o seu carro financiado na troca de outro mais financiado como a concessionaria faz o abatimento desses juros e gera um bom lucro muitas vezes a concessionaria leva o carro praticamente de graça.
    Pior coisa é comprar carro financiado. ou trocar uma divida por outra maior.

  • waltervac

    Por isso que só vendo carro no consignado ou particular. E pra comprar, só irei agora em leilões de carros resgatados por inadimplência nas prestações. Esse é o único jeito de sair fora de tanto prejuízo maquiado.

  • Marcos Domingos

    Obrigado pelo texto. Já irei mais esclarecido as concessionárias.

  • Angelo Viacava

    O resumo da venda de um carro, ou de qualquer outro produto ou serviço resume-se ao seguinte: se o consumidor aceita, está bom. Se for tão ruim ao ponto de o consumidor abandonar o fornecedor, então o negócio piora ou quebra. Muitas empresas já deixaram de existir ou diminuíram de tamanho porque não satisfaziam seus cientes à altura das expectativas. Só que isso não acontece da noite para o dia, leva tempo, décadas às vezes.

  • Pablo

    Excelente texto, me vi sendo enganado em vários relatos seus.

  • Ronald

    GRATIDÃO por compartilhar conosco suas experiências!

    MARAVILHOSA A SUA DESCRIÇÃO! Passa emoção, verdade, ética sem querer ser "bonzinho" e nem "coitadinho".

    PARABÉNS! Grande lição. A questão é que vão aparecer muitos analfabetos funcionais querendo interpretar do jeito escr…. que normalmente já fazem por aí….

  • Eu só queria um carro que seja seguro e confortável para viajar, coisa que qualquer jovem na Europa pode ter com um emprego meia boca. Como eu moro no Brasil e pior, em São Paulo, acho melhor ficar a pé mesmo :(

  • TankGIZMO

    Bem, isso é interessante.
    <img src="http://s04.flagcounter.com/mini/epU/bg_FFFFFF/txt_E1E1E1/border_FFFFFF/flags_1.jpg&quot; width="1" height="1">

  • Erico Vieira

    O mundo dos bancos é mais podre ainda!

  • Luciano

    Ultimamente o povo brasileiro tem ido às ruas pedir "saúde padrão FIFA", "educação padrão FIFA" e "segurança padrão FIFA". Porém, todas as nações que possuem esses serviços "padrão FIFA" têm um "povo padrão FIFA". Não conheço países com uma realidade "padrão FIFA" que não tenha um "povo padrão FIFA". Seja no ramo automotivo, ou no imobiliário, no bancário, ou em qualquer outro ramo de atividade no Brasil, encontraremos relatos idênticos. Quando os brasileiros criticam os políticos, esquecem que esses senhores são trabalhadores, empresários, líderes estudantis, ou seja, não são extraterrestres, vêm da nossa própria sociedade. A verdade é que o padrão moral do brasileiro ainda é muito baixo. Quando desenvolvermos a virtude da autocrítica e entendermos que a realidade social é proporcional à qualidade do povo, então estaremos prontos para caminhar em direção a uma sociedade "padrão FIFA".

  • Adolfho Galdino.

    Preliminarmente, parabéns ao autor do texto pela coragem de expor o que expôs e como expôs.
    Comprei um veículo OKM e, na revisão dos 40.000 Km me empurraram diversos serviços. Acabei pagamento R$ 2.160,00 pela "revisão". Após ler esse texto, esclarecedor, não mais permitirei a "empurroterapia", irei buscar fora, em mecânico de confiança, o que me foi oferecido. Afinal, cobraram na CSS um preço de R$ 100,00 pelos limpadores de parabrisa dianteiros, mas no mercado paralelo o preço gira em torno de R$ 40,00. Também tomarei cuidado ao comprar um novo veículo OKM quanto aos "acessórios" oferecidos pelo vendedor. Instalarei acessórios no mercado paralelo, mais baratos.

  • Paulo

    Pessoal,
    Já sai na porrada com um consultor Ténico. O cara tentou empurrar o que não devia e me fazer de bobo. Já perdi minha paciência com corrupção e gente sem escrúpulos. Logicamente já encontrei pessoas neste ramo que são grandes profissionais. Não generalizo. Recentemente troquei de carro e tive ótima experiência com uma vendedora séria e profissional. Demorei para fechar negócio, ela sempre foi paciente e atendia meus questionamentos com presteza e agilidade. Consegui boas vantagens na compra do carro e sa[i satisfeito com a negociação.

  • Roberto

    Excelente, eu mesmo tive um aparelho de CD roubado em uma CCS da Chevrolet numa revisão. Temos que denunciar tudo que estiver errado.

  • Freaky_Boss

    pessoal

    os comentários e o texto estão muito interessantes.

    No resumo do que li e penso:
    O Brasil está claramente 1 degrau abaixo na escala de ética e honestidade do que outros países desenvolvidos do mundo , isso é verdade (INFELIZMENTE), mas essas jogadas de vendedor ganhar comissão daqui e dali ocorrem no mundo. É o jogo normal. O que não pode é o vendedor mentir ou omitir informação do cliente, caso questionado sobre. Isso é totalmente desleal e anti ético.

    Dito isso: portanto a maior arma do consumidor é a INFORMAÇÃO e o raciocínio. Quando muitos tiverem condição E INTERESSE (muitos não querem nem aprender!) de fazer umas continhas simples de juros,etc, penso que muito se resolve nessa questão, e aí você analisa e compra se quiser.

    abraços!!!

  • Gigi

    Como muitos já disseram, e, infelizmente não tive como ler todos os comentários, o texto é SENSACIONAL. Muito legal ter esse lado mais aberto para consumidores e potenciais consumidores. Isso sim é imprensa democrática. Falamos tanto em desinformação dos consumidores, mas nunca vi uma matéria assim. Muito obrigado por compartilhar isso com os leitores!!

  • Valmir

    certa vez fui comprar um carro e no momento da negociação (na verdade no final, já tínhamos visto valor de entrada; valores de parcela e prazo), percebi que minha renda não dava pra comprar o carro com aquele valor de parcelas. Fui "instruído" pela vendedora a mentir na ficha de cadastro, adicionando rendas que eu não tinha. Ela disse que não me preocupasse, pois ela tinha bom relacionamento com as financeiras e que tal informação não seria investigada tão profundamente. Resumo: o financiamento passou. Não foi um problema pra mim porque meu pai pagava metade da parcela e eu a outra metade. Mas a mensagem é que CSS é como banco, o importante é vender o produto, se o cliente vai conseguir arcar com aquela divida não importa para eles.

  • Padanova

    – Vendas é uma arte, uma profissão muito antiga e que muitos gostariam de ser, mas felizmente é para poucos.Não adianta generalizar, o bom salário de um vendedor de carros é por pura competência.
    O texto induz o cliente à pensar que, o alto salário do vendedor, é desonesto e que estamos roubando o dinheiro dele.Não é verdade.Trabalhamos vários finais de semana seguidos, sem folga, muitas vezes deixando de ficar com a família o tempo necessário.Mas no final, as férias são compensadoras rs.
    Sempre fui honesto, isto é de berço e não participamos de qualquer margem de lucro das concessionárias.Somos comissionados e funcionários da empresa, não sócios.
    Este cidadão foi infeliz em partes, talvez por ser um vendedor frustrado, que ficava sempre abaixo da média.A cobrança nessa profissão é enorme, tanto dos patrões, quanto do próprio vendedor, pois se não há venda, não há salário.
    Trabalho em uma marca de luxo em São Paulo e não vejo isso que esse cara disse na matéria.Hoje muita coisa mudou e não dá para ficar mais com picaretagem, pois o cliente não é bobo, pelo contrário, eles sabem muito sobre o produto e mais, GOSTAM DE UM BOM ATENDIMENTO, coisa que ninguém mencionou.
    O brasileiro tem complexo de inferioridade e, em tudo, ACHAM QUE ESTÂO SENDO ENGANADOS.
    Resumindo, quem ganha dinheiro é o dono, não o vendedor.

  • kikofar

    Esse texto é um verdadeiro serviço de utilidade pública! O grande problema ao meu ver está na matemática do brasileiro. Somos um povo que não gosta, não sabe e não quer saber de matemática básica, quiçá juros compostos então! Pensar dá preguiça. Melhor ver o que cabe no orçamento (valor mais baixo da prestação) e tá valendo! E sai batendo no peito dizendo que fez um ótimo negócio. Às vezes fez, mas garanto que em 90% dos casos, não.

    Imaginem, pessoal, o brasileiro 'classe média', típico, nível de segundo grau ou de 'facu' cursada aos trancos e barrancos (por motivos diversos), uma pessoa que mal lê um livro por ano e que não gosta de matemática… Agora imaginem essa pessoa frente a um vendedor e tabelas com números e mais números, prazos, juros, entrada, prestação… COMO DIZ O CHATO DO FAUSTÃO NO QUADRO VIDEOC.A.SSE.TADAS: "ISSO NÃO VAI DAR CERTO!!!!"

    Dizem que todo dia um 'bobo' sai de casa e que o problema é quando ele encontra um 'esperto'. Então, é isso o que posso depreender do texto de uma certa maneira.

    Eu ainda levo meus carros à concessionária sim para as revisões, mas faço o necessário, conforme o manual. Uso a oficina deles para os diagnósticos dos demais problemas que, quando se confirmam, são sanados em oficinas independentes e, na maioria das vezes, com peças adquiridas pela internet. Não compro carro zero, porque, infelizmente eu me sinto um t. rou.xa numa concessionária, visto que tudo é feito para que você pague muito mais do que vale aquele bem móvel. Talvez pela criação que tive dos meus pais, desconfio sempre. Assim… meu último carro zero foi no longínquo ano de 2005 e, ainda assim, porque o adquiri com desconto de 18% no preço final (como desconto de frotista).

  • Cansado

    Também já trabalhei em algumas concessionárias, nacionais, marca premium e por ultimo uma chinesa, e as praticas são bem próximas do que foi falado, no entanto, hoje em dia o retorno vai até o 3 ou 4 no máximo ou seja, cada faixa de retorno representa 1,2%, no máximo que a css recebe de comissão pelo financiamento é 4,6%, mas já teve r12 ou 14,4% de comissão sobre o valor do financiamento, geralmente repassava-se para o vendedor 20% desta comissão e também há alguns anos não se segura mais recibo para transferir direto para o comprador final, mas de resto é bem próximo do que acontece.
    No meu caso, posso falar também sobre acessórios, onde já ganhei 5%, 10% e por ultimo recebia 50% sobre o valor que excedia um mínimo que a css queria receber sobre um acessório, por exemplo, a css queria receber no mínimo R$ 150,00 pela venda de um protetor de cárter, o que passasse sobre isso recebíamos 50%, mas era por "fora" não entrava no hollerith.
    Meu maior salario já foi de R$ 12.000,00 isso em 2011, no ultimo ano fiquei na média de R$ 5.000,00, mas não quero continuar nesse ano, pois além disso tudo o vendedor sofre muitos abusos por parte do seu empregador, assédio moral, exploração, salários pagos "por fora" enfim, minhas reclamações trabalhistas já estão prontas e serão meus primeiros trabalhos fora dessa vida estressante de vendedor de veículos.

  • Everaldo

    Com certeza não vendia nada frustrado.
    Imagine um texto sobre bancos ou redes de supermercados todos tem seus
    Procedimentos internos.

    • Cansado

      É realmente eu não vendia nada mesmo. Mas com o pouco que eu vendi comprei apartamento, casa na praia e tenho só 22 carros em consignação espalhados em 4 revendedores. Eu não preciso imaginar procedimento internos de bancos e redes de supermercados, eu sei bem como funciona assim como concessionárias.
      Para quem continua nessa vida, boa sorte, como parece seu caso.
      Eu dentro de alguns meses estarei advogando, domingo estarei com minha esposa, filhos, na praia ou em casa, ou ainda estudando, enquanto você estará em pé em um show-room disputando com mais 9 vendedores, uma vendinha furreca e chegar no fim do mês morrendo de medo de ser a "bola da vez" para ser mandado embora.

      • padanova

        tá na boa(não acredito, pois quer se aparecer), pois fez esqueminhas com revendedores enquanto era vendedor de concessionária.22 carros? kkkkk, levou pouco né?deve estar queimado na rede onde trabalhou.
        Conheci um monte que fizeram isso e hoje estão na merda.

      • padanova

        tá na boa(não acredito, pois quer se aparecer), pois fez esqueminhas com revendedores enquanto era vendedor de concessionária.22 carros? kkkkk, levou pouco né?deve estar queimado na rede onde trabalhou.

  • CaniBala

    Mas qual o valor do imposto pago na venda do veiculo? Lendo o texto isso não foi levado em consideração, apesar que mesmo assim não duvido que o lucro da venda do carro seja enorme teriamos que levar isso em consideração.

  • Angelo

    Parabéns! Sempre procurei comprar carro 0km a vista. Comprei o último em dezembro de 2013 e lá o vendedor me relatou que seria mais interessante para eles o financiamento (pois ganhavam a comissão do banco) do que o pagamento a vista. Até então, não tinha parado para pensar nisso. Em seu texto isto está muito bem demonstrado.

  • Antonio Rubens

    O que fazer? Isso é BRASIL.

  • Tavares.R

    Ótimo texto muito bom !
    Esclarecedor mas continua trabalhado com carros…
    Sinal que não está tão indignado assim com o sistema !

  • Sergio

    Parabéns pelo texto.
    Acho ótimo acreditar que existem pessoas como vc nesse mundo.
    Trabalhei em grandes montadoras japonesas e posso afirmar com toda certeza que nem tudo é maravilhoso por dentro de um carro ou até mesmo motor.

  • Mundico

    Será que eu acho que todas as CCS DO BRASIL são assim? Acho não…tenho CERTEZA.

  • rafaelbecker75

    Parabéns pelo texto. Conheço excelentes profissionais que trabalham em css, nas diversas áreas, mas o relato é muito coerente com a realidade.

  • Carvo

    Incrível e muito esclarecedor…
    E o pior, ainda tem gente que acha normal. Imagina a ética dessas pessoas no dia a dia profissional, imagina….

  • F.C.L

    Muitas verdades no texto,mas meu ex amigo de profissão esqueceu de falar q o cliente hoje (não todos claro,há os "gente boa",poucos também é verdade) a maioria é um nojo,esse tipo de consumidor está nojento,e quase sempre,a maioria é mentiroso…eu sou vendedor de veículo e qndo posso ponho retorno mesmo,mesmo assim é pouco pelo trabalho q muito mala dá…Ele só colocou coisa ruim na matéria,mas esqueceu de falar q qndo tem carro usado na troca os malas dos clientes querem q a loja page tabela…como se isso fosse possível…há custos para o veículo entrar…sem contar a possibilidade de dinheiro parado por conta do tempo do veículo em estoque até ser vendido,fora q no caso da marca q eu trabalho, a montadora não quer saber se há carro na troca,ou seja,vendeu o 0KM se vira pra pagar a montadora em dois dias úteis…haja cx não é??? Ao invés de preocupar o qnto uma concessionária lucra ou qnto um vendedor ganha deveríamos nos indignar e se rebelar contra a carga tributária imposta pelo nosso governo onerando e muito os preços dos veículos.

  • Herbert Smith

    Putz, fiquei sem palavras!
    O autor do texto tá de parabéns! O NA já tinha meu respeito, mas depois de publicar isso vocês entraram no hall da fama na minha opinião!
    A galera comentando também, simplesmente DEMAIS! Vários comentários massa e com relatos passados que agregam um monte à matéria publicada aqui…
    Muito bom mesmo, parabéns a todos, eu só queria ter a honra de conhecer o cara que escreveu isso, poder apertar a mão dele e pagar um chop! Você tem o meu respeito parcero!

  • TSThiago

    Bom dia amigos !
    Bom, em primeiro lugar gostaria de dizer que trabalho com vendas de automóveis 0km e seminovos já fazem mais de 15 anos. Já fui vendedor, proprietário e hoje gerente de vendas.
    O nosso amigo que escreveu o texto, muito bem escrito por sinal, nunca foi de fato um vendedor de automóveis. Digo isso pois um vendedor de automóveis NUNCA trabalharia em oficina, funilaria, recursos humanos … somos pagos para vender carros.
    Nosso amigo esqueceu de dizer que trabalhamos 12 horas por dia, todos os dias inclusive feriados e finais de semana, esqueceu de dizer que temos cursos de qualificação profissional à cada novo modelo lançado e neste período que as vezes chega a ser de 3 ou 4 dias não ganhamos NADA pois não vendemos, ele também esqueceu de mencionar que férias em nosso ramo é raridade tendo em vista que somos registrados com um mínimo garantido de R$ 1.080,00 e ganhamos comissões sobre as vendas, ele também não mencionou que a empresa gasta uma fortuna de nota fiscal, revisão, garantia … estamos no Brasil o país do imposto … Não sei onde ele trabalhou que a concessionária ganha essa fortuna por carro vendido, um carro popular 0km (celta, gol, palio, corsa …) tem um lucro de R$ 500,00 e ainda desconta sobre esse valor os 0,3% de comissão do vendedor.
    Pessoal, um dono de loja tem investido 2 – 3 milhões em estoque, ele tem que ganhar dinheiro, claro !!! A taxa de retorno que o nosso amigo fala, não é assim que funciona … ele não menciona que essa taxa existe para completar o valor do carro, hoje os clientes não tem entrada então essa é uma forma do banco complementar o valor do bem e ainda assim são descontados 20% de imposto.
    Um vendedor de carros hoje ganha na média de R$ 2.500,00 – R$ 4.000,00 por mês, mas em dezembro, janeiro e fevereiro ganha o mínimo garantido, algo em torno de R$ 1.000,00 isso trabalhando 27 dias por mês.
    Eu fico muito chateado quando vejo esse tipo de profissional desrespeitar o nosso ramo, não vamos julgar nem generalizar. Tem muitos funcionários públicos que prestam concurso trabalho 6 horas por dia e ganha muito bem, só por isso ele é ladrão ??? Vamos nos atentar ao lucro absurdo das montadoras, as taxas de juro praticadas pelos BANCOS, a má qualidade dos nosso carros nacionais … não ao vendedor … esse trabalha feito um animal, não ganha nem perto desta fortuna que acham e ainda tenta todo dia fazer seu melhor e atender muito bem seu cliente para vender e ganhar seus R$ 150,00 – R$ 200,00 por venda, isso mesmo !!! É essa a média de comissão de um vendedor por carro vendido.
    Amigo, mais uma vez parabéns pelo texto. Peço desculpas em nome de todos os vendedores que alguma vez lesaram você e lembro que em todos os ramos temos profissionais bons e ruins. Espero que esteja muito bem nesta nova profissão e caso algum dia volte a ser vendedor de carros que escolha uma boa revenda para não ter mais esse tipo de problemas.
    Abraços !!!

  • José Lima

    ENTENDI A COMPRA DE UM CARRO FINANCIADO DA SEGUINTE FORMA:

    EXEMPLO___

    VALOR DO CARRO: 40.000 (taxa 12% aa)

    COMPRADOR:

    Vou financiar ele com 60 x (isso dá a ideia de que voce vai comprar com um prazo longo e, é isso que o vendedor quer; ele nao gosta de vender a vista, pois nao tera a comissao de financiamento do banco).

    VENDEDOR:

    Entao vamos calcular… O valor da parcela fica em 1.067,00 (total 64.000)

    COMPRADOR:

    Cara, eu quero um desconto ai. Tem como o valor cair para 37.000?

    VENDEDOR:

    Impossível! No mínimo ele cai para 38.000 (cairam 2.000, porque o comprador acha que vai ganhar na comissão pelo longo prazo).

    VALOR ATUAL: 38.000

    COMPRADOR:

    Fechado! Só que mudei de ideia e quero financiar ele em 36 x [(total 51.680)36 x 1.436].

    0,12*3 ANOS = 0,36 * 38.000 = 13.680 (JUROS) + 38.000 = 51.680.

    DE 64 MIL PARA MENOS DE 52 MIL.

  • Cefas Silva Fernandes

    Moro e trabalho nos Estados Unidos. Me formei aqui e hoje trabalho na industria automotiva, como consultor de software. A empresa q trabalho tem uma CRM especifica so para o setor automotivo, entao conheco tbm muito bem o setor automotivo americano. Fiquei impressionado com o lucro dos carros ai no Brasil… aqui apesar de acontecer mtas das coisas q acontecem ai, o lucro eh bem menor. Num carro 0km a media eh de mil a 1500 dolares no maximo de lucro, isso carro de mercado q vende bastante. Mtas lojas vendem pelo preco da nota tbm, eh como vc ver aqui e anunciam q estao vendendo ao q eles chamam “Invoice”. O comissao do vendedor entretanto eh maior, de 18% a 23% depende da loja. Aqui eles tem os “Rebates” q sao descontos, se for dado tem q ser 100% para o cliente. Outra coisa aqui chamam de “Hold backs”, cada carro tem um valor de incentivo q se o carro for vendido, a fabrica paga esse “hold back” para o dealer. Depende do carro e da marca, ele pode ser uma media de 600 dolares. Alem disso as lojas recebem bonus por metas de vendas alcancadas. Por exemplo, se eles venderem 100 carros por mes, ganham X a mais. Se conseguirem 150.. mais X entende? Entao fica facil assim vender perto do valor de “invoice” (ou nota no Brasil). Se vc tem muito fluxo, mta gente, cidade grande, vc consegue vender por invoice e pegar lucro no “hold back” e tbm na quantidade. Mtas fabricas tbm dao incentivos diretos ao vendedor, por exemplo se atingir 10 unidades no mes, eles tao mais 200 dolares para cada negocio fechado. Se conseguir 15… ou 20 dai mais 300 ou 400 dolares.. depende da loja. Assim as lojas q vendem por invoice, tem um valor fixo minimo para a venda de um carro para os vendedores, geralmente ente 150 e 250 por unidade vendida se for por invoice… sem “lucro”. Entao se vc eh vendedor, no minimo tira ai 150 por unidade… se vendeu 10, ganha um bonutos de mais 150 por unidade… entao 300 por unidade e jah fez 3 mil. Dai se vc vender 20 unidades, vc pode fazer tipo 400 ou 500 por unidade dependendo da loja., quase 10 mil dolares….. isso suponde q vc vendeu todos por invoice…. sem lucro nenhum. A loja ganha no volume, e vc tbm. Aqui sim, nos Estados Unidos, mais do q no Brasil a melhor hora para comprar eh no final do mes, pq os vendedores estao loucos para baterem as proprias metas, pq aquele carro a mais q ele fechar, pode afetas sua comissao em todos os outros carros q ele jah vendeu no mes, mesmo se ele jah recebeu o dinheiro na quinzena passada, ele pega a diferenca. Assim como ai, as lojas usam o “Service Department” como o carro chefe para pagar as contas, e o departamento de vendas como lucro. O problema sao cidades pequenas que nao vende muito nao conseguem os numeros de vendas, entao eles tem q manter o lucro ou nao ganham nada. Se vendem por invoice, e vendem menos q 100 unidades no mes ai eh complicado. Mantendo os lucros entao fica mais caro comprar em cidades menores, as pessoas acabam viajando para comprar carros em grandes centros, e apesar de mtas as dealers menores vao perdendo mto mercado, mto dinheiro e nao conseguem acompanhar o mercado, ficam ultrapassadas. Carros de luxo eh diferente, consultei numa loja de Luxo em Pasadena California, quem quiser consultar ai, Rusnak Group, eu consultei na Porsche e tbm na Jaguar. Os lucros eram diferentes…pelo menos 5 mil de lucro. Cheguei a ver algumas unidades da Porsche Cayenne com 17 mil de lucro. Se vc quisesse comprar uma Cayenne eram 6 meses de espera, tanta a procura. Eles vendem em media 90 a 120 Porsches por mes. Outro nivel, outra clientela! =) Mto mais grana envolvida… aparentemente naquela loja se conseguia fazer 100 a 150k no ano facil…! Eu tenho lojas aqui no meu estado em q vendedores conseguem tbm fazer 150k mas eh mto trabalho, tem q vender bastante. Apesar de os juros aqui serem bastante baixos (dependendo do credito da pessoa) as lojas conseguem ainda fazer dinheiro emcima. Eles mandam suas informacoes pro banco, e o banco q decide qual taxa eles vao te dar, dependendo do seu credito. Vamos supor q vc tem um credito muito bom, o banco te da uma taxa de 2.99% ao ano (excelente nao? comparada ao Brasil?) a loja nao repassa a mesma informacao, ela vai te oferece uma taxa de 3,49% ou 3,99% ao ano. Oq a loja conseguir “vender” acima da taxa aprovada…. ela ganha geralmente 50%. Isso o consumidor tbm nao sabe, pq a loja aplica pro banco, e chega para o cliente e fala, olha vc foi aprovado pra essa taxa e eh isso… nao tem chora chora. A nao ser q ele aplique para varios bancos diferentes. Mas todos vao jogar na mesma faixa. Eh ruim aqui aplicar para varios bancos diferente, pq cada vc q vc faz uma aplicacao de credito, vc perde alguns pontos no seu credito. Entao uma simples visita no dealer, se vc quis consultar precos, e eles puxaram seu credito, jah baixa seu credito… um pouco mais abaixa. E nao tem como eles te darem um valor de parcela se nao puxarem seu credit.. eh complicado.Se vc aplicar para financiamento naquela loja e nao comprar.. dai vc vai para a proxima loja, eles vao fazer a mesma coisa. Digamos q vc chega a uma terceira… o as taxas jah vao estar mais altas ai, pq os bancos estao vendo q vc esta aplicando pra varios bancos em um determinado espaco de tempo, suja seu nome em termos, gradualmente aumenta sua taxa de juros. Bem eh isso.. soh pra dar uma ideia! Se quiserem um post mais compreensivo posso entrar em mais detalhes se quiserem.

  • M OVER

    Para trabalhar como vendedor que cursos preciso ter? Basta o ensino médio?. Já agora otimo texto explica muito bem a realidade por detras das concessionárias.

  • Milton Fabiano Camargo

    O texto está oculto. Não consigo ver.