20 regras de qualquer loja que venda carros (no Brasil)

20 regras de qualquer loja que venda carros (no Brasil)

Por mais que muitas revendas, concessionárias e as famosas “garagens” de veículos prezem pelos seus respectivos nomes no mercado, outras empresas acabam promovendo a picaretagem para enganar parte de seus consumidores e beneficiar a si mesmas.

Se você já tentou vender o seu carro ou entregar o modelo antigo na troca de um novo com o intermédio de uma empresa deste segmento, muito provavelmente já passou por alguns problemas. Sobretudo numa conversa com algum vendedor de carro (ou os ditos “consultores de vendas”), a negociação acaba se tornando um mar de técnicas para te influenciar a fechar o negócio.

Não é difícil encontrar alguém que diz para não cair na “lábia” dos vendedores. E isso é realmente verdade. Assim como as empresas como um todo, há bons vendedores dispostos a te atender, entender as suas reais necessidades e perspectivas e te entregar a melhor solução. Por outro lado, outros profissionais usam algumas artimanhas para fazer você realmente adquirir aquele determinado carro.

Um membro do antigo fórum do Notícias Automotivas nos ajudou a separar algumas “regras” aplicadas pelas concessionárias de veículos e seus respectivos vendedores e demais funcionários, tudo isso para realmente fazer você assinar o cheque.

Confira:

1) Colocar defeitos no seu carro

Na hora de avaliar o seu carro, o vendedor ou outro profissional daquela loja vai colocar alguns defeitos no modelo que nem mesmo você não sabia que existia – não importa qual seja. Ele poderá te induzir a entender que o seu carro é micado (ou seja, ignorado pelo mercado em geral e difícil de ser revendido), pelado (sem equipamentos essenciais para aquela faixa de preço), roubado, entre diversos outros.

2) Desvalorizar o seu carro

Você como um bom entendedor de carro, muito provavelmente faz um levantamento da média de preços que o mercado está pagando pelo seu veículo e consulta a Tabela Fipe. Mas o vendedor certamente irá desconsiderar esses parâmetros e desvalorizar o seu veículo ao máximo para pagar o menor preço possível. Fique atento!

3) Carro automático é ruim

Se seu carro é automático? Isso significa que você acabou de dar desconto na negociação do modelo! Por mais que os carros automáticos estejam cada vez mais entre as preferências do público, esse item pode ser “essencial” para o vendedor desvalorizar o seu veículo. Caso ele seja de um ano mais antigo e com centenas de milhares de quilômetros rodados, prepare-se para uma desvalorização ainda maior.

4) Na hora de vender, carro automático é bom

E vira qualidade na hora de vender: ainda falando sobre o carro automático, ele pode ser desvalorizado na hora da compra por parte da concessionária. Mas quando a mesma for oferece-lo para um outro consumidor, o fato de o veículo ser automático acaba virando uma qualidade e um grande atrativo na negociação!

5) Carro em destaque na loja é carro encalhado

Os carros em destaque não são os melhores da loja! Sabe aqueles carros que são engrandecidos num anúncio de internet, revista ou no próprio ponto de venda da concessionária? Pois bem… tome bastante cuidado! Pode ser que esse carro esteja encalhado há tempos no pátio da empresa e ela está fazendo de tudo para despacha-lo o quanto antes.

6) O carro que você se interessou calhou de estar em oferta

O carro do seu interesse sempre estará em oferta: já tentou reservar um hotel pela internet? Você provavelmente já se deparou com algum mote dizendo que há somente outros 2 quartos disponíveis naquela data e por aquele preço anunciado. Esta é uma artimanha para você não abandonar o site e fazer a reserva naquela mesma hora.

O mesmo acontece na negociação de um carro. Independente do veículo escolhido, ele sempre será anunciado pelo vendedor com uma grande e atrativa oferta e com condições especiais só para você. Tudo isso para não fazer você pensar duas vezes antes e assinar o cheque!

20 regras de qualquer loja que venda carros (no Brasil)

7) Desespero pra fazer você fechar negócio agora

Caso você não compre corre sérios riscos de um comprador misterioso e apressado levar o carro no dia seguinte. Complementando a “regra” anterior, se você não comprar o carro naquele dia e resolver voltar um dia depois, muito provavelmente o veículo já vai ter sido adquirido por algum outro cliente da empresa. Outra tática para promover ainda mais o senso de urgência no seu cérebro.

8) A culpa é sempre da gasolina

Culpar a gasolina pela fumaça do escapamento. Pode parecer que não, mas uma fumaça estranha saindo do escapamento pode ser sinais de anomalias no motor. Mas se isso estiver acontecendo no carro anunciado pela revenda, o vendedor irá tratar como algo relacionado à gasolina…

9) É proibido falar com o dono do carro consignado

O telefone do proprietário de um carro consignado fica guardado dentro de um cofre no fundo falso do assoalho da revenda. Isso SE estiver lá.

10) O estepe é sempre zero bala

O estepe nunca rodou. Isso parece ser até um item de série do carro. Afinal, na cabeça de muitos, estepe que nunca rodou é sinônimo de ex-proprietário cuidadoso e de um carro que só trafegou em estradas em boas condições. Balela!

11) Todo carro é completo ou completo menos ar

Completo significa ar + direção + vidros elétricos. Por mais que estejamos numa era em que os compactos estão cada vez mais completos, para muitos vendedores o trio com ar-condicionado, direção hidráulica e vidros elétricos já é o suficiente. Mas nada que um par de airbags, freios ABS, travas elétricas e sistema de som brilhem mais os seus olhos, né?

12) Tira rádio daqui e bota ali

Pedir CD Player de brinde é praticamente fazer a concessionária retirar o aparelho de outro carro em estoque e colocar no seu. Trata-se de um ciclo vicioso. Afinal, a empresa dificilmente irá gastar 200tão para adquirir um sistema de som zerinho para o seu futuro carro.

13) Pneu também, tira de um e coloca no outro

Pneu novo não se compra. Basta esperar que alguém deixe seu carro na loja pra vender.

14) Pode trazer seu mecânico!

“Pode trazer mecânico e funileiro”: quem aí nunca ouviu essa frase? É praticamente um sinônimo de: “carro micou no estoque e queremos vender rápido”.

15) Querem escolher o modelo por você

Para mulheres querendo comprar, leve-a para o Ford Ka mais próximo, mesmo que ela esteja procurando uma Pajero Full.

16) Um super tanque de presente!

Tanque cheio + documentação é um superbrinde: isso tudo pra mostrar como a revenda está sempre do seu lado e gosta de você cliente. As concessionárias dão tapetes. Confiança e procedência em primeiro lugar, né?

17) Pra tudo uma desculpa

“Os espelhos não caíram, nós que tiramos pra trocar”. Essa é outra desculpa usada por vendedores. Neste caso, para carros caindo aos pedaços que já não possuem nem mais espelhos internos. O vendedor certamente irá te entregar o veículo com espelhos paralelos só para tapear os danos.

18) A pintura é original, chefia

“Esse Azul Náutico é de fábrica sim, pode confiar”: uma frase muito usada por vendedores que tentam acobertar a repintura de um carro. Mas tente procurar pelo histórico do carro e ver se aquela cor é realmente de fábrica.

19) Criatividade no nome pra que?

Se sua revenda não tiver Car ou Auto no nome ela não vai pra frente. As empresas de turismo adotam “Tur” – são empresas de sucesso.

20) Calma lá…

Procon? Acho que esse modelo não temos na loja, não seria Protege? Ou Dacon?

Eber do Carmo

Formado em marketing, tem mais de 15 anos de experiência escrevendo sobre o mercado automotivo no Notícias Automotivas, desde que fundou o site em 2005. Anteriormente trabalhou em empresas automotivas, nos segmentos de personalização e áudio. Também teve por três anos uma empresa de criação de sites e catálogos eletrônicos.