Koenigsegg: a história da marca e seus carros esportivos

koenigsegg 19

Koenigsegg. No mundo dos super carros, este nome tem um peso enorme e inspira velocidade acima de tudo. No entanto, não se trata apenas de alta performance e números para disputar o Guinness Book.


A Koenigsegg é um fabricante sueco de hiperesportivos que sempre está disposta a medir forçar com marcas como Bugatti e Hennessey, porém, também é uma empresa de tecnologia automotiva.

Usando técnicas próprias, a nórdica produz alguns dos carros mais exclusivos do mundo, como Gemera, Jesko e Regera. Comandada por Christian von Koenigsegg, a empresa é notória quando o assunto é desempenho.

Graças à tecnologia embarcada, como motores com cabeçotes sem comandos de válvulas, chamado FreeValve ou PHEA, usado em um motor da chinesa Qoros.

Câmbios como o Direct Drive Transmission e o Light Speed impulsionaram seus carros com motor V8 5.0 e dois turbos, a ir aonde (quase) ninguém foi em km/h.

Koenigsegg – tecnologia

koenigsegg 1

Além de um motor sem comando de válvulas, a Koenigsegg foi em busca de sustentabilidade e para isso desenvolveu uma tecnologia chamada Flower Power, que nada mais é que a flexibilização do combustível.

O Koenigsegg Jesko atualmente é o único que permite abastecimento com E85 ou gasolina pura, obtendo grande redução de emissões do efeito estufa na atmosfera.

Bem perto da eletrificação plena, a Koenigsegg continua se impondo com seus hiperesportivos que alcançam de 410 km/h a 500 km/h ou mais…

O Gemera, por exemplo, é um híbrido com o menor, mais leve e potente inversor de energia do mundo automotivo, sendo o mesmo chamado “David”, uma referência ao Davi bíblico.

koenigsegg 29

Na empresa da Europa Setentrional, coisas como um conversor catalítico “foguete”, suspensão Triplex e portas sincro-hélices diédricas são outras das invenções de Christian von Koenigsegg.

Indo de 0 a 100 km/h em menos de 2 segundos, um bólido da Koenigsegg não é um carro barato, custando de US$ 1 milhão a US$ 3 milhões, dependendo da região do mundo onde seja adquirido.

Mais que um super carro, um bólido da Koenigsegg é uma obra de arte com rodas, cujo design é elogiado mundialmente, tendo até recebido um prêmio nacional na Suécia e sido listado como um dos mais belos do mundo pela Forbes.

Premiada outras vezes, a empresa escandinava é um player admirado no setor automotivo por sua independência e tecnologia, bem como admirada pelos números de velocidade elevadíssimos.

Koenigsegg – modelos

koenigsegg 10

A Koenigsegg tem atualmente três modelos, sendo o híbrido Gemera o mais recente, com entregas a partir de 2022, tendo ainda o Jesko lançado em 2020 e o Remera, o mais antigo, fabricado desde 2016.

Com construção em fibra de carbono e outros materiais muito leves, os carros da marca nórdica compõe hoje o pilar do fabricante, que já teve a famosa série CCR e o Agera, entre outros.

No portfólio atual, o carro mais barato é o Remera com US$ 1 milhão de custo de aquisição, sendo o Jesko o mais caro com preço em torno de US$ 3 milhões. O Gemera custa em torno de US$ 1,9 milhão.

Regera

koenigsegg 3

O Koenigsegg Regera, nome que significa “reinar” ou “governar”, é o mais antigo bólido da marca escandinava e está no mesmo desde 2016.

Com produção seriada limitada em 80 exemplares, ainda não vendidos totalmente, o bólido deriva em design do antecessor Agera.

Ele possui um coeficiente aerodinâmico muito baixo, mas dispõe de apêndices que ajudam a grudá-lo no chão, produzindo 450 kg de downforce a 250 km/h.

Musculoso, o Regera tem interior com 4G e Wi-Fi, além de multimídia com infravermelho e sistema de câmeras para gravação frontal, interior e traseira.

As portas giram para cima num sistema chamado diédrico sincronizado, onde elas saem e giram num eixo adiante, preso na carroceria. Todo o carro é automatizado, inclusive os aerofólios e spoilers.

koenigsegg 4

A ideia para fazer o Regera começou com um Tesla Model S P85, o qual impressionou Christian em entrega imediata de potência e sem turbo lag. Contudo, a Koenigsegg não trabalhava com carros elétricos.

Para reproduzir o mesmo num bólido da marca, ele tomou o Agera como base e criou um híbrido plug-in, eliminando a caixa de mudanças de dupla embreagem e sete marchas.

Em seu lugar, Koenigsegg adicionou um sistema de transmissão direta chamada Direct Drive Transmission, além de três motores elétricos. Ele usou também o mesmo motor V8 5.0 Biturbo do Agera.

No entanto, adicionou turbinas de geometria variável para ajudar a eliminar o turbo lag, enquanto a DDT produzia a transferência imediata de potência. Há também injeção flex com E85 e gasolina pura.

Seu propulsor V8 5.0 entrega 1.115 cavalos e 130 kgfm. Entre o motor e as rodas, existem três motores elétricos, sendo um de 219 cavalos preso diretamente ao virabrequim e um de 244 cavalos em cada roda traseira.

koenigsegg 5

Estes últimos fornecem também vetorização de torque. Assim, o Regera tem 1.822 cavalos no total, porém, com as perdas, combina 1.521 cavalos.

Para domar sua condição em pista, a Koenigsegg adicionou uma suspensão de duplo braço triangular e amortecimento Triplex na traseira, consistindo em três batentes da Öhlins.

Equipado com rodas aro 19 polegadas na frente e 20 polegadas atrás, ambas com porca central, tem pneus Michelin Pilot Sport Cup 2, bem como freios de carbono-cerâmica com pinças enormes.

Com tudo isso, o Koenigsegg Regera vai de 0 a 100 km/h em 2,8 segundos, precisando de 6,6 segundos até 200 km/h e 10,9 km/h até 300 km/h. Nos 400 km/h, o tempo é de 20 segundos.

Sem consumo revelado e com final indeterminada (diz-se que alcança 410 km/h), o Regera detém o recorde mundial de aceleração até 400 km/h e frenagem até a imobilidade, fazendo-o em 31,49 segundos.

Jesko

koenigsegg 15

O Koenigsegg Jesko surgiu em 2020 e tem seu nome como homenagem ao pai de Christian, Jesko von Koenigsegg. O fooc do produto é alta performance em pista, diferente do Regera, um carro feito para viagens.

Tal como o Regera, o Jesko é um bólido que se apoia na tecnologia Flower Power, usando assim tanto gasolina de alta octanagem quanto o chamado E85, que é o etanol com 15% de gasolina.

O propulsor é o mesmo V8 5.0 com dois turbocompressores, cuja potência varia de acordo com o combustível. Nesse caso, o Jesko com gasolina alcança 1.298 cavalos e 101,6 kgfm.

Com gasolina comum, o torque fica entre 2.700 e 6.170 rpm. Usando o E85, a potência alcança 1.625 cavalos e 152,4 kgfm, num aumento incrível de potência e torque com este combustível, obtido a 5.100 rpm.

Para eliminar o turbo lag, a Koenigsegg adicionou um compressor elétrico com 20 litros de volume para encher as turbinas desde o início do giro, sendo bem purista fora essa tecnologia.

koenigsegg 16

Além do V8 5.0, o Jesko tem uma transmissão de dupla embreagem com nove marchas, chamada Light Speed Transmission (LST), que possui modificações internas para trocar marchas mais rapidamente.

Sem volante de massa, a LST é conectada direta ao motor, o que permite reduzir o tempo de troca para algo entre 20 a 30 milissegundos.

Construído em fibra de carbono, o Jesko possui um chassi adaptativo com suspensão dianteira alinhando-se em altas velocidades para manter a trajetória e as rodas traseiras se movem levemente para manter a estabilidade dinâmica.

O conjunto de amortecedores Triplex é necessário para velocidades altíssimas e contornos rápidos de curva. Usando rodas de alumínio forjado ou fibra de carbono, o Jesko tem aros 20 na frente e 21 polegadas atrás.

Os freios possuem discos de carbono-cerâmica. Para atingir altas velocidades, o Koenigsegg Jesko usa pneus Pilot Sport Cup 2 da Michelin com medidas 265/35 ZR20 na frente e 345/30 ZR21 atrás.

koenigsegg 13

Com aerodinâmica produzindo alta carga de downforce, o Jesko tem enorme asa traseira fixa e uma cabine que lembra muito uma aeronave, assim como o Regera. Na versão Attack, o bólido chega até 800 kg de força para baixo a 249 km/h.

O Jesko Attack vai muito além, chegando a 1 tonelada de downforce a 275 km/h e nada menos que 1,4 tonelada em velocidade máxima.

Com mesmo interior do Jesko padrão, onde se destaca a multimídia de 9 polegadas e volante com cluster digital de 5 polegadas na coluna.

Além do Jesko padrão e da versão Attack, existe ainda o Jesko Absolut, que alcança 531 km/h em condições normais, mas pode chegar a 563 km/h em condições de clima e pistas ideais.

koenigsegg 14

Ainda assim, sem uma medição oficial, a Koenigsegg diz que o bólido normalmente chega a 483 km/h.

Lançado em 2020, o Jesko tem produção programada para 125 unidades e com fabricação anual de 40 a 50 carros.

Com 4,61 m de comprimento, 2,030 m de largura, 1,210 m de altura e 2,700 m de entre eixos, o Jesko pesa de 1.320 a 1.420 kg, indo de 0 a 100 km/h em 2,6 segundos e 5,9 segundos até 200 km/h.

Gemera

koenigsegg 17

Mais recente carro da Koenigsegg, o Gemera é o modelo mais diferenciado da marca sueca, com um visual exclusivo, ele é o primeiro carro de quatro lugares da empresa. O bólido também é o primeiro com propulsor pequeno.

Pensado como um produto de alto volume, o Gemera tem expectativa de ser feito em volume de 300 exemplares. Ele usa o propulsor Tiny Friendly Giant (TFG) de três cilindros, 2.0 litros com dois turbocompressores.

Este pequeno motor de três cilindros tem cabeçote FreeValve, que dispensa comandos por eixo usa eletro-válvulas para admissão e escape, além dos outros tempos de combustão.

Com 710 cavalos a 7.500 rpm, o TFG dispõe de 61 kgfm entre 2.000 e 7.000 rpm, atingindo a faixa vermelha em 8.500 rpm. Segundo a Koenigsegg, o Tiny Friendly Giant pesa apenas 70 kg.

Além dele, o Gemera possui três elétricos, com um conectado ao virabrequim do TFG e dispondo de 400 cavalos e 50,8 kgfm, mas conectando as rodas dianteiras.

koenigsegg 18

Outros dois elétricos, cada um com 500 cavalos e 101,6 kgfm, ficam conectados às rodas traseiras. De forma combinada, o Gemera entrega 1.724 cavalos e 355,6 kgfm.

Tal como nos Regera e Jesko, o Gemera usa vetorização de torque com motores elétricos, bem como uma bateria de lítio de 15 kWh que garante autonomia de 50 km no modo elétrico.

Segundo a Koenigsegg, o Gemera tem autonomia de 1.000 km, provavelmente usando gasolina, embora possa ser abastecido com E85 ou etanol puro, assim  como metanol e energia elétrica.

Com esse conjunto híbrido plug-in, o Koenigsegg Gemera vai de 0 a 100 km/h em 1,9 segundos e alcança 400 km/h, sendo 300 km/h o limite no modo elétrico.

Tendo um estilo mais fluido e moderno, o Gemera tem frente com grandes entradas e faróis full LED escurecidos, bem com cabine em forma de cápsula para quatro pessoas, que acessam o interior por duas portas diédricas.

koenigsegg 26

Diferente dos demais, o Gemera não usa asa traseira e é tido pela marca como o primeiro “Mega-GT” do mundo, possibilitando assim levar quatro pessoas até 400 km/h.

Por dentro, o Koenigsegg Gemera tem cluster digital sobre a coluna de direção, duas telas para reprodução das imagens das câmeras de função retrovisor e uma enorme tela de multimídia de 13 polegadas.

Os bancos tipo concha são feitos de fibra de carbono, assim como a carroceria, com excessão de partes do chassi, construídas em liga de alumínio. O ambiente tem sistema de som com 11 alto-falantes e Wi-Fi.

Enorme, o Gemera mede 4,975 m de comprimento, 1,988 m de largura, 1,295 m de altura e 3,000 m de entre eixos, tendo 1.850 kg de peso. O bólido “familiar” custa US$ 1,85 milhão.

Koenigsegg – fábrica

koenigsegg 9

Sediada em Ängelholm, na região de Scania, a Koenigsegg emprega atualmente 400 pessoas e já produziu inúmeros carros. Além de produzir super carros, a empresa também produz visitas ao complexo industrial.

A fábrica possui um programa regular de visitas que custam em média 1.000 coroas suecas ou cerca de R$ 618, dando 1,5 hora de visita sem câmeras e com assinatura de um termo de confidencialidade.

Usando processos manuais de manufatura, a Koenigsegg trabalha com alta tecnologia para fabricação de peças e componentes em fibra de carbono e alumínio, assim como maquinário para rpodução dos motores V8 5.0 e 2.0 TFG.

Koenigsegg – história

koenigsegg 21

Fundada em 1994, a Koenigsegg já produziu muitos carros em sua curta vida, incluindo os das séries CCX e Agera, bem como o One:1. Seus bólidos são impressionantemente rápidos e velozes.

O antigo CCR, por exemplo, foi o primeiro carro da Koenigsegg a quebrar um recorde mundial de velocidade. Não satisfeita com a velocidade final, a empresa focou na aceleração de 0 a 400 km/h.

Falando em V8, o 5.1 do Jesko é o propulsor mais rápido do mundo em aceleração de giro, alcançando incríveis 46.000 rpm por segundo e indo da marcha lenta até o corte em pouco mais de 0,2 segundo.

Aliás, a relação da Koenigsegg com os chineses vai além disso, com a venda de 20% das ações da empresa para o consórcio sino-sueco NEVS, o mesmo que assumiu a Saab no lugar da marca de hiper carros.

Falando em Saab, quase a marca escandinava da região da Scania passou para as mãos de Christian von Koenigsegg, chegando mesmo a ter um plano elaborado, porém, acabou desistindo do negócio.

Koenigsegg – fotos

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.