Cheiro de gasolina no escapamento, por que?

Cheiro de gasolina no escapamento, por que?

O sistema de descarga de poluentes do automóvel não pode ter cheiro de gasolina no escapamento, mas qual o motivo por trás disso?

Geralmente, o escape do carro emite uma combinação de gases resultantes da queima de combustível no motor. Esse processo é feito com a admissão, compressão, combustão e escape da mistura ar-combustível.

Essa razão de mistura é detonada por uma explosão provocada por uma centelha elétrica produzida pela vela de ignição. Após a explosão, o material resultante da queima é expelido para fora da câmara em outro movimento do pistão.

Assim, os gases passam pelo catalisador para filtragem de alguns componentes e particulados, chegando depois à atmosfera através do cano de descarga.

No entanto, alguns fatores envolvidos nesse processo de funcionamento do motor, podem provocar o cheiro de gasolina no escape.

Cheiro de gasolina no escapamento, por que?

Cheiro de gasolina no escapamento, por que?

Neste artigo, vamos conhecer cada uma dessas possíveis causas para a presença inapropriada de combustível, no caso gasolina, no sistema de escape.

À primeira vista, se você sente um odor de gasolina é porque o combustível não foi queimado corretamente na combustão. Então, partindo desse princípio, vamos ver quais os motivos pelos quais a gasolina acabou indo parar no escape.

Além disso, daremos dicas de como resolver o problema e não ter prejuízos com consumo de gasolina e penalidades por emissão.

Sonda lambda

Cheiro de gasolina no escapamento, por que?

Uma das causas para o cheiro de gasolina no escapamento é uma mistura rica na combustão dentro do motor. É importante destacar que existe uma razão de mistura ar-combustível ideal para o funcionamento correto do motor.

Essa mistura de ar (oxigênio) e combustível (no caso, gasolina) tem uma proporção correta. Caso haja menos combustível e mais oxigênio na mistura, podemos dizer que essa mistura é chamada de “pobre”.

No caso da mistura rica, a proporção de gasolina é maior que a correta, enriquecendo assim a razão, que é a famosa taxa de compressão. Esta varia de motor para motor, assim como de acordo com o combustível escolhido pelo condutor.

Nesse caso, com mais gasolina do que o ideal, e consequentemente menos ar, o motor passa a ter excesso. Funcionando dessa forma, o combustível não é totalmente queimado, indo parar no escapamento.

Isso não só provoca o cheiro descrito acima, mas também eleva o consumo, reduz o desempenho, carboniza a cabeça do pistão e as sedes de válvulas e, igualmente, destrói os componentes internos do catalisador.

Ou seja, uma lista enorme de problemas que certamente queremos evitar.

Uma falha na sonda lambda, que é o conhecido sensor de oxigênio, provoca essa mistura rica. O motivo é que a lambda detecta a quantidade de ar na mistura, enviando à injeção eletrônica essa informação.

Diante da quantidade, o módulo ajusta a quantidade de combustível injetado na mistura. Se a informação estiver errada, haverá excesso de combustível.

O recomendável é procurar uma oficina mecânica e fazer uma análise da injeção de forma eletrônica para verificar o funcionamento da lambda.

Velas

Cheiro de gasolina no escapamento, por que?

Outra causa do cheiro de gasolina está relacionado com o assunto acima. Não só o sensor de oxigênio pode dar problema, mas as velas também.

Velas de ignição em mau estado podem provocar falhas na centelha durante o processo de combustão da mistura ar-combustível. Com uma explosão feita de forma irregular, a gasolina pode não ser totalmente queimada, resultando em combustível saindo pelo escape (veja também: água saindo do escapamento).

Da mesma forma, a gasolina não queimada prejudicará o catalisador, com aumento do consumo e perda de rendimento. Além de se fazer um check da injeção, é bom verificar o estado das velas e se as mesmas estão recebendo corrente, podendo aí ser um problema dos cabos ou bobinas.

Uma falha na queima da gasolina resulta em maior consumo, perda de rendimento e falhas no funcionamento do motor, mas tudo isso pode ser resolvido facilmente por um profissional qualificado.

Injetor

Cheiro de gasolina no escapamento, por que?

O injetor de combustível é outro fator que pode provocar cheiro de gasolina no escapamento. O motivo é que este componente de alta precisão pode sofrer com impurezas presentes na gasolina.

Essa sujeira na gasolina, dependendo do tamanho, pode acabar sendo retida no injetor, que pode assim travar. Esse travamento pode ser momentâneo, ocasionando a injeção de mais combustível do que o necessário.

Verificar os injetores também é outra dica, sendo que a limpeza de bico é o recomendável.

Catalisador

Cheiro de gasolina no escapamento, por que?

Não parece, mas o catalisador tem prazo de validade. Isso depende muito da marca e modelo do carro, mas este dispositivo de redução de emissão de poluentes não dura a vida útil do veículo.

O catalisador é um equipamento que consiste em diversos elementos químicos, sendo que estes filtram a grande maioria das toxinas que seriam enviadas para o ar.

Quando esses elementos estão avariados, seja por impacto, derretimento das placas ou excesso de carvão, ele deixa passar alguns desses materiais nocivos à saúde e ao meio ambiente, em especial o cheiro de gasolina.

A gasolina não queimada pode provocar vários danos ao catalisador que, avariado, reduzirá o desempenho do veículo. Além do cheiro da gasolina, ele também pode emitir um cheiro de algo podre.

Para verificar o estado do catalisador, vá à uma mecânica especializada para fazer a análise do dispositivo, talvez até sua remoção para observar se existem danos internos.

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.