Indianos no Brasil: Conheça as marcas que vendem no país

Indianos no Brasil: Conheça as marcas que vendem no país

A Índia possui vários fabricantes locais de automóveis, utilitários, caminhões e especialmente motos. Um dos membros mais importantes do BRICS, o país possui um mercado em franca expansão, rivalizando com o Brasil no ranking mundial de vendas.


Com o crescimento do mercado interno, as marcas indianas elevaram suas vendas e decidiram explorar outros mercados, chegando assim ao Brasil. Por enquanto, a presença de marcas daquele país em nosso mercado é pequena.

De utilitários, apenas a Mahindra está presente. Esta também vende tratores aqui. Outro segmento onde os indianos estão presentes no Brasil é o de motocicletas, mas há somente uma marca: Royal Enfield. Mas não é a única que vende produtos “made in India”.

A Dafra também vende um modelo da moto da TVS, rival da Bajaj, que chegou a ensaiar um desembarque no país. No último Salão das Duas Rodas, a Hero Honda mostrou seus produtos aos brasileiros.

A Mahindra monta os utilitários da linha Scorpio (SUV, picape cabine dupla e picape-chassi) em Manaus/AM, através da Bramont.

No entanto, a marca anda testando (especialmente na Baixada Santista) modelos mais modernos, tais como Quanto e XUV 500, dois utilitários esportivos que prometem elevar as vendas da empresa aqui. Os preços variam entre R$ 69.995 e R$ 109.995.

Indianos no Brasil: Conheça as marcas que vendem no país

Outra marca é a Royal Enfield. A marca originalmente é inglesa e tem mais de 100 anos.

Atualmente no segmento custom, a empresa produz hoje em dia apenas na Índia e o modelo proeminente é a Classic, que apesar do nome e do que se imagina, é de fato um modelo desenvolvido nos anos 30 e lançado no Reino Unido do pós-guerra, sendo produzida até os dias atuais.

Quem imaginou que só a Kombi era vovó no mundo, se enganou. As vendas ainda são tímidas e há promessa de montagem nacional. O preço (único para as sete versões) é de R$ 24.000.

Por fim, a Dafra foi à Índia em busca de uma moto street esportiva e consagrada, o que não é difícil encontrar por lá. Assim, trouxe da TVS a Apache 150. O modelo sofreu várias adaptações (inclusive de nome de cilindrada) para ser vendida aqui.

Elogiada por muitos donos, ela consegue bom desempenho e pilotagem de acordo. Por lá existem outras opções, mas por enquanto somente ela faz parte do time da marca brasileira. O modelo custa R$ 6.290.

A Reva chegou ao país uns dois anos atrás e chegou a circular com o pequeno Reva i, um pequeno urbano elétrico que seria vendido por empresas do setor elétrico controladas por um grupo colombiano.

Infelizmente o plano deu errado e poucas unidades foram vistas no país, duas delas (usadas) chegaram a ser oferecidas na internet.

Indianos no Brasil: Conheça as marcas que vendem no país

Outros indianos em potencial

Apesar da presença tímida, outros potenciais fabricantes podem chegar da Índia daqui para frente. A própria Bajaj poderia retornar, já que sua linha de motos Pulsar (com injeção eletrônica e duas velas por cilindro) são sofisticadas.

Outro fabricante é a Tata Motors, que já prepara sua entrada definitiva no Brasil, aparentemente através do México.

A Tata já possui modelos compactos desenvolvidos localmente, assim como SUV, crossover e picapes vendidos em alguns mercados da Europa. Indica, Manza, Nano, Sumo, Safari e Xenon, são alguns destes modelos.

De todos, o que teria maior impacto no Brasil é o Nano, ainda dito como o carro mais barato do mundo, o modelo suscita grandes debates sobre os efeitos de um carro tão barato no mercado nacional.

A Hero Honda é o maior fabricante de motos da Índia e era uma joint-venture com a marca japonesa, que saiu da sociedade em 2010. Assim, oficialmente ela é chamada de Hero Moto Corporation.

Em 2011, ela apareceu no Salão das Duas Rodas com sua gama de motos populares, a maioria do segmento street. Parece ter bom potencial para produzir e vender no Brasil. Enfim, o Caminho das Índias está mais aberto para a chegada de novos concorrentes daquele populoso país.

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.