Como comprar um carro (0km ou usado) na Argentina?

Como comprar um carro 0km ou usado na Argentina?
Como comprar um carro 0km ou usado na Argentina?

Dá para dizer que o mercado brasileiro é um forte consumidor de carros fabricados na Argentina, bem como os hermanos também consomem veículos produzidos por aqui. Há diversos modelos que chegam de lá, como a Toyota Hilux, que é uma das picapes mais vendidas do Brasil.

No caso do mercado argentino, os modelos produzidos no Brasil tiveram uma participação de expressivos 60% nas vendas de automóveis comercializados por lá em anos recentes. Ou seja, boa parte dos veículos emplacados no país vizinho foram produzidos por aqui.


Por outro lado, há uma série de carros que as marcas oferecem na Argentina que não estão nem perto de serem vendidos por aqui. Um exemplo é o Volkswagen Scirocco, um belo cupê de duas portas baseado no Golf que já foi oferecido por lá.

Devido a isso, muitos brasileiros acabam almejando importar de forma independente os carros “argentinos”. Mas será que isso é possível? É uma boa ideia?

Como importar um carro da Argentina para o Brasil?

Não seria tão fácil assim importar um carro da Argentina, pois o governo claramente se previne por completo de situações como essa. Não é permitido no Brasil comprar um carro em outro país e rodar com ele aqui sem fazer o processo todo de importação.

Até mesmo comprar carro em outra cidade aqui no Brasil é complicado, imagina em outro país.

Veja aqui: Argentina – Saiba como é rodar no país dos hermanos

Bem, vamos aos números: como o carro vem da Argentina, não há incidência do imposto de importação devido ao Mercosul. E o carro teria de ser zero quilômetro (carros novos na Argentina são tão caros quanto aqui) ou usado com mais de 30 anos de uso, tipo de importação que é feita mais para colecionadores ou para fins culturais.

Mas ainda assim seria necessário pagar vários impostos, exatamente os mesmos dos carros nacionais (como IPI, ICMS, etc) e que infelizmente chegam a quase 40% do valor pago pelo carro.

Ainda será preciso contratar o frete, caso você não deseje rodar os mais de 2.500 quilômetros com o carro entre, digamos, Buenos Aires e São Paulo, e chegando aqui ainda seria necessário recalibrar o sistema de injeção para a nossa gasolina batizada com álcool, pois no Brasil não se vende gasolina pura como nos outros países que cercam nosso território.

Lá na Argentina a gasolina vendida não tem 27% de álcool como é o caso da nossa. Outra solução seria separar o álcool da gasolina toda vez que você fosse encher o tanque do carro, o que seria um procedimento caro, dispendioso e nada prático.

Ou seja, não é nada fácil, prático ou barato comprar um carro na Argentina. E mesmo que algum dia fosse, o governo brasileiro logo trataria de inventar alguma lei para dificultar mais as coisas.

Quais carros são (ou já foram) vendidos na Argentina, mas não no Brasil?

Volkswagen Scirocco

O belo Scirocco, oferecido na Europa, também já foi vendido na Argentina. O modelo podia ser encontrado na versão GTS, que usa um motor 2.0 TSI de 211 cv, associado ao câmbio DSG de seis marchas e dupla embreagem. Com isso, ele acelera de 0 a 100 km/h em apenas 6,9 segundos!

Fiat 500X

“Irmão” italiano do nosso Jeep Renegade, o Fiat 500X representa a marca no segmento de crossovers compactos na Argentina. O carro é vendido por lá nas versões Pop e Cross, com motor 1.4 MultiAir turbo de 140 cv ou 170 cv, com câmbio manual de seis marchas ou automático de nove velocidades e tração 4×2 ou 4×4.

Fiat Tipo

Sucessor ideal para o extinto Fiat Linea no Brasil, o novo Fiat Tipo foi uma realidade para os nossos vizinhos Hermanos. O sedã médio podia ser encontrado por lá na versão Pop com motor 1.6 E.torQ de 110 cv e câmbio automático de seis velocidades.

Peugeot 308 S

A nova geração do Peugeot 308 ainda não havia chegado ao Brasil, mas já era vendida lá na Argentina. Por lá, o hatch foi oferecido na versão esportiva 308 S, que tem um motor 1.6 THP turbo de 165 cv e câmbio automático de oito marchas. Ele era importado da França.

Toyota 86

Desejado por muitos brasileiros, o Toyota 86 também foi vendido lá no mercado argentino. O cupê esportivo da marca japonesa era encontrado em versões com motor 2.0 litros turbo de 200 cv, com câmbio manual ou automático de seis marchas.

Autor: Eber do Carmo

Formado em marketing, tem mais de 15 anos de experiência escrevendo sobre o mercado automotivo no Notícias Automotivas, desde que fundou o site em 2005. Anteriormente trabalhou em empresas automotivas, nos segmentos de personalização e áudio. Também teve por três anos uma empresa de criação de sites e catálogos eletrônicos.