TOP 5: Motivos para não comprar o VW Nivus

nivus highline
nivus highline

Desde seu lançamento, o Nivus tem feito um grande sucesso no mercado brasileiro. Seu visual descolado, e bem diferente do que a marca costumava lançar, foi o principal fator que o levou a tal posição.

Mesmo assim, existem alguns detalhes negativos no SUV da Volkswagen. Será que eles podem ser importantes na sua análise, caso esteja pensando em comprá-lo?

Confira!

Falta de uma versão mais barata

Quando chegou ao mercado brasileiro, em junho de 2020, o Nivus contrariou o que outros modelos do segmento faziam, inclusive dentro da própria Volkswagen.

Essa mudança estava na oferta de versões, com apenas duas: Comfortline e Highline. O objetivo da marca era manter distância do Polo, impossibilitando ter uma versão de entrada mais barata, e também do T-Cross, que deveria ficar acima.

Na época, tudo parecia acertado, mas a situação atual do mercado mudou bastante. Ou seja, ter apenas duas ofertas em sua gama atualmente faz o Nivus perder força em suas vendas.

nivus highline 200 tsi
nivus highline 200 tsi

Para resolver isso, a marca alemã tem algumas opções. Uma delas seria trazer para o mercado brasileiro algo que o modelo já tem na Argentina, ou seja, o Nivus 170 TSI, que tem um motor com 95 cv e 16,8 kgfm.

Se isso ocorrer, podemos imaginar que ele tenha uma opção automática, como o mercado pede, mas até mesmo uma variante manual, dobrando o tamanho de seu portfólio e chegando a quatro versões.

Além disso, ainda existem rumores sobre um possível Nivus GTS, que usaria o também conhecido motor 1.4 TSI. Isso também aumentaria o número de versões, mas não resolveria a questão do preço, como vamos falar no próximo tópico.

Preço inicial que assusta

Além de contar com apenas duas versões, o Nivus ainda tem um preço inicial muito alto. E isso não condiz com a estratégia inicial da marca, que era ficar longe do T-Cross e não canibalizar as vendas dentro da própria marca.

Explicando: o irmão mais velho, que tem mais versões, começa em R$ 121.990 na configuração Sense, enquanto o Nivus parte de R$ 130.890 na opção Comfortline, a porta de entrada da linha.

Nivus 002
Nivus 002

Além desse “problema” interno, o Nivus também é caro quando comparado com outros concorrentes. O principal deles é o Fastback, com carroceria similar, que começa em R$ 121.990 (quase R$ 9 mil a menos).

Outro exemplo é o Pulse, que tem 5 versões e preços entre R$ 103.990 e R$ 134.490. Ou seja, apenas uma fica acima dos R$ 130 mil. Ainda poderíamos citar o Renegade (R$ 125.990), Kicks (R$ 112.990) e Duster (R$ 118.690).

Espaço interno limitado

Discutir sobre futebol e política é perda de tempo, assim como tentar entender se o Nivus é um SUV ou não. Isso se deve às suas medidas, que remetem para carros menores ou, pelo menos, a SUVs subcompactos.

Sem entrar no mérito da questão, vamos nos basear no que o Inmetro usa para definir o que é um SUV: ângulo de ataque (maior que 23º), ângulo de saída (mínimo de 20º), ângulo de transposição de rampa (10º ou mais), altura do solo (200 mm) e altura do solo até um dos eixos (180 mm).

Em tudo isso, o Nivus perde apenas no ângulo de entrada, que fica em 18 graus. No restante, ele passa com tranquilidade, tendo 26º de saída, 20º no central, altura do solo em 208 mm e altura do eixo dianteiro em 189 mm.

nivus 170 tsi 4
nivus 170 tsi 4

Ou seja, podemos dizer que o Nivus é considerado um SUV nesses parâmetros. Sendo assim, ele deveria ter um espaço interno condizente com a categoria e suficiente para uma família, mas não tem.

Mesmo com 2,56 metros de entre-eixos, o espaço para os ocupantes traseiros é limitado. O estilo cupê da carroceria também tira um pouco do espaço acima da cabeça, ainda que isso não seja tão ruim no Nivus.

Outro problema aparece na hora de acomodar 3 adultos no banco traseiro, o que é muito difícil. Lateralmente, todos vão ficar bem apertados, e o túnel central elevado ainda vai incomodar bastante o passageiro central.

Uma ressalva é em relação ao porta-malas e seus bons 415 litros, o que é surpreendente para um carro desse tamanho.

volkswagen nivus comfortline avaliacao na 25
volkswagen nivus comfortline avaliacao na 25

Acabamento pobre, pra variar

Parece que estamos chovendo no molhado ao falar do acabamento, afinal os carros em nosso mercado normalmente ficam devendo nesse quesito. Mas o Nivus é outro que se destaca negativamente nesse ponto.

Em seu lançamento, isso já havia sido criticado, pois um carro de quase R$ 100 mil (na época) não poderia ter tantos plásticos. Hoje, porém, o Nivus começa em R$ 130 mil e continua com o mesmo acabamento.

O plástico rígido e nada suave ao toque aparece no painel, nas portas e em quase todas as outras superfícies, com exceção do apoio de braço nas portas dianteiras. Muito pouco para esse preço.

Além disso, o excesso no uso desse material vai trazer ruídos com o tempo. A marca até tentou disfarçar essa situação com uma faixa em black piano no painel, mas isso não foi o suficiente para eliminar esse ponto negativo.

volkswagen nivus comfortline avaliacao na 20
volkswagen nivus comfortline avaliacao na 20

Poderia ter mais equipamentos

Uma grande melhora no mercado automotivo nacional nos últimos anos foi a melhora no nível de equipamento dos carros. Se antes a oferta de modelos “pelados” era maior, hoje a maioria já começa num nível mais aceitável.

Esse também é o caso do Nivus, que sempre tem 6 airbags, piloto automático adaptativo, carregador por indução, câmera de ré, controle de tração e estabilidade, conjunto óptico em LED, assistente em rampas, painel digital, sensor de estacionamento, entre outros.

Mesmo assim, dá pra citar alguns itens que o SUV da Volkswagen poderia oferecer, especialmente quando vemos as apostas de seus principais concorrentes, como o Tracker, e até do próprio T-Cross.

volkswagen nivus comfortline avaliacao na 21
volkswagen nivus comfortline avaliacao na 21

Falando de seu irmão, o Nivus poderia ter emprestado o som premium da Beats, que também já apareceu no Polo e no Virtus. O sistema de 300 watts vinha com 4 alto-falantes, 2 tweeters e subwoofer no porta-malas, além de amplificador digital de 8 canais.

Outra falta no Nivus está na central multimídia VW Play, que não tem GPS embarcado, mas apenas a possibilidade de baixar o aplicativo Waze. Também não existe uma conexão 4G nativa, como Tracker e Pulse oferecem.

Um último detalhe, que poderia incrementar bastante o visual do modelo da VW, é o teto solar.

Conclusão

Não há dúvidas que o Nivus é um dos melhores em seu segmento, e suas vendas mensais comprovam isso. O carro da Volkswagen já vendeu mais de 42 mil unidades esse ano, assegurando a 5ª posição entre os SUVs.

É claro que isso não o isenta de alguns problemas, como esses que citamos acima, mas se você acha o preço justo e não precisa de tanto espaço interno, o Nivus pode ser uma boa escolha.

google news2 Quer receber todas as nossas notícias em tempo real?
Acesse nossos exclusivos: Canal do Whatsapp e Canal do Telegram!

O que você achou disso?

Toque nas estrelas!

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.


Últimas Notícias



viny
Autor: Viny Furlani

Trabalha no segmento automotivo há mais de 18 anos. Desde 2009 trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escrevendo avaliações e notícias sobre carros, totalizando mais de 2.000 artigos.