*Destaque Mercado

Devo vender o carro particular ou entregar na loja?

concessionaria-chevrolet Devo vender o carro particular ou entregar na loja?

O momento da aquisição de um novo veículo nem sempre é ladeado por mil maravilhas. É bastante prazeroso pisar numa concessionária em busca de um novo automóvel para ocupar uma vaga na sua garagem, é claro. No entanto, esta situação acaba envolvendo uma série de outros fatores, como, principalmente, a venda do seu usado para usar o dinheiro para dar de entrada num carro mais novo ou até mesmo 0 km.



Caso você realmente tenha “amor ao seu dinheiro”, muito provavelmente busca por uma boa avaliação no seu usado, em que o revendedor possa pagar uma quantia condizente ao ano, modelo e estado de conservação do seu veículo atual, seguindo alguns parâmetros, como é o caso da tabela Fipe, que indica o preço médio daquele usado. Por outro lado, sabemos que nem sempre é isso que acontece.

Principalmente em situações que envolvam automóveis que costumam desvalorizar mais que o normal, a negociação acaba sendo bem mais complicada.

Por conta disso, muitos acabam optando por dispensar as revendas neste caso e optar por negociar o automóvel por conta própria. Neste caso, um dos principais meios de divulgação são os sites de classificados, que vem ganhando cada vez mais espaço nas negociações de veículos e acabam sendo mais práticos e dinâmicos, já que dá ao proprietário a possibilidade de divulgar fotos, informações sobre o veículo, simulação de financiamento e um formulário para que o interessado possa entrar em contato. Essas facilidades acabam atraindo principalmente quem busca por um carro usado ou seminovo.

Há, obviamente, outros meios, como é o caso de jornais, revistas e até mesmo o bom e velho papel fixado nas janelas do veículo com um anúncio de “vende-se”. Formas de divulgação à parte, é certo que a venda de um automóvel no particular tem suas vantagens e também suas desvantagens, assim como a venda diretamente numa concessionária, dando o veículo de entrada na troca de um modelo mais novo. Porém, você sabe qual é a melhor opção?

concessionaria-jeep Devo vender o carro particular ou entregar na loja?

Vamos começar pelo mais “convencional”: a negociação com revendedoras. Neste caso, já vamos logo adiantar que você dificilmente vai conseguir uma boa avaliação do seu usado – então, esqueça o preço exibido na tabela Fipe. Normalmente, uma revendedora tenta adquirir o seu veículo por cerca de 20% a menos da tabela de mercado. Isso para que ela ganhe um dinheirinho e também cobrir os custos operacionais (além de possíveis manutenções a serem feitas no carro) no momento em que for revende-lo para outra pessoa, obviamente.

Porém, o interessante é que a negociação acaba sendo bem mais ágil e fácil. As revendedoras conseguem comprar o seu carro mesmo que não haja um interessado para ele. Por isso, você consegue adquirir um automóvel mais novo ou 0 km. Outro benefício, neste caso para quem está comprando um automóvel de uma concessionária ou revendedora, é o direito de uma garantia de 90 dias, seguindo o Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Vale lembrar que você não deve entregar o seu veículo a uma revenda que tenha feito uma boa avaliação. A dica é visitar o máximo de quantidade de lojas possível, onde você pode encontrar desde avaliações infames até uma boa valorização do seu usado. Ah, e nem sempre revender o seu carro para uma concessionária da mesma marca é a melhor opção, viu? Numa revenda de uma fabricante concorrente, é provável que o vendedor avalie o seu veículo de uma melhor forma, sobretudo se você for retirar um exemplar 0 km de lá, já que a intenção deles é que você deixe de ser cliente de uma concorrente.

Já na negociação com pessoa física, a situação é um pouco mais delicada. Neste caso, o interessado pelo veículo não tem à disposição algumas facilidades, como é o caso da garantia de três meses (não exigida pelo CDC para pessoas físicas) e também a possibilidade de financiar numa concessionária juntamente ao banco – ou seja, na maioria das vezes você vai conseguir negociar somente com quem conta com grana para efetuar o pagamento a visto.

Fora isso, você precisa ter pulso firme e mente aberta para que possa saber quem realmente está interessado no seu carro, dispensando curiosos (que pode acabar atrapalhando o processo, ainda mais se alguém “estiver na frente”) e também possíveis golpes, algo comum sobretudo em negociações pela internet.

concessionaria-5 Devo vender o carro particular ou entregar na loja?

Outra dificuldade é a transferência da documentação, que pode se tornar um processo um tanto quanto burocrático dependendo da situação de ambos os lados (do vendedor e do comprador). Este documento deve ser assinado assim que o vendedor receber o valor acordado com o cliente, para dar início ao processo de venda. O processo deve ser realizado de maneira correta, para que o você (vendedor) não seja responsabilizado posteriormente por multas e outros problemas quando o comprador não transferir o veículo para o nome dele.

A grande vantagem, porém, fica por conta do preço. Como você não precisa lucrar como uma concessionária, tampouco possui custos operacionais, pode precificar o seu veículo da maneira que bem deseja. Mas não vá jogar o preço lá no alto só porque o seu carro foi herdado do seu tio e possui todo um apelo emocional, tampouco se ele foi equipado com alguns acessórios após a compra, como rodas maiores e uma central multimídia no painel – equipamentos não costumam valorizar o preço do carro no momento da revenda, tampouco são valorizados por boa parte dos consumidores.

Sendo assim, você pode conseguir uma boa negociação juntamente ao cliente, oferecendo o seu veículo por um preço equiparável ao cobrado pelas revendas e concessionárias, sem perder os 20% da tabela Fipe caso fosse entrega-lo a uma empresa.

Após a venda do seu carro, você terá uma boa quantia em dinheiro para efetuar o pagamento da entrada do seu futuro modelo. Com dinheiro no bolso, a negociação com concessionários costuma ficar bem mais fácil, já que as taxas de financiamento costumam ser menores, ainda mais se você for efetuar o pagamento em poucos meses, o que acaba facilitando o procedimento junto aos bancos.

Deste modo, caso você não esteja tão preocupado em valorizar o seu carro no momento da troca e tenha como prioridade vende-lo rapidamente, a entrega a um concessionário acaba sendo a melhor opção. Porém, se você quiser perder o mínimo possível de dinheiro ao entregar o seu veículo para adquirir um novo e esteja com certa paciência (inclusive para a negociação e procedimentos para documentação), opte pela venda no particular.

Você já vendeu o seu carro no particular? Conte-nos a sua experiência!

  • Lucia C.

    Tem um site muito bom para simular a avaliação do usado e saber o preço do carro novo. Eles também fazem a precificação porém com muito mais opções que a FIPE. Chama KBB. http://www.kbb.com.br

    • Excelente dica. Site bem bacana. Gostei.

    • Lucas

      Achei estranho esse site, ele cotou minha SW4 2013 com só 35 mil km por 109 mil, enquanto eu a venderia facilmente por 125 em uma semana. E isso se repetiu em todos os carros que avaliei, cerca de 10 mil abaixo do valor de mercado.

      • Lucia C.

        Na verdade esse preço é o que um concessionário paga no seu carro, normalmente menor que o valor de mercado.

      • Janduir

        O meu deu normal. Ele dá o preço que pagariam nele e quanto voce consegue pra particular. Nos 2 carros que tenho o preço ficou dentro do normal.

  • Roberto

    Particular 99% das vezes. Só não é vantagem vender particular quando você tem um veiculo que literalmente ninguém quer. Alguns carros chineses e algumas “bananas” você esperaria meses ou anos para encontrar alguém disposto a comprar. Outro caso é quando você não tem alguém para ajudar e seu tempo vale mais que a diferença entre o que um particular pagaria e uma loja pagaria. Porque além de anunciar e vender, você precisa mostrar o carro, ir assinar os documentos, verificar se não é algum tipo de “golpe” etc. Esses casos são bem específicos, por exemplo minha tia acabou de comprar um Velar, ela é médica e trabalha muito, não entende nada de carros e entregaria o antigo veiculo dela a preço de banana, ela não se incomodaria com isso até porque ela prefere nas horas livres fazer outras coisas. A diferença entre o que pagaria a loja e o preço que eu ajudei a conseguir foi de quase 30 mil reais. Muita gente vai dizer que 30 mil reais é bastante dinheiro e eu também acho. Mas para alguém que como ela ganha mais de 6 dígitos por mês, que tem pouco tempo livre com a família e acabou de ganhar um neto a prioridade dela não é dinheiro. Então eu acredito que todos os carros podem e devem ser vendidos para particulares, OLX, Mercado Livre, Webmotors, alguns ainda anunciam em jornais ou com pessoas no Instagram, se o preço for bom e o veiculo estiver bem conservado não é difícil vender um carro, pode ser um pouco trabalhoso mas não é difícil.
    Já tive 2 320i, as duas venderam em menos de uma semana, a última então eu vendi em 3 dias. Anunciei na olx na sexta, segunda entreguei o carro, não dei desconto algum em ambos os casos.

    • Leonel

      É o que eu digo, tem gente que paga para não se incomodar e quando é possível, vale muito a pena. Tudo é questão de contexto mesmo. Sobre os 99% das vezes para particular, concordo com você. Salvo exceção, a tendência é perder bastante dinheiro trocando em revenda e mais ainda em CSS.

      • José Barbosa

        Exato, tudo é muito relativo. Eu tive uma experiência traumática com o Ford Focus para nunca mais. Num dado momento da vida, quando precisei vendê-lo, achava que valia x e me ofereceram 70% daquilo. Na época, achei um insulto, depois vi que perdi um bom negócio. Literalmente, anos depois, consegui vendê-lo, a 40%. E se for contar o número de carros detonados que fui ver quando aceitei troca… Lembro de um, que não sei como, tinha um buraco na espuma, do lado do motorista, quase do tamanho de uma bola de futsal.

        • Leonel

          Haha é complicado @disqus_PPTgjuLASg:disqus . Na realidade, estamos acostumados a “pagar para não se incomodar”, mas de acordo com a “nossa proporção”. O carro é apenas um exemplo. Já paguei várias situações que eu mesmo poderia fazer mas com tempo escasso e necessitando de agilidade, preferi pagar. E quer saber? Valeu muito a pena!

    • Capetalista

      Engraçado, eu tenho um amigo que anuncia sua 320i desde a metade do ano na OLX e ainda não conseguiu vender À VISTA (em dinheiro) pra ninguém.
      Vai se contentar com a oferta (lastimável) da concessionária.
      Esses carros são penosos pra vender, pois quem tem dinheiro não se arrisca no particular e quem não tem dinheiro quer dar galinha, papagaio, terneiro, no negócio…

    • Brenno

      Rapaz, vendeu rápido a BMW. Tive um Vectra. Levei mais de 1 mês pra vender, isso anunciado na OLX e nuns 5 grupos de Facebook, fora o adesivo de vende-se. E era um ótimo carro. No final das contas, foi embora 2 mil abaixo da tabela, pra particular.

      • Fabão Rocky

        Infelizmente algumas pessoas ainda tem aquele velho preconceito de carro q saiu de linha. Antigamente lá pelos anos 80 um carro qdo saía de linha depreciava bastante pelo fato da dificuldade de encontrar peças. Hj temos o mercado livre e mtos outros os sites de classificados q ajudam bastante a encontrarmos peças p/ tais carros, fora o fato de q a montadora é obrigada a fabricar peças pelo menos até 10 anos após determinado modelo ter saído de linha.

  • Ricardo

    É absurdamente ridículo as avaliações que as lojas fazem em carros usados na base de troca, em concessionárias é mais absurdo ainda, desvalorizam os carros de suas próprias marcas.

    • Bruno_Mgá

      Ricardo, na verdade a palavra ´troca` não existe. Só seria efetivamente uma troca se a pessoa do outro lado da negociação sonha e precisa do carro que você tem em mãos. Uma loja esta na verdade pegando como Parte de Pagamento o veículo usado., e é como a matéria disse, esse carro precisa ser preparado, emitir nota fiscal, pagar comissão de vendedores, despesas operacionais da loja e ainda arcar com a garantia. Não é um mar de rosas.

      • Ricardo

        Sim, mas se o carro vale uns 20 mil, poderiam oferecer uns 18 mil e não 15 mil.

        • Marcus Loureiro

          Acho justo oferecer 15 num carro de 20. Aliás, tem os custos dos funcionários, aluguel, contas e de documentação. Tudo isso tem que ser bancado para só depois conseguir algum lucro. Se não quiser os 15, vende de outra forma.

          • Raul Pereira

            Aí a css ganha 2 vezes no seu lombo, uma na venda do seu usado e outra na compra do 0km.
            Meu GOl G5, na época, vendi pra dar parte da entrada no meu atual Onix. a tabela era 28, precisava consertar uns detalhes e acabei vendendo por 24800, ou seja, na prática perdi 1k se comparado com a tabela. Também a css me fez o Onix de 56 por 53, melhor preço que achei. Também, não tinha tempo e francamente sou péssimo em fazer rolo (sério, odeio negociar preço), então no particular, além do tempo, provavelmente perderia mais grana. Mas teve css que talvez não estivesse interessada em ter ele no pátio em que o cara me deu 18k de valorização nele! Tirar 10k do preço de um carro é no mínimo absurdo, sendo que o valor de mercado é muito superior.

        • RBuriti

          É até aceitável, eles assumem tudo.
          Tenso foi o carro de um amigo (Civic 2012, 9ª geração) onde na época valia uns 52mil na Fipe e ofereceram 33mil.

          • Leandro

            Quanto mais caro o carro, menor é o preço que oferecem nas concessionárias..Praticamente te obrigam a vender para particular.

            • ViniciusVS

              Depende, meu pai trocou um Civic 2013 LXS AT por um 2014 EXR e na época a css pagou 2 mil abaixo da Fipe.

              Entregamos o carro na quinta, no sábado voltamos para ver um acessório e o carro estava no Showroom já. Na segunda quando fomos buscar o Civic novo o nosso antigo já tinha vendido e segundo o consultor foi acima da tabela.

              É aquilo,depende muito do momento, do mercado do carro, do estado de conservação, de quanto foi rodado… E claro, tem que ter o consumidor certo. Aquele que realmente quer comprar o carro.

        • TT 230

          Com todo respeito, a sua conta tá fora da realidade.

          Quase sempre tem algo a ser feito com o carro que entra, além de impostos, funcionários, energia, limpeza, aluguel, propaganda, garantia, etc, e por fim, o risco da demora em revender o usado, o que gera desvalorização do bem.

        • Mas lucrar somente 2 mil por um carro? Imagina você ter uma revenda onde paga aluguel, publicidade, funcionários e ainda dar garantia pro futuro comprador? Sendo que qualquer problema mecânico em um carro já vão os 2 mil de suposto lucro. É em se tratando de carro de 20 mil muitas vezes falamos de veículos já mais velhos e rodados, onde o risco é maior. Aliás, uma dica de investimento é comprar carro usado e depois revender, mas até entre particulares essa margem seria considerado baixa.

          • Leandro

            Perfeito. Temos mania de valorizar nosso carro, mas o lojista tem os custos dele tb. Nao acho absurdo oferecer 15 mil num carro de 20.

          • ViniciusVS

            Carro não é investimento.

          • Ricardo

            2 mil de lucro no carro de 20 mil da troca e mais uns 3 mil no carro de 40 mil adquirido, 5 mil reais de lucro total num negócio eu acho justo, mas os caras querem faturar 10 mil.

          • Janduir

            Pode ser que estavam com uma boa margem no valor do outro. Mas 2 conto realmente é estranho…

        • José Barbosa

          este é o tipo de raciocínio de quem nunca administrou um negócio. Aliás, por que não abrir uma loja de carros pagando 18 nos modelos de 20 mil? Garanto que muita gente vai ter interesse em dar o veículo de entrada!

          • Janduir

            Correto, tem a nota de entrada, depois a saída, muita despesa.

  • Bruno_Mgá

    Faltou falar dos riscos de anunciar um carro no particular. Meliantes com carros ´´encomendados“ obviamente buscam facilidade neste tipo de crime. Não esqueço um caso em Campo Grande MS, onde um rapaz foi mostrar um Golf a um ´´interessado“ e foi sequestrado, morto e teve seu corpo jogado em uma fossa.

    • RBuriti

      Aqui em casa, há 17 anos, só entra carro zero, e o usado sempre foi para a concessionária. Ultimamente é melhor perder na “troca” que se arriscar por aí, além de ser mais rápido e fácil.
      A exceção foi o meu atual pois morava em outro estado na época, o carro eu decidi em uns 5 minutos, já a conversa com o vendedor demorou mais de 1h, o senhor tinha um perfil que realmente cuidava do carro que não duvidei, comprei e até hoje só felicidades após quase 3 anos.

      Um amigo comprou um carro de particular e com menos de 1 mês estava com a bomba.

      OBS.: Atualmente só vale a pena comprar carro de particular se você REALMENTE conhece o dono de muito tempo atrás, tenho um professor que conheço desde que nasci e seus carros eu compraria de olhos fechados.

      • Capetalista

        Eu também acho que carro de particular (ou mesmo usado de loja) só vale a pena se vc conhece a procedência.

        Agora ir no pátio de usados garimpar um carro, que vc nem sabe de onde veio, e confiar nesses laudos cautelares… pode até dar sorte, mas tá pedindo pra levar um golpe.

        E nas loja pelo menos ainda tem 90 dias de garantia.
        Garimpar na internet de qualquer desconhecido então? Pra mim é loucura (a menos que conheça, ou conheça alguem que conheça o outro cidadão..)

      • Lucas

        Pra isso você leva o carro já pré-selecionado numa oficina especializada, paga 100-200 reais pra averiguar motor, transmissão, suspensão e afins, e só depois disso efetua a compra…

    • Mr. On The Road 77

      Rapaz, anunciei meu carro no OLX. Uns dois dias depois apareceu uma mulher se dizendo interessada e passei o contato via whatsapp.
      Só que a ‘mulher’ fazia umas perguntas bem de pessoa que conhecia muito de carro (não é preconceito, a foto era de uma mulher de no máximo uns 20 anos) e queria marcar em lugares estranhos pra ver o carro…
      Acabei parando de responder as mensagens.
      Mais uns dois dias e a foto do perfil sumiu.
      É GOPI! Pensei…
      Acabei vendendo na concessionária mesmo, por 85% da FIPE…

      • Raul Pereira

        85% da FIPE tá muito bem! Compensou

        • Lucas

          Compensou como? Já pensou voce trabalhar que nem um animal pra comprar uma SW4 2013, por exemplo, que é vendida facilmente pelo valor da fipe (130 mil), mas deixá-la na concessionária por 85% disso, cerca de 110 mil?
          Você jogaria 20 mil reais no lixo? Proporcionalmente e dependendo do carro, foi isso que o rapaz acima fez.

          • Raul Pereira

            Estou pensando em carros populares aqui. E mesmo que estivéssemos falando de segmentos mais caros, compensaria ainda mais, não sei uma SW4, por haver mais exemplares no mercado e ser da Toyota, mas diversos carros acima dos 100k desvalorizam horrores na revenda. Meu tio comprou uma série C 2012 por 70 mangos! Um pouco mais da metade do preço de compra zero na época, há 5 anos atrás. BMW inclusive é um carro que desvaloriza muito na revenda.

    • Leandro

      Se isso acontecer o seguro está aí para isso. Melhor ainda, pois os seguro para a tabela FIPE. Nunca ouvi falar de ninguém que sofreu assalto por anunciar o carro.

      • Mas no caso específico, e bem específico, o proprietário do carro foi morto. Acho que nesse caso o seguro não cobre kkk (a vida da pessoa ). É tenso, mas tem que rir pra não chorar desse Brasil.

        • Leandro

          Para que um bandido vai te procurar na internet, roubar teu carro e te matar? Essa história está mal contada. O cara deveria ter inimigos.

          • Certa vez vi numa reportagem da Record que boa parte dos carros roubados tem como função serem usados ou como clones ou para esquentar carros que tiveram perda total num acidente e a documentação não foi dada baixa. Nesses dois casos o veículo a ser roubado precisa ser do mesmo modelo, ano, cor e versão, e nisso a Internet facilita achar o produto para roubo. E roubar um carro dessa forma é mais seguro e prático pro ladrão, basta marcar em um local pouco movimentado, sem câmeras de filmagem e pedir para dar uma volta com o carro (o bandido ainda rouba o carro com a chave). Já li na imprensa sobre situações assim, inclusive não é tão raro. Lógico que talvez o motorista em questão tenha reagido, mas que o risco existe de fato existe. É como parar no sinal a noite numa grande cidade, o risco de assalto é maior que durante o dia, e caso você nunca saia a noite o risco é nulo. É uma forma de minimizar os riscos.

            • Leandro

              Meus carros possuem seguro, se ele roubar eu dou entrada no seguro e fim de papo. Voce imagina ter um carro avaliado 62 mil na fipe e te oferecerem 40 mil? Pois é, ja aconteceu comigo. Acho que 22 mil vale o risco, não?

    • silvio silva

      E um caso extremo. Ja vendi pelo menos uns 15 carros para particulares , É claro que tenho que tomar certos cuidados.

    • Charlis

      Eu passei por uma curiosa essa semana, e meu amigo (vendendo o carro dele) exatamente a mesma situação.
      Você recebe uma proposta por e-mail, com um português traduzido, e a pessoa se diz ser gringa.
      Ele faz perguntas, negocia o valor, sempre com esse maldito português de google translator.
      Na sequencia ele se diz apaixonado pelo seu carro, e quer fazer uma transferência para segurar a venda, pois ele só chega no Brasil em 1 mês.
      Você passa os dados para fazer a transferência, ele pode pedir copia de documentos, e por ai vai.
      E depois falsifica o e-mail do banco, alegando que a transferência deu problema, e ele pode roubar mais dados ainda, rs …
      E por ai vai.

      No meu caso, a desconfiança já se deu no primeiro e-mail, e solicitei para falarmos inglês ele se recusou.

      []s

    • Lucas

      Meu hobby é comprar e vender carros, só nos dois últimos anos, tive cerca de 7 ou 8 veículos, todos comprados seminovos de particulares e repassados meses depois também pra particulares.
      Não existe risco algum em mostrar seu carro no estacionamento do shopping ou em algum posto próximo à sua casa, por exemplo. É lógico que você também não vai levar o veículo para alguém ver em um endereço inóspito… É questão de bom senso, irmão!
      Suspeite de quem oferece carros muito baratos e também de quem aceita pagar além do que o carro vale; o mal do brasileiro é querer tirar vantagem em TUDO.
      Só dê o DUT quando a grana cair na conta, com o comprador ou vendedor ao seu lado dentro do cartório.
      São regras que parecem muito simples, mas a maioria das pessoas é burra de mais para cumpri-las e prefere dar o veículo por 15 mil a menos do que vale numa concessionária, com a desculpa de evitar “dor de cabeça”.
      Juro pra você que não entendo isso.

  • TijucaBH

    vender pra particular é sem dúvida a melhor opçao, desde que voce tenha tempo e disposição pra poder mostrar o carro, pra poder ir no cartorio, banco, etc. É um risco grande pra leigos. Pra quem sabe vender ou pelo menos tem um amigo que possa te instruir bem, vale à pena sim, mas pra quem nao tem experiencia alguma, a chance de ser roubado, cair em golpe ou mesmo ter algum problema futuro como a nao-transferencia do carro, é grande!
    Eu coloco sempre na balança, muitas vezes é melhor entregar na concessionária pela comodidade (voce nao fica nem um minuto à pé), segurança e tranquilidade. No caso de carros que sao pouco “comerciais”, a concessionária joga o preço lá embaixo, pois vai ficar com o carro parado no estoque por mais tempo, correndo o risco de ter que pagar o IPVA do ano seguinte e sem contar que carro usado parado estraga mais do que andando. Nesses casos como a diferença entre o preço de venda e o preço que ele vai entrar na troca é grande, eu prefiro vender pra particular!

  • Michel Soares Pintor

    Em SP sempre vendi meus carros no Anhembi. Indico.

  • Antonio_Brust

    Não vendo particular não. Nas poucas vezes em que coloquei um anúncio tive tanta encheção de saco que terminava por apagar. Mesmo colocando em letras garrafais minhas exigências, toda hora eram telefonemas ou mensagens de pessoas que queriam descontos absurdos, trocar o carro em algum “gol quadrado” + volta, terreno, moto… aí quando um cara agendava uma visita, ou ele furava e não me avisava ou então ficava aqui tomando meu tempo só faltando inspecionar os pelinhos do pneu para no fim me falar que “vai pensar um pouco e vai me retornar”. Tá. Posteriormente, fiquei sabendo que há um grande nº de ações judiciais movidas por atuais proprietários, alegando diversos vícios ocultos que não foram informados no ato da venda. Eu não tenho psicológico pra ter que aguentar encheção de saco no meu telefone do atual proprietário ou até mesmo ser réu em processo.

    • tjbuenf

      Nunca coloquei meu telefone. Eu sempre preferi contato por e-mail e só quando alguém de fato mostrando interesse que eu trocava telefone.
      Sobre a questão das ações, só ouvi caso de má fé por parte de quem vendeu, acho que uma vez foi até noticiado aqui uma situação.

    • TT 230

      Kkkkkkk

      Seu comentário é engraçado pela sinceridade. Mas é bem isso mesmo.

      Recentemente vendi meu celular anterior a um parente de um parente. Gente com condições. E não pode me ver que vem falar algo do aparelho. Imagine um CARRO. Ps.: usei o aparelho por apenas 1 mês. Tava novo. O meu atual recebi de indenização da marca por conta de modelo anterior aos dois.

      Vender carro a um paranóico, é perder a paz.

      • Leandro

        Vender para conhecido é furada. O cara compra um carro usado e quer que esteja como um carro zero. Aparece um grilo vem te encher o saco.

        • Ia comentar isso, comprar carro usado de conhecido pode ser como emprestar dinheiro a um familiar.

    • joao vicente da costa

      Penso exatamente como você.

    • Mr. On The Road 77

      Tem que ter muito saco pra vender no particular…

    • Lucas086

      Aí eu concordo, pior é escutar” assim eu não ganho nada “, já mandei poucos pra aquele lugar por causa disso.

    • Marcelo Alves

      Com os carros daqui de casa sempre foi diferente, geralmente recebemos vários contatos de pessoas querendo trocar em algum outro carro mais velho e poucos interessados em ver o carro e pagar a vista, desses, geralmente o 1º ou o 2º que olham, compram. O último carro que anunciei foi pro meu pai e a primeira pessoa que olhou o carro dele já fechou negócio, isso foi no dia seguinte ao do anúncio, nunca tivemos dificuldade nenhuma para vender nenhum carro aqui.

    • José Barbosa

      Este é um ponto de vista interessante. Vejo quer quem canta as vantagens do particular, por uma margem relativamente pequena, ainda não deve ter tido qualquer experiência problemática ou dor de cabeça. Entregar na revenda, por um lado é um aborrecimento na hora da avaliação, mas com uma semana você esquece, principalmente se for uma compra consciente e planejada, de adquirir o auto novo a preço justo e com as características desejadas.

  • Jordan rodrigues

    pra moto é mais ridículo ainda, eles pagam um valor minusculo e vendem por quase o dobro.

  • TT 230

    Quando o carro é de linha Premium, onde a perde -se muito dinheiro, uma opção é passar a um amigo ou parente, estando o seu carro em boas condições e o novo dono não sendo alguém paranóico.

    Fazemos isso na família e traz uma boa economia. Compra-se um carro confiável, de alguém confiável e por um preço um pouco abaixo do mercado. Quem vende, ganha mais do que se fosse entregar em concessionária e não corre risco dos classificados.

    Claro, essa dica serve para todo tipo de carro, mas em marca Premium, a queda é maior, mesmo que seja proporcional.

  • André A

    Eu só acho que a FIPE deveria ser revista ou deveria haver padronização obrigatória das marcas para atender às tabelas dos veículos.

    Por exemplo, a Volkswagen. É uma marca conhecidíssima pela sua infinidade de pacotes que encarecem os seus modelos na casa das dezenas de milhares de reais. Então você paga 60.000 no seu carro-base, mais 30.000 em opcionais, e na tabela FIPE ele vai valer os 60.000 menos a desvalorização, o mesmo que o outro. Pode até ser mais fácil de vender que o que não possui os opcionais, mas não vai adicionar 1 centavo sequer.

    A Ford aparentemente parou com essa palhaçada e os carros tem pacotes fechados hoje em dia. Mas, por exemplo, quando o New Fiesta chegou no Brasil, era em versão única, SE, com 3 pacotes diferentes. A diferença entre os pacotes era tão gritante, que o mais simples não tinha nenhum airbag, enquanto o mais completo tinha 7 (sete); o mais simples não tinha nem controle de tração, nem de estabilidade; o mais completo tinha ambos; o mais simples não tinha nem rádio, enquanto o mais completo tinha sistema Sync com bluetooth, comando de voz e audio premium; o mais simples tinha bancos de tecido, sem apoio, retrovisores normais, vidros a manivela na traseira, rodas 15; o mais completo bancos de couro com apoio de braço, retrovisores com aquecimento, todos vidros elétricos, rodas 16, e por aí vai. E ambos valem exatamente o mesmo na tabela FIPE.

    • Capetalista

      Pra quem se preocupa com revenda, esse negócio de opcionais é bucha.

      Só vale a pena quando eles mesmos vão revender usado, aí eles alegam que vale acima da Fipe porque tem opcionais…

      • José Barbosa

        Exato. Aí depois criticam aqueles que “compram carro pensando no mercado”.

    • REDDINGTON

      Honda e Toyota por exemplo só pacote fechado. EU acho mais justo. Vc compra um Golf GTI o outro vai e compra com todos opcionais e fica mais caro 40 mil reais. Na hora de vender a FIPE é igual pros 2…

  • marcosCAR

    Remenber time; na primeira foto um classic zero e na terceira, 207 novo.

    • João Cagnoni

      Bem reparado!

    • Pedro Ferreira

      Remember?

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    20% a menos da fipe? nunca, jamais, espera-se no mínimo 40% com a desculpa de que está difícil vender carro usado. Tô tentando vender o meu por conta e as propostas estão melhores que nas CSS

    • Verdades sobre o mercado

      40% ?! Que carro você tem ?

    • Lucas

      Não caia na burrada de deixar o carro em concessionária! Eles vão lucrar facilmente 10, 15 mil em cima de você, dependendo do seu carro. Valorize seu dinheiro que é fruto de tanto trabalho.
      Tenha paciência, faça um anúncio chamativo com fotos do seu carro limpo e que seja bem sucinto, com apenas as informações necessárias, porque brasileiro odeia ler.
      Marque com possíveis compradores no posto próximo à sua casa, ou mesmo na sua rua, mas sem mostrar onde você mora, se você se sentir incomodado com isso.

      Encontrado o comprador, marque um horário com ele no cartório e peça pra ele fazer a TED. Vocês dois acompanham o dinheiro cair na sua conta em tempo real e após isso, você assina o dut e faz a burocracias necessárias.
      Simples assim. Você vai gastar algumas horas da sua semana, mas vai economizar uma boa quantia em dinheiro.

      • Hugo Leonardo Dos Santos

        beleza

  • João Cagnoni

    Que mundo maravilhoso este da matéria, não? Vamos por partes… De acordo com o CDC realmente não existe garantia na venda entre particulares, mas nossa lei prevê algo chamado de VÍCIO OCULTO e este pode ser reclamado por até 5 anos, tanto na compra de concessionárias, revendas ou de particulares. Se você tiver provas de que o carro já foi vendido com tal defeito, você pode (e deve) buscar seus direitos. O maior problema do mercado de usados é que ninguém busca os seus direitos, hoje a maioria das lojas vendem carros sucateados e maquiados. Hoje eu acho mais seguro comprar carro de particular do que de uma loja física.

    • Pedro Ferreira

      Boa sorte em provar um defeito depois de anos.

      • Mr. On The Road 77

        É só mais um processo que não vai dar em nada. Não tem Jurisprudência e lota o Judiciário à toa…

      • João Cagnoni

        Depois de anos fica realmente complicado, mas após semanas ou alguns meses de uso é muito fácil.

    • José Barbosa

      Na verdade, não se aplica o CDC na venda entre particulares. Por isto não há como reclamar vício oculto.

    • MMM

      Cdc so e valido para a relacao con pessoa juridica.

      • João Cagnoni

        Justiça comum vale para todos, qualquer perda pode ser recuperada na justiça, não precisa ter uma lei específica sobre o assunto. Até um certo tempo atrás, não existia o CDC.

        • José Barbosa

          Ação na justiça é algo que só levo para o último caso, quando não tem jeito, porque mesmo quando seu direito é expresso, tudo depende de uma interpretação rápida sobre um caso complicado, fora o custo financeiro e de tempo até a coisa se resolver.

          Para compra entre consumidores, NÃO SE APLICA o CDC, da mesma forma que você, diferentemente de uma loja, não tem que recolher ICMS. A questão é bastante simples: ao adquirir de um particular, você pagou menos para levar o carro na condição que estava. O que rege é o Código Civil, e o que foi pactuado entre as partes. Boa parte dos juízes vai questionar se você foi diligente em puxar um histórico do carro, consultou um mecânico, para daí sim constatar se houve ou não vício oculto, ou simples negligência, influenciado pela emoção do momento da compra.

  • truco

    as css basicamente sobrevivem de veiculos de troca, ja que nunca um veiculo 0km vai gerar a mesma quantidade de lucro liquido, como pode ocorrer na depreciação do veiculo de troca.
    As margens do veiculo 0km sao infinitamente menores.

  • Dula Bude

    Carro da minha esposa:
    Fipe 15 mil.
    Concessionária ofertou 9 mil.
    Vendi em uma semana no Olx por 14 mil.

    Concessionária perdeu uma venda de 55 mil pq exagerou na facada, pois acabei nem voltando lá e peguei um seminovo.

    • Hugo Leonardo Dos Santos

      Pior foi an VW hoje, mal vendem o up e ainda cheguei lá na CSS interessado. A CSS tava vazia e nenhum vendedor veio me atender, isso que fiquei olhando o Polo uns 10 min pra fazer mala e ver se chamava a atenção deles. Fui embora e nunca mais volto na VW

      • Pedro Ferreira

        VW é assim em quase todo lugar. Atendimento péssimo.

        • Deadlock

          Não sei porque a fábrica não toma providências contra esses concessionários. Não adianta ter bons produtos se deixam na mão de quem não sabe vender.

          • Paul Muadib

            Ford é pior: você entra com um carrinho-de-mão cheio de dinheiro e nem olham para sua cara. Você tem que quase implorar para ser atendido.
            Na cabeça desses caras devem achar que estão fazendo favor te vendendo um carro.

      • Jesse James

        Qual cidade amigo ?

        • Hugo Leonardo Dos Santos

          blumenau, VW Blusa

          • Verdades sobre o mercado

            Vai na Breitkopf e pede pra falar com o Alceu – Gerente de Vendas

  • pedro

    Jamais deixei meus carros nas concessionárias, sempre vendi para particulares e depois fui negociar na grana. Mas tempo atrás eu quase fiz isso, pois estavam pagando a FIPE o que é sempre um bom negócio, mas resolvi ficar mais tempo com o meu carro.

  • Lucas086

    Nunca “dei” em ccs, fazem questão de mostrar que estão fazendo favor em aceitar seu carro, sempre vendi particular e nunca demorei mais que 30 dias, é sempre vendi Fipe -1000 a 2000 reais, dependendo das condições do negócio .

  • Diego

    A solução é colocar o veículo em consignação numa agência de automóveis, nem particular e nem concessionárias, eu por exemplo tenho alguns conhecidos que tem agências de automóveis, não penso duas vezes, vendo o carro em consignação, todos ficam felizes e vc consegue o valor justo do seu veículo.

    Concessionária é a pior hipótese para colocar carro na troca, nunca aceitaria as propostas miseráveis que são oferecidas, na bem da verdade esses caras poderiam ganhar muito mais, ficam querendo ganhar 4 a 5 mil a mais , porém na atual conjuntura isso vai demandar um bom tempo, depois vem as demissões e não entendem.

  • Bruno Silva

    Há casos e casos. Tinha um Corsa 2010/2011, com vários detalhes de pintura e internos. Na Fipe tava 20.300, vendi pra GM por 16mil, e ainda consegui desconto de 3mil no carro que peguei no lugar. Acho que carros muito caros talvez até valha a pena vender no particular (se você tiver um despachante por exemplo), de resto é risco de dor de cabeça ou até então não compensa tanto. Nem sempre vc tem que vender em ccs tbm, algumas lojas pagam relativamente bem (ou melhor) em relação às ccs e não exigem troca (deposita o dinheiro na conta).

  • Fanjos

    Sempre vendi meus carros na Webmotors, sempre vendo em no máximo 30 dias

  • Capetalista

    Perco dinheiro, mas entrego na concessionária.

    Uma vez vendi no particular (via OLX) e foi mil maravilhas… O cara me pagou no ato, não encheu o saco, transferiu etc.

    Na segunda vez peguei um infeliz filho de uma profissional das ruas, e o cara levou 2 anos pra transferir o carro… Veio multa pra mim e tudo… e só transferiu depois de eu pedir para um advogado ligar pra ele ameaçando (eu já tinha feito a dita comunicação de venda, mas as multas vieram mesmo assim).

    E parecia bom moço, era um jovem de 20 e poucos anos e veio acompanhado da mãe buscar o carro (ela pagou em dinheiro), uma senhora muito séria etc. Enfim, vai de sorte… E não gosto de depender da sorte.

    Outra vez deixei consignado numa revenda, e depois que vendeu o cara ficou choramingando horas pra eu não sacar a grana, e negociar um carro com ele pra mim. Eu só queria vender!! Tive que ter jogo de cintura para não me indispor com o cara e correr o risco de ele não me pagar. Não quero generalizar… Mas já generalizando, tem muito garagista de carro usado que é fogo na roupa.

    Enfim, como não gosto de encheção de saco, tenho mais coisa pra fazer, sou do time dos “pago pra não me incomodar”.

  • Brenno

    Uma vez fui ver um carro pra comprar e o dono estava somando um jogo de rodas aro 15 na negociação. Falei: bem, pago um valor justo com as rodas original 14 de ferro. Aí como ele não as tinha mais, não queria baixar o valor. Outro detalhe: o carro estava com mais de 200 mil km. Não que isso seja um problema, mas é algo que deprecia um carro.
    Um conhecido meu quer vender um carro 2015 por 35 mil. A tabela do carro é 37 mil. Até aí, ok. Mas não é um veículo bom de mercado (Fracês, ok haters kkk) e com mais de 100 mil km. Com esse valor, você acha o mesmo carro com 30 ou 40 mil rodados).

  • Guedes

    Sempre vendi pra particar e nunca tive maiores problemas. Entregar em CCS é literalmente entregar. Sempre desvalorizam.
    Amigo meu tinha um Gol com GNV, foi vender em CC o cara falou que GNV desvalorizava.
    Anos depois teve um outro Gol sem GNV, voltou na mesma loja o cara falou ” sem GNV complica” kkk

  • Mário Leonardo Pires

    Usado na troca apenas se o carro estiver com defeito grave de motor e/ou câmbio… Daí vc empurra a bomba pra frente e pega o zero quilômetro!
    Vale a pena também quando se tem um Jac, Cherry, ou um carro de comércio ruim, ou ainda, com o estado de conservação muito ruim. Caso contrário olx no usado!

  • Ricardo

    Caramba! Cheio de donos de revenda aqui defendendo avaliações ridículas!
    Se a maioria dos brasileiros são safados, a grande maioria dos vendedores de carros usados são safados ao cubo!

    • Lucas

      Isso mesmo, a maioria é safado mesmo e gosta de ganhar dinheiro sem trabalhar, às custas do povo brasileiro IDIOTA que tem preguiça de dedicar 2 ou 3 horas da semana negociando o veículo com particulares.
      Eu tinha um A4 Ambiente 2015 com só 12 mil km e interior terracota,
      lindo demais, e estava querendo um carro mais altinho. Na própria Audi
      me ofereceram 75 mil nele numa possível troca por um Q3 zero, sendo que me
      desfiz dele pouco depois por 90 mil – cerca de 5 mil abaixo da FIPE..
      Eu virei as costas e fui embora sem dar uma palavra com o avaliador, sentindo uma raiva que você não imagina.
      Três dias depois vi um carro IGUALZINHO ao meu, porém mais rodado e com
      interior preto, sendo vendido na mesma concessionária por 100 mil reais. Os caras queriam lucrar 25 mil em cima de mim, vê se pode?
      E tem gente que defende isso!!!

      • Ricardo

        Queriam lucrar 25 mil encima do seu carro sendo que uns 5 mil já o deixariam perfeitamente em ordem para vende-lo pelo preço normal de mercado. E os culpados também são esses consumidores idiotas que diz, que não querem perder tempo em negociar o carro no particular e aceitam essas propostas ridículas, ferrando com os consumidores que querem uma avaliação mais justa.

  • Magnamox

    Até hoje não sei exatamente como vender o carro para uma pessoa desconhecida….O cara transfere o dinheiro na minha conta e depois assino o documento de venda, ou assino o documento de venda e depois transfere….Vai meio que na confiança? Alguém saberia explicar a melhor forma?

    • Danillo Barros

      Transfere e depois assina. Pode ser direto na agência bancária mesmo. Depois vc vai no cartório (outra coisa ridícula) e reconhece a assinatura.

      • Magnamox

        Beleza Danilo. Valew

    • Lucas

      É simples, Marque um horário no cartório com o comprador, sente ao lado dele. Ele manda o gerente dele fazer a TED e você acompanha isso em tempo real, através do seu gerente ou de algum aplicativo de banco no seu celular. A TED cai, vocês dois veem, você assina o dut, reconhece e pronto.

      • Magnamox

        Boa opção também.

  • vikey

    Em casa há aproximadamente 20 anos, meu pai anunciou sua Caravan Comodoro no jornal.
    Naquela época, cidade pequena, meu pai optou por marcar da pessoa vir em nossa garagem ver o carro.
    Aparece um sujeito de aproximadamente 30 a 40 anos, super bem vestido. Quis dar uma volta com o carro, e no momento que ele vira a chave no contato e nada do carro pegar. E meu pai conta que o carro nunca tinha falhado e bateria nova e tal. Meu pai senta e de primeira o carro pega.
    Meu pai prontamente sai do carro e vai abrir o portão da garagem. O rapaz então engata a ré arranhando todo cambio e sai quase batendo com o carro em outro que trafegava na rua. Demorou alguns minutos para ficha cair e entender a situação. Meu pai tenta ligar na polícia da cidade e recebe uma resposta: ”Senhor não temos viatura disponível no momento”.

    Sorte nossa que a Caravan tinha seguro, mas nunca mais o carro foi encontrado. E a história que até hoje passa na cabeça do meu pai é que parecia que a Caravan estava avisando que não queria dar ”uma volta” com aquele sujeito. rsrs

  • Retrato do Papai

    aqui vai um aviso: muito cuidado com a exposição do veículo pela internet… golpistas costumam utilizar a facilidade das buscas pela internet para obter dados (como placa e renavam) no intuito de facilitar o processo de clonagem…

    meu relato: meu carro atual estava anunciado no site de uma revenda conceituada da região… como ele havia sido adquirido na cc da mesma cidade e estava totalmente impecável e a um preço justo, além de não ter dado nada de errado naqueles “check tudo”, decidi fechar negócio… pouco mais de um ano depois, muito feliz com o carro, descubro que ele havia sido clonado em outro estado (sou do RJ e o carro clonado rodava na PB)… suspeito que os golpistas encontraram o veículo pela internet, entraram em contato com a revenda fingindo interesse e conseguiram dados como placa e renavam…

    minha dica pessoal é:
    -está vendendo o carro? jamais forneça dados pelo telefone (no máximo o primeiro e último caracteres da placa), deixe isso para um encontro presencial em local seguro (tipo estacionamento de shopping)…
    -está comprando o carro? ligue para a revenda simulando interesse e solicite dados como placa e renavam, caso lhe forneçam há uma chance real de golpistas terem feito o mesmo para clonar o veículo…

    a minha sorte é que foi fácil comprovar que o carro havia sido clonado, já que estava rodando em um estado muito distante, eu tinha filmagens e tickets de estacionamento comprovando que o veículo estava em outra região, além de o veículo clonado ter diferenças na carroceria e na placa… agora imagina um veículo clonado no mesmo estado? também dei sorte que o carro clonado gerou apenas uma multa de estacionamento, geralmente clones geram inúmeras multas de velocidade e avanço de semáforo (suspeito que quem adquiriu o veículo não sabia que era clone)…

    com esses “check tudo” da internet, qualquer um com apenas a placa consegue dados como chassi COMPLETO e até o número do motor do veículo…

  • DAlexsandro Costa

    Esse ano vendi meu carro reserva, que era mais utilizado pela minha esposa, um ford KA 97 GL, com 160 mil KM rodados, bem básico com vidro elétricos, som, desembaçador e limpador vidro traseiro e um sonzinho basicão, em suma um excelente carro para bater no dia a dia, dei uma geral na pintura e polimento estava meio fosco, estofamento fiz uns pequenos reparos, carro era muito econômico e barato de manutenção, mas a mulher insistia em vender para comprar um NISSAN MARCH 0 km, pois bem fui na concessionária e ofereceram-me R$3.500,00 no carrinho, o carro estava bonito até tentei convencer a mulher a ficarmos com ele. Mudei de ideia e anunciei na internet, por incrível que pareça apareceu um comprador em 10 dias após o anuncio, anunciei por R$7.000,00 conforme a FIPE, o colega pagou a vista pelo carro, concessionária e revendas colocam o preço lá em baixo, teve lojista que falou que o KA motor endura era ruim de vender, vendi em 10 dias. Tenho contato com o proprietário do KA até hoje, e é só elogios no carro, com este dinheiro e mais uma economias compramos o NISSAN MARCH 2016 completaço…carrinho pra ficar na família uns 10 anos como o ford KA.

  • Renato Shalom

    Vender seu carro para particulares vai muito da sorte e do seu tempo. Quase todo mundo que entra em contato quer colocar na troca um carro mais velho e mais barato. Na maioria das vezes esses carros de “troca” são umas porcarias, não valem nada. Tava vendendo um carro em ótimo estado, semi-novo, importado com apenas 3 anos de uso, e o cara me aparece com um gol bola com 12 anos de uso querendo dar na troca, ambos pela tabela FIPE. Não dá, o carro do cara estava tão ruim que se pegasse pela metade da tabela já era um péssimo negócio para vender depois. Tem muito particular se achando o esperto por aí também. Enfim, vendi o sedan alemão e aceitei um sedan japonês usado manual como pagamento. Eu já estava andando de carro novo, e pus o sedan japones que peguei na troca para vender também. Nova novela e aceitei uma pickup pequena como parte do pagamento para facilitar a venda. Resolvi ficar com ela como segundo carro pois um veículo utilitário sempre é bom ter. Não é que o cara que deu a pickupinha na troca me liga uns 6 meses depois perguntando se eu já tinha passado o carro para o meu nome e reclamando que teve que gastar uma grana dando manutenção no sedan japones !!! Veja bem, o sedan japones não era meu carro de uso, peguei ele na troca do importado, não fiquei nem um mês e o revendi. Não percebi defeito nenhum nele nesse período e o revendi ainda aceitando a pickup na troca. Isso ainda foi avisado ao comprador, que eu tinha pegado o carro na troca de outro a pouco tempo. Então vender para particular as vezes é canseira, fora que ainda pode demorar.

    Tem outras vezes que é mais tranquilo. Anunciei o monovolume japonês da minha mãe e a primeira pessoa que viu comprou e nunca mais ouvimos falar. Estava em excelente estado e pouco rodado. Vendi sem dar desconto nenhum. Em outra ocasião, meu irmão foi para o exterior e deixou para eu vender o hatch francês retrô dele. Carro impecável, mas pouca gente ligava interessada. Veio apenas uma pessoa olhar o carro, e foi essa mesma que comprou com pouca desvalorização. O carro estava também impecável, eu que fiquei cuidando da manutenção.

    No final de 2015, decidi trocar de carro e comprar um hartch compacto automatizado americano. Fui na concessionária e comprei o carro primeiro, e coloquei meu Hatch médio Italiano turbo manual à venda. Demorou pouco mais de 35 dias para vender, mas o cara que comprou demorou um ano para passar para o nome dele. Toda hora chegando multa do infeliz!!! Fui fazer a revisão de 20.000km do hatch na concessionária e como agora as coisas melhoraram, me interessei por um sedan americando automatizado da mesma marca do meu hatch compacto. A avaliação do hatch compacto que estava com menos de 2 anos de uso foi razoavelmente um pouco abaixo do que eu esperava, mas negociando consegui mais 2k de desconto no sedan médio americano e sinceramente decidi fazer negócio lá mesmo pois foi muito menos dor de cabeça do que ficar lidando com trocentos curiosos que não querem comprar nada e ficam só tomando seu tempo. Então concluindo, as vezes vale a pena e as vezes não. Cada caso pode ser melhor uma negociação na concessionária ou particular. Cada um deve tomar a melhor descisão para si, sem julgamentos!

  • Luis Carlos K.

    Há mais de 10 anos não compro 0 km e não vendo para concessionária. Só faço negócio de compra e venda com pessoa física, nunca tive problemas.

    Não entrego para loja de forma alguma. Eles agem totalmente no oportunismo e tentam nos fazer de trouxa. Oferecem 80% ás vezes 70% da Fipe no carro, mandam dar um polimento e um trato no interior. Depois vendem por 100% da Fipe. Bom negocio, né?!

    Sem falar dos casos onde alteram a km do carro e lançam notas frias de manutenção. Já vi muito isso, carro “revisado” e quando você vai ver, nem o filtro de ar trocaram. Imagina o resto…

  • Lucas

    Na CSS da Audi me ofereceram menos de 80 mil num A4 Ambiente 14-15 com 12 mil km que tive e o vendi pra pessoa física por 90 mil depois de uma semana..
    Na GM me ofereceram 70 mil num Sorento 2.4 2015 que tive antes do Audi, com apenas 15 mil km, e o vendi por 85 no OLX poucos dias depois.

    Tive um TR4 12-13 que foi avaliado em 38 mil e a GM na troca por uma S10 LT a diesel 0km. O vendi para uma moça da igreja por 55 mil!
    Até mesmo num Corolla 15-16 que tive a concessionária da Toyota me ofereceu cerca de 10 mil a menos do valor que eu o vendi, na troca por uma SW4 seminova.
    Resumindo: Se você deixa carro em concessionária, você é muito BURRO ou muito RICO.

    • Louis

      Já eu chamo de burro quem troca de carro todo ano e ainda reclama do preço.

      • Lucas

        Eu nunca perdi nada com meus carros, sempre os compro seminovos e vendo com pouco uso, quando julgo ser o momento correto. Trabalho também pra satisfazer meus desejos automotivos, então se você não consegue realizar os seus, é só trabalhar um pouco mais.

  • Jeremias Bandiera

    Há uma parte errada neste texto. Venda para particular e ainda mais fácil financiar, a pessoa negocia direto no banco e sem “taxa de cadastro”. Venda entre particulares evita a especulação das lojas e a pressão psicológica de vendedores ávidos pela venda, possibilitando melhores análises e consequentemente melhores negócios.

  • Marcos S. Campos

    Caso pretenda vender direto para particular e o carro tenha seguro, mantenha o seguro até a conclusão da venda, o que dá mais segurança para apresentar o veículo. Procure apresentar o veículo em um lugar cheio de gente como um pátio de supermercado, que é um lugar mais seguro. Fique na posse do veículo até que o dinheiro entre na sua conta. Quando for apresentar o veículo, peça para ver um documento do interessado, para você saber com quem está lidando, é seu direito.

  • OtarioBrasileiro

    Alguém já vendeu particular Mercedes ou Volvo? Como foi a experiência? :-)

  • Eng Turbo

    Somente particular!!
    Carro ou moto, nunca tive problemas pra vender. Uma coisa que aprendi na compra de um carro usado, e que levo pro resto da minha vida é; Se vc vai vender o carro, realize uma revisão completa, troca de óleo, filtros, alinhamento, etc….exatamente o que vc faria ao comprar o carro, porém vc entrega ele dessa forma, acompanhado na nota fiscal. Sempre que alguém veio ver algum carro ou moto que tenho pra vender, sempre ficam surpresos com o cuidado que tenho e que estou entregando algo realmente bom, revisado e pronto pra rodar…..fecham negocio na hr e pagam a vista. Fiz um teste a pouco tempo, coloquei a minha moto a venda com um preço 20% acima do preço de mercado, em 1 semana foi vendida a vista, 10% acima da FIPE e o atual proprietário me enviou uma mensagem feliz da vida. Se eu tenho um veiculo em boas condições de manutenção, vendo pelo preço justo, sem erro….caso eu tenha algo não tão bom, eu literalmente queimo o preço, pois não existe milagre, simples assim.

  • Andre

    É preferível ouvir algumas propostas indecentes e vender no particular do que se aventurar em uma concessionária. No meu caso, estava pesquisando pra trocar minha pick-up em uma do mesmo modelo só que mais nova e menos rodada, usado por usado. Um carro de segundo dono e sem detalhes com valor de tabela de 70 k era o meu caso e o pessoal me ofereceu 45 k nela. A gargalhada que eu dei na cara do vendedor foi engraçada, porque o pessoal que estava na mesa ao lado negociando parou e ficou olhando sem entender. Agradeci a atenção e fui embora. Concessionária só mesmo se você quiser rasgar dinheiro.

  • Marcelo Macedo

    Nunca entreguei em loja. Sempre vendi no webmotors e sempre com bom sucesso. Carros bem cuidados sempre tem mercado.

  • leitor

    20% abaixo da tabela FIPE? Acho que é mais. E pode encontrar 20% de diferença entre um comprador e outro. Isso é verdade.

  • afonso200

    lembro em 2015 fui numa CCS toyota só pra ver o corolla top…. fui com meu azera 2011 TOP (tirei zero km) …..na epoca em 2015 tava com 50mil km, nao tem um detalhe na pintura,,,, e a mulher foi avaliar o Azera la na toyota, a fipe era 51mil na epoca, e ela disse que pagava 24mil no azera, na troca do corolla………..eu falei pra ela e pra vendedora, se voces tivessem um azera de 51mil fipe voces venderiam por 24mil, um carro impecavel ???………… elas ficaram quietas,,,,,eu sai loko da vida de la,,,,, só queria olhar mesmo o corolla, mas nao precisavam ter depreciado tanto o Azera, kkkkk

    • Lucas

      É ofensivo, irmão. É como se depreciassem o fruto do teu trabalho, é uma situação que dá raiva mesmo. Eu tinha um A4 Ambiente 2015 com só 12 mil km e interior terracota, lindo demais, e estava querendo um carro mais altinho. Na própria Audi me ofereceram 75 mil nele numa possível troca por um Q3, sendo que me desfiz dele pouco depois por 90 mil.
      Eu virei as costas e fui embora sem dar uma palavra com o avaliador, porque senão ofensas iam acontecer.
      Três dias depois vi um carro IGUALZINHO ao meu, porém mais rodado e com interior preto, sendo vearas queriandido por 100 mil reais. Os cm lucrar 25 mil em cima de mim, vê se pode?

  • Charlis

    Pessoal, alguem tem alguma experiência naquele APP Instacarros?
    Eles fazem uma avaliação no carro, seguindo um script, e na sequencia colocam num leilão, e o maior valor surge em menos de 2 hrs.
    Mas, imagino que seja perto dos 20% abaixo da FIPE …
    Se alguém teve alguma experiência, por favor compartilhe comigo!

    []s

  • Fabão Rocky

    Infelizmente os os sites de classificados estão cheios de anúncios revendedores de lojas, encarecendo demais os carros. A gente encontra mais anúncio profissional do q anúncio particular.

  • Rogerio Pereira

    Hoje em dia, acho que um usado antigo com 2 airbags é um diferencial importante.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend