*Destaque Combustíveis

Porcentagem de álcool na gasolina podium

consumo-combustivel Porcentagem de álcool na gasolina podium

Sobretudo por conta dos constantes aumentos de preços sofridos pelos combustíveis no mercado brasileiro, eles aparecem como assuntos das principais pautas do setor nos últimos meses. Porém, antes mesmo dos preços elevados, uma das principais questões levantadas por grande parte dos motoristas e/ou proprietários de veículos é a presença do etanol na composição da gasolina comercializada em nosso País.



A gasolina comum (tipo C) conta com proporção de nada mais, nada menos que 27 por cento de etanol anidro. Isso resulta numa resistência à detonação (formada após sair da coluna de destilação) de aproximadamente 87 octanas. Essa medida, conhecida como octanagem, revela a resistência à compressão sofrida pela gasolina no momento da explosão no interior do motor do veículo. Quanto maior a resistência, maior a capacidade de o motor provocar a combustão da gasolina no momento correto, e não antes, quando ainda é comprimida.

Com o etanol adicionado à gasolina, há a elevação do calor de vaporização da mistura, visto que o etanol necessita de mais calor para vaporizar em relação à gasolina. Além disso, por conta desta primeira vantagem, o motor costuma trabalhar com temperaturas mais baixas, resultando numa menor carga térmica e menor desgaste das peças.

Por outro lado, há uma série de desvantagens da adição de etanol anidro na gasolina. Entre eles, o aumento do consumo de combustível devido ao poder calorífico do etanol menor que o da gasolina, e também o aumento da produção de óxidos de nitrogênio.

E essa adição de etanol à gasolina é válida não apenas para a gasolina comum, como também para a aditivada, a podium e a premium. A diferença entre elas é que a comum não possui aditivos de limpeza e dispersantes para contribuir no funcionamento do motor, que ao longo do tempo costuma acumular detritos em seu interior. Já a aditivada ostenta uma série de aditivos especiais para ajudar a limpar o propulsor, sendo que a “dosagem” e a sua eficiência varia de acordo com cada fabricante.

A podium, grande estrela desta matéria, também possui componentes de limpeza especiais. No entanto, ela se sobressai por contar com mais octanas, sendo mais indicada para veículos com motores com alta taxa de compressão, resultando numa entrega de potência e torque mais eficiente. Fora isso, há menor liberação de enxofre durante a queima de combustível, poluindo menos o meio-ambiente. A premium segue a mesma linha – o termo “podium” é utilizado por uma determinada fabricante (aquela cujo logotipo usa as cores azul, branco e verde) para se diferenciar em meio à multidão de opções disponíveis.

consumo-combustivel Porcentagem de álcool na gasolina podium

Traduzindo: engana-se quem acredita que irá contribuir para o funcionamento do motor usando gasolina podium/premium tendo em mente que ela possui uma menor porcentagem de etanol anidro em sua composição. Ou melhor, há sim uma diferença entre a gasolina comum e a gasolina podium quando se trata da adição de etanol, visto que a primeira conta com os já citados 27%, enquanto a segunda possui 25%. Essa diferença de 2%, entretanto, acaba sendo um tanto quanto insignificante para o funcionamento do automóvel.

De acordo com uma tabela da empresa citada acima, a gasolina comum conta com octanagem de 87 octanas e 50 mg/kg de enxofre. Já a gasolina podium tem octanagem de 97 octanas, 30 mg/kg de enxofre e aditivos. Segundo ela, esta última tem “a maior octanagem do mundo”.

Caso você utilize uma gasolina comum em um automóvel de alto desempenho equipado com um motor com taxa de compressão elevada (10,5:0 ou superior), por exemplo, é bastante provável que haja detonação do conjunto e a “batida de pino”, nome dado ao ruído provocado por um choque de ondas na parte interna da câmara de combustão. Isso é prejudicial ao motor por aumentar de forma drástica a temperatura na câmara de combustão e também pela possibilidade de deformação ou perfuração do pistão e outros componentes internos.

A batida de pino em automóveis convencionais, que utilizam motorização flex com taxa de compressão bastante elevada (12:1 ou superior) é devido ao uso de uma gasolina de baixa octanagem.

Sendo assim, se você tiver na sua garagem um automóvel com propulsor com taxa de compressão 10,5:0 ou superior, o recomendado é utilizar a tal da gasolina podium ou premium, afinal ela permite que o propulsor funcione com a máxima eficiência. Além disso, ela permite limpar parte dos componentes internos do propulsor, facilitando a queima de combustível e até mesmo contribuindo para uma melhora no consumo de combustível.

Entretanto, se você tiver um veículo com taxa de compressão baixa (de 6:1 a 10,5:1), opte pela gasolina comum ou aditivada. Para este caso, uma gasolina de alta octanagem como a podium ou premium acaba sendo um gasto desnecessário de dinheiro, visto que ela não vai tornar o seu automóvel mais potente e nem mesmo mais econômico. Isso a não ser que você seja um grande preocupado com menores emissões de poluentes.

COMPARTILHAR:
  • Ho Ho Rá O de Natal Eterno

    Somente o Lula para nos salvar ……… ele novamente presidente vai acabar essa ” farra ” acaba

    Vai proibir que coloquem álcool na gasolina ( vai querer redirecionar todo álcool para si mesmo )

    • Flight_Falcon

      kkkkkkkkkkkkkkkk
      top

    • Leonardo Teixeira

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Filipo

    “Sendo assim, se você tiver na sua garagem um automóvel com propulsor com taxa de compressão 10,5:0 ou superior, o recomendado é utilizar a tal da gasolina podium ou premium, afinal ela permite que o propulsor funcione com a máxima eficiência.” – Acho que 90% dos carros flex atualmente possuem taxa acima de 10,5:1. Mas acredito que 99% dos donos de carros flex não utilizam a Podium por questões financeiras, obviamente.
    A Podium no Brasil fica restrita aos veículos importados com injeção direta. Em suma: aos mais caros!

    Um FELIZ NATAL a todos!

    • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿®

      Exatamente, a maioria dos carros de entrada tem uma elevada taxa de compressão (os FireFly possuem 13,2:1), aí conforme a matéria só funcionaria bem com gasolina premium, mas os carros nacionais são adaptados para rodar com solvente, querosene, água da chuva, kisuco e todo tipo de porcaria líquida sem reclamar.

      • No_Name

        Não fala mal do Ki-Suco kkk.

      • Leandro Oliveira

        Exatamente…. a matéria acabou esquecendo que mais de 90% de todos carros novos comercializados no Brasil já possuem uma taxa de compressão superior a 10,5:1! Se toda essa gama tivesse que somente utilizar gasolina premium, não haveria mais carros na rua!!!

      • Renato Duarte

        Coloca a gasolina brasileira em um carro europeu ,, que chega a ter até 15% de água de torneira,,, e o carro pifa. Pelo menos os carros brasileiros duram alguns anos com essa gasolina,, ou seja,, não temos carros tão ruins assim…. kkkkkkkkkkk

        • Luciano RC

          Os motores no Brasil são desenvolvidos para suportar o lixo que é nossa gasolina. Tanto a adulteração, quanto o etanol presente nela.
          Veículos importados independente, só podem usar Podium e mesmo assim sofre com a quantidade de Etanol.

          • Edson Fernandes

            Não só suportam como tem peças bem mais robustas que de carros importados para suportar essa mistura maluca.

            • Luciano RC

              Exatamente.

        • Hodney Fortuna

          Vi vídeos do ADG na oficina do Telmo na Florida que haviam carros na oficina dele com mais de 140 mil milhas ainda usando bicos injetores originais. No brasil é comum essa peça apresentar problemas aos 50 ou 70 mil km rodados!

    • Randy Marsh

      Tenho um edge 2014 v6 com taxa de compressao de 10.3:1, admissao K&n. Entao meu carro nao se beneficiaria da gasolina podium?

      • Filipo

        Em matéria de desempenho, não. Só por ter melhores aditivos para limpeza e menos enxofre. Mas essas duas diferenças são pequenas e praticamente não fazem diferença frente a uma aditivada comum.

        • CarlooW

          A grande maioria dos carros há ganhos tanto de performance quanto de consumo com gasolina premium (91 octanas) e podium (95 octanas).
          A gasolina aditivada é apenas uma gasolina comum com aditivos.
          Já a gasolina podium é uma gasolina especial.

      • CarlooW

        Há benefícios em termos de performance.
        Não há como precisar qual seria o ganho, mas há perceptível ganho de potência.
        Seria maior se o motor fosse adequado para reconhecer e aproveitar melhor a gasolina com maior octanagem.
        Um exemplo é o 2.3 Ecoboost do Mustang. Com gasolina comum extrai pouco mais de 270 cv. Com gasolina de alta octanagem (+95 octanas) a potência supera 310 cv.

        • Edson Fernandes

          Não é o caso da Edge. Ele não tem ganho nesse sentido porque não se beneficia.

          • CarlooW

            Tem, sim.
            Ainda mais o Edge, motor desenvolvido para o mercado americano.
            Pode haver restrição na eletrônica por conta das diferenciações de combustíveis mas o Edge responderá com maior performance quando abastecido com gasolina de alta octanagem.
            Fusion V6 2010 de meu quem o diga.
            Se você está tomando como referência o descritivo mal elaborado e confuso da matéria sugiro buscar fontes mais coerentes e confiáveis.

            • Edson Fernandes

              Te pergunto: Seu Fusion V6 ganha potencia com podium? Porque será o primeiro e unico Fusion de nosso mercado que ganha.

              • CarlooW

                Não só o Fusion como o Jetta 2.0 TSI do meu velho.
                Na verdade ex-Fusion.
                A gasolina podium promove de potência em todos os motores, mas uns são mais sensíveis e perceptíveis que outros, principalmente os de maior potência.
                O fato de ter maior octanagem permite aos motores com eletrônica mais apurada a aproveitar melhor a queima do combustível pelo atraso e precisão do centelhamento.
                Cito apenas algumas das milhões de fontes esclarecedoras sobre o assunto.

                https://motorshow.com.br/papo-de-garagem-gasolina-premium-vale-pena-pagar-mais-caro

                http://www.icarros.com.br/noticias/manutencao-e-servicos/gasolina-premium-vale-a-pena-

                Volto a descrever.
                Se você está tomando por base o descritivo confuso e medíocre desta matéria da Noticias Automotivas sugiro buscar fontes mais confiáveis.

                • Xtodos

                  Aqui tem muita gente tapada.
                  Lêem alguma coisa e se sentem conhecedores da verdade absoluta.
                  Nem comento muito por aqui as matérias são muitos toscas, pobre de conteúdo e cheio de erros.

                • Edson Fernandes

                  Eu conheço bem ambos os carros e também sei dos beneficios dos carros com injeção direta e a necessidade do uso de um bom combustivel. O que eu estou aqui dizendo, é que o Fusion em especifico, nunca teve ganho de potencia, ainda que seja um combustivel bom para o tipo de motor.

                  MAs enfim, sugiro a leitura do best cars que acredito que tbm é outra otima fonte de leitura sobre oque eu já tentei explicar.

                  • CarlooW

                    Negativo, camarada.
                    Ambos carros indicam ganho de potência.
                    Até mesmo o Civic EXR de meu irmão, que nem possui injeção direta, mostra alteração de comportamento. A Podium permite ao carro respostas ligeiramente mais ariscas do que quando abastecido com etanol.
                    Não são todos os carros que possuem acerto na eletrônica que permite o funcionamento com gasolina de alta octanagem.
                    Quanto à sugestão de leitura da Best Cars já o faço há algum tempo assim como publicações de outras entidades, mas na linha deste assunto não há nada o que acrescentar.
                    A grande maioria das fontes sobre o assunto simplesmente ratificam o aprendizado que tive em engenharia de motores.
                    No mais encerro essa discussão por aqui.

                    • Edson Fernandes

                      Então o que vc mesmo disse do Civic do seu irmão… a diferença não se traduz em mais potencia, mas sim em uma mistura melhor elaborada da gasolina que irá ser melhor para o carro que irá ajustar a ignição de forma diferente.

                      Ele ficar diferente não é ganho de potencia e sim nas respostas que a central o que mudará o comportamento do carro.

                      Só acho estranho vc dizer do Fusion porque nunca tinha ouvido falar em ganho de potencia, apenas em mudança no comportamento do carro, que pode ficar mais liso para subir giro, ficar mais esperto nas respostas entre outros pontos. Por isso eu estou insistindo contigo.

                    • CarlooW

                      Edson, você está seguindo uma lógica muito cartesiana.
                      Um motor não se restringe apenas à matemática da regrinha de 3.
                      Se o motor funcionasse exatamente igual quando abastecido com qualquer tipo de gasolina a sua defesa estaria concreta, mas não é isso que ocorre.
                      O poder calorífico da gasolina C e premium são praticamente iguais, diferindo apenas na mistura e aditivos (de 5 a 7 litros para cada 30 mil litros). Além, logicamente, dos indicadores de octanagem.
                      MAS, o simples fato de a eletrônica permitir alterações no comportamento de funcionamento do motor derruba por terra essa lógica trivial.
                      No caso do Civic, a melhora na resposta do motor quando abastecido com gasolina premium não se deve à mistura melhor elaborada, afinal, a gasolina premium não promove melhorias nas características de pulverização, estratificação ou interação com as partículas de O2 presentes no ar.
                      A alteração de funcionamento do motor ocorre pelo comando da ECU que atrasa o centelhamento. Este atraso tem a finalidade de aproveitar melhor a queima da mistura com reflexo na melhora do rendimento térmico. Ora, se não houve aumento do consumo – aliás, ocorre redução – e a fase de expansão é ligeiramente reduzida durante 1 único ciclo de trabalho por conta do atraso do centelhamento, a energia média alcança patamares ligeiramente maiores que aquelas fornecidas no funcionamento com gasolina comum.
                      Se a energia por ciclo se eleva isso reflete diretamente no desenho da curva de potência. Logo, o comportamento arisco que se verifica é reflexo da maior potência disponível ao longo da rotação, bem como maior pico de potência.

                      https://www.flatout.com.br/mustang-ecoboost-perde-35-cv-com-gasolina-comum-homem-dirige-100-km-com-faca-na-cabeca-no-piaui-radares-sao-escondidos-em-caixas-de-metal-e-mais/

                      Tome o exemplo inverso do que ocorre com o motor quando abastecido com gasolina “batizada”. Além da possibilidade de ocorrência da famosa “batida de pino” (auto detonação), partida e funcionamento manhoso, há evidente redução de performance.
                      Mesmo que a ECU ajuste o adiantamento da centelha na câmara a potência média por ciclo reduz drasticamente.
                      Há inúmeros fatores que influenciam no resultado final, desde o refinamento da ECU, as características do motor (taxa de compressão, forma da câmara de combustão, entre outros), nível tecnológico do motor (alteração de perfil; refinamento dos bicos injetores; controle mais apurado de admissão de ar e descarga de gases, entre outros).
                      Por fim, reafirmo que a gasolina premium promove aumento de potência na grande maioria dos carros. Uns mais, outros nulo, além de outros que não ocorre sequer o funcionamento por razões de o motor não suportar determinadas características de gasolina.

                    • CarlooW

                      Edson, você está seguindo uma lógica muito cartesiana.
                      Um motor não se restringe apenas à matemática da regrinha de 3.
                      Se o motor funcionasse exatamente igual quando abastecido com qualquer tipo de gasolina a sua defesa estaria concreta, mas não é isso que ocorre.
                      O poder calorífico da gasolina C e premium são praticamente iguais, diferindo apenas na mistura e aditivos (de 5 a 7 litros para cada 30 mil litros). Além, logicamente, dos indicadores de octanagem.
                      MAS, o simples fato de a eletrônica permitir alterações no comportamento de funcionamento do motor derruba por terra essa lógica trivial.
                      No caso do Civic, a melhora na resposta do motor quando abastecido com gasolina premium não se deve à mistura melhor elaborada, afinal, a gasolina premium não promove melhorias nas características de pulverização, estratificação ou interação com as partículas de O2 presentes no ar.
                      A alteração de funcionamento do motor ocorre pelo comando da ECU que atrasa o centelhamento. Este atraso tem a finalidade de aproveitar melhor a queima da mistura com reflexo na melhora do rendimento térmico. Ora, se não houve aumento do consumo – aliás, ocorre redução – e a fase de expansão é ligeiramente reduzida durante 1 único ciclo de trabalho por conta do atraso do centelhamento, a energia média alcança patamares ligeiramente maiores que aquelas fornecidas no funcionamento com gasolina comum.
                      Se a energia por ciclo se eleva isso reflete diretamente no desenho da curva de potência. Logo, o comportamento arisco que se verifica é reflexo da maior potência disponível ao longo da rotação, bem como maior pico de potência.
                      Tome o exemplo inverso do que ocorre com o motor quando abastecido com gasolina “batizada”. Além da possibilidade de ocorrência da famosa “batida de pino” (auto detonação), partida e funcionamento manhoso, há evidente redução de performance.
                      Mesmo que a ECU ajuste o adiantamento da centelha na câmara a potência média por ciclo reduz drasticamente.
                      Há inúmeros fatores que influenciam no resultado final, desde o refinamento da ECU, as características do motor (taxa de compressão, forma da câmara de combustão, entre outros), nível tecnológico do motor (alteração de perfil; refinamento dos bicos injetores; controle mais apurado de admissão de ar e descarga de gases, entre outros).
                      Por fim, reafirmo que a gasolina premium promove aumento de potência na grande maioria dos carros. Uns mais, outros nulo, além de outros que não ocorre sequer o funcionamento por razões de o motor não suportar determinadas características de gasolina.

    • Marcelo Henrique

      Já fiz testes com a Podium no Mille Fire Flex 65cv e no Vectra Flexpower 140cv e lembrando que ambos possuem 11,5:1 de taxa.
      Esperei chegar abaixo de 1/3 da reserva e mandei colocar 50 reais da Podium, aí quando quase zerando o tanque novamente mandei completar com a Podium.
      Mesmo rodando bem tranquilo não há melhora no consumo e se rodar bem agressivamente também não melhora o desempenho.

      • SDS SP

        Não há ganhos significativos no uso da gasolina premium em carros com motores calibrados para rodar com gasolina comum.

    • Gu92

      Com uma taxa acima de 12:1 como a grande maioria dos flex o correto mesmo é utilizar o álcool como combustível!

      • Cristiano

        Alcool da até uma pequena melhora na performance. Quando vc está exigindo no limite do carro, percebe que anda uma merreca a mais. Gosto de colcoar Alcool pra vijar. A diferença vc sente nas retomadas para ultrapassagens…

    • SDS SP

      Nossos motores foram calibrados para rodarem com gasolina comum (RON 95), dada a quantidade grande de etanol. O grande problema nos motores com injeção direta quando abastecido com gasolina comum era a quantidade de enxofre, formando resíduo que entope os bicos. Hoje à gasolina comum tem a mesma quantidade de enxofre das premium.

      Boas festas!

      • Luciano RC

        Nos últimos nossa gasolina despiorou muito. Reduziu o Enxofre para o mesmo índice da Premiun e o Diesel se tornou padrão o S10. Ainda vende o S500 em alguns lugares, mas somente veículos antigos usam.

        • SDS SP

          Eu só estou abastendo com etanol aqui em SP. Acho que é o primeira vez (pela minha experiência) em que o etanol valeu a pena o ano inteiro.

          • Luciano RC

            Em SP o Etanol sempre compensou. Isso na Grande SP. Outras regiões é variável.

          • Edson Fernandes

            Isso a depender do veiculo que possui. Eu mesmo no Fluence mesmo no custo valendo a pena, qdo viajo pelo consumo, compensa mais a gasolina mesmo mais cara. Se for com o uso estritamente de cidade, realmente o alcool vale mais a pena. (porque a diferença de consumo na cidade é bem pequena entre os dois, já na estrada aumenta).

            • MauroRF

              No caso do Ka 3 cilindros, ele fica bem mais econômico com gasolina. Na cidade, a diferença é menor do que na estrada. Ele, com gasolina na estrada, fica muito econômico. Porém, como agora está quente e usamos muito o ar, é melhor viajar com álcool, pois com gasolina e ar ligado na estrada, o carro sente um pouco mais. Com álcool, sente bem menos. Não é uma grande diferença de desempenho, mas com álcool na estrada e ar ligado, praticamente não sente nada de perda, mas com gasolina, sim. Agora, na cidade, não senti muita diferença.

              Vamos ver a Eco Titanium agora, rsrsrs. Ela deve chegar até dia 10/01.

    • Hodney Fortuna

      Mesmo assim sendo a Podium o alto nível de etanol é prejudicial! Esses motores só aceitam a concentração de álcool no máximo a 15%.

    • Edson Fernandes

      Cara mas isso é um exagero gigantesco da materia.

      Quer um exemplo? Fluence.

      Ele é um carro que não trabalha bem com Podium, gerando falhas e até não funcionamento do veiculo. Alguns donos já colocaram um tanque todo de Podium e o carro simplesmente não pegou. Tendo que retirar todo o combustivel do tanque e colocando gasolina aditivada.

      Ou seja, a taxa de compressão por sí só não é fator determinante do tipo ideal de combustivel.

      Tanto que não a toa no manual e bocal de combustivel, é indicado utilizar os tipos de combustivel flex validos (e cita alcool comum ou gasolina comum ou aditivada, no manual ainda indica usar combustivel apenas com a variação indicada no manual).

  • HPaulo

    Mesmo tendo um carro com taxa de compressão acima dos 10,5:1, abastecendo com gasolina podium ou premium a economia (em quilometragem) não equivale à diferença de preço em relação à gasolina comum.

    • Luciano RC

      Exato. Em SP a Podium já passou dos 5 reais o litro. Inviável.

  • Marcos Megda

    Interessante. A taxa de compressao do meu é 9,6:1. Então segundo a matéria eu nao deveria colocar podium. Apesar de que quando coloco, o carro fica bem esperto. A4 1.8 tfsi

    • Rafael Rodrigo

      Carros turbo tem a taxa de compressão maior do que a taxa física, pois quando a turbina está no máximo o ar na câmara faz com que a pressão seja superior aos 9,6:1 declarados.

    • Edson Fernandes

      O seu carro tem injeção direta. E como é da primeira leva é até obrigatório para não ter problemas.

  • “Perguntador”

    O meu Fiesta tem relação de compressão de 12:1 (motor 1.6 – segundo o manual). No próprio manual recomenda o uso de gasolina tipo C e etanol. Ainda tem os seguintes avisos: 1-“Só use misturas de gasolina com no mínimo 18% de etanol (E18) e no máximo 27.5% de etanol (E27.5). e 2- O uso de gasolina aditivada é recomendado pois garante a limpeza do sistema de combustível e do motor, minimizando a formação de depósitos e otimizando o desempenho do motor. Se esta prática não for seguida recomenda-se abastecer o veículo com um tanque de gasolina aditivada a cada 3 meses ou 5.000 km, o que ocorrer primeiro.” Pelo preço da gasolina premium e pelas recomendações do manual, não acho que vale a pena utilizá-la. Só abasteço com comum, etanol e aditivada (apenas de vez em quando).

  • No_Name

    É prejudicial abastecer só com etanol sempre? O meu não pode ver gasolina que faz a famigerada “batida de pino”, é phoda, viu! Mas acho que o etanol seja menos nocivo do que deixar o motor ficar grilando, né… Isso pode destruir o motor. Mas se o etanol sempre for danoso o jeito será abastecer com a gasolina premium de vez em quando ($ 6,00!!!).

    • Vinicius Oliveira

      eu só uso ácool e não estou nem aí, quero meu carro com torque e sem esse grilo chato, mas pelo menos 1x por mês coloco um pouco de gasosa só pra dá uma variada na sonda!!

    • Marcelo Henrique

      Depende do seu escapamento.
      Se for de baixa qualidade, aí é certeza que vai corroer com no máximo dois anos.
      No meu antigo Mille trocava uma parte do escapamento uma vez por ano, aí comprei os originais Magneti Marelli em 2011 e de lá pra cá só abastecimento com gasolina e nunca mais troquei estas peças.
      Outra coisa que dá problema mais cedo são os eletroinjetores que necessitam de limpeza anual, já na gasolina só limpei depois de 3 anos.

      • Edson Fernandes

        Engraçado… no meu C3 que eu usei durante um bom periodo alcool, nunca tive que trocar nenhuma peça de escapamento. Acho que aí depende do local onde vc mora que podem ter outras coisas que te ajudam a ter problemas de corrosão também.

    • Marcelo Alves

      É só misturar um pouco de álcool na gasolina. Toda vez que eu abasteço com gasolina eu mando colocar um pouco de álcool e toda vez que eu abasteço com álcool eu mando colocar de 10 a 20 reais de gasolina para ajudar na partida a frio (eu não abasteço aquele reservatório de partida a frio, pois ele fica por cima do motor e eu acho perigoso, já vi alguns carros flex pegarem fogo e adivinha por onde o fogo começou).

      Faço isso desde que comprei meu carro em 2008 e estou com ele até hoje, nunca tive problemas. Também sempre mando trocar o filtro de combustível na troca de óleo (1x ao ano). Não é bom andar só no álcool, principalmente se você roda pouco, pois é rotineiro problemas de bicos entupidos ou com vazão reduzida, velas enferrujadas no cabeçote (impossibilita a retirada sem danificar o cabeçote) em carros que só rodam com álcool.

      Minha irmã tem um Fox 1.6 16V 2014/2015 com 15 mil km e só usa álcool e já teve que fazer limpeza de bicos pois um bico entupiu e o carro ficar funcionando com 3 cilindros. Um amigo meu que tem um Corsa Classic 2011 e roda bastante, sempre tem problemas com os bicos quando roda só no álcool, o carro dele acende a luz da injeção e fica fraco, é só limpar os bicos que resolve, e meu pai tinha uma Strada 1.8 8v (motor GM) que rodou apenas 33 mil km em 5 anos e as velas enferrujaram no cabeçote, só uma que saiu.

      • Samluzbh

        Nada a ver, isso é falta de cuidados gerais, rodei quase 100 mil num sandero 1.6 só com etanol, nunca precisei descarbonizar o motor ou limpar bicos. Estou com outro 1.0 indo pros 50 mil nas mesmas condições, só etanol.

    • Samluzbh

      Pelo contrario, o carro abastecido somente com etanol o motor fica mais limpo, os componentes já recebem o tratamento ideal devido a água presente no combustível, a peça que mais pode ser prejudicada é o escapamento, mesmo assim original dura uns 6 anos ou mais. Eu só uso etanol a anos! E quanto maior a taxa de compressão do motor melhor fica!

      • Gu92

        O meu Ka Zetec Rocam 2013 desde zero só usa etanol e nunca deu problema, muito pelo contrário, sempre achei a taxa dele de 12,8:1extremamente elevada para usar gasolina!!

  • Daniel

    Poderiam disponibilizar uma linha de gasolina sem etanol. Mesmo com preço (talvez) acima de 5 reais o litro, iria ser utilizada ppr muitos.

    • Vinicius Oliveira

      E ia adiantar de quê se só fuscas e carros antigos com taxa de 7,5:1 poderiam utilizar? O meu carro não poderia ver essa gasolina nunca pois com 12:1 de taxa ele já bate pino na gasolina com 27% de etanol, imagina com essa gasosa pura, não vai nem ligar, acho inviável, o que poderia ter é uma gasolina com menos álcool mas isso se restringe a carro antigos e carburados com uma taxa baixa!

      • Thales Sobral

        A gasolina pura ia ter de sair da refinaria com octanagem alta, não ia poder contar com o álcool pra aumentar a octanagem da mistura.

    • Emanuel Schott

      Problema é que carro flex tem alta taxa de compressão (pra usar etanol) e ficaria péssimo com gasolina 100% pura. Consumo seria alto e o desempenho mediano. A não ser que você esteja falando de carros importados de mercados como a Europa que só rodam com gasolina, não faz sentido usar esse tipo de gasolina.

      • Matuska

        Isso procede? Geralmente vejo nos artigos de vários jornalistas quanto a um motor, que praticamente nenhum tem alta taxa de compressão para aproveitar o etanol adicionado ao combustível. Geralmente eles tem taxas de compressão de motores a gasolina. Ou esteja enganado.

      • T1000

        Fica pessimo nada, o pessoal quando vai pra argentina pira no consumo do carro com a gasolina de la.

      • Daniel

        Com certeza. Não sei se sabia que o siena tetrafuel pode utilizar gasolina pura que é vendida na Argentina.

        • Edson Fernandes

          Pode sim. Alias, na epoca os unicos carros aptos a receber gasolina Argentina (ou da America do sul) eram até então o Siena Tetrafuel ou carros da renault (com motor 1.0 16v, 1.6 16v e 2.0 16v F4R).

    • Renato Duarte

      essa gasolina só iria existir na placa de preços dos postos brasil afora. Aqui é o país dos pilantras donos de postos .

      Um certo dia um sábio disse sobre o brasil: Dá prejuízo não prejudicar o próximo

    • Edson Fernandes

      Não digo sem alcool porque a gasolina precisa ter algum agente de limpeza para tal (antes do alcool era chumbo, extremamente prejudicial a nossa saude) mas uma redução que ficasse entre 10 a 15% já seria otimo. Meu Xsara 2.0 automatico (ex carro) sofreu muito com essas mudanças. Até 22% ele foi na boa… quando aumentou, ele ficou absurdamente beberrão. E começou a gerar luz de injeção e mesmo com a manutenção em dia, eu tinha que sempre levar de 3 em 3 meses no mecanico para limpeza de tbi e bicos.

      Caso contrário a luz da injeção acendia e passava a beber um absurdo.

  • Lincon Lichoveski

    O autor deve ser daltônico: “aquela cujo logotipo usa as cores azul, branco e verde”. Enxerga o amarelo como azul kkk

  • Eduardo Chedier

    Que matéria mal escrita, repleta de inconsistências técnicas. Esta tudo errado! Cadê o revisor? Não vou nem enumerar, pois vai levar muito tempo!
    Manda esse tal de Leonardo se preparar para escrever matérias técnicas.
    Parece uma matéria de automóveis escrita para um site de economia.

  • Eduardo Chedier

    “Essa medida, conhecida como octanagem, revela a resistência à compressão sofrida pela gasolina no momento da explosão no interior do motor do veículo. Quanto maior a resistência, maior a capacidade de o motor provocar a combustão da gasolina no momento correto, e não antes, quando ainda é comprimida.” ERRADO
    A octanagem é a resistência a detonação espontânea de um combustível devido aumento de pressão e temperatura na câmara de combustão na fase de compressão.
    Quanto maior este índice, maior a capacidade de resistir a detonação, e assim será maior a taxa de compressão que o motor poderá utilizar. Por questões termodinâmicas, quanto maior a taxa de compressão, maior é o trabalho( w ) que o motor produz, logo mais torque e potência.

  • Eduardo Chedier

    “De acordo com uma tabela da empresa citada acima, a gasolina comum conta com octanagem de 87 octanas e 50 mg/kg de enxofre. Já a gasolina podium tem octanagem de 97 octanas, 30 mg/kg de enxofre e aditivos” ERRADO
    A concentração de enxofre na gasolina em NADA tem haver com a adição de etanol, e sim com as características de refino.
    Se temos diferentes concentrações de enxofre é por que a Petrobras não tem capacidade de refinar toda a gasolina que fornece com baixa concentração.
    Em tempo, a medida de concentração para gasolina comum é 50ppm ( parte por milhão), podium 30 ppm (alguns dizem 15ppm).Na Europa a concentração máxima permitida é de 5ppm.

    • hddf

      Quanto à medida, creio não estar errada. O fator de conversão de ppm para mg/kg é 1. E no SI a unidade é mg/kg.

  • Ricardo

    Pagamos caro por uma gasolina ruim, que diminui o desempenho e a vida útil do motor. Isto é Brasil!

  • Ricardo

    E essa história de que gasolina aditivada é ruim para motores velhos é verdade ou lenda?

    • Samluzbh

      Gasolina aditivada é lenda, não existe prova nenhuma que valha.

  • Essa da marca Petrobrás, ficou parecido com o filme todo mundo em pânico…

    Não falamos daquele de quem não falamos…

  • Andre Henrique Melo

    Dois amigo que são felizes. Rio de Janeiro R$ 6.00 litro da gasolina Racing no 1.0 8v fire e achando que esta ganhando vantagem.Nem adianta explicar que não tem diferença.Como dizem por ai “dinheiro e meu gasto como quiser…”

    • Zé Mundico

      Realmente, gasolina podium num 1.0 é como dar filé para cachorro pé-duro. O bichinho até come, mas vai estranhar aquele luxo todo….rsrsrsrs

  • Gu92

    Os motores flex com alta taxa de compressão são na verdade motores a álcool que podem também rodar na gasolina e não ao contrário como muitos pensam por aí!!

    • Samluzbh

      Exato, por isso são melhores com 100% de etanol no tanque!

  • Ricardo Blume

    Fiquei confuso agora. De acordo com a matéria, taxas acima de 10,5:1 deveriam rodar com a premium. Ok, mas carros, digamos, mais populares como Up! MPI (11,5:1), Ka Ti-VCT (12:1), Palio Fire (12,15:1) e Celta VHC (12,6:1) deveriam rodar com a premium? O manual não recomenda e os donos, na grande maioria, não conseguiriam abastecer com a mesma pelo elevado preço.

    • Marcelo Alves

      Esses carros “batem pino” com a gasolina comum, é só observar o barulho metálico que eles fazem quando o motor está em baixa rotação e o motorista com o pé no acelerador, é possível escutar de longe, rsrsrs. Os carros que mais notava isso (alguns anos atrás, quando a gasolina ainda estava num preço acessível) eram os Fire 1.0 da Fiat e os VW 1.0 de quatro cilindros. O meu Polo 1.6 8v também bate pino na gasolina quando o motor está em baixa rotação e o pé mais fundo no acelerador (1200 – 2500 rpm).

    • Davi Millan

      Carros Flex devem rodar com gasolina premium ou podium se tiverem taxa de compressão acima de 12,5:1.
      Já os carros a gasolina devem rodar com podium ou premium caso tenham uma taxa de compressão acima de 10,5:1.
      Sendo assim desses citados se forem flex somente o Celta VHC e o Palio Fire veria a se beneficiar com uma gasolina premium para evitar a batida de pino pois tem taxa de compressão superior a 12:1. Já no caso do Palio se for só a gasolina deve usar premium a qualquer custo pois seu “teto” de uso de gasolina comum cairia para 10,5:1. Como Up MPI e Ka TI-VCT são flex e não tem taxa de compressão superior a 12:1 não há necessidade de colocar uma gasolina mais cara.

  • Pensar que todos que tem Palio Fire, Celta ou Uno os têm por questões financeiras é um conforto psicológico para uns ou outros que precisam disso para se sentirem vencedores, mas eu tenho uma triste notícia para esses colegas dos comentários – é difícil de acreditar, mas muita gente realmente não liga pra carrão, beleza? Independente do ordenado, essas pessoas não acham racional torrar dinheiro com gasolina podium para arrancar desempenho no trajeto do trabalho ou nos traslados diários entre clientes, fornecedores e unidades da empresa… Desculpa gente, mas tem muito empresário vencedor na vida que prefere andar de Prisma e abastecer com a gasolina “errada” do que de Cruze ou Jetta e ficar com tesão só de imaginar a gasolina certa queimando bonito lá dentro do bloco.

    • Zé Mundico

      E quem pode ter um carro melhor precisa ter culpa por isso?

      • Ninguém tem culpa disso, pois cada um tem sua própria vida, mas é curioso como alguns precisam demonstrar deboche sobre quem não anda junto com a manada.

        • Zé Mundico

          Se uma pessoa pode ter um carro melhor, isso quer dizer que ela está debochando dos outros?

          • Kkkkkkkkk

          • Samluzbh

            Melhor é relativo, no interior do piauí um uno pode ser melhor que um 208.

  • Zé Mundico

    Por via das dúvidas, nunca usei gasolina aditivada nos carros que tive, todos apenas a gasolina. Sempre usei gasolina comum, para desespero dos frentistas….rsrsrss
    Flex é a maior mentira.

  • Luiz Strle

    A Equinox tem taxa de compressão de 9,5:1 e no manual diz para usar gasolina podium

  • Adilson Silva

    A gasolina Petrobras Podium realmente é a melhor opção para veículos automotivos, por possui além das caracteristicas pouco poluentes, uma melhor resposta do motor, resultando em melhorias na retomada de velocidade, aceleração mais suaveis, economia de combustivel e ecologicamente correto.
    Palavra de quem analisa combustiveis à 20 anos.

  • marco

    um motor somente a etanol a taxa estaria em torno de 15:1

  • Hodney Fortuna

    Segundo ela, esta última tem “a maior octanagem do mundo”.

    De que adianta ter a maior octanagem do Mundo se é, a nível técnico e mecânico é prejudicial aos componentes internos do motor justamente por ter essa adição absurda de etanol? Mesmo sendo desenvolvida para automóveis como BMW, Mercedes, Audis entre outros, a gasolina podium brasileira é mais danosa para esses motores do que a vendida em muitos países do mundo, justamente por conta de sua alta composição etílica! Problemas com corrosão em bicos injetores ocorrem nesses motores mesmo tendo sido abastecidos a longa data com a suposta gasolina podium! A diferença é no preço que é a mais cara do Mundo! Quase 7 reais o litro vendida aqui em Fortaleza!

  • Emanuel Martins

    Vou conta minha experiência com podium que já uso há 3 anos e meio.
    Eu tenho 2 carros.
    Um que só dirijo em finais de semana e outro que utilizo diariamente.
    Esse que rodo nos fns, coloco apenas um tanque por mês, então já que abasteço pouco, uso podium mesmo. Quando troco de combustível eu sinto no mesmo instante a diferença de potência.
    O que utilizo na semana também não rodo muito, acho que coloco no máximo 3 tanques cheio por mês, mas só com gasolina normal e/ou aditivada.
    Bem, quando eu troco o óleo é que vejo a diferença. Enquanto o óleo do que uso o podium desce como ainda estivesse novo, o que rodo na semana desce super fedido, pretão total e a manutenção até agora foi zero no podium, enquanto o outro, já troquei a junta do cárter, bojo umas 2 vezes e fiz outras coisinhas.
    Então acho que para quem roda muito pouco, talvez vale a podium não só pelo ganho de potencia, mas para preservar as condições do automóvel.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email