Após 101 anos, Ford encerra produção no Brasil

Após 101 anos, Ford encerra produção no Brasil

Sim, você não leu o título errado! A Ford encerrou as atividades de manufatura, como a própria marca disse em nota, em território nacional. Após 101 anos, a montadora americana fecha as fábricas de Camaçari-BA, Taubaté-SP e Horizonte-CE, onde fica Troller.


A Ford diz que o fechamento se deve à Covid-19, que “amplia a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas”.

Jim Farley, presidente e CEO da Ford, diz: “A Ford está presente há mais de um século na América do Sul e no Brasil e sabemos que essas são ações muito difíceis, mas necessárias, para a criação de um negócio saudável e sustentável”.

Após 101 anos, Ford encerra produção no Brasil

Ele completa: “Estamos mudando para um modelo de negócios ágil e enxuto ao encerrar a produção no Brasil, atendendo nossos consumidores com alguns dos produtos mais empolgantes do nosso portfólio global. Vamos também acelerar a disponibilidade dos benefícios trazidos pela conectividade, eletrificação e tecnologias autônomas suprindo, de forma eficaz, a necessidade de veículos ambientalmente mais eficientes e seguros no futuro.”

Para a Ford, ficam apenas o Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia, bem como o Campo de Provas, em Tatuí-SP. Já a matriz da empresa se muda para São Paulo, após o fim de Taboão. O Troller vai operar até o quarto trimestre de 2021.

Após 101 anos, Ford encerra produção no Brasil

Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul e Grupo de Mercados Internacionais, diz: “Nosso dedicado time da América do Sul fez progressos significativos na transformação das nossas operações, incluindo a descontinuidade de produtos não lucrativos e a saída do segmento de caminhões”.

Watters reiterou: “Além de reduzir custos em todos os aspectos do negócio, lançamos, na região, a Ranger Storm, o Territory e o Escape, e introduzimos serviços inovadores para nossos clientes. Esses esforços melhoraram os resultados nos últimos quatro trimestres, entretanto a continuidade do ambiente econômico desfavorável e a pressão adicional causada pela pandemia deixaram claro que era necessário muito mais para criar um futuro sustentável e lucrativo.”

Após 101 anos, Ford encerra produção no Brasil

Restará à Ford apenas a fábrica de General Pacheco, que deverá fazer a próxima geração da Ranger. Para os empregados, a Ford disse o seguinte. “Trabalharemos intensamente com os sindicatos, nossos funcionários e outros parceiros para desenvolver medidas que ajudem a enfrentar o difícil impacto desse anúncio”, continuou Watters. Em torno de 5.000 serão demitidos.

“Quero enfatizar que estamos comprometidos com a região para o longo prazo e continuaremos a oferecer aos nossos clientes ampla assistência e cobertura de vendas, serviços e garantia. Isso se tornará evidente ao trazermos para o mercado uma linha empolgante e robusta de SUVs, picapes e veículos comerciais conectados e eletrificados, de dentro e fora da região.” completou Watters.

Após 101 anos, Ford encerra produção no Brasil

A Ford mantém os lançamentos programados para 2021, reforçando que agora a gama será de produtos conectados, entre eles Bronco, do Mustang Mach 1 e da Transit, esta última montada no Uruguai pela Nordex. Na nota oficial, a marca diz: “Ford encerrará as vendas do EcoSport, Ka e T4 assim que terminarem os estoques”.

A Ford prevê um impacto de aproximadamente US$ 4,1 bilhões em despesas com o desmantelamento das operações, incluindo cerca de US$ 2,5 bilhões em 2020 e US$ 1,6 bilhão em 2021. Cerca de US$ 1,6 bilhão será relacionado ao impacto contábil atribuído à baixa de créditos fiscais, depreciação acelerada e amortização de ativos fixos. Aproximadamente US$ 2,5 bilhões impactarão diretamente o caixa da montadora, sendo a maioria, relacionados a compensações, rescisões, acordos e outros pagamentos.

Ricardo de Oliveira
Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

361 comentários em “Após 101 anos, Ford encerra produção no Brasil”

      • Nosso poder de compra foi um dos mais prejudicados no mundo. O real foi uma das moedas mais desvalorizadas durante a pandemia, sinalizando a falta de confiança do mercado no futuro do nosso País.

      • Sim. O preço sobe vertiginosamente enquanto a renda só está caindo. O poder de compra de nós, bananolândios, está diminuindo enquanto operações e equipamentos cotados em dólar, além do aumento de vários custos fixos só aumentam

      • FINALMENTE um comentário sensato. Eu SEMPRE falei isso aqui no forum.
        Brasileiro tem mania de achar que carro é caro porque as montadoras ganham rios de dinheiro e a gasolina é cara porque o dono do posto é ganancioso.
        Vejam que somente nos ultimos 30 dias tivemos FORD, Mercedes e Audi encerrando a produção no Brasil. Proxima será a BMW.
        Se as montadoras estivessem ganhando tanto dinheiro assim, essas montadoras nao estariam abandonando nosso país.
        Ah, sobre posto de gasolina, garanto a voces que o dono do posto é o menor responsável pelo preço. Digo por experencia de quem arrendou um posto de gasolina por 2 anos e preferi sair antes de falir de vez. Consegui acertar com 100% dos funcionários e fornecedores e sobrou um pouco do capital de giro pra eu poder recomeçar. Em média estava trabalhando negativo em 2 mil reais por mes, isso em 2003 e 2004 e meu pro labore era super baixo, o dobro do salário de um frentista.

        • O problema do Brasil é o “custo brasil”. Sou servidor público, muitas vezes até criticado por ter uma visão mercadológica. Uma das áreas que trabalho é a financeira/orçamentária. Tenho um passivo gigante de obrigações acessórias a serem regularizadas. Meu órgão tem “apenas” três “filiais”: e em cada uma há um problema tributário específico a ser tratado. Se somar os passivos (cobranças indevidas e pagamentos que entendo que não deveríamos ter feito), acho que passa fácil de 1 milhão de reais.

          Isto porque somos IMUNES. Fico pensando uma empresa/empresário normal.
          E não sei o Estado de São Paulo. Depois que saí de MG e morei noutros lugares, penso não só porque alguém investiria lá, mas porque alguém ainda mantém algum negócio por lá: alíquotas absurdas, todo o tipo de dificuldade logística, prazos e exigências etc.

          Agora imagina alguém de fora, qual atrativo que tem para o Brasil.

          • Muito bem citado!!! Tenho parentes que trabalham no judiciário de MG e fico assustado com as historias que eles contam do que ocorre lá dentro, bem em linha com o que voce falou. Me assusta também as regalias que esses servidores tem, sem contar o salário que é muito acima do praticado pela iniciativa privada. Olha que o Zema está tentando colocar o estado nos trilhos, mas isso é trabalho para uns 3 governos consecutivos.

              • Além de dar aumento pra PM, os policiais e o judiciário estao com salarios em dia. Isso é complicado, mas nao o julgo. Nao é facil governar um estado quebrado como MG e ainda por cima com uma perda de arrecadação enorme por conta do covid.
                Veja o caso do RJ. Mesmo o estado estando completamente quebrado, ainda acharam um jeito de meter a mao nos cofres publicos durante a pandemia.

            • Um dos problemas do mal funcionalismo é não se preocupar em dar um bom andamento. O problema do Brasil não és ó a carga tributária. É alta, mas não a mais do mundo. Mas burocracia e confusão tributária como no Brasil acho que não tem nada que chega sequer perto.

        • Não me levem a mal, porque vou sintetizar de maneira bem resumida.

          Os casos de Mercedes, Audi e BMW são estratégias locais, com o fim dos isentivos que fizeram marcas de alto padrão querer produzir aqui, restou a eles a demandada mesmo do país, com produção local, aliás antes de ter tanto imposto nos importados e isentivos fiscais para quem alegasse produzir localmente com um mínimo de percentual de nacionalização nunca que tais marcas pensariam em montar um parafuso sequer em terras tupiniquins. Quanto a Ford o negócio é mais embaixo, é uma mudança global no portfólio da marca, com o fim de dezenas de produtos para focar de vez nos SUV’s e picapes. Podemos colocar os casos juntos apenas no que diz respeito a época de acontecimento, mas com crise ou não, não foi o dólar nem a instabilidade política que fez a Ford tomar essa decisão, o mesmo valeu para a linha de caminhões, que aparentemente era lucrativa no país.

            • Pra ser rentável tem que ter volume, dado ao projeto de baixo custo e lucratividade baixa… GM fez isso, mas a Ford viu as vendas decaírem sem mexer na gama. E não necessariamente para porque não dá lucro, os caminhões Ford eram altamente rentáveis, mesmo assim findaram a produção.

          • Realmente não devemos nos esquecer do fim do malfadado InovarAuto. O programa vendeu ilusões, mas não mudou substancialmente o panorama de P&D no setor automotivo brasileiro. Encerrado o programa, os beneficiários de renúncias fiscais se retiraram

      • Primeiro tira a Dilma, depois a reforma trabalhista, reforma da previdência, coloca o Bolsonaro…toda hora a galera muda a desculpa e enquanto isso o trabalhador vai pagando a conta pacientemente. rsrsrsrs

      • Excelente comentário. Ainda faltou as sequências: “se aprovar a reforma trabalhista o dólar cai”, “se aprovar a reforma da Previdência o dólar cai”, “se o Guedes for o ministro da economia o dólar cai” e por fim, em fase de pós produção o “se aprovar a reforma administrativa o dólar cai”

        Não me entendam mal…todas estas reformas foram extremamente necessárias. O grande problema foi a manipulação das massas achando que simples reformas pontuais eram a única forma do dólar cair.

          • A reforma da Previdência do Guedes também era falaciosa. A questão é que todas elas foram vendidas como a solução para a alta do dólar. A frase era sempre a mesma: “Se aprovar a reforma xxxxxxxxxx o dólar caí”…Ou “Se tirar /eleger fulano o dólar cai”. Sempre nos foi vendidas idéias simplistas e milagrosas, mas no fim só há o sacrifício da nação…Nunca dos governantes
            Além da especulação econômica, existe a especulação política usando a especulação econômica como pretexto. Independente de governo ou viés político

          • A reforma previdenciária aprovada foi um meio-termo entre a que o Maia, em combate com o governo, queria aprovar, certamente não a ideal, e a que o Tchutchuca, olhando para os seus amigos do mercado financeiro, queria entregar para a previdência complementar PRIVADA, com certeza a mais leonina e arriscada para quem financia o sistema previdenciário, que é solidário.

            Sobre a reforma administrativa, uma boa lida nas PEC’s e nas leis que reformaram o “contrato” firmado entre servidor e Estado dá uma dimensão de como, no curso do tempo, o governo foi adotando providências para evitar a perpetuação de privilégios. Se vão aprovar uma nova reforma que venha a igualar o trabalhador da atividade pública com o da iniciativa privada, honestamente, tenho minhas dúvidas. Uma coisa é certa: qualquer norma aprovada tem aplicação para o futuro e qualquer iniciativa de alcançar “contratos” já firmados deverá cair quando submetida ao crivo do judiciário.

            No mais, não custa lembrar o que o Gilmar Mendes falou para o judiciário nos idos de 2009: profissionalização do serviço público, estabelecimento de metas, salário-base comedido e gratificação adicional em razão de cumprimento das metas. Penso que é o que se pode fazer em termos administrativos para alcançar todos os servidores.

            • Em partes. Servidores acabam ganhando mais com gratificações e licenças-premio que com o salário propriamente dito. E isso tudo acaba sendo absorvido como “direito adquirido” ao se aposentarem.

              • Com todo o respeito Rodrigo, isso é uma mentira. Não existem mais licença prêmio há bastante tempo, assim como gratificações. Nada disso entra na aposentadoria como direito adquirido, fora que todo servidor Federal que entrou depois de 2003, recebe 80% da média salarial enquanto ainda estava na ativa.
                Mas ainda existem alguns poucos servidores remanescentes de uma época distante que tinham todos estes benefícios mesmo. Pessoas de cargo de nível fundamental, bem antigos, ganhando 30, 40 mil de salário bruto. Graças a Deus são poucos e esse “legado” está diminuindo a cada dia. Isso era uma distorção absurda da realidade brasileira (até mundial). Hoje em dia a realidade dos servidores é bastante diferente

                • Pode até ser que eu esteja desatualizado. Mas tanto meu pai (que faleceu em 2018) quanto minha irmã são aposentados do Governo de São Paulo (USP) e a aposentadoria inclui estes benefícios.

                  • Sim…A galera das antigas recebe salários obscenos.
                    Eu olho a folha de pagamento de alguns órgãos governamentais e fico embasbacado. O governo era uma mãe pra essa classe naquela época. Também tenho parentes da época do “trem da alegria” que incorporavam até licença prêmio não tiradas na aposentadoria!
                    Sou servidor público e defendo o serviço público, mas que o mesmo seja eficiente pra justificar a manutenção do mesmo. Tem gente que tem a mentalidade antiga e presta um atendimento podre. Felizmente isso está diminuindo, mas ainda falta muito pra evoluir
                    Meus pêsames pelo seu pai, amigo

                    • Então, meu pai era mesmo das antigas. Entrou na USP antes mesmo da construção da Cidade Universitária, inclusive ele ajudou na mudança.
                      Mas não pense vc que ele ganhava as obscenidades que alguns servidores ganham. Ele ganhou relativamente bem nas décadas de 80 e 90, mas depois foi corroendo pela inflação e congelamentos. Fora que até inicio dos anos 2000 era só 70%. O último hollerith dele estava em torno de 6 mil reais.

                    • Para ganhar +R$20.000,00 tem que ter mais de 20anos de carreira e curso de extensão internacional pós doutorado

              • De onde você tirou esse dado? Servidor federal, para pegar um panorama geral, tem poucas gratificações. Licenca-prêmio e adicional por tempo de serviço são institutos que deixaram de existir em dezembro de 1997. Ou seja, só incorporou GATS e LP ao patrimônio jurídico quem já as tinha. Gratificação no serviço público federal, em regra, é verba sobre a qual não incide previdência, razão por que ela não é levada para a aposentadoria.

                Como falei, a Administração Pública mudou muito e tudo isso está na legislação. Infelizmente, uma boa gama dos conceitos que ainda vigem na cabeça da população não é objeto de comentário da imprensa, que é avessa à consulta de normas.

              • Tem que diminuir o Estado pra ontem no Brasil.
                Tem excesso de Brasília em cada contra-cheque e nota fiscal emitida nesse país.

                Essas reformas como da previdência, administrativa e fiscal vieram tarde, mas felizmente entraram na pauta de modo sério, esse governo federal tem muitos defeitos, mas há de se reconhecer quando acerta também.

                Hoje foi o PDV do BB e (bem vindo) fechamento de algumas centenas de agências deficitárias.
                O sonho não acabou, quem sabe a ECT vai pro leilão, tá demorando, puxando até uma rede aqui, vai que.

          • Citar a palavra establishment atualmente, depois de tudo que vimos nos últimos 2 anos, mas que vai piorando a cada dia, equivale a um atestado de burrice.

        • Não é interessante para este Governo o dólar baixo. O próprio Guedes sinalizou isso inúmeras vezes. A prioridade é elevar o saldo da balança comercial, mesmo que isso custe empregos na indústria ou comércio.
          Quem estiver pensando em cursar alguma faculdade sugiro pensar com carinho em carreiras ligadas ao agronegócio e se mudar para o Mato Grosso ou Goiás, pois o Brasil deverá se consolidar como celeiro do mundo.

      • Só tirar a dilma que o dólar cai. Só aprovar as reformas da previdência e trabalhista que haverá uma grande oferta de empregos. Só acabar com a CLT que o povo vai ter um poder de compra maior e um salário mínimo de 4 mil reais. Pior que um monte de gente caiu nesse lero, e agora não tem emprego e nem aposentadoria

        • A Argentina ficou mais fechada que o Brasil, e não é lá que a Ford tá fechando, pelo contrário, vamos comprar de lá.

          O mundo inteiro fechou, mas só no país das rachadinhas que a coisa descambou, não tem desculpa, o governo é genocida e incompetente.

        • Espero que na sua casa todos estejam bem. Infelizmente há milhares de famílias que não podem dizer o mesmo. Inação e ação tardia são os piores pecado do governo. Essa crise de saúde poderia ter sido minimizada com medidas preventivas precoces, mas isso não foi feito pelo poder central nem pelos poderes locais.

          • Eu sou totalmente apartidário, mas essa situação era uma que podia ser evitada pelo Governo. Foram avisados em março a respeito da Pandemia e nada fizeram. Todos os países do planeta fecharam as fronteiras, mas o lobby comerciario e hoteleiro aqui falou mais alto, sem contar que até agora, em janeiro de 2021, negam a existência da pandemia.

          • Há muitas famílias sofrendo sem renda também. E não há como o Estado suprir essa lacuna, dado o alto nível de endividamento provocado pela pandemia e as inconsequentes e amplas restrições estaduais/municipais às atividades econômicas em 2020. De onde virá o arroz e o feijão das crianças?

        • morto não compra, não produz, contamina outras pessoas, geram custos medicos, invalidez, prejuizos enormes para a cadeia produtiva, ” Salvar vidas é a parte mais importante”, a Ford saiu porque a MATRIZ tem outros planos para o futuro da empresa. Fique em casa, se não for possivel use mascara, deixe de reproduzir ideias negacionistas, O mundo inteiro sabe da importancia de se proteger.

        • A claro a culpa é só do fique em casa e não da carga tributaria sem vergonha e cretina que só o Brasil tem, essa carga é tão sem noção que a Ford preferiu manter a fábrica na “comunista” Argentina e fechar as daqui

      • Sem dúvida! Aí a desculpa que o preço mantém para cobrir as perdas, porque mesmo com o real desvalorizado a montadora ainda estava custeando parte do valor e o automóvel deveria ser mais caro, kkk!

      • Disse tudo Mr Rafael. E é bem fácil provar o seu argumento: pegue as crises de alta do dólar nas últimas décadas… Em todas elas, os preços dos veículos subiram bastante e nunca houve um reajuste pra baixo quando o dólar baixava.
        Compare os preços de carros antes e depois de 1999 (crise do dólar segurada pelo FHC até o início do segundo mandato, a crise do dólar de 2003 (devido a ameaça do PT chegar ao poder. O dólar bateu os 4 reais nos meses finais de 2003 e anos depois chegou a menos de 1,70 reais)
        Em nenhum destes degraus de escalada do dólar o preço retrocedeu aos patamares anteriores após a revalorização do Real. Esqueçam. Mesmo que o dólar volte a 3 reais, os carros não vão baratear

  1. Como sempre, a culpa é “do mercado”, não dela, que não renovou seus produtos, que foi ficando para trás, etc., etc. Curioso como tem outras, não só chinesas que estão produzindo, tem perspectiva de renovação de produtos, etc.

    • A verdade é que o governo deveria encampar essa fábrica e repassar para outra montadora, pois essa fábrica foi na base do subsolo e renuncia fiscal

  2. Triste realidade. Os caras preferiam manter as operações industriais na Argentina em detrimento ao Brasil. Devem estar prevendo um futuro bem Dark para nosso País.

  3. Vemos claramente no que deu as trapalhadas da Ford no Brasil, também somado a péssima gestão do atual governo federal. Podemos também observar que não houveram ameaças tal como GM, o lance agora é estabilizar o câmbio e regulamentar novamente o setor automotivo para equilibrar esse caos, pode-se também diminuir o super imposto de importação para que ao menos o consumidor não seja prejudicado. Aliás, creio que a Ford irá encerrar as operações.

  4. No Estadão diz que a FORD irá encerrar a fabricação de automóveis ao longo de 2021. Não diz que já parou de fabricar.

    Mas de qualquer forma, é mais uma que se vai, ficando ainda menor o leque de opções de carros 0km.

  5. Tá certo que o governo não ajuda, mas a maior parte da culpa pelo fracasso da Ford no Brasil é da própria Ford. Tanto que FCA, Volks, GM e outras até menores que a Ford (em participação) estão firmes. E ouso dizer que a incompetência da Ford é a nível global hein?

  6. O “mito” vai ter que falar menos e trabalhar mais, do contrário é isso aí o resultado. Lamentável ! O que me deixa mais irritado nisso tudo é este ministro da economia que delira com números.

    • O ministro a economia só tem interesse em defender as operações financeiras que o deixaram rico ao longo das ultimas décadas. Tá cagando para a economia real e para as pessoas.

      • Não diga uma coisa dessas, Rodrigo Maia travou todas reformas lá no congresso e o rombo do governo com a pandemia já passou dos R$ 1 trilhão, há uma atrapalhada do governo sim, mas há muitas pessoas e coisas atrapalhando também!

        • Apenas o Brasil está defendendo a austeridade fiscal, nenhum outro grande player está fazendo igual, somos os que menos crescem, os que menos investem e por fim os menos atrativos. Está havendo uma debandada de empresas e empregos.

        • Graças a deus que essas tragédias foram barradas! Estaríamos em situação muito pior com neoliberalismo mais galopante do que já está nesse país. Desgraçados.

        • A Reforma Tributária está engavetada desde maio de 2020 pelo Rodrigo Maia, que não quer colocar para votação por motivo insondáveis. Da mesma forma tantas outras coisas que poderiam reduzir o Custo Brasil dependem da Câmara e do Senado e não andam.

      • Qual a trapalhada do mito? Não roubar e não deixar roubar??? A Ford que vá embora….outras virão…muita gente está sofrendo na pandemia,inclusive eu….e não fico achando que outro Presidente ou o Estado poderia me ajudar…Brasileiro é paternalista e adora uma ajuda do Estado

      • Eu achei um pouco arriscada, pois Troller vendia muito bem pro nicho dele, tanto que vendia o dobro de Wrangler, e ao contrário desta, requer mínima modificação pra meter em trilha. O Ka vendia relativamente muito bem e curiosamente era um dos hatchbacks mais baratos do país, só o sedan que era caro, mas que curiosamente tinha algumas poucas soluções que não tem na categoria como dobradiça pantográfica no porta-malas. No caso do Ka e EcoSport, dá pra ir pra concorrente de valor parecido que entrega o mesmo ou até mais, mas no caso do Troller em si, o público fiel dele, que é de off road pesado ficou órfão.

      • Assim como muitos que receberam o auxílio. Até para encontrar alguém para fazer faxina estava difícil, povo prefere receber esmola do governo do que ir atrás de emprego.

    • Não consigo ver muito mais do que simplesmente culpa ou escolha delas mesmas. Concorrentes estão socando dinheiro no Brasil e vão muito bem obrigado. O que, por exemplo explicaria a manutenção da fábrica Argentina em detrimento a Brasileira? Dólar e estabilidade do país é que não é. A única explicação lógica é que por lá produzem a Ranger e aqui produzem carros de pouco valor agregado.

      A Sony só aumentava seus preços enquanto Samsung, LG, TCL, etc melhoravam seus produtos e cobravam cada vez menos. Não tem nada além de incompetência delas próprias em entender o mercado brasileiro.

          • Não está tendo fuga de marcas? Que grande empresa abriu fábricas por aqui nos últimos anos? Pode incluir os tempos do PT na conta, nossos problemas vem de longe e só tem piorado.

            • Eu sou de 1980 e desde quando me entendo por gente o Brasil está em crise. Sério galera…Não precisa checar isso em noticias sérias. É só ver que a zoeira do Chico Anísio, TV Pirata, Caceta e Planeta dentre outros programas humorísticos sempre zoavam sobre as mesmas robalheiras e as crises contínuas.
              Tirei um bom tempo nos últimos meses para ler sobre casos de corrupção antigos e sobre crises anteriores. Não mudou nada. Denúncias, desvios, corrupção (em todos os poderes e em todas as esferas). Quem paga a conta somos sempre nós

                • Pois é amigo…Isso vem lá do passado. Não importa a bandeira política. O organismo governamental brasileiro sempre funcionou dessa forma. Culpar um ou outro governo específico não vai resolver. O pensamento do brasileiro médio precisa mudar, independente de ideologia

              • Mas a roubalheira e corrupção diminuiu no governo atual né,pelo amor de Deus…Eu lembro de todos os governos pós Figueiredo,ví famílias de políticos enriquecerem e roubar o país por décadas….Collor,Sarney,acm,barbalho,etc….

                • Diminuiu? Uma trupe de comissionados e informantes infiltrados na Administração Direta do Governo Federal, gastos de cartões corporativos camuflados, servidores públicos da área de segurança pública, pagos com o dinheiro do contribuinte, trabalhando para atender interesses pessoais do Presidente, leis ambientais sendo derrubadas para favorecer empresários que mamam nas tetas, Micheque, inquéritos engavetados, Queiroz, falta de transparência…. que diminuição de corrupção é essa que eu não estou vendo?

            • Só pra ficar no setor automotivo:

              1) FCA investindo 14 bilhões nas fábricas da Jeep (que sequer existia nacionalmente) e na fábrica de motores em Betim, incluindo o desenvolvimento dos motores globais da família Firefly.

              2) VW com centro de desenvolvimento no Brasil (Virtus e Nivus saíram daí) exportando projetos para a Europa.

              3) Toyota investindo 1 bilhão na produção do novo Corolla e Corolla Cross.

              4) GM investindo na fabricação do Onix, Onix Plus e Tracker e agora com planos de mais de 10 bilhões para as novas S10, Montana e Spin.

              5) BMW colocando mais grana em sua fábrica de motos em Manaus.

              A saída da Ford se deve única e exclusivamente a ela. Fosse crise, outras não estariam investindo.

              • Vc fala como se não estivesse acontecendo uma inflação enorme nos veículos, como se compacto não estivesse a preço de médio, e também como se nosso mercado não estivesse encolhendo e o poder de compra do consumidor diminuindo, com o real tão desvalorizado realmente fica mais tranquilo fazer aportes em veículos para países de terceiro mundo tendo um retorno financeiro razoável, mas quem paga a conta mesmo é consumidor tento um veículo meia boca a preços proibitivos.

                  • A saída da Ford se deve em ela estar fazendo automóveis para mercados de primeiro mundo (basicamente lá são carros normais), e não para de terceiro mundo, podemos ver que o que ela faz até que trouxe (Territory) mas fica difícil manter volume com imposto de importação em 30%. A culpa vai além da Ford, a culpa também está no governo e Inovar auto com seu protecionismo, porque bom mesmo está agora, Onix a preço de Cruze, Virtus a preço de Jetta…

                    • Leia minha lista ali de cima e se pergunte: se tudo que você tá dizendo faz sentido, por que outras montadoras não param de investir aqui?

                    • Li sim, investindo em carros de terceiro mundo, ou vai me dizer que que o novo Toyota Corolla Cross é o suprassumo da Toyota que é equivalente a um RAV 4? E em relação a Nivus e Virtus exportam somente do designs, porque tecnologia não, basta ver Polo europeu e o Brasileiro. Vc tá sendo leviano para poder defender o caos político e econômico que estamos passando.

              • São empresas mantendo os produtos, estes ciclos de investimento são normais. Parece (e é) muita grana, mas é relativamente baixo para esse tipo de segmento. Como comparação, a VW vai investir 480 bilhões de reais só em desenvolvimento de carros elétricos até 2025.

              • Esses 10 bilhões da GM não são bem dela, ela ameaçou sair do Brasil há dois anos atrás e obteve incentivos fiscais de 10 bilhões de reais, contando municipais, estaduais e federais, ou seja, os 10 bilhões que ela vai investir, são os mesmos 10 bilhões de incentivos dados pelos 3 entes federativos, assim é molhe investir

              • Finalmente um comentário sensato. Porque está cheio de esquerdinha aqui falando que é culpa de “mito” e não sei mais quais políticos. É culpa de uma conjuntura e principalmente de um vírus que veio da China. A grande culpada disso tudo é a China, que não soube controlar essa porcaria de vírus e o deixou escapar para o mundo, mas tem gente que não enxerga isso. No caso da Ford, ela mesma fez uma porrada de atrapalhadas, aqui e lá fora, e agora está pagando por isso.

    • A fabrica do Brasil foi a sacrificada porque ela que monta justamente os carros que ela não quer mais comercializar, mas a galera do ‘ele não’ nunca vai entender o mundo empresarial!

        • Isso é um fato que não se resume apenas às republiquetas Sul Americanas. Os ricos sempre fogem para lugares aonde irão pagar menos impostos. A sede da FCA foi pra Holanda por causa disso, a Apple havia movido parte das operações não fabril dos EUA e o brasileiro Eduardo Saverin, co-fundador do Facebook renunciou sua cidadania norte americana e se estabeleceu em Cingapura para fugir dos impostos dos EUA, a pujança capitalista.

          Então qual é a novidade na sua afirmação sobre a Argentina? Tal manobra é fato no mundo todo, independente de viés político

    • A Argentina está na curva de ascensão do ciclo político da América Latina, que funciona assim: Vem um Governo Popular, aumenta a prosperidade do povo e a formação de uma nova classe média.

      Essa mesma “nova classe média” passa a ter acesso a bens de maior valor (carro, imóveis, viagens, etc) e, ao achar que pertence à Elite, começa a apoiar políticos liberais/ de direita, sob o pretexto de que a atual gestão está “quebrando o país” e que a nova classe média (que o mesmo cidadão pertence) é artificial e foi montada às custas de crédito e corrupção.

      Esse tipo de político é eleito, e suas medidas econômicas desastrosas empobrecem o povo novamente, afugentam empresas, disparam a desigualdade, o desemprego e enriquecem (mais) pequenas oligarquias. Esse político de direita/liberal passa a ser chamado de socialista Fabiano ou comunista disfarçado. Novamente, um novo governo popular é reeleito, pelo fato de sua base estar mais articulada.

      A Argentina acabou de sair do governo liberal desastroso. E nós estamos na parte mais rasteira desse ciclo.

    • A Argentina produz as pickups que eles seguirão vendendo. Além do agronegócio argentino ser uma bolha de capital estrangeiro pouco influenciado pelo kichnerismo.

      Enfim, acho sacanagem matarem o troller, puta jipe e acho que o velho ex dono da troller deve tá puto com essa decisão pq ele vendeu com um uma cláusula de não levarem a fábrica de lá do Ceará.

      Espero que outra empresa compre. Caoa talvez?

    • Notícia de 05/01/21, do Motor1 (Uol): “Líder de vendas no Brasil pelo 5º ano consecutivo, a Chevrolet prepara um novo ciclo de investimentos para o país, prometendo desenvolver e produzir veículos inéditos no país. O valor de R$ 10 bilhões já havia sido anunciado, mas acabou congelado por conta da pandemia e agora a fabricante confirma que liberou o aporte, a ser usado exclusivamente nas fábricas do Estado de São Paulo. Parte do valor já foi utilizado, pois o aporte de R$ 10 bilhões foi anunciado em 2019. Um dos produtos gerados foi a nova geração do Tracker, que deixou de ser importada do México para ser produzida em São Caetano do Sul (SP). Outra parte irá para a fábrica de São José dos Campos, investindo R$ 5 bilhões no complexo para montar a próxima S10 e o SUV derivado Trailblazer – o que também já tinha sido anunciado pela empresa”…. Enquanto isso, a For parou com Courier, F250, Focus, Fusion e fechou a fábrica de caminhões… De outo lado, em outubro de 2020, a GM também retomou investimentos na Argentina também. Então, não culpe o governo por incompetência praticamente exclusiva da própria Ford…

  7. Uma empresa como a Ford abandonar um dos maiores mercados do mundo por culpa da crise? Só da crise, dona Ford? Põe a crise da empresa, a gestão, produtos competitivos aí no meio também.

    Quanto ao governo, temos um governante acéfalo, que não sabe como e nem porquê chegou ali, se comportando como se estivesse tudo bem.

    • Só uma correção: Ela não está abandonando o mercado, esta desativando as fábricas, mas seguirá vendendo veículos importados, prestando assistência técnica e serviços.

        • A lei obriga ela a manter o centro de P&D e o centro de provas?
          A lei obriga ela seguir vendendo carros no brasil mesmo depois de fechar as fábricas?
          A lei obriga sim ela a continuar prestando assistência técnica para os carro, SE a marca sair do país.
          Repito, a FORD NÃO SAIU DO BRASIL, ela passou a ser uma marca que vende carros importados, assim como a KIA.

          • A KIA tem veículos a partir de 80 mil reais (Rio). Tem um ótimo sedan (Cerato) bem posicionado por menos de 100 mil e a versão de 110 mil muito completo. Tem um SUV lindíssimo (Sportage). E um pós venda muito bom.

            A Ford larga de 160 ou 170 mil seus produtos. Alguns largam de 300 mil. Tem péssimo pós venda e goza de má reputação.

            Sinceramente: prefiro a KIA !

            • Usei a Kia só como exemplo de marca que esta há anos no Brasil, mesmo sem ter uma fábrica no local. Poderia ter usado a Subaru ou a Lexus como exemplos que dariam na mesma.
              Mas concordo que a reputação da Ford não é lá das melhores. Gosto dos produtos da marca, mas não dá para comparar com os concorrentes que custam +140mil reais. Pessoalmente iria de Subaru Forester à Territory ou XV ao Focus (mesmo tendo tido 2 de primeira geração na família que deixaram uma impressão muito boa)

      • Sim, eu entendi.
        Mas vai abandonar o parque que ela tem aqui, e importando produtos de China e México ou Argentina a Ford com certeza vai destruir concessionários pelo Brasil inteiro, pois o volume de vendas será menor. Eu acho uma pena, embora pra mim a culpa seja mais da direção…

          • Na pra´tica não é bem assim. O concessionário vive tb de revisões, manutenções (garantia) e etc. Se quebrar o concessionário, reduzem os pontos de vendas, reduzem as vendas…no final a marca vende tão pouco que pode não querer mais vender nada no país. Bola de neve.

        • Sim, concordo que o governo brasileiro não está ajudando, mas acho que a principal “culpada” é a própria Ford, querendo se posicionar em um segmento mais premium de mercado.
          Não sei se os concessionários sofrerão muito, acho que muitos migrarão para outras marcas, alguns permanecerão com a Ford e as outras marcas vão pegar a fatia de mercado que era da Eco e do Ka.
          Ao menos torço para que seja isso.

    • Fiquei muito triste com isso, pois no ano passado, mais exatamente em março, comprei um Ka 1.0 0km. Optei pelo modelo por ter apresentado o melhor custo-benefício. Como ainda faltam 2 anos e meio para quitar, terei que ficar no mínimo esse tempo com o carro. O que está me deixando com desgosto é saber que se o pós-vendas já não era essas coisas, a tendência é que piore, e se o Ka já desvalorizava mais na hora da venda, quando comprado a Onix e Hb20, agora é que vai desvalorizar mesmo.

      • A rede autorizada que ja estava encolhendo nos ultimos meses agora que vai ser reduzida a pó, quer apostar? Na minha cidade (interior PR – 80 mil hab), fechou em 2019 a unica css Ford.

    • Não compraria. Muitas vezes já faltam algumas peças da mecânica Ford, imagina então com a empresa fechando as portas no Brasil. Quem comprar Ford daqui pra frente terá de rezar pra não quebrar.

  8. Além da situação econômica do país, a própria Ford ajudou bastante a chegar nessa situação, não renovou seus produtos, não lançou nada relevante no mercado nos últimos anos… impossível manter 3 fábricas para fabricar apenas 3 modelos (Ka, Ka Sedan e Ecosport).

    Mesmo assim é curioso ela não manter pelo menos uma fábrica para atender o país, só esses 3 carros citados venderam mais de 117 mil unidades em 2020, Argentina e Uruguai não vão dar conta, ou seja, vão perder muita venda por aqui.

        • O que interessa é dinheiro no bolso, não números bonitinhos no ranking da Fenabrave. Acha que a Cherry errou ao abandonar QQ, Celler e cia pra investir somente em carros caros, por exemplo? A Ford tá indo pro mesmo caminho. Calhou que a fábrica de Camaçari só tinha projetos baratos, enquanto Argentina, México e Uruguai produzem produtos de alto valor agregado.

    • Uma fábrica é de Ka e EcoSport, a outra é do Troller, que a Ford só matou por causa do Bronco, que quem é trilheiro sabe que a suspensão dianteira dela se for exatamente a mesma da Ranger, não presta pra trilha bruta que o Troller fazia, porque o Troller pro nicho dele vendia muito bem. E tem a terceira fábrica, que é a de motores, que fabricava tanto o Fox 1.0 e a versão EcoBoost dele, quanto o Dragon 1.5 e a versão EcoBoost, quanto também as peças de reposição dos motores Sigma e ROCAM, e pasme, fazia certas peças de reposição de CHT que achava fácil em concessionária a bom preço.

  9. Meu Deus, eu disse quase isso semana passada ao dizer que a Ford estava reduzida ao Ka que começava a patinar nas vendas. Ao contrário dos críticos a culpa não é só do desgoverno, afinal a Ford já mostrando problemas há muito tempo. Pandemia foi o estopim!

    • Como a culpa não é do governo ? Cara, a Ford vai continuar na Argentina que tem um governo socialista, a condição lá é melhor do que a do Brasil, do contrário ficaria aqui. O “mito” tem que falar menos e agir mais em prol da economia.

          • Eu te entendo, apesar de eu ter votado no Bolsonaro, vejo muitos erros, claro que acredito que nossa situação estaria ainda bem pior com o Haddad, mas o Brasil é o ruim ou péssimo!

              • Sim, Haddad faria muito pior, porque um banner de WhatsApp te disse! Hahahahahahahah até o picolé de chuchu da direita (Alckmin) faria pelo menos um governo, o bozó é macaco de imbecis.

            • Eu nunca votaria no Haddad, agora, governo Bolsonaro tem sido um desastre, acredite que não seria péssimo, mas do jeito que as coisas estão eu não vejo uma luz no fim do túnel. Na eleição para presidente votei no Meireles, apesar de saber que ele não teria chances.

                  • A Argentina ficou em casa e de presente vai ter a única fábrica do Ford na América do Sul e de quebra o Uruguai vai passar a montar alguns carros da Ford para exportar para o Brasil, enquanto isso, o país com a maior carga tributária do mundo terá suas fabricas fechadas

                    • Falou bobagem. A carga tributária, e consequentemente os carros, são mais caros nesses países do que aqui!

                      Facilita (pra Ford) esses países serem economias de moedas fracas o que torna a mão de obra (dólares) muito barata. Mais do que aqui.

                    • Fala isso para o representante da Ford que afirmou categoricamente que a energia barata e a menor carga tributária fizeram a diferença para manter a fabrica Argentina e fechar as fábricas brasileiras

                • Mas o que faz o Brasil afundar é o confinamento ou a ausência de planejamento para a vacinação? Veja, os países desenvolvidos já perceberam que a única saída da crise sanitária é a vacina e, portanto, investiram pesado na vacinação. Sem ela, não há retorno à normalidade, à reabertura da economia. Isso vale para países governados à esquerda, ao centro e à direita. Aparentemente, há apenas o Brasil que não quer se dar conta disso, pois o governo federal não assume responsabilidades e sabe apenas distribuir a culpa à China, à Argentina, à PT, à esquerda, aos grandes capitalistas. O Brasil está afundando pela incapacidade do governo federal atual que nada faz para reverter o quadro negativo que herdou e a pandemia atual.

      • Fosse assim, as montadoras do Brasil fechariam suas fábricas e importariam carros da Argentina e do México, por exemplo. Como que a GM vendeu, em dezembro, quase 50 mil carros e a Ford vendeu apenas 16 mil? Como a VW tem escritório mundial de design no Brasil e a Ford parou com Focus, F250 e Fusion? Se o Brasil é tão ruim assim, por qual motivo a BMW e a Mercedes não abriram suas novas fábricas em outros países, mas escolheram o Brasil? Não estou defendendo um ou outro governo (longe disso, não tenho nenhum interesse!), mas temos que analisar a responsabilidade da Ford nisso tudo. Basta ver que antes ela já havia fechado sua fábrica de caminhões. Se você tirar o Ka, a Ford não brigava em nenhum segmento no Brasil há anos (pickup leve; pickup pesada; sedan; SUV; vans etc.).

        • Exatamente.. FCA, VW, GM, Toyota e até marcas premium, como citado por você, estão investindo no desenvolvimento e produções locais. Não há nenhuma crise que possa livrar a culpa única exclusivamente da Ford.

        • Nesse momento eu não vejo um ambiente de negócios favorável no Brasil, além do governo Federal temos governos estaduais fazendo coisas erradas, um deles é o Dória, aumentou o ICMS de carros novos e usados, por Deus , num momento que vivenciamos tomar uma medida como esta é inconsequente.

          • Não tem essa de “favorável” ou “não favorável” num país de terceiro mundo como o nosso. A indústria (bilionária) não vai deixar de investir em países em desenvolvimento (Brasil, Índia, China, África etc). Na verdade, agora é o melhor momento. Não confunda a nossa condição (de cidadão, de consumidor etc.), com a condição das multinacionais, que buscam esse exato momento para investir (dólar alto e real fraco). A GM retomou o plano de investimento de R$ 10 bilhões e a VW anunciou R$ 7 bilhões para o começo desse ano no Brasil. A gente compra, o frotista compra, a locadora compra… todo mundo compra… de um jeito ou de outro.

    • Por mais que a matéria tenha dito que os serviços, peças e garantias vão se manter acredito que muitas ccs vão fechar.

      E estou na mesma situação que a sua. Tenho um Ka 1.5 AT 2019 e por mais que tivesse planos de ficar com o carro por uns 4 anos acho que se as coisas começarem a complicar no médio prazo serei obrigado a vendê-lo, por mais que seja um bom carro.

      • O meu peguei em Outubro de 2018 ou seja é um SE 18/19 Outubro desse ano acaba a garantia e hj ele vai está com 50 mil km. O lado bom que na época paguei 43 nele hj um igual não encontra anunciado por menos de 44 k e a Fipe 41.

    • Fiquei bem chateado com isso, pois no ano passado, mais exatamente em março, comprei um Ka 1.0 0km. Optei pelo modelo por ter apresentado o melhor custo-benefício. Como ainda faltam 2 anos e meio para quitar, terei que ficar no mínimo esse tempo com o carro. O que está me deixando com desgosto é saber que se o pós-vendas já não era essas coisas, a tendência é que piore, e se o Ka já desvalorizava mais na hora da venda, quando comprado a Onix e Hb20, agora é que vai desvalorizar mesmo.

  10. Tchau, FORD!
    Não tem uma pick-up pequena para brigar no mercado da Strada/Saveiro/Montana
    Não tem um SUV de Shopping atualizado para brigar com T-Cross/Renegade/Tracker/Kicks
    Matou a Ranger CS e CD Flex (S10/Hilux seguem no mercado)
    Não tem um pcik-up pra brigar com a Toro
    Não trouxe motorização turbo para os carros compactos (Ka, Ka Sedan, Eco, etc)
    Assumiu de forma tardia a m e r d a do problema do cambio Power Shift (trataram os Brasileiros como trouxas)
    Falou que traria a Explorer na base da Ranger e não trouxe
    Levou 10 anos para colocar um p o r r a de um cambio automático no Troller (clientes pediam isso há anos)
    … deve ter mais algumas “barbeiradas” da FORD nestes anos, mas nao estou me lembrando agora.
    Falou, valeu!

  11. A Ford saindo do Brasil mais rápido do que eu imaginava. Vende relativamente bem, mais que Nissan, Peugeot, Citroen, Mitsubishi e mesmo assim fechou todas as fábricas.

  12. Não entendo fecharem Camaçari. Fabricaram quase 100 mil Ka e Ka+ lá no ano passado.
    Não vão manter nenhuma estrutura para fabricação CKD como a Caoa faz?
    Vão se dedicar apenas à importação? Desse jeito a Ford vai ficar do tamanho da Kia.

  13. Enquanto VW e GM estão com lançamentos um atrás do outo, inclusive com equipes de desenvolvimento de produtos globais no Brasil, a Ford do Brasil parou com Courier, F250, Focus, Fusion… Agora encerra com Ka, Ecosport e até o T4. Sem contar os fracassos de Territory e Edge por aqui. A Ranger vem perdendo cada vez mais espaço também. E a linha de caminhões já foi encerrada há dois anos quase. A culpa é da Covid?! Há no mínimo uns três ou quatro anos a Ford do Brasil já vem demonstrando incompetência aqui. Eu contei agora no site da Ford EUA: são 40 modelos (!!), sendo deles a F150 (pickup mais vendida do mundo). Lá tem Explorer, Escape, as vans de carga/passageiro etc. Está saindo do Brasil não por pandemia ou por governo, pois todas as montadoras estão nisso juntas, mas por incapacidade de manter lançamentos, de inovar, de ter boas concessionárias, de ter bom pós-venda etc. Manteve-se esses últimos meses com as vendas do Ka apenas. O livre mercado é isso: não deu resultados, vai embora. Outras ocuparão o espaço vago. Fico triste, mas é isso aí…

  14. É a retribuição para todo o esforço exigido do brasileiro através de renúncia fiscal, especialmente na crise de 2008/2009, para tornar as operações da empresa sustentáveis e colaborar com a injeção de divisas na matriz.

    É assim mesmo. Do ponto de vista empresarial, ela está corretíssima.

  15. Enquanto as outras marcas investem periódicamente no Brasil e lançam famílias de novos modelos, a Ford definha vergonhosamente.
    Décadas de má gestão dão nisso.

  16. Para quem acompanha o mercado não foi uma notícia tão surpreendente assim, apesar de ser chocante.

    O que colaborou para isso foram os sucessivos erros da Ford ao longo dos últimos anos. Não vou citar todos, mas um dos principais foi o Powershift onde recentemente saiu a decisão da justiça quanto ao resultado das análises e garantias.

  17. Depois do fechando da unidade de Taboão, era questão de tempo eliminar o que restou.
    Apesar de Banânia tratar muito mal quem quer produzir, a Ford foi se enterrando aos poucos.
    Muito triste.

  18. Colocar a culpa no Governo chega a ser indecente. Estou com 50 anos e ir a uma cc Ford já foi motivo de muito prazer para os amantes de automóveis. Já tive Ka, Fiesta e Focus e a dirigibilidade desses carros, em comparação a de outras montadoras, NOS MESMOS SEGMENTOS, era muito melhor. Mas decisões equivocadas levaram à derrocada nas vendas. Por exemplo, alguém duvida que hoje, um Fiesta ecoboost não brigaria pelo cliente de Ônix? Lamentável tudo isso….

  19. Imagino concessionária fechando ou mudando de bandeira e aos poucos a Ford vai deixar de vez o Brasil. Imagina o desespero de quem comprou o pastel de Flango ( Territory ) vendo a concessionária Ford de sua cidade fechando.

  20. Eu trabalhei 12 anos numa empresa fornecedora da Ford, principalmente a fabrica de Camaçari, estou extremamente triste com esta noticia, tal empresa tinha a Ford como principal cliente, talvez ela até feche as portas depois desta noticia. As pessoas focam nas demissões da Ford, mas muita das vezes esquecem da cadeia de fornecedores que também desmoronam num efeito dominó. São tantos empregos perdidos, famílias prejudicadas. Lamentável.

  21. Ford saindo abre espaço das vendas do Ka que é um bom volume . Para onde vai migrar essas vendas Onix /Polo /Argo ou Hb … Veremos ao longo do ano qual vai roubar essas vendas.

  22. Se a própria Ford já esta “desistindo” do Brasil, me pergunto porque a Peugeot deveria ter investido tanto em trazer ou produzir o novo 208 turbo aqui em Resende. Na Argentina o 208 esta indo muito bem, superando até mesmo o Ford Ka. O Brasil aos poucos esta perdendo suas multinacionais, a Ford tem culpa sim da situação, mas o Brasil tem sua parcela de culpa também. Aqui é caro produzir, é caro vender, é caro comprar e é caro manter um veiculo.

  23. Agora se a Ford vai se meter no setor premium, tentando vender carro a partir de 200 mil, a vida vai ser mais difícil ainda, porque o pós venda é bem fraco.
    Tentaram vender a edge ST a 299 (preço de X3) e não deu certo.
    O Territory andou menos que o Compass a gasolina aspirado.

  24. Se o nosso mito ligar pro Trump, não dá tempo do homem fazer alguma coisa por nós? Quem sabe se rolar de novo um “I love you my friend. I drive a powershift Ecosport, a wonderful car!!” Tenho certeza que a direita de lá se preocupa com nossos empregos aqui, e é nessa hora que a parceria e a broderagem funciona.

  25. Quando a Ford começou a reduzir seu elenco tirando o Fiesta e a linha de pesados comerciais de linha, eu comecei a pensar como uma montadora poderia se sustentar com apenas dois modelinhos ultrapassados, defasados e com vendas em queda (Ka e Ecosport). Simplesmente não dá, simples assim.
    A Ford não investia mais em coisa nenhuma, desde modelos, tecnologias, motores até melhorias na rede de concessionárias. Foi deixando se acabar sozinha e foi levando até o último caroço. Perde o mercado, perde o consumidor, perdem os empregados das inúmeras fornecedoras, perde o governo do estado e do município, perdem concessionárias, perdem lojistas e perdem proprietários de modelos que terão diminuído seu valor de mercado.
    Espero que algum grupo nacional consiga pelo menos comprar a fábrica da Troller e manter a produção, acho que não seria tão caro assim, pois é uma marca de nicho com uma clientela cativa e de bom poder aquisitivo.
    No mais, adeus.

  26. Tenho um Fiesta Sedan ( mexicano ) . Acabei de usar a garantia e fazer a última revisão em concessionária. A saída da fábrica causa uma preocupação mas não vou correr pra trocar de carro por conta disso. Carro é um bem de consumo e não investimento. Irei continuar a usar o carro por mais ou menos 4 anos como planejado e ir juntando dinheiro para uma futura troca.

    • Tenho um Fiesta 2015 e quando vi a notícia pensei se era hora de vender, mas o mercado brasileiro é tão maluco que é capaz dos fãs mais fanáticos buscarem tanto esses caros no futuro que nem desvalorize tanto. Estou na dúvida, até pq não é um momento bom para vender um bem de valor mais elevado.

    • O problema é que os concessionários da Ford não vão conseguir sobreviver só de venda de carros acima de 200 mil. Logo a marca vai sumindo aos poucos começando pelas concessionárias do interior que logo fecha ou muda a bandeira.

  27. Simplesmente patético…Uma empresa que já foi umas das líderes…vendendo Corcel, Escort e Del Rey…. Dar tanta mancada até chegar neste ponto. Produtos inexpressivos e que não vão fazer falta.

    Falta eles falarem como será a manutenção de quem está comprando carros deles….de quem tem carros da marca….

  28. Notícias recentes… (é só dar um Google):
    .
    .
    – GM: retomada do investimento de R$ 10 bilhões na fábrica de São Paulo (Motor1).
    – VW: investimento de R$ 7 bilhões na fábrica de São Paulo (Uol).
    – Toyota: investimento de R$ 1 bilhão na fábrica de São Paulo (Globo).
    – Mitsubishi: investimento de R$ 800 milhões na fábrica de Goiás (Auto Indústria).
    – Honda: investimento de R$ 500 milhões na fábrica de Manaus (Auto Esporte).
    – Peugeot-Citroen: investimento de R$ 220 milhões para a fábrica de Porto Real (Estadão).
    – Hyundai: investimento de R$ 150 milhões (Exame).
    .
    .
    .
    Ford informa fechamento da fábrica em SBC, em 2019, após mais de 50 anos.
    Ford anuncia encerramento da produção do Fusion para julho de 2019.
    Ford confirma fim do Focus em outubro de 2018.
    Ford para de fabricar F-250 em fevereiro de 2012.
    .
    .
    .
    Entenderam? Desde governos passados, com ou sem desconto em IPI ou incentivos, a Ford já vinha abandonando o Brasil. Não é de hoje. Pararam com lançamentos, não concorriam em n

  29. Isso basicamente que dizer que depois do encerramento também do futuro JV com a Mahindra, então a Ford nem vai mais se preocupar em fazer um novo Ecosport, nem Ka, e muito menos SUV do Ka. Acabou. Agora só importados, vai virar marca de nicho total.

  30. FORD cagou pro Brasil!

    Simplesmente ignorou toda uma historia criada aqui.

    Mas já fazia tempo que isso vinha acontecendo, creio até que tenha sido estratégias errôneas de modelos e lançamentos.

  31. Isso é reflexo direto da incompetência da própria FORD na AL. Minha opinião é esta. Há anos vem fazendo coisas erradas, lançando produtos com acabamento ruim, defeitos crônicos (powershift), pós venda inexistente, na verdade pra mim demorou. Mas o melhor pra FORD seria demitir o presidente da AL..
    Apesar de ter sido a 4a montadora do Brasil por anos, nunca deu o devido valor a região. Talvez pelos desgovernos que aqui sempre tivemos..Mas fato é que sempre fez muitas coisas erradas também, deu brechas para a operação se tornar deficitária.

  32. Pra mim esse é o primeiro fruto da bolha da venda direta.
    Tenho um colega que trabalha na área estratégica de uma montadora e afirmou categoricamente que a margem de um Onix cai em 1/3 quando é venda direta.
    Pra piorar, chegamos num patamar onde as montadoras simplesmente não podem se dar ao luxo de não participar das vendas diretas.
    Só digo uma coisa: a Ford foi só a primeira.

  33. À culpa do Governo nessa história se resume somente aos benefícios fiscais só à Ford ao longo de 20 anos ganhou mais de 20 Bilhões, eu acho que o Governo deveria cobrar mais dessas montadoras principalmente qualidade, tem vários donos de Amarok querendo receber uma indenização do dieselgat por exemplo, eu acho que deveríamos só importar.

  34. A Ford quase saiu do Brasil em 2001 e só foi salva pelo excelente CEO Antônio Maciel Neto, que foi a pessoa chave na decisão de lançar os bem sucedidos Fiesta e a Ecosport no Brasil. A Ford estava literalmente de malas prontas pra ir embora

  35. Já vai tarde. Preços absurdos com carros pelados se comparados aos mesmos modelos do exterior, não podem apenas justificar falando que os impostos do Brasil são altos, todas as montadoras colocam uma margem de lucro muito acima e as classes rica e a média ( que acha que é rica) continuam a comprar. Sendo que bastaria um boicote geral na compra dos automóveis deixando eles lá no pátio para forçar as montadoras negociar impostos mais baixos, mas brasileiro continua comprando e reclamando.

  36. Carros ruins, sem qualidade, sem segurança, péssimo pós venda e caros. Ford só sobrevive graças ao gosto americano por pick-ups e grandes SUVs. Sem isso, já teria quebrado. NavEuropa, é traço do que já foi um dia. Não vender mais Ka, é um favor à sociedade.

  37. Demoraram 5 anos pra perceberem que o impeachment foi um golpe. Em 2018 muita gente já tinha consciência do que estava por vir, mas a maioria não escutou. Deram voz às fake news, muitas vezes sabendo que eram mentiras apoiaram mesmo assim. Eu previ a alta do dólar antes mesmo da pandemia, se vocês acham que R$5,50 é alto, esperem até ele chegar a 60 ou 70 reais igual aconteceu no governo neoliberal argentino.

    • Isso não é culpa só do que chamam de golpe, o governo anterior tb tem culpa no cartório pois criou um dos piores programas da historia recente, que hoje é reflexo o que está ocorrendo, este programa se chama Inovar Auto!

    • Com acordos com o Mercosul e o México, uma fábrica para atender o mercado brasileiro (que a marca vem perdendo marketshare ano após ano) deixa de fazer sentido.

  38. Vou ter que ligar para um serviço de guindaste para conseguir tirar meu queixo do chão! :0
    Adeus Ka, Ecosport, Troller T4! Bem capaz que essa bomba H detonada vai ser notícia até em telejornal.
    Quem comprou um Ford nacional recentemente vai gritar uma semana de raiva.

  39. Lamentável a decisão. Faz muito tempo que a Ford no Brasil tem feito decisões erradas e perdeu dinheiro com isso.
    Moro no Reino Unido e aqui o Fiesta é líder de vendas há alguns anos. O Focus está na quarta posição e o Puma em nono.
    Ouve erro de estratégia na América Latina e não tem como culpar apenas a variação cambial ou a pandemia. Em 100 anos de Ford no Brasil, ela sobreviveu várias décadas em períodos de inflação, que era algo tão pior quanto, para uma multinacional

  40. A Ford cambaleia faz tempo, reestruturando toda cadeia de produção no MUNDO, saiu da Australia, fechou fabrica na Inglaterra,Belgica, vendeu marcas como VOLVO, MAZDA, LAND ROVER, etc, já havia fechado a fabrica em SBC, não vendia muito por aqui, já vai tarde, esperamos ações governamentais para trazer outras fabricas, destravar o mercado automobilistico, que venha Great Wall, Geely, SAIC, …

  41. Os comunistas do NA enaltecendo a Argentina e condenando o Bolsonaro como se o congresso o senado e o STF estão mandando no Brasil. Ou vai dizer que as reuniões do STF com senadores e deputados é invenção. Eu agradeço por termos esse governo senão já estaríamos como a Venezuela.

    • O que você ganha defendendo esse desgoverno? Enquanto seu mito ta lá, tranquilhao com um cartão coorporativo da presidência (com gastos ilimitados e sigilosos), com uma patrimônio milionário, conquistado através de decadas na politica (sem produzir nada), com a família quase que inteira no serviço publico ganhando altissimos, você ta ai, pagando caríssimo no arroz, na carne, nos legumes, no combustivel, na conta de luz, no eletronicos, nos carros…

  42. Quem coloca a culpa no governo atual é mais despreparado que os “gestores” da Ford, esses sim os verdadeiros culpados dessa saída. Quem quiser fazer feito a Ford e cair fora também, a porta da rua é serventia da casa. Vão pra Argentina, pelo menos lá o filho do presidente é trans e o aborto é permitido.

  43. Não quero ser muito realista, mas essa saída da Ford pode ser o início de uma cadeia de dominós, espero estar errado. Vejo que muitas empresas estão há anos na beira do abismo, muitas estão quase escorregando… O governo inapto e sem futuro tira a “esperança” do empresário. Como diziam anos atrás, o último que sair, apague a luz. Hoje isso não será necessário, deve faltar energia elétrica para a “luz”.

  44. Eu trabalhei em concessionária Ford o que afundou a Ford no Brasil é a ganância de donos e gerentes de pos vendas criando recalls em veículos que não tinha defeitos

  45. Tenho grande esperança que a brasileríssima Troller consiga se salvar pelo fundador Mario Araripe…..
    Tenho grande respeito pelo Troller pela imagem+ trilhas+ etc que impõe !
    Vamos rezar!

  46. Todo mundo culpando o governo. É assim que um povo desinformado não evolui. Agora todo mundo esquece o Covid. Na hora de ficar em casa, todo mundo fala “vamos ficar em casa, a economia a gente vê depois”. O empregador fica com um pepino nas mãos, de ter que pagar 100% dos salários sem vender nada, aí uma empresa com a Ford fecha as portas, o culpado é o governo! Chega a ser risível o nível de análise do povo brasileiro em geral. É por isso que não vamos pra frente.

    Enquanto isso, no Ideb de 2019, do atual peseidente, o ensino médio público teve a maior alta da historia, apos ficar estagnado pro anos. Alguem aqui leu isso? Sabe disso? Não, só sabem falar mal do governo (deste ou de qq outro que estivesse no poder). Ao invés de ficarmos contente com essa evolução da educação, só criticamos os acontecimentos ruins, que mitas vezes não tem nada a ver com o governo.

  47. É absolutamente triste uma notícia como essa. Uma empresa da magnitude da Ford, com tanta história e contribuições à indústria automotiva e à manufatura industrial neste mundo, abandonar a produção fabril no Brasil, após mais de 100 anos.

    Que as pessoas não acreditem que a decisão veio apenas por conta dos impactos econômicos da pandemia; a Ford, no Brasil e mundo afora, já sofria com decisões equivocadas, posicionamento estratégico ruim, timing impreciso, dentre outros males. O plano One Ford foi mal arquitetado e mal conduzido; os investimentos em novos produtos em mercado de grande crescimento, sem abrir mão das “vacas leiteiras”, mal projetados e realizados, dentre outros.

    Claro, a profunda instabilidade política e econômica pela qual o Brasil passa há mais de 10 anos – e aprofundada com os últimos governos (Dilma / Temer / Bolsonaro), só piorou as coisas por aqui. E enquanto houver pessoas assumindo a carapuça de defender bandeiras de direita e esquerda, acreditando que o mundo é conduzido por uma briga entre “bem” e “mal”, e cultivando políticos de estimação, negando a história, os avanços e a credibilidade da ciência e tecnologia, continuaremos a descer ladeira abaixo – sem conseguir enxergar o fim da queda.

    Sou empresário e professor universitário; já trabalhei na indústria automotiva – hoje, é cada vez mais difícil enxergar perspectivas positivas em muitos mercados, e o pior: perspectivas positivas para a nossa sociedade. :-(

    • E o fato do IDeb no ensino médio ter o maior avanço da historia em 2019, no governo Bolsonaro, não é uma perspectiva positiva? Ou vc ignora os avanços do atual governo?

    • Mas foi o governo anterior que fez um dos piores programas da indústria brasileira recente, o Inovar Auto é algo comparável á extinta Lei da Informática de 84 de tão ruim e como foi mal feita. Os reflexos de tudo que foi decidido naquela fatídica lei que fechou ainda mais um mercado que já é fechadíssimo, com pouquíssimos players estão sendo vistos agora.

  48. Foi tarde.
    Convém considerar o modelo de negócio da montadora de Deaborn. Onde há quase 10 anos vem caindo de participação no mercado brasileiro, perdendo lugar no top4 pra Renault e depois até a 5 posição para a Hyundai no país. No ano retrasado a planta de caminhões foi fechada no ABC, enquanto de outro lado, DAF e MAN desembarcavam no Brasil.

    Em resumo, a Ford, é uma compania que por diversas razões já não se entendia com o mercado brasileiro, essa é a verdade, e esse 2020 distópico foi só a pá de cal que faltava pra o fechamento completo.

  49. Gm soube agradar o consumidor local, com projetos de baixíssimo custo em plataformas globais e algum produto ou outro que ainda tem resquício de GM americana… em caminhonetes, tanto GM quanto Ford, tem um mercado consolidado, mas no restante a GM fez o feijão com arroz “gourmetizando” produtos baratos, enquanto a Ford ficou requentando comida velha na prateleira. Não que a GM esteja hoje com seus melhores produtos, longe disso, mas deu ao mercado o que o consumidor médio quer… Ford que não estaria hoje tão mal das pernas se tivesse tido vergonha na cara e lançado uma nova geração da Ecosport, tivesse mantido ou criado uma Courier nova, baseada no pobre do KA; Ford que poderia ter sido menos gananciosa no Territory, tê-lo lançado com 2.0 Ecoboost por exemplo… Ford que poderia ter feito da Troller uma “Jeep” brasileira, trazendo mais conforto e requinte, utilizando apenas da marca como apelo aos aventureiros de cidade grande… Se a FCA pode vender um Jeep Renagade 1.8 E-TorQ, Ford poderia ter lançado um Troller “SUV” muito mais barato e muito antes de trazer os novos Bronco pra cá. Sucessão de fracassos que se sucedem sucessivamente sem sessar, meio que parafraseando o Falcão.

    • Tem sim grande contribuição, forçou altos investimentos sem em contrapartida a demanda necessária. Projetaram algo pra 5 milhões de carros/ano e o Brasil encolheu depois disso as vendas cairam a patamares baixos, mesmo antes da pandemia. Fechar mercado como no período militar é a solução pra alguma coisa?

  50. Estratégia errada, os carros da Ford são bem vendidos aqui e bem vistos! Essa inteligência de mercado é totalmente equivocada e imatura. Acabaram de queimar a marca Ford aqui no Brasil! 😡😡

  51. Já vinha mal das pernas; sabíamos disso desde o encerramento de Fiesta e Focus sem contrapartida nos salões das concessionárias. Poderia se retirar de maneira menos traumática, até por uma questão de imagem. Não sei se a transformação de fabricante a importadora será tão bem recebida assim pelos consumidores brasileiros. Veremos…

  52. A GM também vem nesses últimos anos se enxugando bastante, eu acredito que a transição entre os carros à combustão para os elétricos tem um peso bem maior nesse processo de redução de ambas as empresas. Imagina o tamanho do elefante branco nas mãos dessas empresas quando os motores à combustão se tornarem proibidos no primeiro mundo… eles estão é tentando reduzir ao máximo a quantidade de centros fabris que muito logo estariam totalmente obsoletas.

Deixe um comentário